Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT

1.435 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.435
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
202
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT

  1. 1. Formação Continuada CEFAPRO DE SINOP Professor Formador: Eunice Fátima de Maria
  2. 2. Escola Estadual Central Ikpeng  Localizada no Médio Xingu- Posto Pavuru; Município de Feliz Natal  Aproximadamente 300Km de terra e 240 km de água de distancia do polo de Sinop  Aldeias: Maygu; Ikpeng;  Povo Ikpeng antigo Txição  Língua Jê, kaiabi, português
  3. 3. Relato/ 2013 Auto-formação do Professor Formador  Estudos das Orientações Curriculares;  Projeto Político pedagógico da Escola Ikpeng;  Pesquisa sobre a história da Educação Escolar Indígena;  Levantamento de Bibliografias. Ver Projeto
  4. 4. Projeto: Grupo de Estudos Elaboração de Projeto de Grupo de Estudos da Área das Diversidades Educacionais: Orientações Curriculares para a Educação das Relações Etnicorraciais (Lei 10.639/2003 e Lei 11.645/2008). em parceria com Ernandes Lopes Cervantes Publico alvo Professores Formadores Educadores das Escolas públicas
  5. 5. Projeto Formação Continuada Para a Educação Escolar Indígena Elaboração de Projeto de Formação Continuada: Orientações Curriculares para a Educação Escolar Indígena na Escola Estadual Ikpeng ou no Cefapro Ver Projeto
  6. 6. Projeto Sala de Educador das Escolas de Educação Escolar Indígenas em 2013 Entrega do orientativo sala de educador para professor Matare da Escola Ikpeng na Casai (19/02) A falta de logística para inclusão dos educadores das salas anexas nos estudos dificultou o desenvolvimento do PSE.
  7. 7. Orientação para o Sala de Educador Via on-line e e-mail Auto-formação Estudos do PPP Orientações Curriculares para a Educação Escolar Indígena Plano Nacional de Educação (Conae)
  8. 8. Legislação CF/ Constituição Federal/88 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Básica (LDB – 9. 394/96) / Lei 11.639/03 Resolução nº 5/12 CEE – Define Diretrizes Curriculares Nacionais par a EEI na Educação Básica Resolução CNE/CEB n.º 3/99 - Fixa Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas e dá outras providências. RCNEI – Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas/98
  9. 9. Orientações Curriculares para a Educação Escolar Indígena Formação dos Professores Formadores em Cuiabá dia 25 e 26 de março/2013; ( de todas as áreas do conhecimento) Sobre planejamento para ministrarem oficinas, sobre Orientações Curriculares e construção dos Projetos Políticos Pedagógicos (PPPs) das Escolas Estaduais Indígenas.
  10. 10. Apoio aos professores do Cefapro 25/ de abril – devolutiva do Projeto EEI da E.E. Elvira de Colider – Com sugestões de textos para leituras, legislação e Orientações Curriculares para as relações etnicorraciais. Em solicitação ao professor Formador Antonio
  11. 11. Formação Continuada em Canarana Planejamento das ações foi via on-line no dia 03/05 com Cefapro de Barra do Garças e Primavera do Leste; Formação sobre PPP com professores das Escolas Indígenas do Médio e Alto Xingu; (13 a 17 de maio)
  12. 12. Professores do Médio Xingu
  13. 13. Professores do Alto Xingu
  14. 14. Reunião com gestores /Canarana  Orientações sobre o PSE Orientações sobre estudos da CONAE
  15. 15. Dia 27 a 29 de maio/2013 Encontro de Diretores Indígenas em Cuiabá
  16. 16. Magistério Intercultural e Ensino Médio Integrado a Educação Profissional - EMIEP para Povos Indígenas do Estado de Mato Grosso. Objetivo: Analisar e discutir as diretrizes curriculares e pedagógicas dos cursos de Magistério Intercultural e Ensino Médio Integrado à Educação Profissional para comunidades indígenas de Mato Grosso. PAUTA: 1- Dimensão pedagógica e logística dos cursos; 2 - Regra de Organização Pedagógica - ROP ( legislação pertinente autorização dos cursos, certificação); 3 - Matriz curricular dos projetos (base nacional comum, base profissionalizante, avaliação, registros no SIGEDUCA); 4 - Prestação de contas dos recursos financeiros.
