Aula 01 portugues - aula 01

774 visualizações

Publicada em

exercicios portugues inss

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Aula 01 portugues - aula 01

  1. 1. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 01 Sintaxe da oração e pontuação. Olá! Bem-vindo ao nosso curso de Português para o INSS. De antemão, peço a você que não deixe a matéria acumular, pois a quantidade de material vai aumentando à medida que os assuntos vão se somando. Olha, estudar para um concurso é como correr uma maratona. A vontade, a dedicação e a persistência fazem toda a diferença. Digo isso porque não podemos sair correndo muito rápido neste tipo de corrida, deve-se sentir se o corpo está bem adaptado, se estamos bem disciplinarmente, se estamos focando na distância e no objetivo. Assim também é o concurso. Estamos ainda no início da nossa corrida. Estamos nos adaptando ao volume de matérias, tipo de questões, didática do professor. Tudo isso é adaptação. Dessa forma, se você estuda em ambiente onde algumas pessoas transitam e tiram sua atenção, você não está bem adaptado para a nossa “maratona”. Ajeite-se em local sem trânsito, evite a dispersão na hora da realização das questões. Local barulhento ou que possua pessoas que, de vez em quando, querem conversar atrapalha seu desenvolvimento. Por isso, procure um local claro, silencioso e, de preferência, que as pessoas o/a esqueçam lá. Para partirmos para as questões, observe a estrutura básica da oração. 1. O candidato realizou a prova. VTD + OD 2. duvidou do gabarito. VTI + OI 3. enviou recursos à banca examinadora. VTDI + OD + OI 4. tem certeza de sua aprovação. VTD + OD + CN 5. viajou. VI 6. estava tranquilo. VL + predicativo Português para INSS (questões comentadas) sujeito predicado Concordância verbal Concordância nominal Regência verbal Regência nominal Predicado Nominal Predicado Verbal
  2. 2. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 2 Com base nisso, a estrutura básica do predicado verbal é (VTD + OD; VTI + OI; VTDI + OD + OI; VI) e do predicado nominal é nominal (VL + predicativo). Portanto, podemos perceber que não pode haver vírgula entre sujeito, verbo e complementos. Observe as orações anteriores. Elas não possuem vírgula, justamente porque são constituídas de termos básicos da oração. Veja agora uma oração com os adjuntos adverbiais mais importantes. O candidato viajou para São Paulo ontem confortavelmente a trabalho. Pontuação com adjunto adverbial “solto” É marcante nos adjuntos adverbiais a sua mobilidade posicional, pois este termo pode movimentar-se para o início, para o meio ou para o fim da oração. Essa mobilidade é percebida nos termos soltos, os quais não são exigidos pelo verbo, mas apenas ampliam o contexto com a circunstância. Isso é notado principalmente nos advérbios de lugar, tempo e modo; nos advérbios que modificam toda a oração (e não somente um termo); e nas locuções adverbiais: O custo de vida é bem alto em Brasília. Em Brasília, o custo de vida é bem alto. O custo de vida, em Brasília, é bem alto. O custo de vida é bem alto, em Brasília. Prefeitos de várias cidades foram a Brasília. A Brasília prefeitos de várias cidades foram. Prefeitos de várias cidades a Brasília foram. Naturalmente, você já percebeu o problema. Sim, eu sei. Quando a locução adverbial solta for de grande extensão e estiver antecipada da oração ou no meio dela, a vírgula será obrigatória. Se estiver no final, a vírgula será facultativa. Antes da última rodada, o time já se dizia campeão. O time, antes da última rodada, já se dizia campeão. O time já se dizia, antes da última rodada, campeão. O time já se dizia campeão, antes da última rodada. O time já se dizia campeão antes da última rodada. Esta locução adverbial de lugar não é exigida pelo verbo, por isso se considera um termo solto, o qual pode receber vírgula. Compare com a seguinte. Esta locução adverbial de lugar é exigida pelo verbo, por isso não se considera termo solto, ela pode se mover na oração, mas não recebe vírgula. Esses advérbios referem- se a toda a oração. sujeito VI Adj Adv lugar Adj Adv tempo Adj Adv modo Adj Adv causa
  3. 3. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 3 Questão 1: TRE 3ªR 2009 Analista Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Está inteiramente adequada a pontuação da seguinte frase: Fazem parte da LRF, as instruções que definem os limites para as despesas de pessoal, e as regras para a criação de dívidas. Comentário: Perceba que “as instruções” é sujeito de “fazem parte da LRF”; por isso a vírgula deve ser retirada. Veja que a conjunção “e” liga os núcleos do objeto direto composto “limites” e “regras”; por isso a segunda vírgula também deve ser retirada. Gabarito: E Questão 2: BB 2006 Escriturário Fragmento do texto: É evidente que havia também os otimistas − aqueles que encontraram motivo para esperança na Sociedade das Nações, no abrandamento das tensões internacionais e na melhoria das condições econômicas em meados da década de 1920. Considerada a frase acima, é correto afirmar que uma vírgula colocada depois de também mantém a pontuação correta. Comentário: Não pode haver apenas uma vírgula após o advérbio que se encontra intercalado. Ou se insere uma vírgula antes e uma depois, ou não pode haver nenhuma. Isso ocorre porque a dupla vírgula é facultativa junto ao advérbio intercalado, mas apenas uma é erro gramatical. Gabarito: E Questão 3: ISS-SP 2007 Auditor-Fiscal Tributário O termo sublinhado constitui o sujeito da seguinte construção: (A) Não se encontrou uma forma definitiva de organização social. (B) É nessa condição que vivem os animais. (C) Tais delitos acabam tornando-se estímulos para a banalização das transgressões. (D) Ocorre isso por conta das reiteradas situações de impunidade. (E) Deve-se reconhecer na interdição um princípio da lei mosaica. Comentário: Como se pede o sujeito, devemos nos lembrar que este termo não pode ser preposicionado. Na alternativa (A), o verbo “encontrou” é transitivo direto. O pronome “se” é chamado de apassivador (o qual será enfatizado em outra aula) e “uma forma definitiva de organização social” é o sujeito paciente. Assim, temos uma voz passiva sintética. Para termos certeza, basta trocarmos pela passiva analítica “uma forma definitiva de organização social não foi encontrada”. Na alternativa (B), a expressão “nessa condição” é preposicionada, logo não pode ser sujeito. Essa expressão é o adjunto adverbial de modo (Vivem como? Nessa condição.). Na alternativa (C), a locução verbal “acabam tornando-se” está flexionada no plural, porque o seu sujeito é o termo “Tais delitos”. Como essa locução termina com o verbo de ligação “tornando-se”, o termo “estímulos” é o predicativo. A alternativa (D) é a correta, pois o verbo “Ocorre” é intransitivo, e o pronome “isso” é o sujeito.
  4. 4. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 4 Na alternativa (E), o termo “na interdição” está preposicionado, portanto não é o sujeito. Esse termo é o objeto indireto do verbo transitivo indireto “reconhecer”. Gabarito: D Questão 4: TRT 2ªR 2008 Técnico ... que vivem em áreas urbanas ... O mesmo tipo de regência que caracteriza o verbo grifado acima está na oração: (A) ... ultrapassará o de moradores do campo. (B) ... todo o crescimento populacional do planeta ocorrerá nas cidades ... (C) ... porque elas atraem diferentes tipos de moradores ... (D) ... e dependem de normas comuns de comportamento. (E) ... a criar os filhos sob um controle extenuante. Comentário: O verbo “vivem” é intransitivo, por isso “em áreas urbanas” é o adjunto adverbial de lugar. Na alternativa (A), o verbo “ultrapassará” é transitivo direto e “o” é o objeto direto. Na alternativa (B), o verbo “ocorrerá” é intransitivo e “nas cidades” é adjunto adverbial de lugar. Por isso é a alternativa correta. Na alternativa (C), o verbo “atraem” é transitivo direto e “diferentes tipos de moradores” é objeto direto. Na alternativa (D), o verbo “dependem” é transitivo indireto e “de normas comuns de comportamento” é objeto indireto. Na alternativa (E), o verbo “criar” é transitivo direto e “os filhos” é objeto direto. Gabarito: B Questão 5: TRE RS 2010 Analista Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Na frase “É difícil, hoje em dia, ter noção do empolgante espírito antropocêntrico”, a retirada da vírgula depois de “É difícil”, sem outra alteração, manteria a correção original. Comentário: A expressão “hoje em dia” é um adjunto adverbial de tempo, o qual se encontra intercalado. Pode-se até entendê-lo como de pequena extensão, sendo vírgula facultativa; porém, se retiramos a primeira vírgula, obrigatoriamente devemos retirar a outra. Gabarito: E Questão 6: TRE 3ªR 2009 Analista Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Julgue se a pontuação está correta: Qualquer cidadão pode, graças à promulgação da LRF entrar com ação judicial para fazê-la cumprir, conforme sua regulamentação. Comentário: Note que o adjunto adverbial de causa “graças à promulgação da LRF” deve ficar entre vírgulas. O erro é justamente a falta de uma vírgula após “LRF”. A vírgula antes de “conforme” está correta e é facultativa, pois o
  5. 5. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 5 adjunto adverbial de conformidade “conforme sua regulamentação” está no final do período. Gabarito: E Questão 7: BB escriturário 2010 Identifica-se noção de causa no segmento: (A) ... sobre as condições de vida humana na Terra e o futuro das novas gerações. (B) ... capaz de reconhecer para a natureza um direito próprio. (C) ... em virtude das forças econômicas e de outra índole ... (D) ... para que um "basta" derradeiro não seja imposto pela catástrofe ... (E) ... comprometidos com o futuro das próximas gerações. Comentário: Nem foi necessário inserir o fragmento do texto para esta questão, pois a locução “em virtude de” transmite valor semântico de causa; assim, “em virtude das forças econômicas e de outra índole” é um adjunto adverbial de causa. Gabarito: C Questão 8: TRE TO 2011 Analista Tudo isso ocorre, na maior parte, graças à intervenção humana. A relação sintático-semântica entre os dois segmentos da afirmativa acima se estabelece como (A) um tempo determinado e um de seus principais efeitos. (B) uma assertiva e uma de suas consequências objetivas. (C) um efeito decorrente de sua causa principal. (D) um fato real, seguido de uma hipótese provável. (E) uma observação concreta e sua conclusão mais coerente. Comentário: Note que a expressão “graças à intervenção humana” é um adjunto adverbial de causa, por isso a relação só pode ser de um efeito (consequência: “tudo isso ocorre”) e uma causa: “graças à intervenção humana”. Gabarito: C Questão 9: BB 2011 Escriturário Fragmento do texto: Nesse processo, depara-se com armadilhas. Caso se tenha ganhado um aumento no emprego no dia anterior, o mundo parecerá belo e justo; caso se esteja com dor de dente, parecerá feio e perverso. Mas a dor de dente vai passar, assim como a euforia pelo aumento de salário, e se há algo imprescindível, na difícil conceituação de felicidade, é o caráter de permanência. Uma resposta consequente exige colocar na balança a experiência passada, o estado presente e a expectativa futura. Dá trabalho, e a conclusão pode não ser clara. Os pais de hoje costumam dizer que importante é que os filhos sejam felizes. É uma tendência que se impôs ao influxo das teses libertárias dos anos 1960. É irrelevante que entrem na faculdade, que ganhem muito ou pouco dinheiro, que sejam bem-sucedidos na profissão. O que espero, eis a resposta
