Psicossomática vídeo aula

481 visualizações

Publicada em

Por
Sérgio Costa
O sacrifício do corpo e a descoberta da vida
Vídeo Aula Psicossomática
É por isso que, na neurose, predomina um tipo de angústia sem objeto nítido, tendo os fatores atuais um papel relevante na sua etiologia, tal como se dá nos casos hoje em dia classificados como síndrome do pânico.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicossomática vídeo aula

  1. 1. PsicossomáticaPsicossomática Prof. Sérgio Costa
  2. 2. ADVERTÊNCIA De acordo com o Artigo 184 do Código Penal,este material não poderá ser utilizados para outros fins que não seja para orientação dos estudos e pesquisas do aluno do NEPP. Assim como a sua reprodução ou uso como material didático para aulas, palestras.
  3. 3. O SACRIFÍCIO DO CORPOO SACRIFÍCIO DO CORPO EE A DESCOBERTA DA VIDAA DESCOBERTA DA VIDA Sérgio Costa
  4. 4. É PORISSO QUE, NA NEUROSE, PREDOMINA UM TIPODE ANGÚSTIA SEMOBJETO NÍTIDO, TENDO OS FATORES ATUAIS UMPAPEL RELEVANTE NA SUA ETIOLOGIA, TAL COMO SE DÁ NOS CASOS HOJE EM DIA CLASSIFICADOS COMO SÍNDROME DO PÂNICO.
  5. 5. PARA DÉJOURS (1988), A SOMATIZAÇÃOÉ UM PROCESSO QUE ESTÁ NA CONTINUIDADE DA NEUROSE DE ANGÚSTIA: "PARAOSESPECIALISTAS EMPSICOSSOMÁTICATAMBÉMÉHÁBITODARMUITA ATENÇÃOÀDESCOMPENSAÇÃOQUEREPRESENTAA NEUROSEDEANGÚSTIA, PELOQUEAMEAÇA PREFIGURARPARAOFUTURONAORDEMDAS SOMATIZAÇÕES".
  6. 6. (...) ANEUROSEDEANGÚSTIAREVELAINFLUÊNCIASSEXUAIS(...) ANEUROSEDEANGÚSTIAREVELAINFLUÊNCIASSEXUAIS QUETÊMEMCOMUMOFATORDACONTINÊNCIAOU DAQUETÊMEMCOMUMOFATORDACONTINÊNCIAOU DA SATISFAÇÃOINCOMPLETA- TALCOMOOCOITOSATISFAÇÃOINCOMPLETA- TALCOMOOCOITO INTERROMPIDO, AABSTINÊNCIAJUNTAMENTEAUMAINTERROMPIDO, AABSTINÊNCIAJUNTAMENTEAUMA LIBIDOVIVA, ACHAMADAEXCITAÇÃONÃOCONSUMADAELIBIDOVIVA, ACHAMADAEXCITAÇÃONÃOCONSUMADAE OUTROS”.OUTROS”. Freud, 1898.
  7. 7. FREUDJÁ DIZIA QUE OAPARELHOPSÍQUICOTEM PORFUNÇÃORECEBERE PROCESSAROS ESTÍMULOS EXTERNOS E AS MANIFESTAÇÕES PULSIONAIS, FAZENDO, PARA TANTO, USODE SUAS VIAS ASSOCIATIVAS.  QUANDOISSONÃOÉ COMPLETAMENTE POSSÍVEL, OUTRAS DEFESAS, QUE NÃOORECALCAMENTO, ENTRAMEMCENA, PASSANDOAOLARGODA MEDIATIZAÇÃOPELOSÍMBOLO.   COMOUMASSINALAMENTOFINAL, CABE UMA OBSERVAÇÃOA RESPEITODAS RELAÇÕES ENTRE A PSICANÁLISE E A PSICOSSOMÁTICA.
  8. 8. NOARTIGOMORAL SEXUAL CIVILIZADA E DOENÇA NERVOSA MODERNA (FREUD, 1908), ESSA DISTINÇÃOVOLTOU A APARECER. FAZENDO, DE MODOBASTANTE VEEMENTE, UMA CRÍTICA AO PAPEL REPRESSORDA CIVILIZAÇÃOSOBRE A VIDA SEXUAL, E RESPONSABILIZANDO-A PELA CAUSAÇÃODAS NEUROSES E DA INFELICIDADE EMGERAL DOHOMEM, FREUDREITEROU A INCIDÊNCIA DOSINTOMA SOBRE OPLANOSOMÁTICONAS NEUROSES ATUAIS E COMPAROU-OAOS SINTOMAS DE NATUREZA TÓXICA QUE RESULTARIAMDOEXCESSOOU DA ESCASSEZ DE CERTOS "TÓXICOSNERVOSOS“.
