Bibliologia Médio Prof Sandro Valentin

1.341 visualizações

Publicada em

AULA DE BIBLIOLOGIA PROF SANDRO VALENTIN

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
98
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bibliologia Médio Prof Sandro Valentin

  1. 1. ETHEMG- ESCOLA DE THEOLOGIA MINAS GERAIS BIBLÍOLOGIA
  2. 2. ETHEMG- ESCOLA DE THEOLOGIA MINAS GERAIS PROF SANDRO VALENTIN Valentin.sandro@gmail.com (31) 8353-9579 / 9581-6544
  3. 3. INTRODUÇÃO  UNIDADE I – A BIBLIA COMO A PALAVRA DE DEUS  Distingue de todos os livros, tem revelação, inspiração e autoridade divina.   1- REVELAÇÃO:  TODOS OS MEIOS QUE DEUS FAZ CONHECIDO AOS HOMENS, EX A NATUREZA. Sl 19.1 ( Os céus proclamam a gloria de Deus e o firmamento as obras de suas mãos).  Ex.: Jesus o filho unigênito, as verdades da bíblia aprendidas e conhecidas, ( CRISTO A PALAVRA VIVA E A BIBLIA A PALAVRA ESCRITA)
  4. 4.  1-a) DEFINIÇÃO DA PALAVRA REVELAR ( REVELO- lat., GALA- heb, APOCALIPTO- grego). Todos significam desvendar algo.   DEUS REVELANDO A SI PROPRIO, EMBORA A COMPREENSÃO SEJA PARCIAL AO HOMEM.   A REVELAÇÃO NÃO TEM POR FIM SIMPLESMENTE INFORMAR O HOMEM A CERCA DE DEUS, MAS TAMBÉM DESCOBRIR DEUS AO HOMEM.  SÓCRATES sábio grego- Sem uma revelação especial da parte de Deus, homem nada podia descobrir acerca Dele. CRISTO é esta revelação, e a bíblia é o único livro que fala Dele com autoridade divina absoluta.   Ex.: AT 2 expressões da revelação Is 1.1 diz sobre instrução ou direção divina sobre Sodoma e Gomorra (ouvi a palavra do senhor e prestai ouvidos a lei do nosso Deus)  Mq 4.2 ( palavra) muitas nações irão e dirão: vinde e subamos ao monte do senhor, para que nos ensine os seus caminhos e nos andemos pelas suas veredas, porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor de Jerusalém.
  5. 5. A REVELAÇÃO É SOBRENATURAL, E DEUS FEZ PARA SALVAR OS HOMENS  1-b) A NECESSIDADE DE UMA REVELAÇÃO DIVINA  A TRANSCENDÊNCIA( impossível conhecer a Deus se ele não Si revela a nos)  SOBERANIA de DEUS ( Deus não é um objeto de estudo para nos satisfazer e tirar nossa curiosidade, lê seus pensamentos; se fosse assim ele não seria Deus)  REF.: Jó 11.7 Zofar repreende a Jô. porventura alcançaras os caminhos de Deus ou chegara a perfeição do todo poderoso? Is 45.15; Jo 1.18; 1Tm 6.6.  * A PECAMINOSIDADE DO HOMEM ( pecado impede compreender as coisas de Deus porque elas discernem espiritualmente. 1° Co 2.14; A palavra da cruz e loucura para os que perecem, mas para os salvos e poder de Deus . A sabedoria de Deus o mundo não conhece mas Deus salva os crentes pela pregação da sua palavra. 1° Co 1.18, 21; Ef 1,16-19.) não deve levar em conta (subestimar) o pecado que impede a compreensão entre Deus e o Homem.
  6. 6. 1.c) OS MODOS DA REVELAÇÃO DIVINA  ATRAVES DA NATUREZA (geral , natural ) Sl 19.6, Rm 1. 19-23  PROVIDENCIA DIVINA ( execução divina através dos tempos. Dt 3.1-10, Dn 2.31-45 e 9.24-27, Jesus Mt 23.37- 25.46, apocalipse revelação final)  ATRAVÉS DOS MILAGRES ( DEUS se manifesta em carne para provar sua existência. Mt 11.2-6,  ATRAVES DA ENCARNAÇÃO DE CRISTO (Deus revelou seu filho Jesus Cristo 1º Tm 3.16; Mt 16.16,17.)  ATRAVES DAS ECRITURAS ( toda a bíblia é uma revelação do que Deus é para todos os homens e do que deixou e vivenciaram. Se não tivesse a bíblia já tinham pervertido. 1 Jo 5.9-12). Temos a revelação das sagradas escrituras em 5 aspectos:  1- Teofonia , (ato Deus aparece homem Jo 1.18, 1º Tm 6.16. Sonho, Anjos, Urim e Tumim, ( pedra, objeto do sumo sacerdote Ex 28.30. Lv 8.8).
  7. 7. 1-d) PROVAS DE QUE A BIBLIA É A REVELAÇÃO DE DEUS  A) A bíblia não é uma simples produção humana  B) Revelação de coisas que o homem por si só jamais poderia ter descoberto  C) Unidade maravilhosa revela como algo divino  D) Exatidão em matérias cientificas prova que ela não é humana. Quando a compara com a ciência suas respostas são exatas.  E) Profecia cumprida prova que ela é de Deus  F) Testemunho de Cristo prova a genuinidade da bíblia como revelação de Deus.
  8. 8. 1-e) DIFERENÇAS TEOLOGICAS SOBRE A REVELAÇÃO DIVINA  A) ATEISTA: nega a existência de Deus e sua revelação  B) DEISTA: Admite Deus, mas nega a revelação.  Afirma que a natureza e a razão dão a luz para pratica da fé.  C) TEISTA: Crê num Deus criador, preservador, único, eterno, governador do universo e nos deu uma revelação sobrenatural da Bíblia.  D) REVELAÇAO NATURAL OU TEOLOGIA NATURAL: Ensina que o conhecimento da pessoa, atributos e obra de Deus, são oriundos exclusivamente da natureza e razão.
  9. 9. 2. INSPIRAÇÃO  O padrão da bíblia como norma doutrinaria e pratica ética são mais que qualquer produção humana.  “Toda escritura é inspirada por Deus, útil para ensino, repreensão, correção, educação na justiça, afim de que o homem de Deus seja Perfeito e perfeitamente para toda boa obra 2º Tm 3.16. “  A inspiração para a escritura da Bíblia é porque o fôlego de Deus estava no homem ao realiza-la. E os homens foram escolhidos por Deus para revelar as verdades que não poderiam ter conhecidos a outros modos.
  10. 10. 2-a) DEFINIÇÃO  Inspiração é aquela influencia do Espírito Santo, pela qual, certos homens, escolhidos por Deus para esclarecer a sua vontade, e que para isto eram por Ele guardados de erro na comunicação do que deveria constituir uma parte da revelação divina.  A Inspiração como uma operação do Espírito Santo sobre os escritores. Há três fatores:  A) A SUPERINTENDÊNCIA total domínio do Esp. Santo que os homens eleitos ficam isentos do erro  B) A ELEVAÇÃO aumento da compreensão e refinamento dos pensamentos da mente humana  C) A SUGESTÃO recebem comunicação e pensamentos direto do Esp. Santo.
  11. 11. 2-b) METODOS DA INSPIRAÇÃO  São métodos que não podem ser explicados pois Deus usa na inspiração  1) inspiração por meio da revelação objetiva, sobrenatural, passividade, iluminação divina, direção de Deus e subjetiva.
