Biologia suplemento-de-apoio-do-professor-manual-2

45.165 visualizações

Publicada em

3 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
45.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
593
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
409
Comentários
3
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biologia suplemento-de-apoio-do-professor-manual-2

  1. 1. SUPLEMENTO PARA O PROFESSORMANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 1 22.06.2005, 18:36
  2. 2. Sumário Capítulo 12 – Moluscos e anelídeos, 11 Apresentação da obra, 3 Capítulo 13 – Artrópodes, 11 Capítulo 14 – Equinodermos e protocordados, 11 Estrutura geral da coleção, 3 Capítulo15 – Vertebrados, 12 Organização dos capítulos, 4 Sugestões de atividades complementares, 12 Texto e imagens, 4 Exemplos de mapas de conceitos, 12 Quadros temáticos, 4 PARTE V – Anatomia e fisiologia da espécie Leitura, 4 humana, 12 Atividades, 4 Capítulo 16 – Nutrição, 12 Bibliografia, respostas, nova nomenclatura anatômica, Capítulo 17 – Circulação sangüínea, 13 Índice remissivo, 5 Capítulo 18 – Respiração e excreção, 13 Capítulo 19 – Movimento e suporte do corpo humano, 13 Sugestões para utilizar esta Capítulo 20 – Integração e controle corporal: sistemas obra como instrumento de nervoso e endócrino, 13 Sugestões de atividades complementares, 14 aprendizagem e avaliação, 5 Exemplos de mapas de conceitos, 14 Orientação de leitura, 5 Conhecimentos prévios dos estudantes, 5 Atividades complementares, 14 Ligações com o cotidiano, 5 Integração da Biologia com outras disciplinas, 5 Anexo - Páginas para fotocopiar, 24 Atividades didáticas, 6 Utilização dos mapas de conceitos, 6 Trabalhando com mapas de Destaques temáticos, objetivos conceitos, 29 de ensino e sugestões para este Exemplos de mapas de conceitos, 31 volume, 6 PARTE I – A diversidade biológica, 7 Respostas às questões das Capítulo 1 – Sistemática, classificação e biodiversidade, 7 atividades, 44 Sugestões de atividades complementares, 7 Exemplos de mapas de conceitos, 7 Capítulo 1 44 PARTE II – Vírus, moneras, protoctistas e Capítulo 2 45 fungos, 7 Capítulo 3 48 Capítulo 2 – Vírus, 7 Capítulo 4 51 Capítulo 3 – Os seres procarióticos: bactérias e arqueas, 8 Capítulo 5 54 Capítulo 4 – Protoctistas: algas e protozoários, 8 Capítulo 6 56 Capítulo 5 – Fungos, 8 Capítulo 7 60 Sugestões de atividades complementares, 9 Capítulo 8 64 Exemplos de mapas de conceitos, 9 Capítulo 9 69 PARTE III – Diversidade, anatomia e fisiologia Capítulo 10 71 das plantas, 9 Capítulo 11 73 Capítulo 6 – Diversidade e reprodução das plantas, 9 Capítulo 12 76 Capítulo 7 – Anatomia das plantas angiospermas, 9 Capítulo 13 77 Capítulo 8 – Fisiologia das plantas angiospermas, 9 Capítulo 14 81 Sugestões de atividades complementares, 10 Capítulo 15 82 Exemplos de mapas de conceitos, 10 Capítulo 16 88 PARTE IV – Diversidade dos animais, 10 Capítulo 17 90 Capítulo 9 - Características gerais dos animais, 10 Capítulo 18 93 Capítulo 10 – Poríferos e cnidários, 11 Capítulo 19 96 Capítulo 11 – Platelmintos e nematelmintos, 11 Capítulo 20 98MANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 2 22.06.2005, 18:36
  3. 3. Apresentação da obra Idealizamos esta coleção como ferramenta de estudo e de consulta voltada ao ensino médio, visando a atender diversas opções de conteúdo adotadas pelos professores brasilei- ros. A amplitude dos assuntos tratados, além de refletir o alentado arcabouço conceitual das ciências biológicas, procura contemplar temas que nossas pesquisas indicam serem os prefe- ridos pela maioria dos(as) colegas. Entendemos o livro didático como um instrumento flexível, que deve servir de fonte de informação confiável e atualizada e também propor atividades e exercícios capazes de esti- mular e de promover a aprendizagem. Para ser um apoio efetivo nesse sentido, procuramos apresentar livros com texto bem estruturado, ilustrado e explicativo, capazes de influenciar o desenvolvimento da capacidade de leitura e de organização do pensamento, além de com- por harmoniosamente textos e imagens, de modo a convidar os estudantes a vencer os desafios inerentes à aquisição de novos conhecimentos. Foi com essas perspectivas que ela- boramos esta coleção em três volumes. Esperamos que a obra leve os estudantes a compreender os conceitos fundamentais em Biologia e facilite sua ligação aos fatos do cotidiano; esperamos também que eles percebam o quanto as ciências biológicas têm sido importantes para a humanidade e seu grande poten- cial para novas descobertas que se delineia neste século XXI. Nossa expectativa é que cada professor possa utilizar esta obra da melhor maneira possível, de acordo com a disponibili- Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. dade de sua carga horária e de seus objetivos de aprendizagem. Estrutura geral da coleção A obra aborda diferentes níveis de organização da vida: as células, os organismos e as populações. Procuramos incorporar, aos conceitos tradicionalmente tratados no ensino médio, as muitas novidades da Biologia da última década, de modo a levar os estudantes a conhecer e acompanhar os grandes debates científicos da atualidade. O Volume 1 focaliza o nível celular de organização da vida, relacionando-o com o nível das moléculas e também com o dos tecidos. Os principais assuntos tratados no volume