Os 11 reais problemas do trigo

194 visualizações

Publicada em

Descubra os 11 perigos inerentes ao consumo de trigo. E não é só a respeito do glúten que falamos nesse artigo completo. Aproveite para conferir o lindo infográfico que preparamos para resumir o assunto.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Os 11 reais problemas do trigo

  1. 1. Os 11 Reais Problemas do Trigo (Não é Apenas Glúten!)
  2. 2. Introdução
  3. 3. Introdução • Glúten: o famoso “vilão” da alimentação e muito presente nos derivados de trigo; • Mas você sabe o perigo que o glúten/trigo representa? • Nesta apresentação iremos: – Explorar conceitos básicos do glúten/trigo; – Abordar 11 razões pelas quais o trigo não é um bom alimento para a maioria das pessoas (muitas delas não relacionadas com o glúten propriamente dito).
  4. 4. Conceitos Básicos sobre o Glúten e o Trigo
  5. 5. Conceitos Básicos sobre o Glúten e o Trigo • Primeiro conceito básico: trigo é um grão; • A maior parte de suas calorias são provenientes de seus carboidratos; • Além dos carboidratos, o trigo possui proteínas problemáticas: – Glúten; – Aglutinina de Germe de Trigo; – Inibidores Amilase-Tripsina.
  6. 6. Conceitos Básicos sobre o Glúten e o Trigo • Os problemas causados pelas proteínas não são os mesmos causados pelos carboidratos do trigo; • Obter a maior parte das suas calorias a partir do trigo (especialmente refinado) pode causar problemas metabólicos como variações nos níveis de açúcar no sangue; • Questões metabólicas essas que poderiam ser causadas por qualquer dieta rica em carboidratos; • É necessário uma grande quantidade de trigo para causar esses tipos de problemas.
  7. 7. Conceitos Básicos sobre o Glúten e o Trigo • Por isso, nesta apresentação iremos focar nos problemas causados especificamente pelo trigo e pelas proteínas que ele contém; • Problemas relevantes mesmo para quem come uma pequena quantidade de trigo – e até mesmo para quem se sente bem comendo carboidratos.
  8. 8. 11 Problemas do Trigo e do Glúten
  9. 9. #1 – Seus Efeitos Não São Restritos a Pessoas com Doença Celíaca
  10. 10. #1 – Seus Efeitos Não São Restritos a Pessoas com Doença Celíaca • O mais famoso problema relacionado ao trigo é a doença celíaca: – Reação autoimune provocada pelo glúten; – Tratada com uma dieta livre dessa substância; • 30 a 40% das pessoas tem o padrão genético para potencialmente desenvolver a doença celíaca; • Apenas 1 a 3% delas de fato a contraem: – Não se sabe os motivos, mas pode estar relacionado com o microbioma intestinal.
  11. 11. #1 – Seus Efeitos Não São Restritos a Pessoas com Doença Celíaca • Muita gente também acha que, se você não for celíaco, você está liberado para comer quanto trigo desejar sem nenhum efeito colateral; • Isso não é verdade! • Muitas pessoas têm relatado sensibilidade ao glúten sem possuir de fato a doença celíaca; • Por isso, houve um aumento no interesse de estudar outras doenças como a sensibilidade não-celíaca ao glúten (do inglês, NCGS).
  12. 12. #1 – Seus Efeitos Não São Restritos a Pessoas com Doença Celíaca • Além disso, há também o problema da interferência de outras proteínas do trigo; • Independentemente de como o seu corpo lida com o glúten em si, você pode ser sensível a: – Aglutinina de germe de trigo; – Inibidores amilase-tripsina; • Logo, trigo não é apenas um problema para pessoas com doença celíaca: há muito mais nele do que apenas glúten.
  13. 13. #2 – Trigo e Glúten Podem Causar Inflamação Intestinal
  14. 14. #2 – Trigo e Glúten Podem Causar Inflamação Intestinal • Inflamação: resposta natural de seu sistema imunológico a lesões; • Sempre que você se cortar ou se machucar, a área ao redor ficará toda vermelha e sensível, ou seja, inflamada; • As proteínas do trigo agem da mesma forma em relação ao seu intestino: – Incomodam a parede de seu intestino e causam uma resposta inflamatória.