  12. 12. 2-c) NATUREZA DA INSPIRAÇÃO  A BIBLIA É A PALAVRA DE DEUS (ponto vista igreja evangélica)  A BIBLIA É A PALAVRA DOS HOMENS ( Evolução e religiões comparadas)  A BIBLIA NÃO É A REVELAÇÃO DE DEUS, MAS UM TESTEMUNHO DA REVELAÇÃO ( Neo Ortodoxo ou liberal, declara que a bíblia não é a palavra de Deus mas contem a palavra de Deus)  A BIBLIA MAIS OUTROS AUXILIOS É A PALAVRA DE DEUS ( Igreja Católica Romana, Mórmons, Ciência Cristã).
  13. 13. 2-d) TEORIAS DA INSPIRAÇÃO  D-1 INSPIRAÇÃO GENIAL ( NATURAL OU HUMANA)  Ensina que os escritores eram inpirados mas que os gênios da humanidade também são inspirados ex: Davi e outros intelectuais profetas.  Elimina o sobrenatural da bíblia  Haveria possibilidade de erro no texto  Nega os milagre e a profecia  Rejeita as afirmações da bíblia sobre o assunto ( assim Diz o senhor há 3800 vezes)
  14. 14. D-2) GRAUS DE INSPIRAÇÃO  Afirmam que há partes mais inspiradas que outras, contradiz com a própria bíblia 2ºTm 3.16. Assim a bíblia apenas contem a palavra de Deus.
  15. 15. D-3) ILUMINAÇÃO CRISTÃ UNIVERSAL (INSPIRAÇÃO COMUM)  Ensinam que os escritores eram inspirados assim como hoje qualquer cristão pode ser também. ( será que a bíblia será escrita?)
  16. 16. D-4) CONCEITOS OU PENSAMENTOS (IDEIAS) INSPIRADOS.  Ensina que Deus usou a mente de homens dando-lhe certos princípios, mais tarde os homens reproduziram esses pensamentos mas fora da inspiração.
  17. 17. D-5) INSPIRAÇÃO PARCIAL  Partes da bíblia foram inspiradas outras não. Nega 2° Tm 3.16.  Ensina que os escritores em um momento estava inspirado e outros não. ( contradiz 2º Tm 3.16, escreveu coisa de si mesmo, entra no outro ato da escrita)
  18. 18. D-7) DITADO VERBAL (INSPIRAÇÃO MECANICA)  Ensina que Deus ditou cada palavra que queria que fosse escrita. Isso o coloca incapaz, faz do homem máquina e bitolado
  19. 19. 2-e) A VERDADEIRA DOUTRINA DA INSPIRAÇÃO  INSPIRAÇÃO VERBAL E PLENARIA ( todas as partes da bíblia são igualmente inspiradas. Escritores capacitados, usaram seu próprio vocabulário, o que escreveram foi a palavra de Deus e tudo guiado pelo Espírito Santo.
  20. 20. 2-f) O QUE AS ESCRITURAS FALAM À RESPEITO DE SUA INSPIRAÇÃO  2Tm 3.16 “ toda escritura é inspirada por Deus”  As escrituras são produtos da atividade de Deus e seus produtos são atividades controladoras do Esp. Santo.  1- É UTIL. Para o ensino, para a repreensão Hb 11.1, para correção, para educação na justiça.  2- Serve para todas as coisas pois seu caráter, qualidade e existência são determinados por Deus. Ex AT Dt 25.4, NT 1º Tm 5.18; Lc 10.7.
  21. 21. 3 AUTORIDADE 3-A) DEFINIÇÃO:  VEM DO LATIN “AUTOCTORITAS”, DERIVADA DE AUCTOR, CAUSA, PATROCINADOR, PROMOTOR, FIADOR.  A autoridade da bíblia é reconhecidamente interna e autentica-se a si mesma. Quando comprova os milagres com a intervenção divina.
  22. 22. 3-B) FONTES DE AUTORIDADE ( AT e N T de destaque canônico)  a) Foram anunciadas por Deus ( Assim Diz o Senhor) ex. Js 11.6,9,20.  b) Foram escritas por homens escolhidos “conduzidos” pelo Espírito Santo. A palavra dos homens era inspirada por Deus. Ex.: 2Tm 3.16  c) Foram confirmadas por aqueles que a receberam primeiro. Ex o AT. Aprovou sanção com base nos anciões, governantes, profetas e sacerdotes ao cânon do NT.  d) Foram autenticadas por Jesus Cristo, a segunda pessoa da divindade. Muitos sabem de todos os feitos de JESUS e sua ressurreição e ascensão. Mas não creem na bíblia. Ex: Leu-a Lc 4.16-20, Ensinou-a Lc 24.27, chamou-a palavra de Deus Mc 7.13 e cumpriu-a Lc 24.44.  e) Foram recebidas e confirmadas e transmitidas pelos profetas. O profeta falava em nome de Deus e o povo ouvia. Ex: Dt 18.15, 18, 19; Ef 2.20.  f) Porque a palavra foi usada por Deus Espírito Santo. Essas obras ainda falam aos homens hoje. O Esp. Santo usa as escrituras como linguagem própria.  g) A autoridade da Bíblia se vê no fato de que sem o menor desvio ela vindica e satisfaz cada declaração sua.
  23. 23. 4 CANONICIDADE  CANÔN, VEM DO GREGO “KOLVOV”, É AQUILO QUE MEDE, DERIVADA DA PALAVRA HEBRAICA QHNEH, (junco ou vara de medir). Depois veio ser reconhecida como um padrão de autoridade séc. IV.
  24. 24. 4-A) A NATUREZA DO CÂNON  O CÂNON, SE APLICA AOS LIVROS ACEITOS COMO MENSAGEM OBRIGATORIAS E AUTORIZADAS DE DEUS PARA O HOMEM.  O CÂNON É A LISTA DE LIVROS MEDIDOS E AVALIADOS A UM PADRAO VALIDO DE INSPIRAÇÃO SENDO REGRA QUE MEDE OS HOMENS E SUA AÇOES, E QUE PROPORCIONA UM GUIA AUTORIZADO DE FÉ E PRÁTICA.  As escrituras são produtos de um duplo processo de canonização, que abrange a inspiração do momento que foi escrito e também depois.  * A obra do espírito santo inspirando a produção do livro  * A atividade do espírito santo orientando o reconhecimento do livro
  25. 25. 4-B) A NECESSIDADE DO CÂNON  FOI A BASE PARA DEMARCAR OS LIVROS QUE FARIA PARTE DA PALAVRA DO SENHOR. POIS NO AT e NT. HÁ OUTROS LIVROS QUE FORAM ESCRITOS ANTES OU DEPOIS DA ESCOLHA MAS NÃO SÃO CLASSIFICADOS COMO CÂNON.  EX.: Nm 21.14 livro das guerras do Senhor, livro de Salomão 1 Rs 11.41, livro reis de Israel 2 Rs 14.28, livro Semaias 2 Cr 12,15,  4-C) O CÂNON DO ANTIGO TESTAMENTO ( +- 1046 anos de Moises a Esdras) Pp.21-22. As bases para elaborar a junção dos livros porque eles eram selecionados desde Moisés. A proporção que eram escritos eram postos no tabernáculo junto ao livros sagrados. Quando Esdras voltou do cativeiro reuniu os livros e colocou em ordem. E destes originais eram feitas copias e disseminadas em sua época.
