Coletânea manuais uso do aço 1

9.572 visualizações

Publicada em

MANUAL USO DO AÇO

Publicada em: Engenharia
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.572
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
510
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Coletânea manuais uso do aço 1

  1. 1. COLETÂNEA DO USO DO AÇO 3ª Edição (Revisada e Ampliada) 2004 Volume 1 INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES Roberto de Araujo Coelho 1
  2. 2. Coordenação: Djaniro Álvaro de Souza Colaboração: Christiane Mirian Haddad Fernando Ottoboni Pinho Rosângela C. Bastos Martins
  3. 3. APRESENTAÇÃO A construção industrializada oferece vantagens extraordinárias, desde a racionalização do processo construtivo até a conseqüente redução de custos e desperdícios. E quando se trata de racionalização do processo construtivo, é obrigatório considerar o uso de estruturas metálicas como alternativa. Utilizada largamente no segmento industrial brasileiro, a construção em aço ainda tem uma participação tímida no que se refere principalmente a edifícios de andares múltiplos. Há que destacar, entretanto, que nos últimos anos a construção em aço tem crescido exponencialmente, seguindo a inexorável tendência ao uso de processos industrializados e alta tecnologia. Trata-se de um desafio extraordinário, considerando-se que na costrução civil brasileira predomina a construção convencional e os métodos artesanais. Os Perfis Gerdau Açominas, laminados, cuja fabricação foi iniciada em 2002, representam um reforço em termos de produtos classe mundial, para ajudar o segmento da construção em aço a aumentar sua competitividade. É essencial na construção industrializada, dedicar-se mais tempo ao projeto e ao planejamento, em benefício de maior rapidez na execução da obra. A escolha dos elementos construtivos e a sua melhor combinação são fatores preponderantes para a racionalização da construção e a redução de prazos e custos. Nesse contexto, referindo-nos à construção em aço, a interface entre as vedações (paredes e lajes) e a estrutura requerem atenção especial, visando aumentar a velocidade da construção e prevenindo eventuais patologias. Quando lançamos a primeira edição deste manual, não tínhamos idéia da extraordinária demanda por parte dos profissionais do segmento para esse tipo de publicação. A 2ª edição também foi esgotada rapidamente, tornando-se um dos mais procurados manuais da Coletânea do Uso do Aço, editados pela Gerdau Açominas. Nesta 3ª edição, que publicamos com renovada satisfação, foram incluídas novas interfaces, abrangendo outros tipos de edificações e ampliando assim a sua utilização como material técnico de referência e consulta. COLETÂNEA DO USO DO AÇO
  4. 4. ÍNDICE 1 Introdução..................................................................................................................7 2 Interfaces Usuais em Edifícios......................................................................................11 Vedações ................................................................................................................13 Painéis Pré-Moldados ..........................................................................................14 Placas, Pele de Vidro............................................................................................23 Parede Cortina....................................................................................................28 Paredes Moldadas “in Loco”..................................................................................30 Alvenaria Desvinculada .................................................................................30 Alvenaria Vinculada ......................................................................................42 Lajes ......................................................................................................................45 Laje Maciça Convencional ....................................................................................46 Laje Pré-Moldada Alveolar....................................................................................47 Laje Mista com Fôrma de Aço Incorporada .............................................................48 Laje Treliçada .....................................................................................................49 3 Interfaces Usuais em Galpões ......................................................................................51 Vedações ................................................................................................................53 Painel Pré-Moldado Alveolar.................................................................................55 Painel Metálico e Parede.......................................................................................56 Parede Moldada “in Loco”.....................................................................................59 4 Notas Gerais..............................................................................................................61 Recomendações ......................................................................................................63 Referências Bibliográficas .........................................................................................63 5 COLETÂNEA DO USO DO AÇO
  5. 5. INTRODUÇÃO 1
  6. 6. Neste manual são apresentadas diversas soluções possíveis para as interfaces entre os Perfis Gerdau Açominas e demais sistemas complementares estruturais e de vedação que contribuem para o funcionamento de uma edificação como um todo. As vedações verticais fazem parte do sistema responsável pela forma do edifício. Nelas estão inseridas as janelas, as portas, as instalações, e também fixados os revestimentos. Sua geometria é fruto da criatividade e experiência do arquiteto. As dimensões e formas definirão as opções de escolha do sistema a ser adotado, seja painel, placa, pele de vidro ou alvenaria convencional. Como representam quase a totalidade da superfície vertical do edifício, devem ser tratadas com a devida atenção e responsabilidade. As vedações horizontais, compostas pelas lajes, são elementos estruturais que, unidos à estrutura, garantem a sua sustentação. São responsáveis pela transferência das cargas verticais às vigas e, das horizontais, às colunas. O tipo de laje determina não só o desempenho da estrutura, como todo o desenvolvimento da obra quanto à produtividade, velocidade, precisão e segurança. A seção transversal e sua deformabilidade vertical definem as fixações das vedações verticais, principalmente as internas. Independente do grau de industrialização do processo construtivo adotado, a estrutura deverá estar em harmonia com os demais elementos que compõem a edificação. A escolha do tipo de vedação a ser projetada necessita ser cuidadosamente avaliada e precedida do estudo das características de cada sistema ou processo e de uma verificação da disponibilidade no mercado. Os detalhes sugeridos neste manual são meramente ilustrativos, devendo ser consultados os fornecedores quanto às especificações de cada sistema. Não devem, portanto, ser utilizados diretamente nos projetos e obras sem um prévio estudo e dimensionamento. INTRODUÇÃO 9 COLETÂNEA DO USO DO AÇO
  7. 7. INTERFACES USUAIS EM EDIFÍCIOS 2
  8. 8. INTERFACES USUAIS EM EDIFÍCIOS VEDAÇÕES 13 COLETÂNEA DO USO DO AÇO
  9. 9. 14 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS São paredes inteiras, industrializadas, posicionadas externamente à estrutura. Quando fixados diretamente nos pilares, reduzem significativamente o peso das vigas externas, pois não transferem cargas para as mesmas. É o sistema com maior grau de industrialização no processo construtivo e, quando necessário, podem substituir os contraventamentos metálicos externos, bastando que sejam corretamente projetados para tal situação. DET 01A DET 03 DET 04 DET 02 DET 01D DET 01C DET 05A DET 01B DET 05B
  10. 10. 15 COLETÂNEA DO USO DO AÇO DET 01 APAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Painel Perfil de Arremate Painel Pré-Moldado ELEVAÇÃO ISOMÉTRICO DET A DET A PLANTA Isolamento Térmico Tolerância Vedação Anti-Chama Apoio Fixação Tolerância Apoio Móvel (superior) Fixação Gravidade (inferior) Apoio Fixação Espaçador Divisória ("dry-wall") Fixação Gravidade Laje Selante Painel Painel Vedação Anti-Chama Laje DET A Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. PERFIL H PERFIL I PERFIL I PERFIL H PERFIL H