  9. 9. MCDOUGALL (1991) UTILIZA O CONCEITO DE DESAFETAÇÃO PARA FALAR DE ALGO SEMELHANTE. OS PACIENTES MAIS PROPENSOS A SOMATIZAR SERIAM AQUELES "INCAPAZES DE RECALCAR AS IDÉIAS LIGADAS À DOR EMOCIONAL E IGUALMENTE INCAPAZES DE PROJETAR ESSES SENTIMENTOS...
  10. 10. ...DEMANEIRADELIRANTE, SOBREAS REPRESENTAÇÕESDASOUTRASPESSOAS". DELINEIA-SE, ASSIM, UMA ESTRUTURA PSÍQUICA DIFERENTE DA NEUROSE, PORUM LADO, E DA PSICOSE, POROUTRO.
  11. 11. PARA MCDOUGALL, TAIS PACIENTES "EJETAM BRUTALMENTE"DOCAMPOCONSCIENTE AS REPRESENTAÇÕES CARREGADAS DE AFETO; NÃOPODEMCONTEROEXCESSO DA EXPERIÊNCIA AFETIVA E NEMREFLETIRSOBRE ELA. AS PALAVRAS DEIXAMDE TERA FUNÇÃODE LIGAÇÃO PULSIONAL E TORNAM-SE "ESTRUTURASCONGELADAS, ESVAZIADASDE SUBSTÂNCIAEDESIGNIFICAÇÃO" E O DISCURSOMANTÉM- SE INTELIGÍVEL, PORÉMTOTALMENTE DESTITUÍDO DE AFETOS. A PALAVRA, NESSE CASO, NÃO OFERECE MAIS PROTEÇÃOCONTRA A EXCITAÇÃO.
  12. 12. MARTY (1991) UTILIZOU OCONCEITO DE MENTALIZAÇÃOCOMO SENDO UMA ESPÉCIE DE MEDIDA DAS DIMENSÕES DOAPARELHO PSÍQUICO, QUE CONCERNEM"ÀQUANTIDADEEÀ QUALIDADEDASREPRESENTAÇÕESPSÍQUICASDOS INDIVÍDUOS". PODE-SE DIZER, GROSSOMODO, QUE, PARA ELE, UMA BOA MENTALIZAÇÃOPROTEGE O CORPO DAS DESCARGAS DE EXCITAÇÃO.  
  13. 13. CRITÉRIOS DIFERENCIAIS   NEUROSE DE ANGÚSTIA CLASSICAÇÃO DAS NEUROSES   TEMÁTICA CENTRAL ANSIEDADE ACONPANHADA DE SINAIS SOMÁTICOS.   ANSIEDADE PERSISTENTE, NÃO CORRESPONDE À SITUAÇÃO. COMPORTAMENTOS DOMINANTES TENSÃO E INQUIETAÇÃO MOTORA.   DIFICULDADE DE ATENÇÃO E CONCENTRAÇÃO. CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS VIVÊNCIAS DOMINANTES INQUIETUDE DIFUSA, SENTIMENTO DE AMEÇA IMINENTE.  MEDOS.  SENTIMENTOS DE VULNERABILIDADE E DESAMPARO.  EMOTIVIDADE. MANIFESTAÇÕES SECUNDÁRIAS (NEMSEMPRE PRESENTES) DIFICULDADES RESPIRATÓRIAS. OPRESSÃO PEITORAL..  FADIGA FACIAL.  IRRITABILIDADE. ALTERAÇÃO DO SONO.   ESTRUTURA CARACTERIAL DEFICIENTE DESENVOLVIMENTO DO VETOR INTEGRATIVO (POUCA TOLERÂNCIA À FRUSTAÇÃO, INSUFICIENTE SENSO DO REAL). INSEGURANÇA.   EMOTIVIDADE E VULNERABILIDADE.
  14. 14. PORFIM, A AUSÊNCIA DA METABOLIZAÇÃOPORFIM, A AUSÊNCIA DA METABOLIZAÇÃO SIMBÓLICA DA EXCITAÇÃOPROVENIENTE DA PULSÃOSIMBÓLICA DA EXCITAÇÃOPROVENIENTE DA PULSÃO - QUE FREUDENTREVIU NA NEUROSE ATUAL EM- QUE FREUDENTREVIU NA NEUROSE ATUAL EM CONTRASTE COMAS INTRINCADAS FORMAÇÕESCONTRASTE COMAS INTRINCADAS FORMAÇÕES PRODUZIDAS PELO RECALQUE NO NEURÓTICO - PODEPRODUZIDAS PELO RECALQUE NO NEURÓTICO - PODE SERCONSIDERADASERCONSIDERADA "FIGURADEPROA""FIGURADEPROA" DADA PSICOSSOMÁTICA.PSICOSSOMÁTICA.