  26. 26. 4-D) DATA DE RECONHECIMENTO E FIXAÇÃO DO CÂNON DO AT  EM 90 d. c. EM JAMNIA, PERTO DE JOPE EM ISRAEL, OS RABINOS NUM CONCILIO SOBRE A PRESIDENCIA DE JOHAN BEM ZAKAI.  Este concilio apenas ratificou o que já era aceito pelos judeus. Jâmnia após a destruição de Jerusalém 70 d. c. tornou-se a sede do Sinédrio: supremo tribunal dos judeus.
  27. 27. 4-e) O CANON DO NOVO TESTAMENTO  SEGUEM OS MESMOS PADROES DE INSPIRAÇÃO. POREM LEVOU DUAS GERAÇOES DE 100 ANOS PARA SEREM ESCRITOS. O QUE DEMOROU O RECONHECIMENTO CANONICO FOI TER AS PROVAS DA INSPIRAÇAO DIVINA E AS HERESIAS DOS LIVROS APROCRIFOS DE AUTORIDADE APOSTOLICA.. Mas muitos livros foram duramente debatidos pois seria uma grande responsabilidade que envolvia a canonização.
  28. 28.  EX. MENCÃO DO NT DE LIVROS DESAPARECIDOS 1º Co 5.9, Cl 4.16.  * As epistolas de Paulo são 13 52 a 67 d.c. os primeiros a serem aceitos ex. 2Pe 3.15,16  Rm a Fm  * Atos 63 d.c. após a prisão de Paulo. Ex At 28.30  * Os evangelhos propagados oralmente, 52 a 75 d.c. 1° Tm 5.18 escrito 65 d.c., Mt 10.10. Jo escrito 95.  * As espistolas de Hb a Jd escritas 68 a 95 d.c.  * O apocalipse escrito 96 d.c. reinado imperador Domiciano.
  29. 29. 4-F) CRITERIOS PARA ESTABELECIMENTO DO CÔNON DO NT  Beava-se nas controvérsias dos hereges e descrentes. Afirmando assim a apologética (discurso, louvor) dos missionários relatando os milagres, ditos, parábolas de Jesus.  Ex.: dos critérios de seleção: Expor a vontade de Deus com clareza e autoridade.  Nome do autor que subscritava o livro  Brotado da pena de um apostolo ou de alguém a ele ligado Imprimatur Apostólico.  Ortodoxia, aprovação dos pais da igreja  Bons escritos, varias copias e com característica própria
  30. 30. 4-g) DATA, RECONHECIMENTO E FIXAÇÃO DO CÂNON DO NT  A COLEÇÃO DOS LIVROS FICAVAM NAS IGREJAS E CIRCULAVAM DO ORIENTE AO OCIDENTE ATE QUE FICOU CONCLUIDO O CANON DOS 27 L.  PRIMEIRO PERIODO: DIAS DOS APOSTOLOS 120 D.C.  FALA DOS PAIS APOSTOLICOS, COMO PRINCIPAIS AUTORES SÃO: CLEMENTE, INACIO, POLICARPO  SEGUNDO PERIODO DE 121-170 D.C.  Período onde o cristianismo cresceu e os apologistas combateram as religiões pagãs com o evangelho> JUSTINO MARTIR, TACIANO, BASILIDES, VALENTINO, MARCIÃO, HEGESIPO, PAPIAS.
  31. 31. TERCEIRO PERIODO 171- 220 D.C  NESTE PERIODO O CÂNON ESTAVA ACEITO PRATICAMENTE MAS SURGIRAM ALGUNS PENSADORES OPONDO COMO:  IRINEU, NACEU 130 D.C. discípulo de Policarpo que fora discípulo de João, usou 4 evangelhos, At, Cartas de Paulo e Apocalipse igual ao AT. CLEMENTE nada opôs.  MUTOTI EM 1870, encontra fragmentos Murotoriano séc. II d.c aborda todos os livros NT, exceto Hb, 1 e2 Pe e Tg, estava apagado titulo de Mt. As igrejas de Israel repelia apocalipse, as do Egito repeliam a epístolas universais.
  32. 32. QUARTO PERIODO 221 - 400 D.C.  NESTE PERIODO HOUVE MUITAS DIVERGENCIAS QUANTO A ACEITAÇÃO E REGEIÇÃO DE ALGUNS LIVROS ORIGENES. ENQUANTO CIPRIANO, ANASTACIO E GREGORIO CONCORDARAM COM OS ESCRITOS E AFIRMARAM A IMPORTANCIA DO NT PARA A SALVAÇÃO DO HOMEM.  4-H) OS CONCILIOS DA IGREJA PRIMITIVA  FORAM IMPORTANTES PARA DECLARAR E FORMAR O CÂNON DIANTE DAS IGREJAS DO MUNDO ONDE CONSOLIDARAM E OFICIALIZARAM AS OPNIÕES. Exceto Laodicéia rejeitou Ap ( Nicéia, Laodicéia, Hiponona, Cartago).
  33. 33. 5. A LITERATURA APÓCRIFA ( apócrifos e pseudopígrafos  A bíblia católica tem 73 livros, porque no concilio de Trento em 1546 incluíram no cânon do AT 7 livros apócrifos e 4 acréscimos apêndices nos livros apócrifos total de 11.  O TERMO APRÓCRIFO SIGNIFICA ESCONDIDO OU OCULTO, QUE APARECERAM POSTERIORES AOS LIVROS CANONICOS 200 a.c a 100 d.c.
  34. 34. 5-a) OS APOCRIFOS  JERONIMO APÓS TRADUZIR A VULGATA SEC. 405 d.c INCLUIU OS APROCRIFOS DA SEPTUAGINTA. MAS RECOMENDOU QUE NÃO SERVIA COMO BASE DOUTRINARIA. ERA 14. ( 10 livros e 4 acréscimos).  NO CONCILIO DE TRENTO A IGREJA ROMANA FICOU COM 11, A IGREJA ORTODOXA MATEM OS 14 ATE HOJE.  EX. DOS 7 DA EDIÇÃO CATOLICA:  1 TOBIAS 190-170 a.c. após Esdras, livro sem valor histórico de um jovem  Que foi guiado pelo anjo para despojar uma viúva que perdeu 7 maridos.
  35. 35.  2 JUDITE 150 a.c., após tobias; viúva israelita quando na invasão da babilônia matou o general e salvou sua cidade.  3 SABEDORIA DE SALOMAO 100 -50 d.c. escrito por um judeu que faz papel de Salomão. Muito parecido com Ec, Jó, Pv,  4 ECLESIATICO 185 a.c. escrito por um filosofo viajado. Para com o livro de Pv . Apresenta regras de conduta religiosa, domestica e enaltece os heróis de AT.  5 BARUQUE 150-100 a.c pós livro de Jr. Escrito por Baruque apresentado por passar sua vida na babilônia. E endereçado aos exilados. Há paráfrases de Jr e Dn e outros profetas.  6 1 MACABEUS 100 a. c. relata historia dos macabeus luta dos judeus pela liberdade em 175-135 a.c.