  15. 15. #2 – Trigo e Glúten Podem Causar Inflamação Intestinal • A ocorrência mais frequente é a inflamação causada por glúten (em pessoas com doença celíaca e sensibilidade não-celíaca ao glúten); • Mas o trigo também pode causar inflamações até mesmo para pessoas que não são sensíveis ao glúten; • Os inibidores amilase-tripsina (ATIs, da sigla em inglês) podem provocar uma resposta inflamatória no trato gastrointestinal: – Estimulam células do sistema imunológico.
  16. 16. #2 – Trigo e Glúten Podem Causar Inflamação Intestinal • Essa reação pode ocorrer tanto em pessoas sensíveis ao glúten quanto nas não sensíveis: – Representa um perigo porque pode aumentar a permeabilidade intestinal (próximo tópico).
  17. 17. #3 – Glúten e Trigo Aumentam a Permeabilidade Intestinal
  18. 18. #3 – Glúten e Trigo Aumentam a Permeabilidade Intestinal • A inflamação no intestino, que mencionamos acima, contribui para um problema chamado permeabilidade intestinal; • Mas o que é permeabilidade intestinal? – O intestino tem um sistema muito complexo de “controle de fronteira”; – Esse sistema permite que o alimento digerido entre em sua corrente sanguínea; – Milhões de vírus e bactérias ingeridas, além de moléculas indigestas (como poeira, por exemplo) precisam ser expulsas do organismo.
  19. 19. #3 – Glúten e Trigo Aumentam a Permeabilidade Intestinal • A inflamação no intestino mexe com esse delicado sistema de controle de fronteira; • Quando há uma reação inflamatória, acontece um afrouxamento das junções entre as células na parede intestinal – deixando muita coisa passar; • O intestino atua como se estivesse “furado” e daí vem o nome popular de “intestino permeável”; • O glúten acelera ainda mais esse processo estimulando a liberação de uma proteína chamada zonulina.
  20. 20. #3 – Glúten e Trigo Aumentam a Permeabilidade Intestinal • A zonulina contribui para o afrouxamento das junções entre as células no intestino independentemente da inflamação intestinal; • Ao juntar todos os efeitos, o que temos é uma permeabilidade intestinal bem aumentada, podendo contribuir com desenvolvimento de doenças autoimunes.
  21. 21. #4 – Problema em Dose Dupla: Aglutinina de Germe de Trigo
  22. 22. #4 – Problema em Dose Dupla: Aglutinina de Germe de Trigo • As aglutininas de germe de trigo (do inglês, WGA) são proteínas inflamatórias que causam a desregulação do sistema imunológico; • Problema que afeta não só os celíacos como os não- celíacos; • Aglutinina não é a mesma coisa que glúten, apesar da semelhança entre os nomes; • Ela provoca uma resposta inflamatória em células do intestino, perturbando sua barreira imune natural.
  23. 23. #4 – Problema em Dose Dupla: Aglutinina de Germe de Trigo • Isso faz com que o intestino fique mais permeável às coisas que não deveriam ir para o sangue; • Causa problemas assim como o glúten: o trigo contém as duas substâncias! • Porém, é possível ter problemas com as WGA mesmo se você não tiver nenhuma reação ao glúten.
  24. 24. #5 – Aumento do Risco de Autoimunidade Intestinal
  25. 25. #5 – Aumento do Risco de Autoimunidade Intestinal • Vimos nos tópicos anteriores que o trigo e alguns de seus componentes deixam o intestino mais permeável; • Com o intestino mais permeável, moléculas que não deveriam ir para o sangue acabam indo parar lá; • Uma dessas moléculas que é prejudicial quando na corrente sanguínea é o próprio glúten (mais precisamente um de seus componentes, a gliadina); • Quando a gliadina entra na corrente sanguínea, ela procura células do seu sistema imunológico – e aí acontece um fenômeno chamado de mimetismo molecular.
