O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Disciplina_Análise de Projeto de Sistema I - Metodologia Cascata e Processos Unificados

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Analise sistemas 05
Analise sistemas 05
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 4 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (19)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Disciplina_Análise de Projeto de Sistema I - Metodologia Cascata e Processos Unificados (20)

Disciplina_Análise de Projeto de Sistema I - Metodologia Cascata e Processos Unificados

  1. 1. Associação Internacional de Educação Continuada AIEC Curso: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Aluno: Rogério Almeida e Silva Disciplina: Análise de Projeto de Sistema I Unidade: I Atividade: Elaboração de Texto Técnico Professor: Willy Fernandes Reis Objetivo da Atividade: Compreender e caracterizar as metodologias de desenvolvimento de sistemas baseadas em processos/modelos Cascatas e Unificados.
  2. 2. Metodologia Cascata e Processos Unificados. No decorrer do texto abaixo faremos uma breve descrição dos principais metodologias de desenvolvimento de sistemas. Abordaremos as principais características do modelo de processo em Cascata e o modelo de processo Unificado, fazendo comparações com os dois modelos, suas vantagens e desvantagens. O Modelo de processo em Cascata, também conhecido por Modelo Estruturado, inicialmente tinha como objetivo formalizar o processo de identificação de requisitos para evitar interpretações erradas e induzir técnicas de melhores práticas. Tem como principais vantagens sugerir uma abordagem sequencial, em fases de desenvolvimento, onde só se avança para a próxima fase, só depois que a anterior for finalizada, aceita e validada em seus requisitos pelo cliente. Em um cenário ideal, pressupõe-se que o cliente participa ativamente de todo o processo de desenvolvimento. Segue abaixo as fases do Modelo Cascata, segundo Pressman: Comunicação: Início do projeto; levantamento de necessidades. Planejamento: Estimativa; cronogramas; acompanhamentos. Modelagem: Codificação; testes. Entrega: Entrega; suporte; feedback. Foram observados alguns problemas nesta metodologia gerando desvantagens em sua utilização, por ser um processo sequencial. Quando identificado algum erro na elaboração ou necessidade de novos requisitos, era gerado todo um retrabalho para refazer fases já cumpridas, tornando assim inviável a reutilização de módulos, grande necessidade de manutenção no software gerando
  3. 3. retrabalho nos processos, ocorrendo em atrasos na entrega. Apesar dessas desvantagens, a metodologia ainda e utilizada em algumas entidades em softwares com mais e 30 anos. Falaremos agora de outra metodologia, o Modelo Unificado. O Modelo Unificado, conhecido também por RUP (Processo Unificado Rational), tem como objetivo, atender as necessidades dos usuários garantindo uma produção de sistemas de alta qualidade, cumprindo cronograma e orçamentos previsíveis. Suas vantagens em relação ao Modelo Cascata: - Possui um desenvolvimento iterativo e incremental; - Define papéis, pessoas responsável, descrevendo as metas e como os objetivos devem ser alcançados, esses papéis: gerente de projetos, analista de requisitos, analista de testes, arquiteto e outros. O RUP pode funcionar como uma biblioteca de elementos: tarefas, artefatos e funções. O RUP, tem o desenvolvimento de software, organizado em 4 fases: - Iniciação; - Elaboração; - Construção e - Transição. Suas desvantagens, uma pessoa pode assumir vários papéis, o que pode atrasar o projeto, caso a pessoas sofra algum imprevisto, como o excesso de atividades, podendo gerar um acréscimo considerável na burocracia pela grande quantidade de documentos. Para finalizar, o modelo de processo em Cascata, é o mais antigo, por isso também chamado de Clássico, foca a definição de
  4. 4. requisitos e blocos de processos. Os modelos Unificados, hoje são a maioria no desenvolvimento de sistemas e focam processos iterativos e incrementais, percorrem um loop de processos até o sistema ficar pronto. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: AIEC. Unidade I, Disponível em: <Área do Aluno AIEC>. Acesso: 12,14 e 15 de março de 2015.

×