  36. 36.  7) 2 MACABEUS ambos escritos após Ml, escrito por um certo Jason de Cirene  5 B) OS 4 ACRESCIMOS OU APÊNDICES  8) ESTER ( Et 10.4-16.24). passagem da septuaginta onde mostra a mão de Deus na historia. Fragmentos reunidos e agrupados por Jerônimo  9) CANTICO DOS TRES SANTOS FILHOS ( a Dn 3.24-90) adição inautêntica do livro de Daniel inserta depois de 3.23, cântico dos moços na fornalha pelo livramento  10) HISTORIA DE SUZANA ( a Dn 13). Um acréscimo relatando uma esposa piedosa de um judeu sendo acusada de adultério foi inocentado por Daniel.  11) BEL E O DRAGAO ( a Dn 14). Daniel prova que os ídolos de Bel e do Dragão não são deuses, tendo isso por base a cova dos leões.
  37. 37. 5.C) OS LIVROS REJEITADOS  12) III ESDRAS é uma compilação de Ed, 2 Cr e Ne com lenda de Zorobabel. Seu objetivo foi descrever a liberdade de Ciro e Dario com os Judeus.  13) IV ESDRAS dar visão a Esdras do governo no mundo de Deus. Restaurando certas escrituras que se haviam perdidos. Contem original Ap de Ed 90 d.c.  14) A ORAÇÃO DE MANASSES apresenta oração de Manasses quando esteve cativo na Babilônia 2 Cr 33.12,13 autor desconhecido.  Os livros apócrifos de 3 e 4 Ed são assim chamado porque na bíblia Católica há 1 Esdras e 2 Ed e o de Neemias  Os apócrifos foram aprovados em 18 de abril de 1546 para combater a reforma protestante porque dão bases para os falsos ensinos. Porque eles combatiam o purgatório, oração pelos mortos, salvação mediante as obras,
  38. 38. 5-D) PORQUE NÃO FORAM ACEITOS NO CÂNON DO AT  A) NENHUM FOI ENCONTRADO NO CÂNON HEBRAICO  B) FORAM ESCRITOS DEPOIS QUE OS PROFETAS CESSARAM EM JERUSALEM, NÃO DECLARA SER MENSAGEM DE DEUS AO HOMEM  C) NIVEL MORAL BAIXO  D) NÃO FORAM INCLUIDOS NO CÂNON ATE O FIM DO 4º SEC.  E) DEVEMOS FICAR ATENTOS AOS LIVROS CANONICOS E APOCRIFOS :
  39. 39.  Os nossos 39 livros canônicos do AT os católicos chamam de protocanônicos.  Os 7 livros e 4 acréscimos que chamamos de apócrifos eles chamam deuterocanônicos  Os livros que chamamos de pseudo- epígraficos, eles chama de apócrifos.
  40. 40. 5-E) O VALOR DOS LIVROS APÓCRIFOS  Esses livros tem algun valor mas não como escritura sagradas. São antigos e com valor real. Igualmente a alguns manuscritos como os do Mar Morto.  5-F) OS PSEUDEPÍGRAFOS do grego significa escrito falso, espúrio. Foram escritos no período Inter bíblico e pós evangelhos e não foram aceitos como cânon.
  41. 41. UNIDADE II A BIBLIA COMO LIVRO 1. A IMPORTANCIA DA BIBLIA  LIVRO DE MAIOR CIRCULAÇÃO, UTILIZADA POR DIVERSAS RAZÕES  1.A) A BIBLIA COMO LITERATURA DE VALOR  PODE SER ESTUDADA POR SEU VALOR LITERARIO, POREM NA LITERATURA HÁ ALUSÕES O QUE FAZ PERDER SUA BELEZA.  1.B) A BIBLIA COMO HISTORIA  DEVE SER ESTUDADA COMO HISTORIA ATE MESMO PARA COMPREENDER O DESENVOLVIMENTO DA CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL E AS RAIZES JUDAICAS NO AT.  1.C) A BIBLIA COMO INFLUENCIA SOBRE A CIVILIZAÇÃO  SEM A BIBLIA SERIA IMPOSSIVEL ESTUDAR A CIVILIZAÇÃO MODERNA E O VALORES HUMANOS E A CIENCIA ESTA BASEADA NO LIVRO DOS LIVROS
  42. 42.  RELIGIÃO homem em busca suas relações correta para com Deus  REVELAÇÃO Deus se comunicando ao homem  REDENÇÃO encontro de Deus com o homem através da bíblia.  Há muitos caminhos para o homem buscar o Divino. Mas há só uma revelação, a bíblia e o Cristo e há uma só redenção pela mediação do Esp. Santo através da fé na verdade encarnada na BIBLIA.  INTELECTO suas verdades para a compreensão e doutrina  EMOÇOES pelas visões sem paralelo para a devoção e a inspiração  VONTADE por sua orientação ética para a conduta na vida.
  43. 43. 2. A ORIGEM DA PALAVRA BIBLIA  2.A) A PALAVRA BIBLIA  VEM DO GREGO BIBLIA, PLURAL BYBLYOV = LIVRO (S),  NOME VEM DA FENICIA DE BIBLIOS (NO AT GEBAL) NESTE LUGAR PRODUZIA-SE O PAPIRO, O PAPEL ANTIGO.  2.B) NOMES TECNICOS DA BIBLIA  A PALAVRA, Tg 1.21-23, A Palavra da Verdade, 2Co 6.7, A Palavra da fé, Rm 10.8  A escritura, Jó 2.22, A lei,1Co 13.21,A palavra da Justiça,Hb 5.13  As escrituras,Mt22.29, As sagradas letras, 2Tm3.15, A palavra do testemunho, Ap 12.11  A palavra Deus, Mc 7.13, As palavras da vida, At 7.38, As escrituras da verdade Dn 10.21, Os oráculos de Deus, Rm 3.2, A palavra de Cristo Cl 3.15, A palavra da graça At 20.32, As santas escrituras Rm 1.2, A lei do Senhor Is 34.16
  44. 44. 2.C) NOMES FIGURATIVOS  Uma luz Sl 119.105, Uma fonte que purifica, Ef 5.26, Ouro fino Sl 19.10, Um espelho Tg 1.23, Uma porção de alimento Jó 13.12, Martelo Jr 23.29, Uma espada Ef 6.17.  2.D) ESTRUTURA DA BIBLIA  Possui antigo e novo testamento. Tendo 66 livros, 39 AT da escritura hebraico por Tertuliano e Orígenes e 27 NT escrito em grego.  ESCRITOS 16 SEC., 40 ESCRITORES QUE TIVERAM VARIADAS PROFISSÕES, VIVERAM EM PAISES, REGIOES E CONTIENTES DISTANTES UNS DOS OUTROS, EM EPOCAS E CONDIÇOES DIVERSAS, ENTRETANTO FORMAM UMA HARMONIA PERFEITA. ISSO PROVA QUE UM SO OS DIRIA NO REGISTRO DA REVELAÇÃO DIVINA. DEUS.  A palavra testamento vem do grego DIANTHEKE e significa:
  45. 45.  a) aliança ou concerto  b) testamento é um documento que serve para provar algo de alguém. Distribuição de bens.  O novo testamento significa novo concerto Lc 22.20. No antigo BERITT significa concerto Ex 24.3-8, Hb 9.19-20. O duplo sentido mostra a morte do testador (Cristo) que selou a nova aliança garantindo a herança com Cristo Rm 8.17; Hb 9.15-17.  3.A) ANTIGO TESTAMENTO tem 39 livros em 4 grupos conforme assuntos  a) LEI São 5 livros que tratam da origem de todas as coisas, da lei e do estabelecimento da nação Israelita. Gn, Ex, Lv, Nm e Dt  b) HISTORIA 12 livros ocupam a historia de Israel nos seus vários períodos ( teocracia, sob juízes, Monarquia, sob Saul, Davi e Salomão, divisão reino em Judá e Israel foram levados cativos para Síria e Babilônia; pós cativeiro, sob Zorobabel, Esdras e Neemias). Js,Jz, Rt, 1 e 2 Sm, 1 e 2 Cr, 1 e 2 Rs, Ne e Et.
