Samuel Rodrigues Lopes Sobrinho 
Formação Acadêmica: 
Pós-Graduação em Lean Manufacture 
Univille – Universidade da Região...
Combinando oferta e demanda cap 4 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
2 
4 - Combinando oferta e ...
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
3 
4 - Combinando oferta e demanda | 99 
Combinando oferta e d...
4 - Combinando oferta e demanda | 99 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
4 
Combinando oferta e d...
+ 
Todas as previsões são propensas a erros. 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
5 
Tempo 
Erro d...
100 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
Tempo para adquirir, produzir e entregar para o cliente. 
Lead t...
100 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
7 
A...
Ciclo do pedido do cliente 
A lacuna de lead time 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
8 
4 - Comb...
É possível reduzir a lacuna pelo encurtamento do lead time 
logístico e, simultaneamente, tentar mover o ciclo de pedido d...
102 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
10 
...
102 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
11 
...
102 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
12 
...
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
13 
4 - Combinando oferta e demanda | 103 
Orientado 
pela 
Pr...
4 - Combinando oferta e demanda | 103 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
14 
A informação sobre ...
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
15 
4 - Combinando oferta e demanda | 103 
Figura 4.5 O iceber...
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
16 
4 - Combinando oferta e demanda | 103 
A área abaixo da su...
104 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
17 
...
104 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
D C E 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.co...
4 - Combinando oferta e demanda | 105 
D C E 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
19 
Figura 4.6 (...
4 - Combinando oferta e demanda | 105 
D C E 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
20 
Figura 4.6 (...
105 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
21 
...
A Figura 4.7 indica alguns dos principais orientadores de 
velocidade e visibilidade da cadeia de suprimentos que serão 
d...
106 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
Gestão de 
gargalos 
Sensibilidade 
Adiamento 
Simplificaçã 
o 
...
107 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
24 
...
107 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
25 
...
108 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
Gerar previsão de demanda 
agregada 
Modificar previsão com inte...
110 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
Logística e operação Vendas e marketing 
A satisfação 
da demand...
4 - Combinando oferta e demanda | 113 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
28 
Planejamento colabo...
114 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 
Varejista Fornecedor 
Desenvolver acordo de colaboração 
Criar u...
Otimizar a produção 
Reduzir a capacidade de armazenamento 
Estoque 
Desperdício 
Horas extras 
Custo de transporte 
Melho...
Através do ponto de apoio da cadeia de suprimentos nós 
percebemos que o propósito da cadeia de suprimentos é de 
equilibr...
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 
23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes 
ssobrinhoo@gmail.com 
32 
CRISTOPHER, Martin 
Logística e ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Combinando oferta e demanda logística 10.09.2014

789 visualizações

Publicada em

CRISTOPHER, Martin 
Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos /
Martin Christopher; tradução Ez2 translate; revisão técnica
James Richard Hunter. – São Paulo : Cengage Learneing, 2013.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
789
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Combinando oferta e demanda logística 10.09.2014

