Processos físicos de separação

2.652 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.652
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processos físicos de separação

  1. 1. Escola Secundária Francisco de Holanda Isabel Duarte 1
  2. 2. Uma mistura é constituída por dois ou mais componentes MISTURA Heterogénea Ex: Uma mistura heterogénea é uma mistura que apresenta aspecto diferente ao longo da sua extensão (“hetero” = “diferente”) sendo possível distinguir alguns ou até mesmo todos os componentes de uma mistura à vista desarmada. Os componentes encontram-se em pelo menos duas fases. Homogénea Ex: Mel; café, água salgada Uma mistura homogénea é aquela que apresenta o mesmo aspecto (“homo” = “igual”) não sendo possível efectuar a distinção dos seus componentes existindo uma única fase. Isabel Duarte ESFH Coloidal Ex: Tintas; Sangue, leite Esta mistura é por vezes confundida com as misturas homogéneas, no entanto a sua observação detalhada ao microscópio permite visualizar vários componentes. 2
  3. 3. Isabel Duarte ESFH 3
  4. 4. SEPARAÇÃO MAGNÉTICA (MAGNETIZAÇÃO) Em que se baseia este processo de separação? Permite separar materiais quando um deles tem propriedades magnéticas Mistura de areia e limalha de ferro PENEIRAÇÃO Permite separar sólidos de dimensões diferentes Em que se baseia este processo de separação? Isabel Duarte ESFH Mistura de areia grossa e areia fina 4
  5. 5. SUBLIMAÇÃO Em que se baseia este processo de separação? Técnica utilizada quando um dos componentes sublima facilmente (Ex: iodo, naftalina) DISSOLUÇÃO FRACCIONADA Processo que permite separar duas ou mais substâncias sólidas, recorrendo a um líquido que dissolva apenas uma delas. Em que se baseia este processo de separação? Isabel Duarte ESFH 5
  6. 6. Em que se baseia este processo de separação? DECANTAÇÃO Permite separar um líquido de um sólido depositado no fundo do recipiente. Isabel Duarte ESFH 6
  7. 7. DECANTAÇÃO Isabel Duarte ESFH 7
  8. 8. DECANTAÇÃO EM FUNIL (AMPOLA DE DECANTAÇÃO) Permite separar dois líquidos imiscíveis de densidades diferentes. Em que se baseia este processo de separação? Isabel Duarte ESFH 8
  9. 9. FILTRAÇÃO POR GRAVIDADE Permite separar partículas sólidas em suspensão num líquido. Em que se baseia este processo de separação? Isabel Duarte ESFH 9
  10. 10. FILTRAÇÃO A PRESSÃO REDUZIDA ou FILTRAÇÃO POR SUCÇÃO ou FILTRAÇÃO A VÁCUO Utiliza-se para separar partículas sólidas em suspensão num líquido. Um sistema de vácuo “suga” a mistura, obrigando o componente líquido a passar através do filtro. As partículas sólidas ficam retidas no papel de filtro. Isabel Duarte ESFH 10
  11. 11. FILTRAÇÃO A PRESSÃO REDUZIDA ou FILTRAÇÃO POR SUCÇÃO ou FILTRAÇÃO A VÁCUO Quando se utiliza? Utiliza-se sempre que se pretende uma maior rapidez no trabalho ou quando a quantidade de partículas sólidas na mistura é grande e, também, quando na mistura a filtrar as partículas sólidas são de dimensão muito pequena. Isabel Duarte ESFH 11
  12. 12. CENTRIFUGAÇÃO Processo que permite separar de forma rápida as partículas, de pequeníssimas dimensões, que se encontram em suspensão num líquido. Utiliza-se uma centrifugadora. Este processo pode também ser utilizado para separar componentes de misturas coloidais. Isabel Duarte ESFH 12
  13. 13. Isabel Duarte ESFH 13
  14. 14. CRISTALIZAÇÃO Em que se baseia este processo de separação? Permite separar um sólido dissolvido num líquido de modo a obter cristais. Esta técnica consiste em deixar evaporar lentamente o solvente à temperatura ambiente, obtendo-se os cristais do sólido que se pretende recuperar. É uma técnica habitualmente utilizada nas salinas para obtenção do sal a partir da água do mar. Isabel Duarte ESFH 14
  15. 15. CROMATOGRAFIA Técnica utilizada para separar substâncias coloridas que têm a propriedade de serem transportadas a velocidades diferentes pelo mesmo solvente Isabel Duarte ESFH 15
  16. 16. DESTILAÇÃO SIMPLES Em que se baseia este processo de separação? É um processo de separação utilizado para: Separar sólidos dissolvidos em líquidos Separar dois ou mais líquidos miscíveis com pontos de ebulição muito diferentes (com pelo menos 25 ºC de diferença). Isabel Duarte ESFH 16
  17. 17. DESTILAÇÃO SIMPLES Legenda: 1– 2– 3– 4– 5– 6– 7– 8– Isabel Duarte ESFH 17