  6. 6. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 6 correta, é que sejam felizes. Ora, felicidade é coisa grandiosa. É esperar, no mínimo, que o filho sinta prazer nas pequenas coisas da vida. Se não for suficiente, que consiga cumprir todos os desejos e ambições que venha a abrigar. Se ainda for pouco, que atinja o enlevo místico dos santos. Não dá para preencher caderno de encargos mais cruel para a pobre criança. Considere as alterações feitas nos segmentos abaixo grifados. I. Dá trabalho, e a conclusão pode não ser clara. Dá trabalho, e a conclusão não pode ser clara. II. Nesse processo, depara-se com armadilhas. Depara-se com armadilhas nesse processo. III. Não dá para preencher caderno de encargos mais cruel para a pobre criança. Não dá para preencher caderno de encargos mais cruel para a criança pobre. Com as modificações feitas na 2ª frase, altera-se o sentido do que foi afirmado na 1ª frase em (A) II, apenas. (B) III, apenas. (C) I e II, apenas. (D) I e III, apenas. (E) I, II e III. Comentário: Na estrutura I, muda-se o sentido, pois o advérbio “não” modifica o verbo “ser” na primeira frase e o verbo “pode” na segunda. Na estrutura II, não se muda o sentido, pois o adjunto adverbial de pequena extensão “Nesse processo” encontra-se antecipado. O autor do texto modificou a frase colocando-o no final do período. Portanto, não há mudança de sentido, pois é normal haver mobilidade de posição do adjunto adverbial solto (como falamos, essa classificação é apenas didática). Na estrutura III, muda-se o sentido; pois no texto o adjetivo antecipado transmite valor de uma criança digna de pena, triste (na visão do autor). Já na posposição deste adjetivo o sentido passa a ser de uma criança de família sem recursos financeiros. Gabarito: D Questão 10: MPE RS 2010 Superior Fragmento do texto: A internet converteu-se em uma ferramenta poderosa para a transformação do nosso cérebro e, quanto mais a utilizamos, estimulados pela carga gigantesca de informações, imersos no mundo virtual, mais nossas mentes são afetadas. E não se trata apenas de pequenas alterações, mas de mudanças substanciais físicas e funcionais. Essa dispersão da atenção vem à custa da capacidade de concentração e de reflexão. Essa dispersão da atenção vem à custa da capacidade de concentração e de reflexão. (final do texto) O segmento grifado estabelece na frase relação de ......, e pode ser substituído, sem alteração do sentido original, por ....... As lacunas acima estarão corretamente preenchidas por:
  7. 7. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 7 (A) causa imediata − devido à perda da capacidade de concentração e de reflexão. (B) consequência inesperada − perdendo-se a capacidade de concentração e de atenção. (C) explicação redundante − pois há a perda da capacidade de concentração e de atenção. (D) ressalva indispensável − embora se perca a capacidade de concentração e de atenção. (E) finalidade tardia − para que haja a perda da capacidade de concentração e de atenção. Comentário: A locução prepositiva “à custa da” inicia um adjunto adverbial de causa, por isso a expressão sublinhada expressa valor de causa. Essa expressão pode ser substituída pela locução prepositiva “devido a”, permanecendo o mesmo valor de causa. Note que, contextualmente, cabe a inserção do substantivo perda em “perda da capacidade de concentração e de reflexão”. Gabarito: A Questão 11: TRT 2ªR 2008 Analista Na frase Se ficou notório apesar de ser tímido, talvez estivesse se enganando junto com os outros (...), o segmento sublinhado pode ser substituído, sem prejuízo para o sentido e a correção, por: (A) tendo em vista a timidez. (B) não obstante a timidez. (C) em razão da timidez. (D) inclusive a timidez. (E) conquanto a timidez. Comentário: Deve-se entender que “apesar de” transmite valor adverbial concessivo. Assim, eliminam-se as alternativas (A), pois “tendo em vista” transmite causa; (C), pois “em razão da” também transmite a ideia de causa. Além disso, exclui-se a alternativa (D), pois “inclusive” é palavra denotativa de inclusão, adição; portanto não cabe no contexto. Sobraram as alternativas (B) e (E), ambas com valor concessivo. Porém, deve-se observar que a conjunção “conquanto” exige verbo, por iniciar obrigatoriamente uma oração; mas, na alternativa (E), há apenas o substantivo “timidez”. Portanto, a correta é a alternativa (B), pois a expressão “não obstante” pode iniciar um adjunto adverbial de concessão (não obstante a timidez), como o previsto neste contexto. Gabarito: B Questão 12: TRT 23ªR 2007 Técnico Fragmento do texto: Mas o que é moda? Um historiador britânico costuma dizer que moda significa muito mais do que a roupa em si. Funciona como o espelho das mudanças sociais e culturais da civilização. Acompanha, simboliza e retrata as transformações vividas pelo homem e pela sociedade ao longo dos séculos. Mais do que um desfile de tendências, revela uma linguagem não-verbal. Não é assunto exclusivo das elites; ao contrário, está muito mais
  8. 8. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 8 próxima da vida real. No dia-a-dia das ruas, as pessoas identificam-se pelas roupas. Conseguem expressar idade, sexo, personalidade, classe social, gostos e até mesmo estado de humor graças à aparência. Conseguem expressar idade, sexo, personalidade, classe social, gostos e até mesmo estado de humor graças à aparência. O segmento grifado acima está reescrito com outras palavras, sem alterar o sentido original, em: (A) devido ao modo de se mostrarem. (B) conquanto tenham um estilo gracioso. (C) para que se mostrem agradáveis. (D) caso se mostrem graciosos. (E) até mesmo sem intenção explícita. Comentário: A expressão “graças a” é uma locução prepositiva de causa, com o mesmo valor de “devido a”, “ face a”, “em face de”, etc. Essas locuções prepositivas iniciam os adjuntos adverbiais de causa. Gabarito: A Questão 13: TCE SP 2005 Fiscalização Financeira Fragmento do texto: Com a disparada da dívida pública e a virtual “quebra” do país na década passada, o governo brasileiro, sob monitoramento do FMI, passou a perseguir metas de superávit primário das contas públicas. Tratava- se de garantir um saldo que sinalizasse a capacidade de o país honrar seus compromissos, evitando o “default”. A meta, inicialmente de 3% do PIB, está fixada hoje em 4,25%. Com a disparada da dívida pública e a virtual “quebra” do país na década passada... (início do parágrafo) O segmento grifado na frase acima poderá ser corretamente substituído, SEM alteração do sentido original, por (A) Além da disparada... (B) Devido à disparada... (C) Até à disparada... (D) Apesar da disparada... (E) Durante a disparada... Comentário: A expressão “Com a disparada da dívida pública e a virtual ‘quebra’ do país na década passada” é o adjunto adverbial de causa. Assim, devemos atentar ao valor da preposição “Com”. A substituição dessa preposição pode ser feita por expressões como “devido a”, “por causa de”, “tendo em vista”, “graças a”. Assim, a alternativa correta é a (B). Gabarito: B Questão 14: ISS-SP 2009 Agente-Fiscal de Rendas Fragmento do texto: Esgotado por sucessivas batalhas, convencido da inutilidade de seguir lutando e tendo decidido ser preferível capitular a perder não só a liberdade como a vida, no verão de 1520 o rei asteca Montezuma, prisioneiro dos espanhóis, concordou em entregar a Hernán Cortés o vasto tesouro que seu pai, Axayáctl, reunira com tanto esforço, e em jurar lealdade ao rei da Espanha, aquele monarca distante e invisível cujo poder Cortés
  9. 9. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 9 representava. Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) As expressões “não só” e “como” introduzem os complementos verbais exigidos por ser preferível. Comentário: Lembre-se de que complemento verbal é o objeto direto ou objeto indireto. Percebemos que a expressão “não só a liberdade como a vida” é o objeto direto do verbo “perder”, o qual é transitivo direto (perder o quê?). Assim, esse complemento verbal não tem relação com a expressão “ser preferível”. Gabarito: E Questão 15: BB 2011 Escriturário Fragmento do texto: Arte para o futebol jamais é adjetivo; é a sua essência. A beleza intrínseca do movimento e da harmonia é meio ideal de cultura para a alegria e a criatividade. E quem, neste mundo, apresenta com tanta clareza tais qualidades? Um povo historicamente esmagado pela colonização (que insiste em se fazer viva), explorado e excluído em sua imensa maioria e que permanece com os queixos elevados e com a esperança intocável, é de se admirar. E só conseguiu atingir essa capacidade de sobrevivência por suas incomparáveis características. Quando qualquer de nós se aproxima de alguma forma de expressão artística é que podemos perceber a sensibilidade que exala de cada poro. Como podemos explicar que cá por estas bandas surgissem tantas genialidades sem que, em sua maioria, tenham tido quaisquer facilidades para seus ofícios? Em tantas áreas poderíamos desfilar um sem número de figuras excepcionais que se destacaram por suas criações e capacidades. No esporte não é diferente. Como podemos explicar que cá por estas bandas surgissem tantas genialidades ... (2° parágrafo) A expressão grifada acima pode ser corretamente substituída, sem alteração do sentido original, por: (A) aqui entre nós. (B) além dos campos de futebol. (C) nos demais esportes. (D) em áreas não esportivas. (E) em todos os lugares. Comentário: A expressão “cá por estas bandas” é expressão coloquial que significa um lugar próximo do locutor, aquele que emite a informação. Textual e sintaticamente, podemos entendê-la como um adjunto adverbial de lugar, que tem o sentido de “aqui entre nós”. Gabarito: A Questão 16: TRT 16ªR 2009 Técnico Na indústria da saúde destacamos uma extensa e diversificada cadeia de fornecedores ... A frase cujo verbo exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima é:
  10. 10. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 10 (A) ... melhor atender a suas especificidades ... (B) ... são também importantes os estímulos ... (C) Todas essas palavras de ordem remetem a uma ideia central ... (D) ... a influir sobre as decisões de compra. (E) ... a despertar o interesse de pesquisadores ... Comentário: O verbo “destacamos” é transitivo direto e “uma extensa e diversificada cadeia de fornecedores” é objeto direto. Na alternativa (A), o verbo “atender” é, neste caso, transitivo indireto e “a suas especificidades” é objeto indireto. Na alternativa (B), “são” é verbo de ligação e “importantes” é predicativo. Na alternativa (C), “remetem” é transitivo indireto e “a uma ideia central” é objeto indireto. Na alternativa (D), o verbo “influir” é transitivo indireto e “sobre as decisões de compra” é objeto indireto. Na alternativa (E), o verbo “despertar” é transitivo direto e “o interesse de pesquisadores” é objeto direto. Por isso é a alternativa correta. Gabarito: E Questão 17: BB 2011 Escriturário A interiorização das universidades federais e a criação de novos institutos tecnológicos também mudam a cara do Nordeste... O mesmo tipo de complemento grifado acima está na frase: (A) ... que mexeram com a renda ... (B) ... que mais crescem na região. (C) ... que movimentam milhões de reais ... (D) A outra face do "novo Nordeste" está no campo. (E) ... onde as condições são bem menos favoráveis ... Comentário: O verbo “mudam” é transitivo direto e “a cara do Nordeste” é o objeto direto. A alternativa correta é a (C), pois o verbo “movimentam” é também transitivo direto, com isso o objeto direto é “milhões de reais”. Na alternativa (A), o verbo “mexeram” é VTI e “com a renda” é OI. Na alternativa (B), o verbo “crescem” é VI e “na região” é adjunto adverbial de lugar. (crescem onde?) Na alternativa (D), o verbo “está” é VI e “no campo” é adjunto adverbial de lugar. (está onde?) Na alternativa (E), o verbo “são” é VL e “menos favoráveis” é predicativo do sujeito. Gabarito: C Questão 18: TCE-MA 2005 Analista de Controle Externo ... os portos da Amazônia têm um sistema de braços flutuantes... O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase: (A) ... choveu menos na Amazônia. (B) ... assim como aconteceu no início do século XX. (C) ... duplicando o impacto sobre o ambiente.
