SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
ANÁLISE FORMAL DA CASA GERASSI
O BRUTALISMO, PRATICADO EM SÃO PAULO A PARTIR DA
SEGUNDA METADE DOS ANOS 50, INSERIDO NA DIVERSIDADE E NO
SINCRETISMO DO MOVIMENTO MODERNO, COMPARTILHOU ESTA
POSTURA. A VERIFICAÇÃO DE SUA PRODUÇÃO SUGERE, NO ENTANTO,
UMA ARQUITETURA QUE USOU A RAZÃO ABSTRATA, A GEOMETRIA E
UM CONJUNTO DE PRINCÍPIOS COMPOSITIVOS PARA CRIAR E
DESENVOLVER SUAS FORMAS.
A CASA GERASSI, DE PAULO MENDES DA ROCHA, FOI PALCO PARA
A EXPOSIÇÃO DOS CONCEITOS DE COMPOSIÇÃO, SIMETRIA/ASSIMETRIA,
RITMO, ORDEM, MODULAÇÃO E PROPORÇÃO, DEFENDIDOS E ENSINADOS
PELA ÉCOLE DES BEAUX-ARTS CONSERVADOS NO PENSAMENTO
ARQUITETÔNICO MODERNO BRASILEIRO.
A RESIDÊNCIA É FORMADA, BASICAMENTE, POR UMA ESTRUTURA
UNIVOLUMÉTRICA PRISMÁTICA (COMPOSIÇÃO CÚBICA) ELEVADA SOBRE
6 PILOTIS REGULARMENTE ESPAÇADOS (RITMO) QUE GUIAM O
POSICIONAMENTO DAS PAREDES, DESVINCULANDO O ELEMENTO
PRINCIPAL DE COMPOSIÇÃO DAS DIVISAS E DO SOLO.
É BASTANTE CLARA A HIERARQUIA DO ELEMENTO DE COMPOSIÇÃO
PRINCIPAL (PRISMA/MORADA) EM RELAÇÃO AOS SECUNDÁRIOS
(LAZER), JUSTAMENTE PELO SEU TAMANHO E R FORMATO ÚNICO.
O PRISMA LINEAR ELEVADO SOBRE PILOTIS, O USO DOS RECUOS,
E AS RELAÇÕES INTERIOR-EXTERIOR OU CONTINUIDADE-BLOQUEIO, SÃO
AS QUESTÕES FORMAIS PRESENTES NA CRIAÇÃO DA EDIFICAÇÃO COMO
UM OBJETO QUE SE IMPÕE AO LOTE.
A PRÓPRIA FORMA GEOMÉTRICA ESTÁTICA (PRISMA LINEAR),
DESTITUÍDA DE MOVIMENTO COM SEU PERFIL ANGULAR, EXTERNAMENTE
NOS TRANSMITE A SEGURANÇA E A ESTABILIDADE. AO MESMO TEMPO, A
LIBERDADE ESCANCARADA NO IMENSO ESPAÇO VAZIO DEIXADO PELO
PLANO SUPERIOR, ONDE NOS É GARANTIDA A CONTINUIDADE TANTO
VISUAL QUANTO ESPACIAL.
EM CONTRAPONTO A ESTA SOLIDEZ TEM-SE A CAIXA D’ÁGUA
INSTAVELMENTE INSTALADA SOBRE UM DOS PILOTIS DE CONCRETO,
AOS FUNDOS E BEM ACIMA DO TELHADO.
ANALISANDO A COMPOSIÇÃO ARQUITETÔNICA, EM SUA
TOTALIDADE, PODEMOS NOTAR QUE, JUSTAMENTE, ESTA CAIXA D’AGUA
PROVOCOU SUA ASSIMETRIA NA COMPOSIÇÃO.
HÁ EQUILÍBRIO ENTRE AS PROPORÇÕES DOS PLANOS INFERIOR E
SUPERIOR E ENTRE O CIMENTO APARENTE E A CORTINA DE VIDRO DA
ELEVAÇÃO FRONTAL. A PROPORÇÃO ENTRE OS ELEMENTOS
COMPOSITIVOS CONFERE-LHE UMA ESTÉTICA BRUTA E FRÁGIL,
CONCOMITANTEMENTE.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento históricoA alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento históricoFelipe Lima da Costa
 
Apresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoApresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoSteves Rocha
 
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civilModelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civilHebert Mayco
 
Dimensões para projetos hoteleiros
Dimensões para projetos hoteleirosDimensões para projetos hoteleiros
Dimensões para projetos hoteleirosCarlos Elson Cunha
 
Escoramneto por tipo de madeira
Escoramneto por tipo de madeiraEscoramneto por tipo de madeira
Escoramneto por tipo de madeiraIvandra Castelo
 
Tabelas concretos e_argamassas
Tabelas concretos e_argamassasTabelas concretos e_argamassas
Tabelas concretos e_argamassasDiego Alves
 
Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...
Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...
Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...Myrthes Marcele F. Santos
 
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-ConstruirPlantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construirdanilosaccomori
 
Abacos pilares venturini -parte 1
Abacos pilares   venturini -parte 1Abacos pilares   venturini -parte 1
Abacos pilares venturini -parte 1Ray Aguiar
 
Manual pré moldados
Manual   pré moldadosManual   pré moldados
Manual pré moldadosHagnon Amorim
 

Mais procurados (20)

Vila Buarque, São Paulo
Vila Buarque, São PauloVila Buarque, São Paulo
Vila Buarque, São Paulo
 
Nbr 7199
Nbr   7199 Nbr   7199
Nbr 7199
 
Alvenaria
AlvenariaAlvenaria
Alvenaria
 
Patologias
PatologiasPatologias
Patologias
 
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento históricoA alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
 
Apresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoApresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnostico
 
Forros
Forros Forros
Forros
 
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civilModelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
 
Dimensões para projetos hoteleiros
Dimensões para projetos hoteleirosDimensões para projetos hoteleiros
Dimensões para projetos hoteleiros
 
Carta de atenas
Carta de atenasCarta de atenas
Carta de atenas
 
Escoramneto por tipo de madeira
Escoramneto por tipo de madeiraEscoramneto por tipo de madeira
Escoramneto por tipo de madeira
 
Cartas patrimoniais veneza
Cartas patrimoniais venezaCartas patrimoniais veneza
Cartas patrimoniais veneza
 
Tabelas concretos e_argamassas
Tabelas concretos e_argamassasTabelas concretos e_argamassas
Tabelas concretos e_argamassas
 
trabalhos escolares
trabalhos escolarestrabalhos escolares
trabalhos escolares
 
Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...
Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...
Slides Arquitetura Bioclimatica - Curso Conservação de Energia UERJ / SEBRAE/...
 
Parecer tecnico
Parecer tecnicoParecer tecnico
Parecer tecnico
 
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-ConstruirPlantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
 
Abacos pilares venturini -parte 1
Abacos pilares   venturini -parte 1Abacos pilares   venturini -parte 1
Abacos pilares venturini -parte 1
 
Escadas rampas elevadores
Escadas rampas elevadoresEscadas rampas elevadores
Escadas rampas elevadores
 
Manual pré moldados
Manual   pré moldadosManual   pré moldados
Manual pré moldados
 

Destaque

2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica
2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica
2010 ucv-tema 7 - Composição GeométricaLuisMorgado
 
Arquitetura do Conceito e da Forma
Arquitetura do Conceito e da FormaArquitetura do Conceito e da Forma
Arquitetura do Conceito e da FormaPaula Bianchi
 
Análise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaAnálise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaViviane Marques
 

Destaque (6)

Análise formal de obras
Análise formal de obrasAnálise formal de obras
Análise formal de obras
 
Como analisar obras de arte
Como analisar obras de arteComo analisar obras de arte
Como analisar obras de arte
 
