Estudo Bíblico de I Corintios

24.832 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
  • Obrigado por compartilhar conhecimento, Deus Abençoe Grandemente.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Estudo Bíblico de I Corintios

  1. 1.
  2. 2. PANORAMA BÍBLICO-TEOLÓGICO DE I E II CORINTIOS<br />
  3. 3. INTRODUÇÃO:<br />Contexto histórico e econômico<br /><ul><li>A maior cidade da Grécia no I século
  4. 4. Estava localizada entre os mares do Oriente e Ocidente ( Mar Egeu).
  5. 5. Centro comercial de descarga de mercadorias e ind.de cerâmica
  6. 6. Foi capital romana na Grécia chamada de ACAIA.
  7. 7. A cidade possuía uma rocha íngreme de mais ou menos 560 metros de altura, na qual existia um templo a deusa Afrodite( umbanda=pomba gira)
  8. 8. A cidade era famosa por suas práticas sexuais greco-romanas, nunca de acordo com os padrões bíblicos. A adoração pagã era regada a orgias as quais influenciava a igreja em Corinto. I Corintios 6:9-11
  9. 9. Uma cidade totalmente influenciada pela cultura grega, onde a eloqüência e a oratória eram exaltados.</li></li></ul><li>Autor, data, local em que foi escrito<br />A autoria de Paulo é inquestionável tanto nos tempos antigos quanto nos tempos modernos.<br />Ela pode estar entre as cartas mencionadas por Pedro em 2 Pedro 3:16 e CLEMENTE de ROMA fala sobre ela por volta de 95d.C. <br />Personagens do século 2º como INACIO, MARCION E IRINEU também estavam familiarizados com CORINTIOS.<br />Paulo escreveu-a durante seu ministério de dois ou três anos em Éfeso ( At 19:10,I cor 16:8,9) ou por volta de 55d.C.<br />Isto ocorreu durante sua terceira viagem missionária.<br />Por que Paulo escreveu<br /> Quando estava em Éfeso, recebeu a noticia por três membros de Corinto: Estéfanas, Fortunato, e Acaico ( I Cor 16:17). <br />A Congregação estava se desintegrando devido a contendas (1 Cor 1:11) e a autoridade de Paulo estava sendo contestada ( 1 Cor 4:3)<br />
  10. 10. Pedra de Erasto<br />Esta é a pedra onde havia uma inscrição do primeiro século que dizia: <br />"Erasto, o comissário e administrador da cidade", foi encontrada nas ruínas da cidade de Corinto no ano de 1920.<br />Erasto teria sido um dos cooperadores de Paulo."E, enviando à Macedônia dois daqueles que o serviam, Timóteo e Erasto, ficou ele por algum tempo na Ásia." (Atos 19:22).<br />"Erasto ficou em Corinto, e deixei Trófimo doente em Mileto." (II Timóteo 4:20). "Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro, e de toda a igreja. <br />Saúda-vos Erasto, procurador da cidade, e também o irmão Quarto." (Romanos 16:23). <br />Pode-se afirmar que, talvez, Erasto ocupasse uma posição política de destaque em Corinto já que é mencionado na Epístola aos Romanos como o procurador da cidade de onde Paulo escreveu a carta por volta do ano 57 da era cristã.<br />
  11. 11. Erasto, o comissário e administrador da cidade<br />
  12. 12. Os gregos estavam orgulhosos de seus conhecimentos e de sua filosofia, mas ao mesmo tempo eram muito imorais. Claro que o conhecimento deve estar unido a santidade e unção. Essa é a mensagem central<br />
  13. 13. O inicio da Igreja em Corinto é contada em Atos 18:1-18. Foi na segunda viagem missionária de Paulo. Após não poderem mais pregar na Sinagoga, devido a perseguição foram para uma casa ao lado ( formaram uma célula). O principal da Sinagoga Sóstenes, creu na palavra por isso o grupo cresceu rápido. Esse também foi açoitado. Enfim Corinto tinha cerca de 200,000 habitantes, gregos, ex-escravos, veteranos do exército romano, empresários, oficiais do governo, e um grande número de Judeus.<br />
  14. 14. I CORINTIOS<br />Introdução da Epistola (1:1-9)<br />II. Resposta de Paulo aos relatos sobre a comunidade em Corinto (1.10-6.20)<br />Um relato de facções dentro da comunidade (1:10-4:20)<br />Um relato de imoralidade, arrogância e julgamentos inconvenientes (5:1-6:20)<br />III. Respostas de Paulo às perguntas de coríntios<br />Perguntas a respeito do casamento, divorcio e celibato (7:1-16:4)<br />Perguntas sobre alimentos idolatria e liberdade (7:1-40)<br />Perguntas sobre adoração, dons e ordem do culto (11:2-14:40)<br />Perguntas sobre a ressurreição e a vida futura (15:1-58)<br />Perguntas sobre a coleta e os projetos de Paulo (16:1-9)<br />IV. A recomendação de outros (16:10-18)<br />V. Saudação final e bênção formal (16:19-24)<br />
