SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Para combater a desigualdade social não basta educar

Empreendorismo social como sistema de oportunidades

Por Rui Teixeira Santos

O sistema de oportunidades é crítico para que se possa aproveitar a
geração mais bem formada na Europa. Mas com a recessão e a política de
austeridade implementada nos Países da Europa do Sul e na Irlanda,
dificilmente que criam oportunidades para absorver os jovens que saem
das universidades, persistindo assim, por exemplo, em Portugal, os níveis
de desigualdade social. Em nosso entender, em países como Portugal, terá
que ser por via doempreendorismo social que, na próxima década, se vão
incrementar as políticas para combater a desigualdade social e aumentar o
nível de sustentabilidade e coesão sociais.

No contexto de uma enorme desigualdade social, o empreendorismo social
é um dos poucos instrumentos para a criação de oportunidades de
emprego. Como se verifica em Portugal, a persistência da desigualdade
social demonstra que o problema não é conjuntural. Não foi a crise
económica, nem o PAEF – Programa de Ajustamento e Estabilidade
Financeira, negociado com a Troika, que aumentou a desigualdade social.
Pelo contrário, a desigualdade social tem-se mantido ao logo da última
década em níveis mais ou menos estáveis, apesar do aumento do nível e
vida.
Pedro Magalhães1faz o levantamento dos dados sobre a desigualdade
social e compara Portugal, Espanha, Grécia, Itália, Chipre, e Irlanda (até
2011) - todos países em ajustamento orçamental, nalguns casos
extremamente elevado, nomeadamente entre 2011 e 2013. A estes juntou
nos gráficos, também, a média dos 27 países da UE.
No gráfico 1 comparou países e anos, em termos da percentagem da
1http://www.pedro-magalhaes.org/wp-content/uploads/Figure-3.png,

consultado em 31 de Dezembro de 2013
população, que estão em risco de pobreza ou exclusão social, ou seja,
que:
 (1)vivem com um rendimento (depois de transferências sociais)
inferior a 60% da mediana; ou (2) que vivem numa situação de grave
privação material (não conseguem pagar pelo menos 4 de 9 itens
essenciais de consumo); ou ainda, (3)
 que vivem num lar com muito baixa
intensidade de trabalho.
Eis os resultados a que chegou:

Em todos estes países, a percentagem de pessoas nestas condições começa
a aumentar em 2009 (Irlanda), 2010 (Espanha, Chipre) ou 2011 (Grécia,
Itália), não voltando a descer até ao ano mais recente (2012). Ou melhor:
todos, não. Em Portugal não foi assim. Desde 2006, a evolução não tem
tendência clara, e o valor de 2012 (cerca de 25%) é próximo do que se
verificava em 2006 e está pouco acima da média dos 27 países da UE.
A figura 2 concentra-se num dos indicadores usados para estimar a
percentagem de pessoas em risco de pobreza ou exclusão social, o da
“severa privação material“.

Neste caso verificamos a mesma tendência. Espanha distingue-se aqui por
ter valores inferiores aos dos restantes países, mas mesmo assim passou
de 4.1% em 2006 para 5.8% em 2012. Já Portugal chega a 2012 com uma
percentagem inferior à de 2006, de 9.1% para 8.6% (ou seja, com o erro
associado, não há certamente diferença significativa de 2006 para 2012).
Finalmente, desigualdade. A figura 3 mede o rácio entre os rendimentos
obtidos pelos 20% de população mais rica e os 20% de população mais
pobre.