são: a. as características típicas do fenômeno vida e as teorias atuais sobre a origem da vida em nosso planeta; b. estrutura e função nas células vivas (Citologia) e organização celular dos tecidos animais (Histologia); c. aspectos gerais da reprodução, dos ciclos de vida e do desenvolvimento animal (Reprodu- ção e Embriologia). O Volume 2 aborda a vida no nível dos organismos, estudando sua diversidade, anato- mia e fisiologia. Os principais assuntos tratados no volume são: a. noções básicas de Sistemática, com destaque para a classificação biológica; b. estudo sistemático dos principais representantes dos grandes reinos de seres vivos; c. anatomia e fisiologia de plantas e animais, com ênfase nas plantas angiospermas e no organismo humano. O Volume 3 trata de conceitos e processos relacionados mais diretamente com o nível populacional de organização dos seres vivos, estudando-o sob os pontos de vista da Genéti- ca, da Evolução Biológica e da Ecologia. Os principais assuntos tratados no volume são: a. aspectos históricos e modernos da Genética, de Gregor Mendel até os recentes avanços no conhecimento genético e suas aplicações; b. aspectos históricos e modernos das teorias de evolução biológica, de Darwin à moderna teoria evolucionista, com ênfase na evolução da espécie humana; c. conceitos fundamentais de Ecologia e de Educação Ambiental. Em cada capítulo, o conteúdo é apresentado por meio de um texto integrado a fotos, ilustrações e esquemas, além de Quadros temáticos, Leitura e Atividades. ESTRUTURA GERAL DA COLEÇÃO 3MANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 3 22.06.2005, 18:37
  4. 4. Organização dos capítulos Texto e imagens A linguagem empregada na obra procura aliar a precisão conceitual da comunica- ção científica à clareza didática. Sempre que possível utilizamos analogias e compara- ções, exemplificando com assuntos do cotidiano, de modo a tornar conceitos e fenôme- nos biológicos mais concretos para os estudantes. As imagens são fundamentais para a compreensão mais ampla dos assuntos, e suas legendas complementam o texto básico. Além das fotografias, há esquemas com com- parações didáticas e sínteses conceituais e, nesse caso, é importante levar os alunos a perceber os elementos em diferentes escalas e em cores-fantasia. Quadros temáticos Cada capítulo pode conter um ou mais quadros temáticos em que determinados assuntos – aprofundamentos, aspectos históricos, novidades científicas e tecnológicas etc. – são apresentados paralelamente ao desenvolvimento do conteúdo explicativo seqüencial. Os quadros temáticos possibilitam que os assuntos específicos neles tratados possam ser utilizados em diferentes momentos da aprendizagem, a critério do professor, garantindo maior flexibilidade no trabalho com o texto didático. Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Leitura Ao final de cada capítulo há um item denominado Leitura, em que é apresentado um texto selecionado de livros, revistas científicas, jornais ou da internet. Um dos objeti- vos da Leitura é fornecer aos estudantes textos de diferentes autores, com diferentes enfoques para assuntos tratados no capítulo. O trabalho com o item Leitura pode prece- der o estudo do capítulo, servindo de problematização e de referência para os conceitos e processos tratados no texto básico. A partir do texto da Leitura é possível também solicitar aos estudantes, como atividade de pesquisa, que encontrem textos sobre o mesmo tema em diferentes meios de divulgação Atividades Após a Leitura apresentamos um elenco de atividades, dimensionando-o para abran- ger os assuntos fundamentais do capítulo. As atividades estão divididas em três módulos: Guia de estudo, Questões para pensar e discutir e A Biologia no vestibular. O primeiro módulo orienta os estudantes a rever, passo a passo, os principais conceitos e processos tratados no capítulo; compõe-se de questões discursivas, cujas respostas são fornecidas apenas ao professor. O módulo seguinte, Questões para pensar e discutir, traz questões objetivas e discursivas que desafiam os estudantes a ligar fatos, conceitos e processos em situações reais ou simuladas; as respostas dessas questões também são fornecidas exclusivamente para o professor. O terceiro módulo, A Biologia no vestibular, traz uma seleção das melhores questões de vestibulares sobre os assuntos tratados no capítulo. Ao trabalhar com essas questões, cujas respostas são fornecidas no Livro do Aluno, os estudantes entram em contato com o que se avalia nos diversos exames de ingresso ao Ensino Superior. Sugira aos estudantes que, após a leitura do texto de cada capítulo, sempre façam os exercícios do Guia de estudo. Para facilitar sua utilização, esses exercícios estão divididos em blocos, correspondentes aos itens numerados do capítulo. Estimule os estudantes a rever o texto em caso de dúvida em algum exercício. Para que os estudantes possam explorar mais amplamente os temas do capítulo, solicite que façam as atividades propostas no módulo Questões para pensar e discutir, em que são apresentadas questões mais desafiadoras e/ou sugestões de pesquisas e atividades, úteis para discussões de fechamento dos assuntos. O elenco de questões de A Biologia no vestibular pode ser utilizado, a seu critério, tanto após o Guia de estudo como após as Questões para pensar e discutir. Além de ajudar os alunos a estudar, os diferentes módulos de atividades podem ser utilizados pelo professor como instrumentos de avaliação da aprendizagem, em especial o Guia de estudo e as Questões para pensar e discutir, cujas respostas são fornecidas exclusivamente no livro do professor. 4 ESTRUTURA GERAL DA COLEÇÃOMANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 4 22.06.2005, 18:37
