SALOMÃO
ÁPICES FOLIARES EM UMA DIVERSIDADE ALFA DE FLORESTA
TROPICAL
CRUZEIRO DO SUL
2014
ÁPICES FOLIARES EM UMA DIVERSIDADE ALFA DE FLORESTA TROPICAL
RESUMO
A Amazônia é a região de maior biodiversidade do plane...
OBJETIVO
O objetivo principal é classificar ápices foliares para gerar estatísticas que levem a
conclusões específicas sob...
de plantas.” (Wikipédia, Morfologia Vegetal. Em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Morfologia_vegetal>.
Acesso em: 09 julho 20...
Agudo: a região apical termina em ângulo agudo de maneira abrupta.
Fonte:<http://uniiquim.iquimica.unam.mx/GlosarioB/Glosa...
Aristado: no ápice existe uma ponta longa e delgada.
Arredondado: o ápice forma um arco suave
Fonte: :< http://www.infobib...
Cirroso: no ápice forma-se um cirrão (gavinha).
Fonte:< http://www.botgard.ucla.edu/html/botanytextbooks/generalbotany/typ...
Este ápice apresenta ângulo obtuso e também uma característica dos ápices mucronados em que a nervura
principal “ultrapass...
Truncado: ápice do limbo parecendo ter sido cortado transversalmente.
Fonte: SAUERESSIG Daniel. SIDOL; Sistema de Identifi...
tratando-se apenas de classificações, e tais classificações já eram conhecidas muito antes
destes artigos. Nenhuma pesquis...
há citações dos autores foram inseridas e aceitas por serem comprovadas, e de conhecimento
de qualquer pessoa que estudou ...
transformados em dados, gerando um relatório percentual da ocorrência de cada um dos tipos.
Que, por fim, geraram as concl...
Gráfico
CONCLUSÕES
Assim concluímos que em uma área de 4m² da floresta do campus da Universidade Federal do
Acre, em Cruze...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Disponível em:<http://pt.wiktionary.org/wiki/morfologia >acessoem 7 de julhode 2014.
Disponível...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Àpices foliares em uma diversidade alfa de uma floresta tropical

507 visualizações

Publicada em

Projeto de pesquisa que sobre ápices foliares.

Publicada em: Ciências
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Àpices foliares em uma diversidade alfa de uma floresta tropical

  1. 1. SALOMÃO ÁPICES FOLIARES EM UMA DIVERSIDADE ALFA DE FLORESTA TROPICAL CRUZEIRO DO SUL 2014
  2. 2. ÁPICES FOLIARES EM UMA DIVERSIDADE ALFA DE FLORESTA TROPICAL RESUMO A Amazônia é a região de maior biodiversidade do planeta, constituída por imensas florestas tropicais abundantemente ricas em espécies animais e vegetais, tanto em termos de diversidade gama (espécies habitando uma região como um todo), quanto em diversidade alfa (espécies coexistindo em um mesmo ponto). Mas apenas uma parte desta tão vasta biodiversidade é conhecida. Muitos pesquisadores têm estudado as plantas desta região e suas propriedades medicinais e químicas, mas, com um objetivo modesto foram coletados nesta pesquisa dados de ápices foliares e através deles, foram geradas estatísticas sobre as suas variações, classificações (através da morfologia externa) e estatística de predominância em um mesmo ponto (sendo assim, uma pesquisa sobre diversidade alfa de ápices foliares), buscando entender os tipos que são encontrados em certa área de uma floresta tropical e levantar dados percentuais sobre eles. Palavras chave: Ápice foliar, Diversidade Alfa, Folha, Morfologia INTRODUÇÃO A seguinte pesquisa busca uma melhor compreensão sobre ápices foliares decorrentes e predominantes em uma área relativamente pequena de uma floresta tropical úmida e de enorme taxa de biodiversidade. Assim, concluímos que mesmo em uma pequena área, existem várias espécies diferentes de plantas, e, consequentemente, diferentes tipos de folhas. Buscamos então, entender a variação de ápices em tais espécies de plantas ao mesmo tempo em que formulamos hipóteses sobre o motivo de certos tipos deles são mais frequentes do que outros. A relevância social desta pesquisa é concluir através do ápice, quais as espécies de plantas que mais ocorrem em uma floresta tropical em termos de diversidade alfa, já que, além de fazer fotossíntese (que é realizada por todas as partes da folha) ele também é importante para identificar as espécies de plantas, pois é um dos quesitos que diferencia uma espécie de outra.
