A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1

1.785 visualizações

Publicada em

A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1

  1. 1. A Lei de DeusBaseado na obra de Pietro Ubaldi (Parte 1) Mediador: Silvânio Barcelos
  2. 2. Deus na perspectiva egocêntrica do homem
  3. 3. Deus na visão de Allan Kardec• Livro dos Espíritos:• 1. O que é Deus: Deus é inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.• 3. Poderíamos dizer que Deus é infinito? Definição incompleta. Pobreza da linguagem dos homens, que é insuficiente para definir as coisas que estão acima de sua inteligência.
  4. 4. Deus: na visão de Ubaldi• Circulação de linfa vital a derramar abundante em todo universo.• É fonte: dela fluem, não só conhecimento, mas bondade, ação e poder.• Não pode ser definido, porque no infinito Ele simplesmente "é".• Essência da vida.• É o ser, sem atributos e sem limites.
  5. 5. Deus (Nas obras: A Grande Síntese e Deus e o Universo)• Nós, como tudo o que existe, estamos em Deus, porque nada pode existir fora de Deus, nada lhe pode ser acrescentado nem tirado.• Nós humanos, encontramo-nos existindo numa posição particular, semelhante à da sombra em relação à luz.• (Uma inversão da Alegoria da Caverna de Sócrates, conjectura do mediador)
  6. 6. Continuação...• Como sombra, fazemos parte do fenômeno luz, ou seja, fazemos parte do Tudo-Uno-Deus, mas como sombra, isto é, negativo, estamos no pólo oposto ao positivo da mesma unidade.• Assim, diante do absoluto, encontramo-nos no relativo.• Diante do imutável, no contínuo transformar-se. (o movimento faz parte da queda: mediador)
  7. 7. Continuação...• diante da perfeição, numa condição de imperfeição sempre em movimento para atingir a perfeição.• diante da unidade orgânica do todo, encontramo-nos fragmentados e fechados em nosso individual egocentrismo.• diante da liberdade do espírito, encontramo-nos prisioneiros no cárcere da matéria e de seu determinismo.
  8. 8. Continuação...• diante da onisciência de Deus, estamos imersos nas trevas da ignorância.• diante do bem, da felicidade, da vida, somos presas do mal, da dor e da morte. (Na queda saímos do estado pleno de felicidade e nosso caminho de volta nada mais é que a busca da felicidade perdida: mediador)
  9. 9. Continuação...• Pelo fato de sermos sombra, só podemos conceber Deus como a sombra concebe a luz, isto é, como o contrário de si mesma.• Mesmo Deus estando em tudo o que somos e vemos, tudo isso, por si só, não é Deus. Ele está além de todo fenômeno e forma, de toda posição do particular.
  10. 10. Continuação...• Todavia, há um fato. A sombra não é, absolutamente completa. Ela contém sem dúvida, reflexos de luz. Isto porque no atual plano de sua vida, o ser humano já percorreu certo trecho do caminho da evolução, ou seja, já subiu uma certa parte do caminho da descida e com isto reconquistou um pouco da perfeição originária. Ora, as definições comuns de Deus, em sentido positivo, foram obtidas com o elevar-se à potência infinita, as mínimas quantidades de perfeição reconquistada pelo homem ou intuída como futura realização a conquistar, isto é, os pálidos reflexos contidos na sombra.
  11. 11. A Lei de Deus• A obra de Ubaldi trás UM NOVO SENTIDO PARA A VIDA e UMA NOVA PERCEPÇÃO DA REALIDADE.• Maurício Crispim: de 1857 a 1951 “todo edifício do conhecimento humano já estava edificado, Pietro veio complementar a obra”
  12. 12. Maurício Crispim• Kardec: O codificador da doutrina espírita• Freud: O codificador do “inconsciente” = fechado entre o berço e o túmulo.• Jung: O codificador do “inconsciente coletivo” = o homem carrega em sí toda a experiência humana.• Ubaldi: O codificador da “síntese orgânica” do edifício do conhecimento humano. INVOLUÇÃO E EVOLUÇÃO
  13. 13. A Lei de Deus• A dor: à luz da visão cósmica (geral)• Não é causa, mas sim efeito• Remédios atuam no efeito e não na causa• Devemos consultar à nossa própria consciência para saber em que momento de nossa vida desviamos dos caminhos da “Lei de Deus”.
  14. 14. Maurício Crispim (A evolução a partir da dor)• Por que precisamos da dor para evoluir?• Deus nos criou por amor e para gozar a felicidade plena.• No ato da criação nos deu o Livre Arbítrio• Quem aceitou a Lei de Deus optou pelo caminho mais curto (Jesus, exemplo)• Quem optou pelo caminho do “ego” sofreu a queda.
  15. 15. A equação da substância Alfa: espírito Beta: energiaA EQUAÇÃO DA SUBSTÂNCIA Gama: materiaAlfa: EspíritoBeta: EnergiaGama: Matéria