  5. 5. Bibliografia, respostas, nova nomenclatura anatômica, índice remissivo Após o último capítulo de cada volume, no Livro do Aluno, apresentamos, em seqüên- cia: a) a principal bibliografia consultada na elaboração do livro; b) as respostas às questões do módulo A Biologia no vestibular; c) uma tabela com as principais alterações na nomencla- tura do corpo humano sugeridas pela mais recente Nomina Anatomica; d) índice remissivo. Sugerimos que o(a)s colegas professore(a)s estimulem a utilização do índice remissi- vo pelos estudantes, tanto para localizar rapidamente assuntos no texto como para rela- cionar informações de diferentes temas. Isso pode familiarizá-los com obras de consulta. Sugestões para utilizar esta obra como instrumento de aprendizagem e avaliação Orientação de leitura Para habituar os estudantes à estrutura do livro didático, de modo que este se torne um verdadeiro aliado nos estudos, sugerimos aos(às) colegas professore(a)s que sempre orientem os estudantes para a leitura do texto selecionando e indicando trechos para serem lidos antes, durante ou após a aula. Um diálogo aberto sobre os objetivos a serem Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. alcançados com o estudo do capítulo pode facilitar a comunicação com os estudantes, estimulando-os a dividir com o(a) professor(a) a responsabilidade por sua aprendizagem. Chambliss, M. J. e Calfee, R. C., no livro Textbooks for Learning (Malden, Massachussets, Blackwell Publishers Inc., 1998), propõem questões a serem levantadas em situações como essa, tais como: I Que informações do texto se relacionam com algo que você conhece? I Que partes do texto você considera mais interessantes? I Como você resumiria o que aprendeu na leitura do texto? I Daqui a um mês, o que você acha que poderá lembrar do texto? I Se você for discutir o assunto do texto com outras pessoas, que idéias, argumentos e exemplos utilizaria? Conhecimentos prévios dos estudantes Diversas correntes pedagógicas destacam a importância de se levantar os conheci- mentos prévios dos estudantes, tanto suas concepções baseadas no senso comum, como conceitos aprendidos em ciclos escolares anteriores e que são pré-requisitos para construir e ancorar os novos conhecimentos. Vale a pena investir algum tempo para levantar e discutir os conceitos sobre os seres vivos e sobre seu próprio corpo que os estudantes trazem em sua bagagem de conhecimentos e ajudá-los a analisar suas con- cepções e a adquirir outras, fundamentadas no conhecimento científico. Em geral, apre- sentar os objetivos do estudo do capítulo e discutir com os estudantes as idéias que eles têm a respeito do tema é suficiente para detectar conceitos que vão exigir mais discus- sões e explicações. Ligações com o cotidiano A idéia de ligar o que se aprende na escola ao mundo aparece em muitos dos obje- tivos sugeridos para cada capítulo e volume em que se encontram. Os estudantes geral- mente se motivam a aprender quando percebem conexões entre fatos próximos à sua vida e conteúdos estudados na escola. Isso fica evidente no interesse que eles manifes- tam em conteúdos referentes a saúde, higiene, questões sobre reprodução, contracepção e DSTs, por exemplo. Assuntos veiculados pela imprensa podem ser utilizados como instrumentos de problematização de conteúdos. Jornais e revistas costumam ter seções especializadas em ciências; é possível estabelecer, na classe, uma rotina para acompa- nhar notícias de interesse científico, que podem ser apresentadas em um mural, por exemplo. Os textos da Leitura apresentados ao final de cada capítulo do livro também podem ser empregados para tal finalidade. SUGESTÕES PARA A UTILIZAÇÃO DA OBRA 5MANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 5 22.06.2005, 18:37
  6. 6. Integração da Biologia com outras disciplinas Modernas tendências pedagógicas apontam a integração interdisciplinar como uma importante estratégia de ensino. Por um lado, o(a)s professore(a)s das diferentes disciplinas complementam informações, trocam idéias e desenvolvem o trabalho em equipe. Os estudantes percebem mais facilmente as relações entre os diferentes fenô- menos da natureza quando estudam os mesmos conceitos em diferentes disciplinas. Considere a possibilidade de integração interdisciplinar formal ou informal e, se possível, que se inclua no planejamento ao menos uma atividade de integração interdisciplinar. Atividades didáticas O aprendizado requer participação ativa dos estudantes. Atividades de pesquisa bibliográfica, seminários, aulas práticas e estudos do meio, entre outras estratégias pedagógicas, podem tornar altamente dinâmico e motivador um curso de Biologia. A partir da página 14 deste suplemento sugerimos algumas atividades complemen- tares relacionadas aos conteúdos tratados neste volume. Somadas ou adaptadas às do repertório do próprio(a) professor(a), essas atividades podem motivar os estudan- tes e ajudá-los a se