sermaisfidi
GOIÁSGOIÁSO ESTADO QUE NÃO PARA DE CRESCER
E A FUNDAÇÃO IDI CRESCE JUNTO
LIDERANÇA
A consultora Cristina
Gaspar...
SERMAISFIDI
É uma publicação bimestral voltada ao público
interno (colaboradores), desenvolvida pela área
de Comunicação e...
QUEM
FABIO ROBERTO
O QUE FAZ
Gerente de Contrato
COMENTÁRIO
Faço parte do Clube dos Desbravadores. O Clube dos Desbravador...
Lider em radiologia
Wanderley G. Antonio
Juliana L. da Silva
Alessandro R. da Silva
Carlos P. Pereira
Marcos Alessandro He...
9
O
governo do Estado de São Paulo criou, há
um ano, o projeto “Mulheres de Peito”. São
quatro unidades móveis equipadas c...
10 11
SERMAISFIDI: Há quanto tempo
trabalha na FIDI?
Kathya sena: Trabalho na Fidi há 13 anos.
Desde 2001, com na época, 3...
12
DESENVOLVIMENTO
eSCOLA DE LIDERES
Projeto tem o objetivo de proporcionar conhecimento sobre técnicas e métodos de
traba...
TALENTO
14 15
J
uliana Aparecida Ribeiro Rodrigues, 36
anos, Coordenadora de Enfermagem, é
Judoca e ama fotografia. Inicio...
BATE PAPO
16 17
1. Como planejar minha carreira?
Pensar em carreira hoje em dia é antes de tudo
saber que precisamos nos r...
Na minha
opinião, a
mudança é
necessária
para a
sobrevivência
das empresas
e, por
consequência,
dos
profissionais.
Por iss...
CAPA
20 21
Terra Querida
Fruto da
vida
A história da FIDI está ligada à Goiás, o estado brasileiro que, com uma
visão de f...
31.548
NÚMERO DE
EXAMES
REALIZADOS EM
2012
LINHA DO TEMPO
GOIÁS
CAPA
22 23
Desde março de 2012 a Fundação IDI atua em
cinc...
24
CAPA
Por todas unidades onde a Fundação IDI
atua, percebe-se o nível do serviço entregue
carinhosamente a cada cidadão....
SER MAIS FIDI | Dez e Jan 2015
CAPA
26 27
NOVOS DESAFIOS
A Fundação IDI conquistou neste ano mais quatro
unidades de atend...
29
PAPO DE TÉCNICO
sigilo
A importância do sigilo e segurança do paciente no serviço de Radiologia
POR RAFAEL GALLUCCI
Raf...
ESPECIAL
projeto INTEGRA
Resultados positivos mantém engajamento dos colaboradores
R
elembrando sua apresentação na edição...
Em toda edição visitaremos algumas de nossas unidades para conhecermos nossa gente e o
seu dia-a-dia de trabalho. Somos mu...
34 35
POR DENTRO DA FIDI
SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
Referência no segmento de saúde pública na
cida...
36
POR DENTRO DA FIDI
SER MAIS FIDI | Jan 2015
APROVAÇÃO
O nível de satisfação dos usuários para diversos serviços prestad...
”
Há muito tempo venho observando o verdadeiro
pavor das pacientes ao entrar na sala de
mamografia para realizar o exame. ...
Revista ser mais fidi   edição jan 2015
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revista ser mais fidi edição jan 2015

591 visualizações

Publicada em

Divulgação da entrevista de Cristina Gaspar sobre liderança e carreira para a Revista Ser Mais - 1a. edição - janeiro 2015

Publicada em: Recrutamento e RH
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
591
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista ser mais fidi edição jan 2015

  1. 1. sermaisfidi GOIÁSGOIÁSO ESTADO QUE NÃO PARA DE CRESCER E A FUNDAÇÃO IDI CRESCE JUNTO LIDERANÇA A consultora Cristina Gaspar dá dicas de como ser um bom líder OLHA EU AQUI: VEJA POR ONDE NOSSOS COLEGAS ESTÃO ANDANDO (OU SALTANDO) DISTRIBUIÇÃO GRATUITA ED 02 ANO 01 JANEIRO 2015
  2. 2. SERMAISFIDI É uma publicação bimestral voltada ao público interno (colaboradores), desenvolvida pela área de Comunicação e Marketing, sob aprovação da Superintendência Comercial e Diretores Corporativos. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO e diretorIA Profº Drº Jacob Szejnfeld Profº Drº Nitamar Abdala Profº Drº Sergio Ajzen Profº Drº Roberto Nogueira Superintendente Geral Antônio Américo SUPERINTENDENTE COMERCIAL E MARKETING Marcelo Cunha EXPEDIENTE Mais um ano se passou, e passou rápido não é verdade? Estamos na segunda edição da revista (parece que foi ontem que lançamos a primeira) Ser Mais Fidi. Queremos já antecipadamente agradecer cada um de vocês que nos apoiaram, elogiaram e contribuíram nestas duas primeiras edições. A satisfação que sentimos em produzir um material exclusivo para você, que trabalha arduamente para tornar cada dia mais a FIDI um sinônimo de referência, é enorme. Nossa seção “Olha eu aqui” desta edição está imperdível, onde mostramos quatro colaboradores que saltaram de paraquedas! Você não pode deixar de olhar também nossa coluna de Talento e Destaque. E prepare-se; quem sabe você não é o próximo? No Giro, acompanhamos o dia das crianças especial que a FIDI preparou e na seção Saúde, mostramos as carretas da mamografia. Você conhece este projeto incrível da FIDI em parceria com o Governo? Aproveite e veja como funciona! Ah, você não pode deixar de ler a entrevista especial com a Cristina Gaspar, da Sferas Consultoria! Ela dá dicas imperdíveis de como alcançar um cargo de liderança e o que fazer quando se assume um. Essas dicas valiosas podem mudar sua trajetória profissional! Conhece Goiás? Para a maioria daqueles que atuam no Estado de São Paulo, a resposta deve ser não. Pelo menos, não até agora. Porque nossa reportagem de capa conta um pouco da história da FIDI no Estado de Goiás e mostra as unidades nas quais atuamos, sendo um verdadeiro “raio-x” que identifica nossos números e indica os próximos desafios. Se você trabalha diretamente com um de nossos médicos, já deve ter ouvido falar sobre o projeto Valoriza. Se você não sabe qual o objetivo deste projeto, corre lá na seção Organização e descubra. Não podemos novamente deixar de agradecer a Dra. Vivian Milani e o Dr. Rafael Gallucci, com suas colunas que enriquecem nossa área técnica. E por fim queremos desejar um 2015 cheio de gratas surpresas e grandes desafios, que certamente, com muita vontade, disposição e determinação nos levarão para novos patamares. 2015: motivação para vencer novos desafios 3 TALENTO pág 14 Judô ou Fotografia? Qual você prefere? A Juliana prefere as duas! CAPA pág 20 Conheça um pouco da história da FIDI em Goiás! PAPO DE TÉCNICO pág 29 A importância do sigilo e segurança do paciente Dra. Vivian fala sobre a importância de realizar um exame de mamografia de forma adequada MÉDICO PARA TÉCNICO 37Cristina Gaspar dá dicas de como ser (ou se tornar) um bom líder BATE PAPO 16 Conhece o projeto Valoriza? Veja os benefícios que ele trará ORGANIZAÇÃO 28 Conheça as unidades onde a FIDI atua! POR DENTRO DA FIDI 32 Fotos, mensagens, notícias que acontecem por aqui! SEU ESPAÇO 04 Sumário Editorial SER MAIS FIDI | Set e Out 2014 capa, PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Gerson Rodrigues Junior ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Daniel Vasconcelos Colaboradores Dra. Vivian Milani Dr. Rafael Galuti TIRAGEM DESTA EDIÇÃO On-line Direitos autoriais FIDI - Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem Conheça o projeto Escola de Líderes que se iniciou em 2014 desenvolvimento 12 Conheça a história da Kathya, colaboradora da FIDI há 13 anos DESTAQUE 10 O projeto Integra termina 2014 com sucesso. Veja os princípais destaques! ESPECIAL 30
  3. 3. QUEM FABIO ROBERTO O QUE FAZ Gerente de Contrato COMENTÁRIO Faço parte do Clube dos Desbravadores. O Clube dos Desbravadores desenvolve atividades para juvenis de 10 a 15 anos, ensinando a lei do amor próprio, do amor ao próximo e do amor para com Deus, formando cidadãos melhores. O Clube é hoje uma organização mundial com quase 1.300.000 membros. Participar deste projeto também me faz um ser humano melhor. SEU ESPAÇO Olha eu aqui! Mande um e-mail para mkt@fidi.org.br com uma foto e uma breve explicação do momento no qual a foto foi tirada. As fotos selecionadas aparecerão na próxima edição da revista, na seção “Olha eu aqui!” QUER APARECER NA REVISTA? 4 5 QUEM ANDERSON RUZENE, CESAR MENEZES, LEILA IKEDA E DANIEL DANTAS O QUE FAZ Superintendente de Operações, Analista de Infraestrutura, Assessora da Superintendência e Especialista em RH COMENTÁRIO Em Outubro, o pessoal da FIDI resolveu usar toda a adrenalina. Quatro de nossos colaboradores saltaram de paraquedas. “Simplesmente fantástico, uma sensação incrível de liberdade!!! Voar, voar!” são as palavras do Anderson. Cesar disse que foi “Sem comparação. Hoje posso falar que vi a terra de uma outra maneira”. Já Daniel, disse que “Superação dos medos e uma vontade grande de saltar novamente assim que pisei no chão! Sensação indescritível”. Leila, finaliza com uma frase de Leonardo da Vinci: “Uma vez que você tenha experimentado voar, você andará pela terra com seus olhos voltados para céu, pois lá você esteve e para lá você desejará voltar.” QUEM EDSON SOUZA O QUE FAZ Supervisor de Unidade - Cachoeirinha COMENTÁRIO Meu primeiro mergulho em alto mar (Porto Seguro). Tive muito medo, pois descer 20 metros abaixo da água me deixou sufocado. Mas a visão que tive do coral e peixes foi maravilhosa! QUEM FÁTIMA TRINDADE O QUE FAZ Supervisor de Unidade - Hospital Geral de São Mateus COMENTÁRIO A foto é com minhas filhas, irmãs, primas e amiga. Foi tirada em 30/08/14 em comemoração ao meu aniversário. FAMÍLIA, MELHOR PRESENTE. SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  4. 