Qualidade doQualidade do
Abastecimento de Água daAbastecimento de Água da
Aldeia Meruri de MatoAldeia Meruri de Mato
Gross...
INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO
Para mensurar a qualidade do abastecimento dePara mensurar a qualidade do abastecimento de
água da al...
OBJETIVO GERALOBJETIVO GERAL
 Diagnosticar a qualidade da águaDiagnosticar a qualidade da água
consumida na aldeia, confr...
Rede FUNASA
Bororo
Estrada de chão
P1
P6
P2
P3
P4
P5
Rede P. AMA
Rede Cabeceira
P1 – Rio BarreiroP1 – Rio Barreiro
Análise Microbiológica do P1Análise Microbiológica do P1
P.1- Rio BarreiroP.1- Rio Barreiro
Dia da coletaDia da coleta
Hor...
Casa abastecida pela água daCasa abastecida pela água da
Cabeceira.Cabeceira.
Análise Microbiológica do P2Análise Microbiológica do P2
P2 - Casa abastecida pela rede distribuidora da Missão SalesianaP...
P3 - CabeceiraP3 - Cabeceira
Análise Microbiológica do P3Análise Microbiológica do P3
P3 - CabeceiraP3 - Cabeceira
Dia daDia da
coletacoleta
Hora daHor...
P4 – Casa abastecida pelo poçoP4 – Casa abastecida pelo poço
artesiano do projeto AMA.artesiano do projeto AMA.
Análise Microbiológica do P4Análise Microbiológica do P4
P4 - Rede de distribuição do Projeto AMA proveniente de poço arte...
P5 - Rede de abastecimento daP5 - Rede de abastecimento da
FUNASAFUNASA
Análise Microbiológica do P5Análise Microbiológica do P5
P5 - Casa abastecida pela rede da FUNASA proveniente de poço arte...
P6 - Filtro EscolarP6 - Filtro Escolar
Análise Microbiológica do P6Análise Microbiológica do P6
P6 - Bebedouro escolarP6 - Bebedouro escolar
Dia daDia da
coletac...
Precariedade da TubulaçãoPrecariedade da Tubulação
Reservatório Rompido (Abril/2008)Reservatório Rompido (Abril/2008)
Armazenamento inadequado eArmazenamento inadequado e
suas consequenciassuas consequencias
Residências com apenas 1 torneiraResidências com apenas 1 torneira
 Resíduos aResíduos a
céu aberto.céu aberto.
Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
ConclusãoConclusão
 A qualidade microbiológica da água da aldeiaA qualidade microbiológica da água da aldeia
esta imprópr...
RecomendaçõesRecomendações
 Implantar sistema de tratamento queImplantar sistema de tratamento que
atinja a aceitação de ...
Obrigada!Obrigada!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação TCC: Qualidade do Abastecimento de Água da Aldeia Meruri de Mato Grosso

1.079 visualizações

Publicada em

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.079
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação TCC: Qualidade do Abastecimento de Água da Aldeia Meruri de Mato Grosso

