Sapateiro Auto Da Barca Do Inferno

49.751 visualizações

Publicada em

Descrição de cena do Sapateiro No "Auto da Barca do Inferno".

Publicada em: Tecnologia, Turismo
2 comentários
14 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
49.751
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8.975
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
488
Comentários
2
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sapateiro Auto Da Barca Do Inferno

  1. 1. Auto da Barca do Inferno O Sapateiro
  2. 2. Símbolos caracterizadores <ul><li>Avental  simboliza a “capa” que escondia o seu carácter. Aparentemente parecia um homem honesto e sem pecados. </li></ul><ul><li>Formas  simboliza os pecados que cometeu na vida anterior. </li></ul>
  3. 3. Percurso Cénico Barca do Inferno Barca do Inferno Barca da Glória 1º 2º 3º
  4. 4. <ul><li>1º  Barca do Inferno </li></ul><ul><li>- Diabo  recebe o Sapateiro com ironia “Santo sapateiro honrado! (v.309) </li></ul><ul><li> “ Como vens tão carregado?” (v. 309-310) </li></ul><ul><li>A palavra “carregado” são as formas que simbolizam os pecados do Sapateiro </li></ul><ul><li>- Sapateiro – defende  “confessado e comungado” (v.321) </li></ul><ul><li> “ Quantas missas eu ouvi” (v.333) </li></ul><ul><li> “ ofertas” (v. 336) </li></ul><ul><li>- Diabo – acusa  “escomungado” (v.322) </li></ul><ul><li> “ Tu roubaste bem trint’anos” (v.326) </li></ul>
  5. 5. <ul><li>2º  Barca da Glória </li></ul><ul><li> Anjo diz que ele tem muitos pecados </li></ul><ul><li>“ A cárrega t’embaraça” (v.347) e remete-o para a Barca do Inferno. </li></ul><ul><li>“ Essa barca que lá está leva quem rouba de praça.” (v.350-351) </li></ul><ul><li>3º  O Sapateiro embarca na Barca do Inferno </li></ul>
  6. 6. Crítica Social <ul><li> o que é criticado  o facto de o Sapateiro roubar os seus clientes e tentar compensar esse acto de cobardia com práticas religiosas –ir à missa e fazer ofertas. </li></ul><ul><li> como se faz a crítica  Cómico de Linguagem </li></ul><ul><li>ironia – ex.: “Santo… carregado” (v.309…) </li></ul><ul><li>calão do Sapateiro ex.: “puta da barcagem” (v.319) </li></ul><ul><li>“ puta da badana” (v.341) </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Caracterização directa: aldrabão (v.351), ladrão (v.326), </li></ul><ul><li>desonesto (v.334, 335), malcriado/indecoroso (v.319) </li></ul><ul><li>Caracterização indirecta: pecador (v.334), excomungado </li></ul><ul><li>(v 322), autoconfiante (v.318-321, v. 344), resignado (v. </li></ul><ul><li>364-367), explorador (v.338) </li></ul>Caracterização
  8. 8. <ul><li>Cómico de linguagem  “ … quatro forminhas cagadas que podem bem ir chantadas” (v.355-356) </li></ul>Tipos de Cómicos
  9. 9. Carta <ul><li>Querido amigo, Espero que esteja tudo bem contigo. Escrevo esta carta para pensares muito bem na tua vida, para não cometeres os mesmos erros que eu cometi. Os meus pecados foram graves e não têm perdão. Como sabes roubei à Igreja, durante 30 anos explorei os clientes e os meus trabalhadores e agora eu sei o quanto fiz mal às pessoas. Não faças como eu. Muda a tua maneira de pensar e de agir que vai ser muito melhor para ti. Um grande abraço do teu amigo, o Sapateiro </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Trata-se de mais uma personagem que contribui para o </li></ul><ul><li>objectivo de Gil Vicente: criticar aspectos negativos da sociedade da sua época, neste caso o facto de as pessoas seguirem uma religião na teoria, mas não na prática, ou seja, conhecerem os princípios da religião Católica, seguirem algumas práticas, mas apesar disso, cometerem pecados como roubar. </li></ul>Conclusão
  11. 11. Trabalho elaborado por: <ul><li>David Rodrigues </li></ul><ul><li>Sara Egli </li></ul><ul><li>Wilson Alves </li></ul>

×