  46. 46.  c) POESIA 5 livros que apresentam conteúdo do gênero poético não porque há fantasia. Jó, Sl, Pv, Ec, Ct  d) PROFECIA 17 livros, estão como profetas maiores e menores devido ao mérito ou notoriedade do profeta. Não porque o livro e maior que o outro.  Profetas maiores ( Is, Jr, Lm, Ez, Dn,)  Profetas menores ( Os, Jl, Am, Ob, Jn, Mq, Na, Hc, Sf, Ag, Zc, Ml ).
  47. 47. 3-b) O AT, AS ECRITURAS QUE JESUS USOU ( A TANÁH)  Possuía os mesmos livros mas a organização era diferente. Deveria cumprir na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos Lc 24.44.  TORAH (lei) 5, NEBHIIM (profetas anteriores) 4; NEBHIIM ARRARONIM ( posteriores), 4, KETHUBHIM (poéticos) 3, MEGILLOTH (rolos) 5, HISTORICOS 3.  OBS.: O historiador judeu Flavius Josephus, da 22 livros as escrituras Hebraicas. A quantidade foi obtida com a junção de Rt, Jz, lm e Jr. Pois apresentam conexões com cerimônias religiosas e o calendário Judeu.  A divisão dos livros estão na base nos profetas por oficio ou por dom e também do legislador Moisés e profeta por direito próprio. E outros foram classificados conforme suas utilidades. Como:
  48. 48.  Cantares de Salomão lido na páscoa  Rute lido no pentecostes, festa da colheita  Eclesiastes lido festa do tabernáculo  Ester lido na festa do purim  Lamentações na comemoração da destruição de Jerusalém.  Já na Bíblia Edição Católico-Romana os livros 1, 2 Sm e 1 e 2 Rs são chamados 1, 2, 3, e4 Rs; 1 e 2 Cr são chamados 1 e 2 Paralipômenos. Ed e Ne são chamados 1 e 2 Ed.  Na Edição Católica de Matos Soares e Figueiredo o Sl 9 em Almeida é 9 e 10. O 10 é o 11 e vai ate o 146 e 147. Mas não afeta o texto.  Todos os crentes a manuseiam diariamente mas a falta de instrução muitos fazem errado, ineficiente as vezes. Lc 4.17. Pois hoje temos a bíblia organizada, antes era em rolos.
  49. 49. 4.a) APRENDENDO A LER E ESCREVER REFERENCIAS BIBLICAS  As abreviaturas dos livros são por 2 letras uma maiúscula e outra minúscula. Ex Fm (Filemon), apenas jó não é abreviado. Veja p. 42 da ETHEMG/2010  . para separar capitulo e versículo ( Jn 1.3)  , para separar capítulo de versículo, e capítulo de capítulo ( Jn 1.2,3,4; Jn 1,4,5 )  - para indicar sequência de capítulo ou versículo ( Jn 1 -3; Jn 1. 4-10)  ; para separar uma sequência de referencia ( Jn 1. 5-11; 2-4).
  50. 50. AINDA PODE SE DAR MAIS CLAREZA ÀS REFERENCIAS  Jn 1.2 a – indica a parte a do versículo  Jn 1.2b – indica a parte b do versículo  Jn 1.12ss – indica versículos que seguem ate o final ou não do capítulo
  51. 51.  4.b) APRENDENDO A DISTINGUIR TEXTO, CONTEXTO, REFERECIA E INFERECIA.  4.B-1) TEXTO São as palavras contida numa mensagem, todo entrelaçado = textus  4.B-2) CONTEXTO é o que esta junto ao texto (imediato ou remoto)  4.B-3) REFERÊNCIA conexão para localizar porção na bíblia. Podem ser verbais ( palavras) ou raiz (ideias). Estão nos rodapés.  4.B-4) INFERENCIA é a conexão indireta entre assuntos (ilação, conclusão)  4.C) OBSERVAÇÕES SOBRE A DIVISÃO DE CAPÍTULOS E VERSÍCULOS  Essas divisões não existiam quando foram escritos. Somente em 1555 que a bíblia foi publicada com moderna divisão. Isso ocorreu após 15 séc. que encerra o cânon sagrado
  52. 52. 4.C-2) QUANTO AO SEU USO E FUNÃO:  A divisão desta maneira apresenta falhas. Mas facilita para encontrar um texto. Porem pode apresentar interpretação errada dos versículos isolados. Quando estuda a bíblia pode se desconsiderar tal divisão.
  53. 53. 4.C-3) EXEMPLOS DE DIVISÕES ERRONEAS:  CAPÍTULOS: Is 53 deveria começar no 52.13, Jo 8 no 7.53, At 5 no 4.36, Mt 10 no 9.35, Cl 3 deveria terminar em 4.1, 1 Co 10 deveria terminar em 11.1, 1Co 13, começar com 12.31b(cf. ARA), todos abaixo deveria terminar em: 2Co 6 em 7.1, 2Sm 2 em 3.1; 17 em 18.8, 2Rs 6 em 7.2, Jr 3 em 4.2, Mq 4 em 5.1, Jo 18 em 19.16, Fp 5.39.40 em um só versículo.  VERSICULOS: Ef 1.5 começar com as duas ultimas palavras de 1.4; 1Co 2.9 e10; Jo 5.39, 40 ser um só versículo.
  54. 54. 4.D) PARTICULARIDADE SOBRE O TEXTO BÍBLICO EM GERAL E A SUA IMPRESSÃO.  1 As palavras em itálico, foram introduzidas para completar o sentido do texto Ex.: Jo 19.5 na versão ARC. Refere a Pilatos. V.4 “ eis aqui o homem” Jesus e Pilatos.  2 O uso da margem ( duvida) porque algumas bíblias tem margens da tradução do hebraico ou grego e ocorre. Elas ocorre em bíblias comentadas.  3 O sumario dos capítulos ou epígrafes refere a introdução, chama a atenção paro estudo. Mas nada tem haver com a inspiração ex.: Os Salmos e algumas parábolas Mt 22.14, lc 16.20, Mc 9.49 (ARA).  4 ACORSTICOS são uma sequência de palavras ou letras repetidas. Ou mesmo Nº de versículos, frases etc. Sl 25 e 34, 119, 9, 10, 37, 111, 112, 145.  5 Divisão do texto bíblico em capítulo e versículo ( não vem do original deste 1555)  6 A divisão do texto em parágrafos ocorre em ARA BEP E ARC. Servem para auxiliar na leitura, identificação das divisões e assuntos. Ex Sl 2.