4. Lider em radiologia Wanderley G. Antonio Juliana L. da Silva Alessandro R. da Silva Carlos P. Pereira Marcos Alessandro Heredia Mercia Aparecida A. dos Santos Norberto Cla Dias Thiago Amorim Ferreira Denilson Rodrigues Correia Cristina Vieira L. G. Pereira Rodrigo Ferreira dos Santos Adezilei Mineiro de Souza Paulo Cesar Ferreira da Silva Claudete Pereira de Souza Antonio Luis Passerini Rosani Batista C. Rosa Luiz Carlos Cordoba Donizete Martins Rosa Pires dos Santos Gustavo Araujo dos Santos Marcos de Matos Santos Flavio da Silva Almeida Ricardo dos Santos Alexandre Maria Gorete M. R. da Silva Marcia Cristina Sanches Regina Celia Coutinho Juliana Gomes de Moura Thiago Neves dos Santos Eliana Lima Ediceia Pereira da Silva Leandro Costa Oliveira Makson Aldeilson G. H. Campelo Robson Ferreira de Santana Alberto de Miranda e Silva Eduardo Gois Fernandes Ricardo Vazquez De Barros Carlos Eduardo T. da Silva Kelly Ferreira Meira TÉCNICO em radiologia Charmeny Alves Bezerra Camila Oliveira da Silva Fidelcina Alves de Jesus ASSISTENTE DE IMAGEM Douglas Vieira Ribeiro Felipe E. Caetano da Silva VALORIZA Aqui você confere os colaboradores que foram admitidos e promovidos, veja abaixo! GIRO 6 O QUE LANÇAMENTO DO PROJETO VALORIZA EM GOIÁS QUANDO Novembro de 2014 SOBRE Foi lançado em Novembro o projeto Valoriza, cujo outras informações você pode encontrar em uma de nossas seções. Buscando atingir os médicos de Goiás, o Dr. José Roberto - Superintendente Médico - realizou um evento exclusivo, que contou com um brunch e uma detalhada explicação de como funciona o projeto. Estiveram presentes os médicos que atuam no estado de Goiás. 7 “Agradeço à FIDI pela oportunidade e pela confiança em mim. Com certeza serei dedicado e íntegro para corresponder às necessidades da empresa.” Alex Sandro Gomes Ger. de Engenharia e Infraestrutura O QUE NATAL SOLIDÁRIO QUANDO Dezembro de 2014 SOBRE A FIDI mais uma vez, através de seus colaboradores, permitiram que centenas de crianças tivessem um Natal especial. Foram distribuídos mais de 300 brinquedos que tiveram participação direta da Fundação. Muito obrigado! O QUE DIA DAS CRIANÇAS QUANDO Outubro de 2014 SOBRE Aconteceu em Outubro a comemoração da FIDI pelo Dia das Crianças. Alguns colaboradores da FIDI levaram seus filhos para o Buffet Village Kids, localizado na Vila Prudente. O amplo espaço possui inúmeros brinquedos, onde as crianças puderam passar uma divertida tarde ao lado de seus pais. O evento contou com a participação total de mais de 400 pessoas, entre pais e filhos. O QUE DIA DO MÉDICO QUANDO Outubro de 2014 SOBRE Para comemorar o Dia do Médico, a Fundação IDI preparou um evento especial. O espetáculo “As Olivas”, com a participação de três comediantes mulheres que fizeram um stand up super divertido em uma casa de shows na rua Augusta. O evento também abordou assuntos voltados à área médica e contou com a participação de médicos, assim como toda a equipe de suporte. Giro Fique por dentro do que acontece na FIDI GERENTE DE CONTRATOS Fernando Chagas BIOMÉDICA Simone Giselle Alexander SUPERVISOR TÉCNICO Paulo Roberto Pontes Fernando de Oliveira Marques SUPERVISOR UNIDADE Aruquia Costa P. Miranda ENFERMEIRA Flavia Mendes da Silva ENCARREGADO DE SERVIÇO Gleiciely de Araujo Claudia Aparecida Teixeira SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  5. 5. 9 O governo do Estado de São Paulo criou, há um ano, o projeto “Mulheres de Peito”. São quatro unidades móveis equipadas com mamógrafos e ultrassonografia que circulam no estado de São Paulo. A carreta-móvel já passou por 27 locais: cidades do interior, litoral e região metropolitana da capital. O principal foco do programa é atender mulheres entre 50 e 69 anos, que estão mais propícias a desenvolver o câncer de mama. Mulheres nesta faixa etária não precisam de pedido médico para realizar o exame na carreta, basta chegar e fazer. Pacientes com menos de 50 anos também podem realizar o exame nas unidades móveis, porém, precisam ter em mãos um pedido médico, que pode ser emitido pela rede pública ou privada. Neste primeiro ano de excelente funcionamento, mais de 30 mil mulheres realizaram o exame de mamografia e as que apresentaram alguma alteração foram encaminhadas para hospitais com atendimento especializado. Foram realizados também cerca de 1.000 ultrassonografias. As unidades móveis de mamografia contam com uma equipe multidisciplinar composta por técnicas em radiologia, profissionais de enfermagem, funcionários administrativos e um médico ultrassonografista. As carretas possuem 15 metros de comprimento, 4,10 metros de altura e, quando abertas, 4,90 metros de largura. Além do mamógrafo, cada veículo é equipado com um aparelho de Ultrassom, conversor de imagem analógicas em digitais, impressoras, antenas de satélite, computadores, mobiliários, sanitários e elevadores PNE. A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico - FIDI - e a FlexMundi - empresa responsável pelo desenvolvimento, equipamentos e logística das carretas - têm boas perspectivas de crescimento para 2015. O governo do Estado investiu 14 milhões no projeto “Mulheres de Peito” e pretende investir ainda mais na saúde, levando as unidades móveis para outras localidades. Conheça um pouco mais deste projeto e como a FIDI participa desta luta! mULHERES DE PEITO SAÚDE O principal foco do programa é atender mulheres entre 50 e 69 anos, que estão mais propícias a desenvolver o câncer de mama ” “ SER MAIS FIDI | Jan 2015
  6. 6. 10 11 SERMAISFIDI: Há quanto tempo trabalha na FIDI? Kathya sena: Trabalho na Fidi há 13 anos. Desde 2001, com na época, 34 anos. SMF: Quais áreas/setores você já passou? Quais cargos já exerceu até hoje? ks: Sempre na área administrativa. Iniciei como Agente Administrativo, atuando posteriormente como Encarregada de Serviços e atualmente como Supervisora de Unidade. SMF: Como é sua rotina de trabalho? ks: Sou responsável pelo gerenciamento e planejamento de rotinas nas áreas administrativas e técnicas da unidade onde atuo - Quarteirão da Saúde – em Diadema SMF: O que te levou a trabalhar na FIDI? ks: Sempre desejei trabalhar em uma grande empresa na área. Visando crescimento profissional na área da saúde e aprimorar meus conhecimentos, comecei a procurar emprego, quando surgiu a oportunidade na Fundação. Na época a FIDI ainda não tinha a proporção que tem hoje, mas tinha vontade de crescer, o que me chamou a atenção. SMF: Que mudanças você viu acontecer ao longo desses anos? ks: Crescimento em todos os aspectos. Quando iniciei em 2001 na FIDI, éramos um órgão suplementar da Escola Paulista de Medicina do Departamento de Imagem DDI. Ao decorrer dos anos tivemos mudanças: passamos a ter sede, um sobradinho, localizado na Rua Embaú. Depois passamos a ser o Instituto de Diagnóstico por Imagem e a empresa continuou a crescer. Então se fez necessária nova mudança e a sede foi transferida para Rua Onze de Junho, com Na sessão +DESTAQUE, você vai conhecer a história de quem faz a Fundação IDI: nossos colaboradores! Neste mês, vamos conhecer a história da colaboradora Kathya Christina Araujo Sena de 45 anos, Supervisora de Unidade do Quarteirão da Saúde, em Diadema, que conta sua trajetória na FIDI. Para mim existe um fator funda- mental em qualquer empresa: relação de respeito e reconheci- mento para com os cola- boradores. ” DESTAQUE uma área bem maior com salas de reuniões, onde começamos a ter os diversos departamentos. Logo após nos tornamos Fundação IDI. Hoje tenho muito orgulho quando estou em frente a nossa sede na Rua dos Ingleses, pois percebo como a empresa cresceu, venceu e continua lutando para se manter no mercado. Um verdadeiro time! SMF: O que te fez permanecer na FIDI até hoje? ks: Para mim existe um fator fundamental em qualquer empresa: relação de respeito e reconhecimento para com os colaboradores. E essa sempre foi uma marca na Fundação IDI. SMF: O que você mais gosta no seu trabalho? EM: Ver a satisfação de um cliente bem atendido. Quando olho o resultado final, onde o paciente consegue seguir seu tratamento, receber a esperança de volta a cada resultado de exame, vejo o quanto este trabalho é gratificante. SMF: Qual seu objetivo pro futuro? EM: Gerenciar minha carreira para assumir novos desafios, para assim continuar colaborando com esta empresa que me recebeu tão bem por estes onze anos de dedicação e serviço. SMF: Qual o sentimento de ser uma das funcionárias mais antigas da fidi? EM: Uma sensação boa, de dever cumprido. Cada dia me esforço para atender a expectativa do cliente e da FIDI. Isso se torna natural, parte do dia a dia e nem lembro dos anos de serviços prestados. SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015 “