2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica
2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica
2010 ucv-tema 7 - Composição Geométrica
 
Arquitetura do Conceito e da Forma
Arquitetura do Conceito e da FormaArquitetura do Conceito e da Forma
Arquitetura do Conceito e da Forma
 
Análise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaAnálise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquitetura
 
Desenho arquitetônico
  Desenho arquitetônico  Desenho arquitetônico
Desenho arquitetônico
 

Mais de Safra Brasileira

Starting in the Nursery Business. Starting in the Nursery Businesspdf
Starting in the Nursery Business. Starting in the Nursery BusinesspdfStarting in the Nursery Business. Starting in the Nursery Businesspdf
Starting in the Nursery Business. Starting in the Nursery BusinesspdfSafra Brasileira
 
Alvetti hummell-imaginarios-urbanos
Alvetti hummell-imaginarios-urbanosAlvetti hummell-imaginarios-urbanos
Alvetti hummell-imaginarios-urbanosSafra Brasileira
 
119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje
119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje
119026269 manifiesto-del-tercer-paisajeSafra Brasileira
 
Kevin lynch e a imagem da cidade
Kevin lynch e a imagem da cidadeKevin lynch e a imagem da cidade
Kevin lynch e a imagem da cidadeSafra Brasileira
 
Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...
Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...
Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...Safra Brasileira
 
Os direitos intelectuais do arquiteto
Os direitos intelectuais do arquitetoOs direitos intelectuais do arquiteto
Os direitos intelectuais do arquitetoSafra Brasileira
 
Vícios do projeto edilício e suas consequências jurídicas
Vícios do projeto edilício e suas consequências jurídicasVícios do projeto edilício e suas consequências jurídicas
Vícios do projeto edilício e suas consequências jurídicasSafra Brasileira
 
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaHistória da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaSafra Brasileira
 
Relatórios vanguardas européias
Relatórios vanguardas européiasRelatórios vanguardas européias
Relatórios vanguardas européiasSafra Brasileira
 

Mais de Safra Brasileira (13)

Starting in the Nursery Business. Starting in the Nursery Businesspdf
Starting in the Nursery Business. Starting in the Nursery BusinesspdfStarting in the Nursery Business. Starting in the Nursery Businesspdf
Starting in the Nursery Business. Starting in the Nursery Businesspdf
 
Alvetti hummell-imaginarios-urbanos
Alvetti hummell-imaginarios-urbanosAlvetti hummell-imaginarios-urbanos
Alvetti hummell-imaginarios-urbanos
 
119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje
119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje
119026269 manifiesto-del-tercer-paisaje
 
Tecnicas construtivas
Tecnicas construtivasTecnicas construtivas
Tecnicas construtivas
 
Kevin lynch e a imagem da cidade
Kevin lynch e a imagem da cidadeKevin lynch e a imagem da cidade
Kevin lynch e a imagem da cidade
 
Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...
Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...
Introdução ao desenho urbano del rio, vicente. introdução ao desenho urbano n...
 
Apostila solos
Apostila solosApostila solos
Apostila solos
 
Os direitos intelectuais do arquiteto
Os direitos intelectuais do arquitetoOs direitos intelectuais do arquiteto
Os direitos intelectuais do arquiteto
 
Vícios do projeto edilício e suas consequências jurídicas
Vícios do projeto edilício e suas consequências jurídicasVícios do projeto edilício e suas consequências jurídicas
Vícios do projeto edilício e suas consequências jurídicas
 
Estatuto da cidade
Estatuto da cidadeEstatuto da cidade
Estatuto da cidade
 
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaHistória da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
 
Belo e sublime
Belo e sublimeBelo e sublime
Belo e sublime
 
Relatórios vanguardas européias
Relatórios vanguardas européiasRelatórios vanguardas européias
Relatórios vanguardas européias
 