apropriar de novos conhecimentos e habilidades desejadas. Utilização dos mapas de conceitos Identificar os conceitos básicos apresentados no texto de cada capítulo constitui um aspecto importante do processo de ensino-aprendizagem. Se o(a) professor(a) dispõe de poucas aulas semanais para desenvolver o conteúdo, pode ser melhor destacar os con- Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. ceitos mais importantes, deixando em segundo plano aspectos de detalhamento ou temas não-pertinentes aos objetivos didáticos que se deseja alcançar. Uma das maneiras de trabalhar criteriosamente com conceitos é por meio da elabo- ração de mapas de conceitos. Trata-se de uma estratégia didática que é muito útil também no planejamento de unidades didáticas e na preparação de aulas. Um mapa de conceitos consiste de um conjunto de conceitos interligados por palavras de ligação, que identificam o tipo de relação que há entre eles. Embora simples em sua concepção, os mapas de conceitos constituem-se em uma ferramenta poderosa para o processo de ensino-aprendizagem e para a avaliação da aprendizagem. Para o(a)s professor(a)s que desejarem se aprofundar no assunto, apresentamos, na página 29, um texto sobre os princípios de construção de mapas de conceitos, acompa- nhado de bibliografia suplementar e de exemplos de mapas de conceitos referentes a assuntos tratados no volume. Destaques temáticos, objetivos de ensino e sugestões para este volume A seguir apresentamos os destaques temáticos e os principais objetivos de ensino de cada capítulo deste volume. Apresentamos também sugestões de atividades complementares e exemplos de mapas de conceitos relativos aos assuntos tratados em cada parte do volume. Destaques temáticos e objetivos de ensino Os destaques temáticos são apresentados na forma de uma breve sinopse dos temas de cada capítulo, acompanhada dos principais objetivos que tivemos em mente ao elaborá-los. Os objetivos foram divididos em duas categorias: objetivos gerais, referentes ao desen- volvimento de conhecimentos, habilidades e valores que ultrapassam os limites da Biologia, e objetivos didáticos, mais específicos, que se referem ao desenvolvimento de conheci- mentos e habilidades específicas de Biologia. Um exemplo de objetivo geral é: Valorizar os aspectos históricos da ciência, tais como os relativos ao desenvolvimento da Genética, reconhecendo que os avanços científicos de uma época dependem de conhecimentos desenvolvidos em épocas anteriores. Um exemplo de objetivo didático é: Caracterizar alelos como formas diferentes de um mesmo gene e conceituar os seguintes termos: alelo dominante, alelo recessivo, indivíduo homozigótico, indivíduo heterozigótico, dominância incompleta e co-dominância. Se desejar, utilize os objetivos que sugerimos para cada capítulo em seu planejamento e como parâmetro de avaliação, adequando-os às suas necessidades. 6 DESTAQUES TEMÁTICOS, OBJETIVOS E SUGESTÕESMANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 6 22.06.2005, 18:37
  7. 7. Sugestões de atividades complementares Para auxiliar o(a) professor(a) em sua tarefa de obter participação mais ativa dos estu- dantes no processo de aprendizagem, reunimos neste suplemento sugestões de atividades complementares de diferentes tipos: pesquisas bibliográficas, seminários, aulas de laborató- rio, estudos do meio e montagens, entre outras estratégias pedagógicas. Se desejar, utilize essas atividades em complementação àquelas presentes no livro do estudante. Mapas de conceitos Os mapas de conceitos são construções pessoais e contextuais, de modo que sua utiliza- ção mais produtiva como ferramenta pedagógica é produzir os próprios mapas. Entretanto, analisar e avaliar mapas de conceitos já prontos é um excelente ponto de partida para a elaboração de mapas conceituais próprios. Assim, neste suplemento, após a sugestão de atividades complementares, apresentamos alguns exemplos de mapas de conceitos envol- vendo os principais conceitos tratados nos capítulos. Se desejar, utilize os mapas sugeridos como base para discussão com os estudantes, que podem modificá-los ou ampliá-los, de- pendendo dos conceitos tratados e dos objetivos almejados. PARTE I - A DIVERSIDADE BIOLÓGICA Exemplos de mapas de conceitos 1. Sistemática e classificação biológica (página 32) Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Capítulo 1 - Sistemática, classificação e biodiversidade I Destaques temáticos PARTE II - VÍRUS, MONERAS, Apresenta os princípios básicos da Sistemática e da Taxonomia. PROTOCTISTAS E FUNGOS Conceitua biodiversidade, árvore filogenética e cladograma. Apre- senta e caracteriza os grandes reinos de seres vivos. Discute as Capítulo 2 - Vírus novas tendências taxonômicas e as polêmicas atuais relativas à classificação biológica e sua relação com o parentesco evolutivo I Destaques temáticos dos diferentes grupos de organismos. Apresenta as características de diversos tipos de vírus e seus ciclos reprodutivos, com ênfase nos vírus de gripe e da aids. I Objetivos gerais Traz um quadro de consulta em que são relacionadas algu- Compreender que a Sistemática, cujos resultados se expres- mas doenças causadas por vírus, sua prevenção e formas de sam pela Taxonomia, organiza a diversidade dos seres vivos e tratamento. facilita seu estudo, revelando padrões de semelhança que