  18. 18. DESTILAÇÃO SIMPLES Isabel Duarte ESFH 18
  19. 19. DESTILAÇÃO FRACCIONADA Permite separar misturas homogéneas constituídas por líquidos com pontos de ebulição muito próximos. Em que se baseia este processo de separação? Isabel Duarte ESFH 19
  20. 20. DESTILAÇÃO FRACCIONADA O refluxo melhora a eficiência de uma destilação através da coluna de fracionamento. Os vários obstáculos existentes na coluna de fracionamento forçam o contato entre o vapor quente ascendente e o líquido condensado descendente. Isso promove várias etapas de ebulição e condensação da matéria. Isabel Duarte ESFH 20
  21. 21. Cuidados a ter antes de iniciar a destilação Antes de iniciar qualquer destilação, seja ela simples ou fraccionada, é necessário tomar algumas precauções tais como:  Verificar o ajuste de todos os esmerilados das ligações.  Verificar o sentido de circulação da água no condensador.  Adicionar reguladores de ebulição, podendo ser pedaços de porcelana ou esferas de vidro, de modo a evitar uma ebulição tumultuosa ou o sobreaquecimento da mistura.  Confirmar a quantidade de liquido que se colocou no balão, não devendo ultrapassar metade da capacidade do balão evitando-se assim a projecção de líquido.  A velocidade do aquecimento deverá ser lenta, uma vez que só se consegue um bom equilíbrio entre o líquido e o vapor quando existe um contacto prolongado entre as duas fases. Isabel Duarte ESFH 21
  22. 22. Isabel Duarte ESFH 22
  23. 23. Aplicações práticas Processos físicos de separação SEPARAÇÃO MAGNÉTICA Separação dos materiais ferrosos do lixo Isabel Duarte ESFH 23
  24. 24. Aplicações práticas Processos físicos de separação PENEIRAÇÃO Padeiro a peneirar a farinha Isabel Duarte ESFH 24
  25. 25. Aplicações práticas Processos físicos de separação FILTRAÇÃO Filtração da água de consumo público através de filtros de areia Isabel Duarte ESFH 25
  26. 26. Aplicações práticas Processos físicos de separação CENTRIFUGAÇÃO Análises do sangue Separação dos componentes da medula óssea Isabel Duarte ESFH Na indústria lacticínia, para separar a gordura do leite 26
  27. 27. Aplicações práticas Processos físicos de separação CRISTALIZAÇÃO Extracção do sal da água do mar nas salinas Isabel Duarte ESFH 27
  28. 28. Aplicações práticas Processos físicos de separação DESTILAÇÃO Destilação simples do vinho Alguns aromas dos perfumes naturais são obtidos por destilação Isabel Duarte ESFH 28
  29. 29. Aplicações práticas Processos físicos de separação Para separar os principais componentes do petróleo, usa-se o processo de DESTILAÇÃO FRACCIONADA. Refinaria onde é realizada a separação dos componentes do petróleo. Isabel Duarte ESFH 29
  30. 30. Aplicações práticas Processos físicos de separação Destilação fraccionada do petróleo Isabel Duarte ESFH 30
  31. 31. Onde são utilizados alguns dos componentes do petróleo? 31
  32. 32. Lista de alguns dos materiais que podemos obter do petróleo bruto • Gases: metano, etano, propano e butano – – • nafta: combustível na industria petroquímica – • faixa de ebulição: de 300 a 370°C petróleo pesado ou óleo combustível: usado como combustível industrial, também serve como intermediário na fabricação de outros produtos – • faixa de ebulição: de 250 a 350°C óleo lubrificante: usado para óleo de motor, graxa e outros lubrificantes – • faixa de ebulição: de 175 a 325°C gasóleo: usado como combustível de motores diesel – • faixa de ebulição: de 40 a 205°C querosene: combustível para motores de jactos e tractores – • faixa de ebulição: de 60 a 100°C gasolina: combustível de motores – • faixa de ebulição: menos de 40°C são liquefeitos sob pressão para criar o GLP (gás liquefeito de petróleo) faixa de ebulição: de 370 a 600°C resíduos: coque, asfalto, alcatrão, breu, ceras, etc. – faixa de ebulição: mais de 600°C Isabel Duarte ESFH 32
  33. 33. Onde se utilizam os materiais obtidos do petróleo? • Aproximadamente 90% dos materiais obtidos a partir da refinação do petróleo são queimados para obter energia para: – meios de transporte – aquecimento industrial e doméstico – produção de electricidade e iluminação. • Os outros 10% são usados como matéria-prima para produção de plásticos, borrachas sintéticas, fibras, fertilizante, etc. Isabel Duarte ESFH 33

×