  11. 11. DET 01 B PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS 16 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate com a cobertura impermeabilizada. Pingadeira Tolerância Vedação Anti-Chama Tolerância Vedação Anti-Chama Perfil de Arremate ELEVAÇÃO Painel Interno ISOMÉTRICO DET A PLANTA Apoio Fixação Fixação Gravidade (inferior) Apoio móvel Fixação Gravidade (inferior) Apoio Fixação DET A Apoio Móvel (superior) Piso Impermeabilizado Painel Interno Laje DET A DET A Painel interno Painel Pré-Moldado DET A Painel externo Painel externo PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H Borracha Vedação Painel Selante Painel
  12. 12. DET 01 CPAINÉIS PRÉ-MOLDADOS 17 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate com forro do pilotis. Forro Laje Laje Borracha Vedação Vedação Anti-Chama Isolamento Térmico Tolerância Painel Selante Painel Vedação Anti-Chama Divisória ("dry-wall") Junta tratada com selante Estabilizador Perfil de Arremate ELEVAÇÃO DET A PLANTA Apoio Fixação Fixação Gravidade (inferior) ISOMÉTRICO DET A Painel Fixação Gravidade Painel Pré-Moldado Apoio Fixação PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  13. 13. DET 01 D PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS 18 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate com piso impermeabilizado. Laje Borracha Vedação Piso Selante Painel Laje Piso Interno Piso Impermeabilizado Piso Impermeabilizado Laje Piso Interno Fixação Gravidade (Inferior) DET AApoio Fixação ELEVAÇÃO Painel ISOMÉTRICO ALTERNATIVA Painel DET A Fixação Gravidade (Inferior) Apoio Fixação DET A Painel Pré-Moldado PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL I
  14. 14. DET 02PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Painel ISOMÉTRICO Laje Painel ELEVAÇÃO Vedação Anti-Chama Tolerância Apoio Móvel (superior) Fixação Gravidade Fixação Gravidade (inferior) Apoio FixaçãoLaje DET A DET A Espaçador Selante Painel Painel PLANTA Isolamento Térmico Tolerância Divisória ("dry-wall") Vedação Anti-Chama DET A Arremate Perfil de 19 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  15. 15. DET 03 20 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Painel extrusado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. DET A Espaçador Selante Painel Painel Painel Extrusado ISOMÉTRICO Laje PLANTA Isolamento Térmico Tolerância Fixação Divisória ("dry-wall") Vedação Anti-Chama DET A Vedação Anti-Chama Fixação Fixação Painel Extrusado Laje Perfil de Arremate DET A DET A ELEVAÇÃO PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL I PERFIL H
  16. 16. DET 04 21 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura aparente. Painel de Concreto Celular Autoclavado (CCA). Alinhamento pela face externa da coluna. Perfil "U" Placa EPS Painel CCA DET A Perfil "U" ELEVAÇÃO Painel CCA ISOMÉTRICO DET B DET A Placa EPS Cantoneira Perfil "U" Placa EPS DET B DET B PLANTA Painel CCA Painel CCA Perfil de Arremate Revestimento Externo Revestimento Interno Laje Laje Revestimento Selante Revestimento Selante Perfil "U" Painel Painel Espaçador Revestimento Externo Revestimento Interno Argamassa Adesiva Junta Movimento PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H
  17. 17. DET 05 A DET 05 B 22 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Painel extrusado de vedação. Detalhe de arremate com a cobertura impermeabilizada. Painel de Concreto Celular Autoclavado. Detalhe de arremate com a cobertura. Fixação Vedação Anti-Chama Piso Impermeabilizado Pingadeira Pingadeira Borracha Vedação Selante Painel Painel Selante Borracha Vedação Painel Placa de arremate Painel Extrusado DET A DET A Painel Interno DET A DET B DET B Placa de arremate ELEVAÇÃO DET B Laje Placa EPS Perfil de arremate Revestimento Externo Placa EPS Revestimento Interno Painel CCA Cantoneira / Perfil "U" Revestimento Selante Perfil "U" DET A Painel CCA DET A Perfil "U" ELEVAÇÃO DET A PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  18. 18. 23 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PLACAS / PELE DE VIDRO São elementos de vedação (externos ou internos) industrializados, que necessitam de uma estrutura auxiliar para fixação, geralmente composta por perfis de alumínio ou de chapa galvanizada dobrada, denominada “steel frame”. O “dry wall” é o sistema interno mais comum. As placas internas são geralmente de gesso acartonado e as externas em vidro ou material cimentício, resistente à umidade. Neste último caso, necessitam de isolamento térmico adicional (manta de lã de rocha ou vidro) aplicado no vazio interno, entre as placas, onde as instalações são também facilmente posicionadas. DET 06 DET 08, 09 DET 07