  1. 1. Samuel Rodrigues Lopes Sobrinho Formação Acadêmica: Pós-Graduação em Lean Manufacture Univille – Universidade da Região de Joinville Pós-Graduação Gestão da Qualidade Six-Sigma FAE Business School Graduação em Adminstração Industrial Univille – Universidade da Região de Joinville Técnico em Processamento de Dados / Técnico em Mecânica E-mail: ssobrinhoo@gmail.com 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 1
  2. 2. Combinando oferta e demanda cap 4 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 2 4 - Combinando oferta e demanda | pag 99 Pag 116 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos
  3. 3. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 3 4 - Combinando oferta e demanda | 99 Combinando oferta e demanda 4 A lacuna de lead time  Melhorando a visibilidade da demanda  O sustentáculo da cadeia de suprimentos  Previsão da capacidade de executar diante da demanda  Gestão e planejamento de demanda  Planejamento colaborativo, previsão e reabastecimento
  4. 4. 4 - Combinando oferta e demanda | 99 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 4 Combinando oferta e demanda Qual o objetivo da cadeia de suprimentos? Tentar equilibrar oferta e demanda. A presença de muitas incertezas nas previsões. Em outras palavras, para a maioria das organizações, tanto no lado da oferta como no lado da demanda, não é possível ter certeza. Esse é o grande desafio das nossas empresas chegar próximo da previsão de demanda.
  5. 5. + Todas as previsões são propensas a erros. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 5 Tempo Erro de Previsão - 100 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos Figura 4.1 Erro de previsão e horizontes de planejamento
  6. 6. 100 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos Tempo para adquirir, produzir e entregar para o cliente. Lead time logístico 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 6 Aquisição Fabricação Entrega Ciclo do pedido do cliente Cumprimento de pedidos Lacuna de lead time Figura 4.2 A lacuna de lead time
  7. 7. 100 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 7 A lacuna de lead time Na organização convencional, a única forma de fechar a lacuna entre o lead time logístico e o ciclo de pedido do cliente é por meio da manutenção de estoque. Isso normalmente implica uma previsão. A empresa que consegue uma associação perfeita entre o lead time logístico e o ciclo de pedido solicitados pelo cliente não tem necessidade de previsões nem estoque.
  8. 8. Ciclo do pedido do cliente A lacuna de lead time 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 8 4 - Combinando oferta e demanda | 101 Lead time logístico Figura 4.3 Fechando a lacuna de lead time
  9. 9. É possível reduzir a lacuna pelo encurtamento do lead time logístico e, simultaneamente, tentar mover o ciclo de pedido do cliente para mais perto Ciclo do pedido do cliente 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 9 4 - Combinando oferta e demanda | 101 Lead time logístico Figura 4.3 Fechando a lacuna de lead time
  10. 10. 102 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 10 Melhorando a visibilidade da demanda A redução dessa distância- GAP- pode ser alcançada com a diminuição do lead time logístico, ao mesmo tempo tenta se tornar mais próximo do ciclo do cliente conhecendo previamente as suas necessidades por meio da visibilidade da demanda.
  11. 11. 102 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 11 Melhorando a visibilidade da demanda Para estender o ciclo do pedido do cliente significa que devemos obter com antecedência as informações sobre as suas necessidades. Em primeiro passo é observar o ponto de penetração da demanda que esta próxima da parte final do canal. Ponto de penetração da demanda é o ponto na cadeia logística no qual a demanda real encontra-se com a demanda planejada.
  12. 12. 102 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 12 Melhorando a visibilidade da demanda O ponto de penetração do pedido é o ponto na cadeia de suprimentos onde as especificações do produto são congeladas, onde o produto se vincula a um cliente específico, e também como o último ponto onde os estoques são mantidos. Assim, o produto não é movimentado até que o ponto de consumo seja conhecido.
  13. 13. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 13 4 - Combinando oferta e demanda | 103 Orientado pela Previsão Orientado pela demanda Figura 4.4 Pontos de penetração de demanda e estoque estratégico
  14. 14. 4 - Combinando oferta e demanda | 103 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 14 A informação sobre demanda que uma empresa recebe é apenas a ponta de um iceberg. As informações sobre a necessidade do cliente podem ser compartilhadas se o fornecedor puder ver ate o final do canal. Chegando a uma demanda real.
  15. 15. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 15 4 - Combinando oferta e demanda | 103 Figura 4.5 O iceberg de informação Pedido Tempo de ciclo de pedido Verdadeiro uso /demanda
  16. 16. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 16 4 - Combinando oferta e demanda | 103 A área abaixo da superfície do iceberg representa o consumo, a demanda, o comportamento de uso do produto, que se oculta da visão do fornecedor. Somente quando se expede um pedido torna-se transparente.
  17. 17. 104 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 17 O sustentáculo da cadeia de suprimentos O que representa o sustentáculo de uma cadeia de suprimento? O sustentáculo é o ponto de apoio em que nós nos comprometemos com a produção e o envio do produto em sua forma final e em que as decisões sobre volume e mix são tomadas.
  18. 18. 104 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos D C E 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 18 Figura 4.6 (a)
  19. 19. 4 - Combinando oferta e demanda | 105 D C E 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 19 Figura 4.6 (b)
  20. 20. 4 - Combinando oferta e demanda | 105 D C E 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 20 Figura 4.6 (c)
  21. 21. 105 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 21 O sustentáculo da cadeia de suprimentos O fluxo de informações é o sustentáculo do processo de abastecimento da cadeia de suprimentos e, caso essa comunicação não flua de forma eficiente, é possível que ocorra excesso de estoque ao longo dessa cadeia
