Seminario cuisenaire

708 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
708
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminario cuisenaire

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ UNAVIDA EQUIPE: Antônio Neto Jaidete Lopes Maria do Rosário Renata Santos SEMINÁRIO DE MATEMÁTICA BÁSICA OFICINA: A CONSTRUÇÃO NUMÉRICA EXPLORANDO O MATERIAL DIDÁTICO – ESCALA CUISENAIRE Seminário de matemática apresentado ao curso de Pedagogia sob a orientação do Prof. Pádua como pré-requisitos para aprovação na disciplina Didática da Matemática.
  2. 2. João Pessoa Maio/2014 UM POUCO DE HISTÓRIA... Origem: O material Cuisenaire foi criado pelo professor belga Georges Cuisenaire Hottelet (1891-1980) na imagem acima depois de ter observado o desespero de um aluno, numa de suas aulas. Decidiu criar um material que ajudasse no ensino dos conceitos básicos da Matemática. Então cortou algumas réguas de madeira em 10 tamanhos diferentes e pintou cada peça de uma cor tendo assim surgido a Escala de Cuisenaire. Durante 23 anos, Cuisenaire estudou e experimentou o material que criara na aldeia belga de Thuin. Só 23 anos depois da sua criação (a partir de um encontro com outro professor – o egípcio Caleb Gattegno), é que o seu uso se difundiu com enorme êxito. O egípcio, radicado na Inglaterra, passou a divulgar o trabalho de Cuisenaire – a quem chamava de Senhor Barrinhas. Levou apenas 13 anos para passar a ser conhecido nas escolas de quase todo o mundo. Feito originalmente de madeira, o Cuisenaire é constituído por modelos de prismas quadrangulares com alturas múltiplas da do cubo – representante do número 1 em 10 cores diferentes e 10 alturas proporcionais. O MATERIAL: O material Cuisenaire é constituído por 241 barras de madeira, sem divisão em unidades e com tamanhos variando de uma até dez unidades. Cada tamanho corresponde a uma cor específica. COR NÚMERO REPRESENTADO Branco (ou cor de madeira) 1 Vermelho 2 Verde-claro 3 Rosa (ou lilás) 4 Amarelo 5 Verde-escuro 6 Preto 7 Castanho (ou marrom) 8 Azul 9 Cor de laranja (ou cor de madeira) 10 2
  3. 3. Uma adaptação desse material pode ser a sua confecção em papel quadriculado, o que ressalta o número de unidades correspondente a cada cor. OBJETIVO DA ESCALA: permitir que a aprendizagem se processe através da descoberta por “ensaio e erro”, tornando a criança um agente ativo desse processo. Os números são representados por grandezas contínuas. UTILIZAÇÃO: Coordenação viso motora; Análise-síntese; Constância de percepção (forma, tamanho, cor); Ideia de número; Comparação; Noção de conjunto e subconjunto; Adição; subtração; multiplicação; divisão; Dobro/triplo; Frações; Mdc e mmc; Expressão numérica e equações DESENVOLVIMENTO: 3 - 10 barras cor-de-laranja com 10 cm de comprimento; - 11 barras azuis com 9 cm de comprimento; - 12 barras castanhas com 8 cm de comprimento; - 14 barras pretas com 7 cm de comprimento; - 16 barras verdes escuras com 6 cm de comprimento; - 20 barras amarelas com 5 cm de comprimento; - 25 barras cor-de-rosa com 4 cm de comprimento; - 33 barras verdes claras com 3 cm de comprimento; - 50 barras vermelhas com 2 cm de comprimento; - 50 barras brancas com 1 cm de comprimento;
  4. 4. FASE 1 (PRÉ): explorar – construir casinhas, trens...; discriminar cores, tamanhos; FASE 2 (PRÉ): reconhecer cores; FASE 3 (PRÉ): comparar tamanhos; FASE 4 (PRÉ): associar números às cores; FASE 5 (anos iniciais) ADIÇÃO – compor; FASE 6 (anos iniciais) SUBTRAÇÃO – decompor; FASE 7 (anos iniciais) MULTIPLICAÇÃO, DIVISÃO, FRAÇÃO; FASE 8 (ens. Fundamental) EXPRESSÕES NUMÉRICAS, EQUAÇÕES Utilizando a teoria de Jean Piaget, sobre as fases do desenvolvimento infantil, trabalharemos o método que foi dividido em oito etapas. Cada uma corresponde a um estágio do conhecimento infantil, e a desenvoltura do grupo é que determina a velocidade com que se passará de uma fase para outra. Fase 1: Acontece o primeiro contato com as barrinhas, que deve ser uma brincadeira, e apenas o reconhecimento