  19. 19. DET 06 PLACAS / PELE DE VIDRO 24 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Divisória interna. Placas de gesso acartonado. Alinhamento pela face da viga. PLANTA ISOMÉTRICO Placa de Gesso Acartonado ELEVAÇÃO Montante (ch. galv.) Montante (ch. galv.) Guia (ch. galv.) Guia (ch. galv.) Montante (ch. galv.) Placa de Gesso Acartonado Guia Montante Placa de Gesso Acartonado Placa de Gesso Acartonado Guia (ch. galv.) Guia Montante (ch. galv.) Laje Laje Isolante Térmico Isolamento Térmico PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H
  20. 20. DET 07 25 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Placas de vedação. Alinhamento pela face externa da coluna. ISOMÉTRICO DET A PLANTA DET A Placa Cimentícia (externo) Montante (ch. galv.) ELEVAÇÃO Placa Cimentícia (externo) Montante (ch. galv.) Montante (ch. galv.) Apoio Auxiliar Guia (ch. galv.) Guia (ch. galv.) Placa Cimentícia DET A Painel Painel Selante Laje Placa Gesso (interno) Laje Isolante Térmico Perfil de Arremate Isolamento Térmico Placa Gesso (interno) PLACAS / PELE DE VIDRO PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H
  21. 21. DET 08 26 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Placas de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO DET A Montante Granito/ Mármore/ Placa Metálica Selante Granito/ Mármore/ Placa Metálica ELEVAÇÃO Laje Montante (galv. / al.) Junta Movimento DET A Suporte Granito/ Mármore/ Placa Metálica DET A Suporte Montante Granito/ Mármore/ Placa Metálica PLANTA Placa Gesso (interno) Isolante Térmico Isolamento Térmico Perfil de Arremate Placa Gesso (interno) Laje PLACAS / PELE DE VIDRO PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  22. 22. DET 09 27 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PLACAS / PELE DE VIDRO Estrutura não aparente. "Pele" de vidro. Alinhamento por fora da estrutura. Vidro Laje Laje Selante Vidro Vidro Selante Rodapé Forro Vidro Vidro Montante Junta Rodapé Rodapé Perfil de Arremate Suporte Arremate Montante ELEVAÇÃO ISOMÉTRICO Montante DET A DET A Arremate PLANTA Vidro PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  23. 23. 28 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PAREDE CORTINA São paredes executadas externamente à estrutura, apoiadas diretamente nas fundações ou em vigas de transição. A estabilização horizontal se dá por meio de conectores fixados à estrutura no nível das lajes ou vigas. Funciona como uma “pele” e é ideal para obras industriais, com grandes alturas. DET 10
  24. 24. DET 10PAREDE CORTINA 29 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Parede cortina. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO ELEVAÇÃO DET A DET A Conector (cisalhamento) PLANTA Placa EPS Cintamento Alvenaria Alvenaria Placa EPS Conector (cisalhamento) Cintamento Laje Placa EPS Alvenaria Revestimento Revestimento Selante Junta Movimento Alvenaria Revestimento Externo Revestimento Interno Laje Revestimento Externo Revestimento Interno Espaçador PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  25. 25. 30 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Alvenaria Desvinculada São paredes fixadas à estrutura por meio de sistemas que permitem pequenas movimentações diferenciais segundo seu plano. São empregadas em obras com grandes vãos, acima de 5 ou 6 m, geralmente comerciais e industriais. Utilizam-se duas cantoneiras paralelas ou um perfil “U”, gerando um sistema de encaixe da alvenaria que impede apenas movimentos transversais ao seu plano. Na junção entre a parede e o sistema de fixação formam-se juntas de movimento, incorporadas ao acabamento final. É um sistema com alto grau de confiabilidade que reduz significativamente o nível de patologias. DET 12 DET 13B DET 13 DET 13A DET 11 DET 15 DET 14 DET 11A, 11B DET 13C, 13D DET 12A
