Arte egípcia

604 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
604
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte egípcia

  1. 1. ARTE EGÍPCIA Professor: Sandro Bottene ARTE EGÍPCIA sandro.bottene@hotmail.com lattes.cnpq.br/9367634204406259 Mestre em Artes Visuais (2015/PPGART/CE/UFSM) Especialistaem Artes Visuais Cultura e Criação (2011/SENAC) Bacharel em Artes Visuais (2012/DHE/UNIJUÍ) Licenciadoem Artes Visuais (2009/DELAC/UNIJUÍ)
  2. 2. MAPA do Egito
  3. 3. LOCALIZAÇÃO Percurso do Rio Nilo
  4. 4. ARTE NO EGITO As manifestações artísticas da civilização egípcia foram as mais constantes e conservadoras de todas as culturas mantidas por um longo período de tempo. A arte no Egito, vinculada à religiosidade, pode ser definida como utilitária (materialista), hierático (sagrada) áulico (da corte – reis/faraós) e funerária (morte). A civilização egípcia forma-se por volta de 5.000 a.C. e sua cultura que faz parte da Arte Antiga (dividida em fases: Antigo, Médio e Novo Império), sofre um declínio devido diversas invasões de povos até ser dominada pelos romanos em 30 a.C.
  5. 5. PINTURA Possui um estilo único e inconfundível. Em relação às cores predominam os tons avermelhados e o marrom (óxido de ferro), o preto (carbono) e o branco (gesso), além do verde e do azul (pigmentos de pedras semi-preciosas). A pintura egípcia foi produzida em maior número sobre o papiro (tipo de papel) e nas paredes (parietal).
  6. 6. TEMA Na pintura eram retratadas diversas temáticas construídas em forma de narrativas ou histórias apresentando: - Cenas do cotidiano; - Trabalho de artesões e escravos; - Imagens de divindades; - Os faraós e sua família; - Conquistas e feitos heróicos; - Cenas de caça e de animais.
  7. 7. - Representação bidimensional; - Uniformidade da cor (sem claro-escuro); - Perspectiva hierárquica; - Falta de profundidade; - Lei da Frontalidade: Representação da figura humana retratada frontalmente, enquanto cabeça, pernas e pés eram vistos de perfil. CARACTERÍSTICAS
  8. 8. PINTURA EM RELEVO Técnica produzida através de pequenas escavações ou saliências que não passavam de um centímetro que, por sua vez eram coloridos com pigmentos. De acordo com o grau de projeção são classificados como alto (alto-relevo), médios (médio-relevo) e baixos (baixo-relevo).
  9. 9. ARQUITETURA As construções egípcias são caracterizadas pelo aspecto de solidez e durabilidade simbolizando a eternidade. Apresentam-se através de duas espécies: templos construídos à direita do Nilo (nascente) dedicado aos deuses e os túmulos (tumbas dos faraós) a oeste do rio (poente). Tipos de tumbas: - Pirâmide (forma piramidal com cume); - Mastaba (forma piramidal corta ao meio); - Hipogeu (sepulturas subterrâneas).
  10. 10. OBELISCO Coluna de pedra de corte retangular com vértice piramidal. COLUNA Usada na sustentação de templos possui diferentes capiteis.
  11. 11. KARNAK e LUXOR Templos ou santuários construídos pelos faraós dedicados aos deuses.
  12. 12. Tumbas 1. Mastaba 2. Hipogeu 3. Pirâmide 1 2 3
  13. 13. ESCULTURA Representação de reis (faraós) e dos deuses com posição calma e serena, quase sempre de frente sem demonstrar emoção (ilusão de imortalidade). As estátuas-retratos eram produzidas através de basalto, granito, calcário e madeira. Além disso há exemplos de bustos e baixo-relevo portáteis.
  14. 14. ESFINGE Monumento composto com corpo de leão e cabeça humana.
  15. 15. OBJETOS (artes menores) Diversos objetos reais como jóias (brincos, colares, pulseiras, braceletes) possuíam temas religiosos (imagens de deuses ou animais sagrados) fabricados com ouro, prata, lápis- lazúli, pedras semi-preciosas e vidro colorido.
  16. 16. MUMIFICAÇÃO (credo na vida após a morte) O corpo do faraó era desidratado com sal após a retirada das vísceras que eram colocadas separadamente dentro de recipientes chamados canopos. De acordo com a religião egípcia o corpo preservado servia para abrigar a alma do faraó morto na vida eterna. A múmia era enfaixada com linho e embalsamada no sarcófago (decorado com traços do faraó) sepultado em uma tumba.
  17. 17. ESCRITA (hieróglifo) Escrita sagrada constituída com sinais ou caracteres pictóricos projetando imagens de pássaros, insetos e objetos. A grafia estava dividida em três sistemas: hieróglifo (sagrada), hierático (simples) e demótico (popular no uso). O enigma da escrita foi decifrada em 1822 pelo francês Champollion através da “Pedra de Roseta”.
  18. 18. PAPIRO Planta utilizada pelos egípcios na fabricação de um tipo de papel artesanal. É o suporte (material) utilizado pelos escribas na documentação de ações.
  19. 19. CALABRIA, Carla Paula Brondi. Arte, história e produção 2: mundo. São Paulo: FTD, 2009. 206p. (Coleção arte, história e produção) ______. Arte, história e produção 1: arte Brasil. São Paulo: FTD, 2009. 143p. (Coleção arte, história e produção) COTRIM, Gilberto. História global: Brasil e geral. v. 1. São Paulo: Saraiva, 2010. 320p. Enciclopédia Multimídia da Arte Universal: arte pré-histórica, mesopotâmica e egípcia – o nascimento da civilização. v. 1. São Paulo: Alphabetum, 1997. (Coleção caras) PRETTE, Maria Carla. Para entender a arte: história, linguagem, época, estilo. São Paulo: Globo, 2008. 382p. PROENÇA, Graça. História da arte. 17. ed. São Paulo: Ática, 2009. 448p. STRICKLAND, Carol. Arte comentada: da pré-história ao pós-moderno. 13. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. 198p. REFERÊNCIAS

×