  3. 3. OBJETIVO O objetivo principal é classificar ápices foliares para gerar estatísticas que levem a conclusões específicas sobre a ocorrência deles em determinada área de uma floresta tropical. JUSTIFICATIVA Pesquisa realizada para obtenção de nota na disciplina de Biologia de Campo, ao mesmo tempo em que busca compreender a diversidade alfa de ápices em uma pequena parte da Floresta Amazônica Ocidental. HIPÓTESES Pelo fato dos ápices contribuírem para a classificação das folhas, supõe-se: “em certa região em que um certo tipo de ápice foliar predomina, as espécies de plantas que possuem esse tipo de ápice em suas folhas tendem a serem encontradas mais frequentemente neste lugar em que tal predomina do que as outras plantas que possuem um tipo de ápice que menos ocorre nesta área”. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Mesmo sendo uma área pouco explorada, algumas pesquisas sobre tipos de ápices foram feitas recentemente dentre as quais vale ressaltar SAUERESSIG Daniel. SIDOL; Sistema de Identificação Dendrológica Online – Floresta Ombrófila Mista [On-line]. Disponível em: <http://florestaombrofilamista.com.br/sidol/?menu=glossary>. A pesquisa salienta a definição de ápice foliar “O ápice é extremidade, normalmente oposta à inserção do pecíolo, das folhas, folíolos ou foliólulos.” (SAUERESSIG Daniel, SIDOL; Sistema de Identificação Dendrológica Online – Floresta Ombrófila Mista. Em: <http://florestaombrofilamista.com.br/sidol/?menu=glossary>. Acesso em: 09 julho 2014) e apresenta as classificações já conhecidas por nós através da morfologia externa, tais classificações são de uma forma geral a base desta fundamentação teórica, e uma das partes de mais importância para esta pesquisa. “A morfologia vegetal, uma das bases da botânica, tem por objetivo estudar e documentar formas e estruturas das plantas. Utilizada, dentre outras coisas, no auxílio à classificação
  4. 4. de plantas.” (Wikipédia, Morfologia Vegetal. Em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Morfologia_vegetal>. Acesso em: 09 julho 2014) Através dela, classificamos as plantas, suas estruturas e regiões. Dentre as regiões da folha, encontra-se o ápice e, é classificado da seguinte maneira: Apiculado: Apiculado: terminando em ponta pequena, aguda e pouco consistente. Independente da forma geral do limbo. Acuminado: o limbo estreita-se gradualmente para o ápice, terminando em ponta excessivamente aguda.
  5. 5. Agudo: a região apical termina em ângulo agudo de maneira abrupta. Fonte:<http://uniiquim.iquimica.unam.mx/GlosarioB/GlosarioB.html > acesso em 10de julho de 2014
  6. 6. Aristado: no ápice existe uma ponta longa e delgada. Arredondado: o ápice forma um arco suave Fonte: :< http://www.infobibos.com/Artigos/2011_1/couve/index.htm> acessoem 10 de julhode 2014.
  7. 7. Cirroso: no ápice forma-se um cirrão (gavinha). Fonte:< http://www.botgard.ucla.edu/html/botanytextbooks/generalbotany/typesofs hoots/tendril/b0470tx.html> acesso em 10 de julho de 2014 Emarginado: ápice do limbo termina com uma reentrância pouco profunda, aguda com bordos arredondados. Fonte:< http://indiabiodiversity.org/species/show/8100> acesso em 10 de julho de 2014. Obtuso: os bordos da lâmina formam no ápice um ângulo obtuso.