  26. 26. DET 11PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 31 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura aparente. Alvenaria desvinculada externa/interna. Alinhamento pelo eixo da coluna. DET A PLANTA ELEVAÇÃO Perfil "U" Alvenaria Placa EPS ISOMÉTRICO Cantoneira Perfil "U" (Alvenaria) DET A Alvenaria Alvenaria Perfil "U" Placa EPS (Alvenaria) Placa EPS Perfil "U" Junta Movimento DET A Junta Movimento Placa EPS Perfil "U" Alvenaria DET A Cantoneira Revestimento Interno Revestimento Externo Laje Revestimento Externo DET B Alvenaria Revestimento Interno Revestimento Externo Cantoneira / Perfil "U" Selante Revestimento Revestimento Laje Pingadeira DET B PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL I
  27. 27. DET 11 A PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 32 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura aparente. Platibanda com laje impermeabilizada. Alinhamento pelo eixo da coluna. ISOMÉTRICO Laje Revestimento Externo Peitoril Alvenaria Placa EPS Revestimento Interno Selante Revestimento Externo Cantoneira / Perfil "U" Selante Revestimento Selante Rebaixo p/ a Impermeabilização Peitoril Selante Selante Projeção Peitoril Revestimento Laje Pingadeira DET A PLANTA ELEVAÇÃO Cantoneira DET A (Alvenaria) Cantoneira DET A Alvenaria DET A Cantoneira Alvenaria DET B DET B PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL I
  28. 28. DET 11 BPAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 33 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura aparente. Cobertura com telhado. Alinhamento pelo eixo da coluna. Revestimento Externo Laje Telhado Rufo Metálico Rufo metálico Revestimento Externo Cintamento Telhado Projeção do rufo metálico Telhado Cintamento Cintamento Revestimento Laje Pingadeira (Alvenaria) Cantoneira DET A Cantoneira ELEVAÇÃO Alvenaria ISOMÉTRICO DET A Perfil "U" PLANTA DET A Perfil "U" DET B DET B Placa EPS Alvenaria Cantoneira / Perfil "U" Revestimento Selante PERFIL H PERFILH PERFIL I PERFIL H PERFIL I
  29. 29. DET 12 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 34 COLETÂNEA DO USO DO AÇO DET A Alvenaria Fixação Placa EPS DET A Placa EPS Barra de Fixação Junta Movimento PLANTA ISOMÉTRICO Ver DET A Alvenaria Placa EPS Selante Alvenaria Espaçador Revestimento Externo Laje Revestimento Externo Revestimento Externo ELEVAÇÃO Alvenaria Malha de Reforço Barra de Fixação DET A Barra de Fixação Placa EPS Perfil de Arremate Revestimento Externo Laje Revestimento Interno Estrutura não aparente. Alvenaria desvinculada externa. Alinhamento por fora da estrutura. PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  30. 30. DET 12 APAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 35 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Alvenaria desvinculada externa. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate nos pilotis. Placa EPS Barra de fixação Revestimento Externo Espaçador Alvenaria Placa EPS Alvenaria Laje Revestimento Externo Revestimento Externo Selante Placa EPS Junta Movimento Fixação Barra de fixação Pingadeira Alvenaria ELEVAÇÃO ISOMÉTRICO Alvenaria DET A DET A PLANTA Laje PERFIL H PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  31. 31. DET 13 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 36 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Alvenaria desvinculada externa/interna. Alinhamento por fora da estrutura. DET A ISOMÉTRICO ELEVAÇÃO Barra de Fixação Placa EPS Barra de Fixação DET A Malha de Reforço Alvenaria DET A Placa EPS Barra de Fixação Junta Movimento PLANTA Alvenaria Placa EPS Barra de fixação Revestimento Externo Perfil de Arremate Laje Alvenaria Placa EPS Selante Alvenaria Espaçador Revestimento Externo Revestimento Interno Revestimento Externo Revestimento Externo PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  32. 32. DET 13 A DET 13 B PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 37 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Alvenaria desvinculada externa/interna. Alinhamento por fora da estrutura. Estrutura não aparente. Alvenaria desvinculada externa/interna. Alinhamento por fora da estrutura. Alvenaria ISOMÉTRICO PLANTA Placa EPS Junta Movimento Junta Movimento Revestimento Interno Revestimento Externo ISOMÉTRICO Placa EPS Alvenaria PLANTA Junta Movimento Barra de Fixação Junta Movimento Revestimento Externo Revestimento Interno PERFIL H PERFIL H PERFIL H PERFIL H
