PLANO DE GESTÃO - RONEI PRESIDENTE (92)

422 visualizações

Publicada em

PLANO DE GESTÃO - RONEI PRESIDENTE (92)

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
422
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PLANO DE GESTÃO - RONEI PRESIDENTE (92)

  1. 1. Metodologia de Trabalho e Plano de Gestão A voz e a vez da arquibancada no Esporte Clube Bahia Somos um grupo de torcedores, que ama o Esporte Clube Bahia. Torcedores que vêm da arquibancada. Torcedores que estiveram com o Bahia em seus momentos gloriosos e em seus momentos de queda. Abaixo segue nossa proposta de modelo de gestão para o Esporte Clube Bahia. 1-) SOBRE AS PESSOAS QUE TRABALHAM NO ESQUADRÃO (RH): Nossa primeira proposta a frente do Esquadrão, como torcedores e dirigentes, será a de colocar ¨ordem na casa¨. Para definirmos os rumos do esquadrão, no primeiro momento, em toda a sua parte executiva, iremos procurar saber ¨quem¨ faz ¨oque¨, ¨quanto¨ tempo leva para fazer, e ¨quanto¨ ($) custa ao clube para fazer o que faz. Alocaremos as pessoas nos cargos por produtividade e por capacidade. 2-) SOBRE O FINANCEIRO DO CLUBE: Adequação financeira do clube ao seu real ganho financeiro. A análise é muito simples: Se o Bahia ganha X, ele tem de se adequar a esta realidade. Em nosso primeiro ano a frente do clube, buscaremos esta adequação. Adequar a realidade financeira do esquadrão ao seu cotidiano. A partir do item de número 1, vamos analisar qualitativamente os departamentos do tricolor, minimizando impacto na folha. Além disso vamos sentar e rediscutir o contrato de jogadores que não renderam no Esporte Clube Bahia, para que possamos equacionar as possibilidades de saídas, buscando uma readequação salarial.
  2. 2. Vamos também buscar melhoria nas fontes de receita e rediscutir contratos de transmissão de jogos, tanto em canais fechados, quanto nos canais abertos. 3) SOBRE O FUTEBOL DO CLUBE: Formaremos um departamento de futebol com pessoas que entendam de futebol. Entender de futebol é viver o futebol. Viver do futebol. Entendemos que os clubes profissionais estão passando por crise econômica, e a grande saída para estas situações encontra-se na criatividade dos modelos de gestão, ancoradas em análise específica do conceito futebol. Formaremos uma equipe de gerenciamento de futebol que vá à rua. Que corra os campos de várzea dos interiores, reforçando assim nossa categoria de base. Queremos FORMAR nossa base. A base do Esporte Clube Bahia, e não uma base subalterna aos desejos ou aos anseios de grupos econômicos ou de empresários A, B ou C. É imprescindível que o clube forme suas categorias de base a partir da mais tenra idade. Queremos e propomos buscar desenvolver o nosso jogador aqui, com o Esporte Clube Bahia, e deixarmos um legado para as gerações de torcedores no futuro: Um time que jogue com amor pela camisa, que tenha afinidade com nossas cores. Aliado a isso, buscaremos a experiência de jogadores rodados. Não jogadores decadentes ou em fase final de carreira! Mas sim jogadores com bagagem! Queremos gestor de futebol que seja ex-jogador de futebol. Com perfil respeitado. E daremos apoio às suas decisões, sempre ancorados nas análises dos nossos sócios, como veremos adiante. 4) PATROCÍNIO X DÍVIDAS: Propomos escalonar as dívidas que o Esporte Clube Bahia possui, para a retirada das certidões negativas,
  3. 3. com o objetivo de buscarmos o patrocínio da Caixa. Ainda assim, independente do patrocínio da caixa, a diretoria do Esquadrão preparará projetos específicos de busca por patrocínio, demonstrando às empresas os ganhos que a união com a marca do Bahia pode trazer em termos de expectativas de exposição de marca e posicionamento na mente de seus clientes. Objetivaremos assim a busca pelo saneamento de nossas contas, com o intuito de podermos investir todo o ganho advindo em patrocínio no departamento de futebol. 5) DESENVOLVIMENTO DO ¨SENSO DE TORCEDOR¨: Vamos buscar trazer para o clube a tão buscada profissionalização. Buscaremos trazer profissionais qualificados para gerir o modelo. Porém, acima do executivo ouviremos o nosso torcedor! Propomos ouvir o nosso torcedor, o nosso sócio, principalmente nas contratações! E o faremos através do sistema interno de gestão. Através de perguntas diretas. Apresentaremos o perfil do atleta, para apreciação do torcedor. A última palavra e decisão caberá ao executivo do Esquadrão, mas propomos a criação de maneiras de estar próximos ao torcedor, ouvindo seus anseios. 6) METAS E MÉTODOS PARA OS DEPARTAMENTOS: Com base nestes pressupostos acima, cada área do esquadrão (cada departamento) será gerido por gestores contratados enquanto análise técnica e capacidade profissional. Entendemos que o Esporte Clube Bahia precisa de gestores com conhecimento. E já dissemos isto. No entanto, vamos, em um primeiro momento buscar estes gestores técnicos em nossa própria nação!