  8. 8. Este ápice apresenta ângulo obtuso e também uma característica dos ápices mucronados em que a nervura principal “ultrapassa” o limbo Retuso: ápice truncado e ligeiramente emarginado, ou seja, com uma ligeira reentrância central. (aproximando a imagem, pode-se perceber melhor tal reentrância)
  9. 9. Truncado: ápice do limbo parecendo ter sido cortado transversalmente. Fonte: SAUERESSIG Daniel. SIDOL; Sistema de Identificação Dendrológica Online – Floresta Ombrófila Mista [On-line]. Disponível em:< http://florestaombrofilamista.com.br/sidol/glossary/truncado.jpg> Estas classificações são a base da fundamentação teórica desta pesquisa por ser usada para classificar os ápices e gerar dados percentuais deles e das plantas presentes na floresta do campus da UFAC. DEFINIÇÃO DO PROBLEMA Supor através de estatística e classificações de ápices foliares, as espécies de plantas eventuais da floresta do campus da Universidade Federal do Acre, em Cruzeiro do Sul. PLANEJAMENTO DA PESQUISA Além de simplesmente classificar os ápices, a pesquisa buscará também através disto predizer que espécies de folhas que possuem ápices do tipo mais proeminentes na área tendem a ser mais frequentes nela. Tendo como objetivo principal a classificação, a pesquisa usará constantemente termos morfológicos para descrever as características de ápices foliares. Sendo assim foi necessário fazer uma revisão de literatura de ápices foliares, a qual é muito escassa em si;
  10. 10. tratando-se apenas de classificações, e tais classificações já eram conhecidas muito antes destes artigos. Nenhuma pesquisa sobre o tema específico (tipos de ápices predominantes em certa região) foi encontrada. Mas as classificações são sem dúvidas muito úteis por serem um dos poucos referenciais teóricos e o mais fundamental deles. Os materiais serão previamente preparados, assim como as vestimentas necessárias (bota, calça, blusa com mangas longas, e chapéu). A área será demarcada com cipós que serão usados como objetos naturais para se ter um limite na área e evitar coletar folhas de plantas de áreas vizinhas, controlando a pesquisa. As plantas coletadas serão classificadas, fotografadas, descritas e inseridas no projeto. Diante dos dados obtidos serão apresentadas as conclusões, na qual uma delas foi prevista na hipótese, mas com uma lacuna a ser resolvida, e isso cabe ao projeto como um todo, sendo a resposta apresentada na conclusão. MATERIAL Câmara fotográfica – Registrar os tipos de ápices usados para a estatística e compará-los através de fotos. Caderno, caneta ou lápis – fazer as devidas anotações, contribuindo assim para a elaboração do relatório e detalhes importantes. Cipós- para demarcar a área de 4m². Saco Plástico- para transportar as folhas coletadas. Fita métrica- medir a área escolhida. METODOLOGIA A área de estudo compreendeu uma área de 4m² na floresta do campus da Universidade Federal do Acre, Cruzeiro do Sul. Sendo assim, uma área de floresta tropical de clima equatorial úmido. Este clima é natural da área sendo que localiza-se próximo a Linha do Equador - entre ela e o Trópico de Câncer. A pesquisa bibliográfica foi baseada principalmente em classificações de ápices foliares, através de apostilas de morfologia foliar recentemente publicadas. As partes em que