  33. 33. DET 13 C PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 38 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura aparente. Platibanda em alvenaria com laje impermeabilizada. Alinhamento por fora da estrutura. Cintamento Laje Placa EPS Espaçador Revestimento Externo Revestimento Externo Alvenaria Placa EPS Alvenaria Placa EPS Revestimento Externo Revestimento Externo Selante Selante Placa EPS Selante Peitoril Rebaixo p/ a Impermeabilização Revestimento Externo Selante Peitoril Projeção Peitoril Cintamento Cintamento Alvenaria ISOMÉTRICO DET A Barra de fixação Perfil de arremate DET A Malha de reforço Barra de fixação (cfe. Det 13) Alvenaria PLANTA DET A ELEVAÇÃO PERFIL I PERFIL H PERFIL H
  34. 34. DET 13 DPAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 39 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Cobertura com telhado. Alinhamento por fora da estrutura. Placa EPS Telhado Rufo metálico Cintamento Laje Revestimento externo Espaçador Revestimento Externo Revestimento Externo Revestimento Externo Alvenaria Alvenaria Placa EPS Selante Cintamento Placa EPS Telhado Rufo Metálico Telhado Projeção do rufo metálicoCintamento Barra de fixação DET A Malha de reforço Perfil de arremate DET A Barra de fixação ISOMÉTRICO ELEVAÇÃO DET A PLANTA Alvenaria PERFIL H PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  35. 35. DET 14 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 40 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura não aparente. Alvenaria dupla externa p/ região contraventamento. Alinhamento pelo eixo da viga. ISOMÉTRICO DET A ELEVAÇÃO Parede Dupla Fiada de Travamento Placa EPS Cantoneira Perfil "U" (Alvenaria) DET A Alvenaria Junta Movimento DET B (Alvenaria) DET B PLANTA Perfil "U" Placa EPS Junta Movimento Alvenaria Placa EPS DET B Alvenaria Dupla Cantoneiras Placa EPS Cantoneira Parede Dupla Parede Simples Malha de Reforço Placa Cimentícia Pino Fixação Revestimento Externo Laje Perfil de Arremate Contraventamento Revestimento Interno Cantoneira Alvenaria Espaçador Placa cimentícia Revestimento Revestimento Selante Espaçador Alvenaria Revestimento Selante Revestimento Pino Fixação Revestimento do Pilar Revestimento Externo Contraventamento Pino Fixação Revestimento Interno Contraventamento PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL H
  36. 36. DET 15PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 41 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura revestida. Alvenaria desvinculada externa. Alinhamento pela face externa da coluna. DET A PLANTA ELEVAÇÃO Perfil "U" Alvenaria Placa EPS ISOMÉTRICO Cantoneira Perfil "U" (Alvenaria) Malha de Reforço Placa Cimentícia DET A Pino Fixação Alvenaria Perfil "U" Placa EPS Junta Movimento Cantoneira Junta Movimento Alvenaria Alvenaria Cantoneira Placa EPS DET B Pino Fixação Placa EPS Pino Fixação Revestimento do Pilar DET B (Alvenaria) DET B Revestimento Interno Revestimento Externo Laje Perfil de Arremate Cantoneira Alvenaria Espaçador Revestimento Interno Placa Cimentícia Selante Revestimento Externo Espaçador Alvenaria Selante Revestimento Externo Revestimento Externo Revestimento Externo Revestimento Externo PERFIL H PERFIL H PERFIL H PERFIL I PERFIL H
  37. 37. 42 COLETÂNEA DO USO DO AÇO PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Alvenaria Vinculada São paredes unidas solidariamente à estrutura, trabalhando em conjunto, sendo mais utilizadas em edifícios com pequenos vãos (até 5 m aproximadamente), e destinados ao uso residencial ou salas comerciais, onde o emprego de juntas não é esteticamente ideal. Nas ligações alvenaria-estrutura são empregadas barras de aço tipo estribo, denominadas ferro-cabelo, soldadas à estrutura. Preferencialmente, devem ser empregados segmentos de telas eletrossoldadas. Esse tipo de parede trabalha em conjunto com a estrutura, aumentando sua rigidez. Em situações especiais, podem ser eliminados os elementos de contraventamento metálico, transferindo os esforços para as paredes. Neste caso, devem ser consideradas como elementos estruturais e devidamente dimensionadas conforme a "Teoria das Diagonais Equivalentes", por exemplo. DET 16 DET 16A DET 16B