  15. 15. II Corintios<br />Introdução da Epistola (1:1-11)<br />Explicação de Paulo sobre sua conduta em relação aos últimos assuntos (1:12-2:13)<br />A razão para o comportamento de Paulo sobre sua conduta em relação aos últimos assuntos (1:12-14)<br />O motivo para mudança de planos de Paulo (1:15-2:2)<br />O propósito da última epistola de Paulo (2:3-11)<br />O motivo de Paulo sair de Troâde para Macedônia (2:12 -13)<br />III. Reflexão de Paulo sobre seu ministério (2:14-5:21)<br />A origem e o caráter do ministério de Paulo (2:14-3:6ª)<br />A mensagem do ministério de Paulo (3:6b – 4:6)<br />O custo do ministério de Paulo (4:7 – 5:10)<br />A perspectiva do ministério de Paulo (5:11-21)<br />
  16. 16. IV. Apelo de Paulo aos Corintios (6:1-13:10)<br />Um apelo por reconciliação completa (6:1 – 7:4)<br />Um novo fundamento para apelo (7:5 – 16)<br />Um apelo para resposta generosa para a coleta (8:1-9:15)<br />Um apelo por lealdade plena à autoridade apostólica (10:1-18)<br />Respaldo para o apelo (11:1-12:13)<br />A conclusão do apelo (12:14-13:10)<br />V. Conclusão da Epístola (13:11-14)<br />
  17. 17. INTRODUÇÃO DA EPISTOLA <br />Corintios 1:1-9<br /><ul><li>Paulo enfatiza o chamado da Igreja de Corinto, mesmo diante da situação que a mesma se encontrava.
  18. 18. Paulo acreditava na igreja, e numa mudança.
  19. 19. Paulo os chama de santos para lembrá-los dessa condição.
  20. 20. Ele encoraja de maneira pastoral a serem santos. I Cor 6:11.
  21. 21. O Alvo da carta é santidade, pois, mesmo diante de problemas éticos Paulo acreditava que DEUS tinha transformado os corações do povo da Igreja de Corinto. (Rm 6:1-14; Gl 5:24-25)
  22. 22. O orgulho estava tomando conta: “em tudo foste enriquecidos Nele”, Paulo citou. O falar em línguas, o conhecimento, tinha subido a cabeça da Igreja. Paulo precisava repreendê-los a serem moderados.
  23. 23. Versículo 8: Paulo assegura que DEUS confirmará a grande obra, caso os mesmo fossem fiéis e mudassem de atitude.</li></li></ul><li>Paulo exorta quanto a permanecerem unidos e agirem de modo que agrade a DEUS<br />Cap. 1:10-31/Cap. 2/Cap.3/Cap.4<br />Paulo a partir do verso 10 do capitulo 1º, exorta a igreja a permanecer unida, pois, quem os fortalece é o sacrifício de Jesus, e que ele e Apolo os quais estão causando divisão de pensamento não são nada, e não devem ser seguidos.<br />A pregação de Paulo é a loucura da cruz e não a filosofia helenista (grega)que norteava toda Corinto.<br />Por isso a pregação do evangelho é loucura para esses que põe a razão e a filosofia em primeiro lugar, pois, agindo assim, estão buscando desvendar DEUS, ou até mesmo torná-lo um mito.<br />Até mesmo a coisa mais “louca” acerca de Deus é mais sábia do que a sabedoria humana (vs. 25,27). <br />Deus pode usar a simplicidade do evangelho par a demonstrar a real insensatez da filosofia, oratória e lógica humanas.<br />Leitura de I Corintios 26-31<br />
  24. 24. Paulo não pregava eloqüentemente, como os gregos, porém sua mensagem tinha poder de transformar e curar <br /><ul><li>Paulo através desse discurso quebra todo pensamento greco-romano, que estava influenciando a igreja.
  25. 25. Os crentes estavam muito preocupados falar perfeitamente, porem, suas vidas estavam fora dos padrões bíblicos.
  26. 26. O apóstolo especifica que a fé deve estar apoiada em DEUS e não no homem ou nas coisas ditas perfeitas deste mundo</li></li></ul><li>A VERDADEIRA SABEDORIA VEM DO ALTO<br /><ul><li>“Ora o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que possa instruir? Nós,porém, temos a mente de Cristo” I Cor. 214-16.
  27. 27. Paulo explica que há coisas que apenas são reveladas aos filhos de DEUS e que realmente, àqueles que não são espirituais não entendem, isto é, os que não tem ou não pensam como Cristo.