  55. 55. A PRESERVAÇÃO E A TRADUÇÃO DA BIBLIA  1 AS LINGUAS ORIGINAIS DA BIBLIA  HEBRAICO:  Todo antigo testamento foi escrito no Hebraico, idioma oficial da nação israelita, exceto algumas passagens de Ed, Jr e Dn.  Hebraico faz parte das línguas SEMITICAS dos Cananeus.( litoral oriental do mediterrâneo, Síria, Palestina e a Jordânia hoje).  Como Chamava o Hebraico no AT de língua Canaã Is 19.18, judaica 2Rs 18.26.28, Is 36.13. Lê se da direita para a esquerda, alfabeto com 22 letras,  Na escrita empregava Consoante mas não vocalizava. Muitas palavras se perderam. Com os Massoretos que colocaram sons nas palavras foi que melhorou a partir do séc VI. Depois veio o PENTATEUCO SAMARITANO
  56. 56. ARAMAICO  IDIOMA SEMITICO(pertence aos Semíticos Judeus), falado desde 2000 a.c em Arã, Síria, Referencias são Ed 4.8 a 16.18; 7.12-26, Dn 2.4 a 7.28, Jr 10.11.  O Aramaico foi difundido mais quando o povo estava no cativeiro no reino de Judá em 587 em Babilônia. Em 536 após o cativeiro Israel a falava como língua vernácula ( própria, nativa). Para os judeus no tempo de cristo tornou-se uma língua popular e também no comercio.
  57. 57.  Siríaco no Norte 2Rs 18.26, Ed 4.7, Dn 2.4 ARC. E Caldaico no Sul Dn 1.4. tinha o mesmo alfabeto que o hebraico, mas não tinha vogais  Foi a língua do Senhor, seus discípulos e da igreja primitiva em Jerusalém. Ex Mt 5.18 quando Jesus disse que a menor letra do alfabeto Aramaico e o jota.  O aramaico da Palestina modifica um pouco ex.: Mc 14.36 palavra “abaa” dita por Jesus mas ele expressava em hebraico ex Lc 4.16-20 pois os rolos sagrados eram escritos nesta língua.  Porem o hebraico sendo absorvido pelo aramaico, mas não deixou de ser a língua do culto divino nas sinagogas, nos rolos sagrados e dos rabinos e eruditos.  Devido os hebreus terem adotado o aramaico como língua esse passou a chamar-se hebraico. Como em Lc 23.38; 19.13,17,29, At 21.40;26.14, Ap9.11.  O NT menciona o hebraico, mas trata do aramaico. Ex Marcos escreve para os romanos e põe em aramaico 5.1 e 15.34. Mateus escreve para os judeus em hebraico 27.46. O AT contem hebraico, aramaico, e em “tisata”, Ed 2.63 FIG E “SATRAPA”, Dn 302
  58. 58. GREGO  O NT foi originalmente escrito exceto duvidas sobre Mt.  O grego faz parte das Línguas Arianas, vem dos dialetos dórico e atiço originados das tribos que povoaram a Grécia. É uma língua mais próxima da nossa.  O grego do NT não era o clássico, mas o que toda a população falava era o “KOINÉ” que expandiu no período de Alexandre em 336 a.c.  A língua tem 24 letras a primeira é alfa a ultima é Ômega. Ex Ap. 1.8 Jesus disse eu sou o alfa e o Ômega. O Primeiro e o ultimo.
  59. 59. 2 a. 1) O PAPIRO: (CYPERUS OU PAPYRUS)  São rolos ou livros escritos a mão da antiga literatura. As abreviações são Ms sigular Mss plural desde os séc. II e XV.  2.A MATERIAL GRAFICO DOS Mss BIBLICOS  2 a. 1) O PAPIRO: (CYPERUS OU PAPYRUS)  2.a.2) PERGAMINHO OU VELLUM  Pele de animais antílopes ou bezerros, curtido e preparado para a escrita. Usado pelo cristianismo. Mas já se mencionava em Is 34.4. Depois refinou o material chamado de vellum mais duradoura séc. IV.
  60. 60. 2.a 3) OUTROS MATERIAIS  * Linho, encontrado nas descobertas arqueológicas  * Ostraco fragmento de cerâmica ex.: Jó38.14, Ez 4.1  * Madeira, Tabuas recobertas de cera, Is 8.1, Lc 1.63  *Pedra, Ex 24.12, Js 8.30-32.
  61. 61. 2.a 4) TINTA E INSTRUMENTOS DE ESCREVER  * Carvão em pó misturado com liquido parecido com goma. Ez 9.2, Jr 36.18, 2 Co 3.3  Para escrever Papiro ou Pergaminho  a) com o carvão usava penas de aves, pinceis finos ou cinzel, caneta de madeira porosa  b) para a cera usavam estilete de metal ou madeira resistente, osso. Ez 9.2-11.  2.b) FORMATO DOS Mss.  CÓDICE com 65 cm de altura por 55cm largura começou a ser usado séc. II  ROLO era preso em dois cabos de madeira, para facilitar o manuseio a leitura. 66 livros
  62. 62.  2.C) CALIGRAFIA DOS Mss não possuía sinais de pontuação  UNICIAL, é o Mss letras maiúsculas sem separação entre as palavras.  CURSIVO é o Mss de letras minúsculas com separação entre as palavras séc X.  PALIMPSESTO é um Mss reescrito onde um texto em cima do outro, raspado.  2.d) Mss ORIGINAIS da BIBLIA ( AUTOGRAFOS)  Hoje não temos um manuscrito original e sim copias de copias. PORQUE:  A) Os judeus enterravam quando estavam estragados.( evita mutilação, interpolação)  B) Os reis idolatras e ímpios destruíram ou contribuíram para isso. Jr 36.  C) Antíoco Epifanio, rei da Síria 175-164 a.C. Decidiu exterminar religião judaica e destruiu bíblias e o tempo de Jerusalém.  D) Diocleciano 284-305 d.c. por 10 anos passou destruindo as escrituras.  Esdras que preservou os Mss os quais serviram para encerra o cânon do AT
  63. 63. 3. A BIBLIA IMPRESSA  Jonhann Gutemberg pai da imprensa era servo do Senhor.  “ Deus sofre pois há multidões que sua palavra nunca pode alcançar. A verdade divina esta presa em algumas folhas a mão; Vamos romper os selos e dar asas a verdade... Para deixa-la voar a toda criatura de as nações”.  A bíblia ainda na imprensa arcaica 1469- 1476 a bíblia demora 10 meses para ser escrita séc. XIV custava 200 dólares. Enquanto hoje é impressa milhões em segundos e pode ser distribuída a todos.  A PRIMEIRA IMPRESSÃO DA BIBLIA. 1455 Hebraico, Grego e Latim ( vulgata)  4. AS VERSÕES (TRADUÇÕES ) DA BIBLIA  A bíblia foi traduzida por cerca de 2243 linguas, no mundo tem 350mm línguas folha S.P. 1997
  64. 64. 4.1 DEFINIÇÃO  VERSÃO é uma tradução feita para outra língua que não o original hebraico e grego. Permite todos ter acesso, comparar versões mais antigas, são auxílios missionários, unificar certos idiomas. As versão antes séc XV são antigas e as depois são modernas.3  4.2. VERSÃO ANTIGAS ( Semíticas, Gregas, Siríacas e latinas).  SEMITICAS: Pentateuco Samaritano, é um texto hebraico, escrito no dialeto samaritano. Ne 13.23-30, Jo 4.9. ( Judeu não comunicava com os samaritanos).  OS TARGUNS segunda versão antiga de grande importância por ser em aramaico. Significa “traduzir”. Abrangem vários lugares outras línguas.  4.2b) VERSÕES GREGAS:  A SEPTUAGINTA- LXX- é a mais importante. Tem esse nome por ser 70 tradutores. Ou Alexandria o local, grega por ser a língua que foi traduzida.  AQUILA natural de Sinope. É uma tradução literal do AT, feita 138 d.c reinado de Adriano.  TEODOCIAO natural de Éfeso, 160 a.c. é um revisão da LXX que contem o AT.  A HEXAPLA DE ORIGENES, e uma, versão com falhas da Septuaginta. Esta organizado da direita para a esquerda do hebraico, grego, Áquila, Simaco, Septuaginta, Teodociao. Foi publicada em 1714.