físico da peças. Pedir para construir casinhas, trenzinhos... e discriminar tamanho e cores. Fase 2: Reconhecimento das cores, que é essencial para a compreensão da Escala de Cuisenaire. O avanço desta percepção pelas crianças pode ser feita com a ajuda de jogos. Fase 3: Depois que as crianças já estão familiarizadas com as cores e tamanhos do material, é hora de comparar os tamanhos das barrinhas. Escolhe-se uma barrinha e pede-se à criança que procure outras duas que juntas, tenham o mesmo tamanho da primeira. Fase 4: Começa associar os números às cores e aos tamanhos. Fase 5: Aprende a adição. Indica-se uma barrinha qualquer e os alunos tem de combiná-las com outras até obter o mesmo comprimento, ou seja, o mesmo tamanho. Fase 6: Aprende a subtração. Pode-se usar a tábua da decomposição em que um número, é decomposta em várias combinações possíveis colocadas lado a lado. Fase 7 e 8: Ao estudar a multiplicação e a divisão, incluindo frações (fase 7), e as equações com incógnitas (fase 8), os alunos já terão chegado a um ponto em que o material será útil para conferir seu raciocínio. São assuntos para terceira e quarta séries, quando as crianças começam a desenvolver o raciocínio de forma mais abstrata. Também no cálculo das equações com incógnitas o aluno poderá empregar as barrinhas, já que para resolvê-las fará contas de subtração, adição, multiplicação e divisão. 4
  5. 5. Como podemos ver este tipo de trabalho exige um preparo maior por parte do professor, e uma atenção ao aluno também maior. Infelizmente muitos professores preferem a acomodação das apostilas e livros didáticos. De acordo com o Referencial Curricular Nacional Para A Educação Infantil, fazer matemática é expor idéias próprias, escutar as dos outros, formular e comunicar procedimentos de resolução de problemas, confrontar, argumentar e procurar validar seu ponto de vista, antecipar resultados de experiências não realizadas, aceitar erros, buscar dados que faltam para resolver problemas. E ainda... Ao se trabalhar com conhecimentos matemáticos, como o sistema de numeração, espaços, formas, etc, por meio da resolução de problemas, as crianças estarão consequentemente desenvolvendo sua capacidade de generalizar, analisar, sintetizar, inferir, formular hipóteses, deduzir, refletir e argumentar. Acreditamos que a Escala de Cuisenaire, nos ajuda a cumprir com boa parte destes objetivos do ensino de Matemática. EXPLORANDO O MATERIAL DE ESCALA DE CUISENAIRE Atividade 1 Observando as peças no quadro responda os exercícios abaixo: 1) Faça um desenho colorido representando cada peça. Coloque números para cada peça de acordo com as cores correspondentes. Use o quadriculado abaixo. 5
  6. 6. Atividade 2 1. Quantas barras brancas são necessárias para formar uma barra do mesmo tamanho que a vermelha?____________________________________________________________ 2. Quantas barras brancas são necessárias para formar uma barra do mesmo tamanho que a verde-clara? __________________________________________________________ 3. Quantas barras brancas são necessárias para formar uma barra do mesmo tamanho que a cor-de-rosa? __________________________________________________________ 4. Quantas barras brancas são necessárias para formar uma barra do mesmo tamanho que a amarela? _____________________________________________________________ Atividade 3 Considera a barra branca como unidade de medida (a barra branca vale 1). 1. Quanto vale a barra vermelha? ____________________________________________ 2. Quanto vale a barra amarela? ____________________________________________ 3. Quanto vale a barra marrom? ___________________________________________ Atividade 5 – Representar números 1. Constrói o número 7 com duas barras. Registra. 6
  7. 7. 2. Sem repetires barras da mesma cor, de quantas maneiras diferentes podes representar o número 9. Representa-as na folha. 3. Forma o número 8, só com barras vermelhas e brancas. Quantas soluções encontraste? ____________________ Registra-as no quadro abaixo: 7