evidenciam as relações de parentesco evolutivo entre diferen- I Objetivos gerais tes grupos de organismos. Estar informado sobre a natureza dos vírus, as doenças que Reconhecer que a falta de consenso entre os cientistas quan- eles causam e suas formas de disseminação e tratamento, to à classificação biológica revela tanto as dificuldades quan- de modo a atuar positivamente, tanto no aspecto pessoal to a variedade de pontos de vista sobre o assunto, indicando como no social, para a prevenção de doenças virais. que a ciência é um processo em contínua construção. Inferir, a partir do conhecimento das formas de transmissão de alguns tipos de vírus patogênicos às pessoas, as princi- I Sugestões de objetivos didáticos pais atitudes e medidas capazes de prevenir seu ataque ao Conhecer a hierarquia nas relações de inclusão das seguintes organismo humano. categorias taxonômicas: espécie, gênero, família, ordem, clas- Valorizar os conhecimentos científicos e técnicos sobre os se, filo e reino. vírus e reconhecer que esses conhecimentos podem contri- Compreender a importância da nomenclatura binomial e reco- buir para a melhora da vida humana. nhecer que a primeira palavra do nome científico designa o gênero e a segunda, a espécie. I Sugestões de objetivos didáticos Conhecer as regras básicas da nomenclatura biológica e reco- Conhecer a estrutura geral dos vírus (acelulares, compostos nhecer sua importância para a comunicação científica. por um único tipo de ácido nucléico, por um capsídio protéico e, em alguns casos, por um envelope externo), reconhecen- Compreender os princípios básicos da elaboração das árvores do sua relativa simplicidade estrutural e bioquímica. filogenéticas e dos cladogramas, reconhecendo-as como formas de representar as relações de parentesco entre os seres vivos. Relacionar o fato de os vírus serem acelulares e bioqui- micamente simples, quando comparados a outros seres vi- Caracterizar cada um dos reinos de seres vivos (Monera, vos, com o fato de serem parasitas intracelulares obrigatórios. Protoctista, Fungi, Plantae e Animalia) quanto a: tipo de célula (procariótica ou eucariótica); quantidade de células (unicelular Discutir, com base em argumentos favoráveis e contrários, a ou multicelular); nutrição (autotrófica ou heterotrófica). questão de os vírus serem ou não seres vivos. Compreender e explicar porque os vírus não são incluídos em Conhecer, em linhas gerais, em que consiste uma infecção nenhum dos reinos de seres vivos (são acelulares). viral e explicar o que ocorre com a célula afetada (tem seu metabolismo controlado pelo vírus). Reconhecer que a in- fecção é a maneira de o vírus se multiplicar. Sugestões de atividades complementares Identificar, em esquemas e ilustrações, as etapas básicas do 1. Trabalhando com representações gráficas de árvores filogenéticas processo de reprodução de alguns vírus (bacteriófago, vírus (página 14) de gripe e vírus HIV). PARTE I — A DIVERSIDADE BIOLÓGICA 7MANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 7 22.06.2005, 18:37
  8. 8. Capítulo 3 - Os seres procarióticos: Relacionar a fotossíntese realizada pelas algas do fitoplâncton bactérias e arqueas com o aparecimento e a manutenção das taxas atuais de gás oxigênio na atmosfera terrestre e daí inferir possíveis conse- I Destaques temáticos qüências sobre a composição da atmosfera em caso de declínio Apresenta as características e a reprodução dos seres da população de algas fotossintetizantes do plâncton. procarióticos: bactérias e arqueas. Trata da diversidade das Estar informado sobre as doenças causadas por protozoários bactérias quanto à morfologia e à nutrição, entre outros as- (protozooses) e suas formas de disseminação e tratamento, pectos. Discute a importância das bactérias para a humanida- de modo a atuar positivamente, tanto no aspecto pessoal de (bactérias fixadoras de nitrogênio, bactérias decompositoras, como no social, para a prevenção dessas doenças. bactérias causadoras de doenças etc.). Traz um quadro de consulta em que são relacionadas algumas doenças I Sugestões de objetivos didáticos bacterianas, sua prevenção e formas de tratamento. Enumerar e explicar as principais características das algas: unicelulares ou multicelulares; células eucarióticas; nutrição I Objetivos gerais autotrófica fotossintetizante; presença de cloroplastos; even- Estar informado sobre as características das bactérias, as tual presença de parede celular; ambientes onde vivem. doenças que elas causam e suas formas de disseminação e Caracterizar e exemplificar os principais filos de algas: tratamento, de modo a atuar positivamente, tanto no as- Chlorophyta (algas verdes); Phaeophyta (algas pardas); pecto pessoal como no social, para a prevenção de doen- Rhodophyta (algas vermelhas); Bacillariophyta (diatomáceas); ças bacterianas. Chrysophyta (algas douradas); Euglenophyta (euglenóides); Inferir, a partir do conhecimento das formas de transmissão Dinophyta (dinoflagelados); Charophyta (carofíceas). de alguns tipos de bactérias patogênicas às pessoas, as princi- pais atitudes e medidas para prevenir seu ataque ao organis- Explicar, em linhas gerais, os principais processos de reprodução mo humano. assexuada em algas: divisão binária; fragmentação; zoosporia. Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Valorizar os conhecimentos científicos e técnicos sobre as Compreender e esquematizar o ciclo reprodutivo sexuado bactérias e reconhecer a importância desses conhecimentos de algumas algas. para a humanidade. Enumerar e explicar as principais características dos protozoários: unicelulares; célula eucariótica; nutrição heterotrófica. I Sugestões de objetivos didáticos Caracterizar e exemplificar os principais filos de protozoários: Conhecer a estrutura geral da célula bacteriana, reconhe- Rhizopoda (amebas); Actinopoda (radiolários e heliozoários); cendo-a como procariótica, e identificar, em esquemas, ilus- Foraminifera (foraminíferos); Apicomplexa (apicomplexos ou trações e fotografias, suas partes principais (parede, mem- esporozoários); Zoomastigophora (flagelados); Ciliophora brana, citoplasma, ribossomos, nucleóide, cromossomo, (ciliados). plasmídio e flagelo bacteriano). Descrever o processo geral de nutrição de um protozoário Conhecer o processo de reprodução das bactérias (assexuada (endocitose, formação de vacúolo digestivo, digestão por divisão binária). intracelular, clasmocitose) e explicar o papel do vacúolo Caracterizar e exemplificar bactérias quanto à nutrição: contrátil na osmorregulação de protozoários de água doce. autotróficas (fotoautotróficas e quimioautotróficas); hetero- tróficas (aeróbicas, anaeróbias e fermentadoras). Estar informado de que a maioria dos protozoários se repro- duz assexuadamente por divisão binária; conhecer e com- Conhecer os processos básicos pelos quais as bactérias po- preender os processos básicos sexuais (conjugação) no dem misturar seus genes: transformação, transdução e con- paramécio. jugação. Conhecer algumas doenças causadas por protozoários Reconhecer a importância das bactérias para a humanidade (amebíase; doença de Chagas; malária), associando cada uma (na produção de alimentos, na decomposição, na fertiliza- delas aos seguintes aspectos: agente causador, transmissão, ção do solo etc.). tratamento, prevenção. Capítulo 4 - Protoctistas: algas e protozoários Produzir esquemas e ilustrações legendadas para representar os ciclos da amebíase, da doença de Chagas e da malária. I Destaques temáticos Discute as polêmicas relativas à classificação atual de algas e Capítulo 5 - Fungos de protozoários. Apresenta a diversidade, as características e a reprodução de diferentes grupos de protoctistas e discu- I Destaques temáticos te a importância desses organismos para a humanidade (as Apresenta as características gerais dos diferentes tipos de fun- algas como constituintes do plâncton e na alimentação hu- go, com as novas tendências de classificação relativas ao reino mana, por exemplo). Traz um quadro de consulta em que Fungi. Trata da importância ecológica e econômica dos fungos são relacionadas algumas doenças causadas por protozoários, (na produção de alimentos, bebidas alcoólicas e medicamen- sua prevenção e formas de tratamento. tos, na decomposição, como causadores de doenças etc.) I Objetivos gerais I Objetivos gerais Valorizar o estudo sistematizado e aprofundado de seres vi- Valorizar o estudo sistematizado e aprofundado de seres vi- vos como os protoctistas, o qual permite reconhecer padrões vos como os fungos, o qual permite reconhecer padrões de de semelhança e de diferença entre os seres que nos rodeiam. semelhança e de diferença entre os seres que nos rodeiam. Estar informado de que as algas do fitoplâncton – em espe- Reconhecer a importância ecológica e econômica dos fungos cial as diatomáceas e os dinoflagelados – são os principais para a humanidade e estar informado sobre doenças causa- produtores de matéria orgânica nos mares e daí concluir que das por fungos e suas formas de disseminação e tratamento, a maioria dos seres heterotróficos marinhos depende de al- de modo a atuar positivamente, tanto no aspecto pessoal como gas planctônicas para viver. no social, para a prevenção de doenças micóticas. 8 PARTE II — VÍRUS, MONERAS, PROTOCTISTAS E FUNGOSMANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 8 22.06.2005, 18:37
  9. 9. I Sugestões de objetivos didáticos Descrever, em linhas gerais, o ciclo de vida das plantas, reco- Enumerar e explicar as principais características dos fungos: nhecendo-o como alternância entre gerações haplóides unicelulares ou filamentosos (hifas, micélios, corpos de (gametófitos) e diplóides (esporófitos) e identificando as fa- frutificação); eucarióticos; nutrição heterotrófica. ses do ciclo em que se formam gametas e esporos. Caracterizar e exemplificar os principais filos de fungos: Cythri- Comparar os ciclos de vida de briófitas, pteridófitas, gimnos- diomycota (citridiomicetos ou mastigomicetos); Zygomycota permas e angiospermas, identificando suas principais dife- renças e semelhanças quanto ao tipo de geração predomi- (zigomicetos); Ascomycota (ascomicetos); Basidiomycota nante, fase em que ocorre a meiose etc. (basidiomicetos); Deuteromycota (deuteromicetos). Identificar o estróbilo (pinha) e a flor como estruturas Explicar, em linhas gerais, os principais processos de repro- reprodutivas em que folhas férteis transformadas formam dução assexuada em fungos: fragmentação; esporulação; grãos de pólen ou óvulos. brotamento. Conceituar óvulo de plantas fanerógamas, reconhecendo-o Compreender, em linhas gerais, os processos de reprodução como a estrutura multicelular