Nutrição Funcional

3.595 visualizações

Publicada em

Um resumo sobre a NUTRIÇÃO FUNCIONAL!

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.595
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
267
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nutrição Funcional

  1. 1. NUTRIÇÃO FUNCIONAL
  2. 2. CONCEITO E HISTÓRIA Conceito A Nutrição Funcional aplica a ciência dos nutrientes que procura manter ou restabelecer o equilíbrio e o bem estar do organismo de cada pessoa a partir do diagnóstico de como anda a relação entre as suas células e os nutrientes, é uma maneira dinâmica de abordar, prevenir e tratar desordens crônicas complexas através da detecção e correção dos desequilíbrios que geram as doenças. História Os primeiros alimentos com algum tipo de modificação para aumentar seu valor nutritivo, especialmente com sais minerais, apareceram na década de 1920. Especialmente após os anos da década de 1970 e 1980, foi com o desenvolvimento de característica que além da segurança alimentar e aspectos nutricionais, pudesse oferecer um benefício adicional ao consumidor. Esta nova preocupação levou ao desenvolvimento dos alimentos funcionais. inicialmente este processo foi mais intenso no Japão onde, a partir de 1993 foi criada uma categoria de alimentos designados Foshu (em inglês: FOSHU um Acrónimo de Food for specific health use), estes alimentos passaram a ter maior destaque.
  3. 3. NUTRIÇÃO CLÁSSICA x NUTRIÇÃO FUNCIONAL Diferente da nutrição clássica, a nutrição funcional defende a individualidade bioquímica, porque um alimento que pode ser bom para uma pessoa, pode ser ruim e até causar uma intolerância em outra. Sendo assim, os princípios básicos da nutrição funcional são:  Individualidade bioquímica;  Tratamento centrado no paciente, e não na doença;  Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes;  Fatores biológicos;  Saúde como vitalidade positiva.
  4. 4. ÁREAS DE ATUAÇÃO  Nutrição Clínica Funcional  Nutrição Esportiva Funcional  Fitoterapia Funcional  Gastronomia Funcional
  5. 5. LOCAIS ONDE ATUA ClínicasÁrea esportiva Programas de orientação a gestantes Hospitais Empresas Escolas
  6. 6. COMO ATUA? A nutrição funcional é utilizada como base para uma dieta personalizada onde o foco não e a contagem de calorias e sim a utilização de alimentos específicos para maior aproveitamento de nutrientes.
  7. 7. ALIMENTOS FUNCIONAIS E O SEU CONSUMO São alimentos que, produzem efeitos benéficos à saúde, geralmente sem necessidade de supervisão médica como no caso de um medicamento. Proporciona um papel benéfico na redução do risco de doenças crônicas degenerativas. É necessário que o consumo seja regular para que seus objetivos sejam alcançados. É recomendado que o consumidor siga as instruções das rotulagens. Esses alimentos funcionam a base de uma dieta equilibrada, sem exageros.
  8. 8. PRINCIPAIS ALIMENTOS FUNCIONAIS Soja Aveia Hortaliças Peixes de águas profundas LinhaçasTomate goiaba vermelha
  9. 9. LEGISLAÇÃO DOS ALIMENTOS FUNCIONAIS No Brasil, o Ministério da Saúde, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), regulamentou os alimentos funcionais e novos alimentos por intermédio das seguintes resoluções: • Resolução n° 16, de 30 de abril de 1999: Regulamento Técnico para procedimentos de Registro de Alimentos e/ou Novos Ingredientes. • Resolução n° 17, de 30 de abril de 1999: Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas para Avaliação de Risco e Segurança de Alimentos. • Resolução n° 18, de 30 de abril de 1999: Regulamento Técnico que estabelece diretrizes básicas para Análise e Comprovação de Propriedades Funcionais e/ou de Saúde Alegadas em Rotulagem de Alimentos.
  10. 10. RESTRIÇÕES ALIMENTOS FUNCIONAIS A EFSA tem realizado uma revisão científica que coloca em dúvida os reais benefícios de alimentos industrializados que prometem melhorar a saúde. Um relatório aponta que 80% das afirmações de benefícios não apresentam evidências suficientes de que cumprem o que prometem. Há dúvidas, por exemplo, em relação a iogurtes e leites com probióticos. Nos Estados Unidos, esses alimentos industrializados estão na mira do FDA. Para a aceitação de alegações de saúde em alimentos industrializados, a OMS discute uma padronização.
  11. 11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS http://barbaragodoinutricionista.blogspot.com.br/ www.vponline.com.br www.funcional.ntr.br http://pt.wikipedia.org/wiki/Alimento_funcional http://www.focarte.com.br/index.php/o-que-fazemos/nutricao- funcional/126-nutricao http://www.portaleducacao.com.br/nutricao/artigos/31552/alime ntos-funcionais-legislacao http://br.universidades.org/ http://www.nutrijr.ufsc.br/jornal/jornal_eletro nico_0608.pdf http://www.minhavida.com.br/alimentacao/ma terias/4036-alimentos-funcionais-trazem- beneficios-para-o-organismo

×