 Portugal parte de uma situação muito grave - o mais desigual dos seis
Países comparados. De notar que Portugal é, na verdade, o mais desigual
dos EU27, a seguir à Letónia.
Contudo, Portugal chega a 2012 claramente menos desigual que Espanha e
Grécia, e menos longe da Itália, de Chipre ou da Irlanda do que estava no
início do período. Muito disso deve-se à diminuição das desigualdades de
rendimento até 2010. Mas o novo aumento em 2011 e 2012, sendo real, foi
menos acentuado do que em Espanha ou na Grécia.
José Justino sugere algumas cautelas nesta leitura dos gráficos anteriores,
advertindo para os seguintes factos:
1. Os dados da EU-SILC utilizados são estimativas para 2012 sobre
informação estatística de 2011. Os efeitos da austeridade em Portugal
terão sido mais tardios que nos restantes países sob resgate? Talvez, mas
mesmo assim, a explicação não é satisfatória.
2. O efeito da austeridade recaiu sobre a classe média poupando os grupos
sociais mais desfavorecidos.
3. A taxa de risco de pobreza calcula-se sobre o limiar de 60% do
rendimento mediano. Se este baixou, então o limiar também baixou
atenuando os efeitos do aumento da pobreza.
4. Convirá não esquecer que desde os anos 80 que o indicador de
desigualdade de distribuição de rendimento não sofre alterações
significativas para Portugal, em grande parte porque a estrutura de
remunerações é fortemente condicionada pela distribuição fortemente
desigual dos níveis de escolarização. Julgo que este último indicador acaba
por ser o mais o mais decisivo.
Mas o que é facto, descontadas as cautelas de Justino, é que embora os
indicadores e o coeficiente de Giniem Portugal, ao contrario do que
acontece nos restantes países do ajustamento, demonstram que as
desigualdades nãose têm alterado desde 2006, no sentido de se
agravarem, mas que também o seu contrário é relevante: apesar do
aumento do nível de vida depois da entrada do País na União Económica e
Monetária.
O que se verifica é uma resistência - uma relativa estabilidade nos níveis
de desigualdade,apesar de estramos em níveis muito elevados de
crescimento do rendimento médio.
Portanto, seguindo o raciocínio de José Justino2 problema em Portugal não
decorre da conjuntura, mas existe um problema de base por resolver. A
questão da desigualdade social em Portugal é um problema estrutural,
persistente e acrescentaria antigo.
Os factores que sustentam a desigualdade em Portugal são vários. Mas o
maior problema continua a ser o da educação e o da formação profissional.
A maior desigualdade em Portugal é na diferença de educação formação
entre os diversos estratos sociais: as classes altas têm maior nível de
Educação que as classes baixas.
Ou seja, a rede da Escola Pública, que sustentava a ideia de progresso no
liberalismo triunfante do século XIX introduziu, tinha como objetivo
formar cidadãos livres, mas sobretudo, dar ferramentas para que os
cidadãos pudessem aproveitar as oportunidades que a liberdade e nova
ordem social e económica liberal do século XIX proporcionavam.
A ideia de Escola Pública, implementadapelas elites liberais e urbanas do
século XIX, partia do pressuposto de que o progresso dependia da
valorização do capital humano. E é evidente também a resistência do
antigo regime e dos latifundiários agrícolas à escola pública e ao ensino
obrigatório pois representou já no século XIX, em Portugal, um passaporte
para a emigração – pois não havia oportunidades para os mais educados
ou formados.
É a esquerda, a social-democracia, já no século XX e sobretudo depois da
segunda guerra mundial, que passa a ver a Escola Pública como um
instrumento de igualdade social.
2http://www.youtube.com/watch?v=DSY5WPfM7AQ,

dezembro de 2013.

consultado em 31 de
Essas políticas vão ser implementadas a partir da Constituição de 1976 em
Portugal. Porém o que se verifica em Portugal é que esse investimento na
Escola Publica não vai alterar a situação estrutural de desigualdade social.
E isso não vai acontecer porque para combater a desigualdade social não
basta o capital educativo produzido, mas é necessário também a
capacidade das sociedades produzirem oportunidades para que esse
capital humano bem formado posso ser aproveitado.
O que impressiona agora é que as novas gerações muito mais bem
formadas que as gerações anteriores não têm oportunidades de emprego,
nem se verificam condições de solidariedade intergeracional, já que a
geração anterior não esta disposta a largar os lugares que ocupou na
sequencia da tripla revolução tecnológica (bancária, digital e da internet)
no final dos século passado.
A sociedade portuguesa envelhece e não consegue gerar oportunidades de
emprego e de trabalho para as novas gerações – como aliás, já acontecia no
Portugal rural do século XIX onde a aristocracia terratenente tudo fazia
para encerrar as escolas das comarcas. E isso leva exatamente a que se
mantenham sistematicamente as desigualdades no País e que, agora como
há duzentos anos, muitos dos jovens – sobretudo os mais formados
(sempre acompanhados também pela escória do pais (os portugueses são
atualmente a segunda maior comunidade prisional estrangeira no Reino
Unido, logo a seguir aos polacos3) - optem por emigrar.
O sistema de oportunidades é hoje um desincentivo aos estudantes e por
isso, é crítico que as politicas públicas comecema dar uma resposta
sustentável, que mantenha a coesão social – criando expectavas e um
sistema de oportunidades aberto e não discriminatório, em vez de
permitir o evidente aumento do abandono escolar por falta de
expectativas e oportunidades.
Mas como verificamos nos últimos quarenta anos, não basta políticas
publicas para se criarem oportunidades num país com este nível de
desigualdade social. Para Portugal deixar de ser um dos países mais
desiguais da União Europeia, o empreendorismo social e as parcerias
sócio-publicas podem ser uma resposta essencial, porque podem ampliar a
criação de oportunidades mantendo a coesão social e os incentivos á
educação e à formação que podem garantir a prazo que as resistências à
diminuição das desigualdades sociais diminuam entre nós.
E tem que ser necessariamente por via do empreendorismo social que isso
pode ser feito, por quanto o estrangulamento do sector privado – devido
ao extraordinário aumento dos impostos - e à perseguição fiscal aos
empreendedores - que entrarem em falência por causa da recessão
provocada pelas descalibradas política públicas de austeridade – não
3Curiosamente