em que se forma o gameta sexuada em zigomicetos, ascomicetos e basidiomicetos. feminino, a oosfera. Reconhecer e explicar a importância dos fungos decompositores Conceituar grão de pólen de plantas fanerógamas, reconhe- (saprofágicos) na reciclagem da matéria orgânica dos cadáveres. cendo-o como a estrutura em que se formam os gametas Conhecer e exemplificar a importância econômica dos fun- masculinos, as células espermáticas. gos (como alimento, na produção de pão e de bebidas alcoó- Distinguir a fecundação simples, que ocorre em plantas licas, na fabricação de queijos etc.). gimnospermas, da fecundação dupla, que ocorre em plan- tas angiospermas. Sugestões de atividades complementares Conceituar semente, identificando suas partes básicas (cas- 2. Observando algas, protozoários e fungos (página 15) ca, endosperma e embrião) e explicando a origem de cada Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. uma delas; reconhecer a importância das sementes na adap- 3. Constatando a atividade dos levedos (página 15) tação das plantas ao ambiente terrestre. 4. Pesquisa: a história dos antibióticos (página 16) Identificar as partes básicas de uma flor: cálice, corola, 5. Trabalhando com desenhos e modelos (página 16) androceu e gineceu. Exemplos de mapas de conceitos Conceituar fruto, reconhecendo sua importância na prote- ção e na disseminação das sementes de angiospermas. 2. Vírus (página 33) Comparar os ciclos de vida dos diferentes grupos de plantas com relação à redução da fase gametofítica e à não-inde- pendência da água para a reprodução. PARTE III - DIVERSIDADE, ANATOMIA E FISIOLOGIA DAS PLANTAS CAPÍTULO 7 - Anatomia das plantas angiospermas I Destaques temáticos Capítulo 6 - Diversidade e reprodução das plantas Apresenta a formação dos principais tecidos vegetais, sua I Destaques temáticos estrutura e localização nos órgãos das plantas, o crescimen- Apresenta características gerais e diversidade dos principais to primário e o crescimento secundário de caules e raízes, grupos de plantas: plantas avasculares e plantas vasculares, além da Estrutura anatômica das folhas. plantas sem semente e plantas com sementes e plantas com I Objetivo geral frutos. Comenta as novas tendências na classificação das plantas, os ciclos reprodutivos dos grandes grupos de plan- Valorizar o conhecimento científico sobre a estrutura das tas e as relações de parentesco evolutivo entre eles. plantas, tanto para identificar padrões no mundo natural quanto para conhecer as estratégias peculiares desses seres I Objetivos gerais autotróficos, com os quais a espécie humana tem estreitas Conhecer as semelhanças e as diferenças entre os grandes relações de dependência. grupos de plantas, de modo a possibilitar reflexões e análi- I Sugestões de objetivos didáticos ses sobre as relações de parentesco evolutivo entre os com- ponentes do mundo vivo. Identificar as partes da raiz, do caule e da folha e conhecer a estrutura interna microscópica desses órgãos quanto aos Valorizar o conhecimento sistemático das plantas, tanto para iden- principais tecidos componentes. tificar padrões no mundo natural quanto para compreender a importância das plantas no grande conjunto de seres vivos. Conhecer a estrutura e a localização dos principais tecidos vegetais (epiderme, periderme, parênquimas, colênquima, Estar informado sobre a variedade de plantas das quais cer- esclerênquima, xilema, floema e meristemas). tas partes, como frutos e sementes, são utilizadas na ali- mentação humana. CAPÍTULO 8 - Fisiologia das plantas angiospermas I Sugestões de objetivos didáticos I Destaques temáticos Listar e explicar as principais características das plantas Apresenta os principais aspectos da nutrição mineral das plan- (multicelulares, eucarióticas, autotróficas); reconhecer que tas. Discute a importância da adubação e comenta as carac- as plantas apresentam um estágio de embrião, característica terísticas do solo favoráveis ao crescimento vegetal. Trata que as distingue das algas. também da nutrição orgânica das plantas pela fotossíntese Conhecer os principais grupos de plantas atuais (avasculares, e dos mecanismos de transporte de seiva bruta e de seiva vasculares sem semente, gimnospermas e angiospermas), elaborada. Apresenta os hormônios vegetais e seu papel no identificando suas características básicas e exemplificando crescimento e desenvolvimento. Discute ainda a relação en- com pelo menos um representante de cada grupo. tre a floração e os fitocromos. PARTE III — DIVERSIDADE, ANATOMIA E FISIOLOGIA DAS PLANTAS 9MANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 9 22.06.2005, 18:37