  65. 65. 4.2c) VERSOES SIRIACAS:  A PECHITA ( PESCHITO) E FILOXENIA  4.2d) VERSOES LATINAS  O latim era a língua falada pelos romanos e de grande importância principalmente porque fez parte ultimo império romano mundial.  Antiga Versão Latina ou versão África do Norte onde foi feita. Abrange todos os testamentos. Serviu a igreja do Ocidente. AT foi traduzido do grego da Septuaginta concluída em 170 d.c . período de Tertuliano e Agostinho. Teve revisões na Itália, e a de Jerônimo. Onde a LXX começou a cair em desuso. Há 40 Mss.  A VULGATA LATINA- Com a cultura romana ouve substituição do grego para o Latin. Isso as línguas originais se tornara estranha para o povo da época. Em meio a muitas diversidades a bíblia permaneceu pelo cuidados romanos no mundo ocidental por 1000 anos. A partir de 1455 que foi publicada nas traduções inglesas, italianas, espanholas e francesas. A obra de Jerônimo foi magnifica e é utilizada para comparar nas línguas originais.
  66. 66. 4.2e) OUTRAS VERSOES ORIENTAIS  A ETIOPE- 330 d.c abrange ambos testamentos LXX  A GOTICA 350 d.c idem  A ARMENIA feita Séc V Base na LXX  A GEORGINA feita Séc. V Preparada por meio de copias da versão Armênia.  A ESLAVONICA feita séc. IX, base LXX. E usada pelos eslavos orientais e meridionais. Ambos os testamentos.  4.3.B) VERSÕES EM PORTUGUES:  A bíblia foi traduzida em 1495 e o inicio da tradução antes séc. XVI pela Zelosa Rainha D. Leonor, esposa de D. João II. Pois achava importante as historias da Vida de Cristo.  4.3.B-1) A VERSÃO DE JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA  É a principal versão protestante em Português, bem como a primeira tradução.  A obra do Padre Antônio Pereira de Figueiredo, sob incumbência de Roma fazendo frente a versão protestante.  A versão Almeida foi corrigida e harmonizada com as versões Castelhana e holandesa.  AS REVISÕES DE ALMEIDA:  ARC ( Almeida Revista e Corrigida) 1ª impressão no Brasil em 04/08/1944 pela IPB, HOJE temos a versão de 1995.  ARA- (Almeida Revista e Atualizada) revisão de 16 anos, publicada em 1958 pela SBB. Em 1993 lançou a 2ª edição  R- revisada pela IPB e publicada em 1967. ( melhores textos Hebraico e Grego)  C- contemporânea, lançada 1990 pela ed. Vida segue padroes da ARC  ACF- Almeida Corrigida, fiel 1995, SBTB, (Trinitariana)  OUTRAS VERSÕES : TB, BLH, NVI, NTLH
  67. 67. VERSÕES CATOLICAS:  FIG – Antônio Pereira de Figueiredo, 1821, SBBE, Londres e Inglaterra.  MS- Matos Soares, 1957, Ed. Ave Maria, CBC  Versão dos Padres Capuchinos, 1968, Lisboa e Portugal  Bíblia Sagrada, 1982, tradução e comentário por Ludovico Gamus  LEB- Edições loyola, 1983  BF- Bíblia Fácil, 1984, tradução de Frei Paulo Avelino  EP- Edição Pastoral, 1990, Edições Paulinas.  VERSÕES ECUMENICAS  JER Bíblia de Jerusalém, 1982, Paulinas, texto preparado pela esc. Bib. De Jerusalém  TEB Tradução ecumênica da Bíblia, 1995, coedição Paulinas e Loyola.  AS PARAFRASES  CH- cartas para hoje, 1972, consta somente de epistolas, editada pela Soc.  BV- Bíblia viva, 1981, publicada pela Associação Religiosa Ed. Mundo Cristão
  68. 68.  Papiro (pelo latim papyrus do grego antigo πάπσρος) é, originalmente, uma planta perene da família das ciperáceas cujo nome científico e Cyperus papyrus, por extensão é também o meio físico usado para a escrita (percursor do papel) durante a Antigüidade (sobretudo no Antigo Egipto, civilizações do Oriente Médio, como os hebreus e babilônios, e todo o mundo greco-romano).  O papiro é obtido utilizando a parte interna, branca e esponjosa, do caule do papiro, cortado em finas tiras que eram posteriormente molhadas, sobrepostas e cruzadas, para depois serem prensadas. A folha obtida era martelada, alisada e colada ao lado de outras folhas para formar uma longa fita que era depois enrolada. A escrita dava-se paralelamente às fibras.
  69. 69. PERGAMINHO
  70. 70.  Bv- Biblia viva 1981, publicada no Brasil pela Associação Religiosa Ed. Mundo Cristão.  4.4 O VALOR DE UMA VERSÃO  Depende do caráter e competência de quem realiza o trabalho pois é uma arte do ser humano. Há três fatores:  4.4 a) A INTEGRIDADE DO TEXTO ORIGINAL – jamais a tradução será igual o original.  b) O CONHECIMENTO DAS LINGUAS DO ORIGINAL E DAQUELA EM QUE O TEXTO ESTÁ SENDO TRADUZIDO.  C) DETERMINAR O SIGINIFICADO DO ORIGINAL, DEPENDE DA COMPREENSÃO DAS ESCRITURAS QUE O TRADUTOR POSSUI  4.5 RAZOES PARA AS VERSÕES  A) DIFERENÇAS NOS TEXTOS HEBRAICOS E GREGOS.  Os autógrafos (originais) não existem mais, mas antes de estragar foram copiados.  Ex.: Lc 14.5, ARC =Jumento em ARA = FILHO
  71. 71.  A) erros involuntários do copista:  *troca de letras (erro por ditografia) Ap 1.5, ARC lavou, ARA libertou  Lc 21.19 ARC possuí a vossa alma em ARA ganhareis a vossa alma.  * Semelhança de terminação de frases ou palavras.  Ex.: Mc 9.44, 46 e 48 ARC, (44 e 46 entre colchetes em ARA)  Rm 8.1 ( ARA OMITE que não anda segundo a carne mas...)  Lc 1.28b ARC bendita es tu entre as mulheres, ARA omite.  Jo 1.41,42; 4.2,9 [ ] em ARA NÃO ALTERA O SENTIDO  Jo 3.13 [ ] em ARA alterou o sentido da passagem  Jo 5.7 [ ] em ARA alterou a composição gramatical  5.5.b- DIFERENCAS DE SIGNIFICADOS EM VIRTUDE DAS AMBIGUIDADES  A) AMBIGUIDADE DA PALAVRA:  1 Co 7.36 – ARC a sua virgem em ARA a sua filha.  B) AMBIGUIDADE DE LIGAÇÃO:  Ef 1.4,5 ARC irrepreensíveis diante dele em caridade  ARA irrepreensíveis perante ele, em amor e nos predestinou...  4.5.C) MUDANÇAS NA FORMA EM RELAÇÃO A LINGUAGEM FIGURADA  Ex.: Referencias às emoções e aos pensamentos  At. 1.18 ARC “Todas as suas entranhas se derramaram”, LH “ intestino”  Uma parte usada para representar o todo Ex.: o pão, alimento Mc 6.11 ARA, ARC  O todo para representar a parte Ex.: Jo 5.20 ARC “Os Judeus”,ARA Lideres,