ao contrario dos locais de destino da emigração portuguesa, em
Portugal em 2011 e 2012 os índices de criminalidade diminuíram
substancialmente apesar da crise económica demonstrando que há uma
emigração também na base da pirâmide social.
permite antever a criação e novas oportunidades em numero significativo
no sector privado e no sector público não voltaremos provavelmente, nas
próximas décadas, a assistir a politicas keynesianas de investimento
publico e criação de emprego no Estado de um modo suficiente para
garantir oportunidades para os jovens licenciados que continuam a sair
das universidades.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferrazA desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferrazJose Ferraz
 
Demografia na Europa – um mundo de desigualdades
Demografia na Europa – um mundo de desigualdadesDemografia na Europa – um mundo de desigualdades
Demografia na Europa – um mundo de desigualdadesGRAZIA TANTA
 
Estruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos SociodemográficosEstruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos SociodemográficosCatarina Castro
 
Moção Política - Mobilizar Portugal
Moção Política - Mobilizar PortugalMoção Política - Mobilizar Portugal
Moção Política - Mobilizar PortugalMobilizar Portugal
 
É o clima, estúpido!
É o clima, estúpido!É o clima, estúpido!
É o clima, estúpido!GRAZIA TANTA
 
Solidariedade com o povo grego
Solidariedade com o povo gregoSolidariedade com o povo grego
Solidariedade com o povo gregoGRAZIA TANTA
 
Considerações sobre o Programa social do Governo FHC
Considerações sobre o Programa social do Governo FHCConsiderações sobre o Programa social do Governo FHC
Considerações sobre o Programa social do Governo FHCAna Paula
 
Os números e as pessoas final
Os números e as pessoas   finalOs números e as pessoas   final
Os números e as pessoas finalpr_afsalbergaria
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosIlda Bicacro
 
Aspectos sobre os tempos conturbados que vivemos
Aspectos sobre os tempos conturbados que vivemosAspectos sobre os tempos conturbados que vivemos
Aspectos sobre os tempos conturbados que vivemosGRAZIA TANTA
 
Euforia da servidão
Euforia da servidãoEuforia da servidão
Euforia da servidãoSinapsa
 
Programa Eleitoral BE 2009
Programa Eleitoral BE 2009Programa Eleitoral BE 2009
Programa Eleitoral BE 2009maverick47
 
As estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosAs estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosIlda Bicacro
 
Administracao publica-consen
Administracao publica-consenAdministracao publica-consen
Administracao publica-consengrazi87
 
1.1 - A população: evolução e diferenças regionais
1.1 - A população: evolução e diferenças regionais1.1 - A população: evolução e diferenças regionais
1.1 - A população: evolução e diferenças regionaisacbaptista
 
O Trabalho em Saldo_fev 2012
O Trabalho em Saldo_fev 2012O Trabalho em Saldo_fev 2012
O Trabalho em Saldo_fev 2012Elisio Estanque
 
O Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vida
O Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vidaO Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vida
O Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vidaGRAZIA TANTA
 
As soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasil
As soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasilAs soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasil
As soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasilFernando Alcoforado
 
Manter michel temer no poder é crime contra o brasil
Manter michel temer no poder é crime contra o brasilManter michel temer no poder é crime contra o brasil
Manter michel temer no poder é crime contra o brasilFernando Alcoforado
 

Mais procurados (20)

A desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferrazA desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferraz
 
Mais Europa
Mais EuropaMais Europa
Mais Europa
 
Demografia na Europa – um mundo de desigualdades
Demografia na Europa – um mundo de desigualdadesDemografia na Europa – um mundo de desigualdades
Demografia na Europa – um mundo de desigualdades
 
Estruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos SociodemográficosEstruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos Sociodemográficos
 
Moção Política - Mobilizar Portugal
Moção Política - Mobilizar PortugalMoção Política - Mobilizar Portugal
Moção Política - Mobilizar Portugal
 
É o clima, estúpido!
É o clima, estúpido!É o clima, estúpido!
É o clima, estúpido!
 
