Análise sintática

2.227 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.227
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise sintática

  1. 1. Professora: Shênia Martins
  2. 2. A combinação das palavras para formarem as frasesnão é aleatória; precisamos obedecer adeterminados princípios da língua. As palavras secombinam em conjuntos, em torno de um núcleo. Eé esse conjunto (o sintagma) que vai desempenharuma função no conjunto maior, que é a frase.
  3. 3. » O turista » viajou.» O jovem turista estrangeiro » viajou.» Aquele jovem turista » viajou.» Nenhum turista » viajou de trem.» O turista estrangeiro » viajou de trem para São Paulo.» O turista estrangeiro » viajou de trem para São Paulo ontem.» O turista e sua família » viajaram.
  4. 4. O especialista não respondeu todas as perguntas. O especialista não respondeu todas as perguntas. sintagma nominal sintagma verbal O especialista não respondeu todas as perguntas sintagma nominal modificador + verbo sintagma nominal todas as perguntas O especialista não respondeu det. + det. + núcleodet. + núcleo nominal advérbio + núcleo verbal nominal
  5. 5. » As unidades sintáticas da língua (sistema de unidades hierarquizadas) apresentam-se sob a forma de palavras, sintagmas, orações e são relacionadas por um conjunto de mecanismos formais. Conforme Azeredo (1990),» "A estrutura gramatical do português comporta vários níveis. O morfema é a menor unidade dessa estrutura; e o período, a maior. Acima do nível dos morfemas acha-se o dos vocábulos; acima deste, o dos sintagmas, a que se superpõe o das orações. Esquematicamente, temos: PERÍODO, ORAÇÃO, SINTAGMA, VOCÁBULO, MORFEMA. "
  6. 6. Colar de Carolina Com seu colar de coral, Carolinacorre por entre as colunas da colina. O colar de Carolina colore o colo de cal, torna corada a menina. E o sol, vendo aquela cor do colar de Carolina, põe coroas de coral nas colunas da colina. (Cecília Meireles)
  7. 7. O colar de Carolinanível do período colore o colo de cal, torna corada a menina. O colar de Carolina nível da oração colore o colo de cal / torna coradda a menina. O colar de Carolina (SN)nível do sintagma colore o colo de cal (SV) torna coradda a menina (SV) Com/ seu/ colar/ de/ coral / Carolina / correnível do vocábulo / por/ entre/ as/ colunas / de/ a /colina. O / col/ar / de / Carolina /nível do vocábulo color/e / o / col/o /de/ cal/, torn/a / cor/a/d/a /a/ menin/a.
  8. 8. 1. Como podemos reconhecer um sintagma?2. Basta haver mais de um vocábulo para existir sintagma?3. Como são formados os sintagmas?4. Há mais de um tipo de sintagma ou apenas um?5. Todas as classes podem formar sintagmas?
  9. 9. Observe o trecho retirado do livro “A hora dosruminantes”, de José J. Veiga:"A noite chegava cedo em Manarairema. Mal o solse afundava atrás da serra - quase que de repente,como caindo - já era hora de acender candeeiros, derecolher bezerros, de se enrolar em xales. A friagematé então contida nos remansos do rio, em fundos degrotas, em porões escuros, ia se espalhando,entrando nas casas, cachorro de nariz suadofarejando."
  10. 10. “A noite chegava cedo em Manarairema.”Qualquer um de nós rejeitaria ou perceberiacomo estranhas as sequências formadas pelosmesmos vocábulos, porém agrupados assim: *Noite a chegava cedo em Manarairema. *Em chegava noite a cedo Manarairema.
  11. 11. No entanto, podemos trocar a posição de algunsgrupos de vocábulos da frase inicial, sem prejuízo dacompreensão: Chegava cedo em Manarairema a noite. Em Manarairema a noite chegava cedo.Essa inversão da ordem é possível porquemantivemos os grupos (A noite, em Manarairema),mudando, apenas, sua posição. Essa possibilidade dedeslocamento prova que cada grupo é um sintagma.
  12. 12. Além disso, podemos fazer substituição desequência por unidade simples: A noite chegava cedo em Manarairema. Ela chegava cedo em Manarairema. A noite chegava cedo em Manarairema. A noite chegava cedo lá.
  13. 13. Finalmente, podemos usar um elo coordenativo eque vai mostrar a união de duas unidades domesmo nível. (Como professor e aluno, serra emar...) Teremos então:A noite e a escuridão chegavam cedo emManarairema.em que "a escuridão" é equivalente a "a noite" epor isso pode substituí-la:A escuridão chegava cedo em Manarairema.
  14. 14. • Como são formados os sintagmas?• Há mais de um tipo de sintagma ou apenas um?• Todas as classes podem formar sintagmas?As três perguntas acima estão intimamente relacionadas,por exemplo, se alguém pergunta: "Como são formados ossintagmas?" - a resposta provavelmente será: - Dependedo tipo de sintagma. Daí concluímos que há mais de umtipo. Ou então, se a pergunta é: "Todas as classes podemformar sintagmas?" - responderíamos que as classes devocábulos entram na formação dos sintagmas, mas aparticipação não é igual; há classes que são núcleo, outrasdeterminantes, outras modificadores, depende do tipo... eassim por diante.
  15. 15. Por tudo o que foi dito até agora, épossível afirmar que:• Podemos reconhecer a classe dos sintagmas;• Há procedimentos para provar a sua existência;• Há mais de um tipo de sintagma;• Os vocábulos se unem para formar sintagmas;• Os sintagmas formam a oração.
  16. 16. a natureza do sintagma depende do seunúcleo.

×