  17. 17. Dia 07 e 08 de outubro Formação Continuada no SEMEC de Feliz Natal  Em Parceria com a Secretaria de Educação Municipal realizei Formação Continuada com professores das Escolas Indígenas. Temática: Orientações abordagens nas Curriculares metodologias de com ensino, Planejamento Escolar e avaliação do ensino aprendizagem
  18. 18. Resultado da Formação foi positivo. A SEMEC reforçou parceria para continuidade na Formação
  19. 19. Projeto Sala de Educador Escola Ikpeng Projeto para 2014 Elaborado com a gestão da Escola Central Ikpeng no Cefapro dias 21 a 25 de outubro, após prévio diagnostico com educadores;
  20. 20. Formação Continuada Para Educação Escolar Indígena na Escola Ikpeng  Planejamento da formação com Diretor Pomerquenpo da Escola no Cefapro e grupo de trabalho – Professora Sara; professor Luiz; professor Reginaldo ( 21 a 25 de novembro)
  21. 21. Objetivo: Proporcionar estudos e reflexões das orientações Curriculares com abordagens sobre Currículo Escolar específico para as Escolas Indígenas, avaliação do ensino aprendizagem e construção de planejamentos escolares junto aos professores da Escola Central Ikpeng.
  22. 22. Colocando em prática o Projeto de Formação Continuada para a Educação Escolar Indígena na Escola Central Ikpeng Dia 11 a 14/11/ 2013
  23. 23. Pegando a estrada... Professora Eunice Professor Luiz Professor Reginaldo Professora Sara
  24. 24. Município de Feliz Natal Beira do rio Stein
  25. 25. Pousada Refugio Amazônico na beira do rio Steinn Esperando a Lancha para descer o rio Xingu
  26. 26. Almoço na Pousada Recanto Amazônico
  27. 27. Barco Escolar Encontro de rios
  28. 28. Equipe de Apoio (Renato)
  29. 29. Aldeia Escola estadual, sala anexa da Escola Ikpeng
  30. 30. Aldeia Waurá Escola Municipal Aruake
  31. 31. Aldeia Waurá Escola Municipal Aruake
  32. 32. Aldeia Morena Escola Municipal
  33. 33. Posto Pavuru – Escola Estadual Central Ikpeng
  34. 34. Alojamento
  35. 35. Alojamento dentro da casa
  36. 36. Escola Estadual Central Ikpeng
  37. 37. Metodologia de trabalho: Apresentação do PSE /2014 para reestruturação e aprovação no coletivo. análise, Formação humana e legislação da E.E.I. Currículo com estratégias didáticas Planejamento por área Plano de aula com oficinas; Avaliação do ensino aprendizagem; Oficinas sobre relatório descritivo. Socialização das produções do relatório descritivo; Avaliação da formação
  38. 38. Projeto Sala de Educador Escola Ikpeng Vamos discutir? Projeto para 2014
  39. 39. BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA EM MATO GROSSO Bororos /1890, pelos missionários salesianos. Militares de Rondon criaram internatos aos Paresis e Bakairis. escolas e
  40. 40. Os jesuítas a FUNAI, as missões evangélicas, a OPAN (Operação Amazônia Nativa), as prefeituras municipais e a SEDUC, criaram várias escolas.
  41. 41. Em todas as estratégias de escolarização, as agências externas sempre dominaram o espaço escolar.
  42. 42. A ESCOLA INDÍGENA DESEJADA Para a Legislação a escola ideal é aquela escola Específica, diferenciada, bilíngue e intercultural. Para o professor Indígena a Escola ideal é aquela escola que: “informa sobre as coisas dos „brancos‟”; “ajuda a gente a se virar na cidade"; “defende os nossos direitos”; “prepara para conseguir novos trabalhos”. “reconstrói a nossa cultura e a nossa história“.
  43. 43. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica  Resolução Nº 5, de 22/06/12 Referencial Nacional para as Escolar Indígenas Orientações Curriculares para a Educação Escolar /MT de
  44. 44. Objetivo:
  45. 45. Estratégias Didáticas e metodológicas de ensino Orientações Curriculares Educação Escolar Indígena; RCNEI para a
  46. 46. Teóricos Emilia Ferreira  Ana Teberosky  Paulo Freire Ausebel Vídeo Pedagogia da autonomia
  47. 47. Vídeo A lenda - A índia Potira Facebook do Rafael
  48. 48. Fotossíntese e Cadeia alimentar Vídeo da onça Facebook do Rafael
  49. 49. Horta escolar
  50. 50. Currículo da Educação Escolar Indígena Em uma perspectiva intercultural, devem ser construídos a partir dos valores e interesses etnopolíticos das comunidades indígenas em relação aos seus projetos de sociedade e de escola, definidos nos projetos políticopedagógico. Devendo ser flexível, adaptado aos contextos socioculturais das comunidades indígenas..