  10. 10. I Objetivos gerais análises não-preconceituosas sobre a posição que nossa es- Valorizar o conhecimento científico sobre a fisiologia das pécie ocupa no mundo dos seres vivos. plantas, tanto para identificar padrões no mundo natural quanto para conhecer as estratégias peculiares desses se- Capítulo 9 - Características gerais dos animais res autotróficos, com os quais a espécie humana tem es- treitas relações de dependência. I Destaques temáticos Conhecer as necessidades básicas das plantas quanto à nu- Apresenta as características gerais dos animais e um resumo trição mineral e orgânica, reconhecendo a importância des- dos principais filos do reino Animalia. Trata das semelhanças ses conhecimentos para a preservação dos ambientes ter- e diferenças relativas ao desenvolvimento embrionário dos restres, nos quais as plantas são fundamentais pois delas principais filos animais e compara seus principais sistemas dependem muitos animais, inclusive a espécie humana. corporais: sistemas esqueléticos, sistemas digestórios, sistemas de transporte corporal, sistemas respiratórios e I Sugestões de objetivos didáticos sistemas excretores. Comenta, ainda, uma hipótese das Conhecer as substâncias minerais de que as plantas necessi- relações evolutivas entre os principais grupos animais quanto tam (micronutrientes e macronutrientes) e compreender os à evolução. princípios da adubação do solo. I Sugestões de objetivos didáticos Explicar como a água e os sais minerais absorvidos pelas Listar e explicar as principais características dos animais raízes chegam até as folhas (transporte pelo xilema). (multicelulares, organização celular eucariótica, nutrição Reconhecer a fotossíntese como a fonte primária de alimen- heterotrófica, presença de tecidos e de órgãos); reconhecer tos orgânicos para as plantas. que os estágios de blástula e de gástrula são características Identificar e explicar os fatores limitantes da fotossíntese e exclusivas de animais. entender o que é ponto de compensação luminosa. Reconhecer os nove filos animais apresentados no texto Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Explicar a teoria de Münch para o deslocamento da seiva (Porifera, Cnidaria, Platyhelminthes, Nematoda, Mollusca, elaborada pelo floema. Annelida, Arthropoda, Echinodermata e Chordata), exemplificando com pelo menos um representante de Caracterizar hormônio vegetal e identificar os principais gru- cada filo. pos de hormônio (auxinas, giberelinas, citocininas, ácido abscísico e etileno), associando-os às suas funções na planta. Caracterizar animais diblásticos e triblásticos, reconhecendo que, exceto poríferos e cnidários, todos os filos são Descrever a ação das auxinas na determinação dos tropismos triblásticos. da raiz e do caule e no fenômeno da dominância apical. Caracterizar animais acelomados, pseudocelomados e Definir fotoperiodismo e explicar o que são plantas de dia celomados, e citar o filo (ou filos), dentre os nove estuda- longo, plantas de dia curto e plantas indiferentes; relacionar dos, em que cada uma dessas três características ocorre. fotoperiodismo com os fitocromos. Distinguir os processos esquizocélico e enterocélico de for- mação do celoma e identificar os filos animais em que Sugestões de atividades complementares cada um desses processos ocorre; reconhecer a associa- 6. Construindo um terrário de briófitas (página 16) ção entre o tipo de celoma e o destino do blastóporo 7. Observando esporângios de pteridófitas (página 16) (esquizocelomado ⇔ protostômio; enterocelomado ⇔ deuterostômio). 8. Observação de órgãos reprodutivos de fanerógamas (página 16) Definir simetria, distinguindo simetria radial de simetria bila- 9. Observando sementes (página 16) teral; apontar o tipo de simetria presente ou predominante 10. Observando raízes (página 17) em cada filo e sua possível relação com o modo de vida de 11. Observando caules e folhas (página 17) seus representantes. 12. Observando o gravitropismo (ou geotropismo) (página 18) Explicar o papel das cavidades corporais internas (pseudo- celoma e celoma) na distribuição de substâncias e na acomo- 13. Observando plantas no ambiente natural (página 18) dação de órgãos internos. Exemplos de mapas de conceitos Definir metameria, reconhecendo e explicando sua impor- tância na história evolutiva dos animais; identificar os filos 3. Principais grupos de plantas (página 34) de animais em que a metameria está presente. 4. Ciclo de vida das plantas sem sementes (página 34) Conhecer os diferentes tipos de esqueleto (hidrostático, 5. Ciclo de vida das plantas com sementes (página 35) exoesqueleto e endoesqueleto), relacionando-os com os filos 6. Nutrição das plantas (página 36) animais em que estão presentes. 7. Hormônios vegetais (página 37) Caracterizar sistema digestivo completo e sistema digestivo incompleto, identificando os filos animais em que cada tipo está presente; citar e descrever algumas diferenciações do PARTE IV - DIVERSIDADE DOS ANIMAIS tubo digestivo (estômago, papo, moela e intestino). Reconhecer o papel dos diferentes tipos de transporte de I Objetivos gerais para todos os capítulos desta parte substâncias no corpo dos animais (transporte por difusão e Estar consciente da importância de conhecer a variedade sistemas circulatórios) e relacionar o tipo de transporte aos das características animais, tanto para ampliar a compreen- filos animais em que ocorrem. são geral sobre o fenômeno vida, quanto para utilizar esse Caracterizar sistema circulatório aberto e sistema circulató- conhecimento em aspectos práticos, como distinguir animais rio fechado, identificando os filos animais em que cada tipo úteis dos potencialmente perigosos à nossa espécie. está presente; definir sangue e hemolinfa com base no tipo Reconhecer semelhanças e diferenças entre a espécie hu- de sistema circulatório (sangue ⇔ sistemas fechados; mana e outros animais, de modo a poder refletir e fazer hemolinfa ⇔ sistemas abertos). 10 PARTE IV — DIVERSIDADE DOS ANIMAISMANUAL_BIO_2_PNLEM_001_043 10 22.06.2005, 18:38

×