  11. 11. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 11 (D) ... que se trata de variações médias ao longo de três décadas. (E) ... a atual seca se torna mais relativa. Comentário: Esse tipo de questão tem caído muitas vezes nas provas da Fundação Carlos Chagas. Quando se pergunta qual o tipo de complemento, devemos nos lembrar que o verbo pode exigir complementos verbais e também há nomes que exigem os complementos nominais. Basicamente, temos apenas que reconhecê-los. O verbo “têm” é transitivo direto (os portos têm o quê?), está flexionado no plural porque seu sujeito é “os portos da Amazônia”. Então, o termo “um sistema de braços flutuantes” é o objeto direto. Na alternativa (A), o verbo “choveu” é intransitivo, e o termo “na Amazônia” é o adjunto adverbial de lugar (choveu onde?) Na alternativa (B), o verbo “aconteceu” é intransitivo, e o termo “no início do século XX” é o adjunto adverbial de tempo (aconteceu quando?). A alternativa (C) é a correta, pois o verbo “duplicando” é transitivo direto, e o termo “o impacto” é o objeto direto (duplicando o quê?). Na alternativa (D), o verbo “trata” é transitivo indireto (trata-se de quê?). Assim, a expressão “de variações médias” é o objeto indireto. Na alternativa (E), o verbo “se torna” é de ligação, e o adjetivo “relativa” é o predicativo do sujeito. Gabarito: C Questão 19: TCE AL 2008 Analista de Sistemas É a liberdade que dá à vida uma direção. O termo sublinhado na frase acima exerce a mesma função sintática do termo sublinhado em: (A) Sem passado e sem história, poderíamos ser livres? (B) Liberdade seria, a meu ver, um sinônimo de decisão. (C) Somos livres a cada vez que, agindo, recomeçamos. (D) Liberdade seria, pois, começar o improvável. (E) A liberdade nos liberta, o passado é argila que nos molda. Comentário: O verbo “dá” é transitivo direto e indireto. O termo “uma direção” é o objeto direto e “à vida” é o objeto indireto. Na alternativa (A), o adjetivo “livres” é o predicativo do sujeito subentendido “nós”. A locução verbal “poderíamos ser” termina com o verbo “ser”, por isso é entendida como verbo de ligação. Na alternativa (B), o substantivo “sinônimo” exige o complemento nominal “de decisão”. (sinônimo de quê?) Na alternativa (C), a expressão “a cada vez que” é um adjunto adverbial de tempo. (somos livres quando?) A alternativa (D) é a correta, pois o verbo “começar” é transitivo direto, e o termo “o improvável” é o objeto direto. (começar o quê?) Na alternativa (E), o termo “A liberdade” é o sujeito, o verbo “liberta” é transitivo direto, e o pronome “nos” é o objeto direto. Gabarito: D Questão 20: TRT 12ªR 2010 Técnico O projeto rendeu frutos.
  12. 12. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 12 A mesma relação entre verbo e complemento, ambos grifados acima, se reproduz na frase: (A) ... entre 2002 e 2007 o produto interno bruto cresceu a uma taxa de 4% ao ano. (B) ... elas respondem, agora, por 28% da economia nacional. (C) Hoje, um em cada quatro brasileiros vive em cidades médias. (D) ... esses municípios obtiveram melhores resultados na preservação de seu tecido urbano. (E) ... os investidores depararam com capitais estranguladas ... Comentário: O verbo “rendeu” é transitivo direto e “frutos” é o objeto direto. Na alternativa (A), o verbo “cresceu” é intransitivo e “a uma taxa de 4% ao ano” é o adjunto adverbial de modo. (cresceu como?) Na alternativa (B), o verbo “responderam” é transitivo indireto e “por 28% da economia nacional” é o objeto indireto. Na alternativa (C), o verbo “vive” é intransitivo e “em cidades médias” é adjunto adverbial de lugar. (vive onde?) A alternativa (D) é a correta, pois o verbo “obtiveram” é transitivo direto e “melhores resultados” é o objeto direto. Na alternativa (E), o verbo “depararam” é transitivo indireto e “com capitais estranguladas” é objeto indireto. É natural esse verbo ser seguido do pronome “se” (deparar-se com), mas o uso sem pronome também é aceito na norma culta. Gabarito: D Questão 21: TCE SP – 2009 – Agente Fiscalização (banca FCC) ... que consomem 46% de toda a gasolina do planeta ... O mesmo tipo de complemento exigido pelo verbo grifado acima está na frase: (A) ... o mundo sofre com a falta de capacidade de refino moderno ... (B) A delimitação do Campo de Tupi e outros adjacentes na Bacia de Santos vem em ótima hora... (C) Outra oportunidade reside em investimentos maciços em capacidade de refino. (D) ... mas esta é uma tendência que se vem espalhando como fogo em palha. (E) ... para gerar produtos de alto valor ambiental. Comentário: O verbo “consomem” é transitivo direto, e o termo “46% de toda a gasolina do planeta” é o objeto direto. Note que o núcleo do objeto direto é o numeral “46%” e a expressão “de toda a gasolina do planeta” caracteriza este numeral, por isso é um adjunto adnominal. A alternativa (A) está errada, pois o verbo “sofre” é transitivo indireto e o termo “com a falta de capacidade de refino moderno” é o objeto indireto. A alternativa (B) está errada, pois o “vem” é intransitivo e o termo “em ótima hora” é o adjunto adverbial de tempo. Uma observação importante: o ideal é que esse verbo recebesse o acento circunflexo marcando o plural, para concordar com o sujeito composto “A delimitação do Campo de Tupi e outros adjacentes na Bacia de Santos”. A alternativa (C) está errada, pois o verbo “reside” é transitivo indireto e o termo “em investimentos maciços” é o objeto indireto e “em capacidade de
  13. 13. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 13 refino” é o complemento nominal. A alternativa (D) está errada, pois o verbo “é” é de ligação, e a locução verbal “vem espalhando” possui o sujeito “que” e a estrutura adverbial de comparação “como fogo em palha”. O pronome “se” é chamado de apassivador, o qual será visto em outra aula. A alternativa (E) é a correta, pois o verbo “gerar” é transitivo direto e o termo “produtos de alto valor ambiental” é o objeto direto, cujo núcleo é “produtos” e “de alto valor ambiental” é o adjunto adnominal. Gabarito: E Questão 22: DPE RS 2011 Defensor Público (FCC) Das expressões em negrito, SOMENTE uma exerce a função de complemento. (A) ...caso de assassinato que o havia atormentado ... (B) ...20 anos após o crime, o julgamento ... (C) Foi assim que o Departamento de Justiça Criminal ... (D) ...esperança de ver os assassinos de... (E) ...comprometimento em prender os homens... Comentário: O trabalho nesta questão é diferenciar o artigo (palavra que antecede um substantivo, caracterizando-o) do pronome “o”, o qual cumpre a função sintática de objeto direto. A alternativa (A) é a correta, pois o pronome relativo “que” está na função de sujeito, “havia atormentado” é locução verbal transitiva direta, e sobrou ao pronome “o” a função de objeto direto. Portanto, este pronome é complemento da locução verbal. caso de assassinato que o havia atormentado caso de assassinato o havia atormentado sujeito OD VTD Nas outras alternativas, “o”, “os” são apenas artigos que antecedem substantivos. Gabarito: A Questão 23: TRT 20ªR 2002 Analista O Brasil representa 3% do problema mundial. A frase do texto em que o verbo apresenta o mesmo tipo de complemento exigido pelo verbo grifado acima é: (A) Parecem inexpugnáveis. (B)... eles começaram a vida num patamar inferior. (C) O Brasil aparece com menos de 1% do movimento... (D) ... o Brasil é hoje o país mais rico do mundo... (E) ... os miseráveis nem entram na equação econômica... Comentário: O verbo “representa” é transitivo direto e “3% do problema mundial” é objeto direto. Na alternativa (A), o verbo “Parecem” é de ligação e “inexpugnáveis” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (B), o verbo “começaram” é transitivo direto e “a vida” é
  14. 14. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 14 objeto direto. Por isso é a alternativa correta. Na alternativa (C), o verbo “aparece” é intransitivo e “com menos de 1% do movimento” é adjunto adverbial de modo. (O Brasil aparece como?) Na alternativa (D), “é” é verbo de ligação e “o país mais rico do mundo” é predicativo. Na alternativa (E), o verbo “entram” é transitivo indireto e “na equação econômica” é objeto indireto. Gabarito: B Questão 24: TRT 23ªR 2007 Técnico “...captar e levar adiante o interesse comum; 2) administrar as desigualdades do poder; e 3) mediar e dirimir pacificamente controvérsias e conflitos de valores.” Considere os verbos captar, administrar, mediar e dirimir, que se encontram no segmento transcrito acima. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento de todos eles está na frase: (A) O encaminhamento desses problemas se deu por processos voluntários... (B) ... que tinham um passado de tensões e guerras. (C) Correspondeu ao conjunto de aspirações do europeísmo... (D) ... que operou numa moldura propícia a incessantes pequenas rupturas. (E) Estas são o fruto de mecanismos de permanentes negociações intergovernamentais... Comentário: Os verbos “captar”, “levar”, “administrar”, “mediar” e “dirimir” são transitivos diretos. Assim, os termos “o interesse comum” e “controvérsias e conflitos de valores” são os objetos diretos. Na alternativa (A), “deu” é verbo intransitivo, “se” é parte integrante do verbo e “por processos voluntários” é adjunto adverbial de modo. (o encaminhamento se deu como?) Na alternativa (B), o verbo “tinham” é transitivo direto e “um passado de tensões e guerras” é objeto direto. Por isso é a alternativa correta. Na alternativa (C), o verbo “Correspondeu” é transitivo indireto e “ao conjunto de aspirações do europeísmo” é o objeto indireto. Na alternativa (D), o verbo “operou” é, neste caso, intransitivo e “numa moldura propícia” é adjunto adverbial de lugar. Na alternativa (E), “são” é verbo de ligação e “o fruto de mecanismos de permanentes negociações intergovernamentais” é predicativo. Gabarito: B Questão 25: TRT 12ªR 2010 Técnico O projeto rendeu frutos. A mesma relação entre verbo e complemento, ambos grifados acima, se reproduz na frase: (A) ... entre 2002 e 2007 o produto interno bruto cresceu a uma taxa de 4% ao ano. (B) ... elas respondem, agora, por 28% da economia nacional. (C) Hoje, um em cada quatro brasileiros vive em cidades médias. (D) ... esses municípios obtiveram melhores resultados na preservação de seu