  28. 28. Logo, através do Espírito Santo, Paulo tinha a mente de Cristo, e, portanto, a mente do Senhor. Os homens carnais não percebem isso,que o Espírito do Senhor é o mesmo Espírito de Cristo
  29. 29. Por fim, Paulo destaca que o Espírito Santo que inspirou as Escrituras é o único mestre autorizado e que não pode ser refutado</li></li></ul><li>MUNDANDO O DISCURSO<br /><ul><li>A Igreja de Corinto era conhecida como uma igreja sábia e cheia de dons, no entanto, Paulo percebe o contrário.
  30. 30. Por isso a mudança no modo de falar, ele teve que adaptar o discurso, para poder ser entendido. “ Não vos pude falar como a espirituais, mas sim a carnais”.
  31. 31. Paulo percebe isso ao ver que existia seguidores de homens, ou seja, dele e de Apolo.
  32. 32. Paulo deixa claro que não somos nada apenas lavoura de DEUS, que ELE mesmo, planta, rega e colhe. Somos apenas pequenas ferramentas nas mãos do SENHOR</li></li></ul><li>Pregando a doutrina de CRISTO e tornando-se sábio em DEUS<br />Vs.10-23<br /><ul><li>Paulo não proíbe a igreja de pregar, ou discursar com perfeição. A preocupação do Apóstolo é quanto ao que se está pregando.
  33. 33. Na igreja de Corinto, existiam gnósticos, que acreditavam que Jesus veio em espírito, pessoas influenciadas pela adoração a Afrodite. Logo a pertinente preocupação.
  34. 34. Devia-se pregar sim; sobre o mesmo fundamento CRISTO, e não lançar outro, que com o tempo seria destruído.
  35. 35. Outro fundamento destrói o templo do Espírito Santo, que é a igreja.
  36. 36. Qual outro fundamento: Não crer que Jesus veio em carne, ou aceitar práticas mundanas dentro da igreja.
  37. 37. Deus no fim destruirá, aquele que edificar a igreja sobre outro fundamento.
  38. 38. Evitar pensamentos vãos. Essa era outra advertência de PAULO a igreja.
  39. 39. Quando começamos a tentar entender aquilo que não está totalmente revelado, corremos o grande risco de cairmos em heresia, ex: A trindade, isto é, entendê-la , fisicamente e logicamente.
  40. 40. Nossa lógica e pensamentos são de DEUS e ele pode tirá-los de nós a qualquer momento.</li></li></ul><li>PAULO DEFENDE SEU MINISTÉRIO E LEMBRA A IGREJA SUA PATERNIDADE ESPIRITUAL<br />A epistola de Paulo aos Corintios é uma verdadeira cajadada, na igreja, principalmente naqueles irmãos que se achavam superior aos demais, ou com mais direitos que os outros. <br />As vezes na nossa caminhada precisamos agir como Paulo, que mostrou tudo que tinha feito e que o Senhor é que tinha o direito de julgá-lo, pois, o mesmo sabia que andava em retidão não agradando a homens mas a DEUS.<br />Vs 8-13<br />Nesta poderosa passagem, o apóstolo faz uso de uma terrível ironia para mostrar a igreja quão simples eram suas questões que eles defendiam e quão injustas eram as suas críticas. <br />Os sofrimentos de Paulo eram iguais à dor e humilhação de condenados à morte (2 Cor 11:23-30). Em contraste, alguns julgavam-se notavelmente bem sucedidos, mas somente porque não entendiam o que significa se alguém um “louco” por causa de CRISTO. V10<br />Na verdade a igreja de Hoje é como a igreja de Corinto o sofrer por Cristo, não existe mais, quando isso ocorre na vida de alguém é porque essa pessoa está em pecado. A perseguição, por causa desse nome não existe mais, porque a igreja é modelada pelo mundo.<br />
  41. 41. PAULO SE PREOCUPA COM A IGREJA COM AMOR DE PAI<br />Vs 14-21<br />Paulo encerra esta parte da carta mostrando que não queria envergonhá-los mas mostrar que estão errados nesses caminhos orgulhosos.<br />Ele afirma que há tempo de conserto e que deseja conhecer esse orgulhosos.<br />Timóteo tinha ido antes da escrita desta carta.<br />Um grupo de crentes de Corinto tinha argumentado que Paulo só era ousado quando estava ausente, e que ele temia enfrentá-los face a face ( 2Cor 10:1-2). <br />Ele tinha-lhes enviado Timóteo (v.7), talvez para evitar um confronto amargo. Porém ele não hesitaria em ir lá pessoalmente.<br />Tudo ocorreria como fosse encontrada a Igreja. (v.21; 2Co 13:1-10)<br />O verdadeiro Apóstolo preocupa-se com as suas igrejas, mesmo longe, Paulo não hesitou de usar palavras duras.<br />Precisamos de homens e mulheres de DEUS com esse chamado.<br />A igreja precisa depertar.<br />

×