  1. 1. Qualidade doQualidade do Abastecimento de Água daAbastecimento de Água da Aldeia Meruri de MatoAldeia Meruri de Mato GrossoGrosso Orientador: Dr.Orientador: Dr. Irineu Francisco NevesIrineu Francisco Neves ROSÂNGELA MARIA GUARIENTIROSÂNGELA MARIA GUARIENTI Dezembro/2008Dezembro/2008
  2. 2. INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO Para mensurar a qualidade do abastecimento dePara mensurar a qualidade do abastecimento de água da aldeia Meruri verificou-se:água da aldeia Meruri verificou-se:  QuantidadeQuantidade  QualidadeQualidade  ConfortoConforto
  3. 3. OBJETIVO GERALOBJETIVO GERAL  Diagnosticar a qualidade da águaDiagnosticar a qualidade da água consumida na aldeia, confrontandoconsumida na aldeia, confrontando com os costumes sócio-culturais dacom os costumes sócio-culturais da população e falta de infra-estruturapopulação e falta de infra-estrutura sanitária.sanitária.
  4. 4. Rede FUNASA Bororo Estrada de chão P1 P6 P2 P3 P4 P5 Rede P. AMA Rede Cabeceira
  5. 5. P1 – Rio BarreiroP1 – Rio Barreiro
  6. 6. Análise Microbiológica do P1Análise Microbiológica do P1 P.1- Rio BarreiroP.1- Rio Barreiro Dia da coletaDia da coleta Hora. DaHora. Da coletacoleta pHpH T.(°C)T.(°C) ÁguaÁgua T.(°C)T.(°C) ArAr ChuvasChuvas (24h)(24h) ColiformesColiformes TotaisTotais E. ColiE. Coli BactériasBactérias HeterotróficasHeterotróficas 5/fev5/fev 12:5012:50 7,197,19 25.325.3 32,532,5 simsim >2.419,2>2.419,2 00 >500>500 9/abr9/abr 08:1008:10 5,795,79 2424 24.324.3 nãonão 1.076,001.076,00 620620 -- 30/mai30/mai 17:3017:30 6,316,31 26.126.1 25.925.9 simsim 6.488,006.488,00 644644 >500>500 25/ago25/ago 17:2017:20 6,246,24 26.226.2 25.325.3 nãonão >2.419,2>2.419,2 110110 315315 12/out12/out 08:3008:30 7,687,68 23,623,6 23,723,7 nãonão 1.355,001.355,00 265265 270270 5/nov5/nov 09:0009:00 7,537,53 25,825,8 27,527,5 simsim 3.325,003.325,00 708708 >500>500
  7. 7. Casa abastecida pela água daCasa abastecida pela água da Cabeceira.Cabeceira.
  8. 8. Análise Microbiológica do P2Análise Microbiológica do P2 P2 - Casa abastecida pela rede distribuidora da Missão SalesianaP2 - Casa abastecida pela rede distribuidora da Missão Salesiana Dia daDia da coletacoleta Hora daHora da coletacoleta pHpH T.(°C)T.(°C) ÁguaÁgua T.(°C)T.(°C) ArAr ChuvasChuvas (24h)(24h) ColiformesColiformes TotaisTotais E. ColiE. Coli BactériasBactérias HeterotróficasHeterotróficas 5/fev5/fev 13:0013:00 7,017,01 2828 34.234.2 simsim 1.413,601.413,60 1616 >500>500 9/abr9/abr 08:2508:25 5,375,37 2626 26.526.5 nãonão 53,8053,80 21,821,8 -- 30/mai30/mai 17:4617:46 6,476,47 2727 26.226.2 simsim 7,407,40 00 128128 25/ago25/ago 17:3217:32 5,815,81 27.427.4 26.726.7 nãonão 290,90290,90 00 132132 12/out12/out 08:4008:40 7,687,68 28,328,3 26,626,6 nãonão 382,00382,00 2020 127127 5/nov5/nov 09:1309:13 7,127,12 2626 2828 simsim 77,6077,60 30,530,5 172172
  9. 9. P3 - CabeceiraP3 - Cabeceira
  10. 10. Análise Microbiológica do P3Análise Microbiológica do P3 P3 - CabeceiraP3 - Cabeceira Dia daDia da coletacoleta Hora daHora da coletacoleta pHpH T.(°C)T.(°C) ÁguaÁgua T.(°C)T.(°C) ArAr ChuvasChuvas (24h)(24h) ColiformesColiformes TotaisTotais E. ColiE. Coli BactériasBactérias HeterotróficasHeterotróficas 5/fev5/fev 13:1113:11 7,117,11 25,225,2 33.433.4 simsim 686,7686,7 3,13,1 3030 9/abr9/abr 08:3708:37 5,545,54 26.426.4 27.827.8 nãonão 159,70159,70 00 -- 30/mai30/mai 17:5117:51 6,226,22 26,326,3 26,726,7 simsim 1.860,001.860,00 9797 160160 25/ago25/ago 17:4117:41 5,75,7 27.927.9 27.227.2 nãonão >2.419,2>2.419,2 5,25,2 172172 12/out12/out 08:5608:56 8,888,88 25,325,3 2525 nãonão 909,00909,00 2020 152152 5/nov5/nov 09:2509:25 7,487,48 26.326.3 28.528.5 simsim >2.419,2>2.419,2 >2.419,2>2.419,2 185185
  11. 11. P4 – Casa abastecida pelo poçoP4 – Casa abastecida pelo poço artesiano do projeto AMA.artesiano do projeto AMA.