  15. 15. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 15 tecido urbano. (E) ... os investidores depararam com capitais estranguladas ... Comentário: O verbo “rendeu” é transitivo direto e “frutos” é o objeto direto. (A) O verbo “cresceu” é intransitivo e “a uma taxa de 4% ao ano” é o adjunto adverbial de modo. (B) O verbo “responderam” é transitivo indireto e “por 28% da economia nacional” é o objeto indireto. (C) O verbo “vive” é intransitivo e “em cidades médias” é adjunto adverbial de lugar. (D) O verbo “obtiveram” é transitivo direto e “melhores resultados” é o objeto direto. Por isso é a correta. (E) O verbo “depararam” é transitivo indireto e “com capitais estranguladas” é objeto indireto. Gabarito: D Questão 26: BB 2011 Escriturário O segmento grifado que está sendo substituído de modo INCORRETO por um pronome, com as necessárias adaptações, é: (A) um recenseamento revelou a situação inédita = revelou-a (B) milhares de pessoas trocavam as cidades do interior = trocavam-nas (C) A tendência (...) definiu o Brasil do século XXI = lhe definiu (D) era a que levava famílias inteiras do Nordeste = as levava (E) que tem criado empregos = que os tem criado Comentário: Perceba que os pronomes “o”, “a”, “os”, “as” podem substituir apenas objetos diretos e que o pronome “lhe” substitui objeto indireto. Devemos notar que os verbos “revelou”, “trocavam”, “definiu”, “levava” e “tem criado” são transitivos diretos. Assim, os termos “a situação inédita”, “as cidades do interior”, “o Brasil do século XXI”, “famílias inteiras do Nordeste” e “empregos” são os objetos diretos. Por esse motivo, não pode haver o pronome “lhe” na alternativa (C). Gabarito: C Questão 27: Prefeitura São Paulo 2007 Técnico Fragmento do texto: O outro projeto utiliza, por exemplo, gemas (pequenos pedaços do broto) das belas bromélias nativas da região e as reproduzem em laboratório, em milhares de mudas idênticas, sem destruição da planta original ou retirada de exemplares da floresta. O segmento grifado nas alternativas abaixo só NÃO está corretamente substituído pelo pronome correspondente em: (A) têm ótimas opções = têm-nas. (B) ele tomou a iniciativa = ele a tomou. (C) que reurbanizou toda a área = que lhe reurbanizou. (D) para melhor observar a fauna e a flora = para melhor observá-las. (E) de observar animais = de observá-los. Comentário: Perceba que os pronomes “o”, “a”, “os”, “as” podem substituir apenas objetos diretos e que o pronome “lhe” substitui objeto indireto. Devemos notar que os verbos “têm”, “tomou”, “reurbanizou” e “observar” são transitivos diretos. Assim, os termos “ótimas opções”, “a
  16. 16. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 16 iniciativa”, “toda a área”, “a fauna e a flora” e “animais” são os objetos diretos. Por esse motivo, não pode haver o pronome “lhe” na alternativa (C). Gabarito: C Questão 28: Secretaria Seg – BA 2010 - Agente Penitenciário ... que a natureza tinha seus próprios ritmos, alguns regulares e outros irregulares. A frase cujo verbo exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima é: (A) Nossa espécie, o Homo sapiens, apareceu em torno de 200 mil anos atrás ... (B) ... que grandes migrações da África em direção à Eurásia e à Oceania ocorriam já há 70 mil anos. (C) Os perigos eram muitos ... (D) ... se gotas caíam ritmicamente das folhas ... (E) ... mostram uma enorme variedade de animais ... Comentário: O verbo “tinha” é transitivo direto e o termo “seus próprios ritmos” é o objeto direto. O mesmo complemento (objeto direto) ocorre na alternativa (E), pois o verbo “mostram” é transitivo direto e “uma enorme variedade de animais” é o objeto direto. Na alternativa (A), o verbo “apareceu” é intransitivo e “em torno de 200 mil anos atrás” é o adjunto adverbial de tempo. Na alternativa (B), o verbo “há” compõe termo de sentido de tempo decorrido (“há 70 mil anos”). Veremos esse emprego na concordância verbal. Na alternativa (C), o verbo “eram” é de ligação, e a expressão “muitos” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (D), o verbo “caíam” é intransitivo, e o termo “das folhas” é o adjunto adverbial de lugar. Gabarito: E Questão 29: TJ – PE 2007 – Técnico Judiciário ... que por essas e outras heresias acabou seus dias na fogueira. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase: (A) ... que existia nos céus. (B) A conseqüência dessa descoberta foi profunda ... (C) Galileu iniciou uma nova tradição astronômica, a da caça aos mundos. (D) ... de que, com telescópios mais poderosos, novos mundos seriam descobertos. (E) O mistério, no entanto, permanecia. Comentário: O verbo “acabou” é transitivo direto e o termo “seus dias” é o objeto direto. O mesmo complemento (objeto direto) ocorre na alternativa (C), pois o verbo “iniciou” é transitivo direto e “uma nova tradição astronômica” é o objeto direto.
  17. 17. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 17 Na alternativa (A), o verbo “existia” é intransitivo e “nos céus” é o adjunto adverbial de lugar. Na alternativa (B), o verbo “foi” é de ligação, e a expressão “profunda” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (D), o verbo “seriam” é de ligação, e a expressão “descobertos” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (E), o verbo “permanecia” é intransitivo, e o termo “O mistério” é o sujeito. Gabarito: C Questão 30: TRE – AC 2003 – Técnico Judiciário ... que usam grandes extensões ... O mesmo tipo de complemento exigido pelo verbo grifado acima está na frase: (A) Levantamentos comprovam uma maior devastação em toda a região amazônica. (B) Poucos acreditam na possibilidade de controle das queimadas na Amazônia. (C) A devastação da floresta amazônica parece sempre maior a cada ano. (D) As queimadas, sem controle, avançam muitas vezes sobre a floresta. (E) Surgem, cada vez mais, propostas para a preservação da região florestal. Comentário: O verbo “usam” é transitivo direto e o termo “grandes extensões” é o objeto direto. O mesmo complemento (objeto direto) ocorre na alternativa (A), pois o verbo “comprovam” é transitivo direto e “uma maior devastação” é o objeto direto. Na alternativa (B), o verbo “acreditam” é transitivo indireto e “na possibilidade de controle” é o objeto indireto. Na alternativa (C), o verbo “parece” é de ligação, e a expressão “maior” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (D), o verbo “avançam” é intransitivo, e a expressão “sobre a floresta” é o adjunto adverbial de lugar. Na alternativa (E), o verbo “Surgem” é intransitivo, e o termo “propostas para a preservação” é o sujeito. Gabarito: A Questão 31: TRE – SE 2007 – Técnico Judiciário ... enfim, notícias que causam medo, talvez até pânico. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase: (A) ... que marca o aquecimento das águas do Pacífico perto do Peru ... (B) ... só quando o problema for realmente óbvio e irremediável. (C) ... a demanda por água e alimentos aumenta. (D) ... chegaremos a esse limite. (E) ... que é mera questão de tempo. Comentário: O verbo “causam” é transitivo direto e o termo “medo” é o objeto direto.
  18. 18. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 18 O mesmo complemento (objeto direto) ocorre na alternativa (A), pois o verbo “marca” é transitivo direto e “o aquecimento” é o objeto direto. Na alternativa (B), o verbo “for” é de ligação e “óbvio e irremediável” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (C), o verbo “aumenta” é intransitivo, e a expressão “a demanda” é o sujeito. Na alternativa (D), o verbo “chegaremos” é transitivo indireto, e a expressão “a esse limite” é o objeto indireto. Na alternativa (E), o verbo “é” é de ligação, e o termo “mera questão de tempo” é o predicativo do sujeito. Gabarito: A Questão 32: TCE SP 2005 Fiscalização Financeira Afinal, o verdadeiro tradutor precisa de formação teórico-prática sólida ... O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase: (A) O tradutor é um dos principais responsáveis pelo intercâmbio cultural entre as nações. (B) ... pois espelha textos numa língua diferente... (C) ... para tomar a melhor decisão diante de uma expressão nova... (D) O reconhecimento de seu trabalho levaria a cursos superiores... (E) ... para contabilizar sua importância... Comentário: O verbo “precisa” é transitivo indireto (precisa de quê?). Então, a expressão “de formação teórico-prática sólida” é o objeto indireto. O mesmo tipo de complemento é encontrado na alternativa (D), pois o verbo “levaria” é transitivo indireto (levar a quê?), e exige o objeto indireto “a cursos superiores”. Na alternativa (A), o verbo “é” é de ligação e o termo “um dos principais responsáveis” é o predicativo. Na alternativa (B), o verbo “espelha” é transitivo direto (espelha o quê?). Assim, o termo “textos” é o objeto direto. Na alternativa (C), o verbo “tomar” é transitivo direto, e o termo “a melhor decisão” é o objeto direto. Na alternativa (E), o verbo “contabilizar” é transitivo direto (contabilizar o quê?). Assim, “sua importância” é o objeto direto. Gabarito: D Questão 33: SEC SP 2011 Superior Neologismo Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento palavras Que traduzem a ternura mais funda E mais cotidiana. Inventei, por exemplo, o verbo teadorar. Intransitivo: Teadoro, Teodora. (Manuel Bandeira, Belo Belo, 1948)
  19. 19. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 19 No poema, os verbos beijar e falar são empregados como (A) intransitivos. (B) transitivos diretos. (C) transitivos indiretos. (D) bitransitivos. (E) verbos de ligação. Comentário: Observe que os verbos “beijar” e “falar” possuem diversas transitividades, mas neste contexto não há o objeto direto ou indireto. Assim, é considerado verbo intransitivo. As expressões “pouco” e “menos ainda” são adjuntos adverbiais de intensidade. Note que verbo “bitransitivo”, expresso na alternativa (D), é o mesmo que verbo transitivo direto e indireto. Gabarito: A Questão 34: TCE AL 2008 Analista de Sistemas Formular propósitos? Quem apenas formula propósitos, quem atribui aos propósitos uma força mágica e não encaminha os propósitos para uma ação imediata, não recomeça nada, de fato. Evitam-se as abusivas repetições do texto acima substituindo-se os elementos sublinhados, na ordem dada, por: (A) formula-os - os atribui - encaminha-lhes (B) os formula - os atribui - os encaminha (C) os formula - lhes atribui - os encaminha (D) lhes formula - lhes atribui - encaminha-os (E) formula-os - lhes atribui - lhes encaminha Comentário: Esse tipo de questão vai ser mais detalhado nas próximas aulas, pois conjuga o tema pronome, sintaxe e regência verbal. Agora, basta percebermos que o objeto direto pode ser substituído por “o”, “a”, “os”, “as”, e o objeto indireto normalmente pode ser substituído por “lhe”. O verbo “formula” é transitivo direto (formular o quê?). Assim, o objeto direto “propósitos” pode ser substituído por “os”. Assim, eliminamos a alternativa (D). O verbo “atribui” é transitivo direto e indireto. O termo “uma força mágica” é o objeto direto e “aos propósitos” é o objeto indireto. Assim, este último termo pode ser substituído por “lhes”. Assim, eliminamos as alternativas (A) e (B). O verbo “encaminha” é transitivo direto e o termo “os propósitos” pode ser substituído por “os”. Assim, eliminamos a alternativa (E), e a correta é a (C). Gabarito: C Questão 35: TRT 18ªR 2008 Técnico Pensam em novas formas de suprimento de energia ... O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima está na frase: (A) Durante milênios convivemos com a convicção... (B) Há outros ângulos do problema ... (C) ... que entopem as caixas de recepção de mensagens no mundo ... (D) ... que a própria ONU criou diretrizes mundiais ...