  11. 11. há citações dos autores foram inseridas e aceitas por serem comprovadas, e de conhecimento de qualquer pessoa que estudou a área da botânica. As estatísticas foram desenvolvidas a partir da análise de material coletado, gerando a classificação e percentual deles bem como através da comparação entre os próprios, dividindo o total de um certo tipo de ápice pelo total de ápices recolhidos e multiplicando por 100. Tendo a fórmula: p= Na/TA.100 Em que: p= porcentagem; Na= Número de ápices; TA= Total Absoluto (o total de cada tipo de ápice foliar ). Encontrando assim, o percentual de cada um deles em relação ao total. A classificação de cada um os ápices é apresentada em ordem alfabética, junto com as suas descrições de suas características e fotos. As descrições foram feitas a partir de todo o material analisado, mesmo que, em alguns casos algumas fontes sobre a classificação dos ápices se contradiziam foi escolhida a mais relevante, ou seja uma em que o padrão da mesma condiz com os de outras mais do que é contradito. Todo o gráfico foi elaborado conforme os dados de cada um dos ápices segundo a sua predominância que depende das plantas que ocorrem na área pesquisada. Gerando conclusões que condizem com os percentuais. REURSOS Os recursos utilizados na pesquisa foram puramente humanos; não foram necessários recursos financeiros. EXECUÇÃO DA PESQUISA A pesquisa foi executada na floresta do campus universitário da UFAC, no dia 20 de junho de 2014 das 08:00 as 11:00h. Inicialmente foi demarcada uma área de 4m² (quatro metros quadrados) e dela foram coletadas folhas aleatórias de 30 plantas diferentes. Após a coleta os ápices foram classificados morfologicamente alguns dias depois, e, esta classificação
  12. 12. transformados em dados, gerando um relatório percentual da ocorrência de cada um dos tipos. Que, por fim, geraram as conclusões. DADOS E ANÁLISE Ápices foliares encontrados Frequência Absoluta Acuminado 12 Apiculado 8 Aristado 6 Obtuso 1 Retuso 2 Total 30 RESULTADO – DADOS E PERCENTUAL Ápices foliares encontrados Frequência Absoluta Frequência Relativa (%) Acuminado 12 40% Apiculado 8 30% Aristado 6 20% Obtuso 1 3% Retuso 2 7% Total 30 100%
  13. 13. Gráfico CONCLUSÕES Assim concluímos que em uma área de 4m² da floresta do campus da Universidade Federal do Acre, em Cruzeiro do Sul; predominam ápices do tipo acuminados, correspondendo a 40% do total enquanto outros tipos encontrados: apiculado 30%; Aristado 20%; Obtuso 3% e Retuso 7%. Com bases nestes dados e estatísticas considera-se que plantas que possuem ápices foliares acuminados, tendem, em termos de diversidade alfa, a serem mais frequentemente encontradas na área pesquisada, e nas áreas próximas. Assim, as plantas que possuem ápices foliares do tipo Obtuso e retuso são mais raras na área pesquisada. 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% Acuminado Apiculado Aristado Retuso Obtuso Acuminado Apiculado Aristado Retuso Obtuso
  14. 14. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Disponível em:<http://pt.wiktionary.org/wiki/morfologia >acessoem 7 de julhode 2014. Disponível em:<http://www.ebah.com.br/content/ABAAABP9MAF/morfologia-vegetal- folhas?part=2> acessoem 7 de julhode 2014. Disponível em:< http://pesquisaemeducacaoufrgs.pbworks.com/w/file/fetch/64878127/Willian%2520Costa%2520Ro drigues_metodologia_cientifica.pdf >acessoem9 de julhode 2014. Disponível em:<http://monografias.brasilescola.com/regras-abnt/estrutura-elementos-um-projeto- pesquisa-ii-elementos-.htm>acessoem9 de julhode 2014. Disponível em:< http://www.cesumar.br/pesquisa/periodicos/index.php/rama/article/download/2047/1939 > acesso em9 de julhode 2014. Disponível em: < http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=187117008003 > acessoem9 de julhode 2014 Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Meristema>acessoem9 de julhode 2014. Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Morfologia_vegetal >acessoem9 de julhode 2014. Disponível em:<http://uniiquim.iquimica.unam.mx/GlosarioB/GlosarioB.html>acessoem10 de julhode 2014. Disponível em:< http://www.infobibos.com/Artigos/2011_1/couve/index.htm> acesso em 10 de julhode 2014.

×