Solidariedade com o povo grego
Solidariedade com o povo gregoSolidariedade com o povo grego
Solidariedade com o povo grego
 
Considerações sobre o Programa social do Governo FHC
Considerações sobre o Programa social do Governo FHCConsiderações sobre o Programa social do Governo FHC
Considerações sobre o Programa social do Governo FHC
 
Os números e as pessoas final
Os números e as pessoas   finalOs números e as pessoas   final
Os números e as pessoas final
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Aspectos sobre os tempos conturbados que vivemos
Aspectos sobre os tempos conturbados que vivemosAspectos sobre os tempos conturbados que vivemos
Aspectos sobre os tempos conturbados que vivemos
 
Euforia da servidão
Euforia da servidãoEuforia da servidão
Euforia da servidão
 
Programa Eleitoral BE 2009
Programa Eleitoral BE 2009Programa Eleitoral BE 2009
Programa Eleitoral BE 2009
 
As estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosAs estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficos
 
Administracao publica-consen
Administracao publica-consenAdministracao publica-consen
Administracao publica-consen
 
1.1 - A população: evolução e diferenças regionais
1.1 - A população: evolução e diferenças regionais1.1 - A população: evolução e diferenças regionais
1.1 - A população: evolução e diferenças regionais
 
O Trabalho em Saldo_fev 2012
O Trabalho em Saldo_fev 2012O Trabalho em Saldo_fev 2012
O Trabalho em Saldo_fev 2012
 
O Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vida
O Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vidaO Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vida
O Pib, o Imi e outros modos de mercantilização da vida
 
As soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasil
As soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasilAs soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasil
As soluções para as crises que ameaçam o futuro do brasil
 
Manter michel temer no poder é crime contra o brasil
Manter michel temer no poder é crime contra o brasilManter michel temer no poder é crime contra o brasil
Manter michel temer no poder é crime contra o brasil
 

Destaque

Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...
Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...
Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...A. Rui Teixeira Santos
 
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...A. Rui Teixeira Santos
 
Publicações do professor Doutor Rui Teixeira Santos na Bnomics
Publicações do professor Doutor  Rui Teixeira Santos na BnomicsPublicações do professor Doutor  Rui Teixeira Santos na Bnomics
Publicações do professor Doutor Rui Teixeira Santos na BnomicsA. Rui Teixeira Santos
 
Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014
Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014
Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014A. Rui Teixeira Santos
 
MPA Master in Public Adminitration ISG 2014
MPA  Master in Public Adminitration ISG 2014MPA  Master in Public Adminitration ISG 2014
MPA Master in Public Adminitration ISG 2014A. Rui Teixeira Santos
 
Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...
Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...
Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...A. Rui Teixeira Santos
 
“ O código mundial de ética do turismo”
“ O código mundial de ética do turismo”“ O código mundial de ética do turismo”
“ O código mundial de ética do turismo”A. Rui Teixeira Santos
 
Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...
Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...
Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...A. Rui Teixeira Santos
 
Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...
Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...
Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...A. Rui Teixeira Santos
 
Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...
Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...
Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...A. Rui Teixeira Santos
 
Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)
Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)
Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)A. Rui Teixeira Santos
 
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...A. Rui Teixeira Santos
 
Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...
Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...
Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...A. Rui Teixeira Santos
 
Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...
Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...
Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...A. Rui Teixeira Santos
 
Carta Social de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...
Carta Social  de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...Carta Social  de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...
Carta Social de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...A. Rui Teixeira Santos
 
Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...
Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...
Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...A. Rui Teixeira Santos
 

Destaque (20)

Privatisation 10 years on
Privatisation 10 years onPrivatisation 10 years on
Privatisation 10 years on
 
Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...
Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...
Princípios de Direito Público Económico - Política Públicas - as Privatizaçõe...
 
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
 
Publicações do professor Doutor Rui Teixeira Santos na Bnomics
Publicações do professor Doutor  Rui Teixeira Santos na BnomicsPublicações do professor Doutor  Rui Teixeira Santos na Bnomics
Publicações do professor Doutor Rui Teixeira Santos na Bnomics
 
Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014
Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014
Curso livre sobre sociedades comerciais ISG 2014
 
MPA Master in Public Adminitration ISG 2014
MPA  Master in Public Adminitration ISG 2014MPA  Master in Public Adminitration ISG 2014
MPA Master in Public Adminitration ISG 2014
 
Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...
Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...
Estratégia nacional para o mar 2013/2020 (Resolução do CM 12/2014 de 24 de Fe...
 
“ O código mundial de ética do turismo”
“ O código mundial de ética do turismo”“ O código mundial de ética do turismo”
“ O código mundial de ética do turismo”
 
Curso de Direito do Turismo INP`14
Curso de Direito do Turismo INP`14Curso de Direito do Turismo INP`14
Curso de Direito do Turismo INP`14
 
Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...
Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...
Lei de Enquadramento Orçamental (8ª alteração) - Lei n.º 41/2014 de 10 de jul...
 
Carta social (Portugal) 2014
Carta social (Portugal) 2014 Carta social (Portugal) 2014
Carta social (Portugal) 2014
 
Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...
Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...
Novo regime juridico dos empreendimentos turísticos (23 de Janeiro de 2014) L...
 
Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...
Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...
Abordagem Ergonómica na Unidade Saúde Familiar Santiago Palmela, por Célia Su...
 