  38. 38. DET 16PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 43 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Estrutura aparente. Alvenaria vinculada externa/interna. Alinhamento pelo eixo da coluna. ISOMÉTRICO Tela Eletrossoldada Alvenaria Tela Eletrossoldada Argamassa Fraca Expansível ELEVAÇÃO Alvenaria Tela Eletrossoldada Alvenaria DET A DET B DET B Tela Eletrossoldada Tela Eletrossoldada DET A PLANTA Alvenaria Revestimento Externo DET C Laje Revestimento Externo Argamassa Fraca Expansível Revestimento Externo Selante Argamassa Fraca Expansível Revestimento Externo Selante Friso Revestimento Interno Revestimento Externo Friso Revestimento Laje Pingadeira DET C PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL I PERFIL I PERFIL H PERFIL H
  39. 39. DET 16 A DET 16 B PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 44 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Variação DET 11. Fixação em forma de estribo. Alvenaria Solda de campo ISOMÉTRICO PLANTAFixação (estribo) Fixação (estribo) Fixação (estribo) Alvenaria Friso Revestimento ExternoRevestimento Interno Variação DET 11. Fixação em forma de gancho. Alvenaria Solda de campo ISOMÉTRICO PLANTA Fixação (gancho) Fixação (gancho) Alvenaria Fixação (gancho) Revestimento Externo Friso Revestimento Interno PERFIL H PERFIL H PERFIL H PERFIL H
  40. 40. LAJES 45 COLETÂNEA DO USO DO AÇO INTERFACES USUAIS EM EDIFÍCIOS
  41. 41. DET 17 LAJE CONVENCIONAL 46 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Laje maciça, moldada "in loco". Perfil de arremate DETALHE Conector (perfil "U") ELEVAÇÃO Laje maciça Laje de concreto armado Conector (perfil "U" laminado) Conector (perfil "U") Laje PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL I PERFIL I
  42. 42. DET 18LAJE ALVEOLAR 47 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Laje pré-moldada. Extrusada, protendida. Não necessita escoramento. Laje DETALHE Conector (stud bolt) Armadura de Ligação Laje Pré-Moldada Conector (stud bolt) ELEVAÇÃO Laje Pré-Moldada Recorte no Pré-Moldado Capa de Concreto Cintamento Periférico Capa de Concreto PERFIL I PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  43. 43. DET 19 LAJE COM FÔRMA DE AÇO INCORPORADA 48 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Laje maciça. Forma metálica incorporada. Não necessita escoramento. ISOMÉTRICO Laje ELEVAÇÃO Conector (stud bolt) Forma Metálica (steel deck) Laje Concreto Conector (stud bolt) DETALHE Forma Metálica (steel deck) Vazio Perfil de Arremate hc>50mm >15mm PERFIL H PERFIL I PERFIL H PERFIL I PERFIL I PERFIL I
  44. 44. Capa de concreto Cintamento periférico Bloco EPS Conector (stud bolt) ELEVAÇÃO Laje treliçada Laje treliçada DET 20LAJE TRELIÇADA 49 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Laje pré-moldada treliçada. Necessita escoramento parcial. Capa de concreto Laje DETALHE Conector (stud bolt) Bloco EPS Laje treliçada PERFIL I PERFIL I PERFIL H PERFIL H PERFIL I
  45. 45. INTERFACES USUAIS EM GALPÕES 3
  46. 46. INTERFACES USUAIS EM GALPÕES VEDAÇÕES 53 COLETÂNEA DO USO DO AÇO
  47. 47. 54 COLETÂNEA DO USO DO AÇO VEDAÇÕES As vedações de galpões diferem das convencionais em alguns aspectos importantes: • Grandes dimensões, tanto no comprimento quanto na altura; • Bordo superior livre, sem apoio direto na estrutura; • Estrutura com maior deslocamento horizontal na parte superior; • Esforços horizontais elevados (vento, impacto). Para as vedações, devem ser definidos a posição em relação à estrutura, as condições de apoio em todo o perímetro, o sistema de fixação à estrutura, as juntas de movimentação, as cargas transversais e verticais, a espessura da parede, e o tipo de material a ser empregado. Nos locais onde haja a possibilidade de choque de veículos (carregadeiras, empilhadeiras) com as paredes, deve ser prevista a execução de elementos (bate-rodas) que impeçam esse tipo de impacto. Caso contrário, os esforços devem ser previstos no dimensionamento das paredes. As variações dimensionais das vedações, devido à temperatura e umidade, podem provocar esforços importantes quando as dimensões forem elevadas. Neste caso deve ser avaliada a necessidade e considerada a utilização de juntas de movimento. DET 23 DET 22, 22A DET 24 DET 21 DET 25
  48. 48. DET 21PAINEL PRÉ-MOLDADO ALVEOLAR 55 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Vedação externa em painel pré-moldado. Alinhamento por fora da estrutura. Telha Metálica Rufo Calha Argamassa de Assentamento Painel pré-moldado Borracha Vedação Selante Painel Painel Neoprene Fixação DET A PLANTA Painel DET A Fixação ELEVAÇÃO DET B DET B DET B PERFIL I ou H PERFIL I ou H