  51. 51. Eixos temáticos que poderão constar nos projetos políticos e pedagógicos das escolas:  Diversidade Étnica e Cultural  Planeta Terra, Ambiente e Biodiversidade  Terras Indígenas, Organizações e Direitos Indígenas  Segurança Alimentar, Trabalho e Auto-Sustentação  Educação para Saúde  Ética, Justiça, Solidariedade e Paz
  52. 52. Eixo Temático: Planeta Terra, Ambiente e Biodiversidade Tema: árvore Área do Conhecimento: 1º Ciclo ; 2º Ciclo; 3º Ciclo  Alfabetização  Linguagens,  Ciências Humanas,e sociais,  Ciências Naturais e Matemática
  53. 53. Oficinas Planejamento Plano de aula Relatório descritivo
  54. 54. EXEMPLO DE PLANEJAMENTO DE ÁREA Ciclo: 2- Ciclo Área do conhecimento: Ciências da Natureza Objetivo da área: desenvolver o raciocínio lógico e os conhecimentos produzidos entre as sociedades e a natureza Carga horária: semestral Eixo temático Competências Recursos Didáticos Avaliação 1-Educação para a Saúde -Interação com a comunidade 1- Pesquisa com mais velhos 1-diagnóstica 2- continua -Identificar hábitos 2- Pesquisa internet saudáveis 3-Coleta de material -Valorizar a fauna e a flora 4- Identificar plantas curativas Referenciais bibliográficos: 3- final
  55. 55. Exemplo de PLANO DE AULA Turma: 1 ciclo 2ª fase A Área do conhecimento: Ciências Eixo temático: Educação para a Saúde Carga horária: 2 dia ( 13 e 15/11) Objetivo: Pesquisaras doenças comuns na aldeia Capacidades: -Educação para a Saúde 1-Educação para a Saúde Estratégias metodológica: entrevista com a família, tipos de doenças e tratamentos Conteúdo: Doenças frequentes na comunidade Avaliação: Doenças Recursos didáticos: caderno para anotar Referenciais bibliográficos: livro didático
  56. 56. A avaliação § 1º A avaliação deve estar associada aos processos de ensino e aprendizagem próprios, reportando-se às dimensões de participação e de protagonismo indígena, objetivando a formação de sujeitos sociohistóricos autônomos, capazes de atuar ativamente na construção do bem viver de seus grupos comunitários.
  57. 57. Diário de classe Responsabilidade do professor Coordenador da Escola e do Frequência dos alunos Registro de conteúdos trabalhados Avaliação do ensino aprendizagem Descrição de relatório SigEduca
  58. 58. Relatório descritivo Sig Escola Relatórios Avaliação descritiva por aluno SigEduca
  59. 59. Avaliação descritiva Educadores da Educação Escolar Indígena do Médio Xingu Expectativa de 26 Educadores 6 não participaram 19 Participantes Não Participara Participaram
  60. 60. Quanto a Formação 11/19 – Ótima ou Muito bom - A oficina foi ótima; 12/19 – Significativa, interessante e Esclarecedor; 11/19 – Importante/fundamental vai contribuir para a qualidade do ensino na sala de aula p mim e para meus alunos; 10/19 – Agradecemos ao Cefapro e a paciência dos professores; 5/19 - Tenha mais vezes e tempo maior de formação (5 a 10 dias); 3/19 - Formação para os iniciantes
  61. 61. Necessidades formativas 1. Relatório Descritivo ( continuidade) 7/19 2. Metodologias de ensino para iniciantes (Língua materna e Língua portuguesa); 5/19 3. Práticas pedagógicas em Matemática; 3/19 4. Aprofundamentos na construção do plano de aula; 3/19 5. Gestão Escolar; 2/19 6. Praticas pedagógicas na área de ciências da natureza ;1/19 7. Informática pedagógico;1/19 como instrumento
  62. 62. Necessidades formativas Relatorio descritivo 5% Aprofundar plano de aula 5% 5% 35% 10% Matemática Metodologia de ensino 15% 25% Gestão escolar Ciências Informática pedagógica
  63. 63. Momento descontração
  64. 64. Troca de objetos
  65. 65. Momento cultural
  66. 66. Despedida
  67. 67. Voltando pra casa

×