Estratégia Orçamental DEO 2014-2018
Estratégia Orçamental DEO 2014-2018Estratégia Orçamental DEO 2014-2018
Estratégia Orçamental DEO 2014-2018
 
Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)
Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)
Novo Regime Juridico do Alojamento Local (Agosto de 2014)
 
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho  márcia gor...
Ergonomia seguradora cabeli análise das condições de trabalho márcia gor...
 
Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...
Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...
Direito da Comunicação, Sebenta de Flávia Menezes das aulas do Professor Dout...
 
Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...
Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...
Sebenta Direito Trabalho das aulas do professor Doutor Rui Teixeira Santos (E...
 
Carta Social de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...
Carta Social  de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...Carta Social  de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...
Carta Social de Lisboa - EQUIPAMENTOS E RESPOSTAS SOCIAIS NO CONCELHO DE LIS...
 
Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...
Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...
Sebenta de Direito dos Contratos Docente: Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Di...
 

Semelhante a Empreendorismo social como sistema de oportunidades, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (UAO, Barcelona, 2014).

Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoIlda Bicacro
 
Intple (22)
Intple (22)Intple (22)
Intple (22)eadl
 
Ec13 ae ficha 01_set13
Ec13 ae ficha 01_set13Ec13 ae ficha 01_set13
Ec13 ae ficha 01_set13Leonor Alves
 
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasilNeoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasilFernando Alcoforado
 
Opiniao 9 elites e desigualdades 2006
Opiniao 9 elites e desigualdades 2006Opiniao 9 elites e desigualdades 2006
Opiniao 9 elites e desigualdades 2006Elisio Estanque
 
Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?
Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?
Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?Oxfam Brasil
 
Faces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trás
Faces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trásFaces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trás
Faces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trásLilianMilena
 
Diferença..
Diferença..Diferença..
Diferença..Guima2011
 
Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdf
Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdfRelatorio_A_distancia_que_nos_une.pdf
Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdfLilianeBA
 
Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)
Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)
Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)GRAZIA TANTA
 
A crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaA crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaLamartine Biao Oberg
 
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades SociaisDefini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociaisguestebc368
 
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades SociaisDefini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociaisguestebc368
 
Relatório a distancia_que_nos_une
Relatório a distancia_que_nos_uneRelatório a distancia_que_nos_une
Relatório a distancia_que_nos_uneJornal do Commercio
 
Dados Gerais da Uniao Européia
Dados Gerais da Uniao EuropéiaDados Gerais da Uniao Européia
Dados Gerais da Uniao EuropéiaEnsinoGeo
 

Semelhante a Empreendorismo social como sistema de oportunidades, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (UAO, Barcelona, 2014). (20)

Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
 
Atualidades 2012 parte 2
Atualidades 2012 parte 2Atualidades 2012 parte 2
Atualidades 2012 parte 2
 
Atualidades 2012 parte 1 3°ano
Atualidades 2012 parte 1 3°anoAtualidades 2012 parte 1 3°ano
Atualidades 2012 parte 1 3°ano
 
Intple (22)
Intple (22)Intple (22)
Intple (22)
 
TSU 0 para Jovens até aos 30 Anos
TSU 0 para Jovens até aos 30 AnosTSU 0 para Jovens até aos 30 Anos
TSU 0 para Jovens até aos 30 Anos
 
Ec13 ae ficha 01_set13
Ec13 ae ficha 01_set13Ec13 ae ficha 01_set13
Ec13 ae ficha 01_set13
 
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasilNeoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
 
Opiniao 9 elites e desigualdades 2006
Opiniao 9 elites e desigualdades 2006Opiniao 9 elites e desigualdades 2006
Opiniao 9 elites e desigualdades 2006
 
Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?
Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?
Brasil: Pobreza e desigualdade. Para onde vamos?
 
Faces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trás
Faces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trásFaces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trás
Faces da Desigualdade no Brasil - Um olhar sobre os que ficam para trás
 
Segurança Social: Reformar pelo Futuro
Segurança Social: Reformar pelo FuturoSegurança Social: Reformar pelo Futuro
Segurança Social: Reformar pelo Futuro
 
Diferença..
Diferença..Diferença..
Diferença..
 
Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdf
Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdfRelatorio_A_distancia_que_nos_une.pdf
Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdf
 
Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)
Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)
Os níveis de educação entre os povos da Europa (1ª parte)
 
A crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaA crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeia
 
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades SociaisDefini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociais
 
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades SociaisDefini+º+áEs De Desigualdades Sociais
Defini+º+áEs De Desigualdades Sociais
 
A distância que nos une
A distância que nos uneA distância que nos une
A distância que nos une
 
Relatório a distancia_que_nos_une
Relatório a distancia_que_nos_uneRelatório a distancia_que_nos_une
Relatório a distancia_que_nos_une
 
Dados Gerais da Uniao Européia
Dados Gerais da Uniao EuropéiaDados Gerais da Uniao Européia
Dados Gerais da Uniao Européia
 

Mais de A. Rui Teixeira Santos

DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...
DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...
DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...A. Rui Teixeira Santos
 