  7. 7. 12 DESENVOLVIMENTO eSCOLA DE LIDERES Projeto tem o objetivo de proporcionar conhecimento sobre técnicas e métodos de trabalho atrelados as competências comportamentais da Organização A tualmente o líder tem o papel de interpretar e administrar o sentido que as pessoas dão ao trabalho e também é visto pela organização como um profundo conhecedor do negócio. Nesse contexto, visando manter sua gestão engajada e alinhada aos valores e planos da organização, a FIDI, através da área de DRHO, iniciou em 2014 sua “Primeira Escola de Líderes”, com intuito de proporcionar conhecimentos sobre técnicas e métodos de trabalho atrelados as competências comportamentais da organização (Ganhos e eficiência com redução de custos / Sistematização e controle, Comunicação Eficaz e Foco na satisfação do cliente). Neste ano foram desenvolvidos três módulos, os quais você confere a seguir: Ganhos e eficiência com redução de custos / Sistematização e Controle Objetivo Geral: desenvolver habilidade de conduzir ações e cumprir metas, através do gerenciamento de processos, indicadores de desempenho e pessoas; adotar critérios, métodos e/ou procedimentos de organização para utilizar adequadamente seus recursos humanos, técnicos e materiais, declarando quais são os pontos críticos de controle. Comunicação Eficaz Objetivo Geral: disponibilizar instrumentos para a gestão das adversidades no processo de comunicação; desenvolver um estilo de comunicação eficaz, capaz de ouvir atentamente e entender os pensamentos, sentimentos e preocupações não verbais ou parcialmente expressos pelos colaboradores envolvendo todos os níveis da organização. Foco na Satisfação do Cliente Objetivo Geral: possibilitar o entendimento das diretrizes estratégicas da FIDI e refletir sobre as condições atuais para que as metas alcançadas; refletir sobre a imagem da FIDI à partir da visão externa (mercado, concorrentes e clientes); projetar o cenário futuro almejado e ações para concretizá-lo, contribuindo com a qualidade da prestação do serviço e consequentemente à satisfação de todos os nossos clientes, razão do nosso trabalho. Dentre a metodologia aplicada no programa vale ressaltar a utilização do Assesment – DISC (análise pessoal) - ferramenta essa que é capaz de promover o auto conhecimento e assim, possibilitará um melhor alinhamento para atingir objetivos estratégicos. O programa teve início em agosto de 2014. AGUARDEM... Em 2015 novas estratégias de desenvolvimento! Inspirar pessoas comuns pode levá-las a fazer coisas incomuns. Grandes líderes sabem que se a respiração é vital ao corpo a inspiração é essencial à alma “ “ SER MAIS FIDI | Jan 2015 UNIDADES MÓVEIS E MODULARES DIAGNÓSTICOS, AMBULATÓRIOS SAÚDE DA CRIANÇA, ADULTO E IDOSO, LABORATÓRIOS E OUTROS FLEXMUNDI Phone: +55 11 4208 5862 www.flexmundi.com / contato@flexmundi.com
  8. 8. TALENTO 14 15 J uliana Aparecida Ribeiro Rodrigues, 36 anos, Coordenadora de Enfermagem, é Judoca e ama fotografia. Iniciou no Judô com 16 anos, em Cruzeiro (SP), sua cidade natal. Na época com seu mestre, Sensei Marco. Em Ribeirão Pires, cidade onde reside atualmente, Juliana praticou a modalidade por cinco anos, com o Sensei Nery. Porém, uma infeliz surpresa suspendeu a prática do esporte. “Após uma lesão no joelho fiquei afastada por um ano”, conta. No decorrer destes cinco anos, Juliana aprendeu lições valiosas: “disciplina, respeito e caminho suave são lições do Judô que levo comigo”. Caminho suave é uma menção ao significado da palavra Judô em Japonês (柔道 Juu Dou - “caminho suave”). Números dignos de uma atleta de respeito foram conquistados por ela neste período. Foram 17 medalhas dentro dos cinco anos, sendo a mais importante o 3º lugar no campeonato regional. Para isso, nossa faixa laranja se insparava em Aurélio Miguel, campeão Mundial e representante do Brasil nas principais competições. Depois da lesão, Juliana não conseguiu mais retornar ao esporte. Após alguns anos, surgiu um novo hobby: fotografia. “Tudo começou há um ano. Meu marido é fotógrafo profissional e, com o convívio dentro de casa, comecei a brincar com a câmera fotográfica”, explica ela. Após alguns meses de aulas particulares com seu marido (Julio Cesar), Juliana arriscou o primeiro ensaio: “Lembro que foi um ensaio com a filha de uma amiga. Estávamos no final de semana na praia, comecei a fotografar e acabamos passando a tarde em um ensaio”. Desde então, incentivada por seu marido, ela não parou mais. Sua grande preferência é fotografar gestantes. “Gosto de captar este momento tão especial que faz parte da vida da mulher”. Algumas fotos tiradas por Juliana você pode conferir a seguir! Se você tem um talento além dos seus profissionais, você pode estar na revista Ser Mais Fidi. Nesta edição, vamos conhecer a Juliana Ribeiro, Judoca e Fotógrafa há mais de 07 anos. SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  9. 9. BATE PAPO 16 17 1. Como planejar minha carreira? Pensar em carreira hoje em dia é antes de tudo saber que precisamos nos responsabilizar e assumir o controle do caminho profissional que queremos percorrer. O mercado de trabalho mudou, as empresas mudaram e não querem mais assumir esse papel, por isso quanto mais cedo nos preocuparmos em definir o que queremos e o que precisamos realizar para conquistar isso, maiores serão as chances de sucesso. A dica é: comece por uma pergunta ampla, ou seja, em qual área de atuação profissional quero me especializar? A partir dessa resposta, comece a entender como funciona esse mercado, quais as possibilidades de crescimento, tendências da profissão, competências e habilidades necessárias e trace um plano pessoal de carreira focado no seu objetivo. 2. O que é liderança? É bom se tornar um líder? Em uma visão bem objetiva, ser líder é dar direção, orientar e motivar a equipe. Portanto, começa com um papel primário que é definir o objetivo ou onde se quer chegar, é isso que fará com que cada membro da equipe perceba qual sua contribuição com a missão do grupo. A partir daí, o líder necessita estar atento para orientar e conduzir os liderados sempre que necessário, lembrando que cada um tem um nível de prontidão e competências, por isso esse esforço é individualizado. E, por último, o grande desafio é motivar as pessoas para que elas queiram fazer o caminho, dando o seu melhor a cada passo. Digo que a motivação é o principal desafio, pois não basta fazer ou realizar, hoje as empresas necessitam de alto grau de engajamento dos profissionais para competir nos mercados, por isso é preciso fazer mais com menos, encontrar soluções criativas todos os dias para instalar a melhoria contínua na cultura da Organização. Agora, se é bom se tornar um líder depende apenas do desejo e da convicção do profissional no exercício dessa função, pois nem todos querem assumir esse papel e nem por isso deixam de desempenhar brilhantemente a sua profissão. 3. Como alcançar um cargo de liderança? Quais os passos? Na verdade alcançar postos de liderança depende essencialmente da capacidade do profissional de demonstrar seus talentos e o valor que ele agrega para a equipe, área e negócio. É claro que algumas atitudes são fundamentais para isso, assim podemos citar a capacidade criativa para a solução de problemas, a iniciativa, a habilidade interpessoal, seja para comunicar- se e relacionar-se produtivamente seja para solução de conflitos e disseminação do espírito de equipe. Sempre reforço nos treinamentos que ministro que não basta saber que temos essa ou aquela competência, é preciso demonstrar e ser percebido por isso. O conhecimento técnico também é importante, mas certamente se o profissional chegou nesse ponto é porque já foi reconhecido por isso. 4. Conquistei um cargo de liderança. O que fazer? É possível aprender a ser líder? A liderança começa pela liderança de si, pois o líder precisa dar exemplos inspiradores de práticas alinhadas com a cultura e os valores organizacionais. Além de leituras, cursos de liderança, é sempre bom incluir o processo de coaching como ferramenta de autoconhecimento e desenvolvimento das habilidades requeridas. A aprendizagem da habilidade de liderança passa pelo reconhecimento dos próprios talentos e habilidades e também pela capacidade de se relacionar e reconhecer as competências e necessidades de aprimoramento de cada liderado. Qualquer um pode aprender a ser um líder, mas a pré-condição é querer isso! Nem todas as pessoas têm essa aspiração, mas nem por isso deixam de prestar uma excelente contribuição às equipes com as quais trabalha. 5. Quais erros devo evitar? O erro na verdade faz parte do processo de aprendizagem e da busca pela inovação. Se apenas fazemos e escolhemos alternativas já conhecidas e testadas, jamais vamos experimentar algo novo e colher frutos diferentes. Mas é claro que a possibilidade de erro deve transitar dentro de uma margem saudável para a equipe e negócio. Se pensarmos mais filosoficamente no papel de liderança, diria que erros a serem evitados são aqueles que colocam o ser humano num patamar de igualdade, seja de competências, seja de expectativas e entregas. Cada ser humano é um indivíduo próprio e, como tal, deve ser tratado e conduzido com suas particularidades, sempre com respeito, ética e retidão. Assim, é um erro implantar ações de reconhecimento e recompensas iguais para todos, pois tanto o desempenho quanto as bases motivacionais são diferentes de um para outro. A comunicação e o tratamento massificados não funciona, é preciso olhar cada um e enxergar quais são as aspirações que o move e os medos que o paralisa, é assim que funciona! 6. Existe diferença entre chefe e líder? Sim existe! Poderia dizer que chefe é aquele que manda e líder é aquele que inspira pessoas a entregarem o seu melhor. Aqui estamos falando de dois modelos de condução de pessoas que estão intimamente ligados à história da administração moderna e da gestão de pessoas. Até a década de 60, os modelos empresariais valorizavam a linha de produção e a padronização do desempenho. Como o que importava era apenas produzir dentro do padrão estabelecido, a condução de pessoas levou ao fortalecimento do ‘estilo chefe’ que conferia, validava e punia. Com a introdução do conceito de competências CHA (conhecimento – habilidades – atitudes) e, simultaneamente, com a abertura dos mercados, globalização e acirramento da competitividade, as Organizações entenderam que era preciso desenvolver um perfil mais inspirador e estimulante para entregas diferenciadas, e, com isso, o ‘estilo líder’ ganhou força e é o mais requisitado hoje em dia. Acredito que o futuro pede mais, onde a busca será pelo estilo Líder Coach, ou seja, um líder que é capaz de despertar no seu liderado o desejo e a busca pelo autodesenvolvimento. 