  12. 12. Análise Microbiológica do P4Análise Microbiológica do P4 P4 - Rede de distribuição do Projeto AMA proveniente de poço artesianoP4 - Rede de distribuição do Projeto AMA proveniente de poço artesiano Dia daDia da coletacoleta Hora daHora da coletacoleta pHpH T.(°C)T.(°C) ÁguaÁgua T.(°C)T.(°C) ArAr ChuvasChuvas (24h)(24h) ColiformesColiformes TotaisTotais E. ColiE. Coli BactériasBactérias HeterotróficasHeterotróficas 5/fev5/fev 13:3013:30 77 26.526.5 34.234.2 simsim 00 00 00 9/abr9/abr 08:5108:51 5,655,65 26.126.1 2727 nãonão 108.10108.10 22 -- 30/mai30/mai 18:0318:03 6,326,32 27.227.2 26.926.9 simsim 1.01.0 00 55 25/ago25/ago 17:5617:56 5,85,8 26.926.9 27.527.5 nãonão 00 00 00 12/out12/out 09:1309:13 8,088,08 27,427,4 24,724,7 nãonão 00 00 22 5/nov5/nov 09:4009:40 7,37,3 2727 28.928.9 simsim 920.00920.00 00 1818
  13. 13. P5 - Rede de abastecimento daP5 - Rede de abastecimento da FUNASAFUNASA
  14. 14. Análise Microbiológica do P5Análise Microbiológica do P5 P5 - Casa abastecida pela rede da FUNASA proveniente de poço artesianoP5 - Casa abastecida pela rede da FUNASA proveniente de poço artesiano Dia daDia da coletacoleta Hora daHora da coletacoleta pHpH T.(°C)T.(°C) ÁguaÁgua T.(°C)T.(°C) ArAr ChuvasChuvas (24h)(24h) ColiformesColiformes TotaisTotais E. ColiE. Coli BactériasBactérias HeterotróficasHeterotróficas 5/fev5/fev 13:4713:47 6.916.91 26.726.7 3434 simsim 140.3140.3 2.02.0 2727 9/abr9/abr 08:5908:59 5.655.65 26.326.3 27.127.1 nãonão 159.7159.7 00 -- 30/mai30/mai 18:1518:15 6.136.13 2727 2626 simsim 325.5325.5 13.213.2 270270 25/ago25/ago 18:1718:17 6,246,24 26.826.8 27.627.6 nãonão 365.4365.4 4.14.1 232232 12/out12/out 09:2409:24 9.259.25 26.126.1 25.625.6 nãonão 190.4190.4 1.01.0 >500>500 5/nov5/nov 09:5509:55 8,18,1 2626 28.228.2 simsim 332.5332.5 57.857.8 >500>500
  15. 15. P6 - Filtro EscolarP6 - Filtro Escolar
  16. 16. Análise Microbiológica do P6Análise Microbiológica do P6 P6 - Bebedouro escolarP6 - Bebedouro escolar Dia daDia da coletacoleta Hora daHora da coletacoleta pHpH T.(°C)T.(°C) ÁguaÁgua T.(°C)T.(°C) ArAr ChuvasChuvas (24h)(24h) ColiformesColiformes TotaisTotais E. ColiE. Coli BactériasBactérias HeterotróficasHeterotróficas 5/fev5/fev 13:5513:55 7,227,22 24.124.1 34.534.5 simsim >2.419,20>2.419,20 22 4040 9/abr9/abr 09:0709:07 5.645.64 25.225.2 27.127.1 nãonão 0,000,00 00 -- 30/mai30/mai 18:2218:22 6.156.15 24.224.2 26.826.8 simsim 5.25.2 00 3131 25/ago25/ago 18:3918:39 5.685.68 24.524.5 27.927.9 nãonão 0.00.0 00 77 12/out12/out 09:3909:39 9.169.16 2525 25.325.3 nãonão 16.616.6 00 130130 5/nov5/nov 10:0210:02 7,97,9 24.324.3 28.428.4 simsim 0.00.0 00 22
  17. 17. Precariedade da TubulaçãoPrecariedade da Tubulação
  18. 18. Reservatório Rompido (Abril/2008)Reservatório Rompido (Abril/2008)
  19. 19. Armazenamento inadequado eArmazenamento inadequado e suas consequenciassuas consequencias
  20. 20. Residências com apenas 1 torneiraResidências com apenas 1 torneira
  21. 21.  Resíduos aResíduos a céu aberto.céu aberto.
  22. 22. Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
  23. 23. Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
  24. 24. Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
  25. 25. Doenças notificadas na aldeiaDoenças notificadas na aldeia
  26. 26. ConclusãoConclusão  A qualidade microbiológica da água da aldeiaA qualidade microbiológica da água da aldeia esta imprópria para o consumo humano.esta imprópria para o consumo humano.  A água distribuída deve sofrer tratamentoA água distribuída deve sofrer tratamento antes do consumo humano.antes do consumo humano.  O sistema é dependente de recursos eO sistema é dependente de recursos e conhecimentos externos e incapaz deconhecimentos externos e incapaz de satisfazer as necessidades mínimas dasatisfazer as necessidades mínimas da comunidade.comunidade.
  27. 27. RecomendaçõesRecomendações  Implantar sistema de tratamento queImplantar sistema de tratamento que atinja a aceitação de toda a população eatinja a aceitação de toda a população e os padrões de potabilidade;os padrões de potabilidade;  Fazer reparos qualificados na tubulaçãoFazer reparos qualificados na tubulação de distribuição e a instalação ou reparo dede distribuição e a instalação ou reparo de torneiras e bacias sanitárias;torneiras e bacias sanitárias;  E ainda investir em conscientizaçãoE ainda investir em conscientização ambiental.ambiental.
  28. 28. Obrigada!Obrigada!

×