  8. 8. Atividade 6- Operações Adição 1) Que peças eu posso juntar para formar a peça preta? Faça todas as combinações possíveis com duas peças, depois com três, depois... Por exemplo: (Uma verde clara + uma lilás = 7 ) 2) Escreva uma sentença numérica para cada solução do item (1). Por exemplo: (4 + 3 = 7) 3) Use apenas duas peças para “formar” a peça marrom. Encontre todas as soluções possíveis e escreva uma sentença matemática para cada solução. Multiplicação 1) Duas peças vermelhas são do tamanho de que peça? Que relação tem este fato com a sentença: 2x2 = 4? 2) Três peças vermelhas são do tamanho de que peça? Que relação tem este fato com a sentença: 3x2 = 6? 3) Quatro peças vermelhas são do tamanho de que peças? E cinco? 4) Quanto dá 6x2? Que peças você usou? 5) Determine todos os produtos que podemos obter com as peças. Não deixe de registrá-los. 6) Quatro peças verdes claros são iguais a quantas peças lilás? Atividades 7 Frações 1) Com quantas barras vermelhas você obtém o tamanho da barra laranja? O que a barra vermelha é da barra laranja? 2) Com quantas barras verdes claras você forma uma barra azul? O que a barra verde claro é da barra azul? 3) Que outras relações deste tipo você pode obter com as barras da escala de Cuisenaire? 4) Usando a barra laranja como unidade complete a tabela abaixo com a medida de cada barra. 8
  9. 9. Madeira Vermelha Verde claro Lilás Amarel o Verde escuro Preta Azul Laranja Comparando frações 1) O que a barra vermelha é da barra laranja? 2) O que duas barras cor de madeira é da barra laranja? 3) O que é maior: a) Uma barra vermelha ou duas barras cor de madeira? b) 5 1 10 2 ou ? Obs. Neste caso dizemos que 10 2 é equivalente a 5 1 e escrevemos 5 1 10 2 = 4) O que a barra vermelha é da barra verde escuro? 5) O que duas barras cor de madeira é da barra verde escuro? 6) O que você conclui? 7) O que a barra verde claro é da barra verde escuro? Encontre uma fração equivalente a esta? 8) Encontre outras frações equivalentes que possam ser criadas com as barras da escala de Cuisenaire. Adição 1) A barra verde claro vale 2 1 da barra verde escuro e a barra vermelha vale 3 1 da barra verde escuro. Quanto vale, usando apenas as barras, 3 1 2 1 + ? 2) Que fração da barra lilás é a barra verde claro? E a barra vermelha? Quanto dá 4 3 2 1 + ? Que procedimento você usou? 3) O que a barra vermelha é da barra marrom? E a lilás? Que fração da barra marrom dá uma barra vermelha mais uma barra lilás? Indique a expressão. 4) Encontre mais 10 soma de frações que se possa fazer usando a escala de Cuisenaire. Multiplicação 1) O que a barra lilás é da barra marrom? 2) Que barra é a metade da barra lilás? 3) Justifique com a escala de Cuisenaire o produto 2 1 2 1 × . 9
  10. 10. 4) O que a barra verde escuro é da barra azul? O que a barra vermelha é da barra verde escuro? Quanto vale, use a escala de Cuisenaire para justificar, 3 2 2 1 × ? 5) Crie pelo menos mais dez situações de multiplicação com a escala de Cuisenaire. Divisão 1) Quantas vezes a barra verde claro cabe na verde escuro? Que operação você usou? 2) Quantas vezes a barra vermelha cabe na barra marrom? Indique a operação usada. 3) Quantas vezes a barra da coluna da esquerda (tabela abaixo) cabe na barra da coluna do meio? Responda na coluna da esquerda indicando a operação realizada. Peça 1 Peça 2 Operação e resultado Vermelha marrom Vermelha Laranja Amarela Laranja Vermelha Verde Claro Verde Claro Preta Amarela Verde Claro Lilás Preta Preta Lilás 10
  11. 11. Referências www.esev.ipv.pt/.../Actividade%20Cuisenaire%20-%203%20e%204%20ano.doc http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=3570 http://www.esev.ipv.pt/mat1ciclo/tarefas/Actividade%20Cuisenaire%20%203%20e %20420ano.doc http://educamat.ese.ipcb.pt/0607/images/PDF/Mater_1C/sessao_02_act_cuisenaire.pdf http://www.cempem.fae.unicamp.br/lapemmec/cursos/ep155_2002/ep155/g17/link7.htm http://educamat.ese.ipcb.pt/docs/CUISENAIRE.dochttp: Acessos: 04 de Maio de 2014. 11

×