Direito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptx
Direito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptxDireito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptx
Direito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptxA. Rui Teixeira Santos
 
ERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdf
ERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdfERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdf
ERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdfA. Rui Teixeira Santos
 
I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....
I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS  PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS  PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....
I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....A. Rui Teixeira Santos
 
Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...
Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...
Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...A. Rui Teixeira Santos
 
Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...
Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...
Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...A. Rui Teixeira Santos
 
Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...
Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...
Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...A. Rui Teixeira Santos
 
Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...
Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...
Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...A. Rui Teixeira Santos
 
Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)
Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)
Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)A. Rui Teixeira Santos
 
Direito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOA
Direito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOADireito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOA
Direito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOAA. Rui Teixeira Santos
 
Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...
Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...
Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...A. Rui Teixeira Santos
 
The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...
The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...
The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...A. Rui Teixeira Santos
 
Direito empresarial 2019 3 parte - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...
Direito empresarial 2019  3 parte  - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...Direito empresarial 2019  3 parte  - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...
Direito empresarial 2019 3 parte - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...A. Rui Teixeira Santos
 
Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...
Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...
Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...A. Rui Teixeira Santos
 
Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...
Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...
Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...A. Rui Teixeira Santos
 
"O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01...
"O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01..."O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01...
"O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01...A. Rui Teixeira Santos
 
Direito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INPDireito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INPA. Rui Teixeira Santos
 
Direito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INPDireito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INPA. Rui Teixeira Santos
 
Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...
Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...
Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...A. Rui Teixeira Santos
 

Mais de A. Rui Teixeira Santos (20)

DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...
DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...
DIREITO DA SUSTENTABILIDADE (2023) Professor Doutor Rui Teixeira Santos ISG L...
 
SEBENTA DE DIREITO DA ECONOMIA.pdf
SEBENTA DE DIREITO DA ECONOMIA.pdfSEBENTA DE DIREITO DA ECONOMIA.pdf
SEBENTA DE DIREITO DA ECONOMIA.pdf
 
Direito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptx
Direito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptxDireito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptx
Direito da Segurança Social 2021 Prof. Doutor Rui Teixeira Santos.pptx
 
ERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdf
ERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdfERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdf
ERGONOMIA EMOCIONAL 2022, Professor Doutor Rui Teixeira Santos , ISG .pdf
 
I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....
I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS  PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS  PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....
I CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE POLITICAS PUBLICAS E REFORMA DA AP - Prof....
 
Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...
Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...
Caracterização das organizações da economia social em Portugal - Prof. Do...
 
Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...
Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...
Associativismo Desportivo Prof. Doutor Rui Teixeira Santos ULHT Faculdade de ...
 
Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...
Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...
Organização pública e privada do desporto (Nov 2021) 2ª Parte - prof. doutor ...
 
Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...
Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...
Organização pública e privada do desporto 1 parte (30OUT2021) PROFESSOR DOU...
 
Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)
Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)
Sport finance, prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ULHT, Lisboa, 2021)
 
Direito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOA
Direito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOADireito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOA
Direito Comercial PPTX 2019 Prof. Doutor Rui Teixera Santos ISG LISBOA
 
Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...
Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...
Fashion Law - propriedade industrial e direito da publicidade, prof doutor Ru...
 
The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...
The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...
The Principles of Morality and Transparency in the Third Sector presentation ...
 
Direito empresarial 2019 3 parte - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...
Direito empresarial 2019  3 parte  - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...Direito empresarial 2019  3 parte  - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...
Direito empresarial 2019 3 parte - dos contratos - Prof. Rui Teixeira Santo...
 
Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...
Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...
Direito empresarial 2019 1 Parte Geral Comerciante Prof. Doutor Rui Teixeira ...
 
Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...
Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...
Direito empresarial 2019 2 parte sociedades comerciais Prof Doutor Rui Teixei...
 
"O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01...
"O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01..."O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01...
"O PSD tem que mudar" - artigo de Rui Teixeira Santos publicado em 2019.06.01...
 
Direito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INPDireito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito dos contratos (2019) Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
 
Direito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INPDireito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
Direito da comunicação 2019 I PARTE Prof. Doutor Rui Teixeira Santos Lisboa:INP
 
Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...
Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...
Direito da Comunicação 2019 II PARTE Dto da Publicidade ANEXOS Prof. Doutor R...
 

Último

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 

Último (20)

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 

Empreendorismo social como sistema de oportunidades, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (UAO, Barcelona, 2014).