7. Quais são as características mais indicadas de um bom líder? Primeiramente, é a capacidade de enxergar à frente, a chamada Visão de Futuro, pois é assim que ele vai definir os objetivos e metas da equipe sob seu comando. Depois entra a capacidade de superar desafios e manter o foco ao longo da “partida”, mesmo com tempestades e trovoadas. Nesse momento, nasce a necessidade de uma outra competência que é a de criar planos de ação ou de percurso onde recursos, prazos e tarefas são organizadas para que se atinja o alvo desejado. É preciso também que esse líder assuma a responsabilidade pessoalmente pelos resultados, isso exigirá que ele tenha persistência e ao mesmo tempo flexibilidade e agilidade para mudar algo no meio do “jogo”. Este líder precisará lutar para se manter ativo, firme diante de oposições e é capaz de fazer sacrifícios pessoais para conquistar sua missão. Além disso, deve manter sua autoconfiança em alta, se motivando a cada pequena vitória e reconhecendo em que aspecto necessita melhorar. Recentemente, li um livro muito interessante chamado Pessoas de Resultado – O Perfil de Quem se Destaca Sempre, do autor Luiz Fernando Garcia, onde essa abordagem é muito bem construída e esclarecedora. 8. Como reagir frente a gestão de mudanças? Mudar, mudar, mudar! Este é o mantra do A liderança começa pela liderança de si, pois o líder precisa dar exemplos inspiradores de práticas alinhadas com a cultura e os valores da organização ” “ No bate papo desta edição, Cristina Gaspar, da Sferas Consultoria, conversa conosco sobre liderança e questões que a englobam. Aproveite, veja o que fazer para se tornar um bom líder e quais atitudes tomar frentes às dificuldades que surgem em meio ao conceito de liderança nos dias de hoje SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015 sobreLiderança
  10. 10. Na minha opinião, a mudança é necessária para a sobrevivência das empresas e, por consequência, dos profissionais. Por isso, aprender a lidar com ela e aceitá-la é imprescindível. ” “ 18 BATE PAPO mundo de hoje e, por mais que as pessoas digam que estão acostumadas a elas, o que se presencia é que a mudança sempre causa pânico, insegurança, agressividade e comportamentos defensivos, sobretudo se elas não estão alinhadas com os valores da Organização e das pessoas. Na minha opinião, a mudança é necessária para a sobrevivência das empresas e, por consequência, dos profissionais. Por isso, aprender a lidar com ela e aceita-la é imprescindível. Tudo começa com o esclarecimento sobre qual ganho individual e coletivo a mudança trará. Uma vez que as pessoas entendam e validem os benefícios da mudança, o processo ocorre de modo mais positivo e produtivo. É importante também aceitar que é natural que emoções como medo, raiva, insegurança, ansiedade, etc., vão emergir nas pessoas em situações de mudanças, e negá-las só dificultará ainda mais o processo. Sair da zona de conforto dói e isso é um fato. A decisão de sair dela só acontece quando o ser humano percebe que a dor de permanecer igual é maior do que a tentativa do novo ou do desconhecido. 9. Como tornar crise uma oportunidade? Primeiramente mantendo uma atitude mental positiva. Normalmente, em tempos de crise como a que vivemos hoje, as pessoas se deixam ser absorvidas pelo lado negativo ou das perdas inerentes. O segredo está em manter a mente neutralizada perante o clima desesperador instalado, permitindo assim que o processo perceptivo ocorra eficientemente. Mente serena significa capacidade para separar o importante do fundamental. É a capacidade de sair emocionalmente do olho do furacão e analisar caminhos, meios e recursos de sobrevivência. A partir daí, é hora de trabalhar no chamado Plano de Sobrevivência! Um plano eficaz deve não apenas considerar o momento da crise, mas vislumbrar ganhos a serem obtidos no decorrer dela. O lendário investidor Warren Buffett declarou “Seja audacioso quando os outros estiverem com medo e tenha medo quando os outros forem audaciosos.” Lançar mão da técnica do brainstorming é um meio bastante útil neste contexto. Daí é seguir corretamente as fases dessa técnica: 1. Definir o problema; 2. Gerar ideias; 3. Encontrar soluções. É preciso manter o estado de confiança em alta e cuidar do fator emocional do ambiente. A crise desestabiliza e é necessário se manter em equilíbrio para enxergar além dela. 10. Não tenho vontade de ser líder. Isso é ruim? Não! Muitos profissionais não possuem a vocação para a liderança, pois se estimulam mais pelo aprofundamento técnico, são os chamados especialistas – analistas, pesquisadores, consultores, acadêmicos, cientistas, etc. Edgar Schein desenvolveu um estudo na década de 60, onde mapeou as chamadas âncoras de carreira, que são as nossas preferências naturais para a atividade e vida profissional. Schein identificou 08 (oito) âncoras e uma delas é denominada Técnico-Funcional. Pessoas que possuem essa âncora como a mais preponderante, preferem e optam por se aprofundar em uma dada área de estudo e, normalmente, quando estão em cargos que propiciam essa circunstância são excelentes profissionais. Infelizmente, hoje há um excesso de valorização pelos postos de liderança, sobretudo porque essas funções são, em geral, melhor remuneradas. Mas, é possível encontrar especialistas que ganham tanto ou até mais que líderes de equipes, quando usam criativamente os conhecimentos técnicos para agregar valor às empresas, pessoas e à própria carreira. 11. Como o gestor deve agir frente aos conflitos que acontecem no grupo de trabalho? Conflito nada mais é do que um momento em que as pessoas envolvidas se colocam em posição antagônica, onde há divergências de percepções e ideias, ou seja, disputa da condição de ESTAR CERTO! Em situações de conflito na equipe é importante o grau de atenção e experiência do gestor para perceber o que está ocorrendo, pois quanto mais cedo mais facilmente encontrará os meios de lidar com ele. É importante pensar que nem sempre o conflito é ruim e pernicioso ao grupo de trabalho, pois às vezes ele traz à tona situações e questões que necessitam de mudanças. Uma vez detectado o conflito, é importante não negá-lo e nem reprimi-lo, mas sim aceitá-lo e discutir o cerne da questão com maturidade e isenção. O que está em jogo? São interesses individuais ou coletivos? Qual é a natureza do problema? Quais são as perdas e os ganhos com as alternativas de solução? Essas são as perguntas a serem respondidas pelo líder e, posteriormente, pelos envolvidos, permitindo que a harmonia se instale novamente. A dica é buscar estabelecer uma discussão ganha a ganha, encontrando um denominador comum, sempre prevalecendo o benefício da equipe. Depois é seguir em frente e saber que em algum momento um novo conflito se fará presente! SER MAIS FIDI | Jan 2015 Inspirar pessoas comuns Grandes líderessabem que, se a respiração é vital ao corpo, a inspiração é essencial à alma. pode levá-las a fazer coisas incomuns. ESCOLA DE LÍDERES 2015 aguarde
  11. 11. CAPA 20 21 Terra Querida Fruto da vida A história da FIDI está ligada à Goiás, o estado brasileiro que, com uma visão de futuro, tem alcançado grandes avanços, incluindo a área da saúde. Mergulhe um pouco na nossa história por essas terras e aprecie os grandes serviços que cada um de nossos colaboradores têm realizado neste maravilhoso estado. Recanto da Paz TRECHO DO HINO DE GOIÁS SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  12. 12. 31.548 NÚMERO DE EXAMES REALIZADOS EM 2012 LINHA DO TEMPO GOIÁS CAPA 22 23 Desde março de 2012 a Fundação IDI atua em cinco unidades de saúde da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás. Promovendo a excelência na prestação de serviço público no HUGO, HGG, HDT, HMI e HUAPA, da FIDI proporciona aos usuários eficiência e qualidade na realização de exames de diagnóstico por imagem, bem como rapidez na entrega dos laudos devido à integração das unidades com a Central Remota de Laudos. A Central de Laudos gerida pela Fundação IDI, pertence ao Estado de Goiás e é responsável pelo recebimento via transmissão de dados (Internet), dos exames de imagem (Tomografia, Ressonância Magnética, Raio-X e Mamografia) dos hospitais HUGO, HGG, HMI, HDT e HUAPA. Após o recebimento desses exames, a equipe médica que atua 24 horas, sete dias por semana, realiza os laudos que retornam para essas unidades com os resultados dos exames em até 4 horas, agilizando expressivamente o atendimento à população. A Fundação IDI dinamizou o serviço nas unidades atendidas promovendo o crescimento constante do número de exames. Em 2013, nas cinco unidades, o aumento foi de 50,38%, com 236,3 mil exames realizados contra 157,1 mil em 2012. A atuação da Fundação IDI vai além do diagnóstico por imagem e valoriza os profissionais locais, estimulando a economia e a geração de empregos. São mais de 190 funcionários contratados nas unidades de saúde e Central de Laudos entre médicos, enfermeiros, biomédicos, técnicos de radiologia e enfermagem e pessoal administrativo. Há mais de 12 anos no segmento de saúde, a Fundação IDI é a maior provedora de exames de diagnósticos por imagem do país para a área pública com cerca de 2 mil funcionários e mais de 500 médicos especialistas, que atendem mais de 70 unidades hospitalares (Secretarias de Saúde do Estado e Município de São Paulo, além de prefeituras próximas à capital e Estado de Goiás), realizando mais de 4 milhões de exames por ano. Veja a seguir uma linha do tempo especial do início das operações da FIDI em Goiás. Conheça um pouco mais das unidades onde atuamos, depoimentos de quem trabalha na FIDI em Goiás e veja nossos novos desafios para 2015. Início da operação do HGG - Hospital Geral de Goiânia 20/03/2012 19/04/2012 13/06/2012 03/04/2012 11/05/2012 30/07/2012 Início da operação do HUGO - Hospital de Urgências de Goiânia Início da operação do HUAPA - Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia Início da operação da CRL - Central Remota de Laudos Início da operação do HMI - Hospital Materno Infantil A FIDI assume mais 05 unidades em Goiás Início da operação do HDT - Hospital de Doenças Tropiais 15/12/2014 SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  13. 