  16. 16. EGO• EGO = EGOCENTRISMO• Livro dos Espíritos: Ego é o pai de todos os vícios.• Os anjos decaídos: inobservância da Lei. Todos queriam agir segundo a vontade própria. Todos queriam impor sua vontade.
  17. 17. Deus nos criou livres• Livre-arbítrio• O Deus silencioso (por que não o ouvimos?)• Lei de Deus: liberdade plena de escolhas• Deus não poderia impor sua vontade, não seria mais “livre-arbítrio”.• Crispim: “onde houver duas ou mais pessoas reunidas, ali eu mandarei...”
  18. 18. Deus nos criou livres• Queda = movimento• Tudo é vibração• Importante entender o PLANO GERAL DA VIDA• Vai além da compreensão da vida após a morte do corpo• Relaciona-se ao processo da queda• Se estamos na dor foi escolha própria
  19. 19. A queda• Não foi espacial foi CONSCIENCIAL• Mas só pode ser entendida de forma espaço-temporal• Queda = contração da consciência• Sistema: mundo sem espaço nem tempo, é um mundo de consciência = infinito• Queda: anti-sistema (finitos)• Universo não é infinito, é incomensurável
  20. 20. A queda• contração da consciência: movimento: consciência – inconsciência – energia – matéria = NASCE O TEMPO ESPAÇO• Universo consciencial• Mundos fluídicos (energéticos)• Mundos etéricos (início do mundo físico)• Mundos físicos: contração máxima da consciência. Indivíduo não perde nada. Tudo fica latente.• Início do BIG BANG: nascimento universo físico
  21. 21. A salvação• Caminho de volta• Expansão da consciência• Com a evolução perdemos o corpo astral• Afastamento contínuo da matéria• Gama – Beta – Alfa• EVOLUÇÃO: ampliação do campo de consciência• RETORNO AO SISTEMA
  22. 22. Níveis de consciência• Consciência latente: espírito livre do ego• Consciência exterior: espírito egocêntrico, resultado da queda. Não aceitação das Leis de Deus.• LATENTE: Deus = Self• EXTERIOR: Deus = Self = Ego• Deus não fala diretamente com o homem.• Consciência latente: estar com Deus, ouví-lo e seguir suas Leis – ESPÍRITO PURO
  23. 23. Níveis de consciência• Quando alcança-se o nível de consciência latente, no caminho da evolução, começamos a dialogar com Deus.• O Caminho: criar ressonância com o trabalho no bem, com o estudo e com a aceitação das Leis de Deus.• Ego = filho da matéria (Jesus: Amar aos outros como a sí mesmo = única linguagem que entendemos)
  24. 24. Níveis de consciência• Mundos de provas e expiações (reprovados)• Único caminho possível para acabar com o Ego• Deixar de surfar “na onda do eu”
  25. 25. A Lei de Deus: o amor• Amor não é contrário de ódio• Amor está acima dos dualismos• Ódio é contrário à paixão
  26. 26. Cadeia de sentimentos: anti sistema (PERSONALIDADE)• EGOÍSMO: causa da queda• REVOLTA: conseqüência da queda• INSACIABILIDADE: procura incessante pela felicidade. Torna-se escravo dos sentidos.• PODER• VAIDADE
  27. 27. O medo• Qual a causa mais profunda do medo?• Medo de ser atacado pelo “outro”• Conseqüências: Violência, Paranóias• Relações de ódio• Guerras• Insegurança• Atraso• Involução
  28. 28. Casa mental• CONSCIÊNCIA: Livre arbítrio. Plantio. Instinto. Impulsos. História. Animal. Eu inferior.• SUBCONSCIENCIA: Estoque. Armazém de todas as nossas tendências. Razão. Conquistas. Esforço. Homem. Eu médio.• SUPERCONSCIÊNCIA: Futuro. Intuição. Noções superiores. Super homem. Eu superior.
  29. 29. Alertas de Pietro (A Lei de Deus)• Agora, que se aproxima o fim desta civilização, encontramo-nos nas mesmas condições do fim do Império Romano, quando ninguem acreditava mais nos deuses.• Como está, somente permanece a forma, esvaziada de substância.• No meio de muitas religiões, antes de tudo preocupadas em combaterem umas a outras, o mundo continua substancialmente materialista.
  30. 30. Alertas...• A velha linguagem continua sendo a mesma. Mas, todos já se acostumaram a ouvi-la e não reparam mais.• O mundo progrediu e tornou-se diferente.• Parece que nos milênios da sua vida religiosa, em vez de ser transformado pelas religiões ao realizar os princípios delas, o mundo as transformou para suas comodidades.
  31. 31. Alertas...• Em vez de aprender a viver nas regras da Lei, aprendeu a arte de evadir-se delas com a astúcia das escapatórias para enganar o próximo e, se fosse possível, o próprio Deus.• Se os velhos sistemas já não adiantam mais, por que não usar hoje outra linguagem que seja mais bem compreendida?
  32. 32. Alertas...• Por que não se apoiar sobre outro impulsos e movimentar outras alavancas às quais o homem possa melhor obedecer?• Por que não ver a vida no seu sentido utilitário, oferecendo-nos também vantagens quando pede virtudes e sacrifícios?

×