  22. 22. A Figura 4.7 indica alguns dos principais orientadores de velocidade e visibilidade da cadeia de suprimentos que serão discutidos em capítulos posteriores. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 22 106 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos
  23. 23. 106 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos Gestão de gargalos Sensibilidade Adiamento Simplificaçã o Agilização de processos Reduzir tamanho de lote Reduzir o tempo que não acrescenta valor Velocidade Reduzir lead time de entrada Planejament 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 23 Aproximar-se Figura 4.7 Velocidade e visibilidade orientam receptividade dos fornecedores o colaborativo Acesso à demanda real A gestão de processos aproximar-se dos cliente Interação interna Visibilidade Informações compartilha das Fontes estratégicas Forneciment o síncrono Planejament o colaborativo Gestão de eventos
  24. 24. 107 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 24 Previsão da capacidade de executar diante da demanda A Zara utiliza uma estratégia de cadeia de suprimento híbrida, o qual uma parte da demanda é estável e previsível e o restante segue o padrão inverso. A empresa lida com estoques na sua forma genérica, isto é, de acordo com padrões semi-acabados, à espera da montagem final – o que tem sido conceituado como adiamento a fim de se reduzirem os riscos com estoque. Várias empresas globais empregam este conceito, entre elas a Hewlett-Packard, IBM, Dell e a Zara, a fim de reduzir custos com estoques (SKU, stock keeping unit)
  25. 25. 107 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 25 Gestão e planejamento de demanda Gestão da demanda é o termo usado para as diversas ferramentas e os procedimentos que permitem obter um equilíbrio mais eficaz da oferta e da demanda. Planejamento de Demanda é a tradução do nosso entendimento do quanto as exigências reais do mercado estão dentro de um programa de cumprimento, garantindo que os produtos possam ser disponibilizados no local certo, no momento certo, na quantidade certa e no menor custo possível. Hoje essa prática é conhecida como planejamento de vendas e operações ( salesand operations planning – S&OP).
  26. 26. 108 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos Gerar previsão de demanda agregada Modificar previsão com inteligência de demanda Criar uma previsão de consenso Criar um plano de capacidade aproximada Executar no nível de item idividual (SKU) diante da demanda (SKU, stock keeping unit) Mensurar o desempenho Há uma série de pré-requisitos para o sucesso do S&OP e eles estão resumidos na figura ao lado. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 26 Figura 4.8 O processo de planejamento de vendas e operações
  27. 27. 110 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos Logística e operação Vendas e marketing A satisfação da demanda Alinhamento de criação de demanda e processo de Atendimento por meio de limites funcionais e organizacionais 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 27 Figura 4.9 O foco de gestão e planejamento da demanda Criação da demanda A satisfação da demanda Criação da demanda Gestão e planejamento de demanda
  28. 28. 4 - Combinando oferta e demanda | 113 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 28 Planejamento colaborativo, previsão e reabastecimento Planejamento, previsão e reabastecimento colaborativo (collaborative planning forecasting and replenishment – CPFR). A ideia é um desenvolvimento do VMI pelo qual o fornecedor gerencia o estoque no cliente. O fornecedor consegue reduzir o estoque de segurânça no cliente com essa ferramenta.
  29. 29. 114 | Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos Varejista Fornecedor Desenvolver acordo de colaboração Criar um plano de negócios conjuntos Identificar exceção de previsão de vendas Criar previsão de vendas Resolver /colaborar na exceção de previsão de vendas 1 2 3 4 5 Criar previsão de vendas Criar previsão de pedidos 6 7 8 9 Central Entrega Pedido Proposta Atributos de campanha/sazonais Ponto de vendas (POS) Itens de exceção 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 29 Figura 4.10 VICS-ECR modelo de nove passos de CPFR Proposta Atributos de campanha/sazonais Itens de exceção Fornecedor Ponto de vendas (POS) Planejamento Previsão Reabastecimento
  30. 30. Otimizar a produção Reduzir a capacidade de armazenamento Estoque Desperdício Horas extras Custo de transporte Melhor disponibilidade Reduzir capital investido Diminuir os custos 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 30 4 - Combinando oferta e demanda | 115 Figura 4.11 • Redução de situações de falta de estoque • Avaliação de melhorias da satisfação do cosumidor Aumentar a receita Melhorias da satisfação do consumidor Benefícios • Maior utilização da capacidade de produção • Maior visibilidade da cadeia de suprimentos permite redução de estoque e da capacidade de armazenamento • Redução de 20 a 25% no custo de transporte de estoque • Precisãomelhorada da previsão • Redução de 50% em horas extras não planejadas • Ate 500% de ROI em promoções • Redução de estoque excessivo e obsoleto • Redução do lead time
  31. 31. Através do ponto de apoio da cadeia de suprimentos nós percebemos que o propósito da cadeia de suprimentos é de equilibrar oferta e demanda. Se o ponto de comprometimento for prolongado o máximo possível estaremos mais próximos da produção sob encomenda. Se pudermos ter uma visão mais clara de demanda real no mercado final, em vez do quadro destorcido que se costuma a ter, e se pudermos responder mais rápido, então é possível conseguir a igualdade mais efetiva entre oferta e demanda. 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 31 CONCLUSÃO
  32. 32. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 23/09/2014 SOBRINHO, Samuel R. Lopes ssobrinhoo@gmail.com 32 CRISTOPHER, Martin Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos / Martin Christopher; tradução Ez2 translate; revisão técnica James Richard Hunter. – São Paulo : Cengage Learneing, 2013.

×