13. 24 CAPA Por todas unidades onde a Fundação IDI atua, percebe-se o nível do serviço entregue carinhosamente a cada cidadão. Nada melhor que perguntar a quem está dia após dia trabalhando diretamente nas unidades para saber o que significa a FIDI para o estado, para os pacientes e colaboradores. “Entrei na Fundação quando iniciou suas atividades em Goiás, começando na unidade HGG como Encarregada de Serviços. Com dois meses de atuação, fui transferida para unidade HUGO. E após oito meses, recebi a promoção para Supervisora Administrativa. Meu ambiente de trabalho é harmonioso, onde trabalhamos realmente como uma equipe. Por se tratar de um hospital de referência em Goiás - de urgência e emergência - atendemos uma grande demanda de pacientes. Gosto de trabalhar na Fundação, por ser uma empresa que nos oferece oportunidade de crescimento, liberdade para liderar a equipe, flexibilidade em gestão e benefícios” – relata Alessandra Alves - Supervisora Administrativa da unidade HUGO. A equipe da unidade HUGO é composta por dois colaboradores diurnos, dois colaboradores noturnos e um folguista, trabalhando na recepção e atendendo os pacientes na linha de frente. Além disso, possuem duas colaboradoras para auxiliar no serviço administrativo. Roberta Bernardo Malta - Supervisora Administrativa do HGG - que atua há 02 anos e 08 meses na FIDI, conta o segredo: “Nosso ambiente de trabalho é harmônico e cooperativo. Temos uma equipe positiva onde estão dispostos a ajudar uns aos outros. Com isso, concluímos com prazer nossa rotina laboral”. Toda esta entrega no trabalho é percebida pelo usuário: os pacientes. Não é difícil encontrar elogios endereçados aos setores onde a FIDI atua. Quer saber quais unidades atuamos desde 2012? Veja então a seguir. Conheça as unidades HGG – Hospital Geral de Goiânia Hoje, classificado pelo Ministério da Saúde como Hospital de Referência Nível VIII, o Hospital Geral de Goiânia é considerado uma unidade de saúde de referência estadual e interestadual que oferece atendimentos terciários e quaternários, ou seja, de alta complexidade, em áreas especializadas de diagnósticos e terapias, dentro dos princípios da universalização da assistência, com garantia de acesso igualitário à saúde, resguardando os princípios constitucionais. Além disso, sua estrutura assistencial foi desenvolvida e é mantida a partir da identificação das principais causas de morbimortalidade do Estado. Neste ano a unidade recebeu o título de certificação cedida pela pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O título, denominado acreditação hospitalar, é conferido às instituições de saúde que cumprem rigorosos protocolos para a segurança do paciente. FIDI: média mensal de 3.167 exames entre raio-x, tomografia computadorizada, mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética. Número de colaboradores: 53 HDT – Hospital de Doenças Tropiais O HDT/HAA oferece atendimento especializado em Infectologia e Dermatologia. As demais especialidades oferecem suporte para os pacientes definidos com o perfil da unidade, e são as seguintes: Clínica Geral, Neurologia, Pneumologia, Psiquiatria, Medicina Intensiva, Cardiologia, Gastroenterologia, Ginecologia, Nefrologia, Hematologia, Nutrologia, Endocrinologia, Proctologia e Urologia. Apoio diagnóstico: oferece instalações e equipamentos adequados para a execução de exames laboratoriais, serviços de imagem, incluindo tomografias, raios-x e ultrassonografia. Neste ano o Hospital de Doenças Tropicais Anuar Auad (HDT) recebeu o selo de qualidade ONA 1, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). FIDI: média mensal de 1.082 exames entre raio-x, tomografia, mamografia e ultrassonografia. Número de colaboradores: 19 HUAPA – Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia O Huapa é uma unidade da Secretaria de Estado de Saúde - SES, que presta atendimento de urgências e emergências em média e alta complexidade. Atende aproximadamente 45 municípios que estão no entorno de Aparecida de Goiânia entre demanda espontânea, pacientes encaminhados de outras unidades de saúde e também realiza cirurgias gerais, buco-maxilo e ortopédicas. FIDI: média mensal de 4.572 exames entre raio-x, tomografia e ultrassonografia. Número de colaboradores: 22 HUGO – Hospital de Urgências de Goiânia Referência no Planalto Central, é o único na área de urgências e emergências que atende todo o Centro-Oeste e outros Estados, sendo todos os seus leitos dedicados exclusivamente ao Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital foi idealizado para prestar atendimento apenas em caráter de urgência e emergência. FIDI: média mensal de 12.305 exames entre raio-x, tomografia e ultrassonografia. Número de colaboradores: 61 HMI – Hospital Materno Infantil O Hospital Materno Infantil é referência estadual em urgência e emergência nas áreas da saúde da mulher e da criança no Estado de Goiás, com enfoque na humanização da assistência integral aos seus clientes. Possui 169 leitos e 1.261 servidores. Seu atendimento é 100% de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), quer por demanda espontânea ou pelo Sistema de Referência/Contra Referência. Dedica-se principalmente a assistência médico-hospitalar e contribui com o ensino e a pesquisa. FIDI: média mensal de 3.966 exames entre raio-x e ultrassonografia. Número de colaboradores: 26 25 Equipe administrativa da Central de Laudos de Goiânia Além das unidades, a FIDI possui também uma Central de Laudos em Goiânia, responsável por realizar todos os laudos do estado e prestar suporte para as unidades ” “ SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  14. 14. SER MAIS FIDI | Dez e Jan 2015 CAPA 26 27 NOVOS DESAFIOS A Fundação IDI conquistou neste ano mais quatro unidades de atendimento em Goiás. Essas novas unidades ampliarão nossos números e nossos desafios. Atualmente, a FIDI possui 49 médicos em Goiânia, sendo a maioria radiologistas, e também médicos para realização de exames de ultrassonografia. O quadro atual é composto por 197 colaboradores entre enfermeiros, biomédicos, técnicos de radiologia, enfermagem e pessoal administrativo. Com as novas unidades, estima-se que este número salte para aproximadamente 75 médicos e 370 funcionários. Isto é sinal do comprometimento que a Fundação IDI tem em todos os aspectos, promovendo a expansão do serviço público de maneira digna, com excelência. HUTRIN – Hospital de Urgências de Trindade No Hutrin, são realizadas consultas emergenciais, exames laboratoriais diversos, ecocardiograma, raios-x e vacinas. Os atendimentos de urgência são feitos por médicos que atuam em regime de plantão, 24 horas. A população de Trindade é beneficiada nas especialidades de ginecologia, obstetrícia, ortopedia, cirurgia geral e pediatria. Com a nova administração, o Hutrin passou a contar com duas ambulâncias, uma USA e outra USB, para o transporte de pacientes graves. Atualmente, a média de consultas é de 300 ao dia, 100 procedimentos cirúrgicos mensais e a internação de 100 pacientes ao mês. Este complexo permanecerá até a conclusão das obras de ampliação e adequação da unidade de saúde, que contará com nova Emergência e espaço para maternidade. FIDI: previsão mensal de 2.000 exames de raio-x e contratação inicial de 20 colaboradores. HEELJ – Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime Atende a população local, população flutuante composta por turistas que visitam a cidade histórica e de municípios circunvizinhos como Corumbá de Goiás, Cocalzinho e partes de Abadiânia. A Unidade oferece especialidades médicas nas áreas de cardiologia, clinica médica, ginecologia/obstetrícia, ortopedia e pediatra além de contar com profissionais técnicos como: biomédico, bioquímico, enfermeiro, nutricionista e assessor de nível superior. Possui 40 leitos distribuídos em: clínicos masculinos e femininos, obstétrico, cirúrgico e de assistência ao recém- nascido. FIDI: previsão mensal de 2.000 exames de raio-x e contratação inicial de 16 colaboradores. MNLS – Maternidade Nossa Senhora de Lourdes Equipada atualmente com 36 leitos, realiza mensalmente cerca de 180 partos e 900 consultas de emergência na área de obstetrícia. Possui ambulatório de puericultura que possibilita o acompanhamento de peso, medida e desenvolvimento do recém-nascido até um ano e meio de idade. O serviço social mostra e viabiliza ao casal todas as formas de planejamento familiar, incluindo a laqueadura e a vasectomia. São ainda, realizados procedimentos na área de mastologia e exames laboratoriais. A instituição auxilia na formação de médicos e enfermeiros, servindo como campo de internato e estágio para acadêmicos e também para estudantes oriundos de escolas técnicas. FIDI: previsão mensal de 1.900 exames entre raio-x e ultrassonografia, com contratação inicial de 20 colaboradores. HUGO 2 – Hospital de Urgências de Goiânia 2 Com uma estrutura física de 71.165 m² de área construída, distribuídos em 22 salas de centro cirúrgico, 485 leitos (80 de UTI), 5 pavimentos de enfermarias para internação, 40 leitos de UTIs neonatal e pediátrica, além de 13 leitos pra vítimas de queimaduras, o HUGO 2 - terá o mesmo perfil de alta complexidade que o HUGO 1, com atendimentos de urgência e emergência em trauma e neurologia. O hospital também atenderá urgências clínicas, como apendicite, pneumonia e úlcera gástrica. O hospital terá banco de sangue, broncoscopia, ambulatório e atendimento aos pacientes que passaram por cirurgias. O HUGO 2 terá capacidade para realizar até mil atendimentos por dia, 100% via Sistema Único de Saúde (SUS), e contará com 2.800 funcionários. FIDI: previsão mensal de 10.200 exames entre raio-x, tomografia e ultrassonografia. Contratação de 117 colaboradores. 