Estrutura Familiar e Violência Domestica

543 visualizações

Publicada em

resumo sobre a familia e violencia domestica

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
543
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estrutura Familiar e Violência Domestica

  1. 1. ESTRUTURA FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Carlos Oliveira / Jaime Mota / Samira Ramos
  2. 2. Definição de Família Designa-se por família o conjunto de pessoas que possuem grau de parentesco entre si . Uma família tradicional é formada pelo pai e mãe, unidos por matrimônio ou, e por um ou mais filhos, compondo uma família elementar.
  3. 3. Função familiar A família representa um grupo social primário que influencia e é influenciado por outras pessoas e instituições. É um grupo de pessoas, ligados por descendência (demonstrada ou estipulada) a partir de um ancestral comum, matrimónio ou adoção. Nesse sentido o termo confunde-se com clã. Dentro de uma família existe geralmente algum grau de parentesco. Membros de uma família costumam compartilhar do mesmo sobrenome, herdado dos ascendentes diretos (ou não). A família é unida por múltiplos laços capazes de manter os membros moralmente, materialmente e reciprocamente durante uma vida gerações.
  4. 4. Funções da família  Função de Reprodução: Asseguram a perpetuação biológica da linhagem;  Função de educação: Perpetuação da cultura através dos filhos;  Função económica: Satisfação das necessidades vitais;  Função jurídica: Na medida em que cada pessoa é proprietário de objetos dotada de direitos e deveres, portanto responsável.  Função religiosa: Une os seus membros através de uma rede de direitos e proibições sexuais, assim como pelos sentimentos do amor, respeito e temor.
  5. 5. Papel Familiar A família em si é uma constituição imposta moralmente de acordo com cada cultuta. Não sendo de origem natural, essa necessidade de constituir uma família é completamente inserida na pessoa ao longo da vida. Esta particularidade depende de vários aspectos e influencias como:  história familiar  história inter-geracional  valores culturais  sociedade na qual vivem  situação e relações presentes dessa família A família em si tem características definida naturalmente pela generalidade. Porem cada família, de acordo com o próprio modo de vida, personaliza o conceito da família. Estes papéis podem ser mais ou menos rígidos ou podem variar; certamente podemos dizer que quanto maior a rigidez nestes papéis pior será o prognóstico futuro para essa família em relação a saúde dos seus membros ou ao equilíbrio dos próprios.
  6. 6. Família Moderna  Família monoparental: composta por apenas um dos progenitores: pai ou mãe. Os motivos que possibilitam essa estrutura são diversos. Englobam causas circunstanciais (morte, abandono ou divórcio) ou ainda, a decisão (na maior parte dos casos, uma decisão da mulher) de ter um filho de forma independente.  Família comunitária: nesta estrutura, todos os membros adultos que constituem o agregado familiar são responsáveis pela educação da criança.  Família arco-íris: é constituída por um casal homossexual (ou pessoa sozinha homossexual) que tenha uma ou mais crianças ao seu cargo.  Família contemporânea: é caracterizada pela inversão dos papéis do homem e da mulher na estrutura familiar passando a ser a mulher a chefe de família. Abrange a família monoparental, constituída por mãe solteira ou divorciada.
  7. 7. Outros Modelos  Família Real: constituída pelo soberano (um rei ou uma rainha) e todos os seus descendentes. Os membros de uma família real são figuras importantes e gozam de determinados privilégios na nação que representa.  Sagrada Família: constituída pela tríade cristã representada na Bíblia Sagrada por Jesus, Maria e José.
  8. 8. Problemas Inter-geracionais Problemas inter-geracionais são conflitos que surgem entre elementos externos do núcleo familiar, ou seja, avós, tios, primos, etc… Esses conflitos surgem por vários motivos, como:  Falta de tempo: devido ao dia-a-dia moderno, as famílias não encontram tempo juntos, o que dificulta estar a parte do que esta acontecendo com o outro.  falta de comunicação: imposta por duras regras de disciplina, etiqueta e “boa educação”.  Falta de confiança: algumas famílias não sentem se a vontade com a própria família e mantêm problemas que deviam ser resolvidos em conjunto.  Dificuldades Econômicas: quando os pais não tem ou não querem dar aos filhos o dinheiro que eles querem ou quando exige que um filho a certa idade trabalhe e contribua com as despesas da casa.
  9. 9. Violência Domestica
  10. 10. Violência Doméstica A violência ou agressão física intencional, é um ato, infelizmente, comum nos dias de hoje, muitas vezes encontrada no meio familiar. A violência domestica é o termo usado para esses casos. Sendo a vitima normalmente as mulheres, a violência pode partir de varias pessoas como dos pais para os filhos como dos jovens para os idosos ou da mulher para o homem.
  11. 11. Tipos de violência  Agressões psicológicas: com palavras ou ameaças que afetam consideravelmente a auto- estima, a integridade, a segurança, entre outros.  Agressões físicas: ferir a outra pessoa com as mãos ou com o auxilio de objetos.  Agressões sexuais: obrigar o cônjuge ou algum membro do meio familiar a ter relações sexuais contra o consentimento causando danos físicos e principalmente psicológicos  Perseguições: quando o agressor impede a vitima de sair, comprar, socializar, entre outros…
  12. 12. Causas A violência passa a ser assim nominada quando passa a ser prejudicial a pessoa envolvida. Apesar de ser uma situação desagradável existe em mais lugares do que a maior parte das pessoas podem imaginar. O motivo do sigilo quanto a isso costuma ser:  Medo do agressor agredir ainda mais a vitima caso ela conte a alguém.  Medo de não conseguir viver sem o agressor por razoes financeiras.  Medo de perder o contato com os filhos (em casos onde a vitima é a mãe ou o pai).  Amor pelo agressor (em casos onde o agressor é o namorado/a, marido/mulher, pai/mãe, etc).
  13. 13. Soluções Outro motivo para ainda haver violência domestica pelo mundo é a falta de informação. Quando a vitima não conhece opções seguras para recorrer a violência se alarga muito mais. Algumas soluções para quem sofre disso pode ser:  Linhas de apoio: APAV Porto: tel. 22 834 68 40  Instituições de ajuda:  APAV - Serviços centrais de Sede: Rua José Estêvão, 135 A, Pisos 1/2, Lisboa  Serviços de Sede no Porto: Rua Aurélio Paz dos Reis, 351, Porto  Grupos de apoio online: http://victimsupporteurope.eu/

×