  49. 49. DET 22 PAINEL METÁLICO E PAREDE 56 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Vedação externa. Alinhamento por fora da estrutura. Revestimento Externo Revestimento Interno Placa EPS Junta Movimento Revestimento Externo Placa EPS Junta Movimento Revestimento Interno Conector Telha Metálica Telha Metálica Calha Rufo Cintamento de Topo Cintamento Intermediário Revestimento Revestimento Selante EPS Alvenaria Alvenaria Revestimento Selante Perfil "U" Alvenaria Perfil "U" (duplo) DET A ELEVAÇÃO DET A Alvenaria DET B DET B ALTERNATIVA Alvenaria PLANTA Alvenaria Perfil "U" DET A PERFIL I ou H PERFIL I ou H PERFIL I ou H
  50. 50. DET 22 APAINEL METÁLICO E PAREDE 57 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Vedação externa. Alinhamento por fora da estrutura. Revestimento Externo Revestimento Interno Placa EPS Junta Movimento Telha Metálica Telha Metálica CalhaRufo Cintamento de Topo Revestimento Selante Perfil "U" Alvenaria Revestimento Externo Revestimento Interno Junta Movimento Placa EPS Perfil "U" (duplo) DET A ELEVAÇÃO DET A Alvenaria PLANTA Perfil "U" DET A Perfil "U" (duplo) PLANTA - ALVENARIA Alvenaria DET A DET APilarete (Perfil "U"- duplo) PERFIL I ou H PERFIL I ou H
  51. 51. DET 23 58 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Vedação externa. Alinhamento pela face externa da coluna. DET A Alvenaria Alvenaria Cantoneira Selante Revestimento ELEVAÇÃO PLANTA DET A Alvenaria Telha Metálica Telha Metálica Cintamento Intermediário Cintamento Intermediário Calha Rufo Cantoneira Placa EPS Revestimento Interno Revestimento Externo DET A PAINEL METÁLICO E PAREDE PERFIL I ou H PERFIL I ou H PERFIL I ou H
  52. 52. DET 24PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 59 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Vedação externa. Alinhamento por fora da estrutura. Cintamento Intermediário Cintamento de Topo Revestimento Externo Revestimento Interno Calha Rufo Telha Metálica Junta Movimento Placa EPS Cintamento Intermediário Revestimento Selante Perfil "U" Alvenaria Perfil "U" DET A Alvenaria DET A Perfil "U" (duplo) PLANTA DET A Alvenaria ELEVAÇÃO PERFIL I ou H PERFIL I ou H
  53. 53. DET 25 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" 60 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Vedação externa em alvenaria. Alvenaria com enrijecedor. Cintamento de Topo Telha Metálica Rufo Terça Cintamento Intermediário Enrijecedor Reforço (armadura + graute) Enrijecedor Cintamento Intermediário Cintamento Intermediário PLANTA Alvenaria ELEVAÇÃO Alvenaria PERFIL I ou H
  54. 54. NOTAS GERAIS 4
  55. 55. É parte do processo de dimensionamento e detalhamento considerar as condições particulares de cada obra e atender às prescrições normativas vigentes. Este trabalho requer a participação de um profissional qualificado, com experiência específica comprovada. As vedações, principalmente as externas, devem ser projetadas para resistir aos esforços horizontais oriundos da ação do vento e outras ações relevantes. Sempre que for empregada solda de campo, essa deve ser realizada por profissional qualificado e inspecionada dentro dos padrões normativos. A aplicação de material selante nas juntas externas precisa seguir rigorosamente as prescrições dos fornecedores e suportar a ação dos raios ultra-violetas (mastique poliuretânico ou silicone neutro, por exemplo). Para maiores informações consulte o site: www.gerdauacominas.com.br/perfis Allen, E., "Fundamentals of Building Construction Materials and Methods", 3rd Ed., J.Wiley & Sons Inc., Canada, USA, 1999. Bender, R., "Una Visión de la Construcción Indutrializada", Ed. Gustavo Gili S.A., Baracelona, 1976. Coelho, R. de A.,"Vedações para Edifícios em Estrutura Metálica : Critérios e Projetos", III Seminário Intern. - O uso de Estrutura Metálicas na Construção Civil", Notas de aula, Belo Horizonte, 2000. Dur-O-Wall," Masonry Repair Handbook", Dur-O-Wall, USA, 1998. Laska,W., "Masonry and Steel Detaling Handbook", The Arbedeen Group, USA, 1993. RECOMENDAÇÕES 63 COLETÂNEA DO USO DO AÇO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

×