  • 1. Para combater a desigualdade social não basta educar Empreendorismo social como sistema de oportunidades Por Rui Teixeira Santos O sistema de oportunidades é crítico para que se possa aproveitar a geração mais bem formada na Europa. Mas com a recessão e a política de austeridade implementada nos Países da Europa do Sul e na Irlanda, dificilmente que criam oportunidades para absorver os jovens que saem das universidades, persistindo assim, por exemplo, em Portugal, os níveis de desigualdade social. Em nosso entender, em países como Portugal, terá que ser por via doempreendorismo social que, na próxima década, se vão incrementar as políticas para combater a desigualdade social e aumentar o nível de sustentabilidade e coesão sociais. No contexto de uma enorme desigualdade social, o empreendorismo social é um dos poucos instrumentos para a criação de oportunidades de emprego. Como se verifica em Portugal, a persistência da desigualdade social demonstra que o problema não é conjuntural. Não foi a crise económica, nem o PAEF – Programa de Ajustamento e Estabilidade Financeira, negociado com a Troika, que aumentou a desigualdade social. Pelo contrário, a desigualdade social tem-se mantido ao logo da última década em níveis mais ou menos estáveis, apesar do aumento do nível e vida. Pedro Magalhães1faz o levantamento dos dados sobre a desigualdade social e compara Portugal, Espanha, Grécia, Itália, Chipre, e Irlanda (até 2011) - todos países em ajustamento orçamental, nalguns casos extremamente elevado, nomeadamente entre 2011 e 2013. A estes juntou nos gráficos, também, a média dos 27 países da UE. No gráfico 1 comparou países e anos, em termos da percentagem da 1http://www.pedro-magalhaes.org/wp-content/uploads/Figure-3.png, consultado em 31 de Dezembro de 2013
  • 2. população, que estão em risco de pobreza ou exclusão social, ou seja, que:
 (1)vivem com um rendimento (depois de transferências sociais) inferior a 60% da mediana; ou (2) que vivem numa situação de grave privação material (não conseguem pagar pelo menos 4 de 9 itens essenciais de consumo); ou ainda, (3)
 que vivem num lar com muito baixa intensidade de trabalho. Eis os resultados a que chegou: Em todos estes países, a percentagem de pessoas nestas condições começa a aumentar em 2009 (Irlanda), 2010 (Espanha, Chipre) ou 2011 (Grécia, Itália), não voltando a descer até ao ano mais recente (2012). Ou melhor: todos, não. Em Portugal não foi assim. Desde 2006, a evolução não tem tendência clara, e o valor de 2012 (cerca de 25%) é próximo do que se verificava em 2006 e está pouco acima da média dos 27 países da UE.
  • 3. A figura 2 concentra-se num dos indicadores usados para estimar a percentagem de pessoas em risco de pobreza ou exclusão social, o da “severa privação material“. Neste caso verificamos a mesma tendência. Espanha distingue-se aqui por ter valores inferiores aos dos restantes países, mas mesmo assim passou de 4.1% em 2006 para 5.8% em 2012. Já Portugal chega a 2012 com uma percentagem inferior à de 2006, de 9.1% para 8.6% (ou seja, com o erro associado, não há certamente diferença significativa de 2006 para 2012). Finalmente, desigualdade. A figura 3 mede o rácio entre os rendimentos obtidos pelos 20% de população mais rica e os 20% de população mais pobre.
  • 4. 
 Portugal parte de uma situação muito grave - o mais desigual dos seis Países comparados. De notar que Portugal é, na verdade, o mais desigual dos EU27, a seguir à Letónia. Contudo, Portugal chega a 2012 claramente menos desigual que Espanha e Grécia, e menos longe da Itália, de Chipre ou da Irlanda do que estava no início do período. Muito disso deve-se à diminuição das desigualdades de rendimento até 2010. Mas o novo aumento em 2011 e 2012, sendo real, foi menos acentuado do que em Espanha ou na Grécia. José Justino sugere algumas cautelas nesta leitura dos gráficos anteriores, advertindo para os seguintes factos: 1. Os dados da EU-SILC utilizados são estimativas para 2012 sobre informação estatística de 2011. Os efeitos da austeridade em Portugal terão sido mais tardios que nos restantes países sob resgate? Talvez, mas mesmo assim, a explicação não é satisfatória. 2. O efeito da austeridade recaiu sobre a classe média poupando os grupos sociais mais desfavorecidos.
  • 5. 3. A taxa de risco de pobreza calcula-se sobre o limiar de 60% do rendimento mediano. Se este baixou, então o limiar também baixou atenuando os efeitos do aumento da pobreza. 