172.734 296.119 236.340 162.819 Exames de Raios-X A Fundação IDI alcançou ao longo dos últimos anos ótimos resultados em Goiás. Confira! 2.195 Exames de Ressonância Magnética 75.603 Exames de Tomografia 4.505 Exames de Mamografia 41.082 Exames de Ultrassonografia Computadorizada REALIZADOS EM 2014 NÚMERO DE EXAMES REALIZADOS EM 2013 NÚMERO DE EXAMES REALIZADOS EM 2012 NÚMERO DE EXAMES INFOGRÁFICO GOIÁS 460.162 2015 PROJEÇÃO Com as quatro novas unidades, a FIDI fará até 16 mil exames a mais por mês. Este número representa um crescimento de 50% relacionado as metas do estado de Goiás no ano de 2014 ” “ SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  15. 15. 29 PAPO DE TÉCNICO sigilo A importância do sigilo e segurança do paciente no serviço de Radiologia POR RAFAEL GALLUCCI Rafael Gallucci é Técnico em Radiologia desde 1999 e Pós graduando em Informática em Saúde – UNIFESP. Atuou por vários anos nas equipes operacionais da Fundação IDI e desde 2012 atua no IPrad como especialista. I nicio o texto desta edição agradecendo muito pelo carinho de todos os leitores, que me enviaram mensagens e e-mails após o nosso editorial da revista anterior na coluna Papo de Técnico. Meu muito obrigado. Nesta edição trarei a discussão um tema muito importante para os profissionais das técnicas radiológicas. A segurança do paciente e suas informações clínicas, contidas muitas vezes nas solicitações e imagens médicas e também o respeito à privacidade do paciente. Este tema se faz importantíssimo tendo em vista a manipulação e envio de documentos contendo informações sigilosas dos nossos pacientes. Até o inicio da última década o principal item relacionado à segurança do paciente que era abordado na formação dos profissionais das técnicas radiológicas era a proteção radiológica, fundamental à nossa profissão. Porém, com o passar dos anos, outros itens foram cada vez mais fortalecidos, como por exemplo, o manejo adequado e seguro do paciente na sala de exames, a privacidade, a ética, a segurança biológica e a ergonomia. Lidamos diariamente com essas informações e muitas vezes nem nos damos conta do potencial risco que elas podem trazer para os pacientes ou para a empresa se forem extraviadas ou publicadas inadvertidamente na internet. Há alguns anos um jornal famoso da cidade de São Paulo, publicava uma notícia de capa onde dizia que um lendário jogador de futebol estava com uma lesão crônica na coxa direita e não poderia assinar contrato com um clube europeu. O jornal cometeu um único deslize que custou a demissão do técnico de radiologia que trabalhava na ressonância deste hospital: eles informaram a fonte da notícia. Fatos como estes são muito comuns no cotidiano de quem trabalha em hospitais. E muitas vezes não acreditamos que estamos prejudicando o nosso paciente, mas estamos. Imaginem o prejuízo do lendário jogador que teve sua lesão da coxa divulgada na impresa e teve seu contrato cancelado com o clube europeu. Muitas vezes a quebra de sigilo se dá a partir de atos aparentemente inocentes, como o que aconteceu há alguns anos nos EUA, onde uma técnica do serviço de radiologia postou em seu Facebook uma foto sem grandes pretensões, porém, ela não se deu conta que atrás havia uma imagem radiológica onde era possível se visualizar uma enorme lesão na mama de uma paciente. A paciente acabou vendo a imagem e processou a técnica e também o hospital, por danos morais e utilização indevida de dados clínicos. A grande infração ética da técnica foi postar uma foto, a qual não se atentou que atrás dela havia uma imagem onde era possível ler o nome do paciente. Não devemos fazer comentários a respeito dos achados das imagens radiológicas e também sobre a condição de saúde de um determinado paciente. Hoje graças ao advento da digitalização das aquisições radiológicas e o uso da telemedicina, temos que frequentemente enviar os exames de nossos pacientes para as centrais de laudos para que seus exames sejam analisados pelos médicos. Existe sempre o risco de se enviar um exame que não pertence ao paciente. Por isso temos que ter a máxima atenção e cautela para realizar tarefas como esta. Em hipótese alguma revele informações confidenciadas na sala de exames à você. O que foi revelado na sala de exames apenas interessará ao médico radiologista e ao paciente. Faça registro das informações colhidas na solicitação médica e as repasse mantendo sempre a segurança e o sigilo sobre a informação. Segue abaixo algumas dicas úteis para o dia-a-dia nos serviços de radiologia: 1. Sempre se dirija ao paciente utilizando o nome completo dele e exame que irá realizar. Confira pelo menos duas vezes o nome do paciente durante o atendimento. 2. Mantenha seu crachá visível e se apresente ao paciente mencionando seu nome e o seu cargo. 3. Mencione prazos para entrega dos exames e locais para a retirada. 4. Nunca deixe crianças desacompanhadas na sala de exames. 5. Forneça ao paciente sempre as medidas de proteção radiológicas necessárias. Acompanhantes também devem ser protegidos. 6. Não tire fotos dos pacientes e/ou dos exames deles, muito menos copie informações clínicas. 7. Não permita que pessoas estranhas ao setor tenham acesso a exames ou informações sobre os pacientes. É importante manter o sigilo das informações do paciente. Por isto, não compartilhe informações de pacientes com colegas ou amigos. ” ” 28 ORGANIZAÇÃO valorizaProjeto de remuneração médica inovador que pretende valorizar os médicos com alto grau de comprometimento junto a FIDI S ustentabilidade. A palavra da moda ganha um novo significado no Brasil. Em anos difíceis como os que estamos passando, sustentabilidade corporativa se torna fundamental para qualquer empresa que almeja continuar viva e crescer nos próximos anos. Com este objetivo, a Fundação IDI lançou o projeto Valoriza, que é uma iniciativa que tem como essência FORTALECER o relacionamento entre a FIDI e os médicos das centrais de laudos e das unidades. O projeto conta com uma escala de pontuação, onde cada médico é pontuado de acordo com o cumprimento de objetivos fundamentais para o novo momento da FIDI. “As premissas deste projeto foram a de proporcionar condições de remuneração atrativa aos médicos, reconhecer diferenças, nos desafios específicos de cada unidade e na valorização dos médicos diferenciados, e evoluir nas condições de trabalho, no relacionamento e na comunicação. Após um minucioso trabalho, a implantação do Valoriza teve início em dezembro de 2014 e deve se completar em abril de 2015. “Estamos confiantes no seu sucesso!” afirma o Dr. Jose Roberto, Superintendente Médico. Para ajudar a implementar o projeto, a FIDI desenvolveu uma área médica no site, onde os médicos podem entrar e fazer seu cadastro completo. Além disto, será possível enviar relatórios semanais de suas atividades, além de ter ao seu alcance informações importantes sobre o projeto e a nova remuneração. Em busca de agilidade e praticidade, a FIDI também fez uma parceria com o portal “Pega Plantão”, onde está em desenvolvimento adequações exclusivas para a utilização dos nossos médicos, facilitando as escalas de plantões e atendimentos. “O pega plantão é uma ferramenta que permitirá um controle ágil e eficaz das agendas médicas. Com ele, será muito mais prático controlar as agendas dos mais de 500 médicos que atuam pela FIDI atualmente”, diz Vanessa Carvalho, Gerente de Apoio Médico. Queremos um empresa que seja perene, forte em suas estruturas e gostosa de se trabalhar. Estamos indo bem, acredito que no caminho certo ” “ SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015