  20. 20. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 20 (E) ... se haverá um limite para a internet ... Comentário: O verbo “Pensam” é transitivo indireto “em novas formas de suprimento de energia” é objeto indireto. (pensam em quê?) Na alternativa (A), o verbo “convivemos” também é transitivo indireto e “com a convicção” é objeto indireto. Por isso é a alternativa correta. Na alternativa (B), o verbo “há” é transitivo direto e “outros ângulos do problema” é objeto direto. Na alternativa (C), o verbo “entopem” é transitivo direto e “as caixas de recepção” é objeto direto. Na alternativa (D), o verbo “criou” é transitivo direto e “diretrizes mundiais” é objeto direto. Na alternativa (E), o verbo “haverá” é transitivo direto e “um limite” é objeto direto. Gabarito: A Questão 36: TRE – SP 2006 – Técnico Judiciário Outra aposta recorrente está na área de logística e distribuição, da qual as empresas dependem cada vez mais, por ser um setor que se desenvolve necessariamente junto aos grandes mercados. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase: (A) ... a Região Sudeste ainda responde por mais da metade do PIB nacional. (B) ... já é majoritário nos quatro Estados da Região. (C) ... a mudança da vocação regional significa a perda de vagas fixas ... (D) ... a força de consumo do Sudeste ainda cria muitas oportunidades. (E) ... a interiorização do desenvolvimento é uma tendência irreversível ... Comentário: O verbo “dependem” é transitivo indireto. Seu sujeito é o termo “as empresas” e o objeto indireto é a expressão “de que”, a qual retoma a expressão “área de logística e distribuição”. Assim, entendemos a seguinte estrutura: as empresas dependem da área de logística e distribuição”. O mesmo tipo de complemento (objeto indireto) está na alternativa (A), pois o verbo “responde” é transitivo indireto e a expressão “por mais da metade do PIB nacional” é o objeto indireto. Na alternativa (B), o verbo “é” é de ligação. Assim, a expressão “majoritário” é o predicativo. Na alternativa (C), o verbo “significa” é transitivo direto, e o termo “a perda” é o objeto direto. Na alternativa (D), o verbo “cria” é transitivo direto, e o termo “muitas oportunidades” é o objeto direto. Na alternativa (E), o verbo “é” é de ligação e o terno “uma tendência irreversível” é o predicativo do sujeito. Gabarito: A Questão 37: TRT 24ªR 2006 Técnico Para responder a esta questão, considere o fragmento, reproduzido abaixo, de um informe publicitário da Prefeitura Municipal de Campo Grande. QUALIDADE DE VIDA
  21. 21. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 21 Campo Grande é uma das capitais brasileiras que oferece melhor índice de qualidade de vida. Urbanizada, arborizada, sem favelas e com avenidas largas, a Capital do Mato Grosso do Sul registra alto índice de satisfação de seus moradores e empreendedores. A afirmativa INCORRETA, a partir dos elementos aí existentes, é: (A) Os verbos oferecer e registrar exigem o mesmo tipo de complemento. (B) ... uma das capitais que oferece − estaria correta também a forma de plural oferecem. (C) As vírgulas separam elementos de mesmo valor no trecho Urbanizada, arborizada, sem favelas ... (D) A vírgula empregada após a expressão com avenidas largas pode ser corretamente substituída por um travessão, sem alteração do sentido original. (E) O emprego do pronome possessivo seus introduz uma dificuldade de sentido no período, que teria sido evitada com o uso da forma sua. Comentário: A alternativa (A) está correta, pois os verbos “oferece” e “registra” são transitivos diretos e seus objetos diretos são, respectivamente: “melhor índice de qualidade de vida” e “alto índice de satisfação de seus moradores e empreendedores”. A alternativa (B) está correta, pois se deve notar que o sujeito do verbo “oferece” é o pronome relativo “que”, o qual retoma o vocábulo “uma”, por isso o verbo está no singular. Mas este pronome pode retomar o substantivo “capitais”, por isso o verbo pode concordar também no plural. O emprego do pronome relativo será visto em outra aula. Na alternativa (C), as vírgulas ali inseridas fazem parte de um predicativo composto, porque há uma enumeração. Assim, separam elementos de mesmo valor. Na alternativa (D), percebemos o emprego do predicativo do sujeito antecipado. Note que as expressões enumeradas “Urbanizada, arborizada, sem favelas e com avenidas largas” transmitem as características do sujeito “a Capital do Mato Grosso do Sul”. Assim, há uma explicação antecipada, por isso cabe também a separação por travessão. Na alternativa (E), o pronome possessivo “seus” é o adjunto adnominal que determina dois núcleos plurais e masculinos (“moradores e empreendedores”). Assim, não pode flexionar-se no singular e feminino. Gabarito: E Questão 38: ISS-SP 2007 Auditor-Fiscal Tributário No caso das leis mosaicas, um desses princípios é o da interdição: “Não matarás”. O pronome sublinhado na frase acima reaparece, conservando a mesma função sintática que nela exerce, nesta outra frase: (A) Para se garantir o cumprimento de um princípio, institui-se uma sanção para quem o ignore. (B) Quanto ao abuso de poder, só rigorosas diligências e isenta apuração o evitam. (C) Dos desafios da nossa sociedade, talvez o maior seja o de não se permitir
  22. 22. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 22 a impunidade. (D) O homo sapiens, que tem o dom da racionalidade criativa, nem sempre o aproveita em seu benefício. (E) Se o indivíduo responsável pela aplicação da justiça transgride um princípio, que ninguém o acoberte. Comentário: O termo “um desses princípios” é o sujeito, o verbo “é” é de ligação e o pronome “o” é o predicativo. Assim, devemos encontrar nas alternativas o pronome “o” com a função sintática de predicativo. Isso ocorreu na alternativa (C), pois o verbo “seja” é de ligação, o termo “o maior” é o sujeito, e o pronome “o” é o predicativo do sujeito. Na alternativa (A), o vocábulo “o” é o objeto direto do verbo transitivo direto “ignore”. Não se esqueça de que o vocábulo “o”, antes do substantivo “cumprimento”, é um artigo, cumprindo o papel de adjunto adnominal. Na alternativa (B), o vocábulo “o” é o objeto direto do verbo transitivo direto “evitam”. Na alternativa (D), o vocábulo “o” é o objeto direto do verbo transitivo direto “aproveita”. Não se esqueça de que o vocábulo “o”, antes do substantivo “dom”, é um artigo, cumprindo o papel de adjunto adnominal. Na alternativa (E), o vocábulo “o” é o objeto direto do verbo transitivo direto “acoberte”. Não se esqueça de que o vocábulo “o”, antes do substantivo “indivíduo”, é um artigo, cumprindo o papel de adjunto adnominal. Gabarito: C Questão 39: ISS-SP 2009 Agente-Fiscal de Rendas Fragmento do texto: Esgotado por sucessivas batalhas, convencido da inutilidade de seguir lutando e tendo decidido ser preferível capitular a perder não só a liberdade como a vida, no verão de 1520 o rei asteca Montezuma, prisioneiro dos espanhóis, concordou em entregar a Hernán Cortés o vasto tesouro que seu pai, Axayáctl, reunira com tanto esforço, e em jurar lealdade ao rei da Espanha, aquele monarca distante e invisível cujo poder Cortés representava. Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Em perder não só a liberdade, o elemento destacado tem o mesmo valor e função dos notados na frase "Estava só, mas bastante tranquilo". Comentário: O vocábulo “só”, na expressão “não só a liberdade” é um advérbio, o qual é uma redução do advérbio “somente”. Já o vocábulo “só”, na oração “Estava só, mas bastante tranquilo", é um adjetivo, por ser uma forma reduzida do adjetivo “sozinho”. Assim, os valores são diferentes. Gabarito: E Questão 40: TCE AL 2008 Analista de Sistemas Ser livre é tomar a iniciativa de principiar novas possibilidades. Desamarrar. Abrir novos tempos. No trecho acima, entende-se que Desamarrar e Abrir novos tempos exercem a mesma função sintática de (A) a iniciativa de principiar (...) (B) tomar a iniciativa (...)
  23. 23. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 23 (C) ser livre. (D) de principiar novas possibilidades. (E) novas possibilidades. Comentário: O verbo “é” é de ligação. Assim, o termo “Ser livre” é o sujeito e “tomar a iniciativa” é o predicativo. Note que, semanticamente, podemos entender que esse predicativo se estende a “Desamarrar” e “Abrir novos tempos”. Veja a construção num só período: Ser livre é tomar a iniciativa de principiar novas possibilidades, desamarrar e abrir novos tempos. Assim, os termos sublinhados possuem o mesmo valor sintático. São, textualmente, os predicativos do sujeito. Gabarito: B Como distinguir o adjunto adnominal do complemento nominal O adjunto adnominal formado por uma locução adjetiva pode ser confundido com o complemento nominal. Normalmente não haverá dúvida, pois o adjunto adnominal é constituído de vocábulo de valor restritivo que caracteriza o núcleo do termo de que faz parte. Já o complemento nominal é termo que completa o sentido de um nome. Há dúvida quando os dois termos são preposicionados. Por exemplo: A leitura do livro é instigante. A leitura do aluno foi boa. Para percebermos a diferença, é importante passarmos por três critérios: 1º critério: Adjunto adnominal: Complemento nominal: O termo preposicionado caracteriza o substantivo. O termo preposicionado complementa um substantivo, adjetivo ou advérbio. Assim, em orações como “Estava cheio de problemas.”, “Moro perto de você.”, logo no primeiro critério já saberíamos que “de problemas” e “de você” são complementos nominais, pois completam o sentido do adjetivo “cheio” e do advérbio “perto”, respectivamente. 2º critério: O substantivo caracterizado pode ser concreto ou abstrato. O substantivo complementado deve ser abstrato. Sabendo-se que um substantivo abstrato normalmente é o nome de uma ação (corrida, pesca) ou de uma característica (tristeza, igualdade) e que o substantivo concreto é o nome de um ser independente, que conseguimos visualizar, pegar (casa, copo). Nas orações “Trouxe copos de vidro.” e “Vi a casa de pedra.”, os termos “de vidro” e “de pedra” são adjuntos adnominais, pois caracterizam os substantivos concretos “copos” e “casa”, respectivamente.