Análise formal da casa gerassi

  • 1. ANÁLISE FORMAL DA CASA GERASSI O BRUTALISMO, PRATICADO EM SÃO PAULO A PARTIR DA SEGUNDA METADE DOS ANOS 50, INSERIDO NA DIVERSIDADE E NO SINCRETISMO DO MOVIMENTO MODERNO, COMPARTILHOU ESTA POSTURA. A VERIFICAÇÃO DE SUA PRODUÇÃO SUGERE, NO ENTANTO, UMA ARQUITETURA QUE USOU A RAZÃO ABSTRATA, A GEOMETRIA E UM CONJUNTO DE PRINCÍPIOS COMPOSITIVOS PARA CRIAR E DESENVOLVER SUAS FORMAS. A CASA GERASSI, DE PAULO MENDES DA ROCHA, FOI PALCO PARA A EXPOSIÇÃO DOS CONCEITOS DE COMPOSIÇÃO, SIMETRIA/ASSIMETRIA, RITMO, ORDEM, MODULAÇÃO E PROPORÇÃO, DEFENDIDOS E ENSINADOS PELA ÉCOLE DES BEAUX-ARTS CONSERVADOS NO PENSAMENTO ARQUITETÔNICO MODERNO BRASILEIRO. A RESIDÊNCIA É FORMADA, BASICAMENTE, POR UMA ESTRUTURA UNIVOLUMÉTRICA PRISMÁTICA (COMPOSIÇÃO CÚBICA) ELEVADA SOBRE 6 PILOTIS REGULARMENTE ESPAÇADOS (RITMO) QUE GUIAM O POSICIONAMENTO DAS PAREDES, DESVINCULANDO O ELEMENTO PRINCIPAL DE COMPOSIÇÃO DAS DIVISAS E DO SOLO. É BASTANTE CLARA A HIERARQUIA DO ELEMENTO DE COMPOSIÇÃO PRINCIPAL (PRISMA/MORADA) EM RELAÇÃO AOS SECUNDÁRIOS (LAZER), JUSTAMENTE PELO SEU TAMANHO E R FORMATO ÚNICO. O PRISMA LINEAR ELEVADO SOBRE PILOTIS, O USO DOS RECUOS, E AS RELAÇÕES INTERIOR-EXTERIOR OU CONTINUIDADE-BLOQUEIO, SÃO AS QUESTÕES FORMAIS PRESENTES NA CRIAÇÃO DA EDIFICAÇÃO COMO UM OBJETO QUE SE IMPÕE AO LOTE. A PRÓPRIA FORMA GEOMÉTRICA ESTÁTICA (PRISMA LINEAR), DESTITUÍDA DE MOVIMENTO COM SEU PERFIL ANGULAR, EXTERNAMENTE NOS TRANSMITE A SEGURANÇA E A ESTABILIDADE. AO MESMO TEMPO, A LIBERDADE ESCANCARADA NO IMENSO ESPAÇO VAZIO DEIXADO PELO PLANO SUPERIOR, ONDE NOS É GARANTIDA A CONTINUIDADE TANTO VISUAL QUANTO ESPACIAL. EM CONTRAPONTO A ESTA SOLIDEZ TEM-SE A CAIXA D’ÁGUA INSTAVELMENTE INSTALADA SOBRE UM DOS PILOTIS DE CONCRETO, AOS FUNDOS E BEM ACIMA DO TELHADO. ANALISANDO A COMPOSIÇÃO ARQUITETÔNICA, EM SUA TOTALIDADE, PODEMOS NOTAR QUE, JUSTAMENTE, ESTA CAIXA D’AGUA PROVOCOU SUA ASSIMETRIA NA COMPOSIÇÃO. HÁ EQUILÍBRIO ENTRE AS PROPORÇÕES DOS PLANOS INFERIOR E SUPERIOR E ENTRE O CIMENTO APARENTE E A CORTINA DE VIDRO DA ELEVAÇÃO FRONTAL. A PROPORÇÃO ENTRE OS ELEMENTOS COMPOSITIVOS CONFERE-LHE UMA ESTÉTICA BRUTA E FRÁGIL, CONCOMITANTEMENTE.