  16. 16. ESPECIAL projeto INTEGRA Resultados positivos mantém engajamento dos colaboradores R elembrando sua apresentação na edição anterior, o Projeto Integra consistiu em uma reorganização geral da Fundação. E teve como objetivo revisar o modelo de gestão e processos para aumentar a eficiência da organização, proporcionando um crescimento saudável e sustentável, consolidando a Fundação IDI no mercado como empresa prestadora de serviços com excelência. A primeira etapa do Projeto teve início em Fevereiro de 2014, com o diagnóstico da situação atual do modelo de gestão e os entraves na aplicação dos processos, bem como a identificação das ferramentas necessárias para atingir o objetivo proposto. Durante esta fase, foram realizados diversos Workshops para redesenho de processos, além da criação dos indicadores e modelo de gestão de desempenho das áreas. Inspirar pessoas comuns pode levá-las a fazer coisas incomuns. Grandes líderes sabem que se a respiração é vital ao corpo a inspiração é essencial à alma “ 30 31SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015 Depoimentos mostram a ótima aceitação do Projeto Integra pelos nossos colaboradores “É importante conseguir visualizar melhor os processos do seu e dos demais departamentos, com o objetivo de trabalhar como uma equipe, possibilitando assim, o crescimento da empresa” - Zildete Marques, Infraestrutura. “A definição dos fluxos possibilita um melhor planejamento dos sistemas que serão utilizados nos trabalhos da Fundação” – André Rocha, Tecnologia da Informação “É sensacional participar deste Projeto, pois conhecemos os gargalos e onde estão os problemas. Sendo gratificante perceber esta intenção de mudanças” - Demetrius Teixeira, Operações. Além do enfoque nos processos, foram reavaliadas as políticas, sistemas, papéis e responsabilidades, impactando todas as áreas da Fundação e visando promover uma maior eficiência com baixos custos, qualidade e padronização, qualificação e motivação dos colaboradores. A segunda etapa, iniciada em Agosto 2014, consistiu na arquitetura e gestão da implementação, quando iniciou-se na prática todos os conceitos desenhados na etapa anterior. A participação de todos foi essencial para que os resultados chegassem e as mudanças acontecessem. Cada pessoa que atua na FIDI – em funções gerenciais, administrativas ou técnicas – faz toda a diferença com seu comprometimento no intuito de aplicar corretamente as novas considerações e processos indicados. Esta é uma conquista de todos que juntos, devemos agora comemorar este sucesso e seguir em busca do próximo desafio, elevando a cada dia o patamar de atuação da Fundação IDI. “A mudança de cultura exige o engajamento, e este, é feito por vocês e para vocês. Estamos quebrando paradigmas na reestruturação dos processos que serão gerenciados por cada um de nós. Todos estão de parabéns no desenvolvimento deste Projeto e na superação de seus desafios. Agradecemos e contamos com a manutenção do emprenho e motivação de vocês, na promoção destas importantes mudanças. Ressalto que não existem áreas com mais ou menos erros e sim, uma atitude de resenhar e criar novos processos para que a Fundação IDI mantenha-se em um crescimento sustentável com excelência na prestação de serviços”, enfatiza Antônio Américo – Superintendente Geral. Parabéns e muito obrigado à todos pelo engajamento nestes últimos meses. Contamos com vocês nos próximos passos, visando cada vez mais a padronização e melhoria dos processos e possibilitando a busca de uma certificação da qualidade do serviço prestado pela Fundação. “ Com foco em maior agilidade e redução de custos, implementamos um novo processo de aquisição de materiais e serviços. Como área detentora de custos, auxiliou as outras áreas na revisão de contratos com redução negociada, sensível redução de estoque nas unidades, negociação de reajustes contratuais e de compras pontuais. SUPRIMENTOS Implementação do Helpdesk e formulação do Roadmap Estratégico para maior foco nas áreas clientes e melhor agilidade no atendimento. Criação de plano de equipamentos Backup, garantindo o funcionamento integral dos sistemas. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INDICADORES, MODELO DE GESTÃO E POLÍTICAS Criação de métricas voltadas para resultados, com a validação de indicadores (total de 60) de desempenho controlados com todas as Superintendências. Criação e revisão de políticas para garantir o direcionamento dos colaboradores e terceiros, de acordo com as regras da organização. As resoluções serão disponibilizadas na Intranet. Unificação destas áreas, com definição de missão e visão. Redesenho do processo de atendimento aos chamados pertinentes, com implementação PCM: formalização, atendimento ágil e criação de métricas – 116 chamados registrados e atendidos em um mês. Desenvolvimento de materiais padronizados para a realização das atividades. ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA Sistematização (Portal RH) e racionalização dos processos para maior agilidade e confiabilidade. Redução de prazo médio de contratação de 41 para 28 dias. Revisão e adequação de responsabilidades entre as áreas de DRHO, SESMT e ADP promovendo a integração entre equipes. RECRUTAMENTO & SELEÇÃO E DESLIGAMENTO DE PESSOAL IMPACTOS GERADOS PELO PROJETO Implementação do Helpdesk e formulação do Roadmap Estratégico para maior foco nas áreas clientes e melhor agilidade no atendimento. Criação de plano de equipamentos Backup, garantindo o funcionamento integral dos sistemas. FOCO NA QUALIDADE MÉDICA E TÉCNICA Garantir o fechamento contábil no prazo. Implementação de sistema para controle de fluxo de caixa, prestação de contas e orçamento. Modificação do fluxo de notas fiscais e implementação do novo modelo de faturamento de clientes, onde uma previsão é enviada com antecedência para fechamento da contabilidade. REVISÃO DOS PROCESSOS FINANCEIROS Ações constantes com o objetivo de gerar engajamento e interação entre as áreas. Disseminação de uma cultura de comunicação (boletins, reuniões, dentre outras) e Vicência dos resultados do trabalho de equipe na prática. ENGAJAMENTO E INTERAÇÃO ENTRE AS ÁREAS Aplicação de mais de 150h de treinamento para capacitar os colaboradores em todas as mudanças idealizadas. TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS
  17. 17. Em toda edição visitaremos algumas de nossas unidades para conhecermos nossa gente e o seu dia-a-dia de trabalho. Somos muitos, mas todos com o jeito FIDI de ser. Nesta edição é a vez do Quarteirão da Saúde, em Diadema e do Pérola Byington, no Centro de SP Por FIDI dentro da POR DENTRO DA FIDI 32 SER MAIS FIDI | Jan 2015 33SER MAIS FIDI | Jan 2015 O Hospital Pérola Byington - localizado no bairro da Bela Vista - é considerado como Centro de Referência da Saúde da Mulher, atuando com excelência no atendimento médico-hospitalar principalmente na área de ginecologia. Dentro deste renomado centro, a FIDI atua na realização dos exames de diagnóstico por imagem, sendo eles: mamografia, tomografia, raio-x e ultrassonografia. Os pedidos de exame são atentamente analisados, com o objetivo de atender todas as solicitações dos médicos: “Agimos sempre com responsabilidade na identificação dos procedimentos, cumprindo-os adequadamente para proporcionar as melhores informações aos profissionais”, retrata Cristina Ribeiro de Barros – Técnica em Radiologia – referindo-se à sua rotina de trabalho. A Equipe da FIDI atuante no Pérola Byington, enfatiza a importância do serviço prestado pela Fundação e “orgulha-se em atuar em um Centro de Referência da Saúde da Mulher, que recebe pessoas de todas as localidades”, segundo Ilaiane Barbosa Lima – Agente Administrativo (Mamografia). Outra questão tão importante quanto a atenção ao trabalho técnico é a humanização e acolhimento no atendimento, principalmente, dos pacientes em tratamento. “Somos agentes muito próximos, e devemos ajudar e acolher da melhor forma as pessoas que por vezes estão em situações difíceis” – Gislaine Torres Rosa, Auxiliar de Enfermagem (Tomografia). Centro de Referência da Saúde da Mulher, une agilidade no atendimento e humanização “O nosso diferencial é a integração dos exames de diagnóstico por imagem e o encaminhamen- to para tratamento se necessário, em um mesmo local Jonas Finoteli, Supervisor técnico PÉROLA BYINGTON ” “
  18. 18. 34 35 POR DENTRO DA FIDI SER MAIS FIDI | Jan 2015 SER MAIS FIDI | Jan 2015 Referência no segmento de saúde pública na cidade de Diadema, o Quarteirão da Saúde foi inaugurado em maio de 2008. Atuando como centro de especialidades médicas, o Quarteirão veio sanar um déficit da cidade, principalmente, nas áreas de atendimento em especialidades médicas e exames complementares. “Antes havia um ambulatório médico com um número restrito de especialidades e quase não tínhamos acesso a exames de imagens mais sofisticados. Tudo era feito na rede de referência que atua no grande ABC e também em algumas unidades em São Paulo”, explica o Dr. Ulisses Antonio Petriche, Diretor Técnico do Quarteirão da Saúde. O Quarteirão da Saúde recebeu equipamentos de última geração e foi a primeira unidade da cidade a contar com um aparelho digital de raio-X. Na época nem os serviços particulares contavam com este tipo de aparelho. A Fundação IDI é responsável pela gestão de todo o setor desde a fundação do complexo e realiza cerca de 10,5 mil exames por mês entre ultrassonografias, tomografias, densitometrias, mamografias e raios-X digital. Para atender a crescente demanda, a FIDI mantém uma equipe de mais de 30 profissionais composta por médicos, enfermeiros, técnicos em radiologia, supervisores técnico e administrativo, gerente e agentes administrativos. “Temos uma política de inclusão social e em nossa equipe também contamos com dois auxiliares de radiologia portadores de necessidades especiais”, salienta Ana Morais, Gerente Operacional da FIDI. Com a atuação da Fundação IDI no setor, em pouco tempo as filas dos exames de imagem foram diminuindo consideravelmente e algumas não existem mais, pois o serviço consegue suprir a demanda da população. Casos de ultrassonografias, que tinham mais de um ano de espera, agora são feitos em pouco tempo. “A Fundação IDI é uma referência na área de saúde. O serviço de imagem é diferenciado e atende muito bem às necessidades do município”, acrescenta Dr. Ulisses. “Para a Fundação IDI o Quarteirão representa um projeto