  24. 24. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 24 3º critério: O termo preposicionado é agente. O termo preposicionado é paciente. Este último normalmente é o cobrado em prova. Se os termos abaixo sublinhados são agentes, automaticamente serão o adjuntos adnominais. Se pacientes, serão complementos nominais. Veja: Adjuntos adnominais: O amor de mãe é especial. (agente: a mãe ama) A invenção do cientista mudou o mundo.(agente: o cientista inventou) A leitura do aluno foi boa. (agente: o aluno leu) Complementos nominais: O amor à mãe também é especial. (paciente: a mãe é amada) A invenção do rádio mudou o mundo. (paciente: o rádio foi inventado) A leitura do livro é instigante. (paciente: o livro é lido) Questão 41: TRT 2ªR 2008 Técnico Para observadores atentos, é uma forte ameaça à democracia... O mesmo tipo de complemento grifado acima SÓ NÃO se repete na expressão também grifada em: (A) ... é o desmonte do conceito de segurança alimentar ... (B) ... alimentos indispensáveis ao sustento da população... (C) ... que muitos países da África e da América Latina desenvolvessem sua agricultura... (D) ... na busca da garantia do abastecimento interno. (E) ... associado a políticas demográficas e ambientais. Comentário: A expressão “à democracia” é um complemento nominal, pois esse termo preposicionado foi exigido por regência nominal pelo substantivo abstrato “ameaça”. (ameaçar a democracia → ameaça à democracia). O mesmo tipo de complemento ocorre nas alternativas (A): o substantivo abstrato “desmonte” exige o complemento “do conceito de segurança alimentar” (desmontar o conceito → desmonte do conceito) (B): “indispensável” é um adjetivo que exige complemento: “indispensável ao sustento da população”. (C): O substantivo concreto “países” não é gerado a partir de um verbo, não é o nome de uma ação; por isso não exige complemento, conforme o 2° critério visto anteriormente. Na realidade, o termo “da África e da América Latina” é o adjunto adnominal, pois apenas caracteriza, restringe o substantivo anterior. Por isso esta é a alternativa a ser marcada. (D): O substantivo “garantia” é abstrato e por isso exige o complemento “do abastecimento interno”. (E): O adjetivo “associado” exige o complemento “a políticas demográficas e ambientais”. Gabarito: C Questão 42: TRE – RN 2011 – Técnico Judiciário O clima pouco favorável ao cultivo da cana levou a atividade econômica para a pecuária.
  25. 25. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 25 O mesmo tipo de regência nominal que se observa acima ocorre no segmento também grifado em: (A) O litoral oriental compõe o Polo Costa das Dunas − com belas praias, falésias, dunas e o maior cajueiro do mundo... (B) Os 410 quilômetros de praias garantem um lugar especial para o turismo na economia estadual. (C) A ocupação portuguesa só se efetivou no final do século, com a fundação do Forte dos Reis Magos e da Vila de Natal. (D) Em Caicó há vários açudes e formações rochosas naturais que desafiam a imaginação do homem. (E) Em Santa Cruz, a subida ao Monte Carmelo desvenda toda a beleza do sertão potiguar ... Comentário: Primeiro, é bom lembrar o que é a regência nominal: é o substantivo abstrato, adjetivo ou advérbio que exigem um complemento nominal. Podemos normalmente fazer uma associação com a regência verbal, em que um verbo exige o complemento verbal. Vou inventar um exemplo!!! A expressão “leitura do livro” possui o termo paciente “do livro” por ser complemento nominal do substantivo abstrato “leitura”. Veja: ler o livro leitura do livro VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente) (regência verbal) (regência nominal) Agora, compare com a estrutura “leitura do aluno”. O termo “do aluno” é apenas o adjunto adnominal, pois é um termo agente. Veja: O aluno lê leitura do aluno sujeito + VTD nome + adjunto adnominal (termo agente) (termo agente) Vale lembrar que, quando há adjetivo ou advérbio, não há necessidade de verificação se o termo preposicionado é agente ou paciente, pois não pode haver adjunto adnominal dessas palavras. Agora, vamos à questão: No segmento “favorável ao cultivo da cana”, há dois complementos nominais: o adjetivo “favorável” exigiu o complemento nominal “ao cultivo”, e o substantivo abstrato “cultivo” exigiu o complemento nominal “da cana”. Veja que o substantivo abstrato é gerado do verbo “cultivar” (cultivar a cana). Como “a cana” é o complemento verbal de “cultivar”, na transformação desse verbo em substantivo abstrato, esse complemento passa a ser nominal: cultivo da cana. Veja: cultivar a cana cultivo da cana VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente) (regência verbal) (regência nominal) A alternativa (C) é a correta, pois a expressão “fundação do Forte dos Reis Magos e da Vila de Natal” possui o termo paciente “do Forte dos Reis Magos e da Vila de Natal” por ser complemento nominal do substantivo
  26. 26. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 26 abstrato “fundação”. Veja: fundar Forte dos Reis Magos e a Vila de Natal (regência verbal) VTD + objeto direto (termo paciente) fundação Forte dos Reis Magos e a Vila de Natal (regência nominal) nome + complemento nominal (termo paciente) Na alternativa (A), o substantivo “Polo” está sendo determinado pelo aposto especificativo “Costa das Dunas”. Este aposto é utilizado para dar nome às coisas. Assim, não há regência nominal. Na alternativa (B), o termo “de praias” é o adjunto adnominal do substantivo “quilômetros”, pois o restringe. Assim, também não há regência nominal. Na alternativa (D), o termo “do homem” é o adjunto adnominal do substantivo “imagem”, pois o restringe. Assim, também não há regência nominal. Na alternativa (E), o termo “do sertão potiguar” é o adjunto adnominal do substantivo “beleza”, pois o restringe. Assim, também não há regência nominal. Gabarito: C Questão 43: TRT 18ªR 2008 Analista Os outros privilégios da vida a que as pessoas aspiram só existem em função de uma única forma de utilização (...). No período acima, são exemplos de uma mesma função sintática: (A) vida e pessoas. (B) privilégios e utilização. (C) privilégios e pessoas. (D) existem e utilização. (E) a que e única. Comentário: Na alternativa (A), “da vida” é adjunto adnominal de “privilégios”, o qual é o núcleo do sujeito do verbo “existem”. Já “pessoas” é o núcleo do sujeito do verbo “aspiram”. Na alternativa (B), “privilégios” é o núcleo do sujeito do verbo “existem” e “de utilização” é o adjunto adnominal do núcleo “forma”. A alternativa (C) é a correta, pois os dois substantivos são núcleos do sujeito dos verbos “existem” e “aspiram”, respectivamente. Na alternativa (D), “existem” é verbo intransitivo, enquanto “de utilização” é o adjunto adnominal do núcleo “forma”. Na alternativa (E), “a que” é o objeto indireto de “aspiram” e “única” é o adjunto adnominal de “forma”. Gabarito: C Questão 44: TRT 3ªR 2009 Analista A frase em que ambos os elementos sublinhados constituem exemplos de uma mesma função sintática é: (A) Os irmãos Vilas-Boas desempenharam um papel fundamental nas
  27. 27. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 27 primeiras aproximações com grupos indígenas. (B) Aos irmãos Vilas-Boas coube levar adiante, da melhor maneira possível, a missão que lhes foi confiada. (C) Respeitar a cultura do outro deveria ser uma obrigação para quem dispõe da superioridade das armas. (D) “Selvageria” vem entre aspas para deixar claro que esse termo não condiz com a situação analisada no texto. (E) O chefe indígena não hesitou em recusar os presentes que lhe foram oferecidos. Comentário: Na alternativa (A), “irmãos” é núcleo do sujeito, enquanto “primeiras” é apenas um adjunto adnominal, pois caracteriza o substantivo “aproximações”, o qual é o núcleo do adjunto adverbial de tempo. Você pode ter ficado na dúvida e pensado que “irmãos” é o adjunto adnominal de “Vilas-Boas”, porém “Irmãos” é um substantivo que, sem preposição, não pode caracterizar, será o núcleo. Já “Vilas-Boas” é o aposto especificativo e isso será visto adiante em nossa aula. Na alternativa (B), “adiante” é adjunto adverbial de lugar (entendendo- se aí uma ideia de continuação, não um lugar concreto.) e “missão” é o objeto direto do verbo transitivo direto “levar”. Na alternativa (C), “do outro” é adjunto adnominal, pois restringe “cultura”, e “uma obrigação” é o predicativo do sujeito. Note a locução verbal de ligação “deveria ser”. Na alternativa (D), “claro” é o predicativo do objeto direto. Toda a oração “que esse termo não condiz com a situação analisada no texto” é o objeto direto do verbo “deixar”. Tanto assim que podemos reescrever a oração assim: deixar isso claro. Como veremos esta estrutura em outra aula, cabe aqui apenas entender como predicativo. O vocábulo “termo” é sujeito do verbo “condiz”. A alternativa (E) é a correta, pois “O chefe indígena” é o sujeito de “hesitou” e “que” é o pronome relativo na mesma função. Ele retoma “presentes” e por isso a locução verbal “foram oferecidos” fica no plural. Gabarito: E Questão 45: TRT 3ªR 2009 Analista O sucesso da democracia nas sociedades industriais trouxe inegáveis benefícios a amplos setores antes excluídos... O mesmo tipo de complemento grifado acima NÃO ocorre APENAS em: (A) no conhecimento do torcedor comum. (B) da tomada de decisões. (C) a perda de identidades grupais. (D) pelo conceito de cidadania. (E) um mundo de tribos. Comentário: O complemento grifado é o nominal, pois completa o sentido do adjetivo “benefícios”. Isso foi visto no critério número 1 da diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal. Vimos no critério dois que o complemento nominal completa o sentido de substantivos abstratos. No critério três, percebemos que, se o termo preposicionado tiver valor
  28. 28. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 28 paciente, será complemento nominal. Na alternativa (B), podemos entender que, na expressão tomar decisões, o termo sublinhado é o objeto direto, então é um temo paciente. Com a transformação do verbo em substantivo abstrato, o termo preposicionado passará a complemento nominal (tomada de decisões), em que o termo preposicionado continua paciente: decisões são tomadas. Na alternativa (C), podemos entender que, na expressão perder identidades grupais, o termo sublinhado é o objeto direto, então é um temo paciente. Com a transformação do verbo em substantivo abstrato, o termo preposicionado passará a complemento nominal (perda de identidades grupais), em que o termo preposicionado continua paciente: identidades grupais são perdidas. Na alternativa (D), na expressão conceituar cidadania, o termo sublinhado é o objeto direto, então é um temo paciente. Com a transformação do verbo em substantivo abstrato, o termo preposicionado passará a complemento nominal (conceito de cidadania), em que o termo preposicionado continua paciente: cidadania é conceituada. A questão foi anulada porque as alternativas (A) e (E) não possuem complementos nominais, mas adjuntos adnominais. Na alternativa (A), não se quis dizer que o torcedor comum é conhecido, mas que ele conhece. Assim, temos o termo preposicionado “do torcedor comum” como agente: o torcedor comum conhece. Por isso, esse termo preposicionado é o adjunto adnominal. Na alternativa (E), o vocábulo “mundo” é o único substantivo concreto, assim “de tribos” é o adjunto adnominal, que o restringe. Gabarito: Anulada Um resumo sobre o aposto: É um termo que amplia, explica, desenvolve ou resume o conteúdo de outro termo. Classifica-se em: 1) explicativo Raquel, contadora da firma, está viajando. Um trabalho — tua monografia — foi premiado. Só queria algo: apoio. Obs.: O aposto explicativo pode vir com vírgulas, travessões, parênteses ou dois-pontos. 2) enumerativo ou distributivo Ganhei dois presentes: uma joia especial e um livro raro. Suas reivindicações incluíam muitas coisas: melhor salário, melhores condições de trabalho, assistência médica extensiva a familiares. Obs.: O aposto enumerativo é antecedido por dois-pontos. Isso cai muito em prova. 3) resumitivo ou recapitulativo Glória, poder, dinheiro, tudo passa. Obs.: O sujeito composto “glória, dinheiro, poder” é resumido pelo pronome indefinido tudo. É termo também antecedido de vírgula.