  15. 15. OMECANISMO DE REPRESSÃO A QUE SE FAZ ALUSÃONA PSICOSSOMÁTICA DIZ RESPEITOÀ BARREIRA QUE SE INSTALA ENTRE O SISTEMA PRÉ-CONSCIENTE E O CONSCIENTE. TRATA-SE, AQUI, DE UMA REPRESSÃO PSÍQUICA NO SENTIDODO EVITAMENTODE UMA REPRESENTAÇÃO ADQUIRIDA, QUE PODE SE ALASTRARDE MODOA ATINGIR MAIS E MAIS REPRESENTAÇÕES LIGADAS AFETIVAMENTE ÀS PRECEDENTES.
  16. 16. COMO JÁ SE VIU, NÃO É POSSÍVEL ENCONTRARUMA VIA DE ESCOAMENTO DA EXCITAÇÃOATRAVÉS DA PALAVRA, VISTO QUE ODISCURSO SE APRESENTA DESAFETADOOU OPERATÓRIO. A DESCARGA SÓPODE SE DARMEDIANTE O ATO. ESSA IDÉIA, ALIÁS, PARECE JÁ PRESENTE EMFREUD(1913), QUE, EMBORA TRATANDO DE UMA SITUAÇÃO DIFERENTE DA QUE TRATAMOS AQUI, FINALIZOU SEU LIVROTO TEME TABUFAZENDO UMA COMPARAÇÃOENTRE OS POVOS PRIMITIVOS E OS NEURÓTICOS, PARA CONCLUIRQUE, NOS NEURÓTICOS, "O PENSAMENTO CO NSTITUIUMSUBSTITUTO CO MPLETO DO ATO ". E DÁ UMFECHO SOLENE A SEU TRABALHO PROCLAMANDOQUE "NOPRINCÍPIOFOIOATO"  
  17. 17. OATO DOSOMATIZADORRECAI SOBRE O SOMA. AO CONTRÁRIODA CONVERSÃO HISTÉRICA, QUANDOO CORPOAFETADO É OCORPOERÓGENO - PORTANTO, CORPO SIMBÓLICO- NA SOMATIZAÇÃO O CORPO É MESMO OCORPOBIOLÓGICO; DAÍ A EXISTÊNCIA DE UMA LESÃOORGÂNICA, MUITAS VEZES EXTREMAMENTE GRAVE.
  18. 18. A NOÇÃODE MENTALIZAÇÃONÃO PERTENCE, OBVIAMENTE, À METAPSICOLOGIA FREUDIANA, TENDO SURGIDO APENAS NO INÍCIO DA DÉCADA DE 70. NO ENTANTO, ESSE CONCEITO JAMAIS PODERIA EXISTIR SE NÃO FOSSE A PARTIRDO MODELO DE FUNCIONAMENTO MENTAL PROPOSTO PORFREUD, PARTICULARMENTE NA CHAMADA PRIMEIRA TÓPICA. ALÉMDISSO, COMO PROCURAMOS DEMONSTRARNESTE ARTIGO, A ARTICULAÇÃO ENTRE AS NEUROSES ATUAIS E AS AFECÇÕES PSICOSSOMÁTICAS SALTA AOS OLHOS: A OPOSIÇÃO PERCEBIDA PORFREUDENTRE OS SINTOMAS SOMÁTICO E PSÍQUICOCORRESPONDE, EM GRANDE PARTE, AOQUE DIFERENCIAMOS HOJE COMO SINTOMA NEURÓTICOE SINTOMA PSICOSSOMÁTICO.  
  19. 19. EMGERAL, RAROS SÃO OS PACIENTES QUE VEM PROCURARDIRETAMENTE UMPSICOTERAPEUTA EM FUNÇÃODE UMEPISÓDIOSOMÁTICO. ESSES PACIENTES CHEGAMGERALMENTE AO MÉDICO, QUE, EMFUNÇÃO DE SUA SENSIBILIDADE ÀS DINÂMICAS PSICOSSOMÁTICAS, PODE EVENTUALMENTE SUGERIRA REALIZAÇÃO DE UMA PSICOTERAPIA PARALELAMENTE AO TRATAMENTO CLÍNICO.
  20. 20. ALGUNS MÉDICOS CHEGAMA FICAR TENTADOS A REALIZARELES MESMOS ESSA FUNÇÃO. COMOFAZÊ-LO? QUE IMPLICAÇÕES ISSO TEM NOTRATAMENTO CLÍNICO? QUE DIFERENÇA EXISTE, ENFIM, ENTRE O MÉDICOE O TERAPEUTA PSICOSSOMATICISTA? É POSSÍVEL QUE ELE EXERÇA SIMULTANEAMENTE AMBAS AS FUNÇÕES?
  21. 21. Acesse o site do NEPP -CENTRO DEAcesse o site do NEPP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOSESTUDOS PSICANALÍTICOS SÉRGIO COSTASÉRGIO COSTA www.nepp.com.brwww.nepp.com.br

×