  4. 4. Nosso apoio técnico deverá vir da arquibancada. Nossa análise é simples: Não é possível que não exista gente que ame o nosso tricolor, como nós amamos, e não esteja apto a assumir papel e atividade dentro do clube. Estes gestores deverão desenvolver, e colocar para apreciação, planos táticos para seus departamentos, com metas e métodos para atingir as metas definidas e programadas, bem como deverão apresentar planos contingenciais às situações possíveis de ocorrerem e que sejam negativas ao proposto em um primeiro momento. Estes planos serão avaliados trimestralmente, e corrigido em função das contingências. Em não sendo atingidas as metas de forma consecutiva, o Esporte Clube Bahia não será negligenciado em função de incapacidade ou incompetência. Não haverá apadrinhamentos políticos. Sem competência, não fica. 7) GESTÃO DO DIA A DIA: Taticamente, o que propomos é o modelo de reuniões de corpo tático e gerencial semanalmente, onde todas as áreas exporão erros e acertos, para que juntos possamos discutir com o corpo diretivo e tático possibilidades de melhoria. O modelo deverá ser o participativo de gestão, onde os projetos deverão ser apresentados e apreciados por diretoria e gerentes. 8) POSICIONAMENTO COM OS PARCEIROS E TORCEDORES: Precisamos estabelecer uma relação com nossos parceiros e torcedores. É necessário que tenhamos e busquemos apoio da imprensa e de possíveis parceiros. Isso através da ética, que permeará as nossas relações. Iremos e estaremos sempre a postos para ouvir a crítica do nosso parceiro torcedor nas rádios ou nos estádios. Vale lembrar: Nossa voz é a da arquibancada! Queremos o torcedor próximo ao corpo diretivo do esquadrão. Queremos que o nosso Bahia esteja presente nas rádios e nas televisões, onde buscaremos de forma transparente apresentar as situações que estejam ocorrendo dentro do clube. Abertura.
  5. 5. 9) PREÇO DOS INGRESSOS: O Esquadrão não tem estádio próprio. Não temos estádio e jogamos com contrato pela Arena Fonte Nova. Iremos rever este contrato. Queremos discutir com a Arena planos conjuntos em que o sócio seja beneficiado com descontos em TODOS OS JOGOS DO BAHIA. E com valores menores para jogos do Campeonato Baiano, contra times com menor expressão que o nosso amado esquadrão (no caso, todos). Ou seja: Os valores dos ingressos precisam baixar. 10) METAS E MÉTODOS PARA DESENVOLVIMENTO DOS SÓCIOS: Temos uma meta de atingir 80 mil sócios ativos ao final dos 3 anos. É um objetivo factível em função do tamanho da nação tricolor. Buscaremos o desenvolvimento de uma campanha de relacionamento com empresas na Bahia, em um primeiro momento, e possivelmente no resto do país, através da busca de descontos para os sócios, junto às empresas parceiras. Além disso, e de forma REALMENTE FUNCIONAL, iremos discutir com a Arena Fonte Nova percentuais de desconto nos setores da arena para os sócios em dia. Não queremos ¨esmola¨. Queremos o nosso torcedor conosco. Para tanto, é necessário que exista a contra partida para o torcedor ser sócio, que não apenas a velha frase ¨ame o Bahia, seja sócio¨. Sabemos que o nosso sócio ama o Bahia. Se não, não seria sócio. O que queremos é que este amor seja também recíproco! O Bahia precisa amar seu torcedor! E para tanto, precisa dar a resposta a ele: Títulos em campo, honestidade na gestão e retorno de investimento mensal! É o que propomos e é o que faremos!
  6. 6. 11) O MARKETING DO CLUBE x METODOLOGIA DE TRABALHO: Além de ter a função de criar e desenvolver as campanhas do esquadrão, será responsabilidade do departamento o desenvolvimento conjunto com a presidência e demais setores, projetos de captação de recursos financeiros para o esquadrão! Além disso, deverá desenvolver modelos estruturais de reforço da marca Bahia na mente de seu torcedor, além de fazer parte dos processos de desenvolvimento de parcerias com a Arena Fonte Nova para minimização dos valores dos ingressos, conforme dito anteriormente. Deverá desenvolver ainda uma cultura de marketing dentro do clube, evidenciando a necessidade de que todos os departamentos entendam que: A marca Bahia merece respeito! E o marketing será mais que um departamento de publicidade ou de desenvolvimento de campanhas de mídia! Será um departamento atuante na captação de recursos, conforme dito anteriormente. Como? OUVINDO SEU TORCEDOR! Ouvir o sócio, ouvir o torcedor e se adaptar, na media do possível, e sem ferir aos princípios da honestidade da gestão, aos anseios do mercado, do seu sócio e das organizações que podem se tornar parceiras do nosso Bahia! 12) SOBRE AS EMBAIXADAS: As embaixadas devem ser livres! Devem ser livres para desenvolver suas atividades em prol do clube! E como sócios, participarão ativamente das decisões do clube, como todos os outros! Propomos que as embaixadas tenham lugar cativo nas conversas com o departamento de marketing, sendo parceiras do clube em seu desenvolvimento, participando conjuntamente com as ações do esquadrão!
  7. 7. Mas repetimos: LIVRES! LIVRES E COM ARBÍTRIO PARA SE COLOCAR PERANTE A DIRETORIA DO NOSSO AMADO ESQUADRÃO! A proposta é de parceria. Parceria e liberdade! 13) Reforço da ouvidoria do torcedor! Teremos diretoria atuante, qualificada! No entanto, propomos ainda o desenvolvimento de uma ouvidoria para recebermos as propostas dos torcedores! Torcedor do Bahia, conosco, deve ter o direito a participar ativamente da gestão e construção do clube! 14) O Esporte Clube Bahia vai buscar a internacionalização de sua marca, através da busca pelo desenvolvimento de parcerias com clubes internacionais. Isso em todos os campos. Futebol e Gestão de Clube! Estas são as nossas propostas! Este é o nosso plano de trabalho!

×