  26. 26. #5 – Aumento do Risco de Autoimunidade Intestinal • O mimetismo molecular funciona assim: – Quando algum corpo estranho entra na corrente sanguínea, o sistema imunológico forma anticorpos contra esse invasor; – Porém, se esse invasor se parecer com um tecido de seu próprio organismo, então os anticorpos formados podem começar a atacar o seu próprio corpo também; • Inclusive, é possível que o mimetismo molecular seja justamente a razão pela qual as pessoas com doença celíaca sofrem de ataques contra suas próprias células do intestino.
  27. 27. #5 – Aumento do Risco de Autoimunidade Intestinal • Para seu sistema imunológico, a gliadina se parece muito com as células que revestem a parede intestinal; • E isso pode causar outras doenças além da celíaca, como, por exemplo, a doença de Crohn; • Porém as doenças autoimunes relacionadas ao glúten não param no intestino, o que nos leva ao nosso próximo tópico...
  28. 28. #6 – Aumento de Vulnerabilidade a Doenças Autoimunes
  29. 29. #6 – Aumento de Vulnerabilidade a Doenças Autoimunes • Diversos estudos vinculam a doença celíaca e o glúten com vários outros tipos de doenças autoimunes, incluindo: – Distúrbios autoimunes da tireoide, diabetes tipo 1, fibromialgia, artrite reumatoide, doença autoimune do fígado e algumas doenças de pele autoimunes diferentes; • O fator comum dentre elas pode ser o glúten; • Glúten de trigo é o principal gatilho em potencial da diabetes tipo 1 (o tipo autoimune).
  30. 30. #6 – Aumento de Vulnerabilidade a Doenças Autoimunes • Em um estudo, a alimentação de ratos com uma dieta livre de glúten reduziu a taxa de diabetes tipo 1 em seus filhotes; • Há também evidências que a amamentação das crianças reduz a taxa de diabetes tipo 1, pois a amamentação atrasa a introdução de glúten na dieta do bebê; • Outros problemas de saúde comuns com componente autoimune: – Obesidade e Diabetes Tipo 2 – que podem ser tratados com uma dieta cetogênica (e, claro, livre de glúten).
  31. 31. #7 – Reações Autoimunes em Pessoas Sem Doença Celíaca
  32. 32. #7 – Reações Autoimunes em Pessoas Sem Doença Celíaca • Um estudo concluiu que muitas pessoas com sensibilidade não-celíaca ao glúten têm marcadores autoimunes no sangue; • A exposição ao trigo pode estar causando problemas autoimunes – mesmo sem ter a doença celíaca; • Pacientes com sensibilidade não-celíaca ao glúten podem ter um tipo diferente de reação autoimune; • Logo, doença celíaca e sensibilidade não-celíaca ao glúten são duas coisas diferentes mas ambas envolvem respostas autoimunes potencialmente sérias.
  33. 33. #8 – Danos à Flora Intestinal
  34. 34. #8 – Danos à Flora Intestinal • Flora intestinal: também conhecida como bioma do intestino ou microbioma do intestino, é o conjunto de bactérias saudáveis que vivem em seu intestino; • Ela regula seu sistema imunológico, controla a permeabilidade intestinal, digere o alimento, sintetiza nutrientes como a vitamina K2, envia sinais de fome e de saciedade ao cérebro e muito mais; • Mas a flora intestinal realmente não gosta de glúten – e o glúten também não gosta dela; • Celíacos geralmente têm problemas sérios com a flora intestinal, que se reduzem ao eliminar o glúten da dieta.
  35. 35. #8 – Danos à Flora Intestinal • Mas isso não é limitado aos portadores da doença celíaca: – Mesmo a sensibilidade não-celíaca ao glúten também causa distúrbios à flora intestinal; • Até mesmo em pessoas que não são sensíveis ao glúten de nenhuma maneira, o trigo ainda pode causar reações inflamatórias que prejudicam o bioma intestinal; • Até porque o trigo também é rico em FODMAPs, o que pode ser um problema a pessoas sensíveis a esse tipo de carboidrato.