  29. 29. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 29 4) especificativo ou apelativo O compositor Chico Buarque é também um excelente escritor. O estado é cortado pelo rio São Francisco. O aposto especificativo, que não pede sinais de pontuação, indica o nome de alguém ou algo dito anteriormente. Observação: o aposto pode se referir também a uma oração: Esforcei-me bastante, o que causou muita alegria em todos. Obs.: Palavras como o, coisa, fato etc. podem referir-se a toda uma oração. Questão 46: BB 2006 Escriturário Fragmento do texto: “O folhetinista é originário da França [...] De lá espalhou-se pelo mundo, ou pelo menos por onde maiores proporções tomava o grande veículo do espírito moderno; falo do jornal.” E Machado tenta “definir a nova entidade literária”, procura esmiuçar a “organização do novo animal”. Mas dessa nova entidade só vai circunscrever a variedade que se aproxima do que hoje chamaríamos crônica. E como na verdade a palavra folhetim designa muitas coisas, e, efetivamente, nasceu na França, há que ir ver o que o termo recobre lá na matriz. De início, ou seja, começos do século XIX, “le feuilleton” designa um lugar preciso do jornal: “o rez-de-chaussée” — résdo- chão, rodapé —, geralmente o da primeira página. Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Os dois-pontos justapostos à palavra “jornal” (linha 9) introduzem a citação de distintos espaços associados ao folhetim. Comentário: Na realidade, o sinal de dois-pontos marca que “o rez-de- chaussée” é o aposto explicativo. Ele se refere à expressão “um lugar preciso do jornal”. Gabarito: E Questão 47: BB 2010 Escriturário Fragmento do texto: A multiplicação de desastres naturais vitimando populações inteiras é inquietante: tsunamis, terremotos, secas e inundações devastadoras, destruição da camada de ozônio, degelo das calotas polares, aumento dos oceanos, aquecimento do planeta, envenenamento de mananciais, desmatamentos, ocupação irresponsável do solo, impermeabilização abusiva nas grandes cidades. Alguns desses fenômenos não estão diretamente vinculados à conduta humana. Outros, porém, são uma consequência direta de nossas maneiras de sentir, pensar e agir. Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Os dois-pontos introduzem enumeração de fatos que exemplificam desastres naturais. Comentário: A expressão “tsunamis, terremotos, secas e inundações devastadoras, destruição da camada de ozônio, degelo das calotas polares, aumento dos oceanos, aquecimento do planeta, envenenamento de mananciais, desmatamentos, ocupação irresponsável do solo, impermeabilização abusiva nas grandes cidades” é o aposto enumerativo, o
  30. 30. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 30 qual tem a função de elencar elementos após os dois-pontos e esses elementos , contextualmente, exemplificam “desastres naturais”. Por isso, a afirmativa está correta. Gabarito: C Questão 48: TRT 16ªR 2009 Técnico ... eles acabam falando de um dos mais atuais e globalizados temas: a devastação das matas. O emprego dos dois-pontos assinala, no contexto, (A) reforço no sentido da afirmativa anterior. (B) introdução de comentário repetitivo. (C) especificação da expressão anterior a eles. (D) transcrição exata da fala dos especialistas. (E) segmento que apresenta sequência de fatos. Comentário: Esta é uma questão típica desta banca. Os dois-pontos estão sinalizando que na sequência virá um elemento explicativo (“a devastação das matas”), chamado aposto explicativo. Perceba que a banca não inseriu nas alternativas a palavra “explicação ou explicativo”. Mas basta entender que o elemento explicativo reforça, ratifica, corrobora, especifica um dado expresso anteriormente (“um dos mais atuais e globalizados temas”); por isso a alternativa C é a correta. Gabarito: C Questão 49: TRT 18ªR 2008 Técnico Fragmento do texto: E ainda há o problema do lixo tecnológico (peças e pedaços de computadores, pilhas, baterias), já tão grave que a própria ONU criou diretrizes mundiais que apontam caminhos para ampliar a vida dos componentes e promover a reciclagem. (peças e pedaços de computadores, pilhas, baterias) Considere as observações a respeito do segmento do parágrafo transcrito acima: I. Trata-se de um segmento enumerativo, intercalado no contexto. II. Os parênteses podem ser corretamente substituídos por travessões, sem alteração do sentido original. III. A ausência do segmento colocado entre parênteses não alteraria a sequência lógica nem a clareza do período. Está correto o que se afirma em (A) III, somente. (B) I e II, somente. (C) II e III, somente. (D) I e III, somente. (E) I, II e III. Comentário: Na frase I, veja que o aposto explicativo, quando recebe mais de um termo, é considerado enumerativo e continua explicando o termo anterior.
  31. 31. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 31 Na frase II, se o termo está intercalado, então pode ser separado por duplo travessão, dupla vírgula, parênteses. Na frase III, como o segmento é explicativo, sua retirada mantém a sequência lógica e a coerência do texto. Para entender isso, basta retirar o termo e ler novamente. Por isso, todas as frases estão corretas. Gabarito: E Questão 50: TRT 20ªR 2002 Analista A mortalidade infantil caiu 38%: de 48 por mil nascimentos para 29,6. O emprego dos dois pontos assinala (A) uma restrição à afirmação do período anterior. (B) a ligação entre palavras que formam uma cadeia na frase. (C) a inclusão de um segmento explicativo. (D) a citação literal do que consta no relatório do IBGE. (E) a brusca interrupção da seqüência de idéias. Comentário: Como visto no aposto explicativo, os dois-pontos assinalam um segmento explicativo. Gabarito: C Questão 51: TRT 24ªR 2006 Técnico Fragmento do texto: As maravilhas da geologia, fauna e flora do Brasil Central reunidas em três ecossistemas únicos no mundo – Pantanal, Cerrado e Floresta Amazônica −, poderiam ser uma abundante fonte de receitas turísticas. Mas não são, e os Estados da região agradecem. – Pantanal, Cerrado e Floresta Amazônica – Os travessões isolam, considerando-se o contexto, (A) ressalva à afirmativa anterior. (B) reprodução de opinião pessoal. (C) enumeração explicativa. (D) repetição desnecessária. (E) citação conclusiva do parágrafo. Comentário: O travessão separa a inserção explicativa, que neste caso também é enumerativa. Sintaticamente falando, há um aposto enumerativo, mas esta enumeração também explica o dado anterior. Gabarito: C Questão 52: TRT 3ªR 2009 Analista Fragmento do texto: A consciência de pertencer a determinada comunidade camponesa, ou família tradicional e poderosa, ou confraria, ou cidade, ficou esmagada pelo conceito de cidadania que homogeneíza todos os indivíduos. Novos recortes surgiram – partido político, condição econômica, seita religiosa etc. – mas tão maleáveis e mutáveis que não substituíram todas as funções sociais e psicológicas do velho sentimento grupal. − partido político, condição econômica, seita religiosa etc. −
  32. 32. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 32 O segmento isolado pelos travessões denota, no texto, (A) ressalva importante, de sentido explicativo, ao desenvolvimento anterior. (B) transcrição exata de informações obtidas em outros autores. (C) redundância intencional, para valorizar a descaracterização grupal. (D) enumeração esclarecedora de uma expressão anterior. (E) realce de uma ideia central, com a pausa maior inserida no contexto. Comentário: O aposto explicativo pode ser separado por travessões, vírgulas e parênteses. Neste caso, ele possui mais de um núcleo, assim pode ser considerado também um aposto enumerativo, que tem a função de explicar (esclarecer) termo anterior (“recortes”). Por isso, a alternativa (D) é a correta. A alternativa (A) está errada porque “ressalva” significa contraste, oposição. A alternativa (B) está errada, pois não há transcrição exata de informações. A alternativa (C) está errada, pois não há redundância (repetição viciosa de ideias). A alternativa (E) está errada, porque não há intenção de realçar, mas de explicar. Gabarito: D Questão 53: TRT 20ªR 2002 Analista A frase corretamente pontuada é: (A) A expressão justiça do trabalho – apareceu, pela primeira vez em lei na Constituição de 1934 com a finalidade, de dirimir questões entre empregadores e empregados regidas pela legislação social dispositivo que se manteve na Constituição de 1937. (B) A expressão justiça do trabalho apareceu pela primeira vez em lei na "Constituição de 1934" com a finalidade de dirimir, questões entre empregadores e empregados regidas pela legislação social dispositivo, que se manteve na "Constituição de 1937". (C) A expressão – justiça do trabalho – apareceu pela primeira vez em lei na Constituição de 1934, com a finalidade de "dirimir questões entre empregadores e empregados regidas pela legislação social", dispositivo que se manteve na Constituição de 1937. (D) A expressão "justiça do trabalho", apareceu pela primeira vez em lei na Constituição de 1934 com a finalidade – de dirimir questões, entre empregadores e empregados regidas pela legislação social, dispositivo que se manteve na Constituição de 1937. (E) A expressão justiça do trabalho apareceu pela primeira vez em lei – na Constituição de 1934 – com a finalidade de dirimir questões entre empregadores e empregados regidas, pela legislação social, dispositivo que se manteve na Constituição, de 1937. Comentário: Ao comentarmos a alternativa correta, automaticamente se eliminam as outras. A expressão – justiça do trabalho – apareceu pela primeira vez em lei na Constituição de 1934, com a finalidade de "dirimir questões entre
  33. 33. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 33 empregadores e empregados regidas pela legislação social", dispositivo que se manteve na Constituição de 1937. O termo “justiça do trabalho” é um aposto explicativo, por isso está separado por duplo travessão, mas também poderia vir separada por dupla vírgula ou por parênteses. A vírgula que inicia a expressão “com a finalidade” não é obrigatória porque este adjunto adverbial de finalidade vem posposto à estrutura principal, mas seu uso denota clareza. A vírgula que separa “dispositivo” marca que esta palavra é um aposto explicativo que vem seguido de uma oração subordinada adjetiva restritiva “que se manteve...”, por isso esta oração não possui vírgula. Assim, esta é a alternativa correta. Para se eliminar qualquer dúvida, vamos verificar onde poderia haver mais vírgula: A expressão “pela primeira vez” poderia ser separada por vírgula, por ser um adjunto adverbial de tempo de pequena extensão, portanto vírgulas facultativas. As expressões “na Constituição de 1934” e “na Constituição de 1937” também poderiam ficar separadas por dupla vírgula por serem adjuntos adverbiais de lugar. Mas o autor as entendeu como de pequena extensão e optou pela clareza evitando muitas vírgulas. Note, então, que os erros nas alternativas A, B, D e E ocorreram por separarem núcleos de adjuntos adnominais, sujeito, verbo e complemento, etc. Gabarito: C Questão 54: ANS 2007 Técnico Fragmento do texto: Darwin propôs sua teoria da evolução para dar conta do que percebeu ser, ao longo de observações cuidadosamente catalogadas em viagens pelo globo, a característica fundamental da vida: sua capacidade de se adaptar a ambientes diversos. Sua idéia de que as espécies variam no tempo devido a pequenas mudanças que são transmitidas de geração em geração permanece essencialmente intacta. A seleção natural, como já diz o nome, seleciona, dentre as várias mudanças, as que beneficiam a espécie. Com isso, os benefícios são passados aos poucos para novas gerações, até que façam parte de toda a população. ... a característica fundamental da vida: sua capacidade de se adaptar a ambientes diversos. Os dois-pontos têm a função de introduzir, no contexto, (A) repetição enfática do mesmo sentido. (B) transcrição exata de um conceito científico. (C) comentário à parte, de outro interlocutor. (D) especificação enumerativa de dados. (E) segmento explicativo da afirmativa anterior. Comentário: Naturalmente, você percebeu que a expressão “sua capacidade de se adaptar a ambientes diversos” é o aposto explicativo da expressão “característica fundamental da vida”. Assim, a alternativa correta é a (E). Gabarito: E Questão 55: BB 2006 Escriturário Fragmento do texto: É evidente que havia também os otimistas − aqueles que encontraram motivo para esperança na Sociedade das Nações, no