  72. 72.  4.5.D) MUDANÇAS NA FORMA PARA TORNAR MAIS CLARO O SIGNIFICADO  A) Traduz-se o significado em vez da forma original Ex At 1.12 um sábado ARC e NVI, um Km LH  B) Usam-se palavras diferentes para significados diferentes .Ex.: Carne Rm 14.21 comida  C) USAM-SE PALAVRAS CONHECIDAS.  * RECONCILIAÇÃO- 2Co 5.18; 1Co 7.11 ARA, LH,  * JUSTIFICAR: Rm 4.2 ARA, LH  * IMUTAVEL: Hb 6;18.18. ARC E LH  * PREDESTINAR: Ef 1.5 ARC, ARA e R, LH  * CONCUPISCENCIAS: Rm 6.12 ARC, R, ARA, NVI, LH
  73. 73. 4.5.E) MUDANÇAS NA FORMA PARA TORNAR O TEXTO MAIS NATURAL POSSIVEL  A) palavra exigida pela gramatica:  At 16.11 acrescentou dia  B) palavras desnecessarias: Nm 7.1-89 ARC e LH  C) verbo nos dialogos Mt 3.15  D) variação do verbo  ARC R LH ARA Jo 4.10 respondeu e disse respondeu disse replicou E) PRONOME DE TRATAMENTO, USANDO O GREGO ARC,ARA, R TU; e LH E NVI voce e tu F) ORDEM DE PALAVRAS Rm 8.38,39 ordem do grego usam substantivos. Já na BLH usa verbo ficando mais facil de entender. G) MODO DE ESCREVER NOMES At 21.16 ARC, NVI, ARA – Mnasom, R Mnáson LH Menasom
  74. 74. O ESTUDO DA BIBLIA  É um estudo sério, tarefa estimulante, porque não é como nenhum outro livro mas é nossa melhor obra prima literária.  A bíblia é o registro eterno do proposito do nosso redentor DEUS para a raça humana. É a auto revelação de DEUS às mentes humanas. É a palavra de DEUS. Ex 20.1
  75. 75. 5.1 POR QUE DEVEMOS ESTUDAR A BÍBLIA  5.2 COMO ESTUDAR A BÍBLIA A) A bíblia deve ser estudada com um espírito aberto, e com o coração receptivo à sua mensagem B) Tendo em mente que o livro é o seu proprio e melhor intérprete ( contexto e o texto) C) O estudante deve aprender a fazer uso dos recursos que se fornecem em conexão com o texto bíblico( analisar outras ediçoes, dicionario etc) D) Será útil o recurso a diferentes traduções ou versões para determinar o significado do original E) As interpretações pessoais devem ser conferidas por consultas a comentários do original. F) Ninguém pode esperar fazer qualquer espécie de estudo pessoal e sistemático da bíblia sem recorrer com frequencia às concordâncias. G) Um estudioso diligente da Bíblia, deverá fazer uso de enciclopedias ou dicionarios, e de um atlas biblico.
  76. 76. 5.3 METODOS DE ESTUDO DA BÍBLIA  As escrituras podem ser mal empregadas: a) Se ignora o que a bíblia diz sobre dado assunto b) Se toma um versículo fora do contexto c) Se Lê uma passagem e faz dizer o que ela não diz d) Se da indevida ênfase a coisas menos importantes e) Usa a bíblia para levar a Deus a fazer nossa própria vontade, em vez daquilo que Ele quer que seja feito. Precisamos aprender a usar com cuidado as escrituras com bons métodos “caminho par o alvo” No estudo é preciso ter um objetivo ALVO MÉTODO Estudar um versículo, capitulo ou livro ANALITICO Estudar um assunto da bíblia TOPICO Entender a bíblia como um todo SINTETICO Estudar uma pessoa, fato, lugares ou coisas ligadas ao período bíblico PESSOAL Estudo o que a bíblia tem especialmente para si DEVOCIONAL
  77. 77. 5.4BIBLIAS DE ESTUDO (COMENTADAS) RELAÇAO VARIAS BIBLIAS  DIFICULDADE DA BÍBLIA – HÁ DIFICULDADES MAS NÃO HA CONTRADIÇÕES; ( Históricas, cientificas e doutrinarias)  AS DIFICULDADES DA BÍBLIA SÃO TODAS DO LADO HUMANO TAIS COMO:  A) ESTUDO SUPERFICIAL IDEIAS PRECONCEBIDAS  MÁ COMPREENSÃO INTERPRETAÇÕES FORÇADAS  FALSA APLICAÇÃO DO TEXTO INCAPACIDADE HUMANA  TRADUÇÃO MAL FEITA FALHAS D EDITORAÇÃO
  78. 78. DIFICULDADE LINGUISTICAS  * HEBRAICO, GREGO E ARAMICO ( Lingua originais antigas)  Generos literarios diversos autores HISTORIA Legislador MOISES Poesia General Jose Profecia Musico Asafe Parábolas Serv Publ Daniel Doutrina sacerdote Esdras Biografia boiadeiro Amos Epistolas Medico Lucas Erudito Paulo pescadores Pedro e Jão profetas Samuel, Isaias e outros reis Davi e Salomao A BIBLIA FOI ESCRITA NA ASIA, EUROPA E AFRICA
  79. 79. DIFICULDADES CIENTIFICAS  A Bíblia aborda fatos científicos na linguagem do povo comum e não na técnica.  Is 40.22 a esfericidade da terra  Sl 102.25-27 o envelhecimento do universo  Sl 19.5 O movimento do sol  Jó 26.7 a terra suspensa no ar  Jó 38.19 a luz e seu caminho
  80. 80. DIFICULDADES HISTÓRICAS  PESSOAS COM VARIOS NOMES Ex. Jetro Ex 3.1,  DIFERENTES LUGARES COM O MESMO NOME Ex.: Cesareia de Filipo, Cidade Interiorana, Mt16.13; Cesareia, porto maritmo At 8.40  MESMO LUGAR COM MAIS NOME Ex.:Mar da Galileia, Mar de Genezaré, Mar de tiberíades  LUGAR QUE MUDA DE NOME Ex.: Pérsia atual Irã  NÚMEROS Ex.: os animais na arca 2 de cada classe, Gn 6.19,20; 7 de cada classe Gn7.2,3.  TEMPO Ex.: a idade de Joaquim 18 anos 2 Rs 24.8, 8 anos 2 Cr 36.9
  81. 81. DIFICULDADES DOUTRINARIAS  ACERCA DE DEUS: ONIPOTENCIA Jr 32.7 x Jz 1.19; Ex 31.17x Is 40.28 ONISCIENCIA, Sl 139.2-4 x Gn 22.12, Dt 8.2 ONIPRESENÇA Sl 139.7-10 x Gn 3.8; 4.16 ETERNIDADE Sl 90.2 x Hc 3.3 UNIDADE, Dt 6.4; 32.39, 1Co 8.6xGn 1.26 IMATERIAL Lc 24.39, Jo 4.24 x Ex 31.18 IMUTAVEL Nm 23.19, 1Sm 15.29x Jr 15.6
  82. 82. A CERCA DE CRISTO  SUA DIVINDADE Jo 1.1,14, Hb 1.8x Jo 8.40, 1Tm 2.5  ONIPOTÊNCIA Jo 3.35 x Mc 6.5  ONISCIÊNCIA Jo 2.24,25 x Mc11.13; 13.32

×