SlideShare uma empresa Scribd logo

Rio são francisco

O documento resume as principais características do Rio São Francisco, o maior rio inteiramente brasileiro. Em 3 frases: O Rio São Francisco nasce em Minas Gerais, atravessa regiões do Nordeste e deságua no Oceano Atlântico, tendo uma extensão total de 2.800 km. Ele é responsável pela prosperidade econômica de cidades em seu vale, especialmente na agricultura irrigada. Apesar de atravessar regiões áridas, o rio permanece perene graças a seu alto curso e afluentes,

1 de 7
Baixar para ler offline
R I O S Ã O F R A N C I S C O
Foz do rio São Francisco
Introdução:
O Rio São Francisco, também chamado de Opará, como era conhecido pelos indígenas antes
da colonização, ou popularmente de Velho Chico, é um rio brasileiro com 2.800 km de extensão, e
drenando uma área de aproximadamente 641.000 km2
, o rio São Francisco nasce no estado de Minas
Gerais, na Serra da Canastra, desemboca no
Oceano Atlântico, entre Sergipe e Alagoas.
Apresenta dois estirões navegáveis: o
médio, com cerca de 1.371 km de extensão,
entre Pirapora(MG) e Juazeiro(BA /
Petrolina(PE) e o baixo, com 208 km, entre
Piranhas(AL) e a foz, no Oceano Atlântico.
O rio São Francisco atravessa
regiões com condições naturais das mais
diversas. As partes extremas superior e
inferior da bacia apresentam bons índices
pluviométricos, enquanto os seus cursos
médio e sub-médio atravessam áreas de
clima bastante seco. Assim, cerca de 75%
do deflúvio do São Francisco é gerado em
Minas Gerais, cuja área da bacia ali inserida é de apenas 37% da área total.
A área compreendida entre a fronteira Minas-Bahia e a cidade de Juazeiro(BA), representa 45%
do vale e contribui com apenas 20% do deflúvio anual.
Os aluviões recentes, os arenitos e calcários, que dominam boa parte da bacia de drenagem,
funcionam como verdadeiras esponjas para reterem e liberarem as águas nos meses de estiagem, a tal
ponto que, em Pirapora(MG), Januária(MG) e até mesmo em Carinhanha(BA), o mínimo se dá em
setembro, dois meses após o mínimo pluvial de julho.
À medida em que o São Francisco penetra na zona sertaneja semi-árida, apesar da intensa
evaporação, da baixa pluviosidade e dos afluentes temporários da margem direita, tem seu volume
d'água diminuído, mas mantém-se perene, graças ao mecanismo de retroalimentação proveniente do
seu alto curso e dos afluentes no centro de Minas Gerais e oeste da Bahia. Nesse trecho o período das
cheias ocorre de outubro a abril, com altura máxima em março, no fim da estação chuvosa. As
vazantes são observadas de maio a setembro, condicionadas à estação seca. As principais mercadorias
1
transportadas são cimento, sal, açúcar, arroz, soja, manufaturas, madeira e principalmente gipsita. No
baixo e médio São Francisco, promove-se o transporte de turistas em embarcações equipadas com
caldeiras a lenha. Atualmente o rio São Francisco está sendo transposto. O que está dividindo opiniões
entre brasileiros que vivem nos estados banhados.
Desenvolvimento:
Economia
O Rio São Francisco é também o maior responsável pela prosperidade de suas áreas ribeirinhas
compreendidas pela dominação de Vale do São Franscisco, onde cidades experimentaram maior
crescimento e progresso como Petrolina em Pernambuco e Juazeiro (Bahia) devido a agricultura
irrigada. Essa região apresenta-se atualmente como a maior produtora de frutas tropicais do país,
recebendo atenção especial, também, a produção de vinho, em uma das poucas regiões do mundo que
obtêm duas safras anuais de uvas.
Condições Pluviométricas
As condições pluviométricas, no baixo curso do São Francisco, diferem das constatadas no
médio e alto cursos. No baixo vale os meses mais chuvosos são, geralmente, os de maio, junho e julho.
O período de estiagem perdura de setembro a fevereiro, sendo outubro o mês menos chuvoso.
No médio e alto vales as maiores precipitações vão de novembro a março. O período menos chuvoso
inicia-se em abril, estendendo-se até outubro, sendo junho, julho e agosto os meses de menores
precipitações.
Condições de Navegabilidade
O Rio São Francisco oferece condições naturais de navegação entre Pirapora-MG e