de sucesso. Fazer parte dessa parceria para nós é muito gratificante, pois mostra que também estamos no caminho certo”, finaliza a gerente operacional da Fundação IDI. União e Dedicação - O trabalho em equipe que faz a diferença! “A Fundação IDI é uma referência na área de saúde. O serviço de imagem é diferenciado e atende muito bem às necessidades do município” Dr. Ulisses Antonio Petriche, Diretor Técnico do Quarteirão da Saúde. QUARTEIRÃO DA SAÚDE COMISSÃO DE HUMANIZAÇÃO APROXIMA PACIENTES E COLABORADORES A Comissão de Humanização é formada por colaboradores que se esforçam ao máximo para que haja uma integração entre funcionários e pacientes com a instituição, promovendo o esclarecimento sobre a importância e finalidades dos exames e seus procedimentos, buscando sempre atingir a máxima satisfação de todos. AGILIDADE NA MARCAÇÃO DOS EXAMES Visando a agilidade e melhoria no atendimento dos pacientes para marcação de exames, foi criado em Outubro junto à Gerência da Apoio do Hospital um setor de Call Center. Este, atualmente conta com quatro funcionárias que recebem as ligações e procedem com a marcação de exames de acordo com a disponibilidade. Por este canal os pacientes também podem remarcar as datas, melhorando assim, a disponibilidade de vagas. SISTEMA DE SENHA OTIMIZARÁ ATENDIMENTO A equipe de TI e parceiros da FIDI estão empenhados na integração das redes de informática do Estado e da FIDI para a implantação do sistema de senha na recepção do setor de exames de diagnóstico por imagem com o objetivo de otimizar e agilizar o atendimento aos pacientes, realizando a triagem dos mesmos. O plano é que o projeto se concretize em 2015. pérola em números NOSSA EQUIPE Sup. Administrativo Willian Anderson Domeneghetti Supervisor Tecnico Jonas Finoteli Barbosa Agente Administrativo Carlos Alves M. Santana Cristina S. L. Silva Liliane da Cruz S. Souza Sueli Dolores G. Moraes Diego de B. Cavalcante Fernanda S. Souza Kelly Cristina da C. Jorge Marcos Vinicius D. O. Keli Cristina Lima K. Vanessa da Silva Lima Ilaiane Barbosa Lima Paula Regina B. Costa Danilo M. Santos Leriane G. da Silva Adriana L. Lopes Claudia R. Silva Auxiliar de Enfermagem Angela M. P. Nascimento Deborah D. P. Mendes Elzilene Maria X. Ruas Fabiana Torres Pinheiro Gislaine Torres Rosa Kelli Cristina Ramos Thais Ap. dos Santos Técnicos em Radiologia Cristina Ribeiro de Barros Denise Martins Santos Liliane A. Leite Maria E. P. da Costa Michele Machado Monica Romano Braga Renata Cristina P. Paula Rosemeire B. Salvador Sueli Aparecida Santana Camila Zanela Neves Alexander Lebedenco Alexandre Barros de Lins Aline Morais O. Campos Amanda T. de Oliveira Ana Paula de A. Oliveira Andreia L. Cardoso Andreza de Campos Aurelio C. C. Braga Camila Buzo Danilo Tadeu Grilli Djalma Lucio Da Silva Flavia Ap. de Arruda Gerson C. Catallani Kleber Olavo S. Coelho Marcio de Souza U. Maximiliano Kato Priscila A. S. Mantelato DESTAQUE Raios-x 1.480 tomografias 530 mamografias 2.300 ultrassonografias 2.720 ULTRASSOM COM DOPPLER 150 TOTAL 7.180 ” “
  19. 19. 36 POR DENTRO DA FIDI SER MAIS FIDI | Jan 2015 APROVAÇÃO O nível de satisfação dos usuários para diversos serviços prestados está acima dos 70%. Além disso, 93% dos entrevistados indicariam o Quarteirão da Saúde para seus familiares, amigos e vizinhos. REDUÇÃO DE FILAS Com a atuação da Fundação IDI no setor, em pouco tempo as filas dos exames de imagem foram diminuindo consideravelmente e algumas não existem mais, pois o serviço consegue suprir a demanda da população. AGILIDADE Os laudos de ultrassonografias são feitos diretamente pelos médicos no Quarteirão. Os outros exames seguem para a central de laudos gerida pela Fundação e retornam os resultados em até 4 horas. Nos casos mais urgentes em até 1 hora. QUARTEIRÃO em números NOSSA EQUIPE Supervisora Administrativa Maria Aparecida Santana Supervisora Tecnica Roselaine Lourenço Agente Administrativo Roberta Keleer S. Soares Elenice Fantato Auxiliar de Enfermagem Priscila Paula Andrade Mariana F. de Souza Maria G. A. de Souza Técnicos em Radiologia Marcos A. P. da Silva Igor de Moraes Barbosa Samuel Roberto Ferreira Sandra A. de Oliveira Alexandre F. Bento Cláudio Geraldo Santana Everson F. Ferracine Maycon M. dos Santos Pedro H. B. da Silva Renato Marciano da silva Cristiano C. de Micena Vanderlei Teles Beserra Thiago Lima da Silva Michel A. de Oliveira Silmara A. da S. Faustino Márcio Pereira Mota Rodrigo da C. Moreira Denis Cicero da Silva Mauricio da Silva Brito DESTAQUE Raios-X 6.000 TomografiaS 500 MAMOgrafiaS 1.185 UltrassoNOGRAFIAS 2.770 ULTRASSOM COM DOPPLER 190 BIÓPSIAS 90 Total 10.735 O programa tem como principal objetivo trabalhar as competências profissionais estabelecidas pela FIDI e exigidas pelo próprio mercado de trabalho, focando no desenvolvimento, qualificação e aprimoramento do Jovem Aprendiz. Dessa forma, gostaríamos de na oportunidade parabenizar a todos os Jovens, em especial aos mencionados abaixo que vem se destacando pela postura profissional, assiduidade na atividade teórica e prática, participação efetiva na capacitação realizada pela área de DRHO e pelo desempenho apresentado nas unidades. PARABÉNS DANIEL S.S. NASCIMENTO Campo Limpo Pérola Byington Cachoeirinha LERIANE GIL DA SILVA DANILO SILVA FARIA Jovens Talentos 1LUGAR2LUGAR 3LUGAR A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDEIA JAMAIS VOLTARÁ AO SEU TAMANHO ORIGINAL. ALBERT EINSTEIN
  20. 20. ” Há muito tempo venho observando o verdadeiro pavor das pacientes ao entrar na sala de mamografia para realizar o exame. Como a minha sala de laudos fica ao lado da sala onde os exames são realizados , escuto inúmeras perguntas que são feitas às tecnicas. Vocês são colocadas na parede pela paciente que exige respostas; desde a opinião de laudos quanto o que fazer se algo aparecer. Não há obrigatoriedade em informar os pacientes sobre estas questões. Sempre cordiais, devem explicar que o laudo sera feito pelo médico e que tecnicamente o exame está bem feito. Ao longo destes anos, conversando com várias técnicas de mamografia, levantei as questões mais comuns que são feitas na sala de mamografia, com sugestões de respostas. Muitas vezes somos pegas de surpresa e nem mesmo sabemos o que responder. Vamos lá... 1. Mamografia dói? A mamografia é um exame muito rápido, pode provocar em algumas mulheres, dependendo da sensibilidade individual, dor que é tolerável, sendo o desconforto provocado pelo exame, breve. Algumas dicas para minimizar o desconforto do exame: • Marque o exame depois da menstruação • Tente relaxar. Ficar tensa deixa a muscultaura mais rígida, o que prejudica o posicionamento. 2. Por que tenho que fazer mamografia se nenhum membro de minha família teve câncer de mama? As pacientes com histórico de câncer de mama apresentam 2 vezes maior risco principalmente se se mãe, filha ou irmã já tiveram. Mas a maioria das mulheres que tem câncer de mama (85%) não tem histórico familiar da doença. Portanto o rastreamento mamográfico deve ser feito de qualquer maneira. Pacientes abaixo de 40 anos sem queixa clínica e sem histórico familiar realizam apenas ultrassom das mamas. Se existir histórico familiar, devem comecar a fazer mamografia e ultrassom 10 anos antes da idade que a familiar apresentou a doença. 4. A radiação é muito arriscada. Quero fazer a mamografia com protetor da tireóide. O risco associado à exposição à radiação é mínimo, principalmente quando comparado com o benefício obtido por este exame. Portanto fazer mamografia não causa câncer de tireóide. 5. Eu não tenho nódulos nas mamas. Por que fazer este exame? Isso é bom, mas mamografias podem encontrar alem de nódulos, microcalcificações. Muitos achados na mamografia , em estágio inicial são tratáveis e o diagnóstico precoce tem chance de até 95% de cura. 6. A médica disse que meus seios são muito densos. Por que devo fazer mamografia? A mamografia pode não ser tão eficaz na detecção de nódulos ou lesões cancerosas em mamas densas, mas é importante para avaliar microcalcificações e calcificações. Se sua mamografia não está clara em função das mamas densas, poderá ser feito um segundo exame de imagem, por exemplo, ultrassom ou ressonância magnética. 7. Todo nódulo na mama é câncer? Em cerca de 80% dos casos, os nódulos são benignos. Mulheres jovens frequentemente apresentam vários nódulos em uma mama, que tornam-se mais palpáveis de acordo com o ciclo menstrual. A avaliação do nódulo deve ser feita pela paciente e depois pelo médico uma semana após o ciclo menstrual. A mamografia traz inúmeras informações, porém muitas vezes precisamos do ultrassom complementar. O importante é fazer sempre acompanhamento determinado pelo seu médico. 8. Por que não é recomendável o uso de desodorante antes da mamografia? Não se deve usar talco, loções ou desodorantes antes da mamografia pois estes produtos químicos podem interferir no resultado, criando artefatos que atrapalham a análise do exame. Nem o auto- exame, nem o exame médico, nem a mamografia são eficientes sozinhos. Alguns cânceres de mama são detectados apenas com a mamografia Dra. Vivian Milani fala sobre as perguntas que surgem na hora da realização do exame e dá breves respostas para tranquilizar os pacientes na sala da mamo POR VIVIAN MILANI Dra. Vivian Milani é médica radiologista especialista em mama desde 2002. Formada pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e com especialização em radiologia mamária. ” DE MÉDICO PARA TÉCNICO 38 SER MAIS FIDI | Jan 2015

×