4. Convirá não esquecer que desde os anos 80 que o indicador de desigualdade de distribuição de rendimento não sofre alterações significativas para Portugal, em grande parte porque a estrutura de remunerações é fortemente condicionada pela distribuição fortemente desigual dos níveis de escolarização. Julgo que este último indicador acaba por ser o mais o mais decisivo. Mas o que é facto, descontadas as cautelas de Justino, é que embora os indicadores e o coeficiente de Giniem Portugal, ao contrario do que acontece nos restantes países do ajustamento, demonstram que as desigualdades nãose têm alterado desde 2006, no sentido de se agravarem, mas que também o seu contrário é relevante: apesar do aumento do nível de vida depois da entrada do País na União Económica e Monetária. O que se verifica é uma resistência - uma relativa estabilidade nos níveis de desigualdade,apesar de estramos em níveis muito elevados de crescimento do rendimento médio. Portanto, seguindo o raciocínio de José Justino2 problema em Portugal não decorre da conjuntura, mas existe um problema de base por resolver. A questão da desigualdade social em Portugal é um problema estrutural, persistente e acrescentaria antigo. Os factores que sustentam a desigualdade em Portugal são vários. Mas o maior problema continua a ser o da educação e o da formação profissional. A maior desigualdade em Portugal é na diferença de educação formação entre os diversos estratos sociais: as classes altas têm maior nível de Educação que as classes baixas. Ou seja, a rede da Escola Pública, que sustentava a ideia de progresso no liberalismo triunfante do século XIX introduziu, tinha como objetivo formar cidadãos livres, mas sobretudo, dar ferramentas para que os cidadãos pudessem aproveitar as oportunidades que a liberdade e nova ordem social e económica liberal do século XIX proporcionavam. A ideia de Escola Pública, implementadapelas elites liberais e urbanas do século XIX, partia do pressuposto de que o progresso dependia da valorização do capital humano. E é evidente também a resistência do antigo regime e dos latifundiários agrícolas à escola pública e ao ensino obrigatório pois representou já no século XIX, em Portugal, um passaporte para a emigração – pois não havia oportunidades para os mais educados ou formados. É a esquerda, a social-democracia, já no século XX e sobretudo depois da segunda guerra mundial, que passa a ver a Escola Pública como um instrumento de igualdade social. 2http://www.youtube.com/watch?v=DSY5WPfM7AQ, dezembro de 2013. consultado em 31 de
  • 6. Essas políticas vão ser implementadas a partir da Constituição de 1976 em Portugal. Porém o que se verifica em Portugal é que esse investimento na Escola Publica não vai alterar a situação estrutural de desigualdade social. E isso não vai acontecer porque para combater a desigualdade social não basta o capital educativo produzido, mas é necessário também a capacidade das sociedades produzirem oportunidades para que esse capital humano bem formado posso ser aproveitado. O que impressiona agora é que as novas gerações muito mais bem formadas que as gerações anteriores não têm oportunidades de emprego, nem se verificam condições de solidariedade intergeracional, já que a geração anterior não esta disposta a largar os lugares que ocupou na sequencia da tripla revolução tecnológica (bancária, digital e da internet) no final dos século passado. A sociedade portuguesa envelhece e não consegue gerar oportunidades de emprego e de trabalho para as novas gerações – como aliás, já acontecia no Portugal rural do século XIX onde a aristocracia terratenente tudo fazia para encerrar as escolas das comarcas. E isso leva exatamente a que se mantenham sistematicamente as desigualdades no País e que, agora como há duzentos anos, muitos dos jovens – sobretudo os mais formados (sempre acompanhados também pela escória do pais (os portugueses são atualmente a segunda maior comunidade prisional estrangeira no Reino Unido, logo a seguir aos polacos3) - optem por emigrar. O sistema de oportunidades é hoje um desincentivo aos estudantes e por isso, é crítico que as politicas públicas comecema dar uma resposta sustentável, que mantenha a coesão social – criando expectavas e um sistema de oportunidades aberto e não discriminatório, em vez de permitir o evidente aumento do abandono escolar por falta de expectativas e oportunidades. Mas como verificamos nos últimos quarenta anos, não basta políticas publicas para se criarem oportunidades num país com este nível de desigualdade social. Para Portugal deixar de ser um dos países mais desiguais da União Europeia, o empreendorismo social e as parcerias sócio-publicas podem ser uma resposta essencial, porque podem ampliar a criação de oportunidades mantendo a coesão social e os incentivos á educação e à formação que podem garantir a prazo que as resistências à diminuição das desigualdades sociais diminuam entre nós. E tem que ser necessariamente por via do empreendorismo social que isso pode ser feito, por quanto o estrangulamento do sector privado – devido ao extraordinário aumento dos impostos - e à perseguição fiscal aos empreendedores - que entrarem em falência por causa da recessão provocada pelas descalibradas política públicas de austeridade – não 3Curiosamente ao contrario dos locais de destino da emigração portuguesa, em Portugal em 2011 e 2012 os índices de criminalidade diminuíram substancialmente apesar da crise económica demonstrando que há uma emigração também na base da pirâmide social.
  • 7. permite antever a criação e novas oportunidades em numero significativo no sector privado e no sector público não voltaremos provavelmente, nas próximas décadas, a assistir a politicas keynesianas de investimento publico e criação de emprego no Estado de um modo suficiente para garantir oportunidades para os jovens licenciados que continuam a sair das universidades.