  36. 36. #9 – Sintomas Gastrointestinais (Mesmo em Pessoas que Não Têm Doença Celíaca)
  37. 37. #9 – Sintomas Gastrointestinais (Mesmo em Pessoas que Não Têm Doença Celíaca) • Alguns sintomas exatos que podem ser desencadeados por causa do glúten/trigo: – Doença celíaca - o glúten causa sintomas severos e imediatos (diarreia e/ou constipação, azia, dor, estufamento, gases, fezes com odor característico e, algumas vezes, até mesmo vômito); – Sensibilidade não-celíaca ao glúten - os sintomas são tipicamente parecidos com os da doença celíaca – porém às vezes em menor intensidade; – Sem sensibilidade ao glúten - a ação inflamatória dos outros componentes do trigo (aglutininas de germe de trigo e inibidores amilase-tripsina) contribui para problemas crônicos de intestino.
  38. 38. #9 – Sintomas Gastrointestinais (Mesmo em Pessoas que Não Têm Doença Celíaca) • Lógico que há motivos não-relacionados ao trigo pelos quais uma pessoas possa ter problemas gastrointestinais (por exemplo, estresse); • Mas o glúten pode contribuir para o problema, mesmo que com uma resposta inflamatória mínima à qual você já pode estar até mesmo acostumado.
  39. 39. #10 – Sintomas Cerebrais
  40. 40. #10 – Sintomas Cerebrais • Um outro órgão importante do seu corpo também está em jogo em se tratando de glúten/trigo: seu cérebro; • Confusão mental e fadiga são sintomas tanto de doença celíaca quanto de sensibilidade não-celíaca ao glúten, por exemplo; • Em um nível mais grave, a inflamação do intestino e a perturbação do microbioma podem aumentar a vulnerabilidade à demência e ao Mal de Alzheimer; • Além disso, doenças autoimunes em geral podem estar relacionada com a depressão.
  41. 41. #10 – Sintomas Cerebrais • Vamos ser bem claros: isso não significa que o glúten seja a causa de todos os problemas de saúde mental ou que sua eliminação da dieta irá curá-los; • Sua saúde mental é complexa e há inúmeros fatores que devem ser considerados em seu diagnóstico e tratamento; • E o glúten pode ser um deles!
  42. 42. #11 – Sintomas de Pele
  43. 43. #11 – Sintomas de Pele • A doença celíaca é a mais famosa causa de problemas de pele, inclusive podendo ocasionar uma doença de pele chamada Dermatite Herpetiforme; • Seus sintomas incluem erupções cutâneas de cor avermelhada, geralmente associadas a coceira e a bolhas na pele: – Aparecem geralmente na faixa dos 20 anos de idade; • Entretanto esse problema não se limita a portadores de doença celíaca.
  44. 44. #11 – Sintomas de Pele • Um estudo inclusive descreve o modo pelo qual a sensibilidade não-celíaca ao glúten pode se manifestar na forma de problemas de pele: – “Muita coceira… semelhante a eczema, psoríase ou dermatite herpetiforme”, aparecendo mais frequentemente nos braços e pernas.
  45. 45. Conclusão e Palavras Finais
  46. 46. Conclusão e Palavras Finais • Ao longo dessa apresentação pudemos perceber que o trigo não é nada bom para a saúde e pode causar problemas mesmo em pessoas que não são portadoras de doença celíaca; • Vimos também que alguns males causados pelo trigo não são chamativos e dramáticos como episódios de náuseas ou diarreia; • Posto isso, a ingestão do trigo não apresenta nenhuma vantagem para a saúde e sua redução ou mesmo eliminação pode trazer benefícios consideráveis.
  47. 47. Conclusão e Palavras Finais • Por que não cortar o trigo por apenas algumas semanas para ver como seu corpo reage? • Você sempre pode voltar a ele se quiser depois! • Na melhor das hipóteses, vai descobrir como seu corpo se sente quando não está em constante contato com esse alimento que tem tanto potencial para ser danoso à saúde; • E, na pior delas, vai ser um bom exercício de mudança de rotina, repleto de alternativas saborosíssimas ao trigo de cada dia.
  48. 48. Texto Original: Os 11 Reais Problemas do Trigo (Não É Apenas Glúten!) senhortanquinho.com/trigo-problemas- gluten-saude/
  49. 49. Veja o infográfico completo do dia do lixo. Clique aqui para visualizá-lo agora.
  50. 50. Gostou da Apresentação? • Então curta nossa página do Facebook para ter sempre acesso aos melhores conteúdos para sua saúde.

×