  34. 34. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 34 abrandamento das tensões internacionais e na melhoria das condições econômicas em meados da década de 1920. Considerada a frase acima, é correto afirmar que o travessão introduz frase explicativa de termo da oração anterior. Comentário: Sintaticamente, o pronome “aqueles” é o aposto explicativo do termo “os otimistas”. Por isso, a afirmativa está correta. Esse pronome tem toda uma oração que o restringe (“que encontraram motivo para esperança na Sociedade das Nações, no abrandamento das tensões internacionais e na melhoria das condições econômicas em meados da década de 1920”). É importante ressaltar que o aposto explicativo normalmente pode ser separado por travessão, vírgula, parênteses e até dois-pontos. Como esse aposto e sua oração restritiva encontra-se no final do período, admitem-se todos esses sinais de pontuação. Gabarito: C Questão 56: Prefeitura São Paulo 2007 Técnico Fragmento do texto: O outro projeto utiliza, por exemplo, gemas (pequenos pedaços do broto) das belas bromélias nativas da região e as reproduzem em laboratório, em milhares de mudas idênticas, sem destruição da planta original ou retirada de exemplares da floresta. (pequenos pedaços do broto) A expressão colocada entre os parênteses, considerando-se o contexto, (A) acrescenta uma informação diversa do que foi dito antes. (B) repete uma informação que não tem maior importância. (C) explica o sentido da palavra que está colocada antes dela. (D) insiste na repetição de uma mesma afirmativa. (E) aponta para o sentido exclamativo da expressão. Comentário: O termo entre parênteses é o aposto explicativo. Naturalmente serve para explicar a palavra “gemas”. Gabarito: C Questão 57: Polícia Civil – MA 2006 - Agente de Polícia Fragmento do texto: Os livros são objetos frágeis. Suscetíveis a diversas ameaças naturais – traças, inundações, incêndios -, têm de enfrentar ainda as mais destrutivas paixões humanas: o fanatismo religioso e a censura ideológica. O ensaísta venezuelano Fernando Báez traça um assustador painel histórico da eliminação de bibliotecas. São documentados cinco milênios do que ele chama de “memoricídio”. Nunca houve uma época histórica sem alguma forma de perseguição aos livros (e, por extensão, a seus autores). Mais perturbador é constatar que não são só os brutos e ignorantes que acendem as fogueiras. O típico destruidor de livros, pelo contrário, é um erudito que conhece em profundidade determinada tradição religiosa ou ideológica – e que por isso mesmo deseja banir qualquer dissidência. Até mesmo Platão teria destruído, segundo testemunhos, a obra de filósofos rivais. Especialista na conservação de bibliotecas, Sáez é consultor da Unesco e sua obra é um exaustivo inventário da destruição cultural. O trajeto histórico do livro começa no que hoje é o Iraque. Foi naquela região que apareceram as
  35. 35. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 35 primeiras evidências da escrita, em tabletas de argila produzidas pelos sumérios, há cerca de 5 000 anos. Sítios arqueológicos da época já revelaram tabletas destruídas e queimadas, como resultado de ações de guerra. Também foi destruída a mais célebre biblioteca da Antigüidade na cidade egípcia de Alexandria que, fundada no século III a.C., tinha provavelmente o maior acervo de livros do mundo antigo. A causa de seu desaparecimento é matéria de controvérsia entre historiadores. – traças, inundações, incêndios – A função atribuída ao segmento acima pelos travessões que o isolam é o mesmo que se observa no emprego (A) dos dois pontos para introduzir o fanatismo religioso e a censura ideológica, no 1º parágrafo. (B) dos parênteses que isolam a frase (e, por extensão, a seus autores), no 1º parágrafo. (C) das vírgulas que separam o segmento fundada no século III a.C, no 2º parágrafo. (D) do travessão que separa o segmento e que por isso mesmo deseja banir qualquer dissidência, no 1º parágrafo. (E) das aspas que assinalam a palavra “memoricídio”, no 1º parágrafo. Comentário: A expressão “traças, inundações, incêndios” é um aposto enumerativo, o qual serve para explicar a expressão anterior: “diversas ameaças naturais”. O mesmo ocorre na alternativa (A), com a expressão “o fanatismo religioso e a censura ideológica”, que explica a expressão anterior “as mais destrutivas paixões humanas”. Assim, o mesmo valor explicativo e enumerativo utilizado pelos travessões também foi utilizado pelo sinal de dois- pontos. Na alternativa (B), a expressão entre parênteses é uma consideração do autor. Ela não explica nem enumera o elemento anterior. Na alternativa (C), as vírgulas que separam a oração “fundada no século III a.C” têm valor apenas explicativo, mas não há enumeração. Na alternativa (D), o travessão inicia uma consideração do autor de valor explicativo, mas não há uma enumeração. Na alternativa (E), a palavra “memoricídio” encontra-se entre aspas para chamar a atenção do leitor a respeito de um neologismo (uma palavra inventada pelo autor). Gabarito: A Questão 58: BB 2011 Escriturário Fragmento do texto: Embora não queira apresentar receitas prontas, o Relatório de 2010 traça caminhos possíveis. Entre eles, o reconhecimento da ação pública na regulação da economia para proteger grupos mais vulneráveis. Outro aspecto ressaltado é a necessidade de considerar pobreza, crescimento e desigualdade como temas interligados. "Crescimento rápido não deve ser o único objetivo político, porque ignora a distribuição do rendimento e negligencia a sustentabilidade do crescimento", informa o texto. O trecho colocado entre aspas, no final do parágrafo, indica que se trata de (A) comentário pessoal do autor do texto sobre dados do Relatório.
  36. 36. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 36 (B) insistência na correção dos dados apresentados pelo Relatório. (C) repetição desnecessária de informação já citada no texto. (D) transcrição exata do que consta no texto do Relatório de 2010. (E) resumo do assunto principal constante do Relatório de 2010. Comentário: O trecho colocado entre aspas segue a estrutura do discurso direto. Esse trecho é o recorte do que está escrito no relatório, e a expressão “informa o texto” é antecipada de vírgula por representar uma suposta voz do narrador. Assim, a alternativa correta é a (D). Gabarito: D Questão 59: BB 2011 Escriturário Fragmento do texto: Poucas pessoas classificariam o bico do tucano como uma "monstruosidade". Mas foi assim que Buffon, um famoso naturalista francês, o descreveu no século XVIII. Até hoje, o tamanho "monstruoso" do bico do tucano – o maior entre as aves, proporcionalmente ao corpo − é algo que clama por explicação. – o maior entre as aves, proporcionalmente ao corpo − A frase isolada pelos travessões constitui, no texto, (A) contestação do que foi afirmado anteriormente. (B) descrição exata da ave pelo naturalista francês. (C) justificativa para o tamanho do bico do tucano. (D) restrição feita à classificação usual do bico do tucano. (E) observação feita pelo autor, de sentido explicativo. Comentário: Há um equívoco conceitual no pedido da questão. A banca chamou de frase a expressão “o maior entre as aves, proporcionalmente ao corpo”. Na realidade não é frase, é apenas um enunciado incompleto. Mas isso não prejudica o entendimento da questão pelo candidato. Esse enunciado apenas insere um comentário do autor, que mostra uma explicação. Perceba que não houve contestação (alternativa A), nem descrição exata (alternativa B), tampouco restrição (alternativa D). Além disso, não houve justificativa para o tamanho do bico do tucano (alternativa C). Gabarito: E Questão 60: BB 2010 Escriturário Fragmento do texto: Em 1979 ele publicou O Princípio Responsabilidade. A obra mostra que as éticas tradicionais – antropocêntricas e baseadas numa concepção instrumental da tecnologia – não estavam à altura das consequências danosas do progresso tecnológico sobre as condições de vida humana na Terra e o futuro das novas gerações. Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) Os travessões isolam um comentário explicativo da expressão imediatamente anterior a esse segmento. Comentário: Perceba que o trecho entre travessões é uma inserção do autor para explicar “éticas tradicionais”. Naturalmente, você pode ter se perguntado se este trecho entre travessões também não pode ser um aposto explicativo. Pode, sim! Para a banca não importa o nome, mas a natureza explicativa. Gabarito: C
  37. 37. PORTUGUÊS P/ INSS (QUESTÕES COMENTADAS) PROFESSOR TERROR Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 37 Questão 61: BB 2010 Escriturário Fragmento do texto: O paradoxo consiste em que o progresso converte o sonho de felicidade em pesadelo apocalíptico – profecia macabra que tem hoje a figura da catástrofe ecológica. [...] Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E) O travessão único, no final do fragmento, pode ser corretamente substituído por uma vírgula, sem alteração do sentido original. Comentário: Esse termo antecedido do travessão pode ser interpretado tanto como aposto explicativo quanto comentário do autor; por isso, ao final do período, ele pode ser iniciado por travessão, vírgula ou dois-pontos. Gabarito: C Questão 62: TRF 5ªR 2003 Analista Está inteiramente correta a pontuação do seguinte período: (A) De acordo com Marilena Chauí – a autora do texto –, é preciso desconfiar das afirmações que, aparentemente óbvias, não resistem a uma análise mais concreta e mais rigorosa. (B) De acordo com Marilena Chauí, a autora do texto: é preciso desconfiar das afirmações que aparentemente óbvias, não resistem a uma análise, mais concreta e mais rigorosa. (C) De acordo com Marilena Chauí, a autora do texto; é preciso: desconfiar das afirmações que, aparentemente óbvias não resistem, a uma análise mais concreta, e mais rigorosa. (D) De acordo com Marilena Chauí, a autora do texto, é preciso desconfiar, das afirmações, que aparentemente óbvias não resistem a uma análise, mais concreta e mais rigorosa. (E) De acordo com Marilena Chauí, – a autora do texto – é preciso desconfiar das afirmações, que, aparentemente óbvias não resistem a uma análise mais concreta e, mais rigorosa. Comentário:Comentando-se a alternativa correta, as outras também serão entendidas. Veja: (A) De acordo com Marilena Chauí – a autora do texto –, é preciso desconfiar das afirmações que, aparentemente óbvias, não resistem a uma análise mais concreta e mais rigorosa. Toda a estrutura interna à chave (números 1 e 2) compõe o adjunto adverbial de conformidade. Se este adjunto adverbial de grande extensão está antecipado, naturalmente a vírgula antes de “é preciso” é obrigatória. Dentro do adjunto adverbial, notamos um termo que explica quem é “Marilena Chauí”, este termo é o aposto explicativo (nº 2). Sabemos que o aposto explicativo, quando intercalado, pode ficar entre vírgulas, travessões ou parênteses. Neste caso, o autor optou por inserir travessões porque já há vírgula separando o adjunto adverbial (1+2) da estrutura básica da oração “é 1 2 3

×