PetrolinaPE/Juazeiro-BA, durante todo o ano, com variação de calado segundo o regime de chuvas.
É navegável em seus trechos Médio e Baixo, sendo o Médio São Francisco compreendido entre
Pirapora-MG e Petrolina-PE / Juazeiro-BA e o Baixo entre Piranhas-AL e a Foz.
Devido as diferentes características físicas existentes ao longo da via navegável, subdivide-se o trecho
Pirapora-MG à Petrolina-PE/Juazeiro-BA em 03(três) subtrechos, a saber:
1º) Pirapora-MG à Pilão Arcado Velho-BA
Este trecho com 1.015km de extensão apresenta condições bastante distintas entre o período de
estiagem e o de cheia, ocorrendo variações de níveis de até 6,00m.
Na cheia o leito do Rio é largo e regular, com estirões naturalmente navegáveis. No período de
estiagem, a área molhada é menor, o talvegue se desenvolve entre ilhas e bancos de areia móveis ao
longo do canal, que é desobstruído à medida que se torna necessário para manter a segurança da
hidrovia.
Há também, a existência de travessões rochosos e pedrais em alguns trechos, pedrais junto à
margem e pedras isoladas no leito do rio, que são devidamente sinalizados e balizados, garantindo
navegação segura.
Quanto aos bancos de areia estima-se um volume anual de dragagem na ordem de 150.000m3 à
250.000m3, dependendo das condições do rio. Para todos os pedrais existentes, é feita sinalização com
placas e bóias, e para alguns deles são feitos estudos quanto a possibilidade de derrocamento.
2º) Pilão Arcado Velho-BA à Barragem de Sobradinho-BA
Neste trecho a navegação é feita pelo Lago de Sobradinho ao longo de 314km, caracterizando-
se como navegação lacustre com excelentes profundidades.
2
3º) Sobradinho-BA à Petrolina-PE/Juazeiro-BA
Trecho com 42km de extensão e largura variando de 300 a 800m, garante calado de 2,00m para
uma vazão da Barragem de Sobradinho de 1.500m3 /seg. (A vazão defluente regularizada da U.H. de
Sobradinho é de2.063m3 /seg).
4º) Piranhas-AL à Foz
Com uma extensão de 208km, apresenta navegação turística.
A hidrovia
Equivalente a distância entre Brasília(DF) e Salvador(BA), essa é, sem dúvida, a mais
econômica forma de ligação entre o Centro Sul e o Nordeste.
Com o seu extremo sul localizado na cidade de Pirapora(MG), a hidrovia do São Francisco é
interligada por ferrovias e estradas aos mais importantes centros econômicos do Sudeste, além de fazer
parte do Corredor de Exportação Centro-Leste. Ao norte, nas cidades vizinhas a Juazeiro(BA) e
Petrolina(PE), a hidrovia está ligada às principais capitais do Nordeste, dada a posição geográfica
destas duas cidades.
O Rio São Francisco oferece condições naturais de navegação durante todo o ano, cuja
profundidade varia de acordo com o regime de chuvas (calado). Seu porto mais importante é o de
Pirapora(MG), interligado aos portos fluviais de Petrolina(PE) e Juazeiro(BA) e aos marítimos de
Vitória(ES), Rio de Janeiro(RJ), Santos(SP), Salvador(BA), Recife(PE) e Suape(PE), através de
rodovias e ferrovias.
Em grande parte do vale do São Francisco as áreas mais propícias ao aproveitamento agrícola
situam-se às margens do mesmo. Por esse motivo a maior parcela da população do vale se encontra nas
proximidades do rio.
A hidrovia do São Francisco, através do programa "AVANÇA BRASIL", passa por uma etapa
de grandes intervenções físicas. Aliadas a isso estão as ações de operacionalidade da via.
Todas essas ações permitirão que a hidrovia do São Francisco atenda a crescente demanda de
tráfego, não só na região ribeirinha, mas de todo o país, consolidando-se, assim, como um dos
principais elos entre o Sudeste e o Nordeste.
Características Físicas
Declividade Média: 8,8 cm/km
Média das Vazões na Foz: 2.943 m3/s
Velocidade Média de Corrente: 0,8 m/s (entre Pirapora - MG e Juazeiro - BA).
Principais Afluentes
Rio Paraopeba;
Rio Abaeté;
Rio das Velhas;
Rio Jequitaí;
Rio Paracatu;
Rio Urucuia;
Rio Verde Grande;
Rio Carinhanha;
Rio Corrente;
Rio Grande.
3
RIO SÃO FRANCISCO
IMAGENS DE UM RIO EXTENSAMENTE RICO
4
Conclusão
Conclui-se, portanto, que a existência do Rio São Francisco é primordial para o
desenvolvimento da economia gerada no país. Abrangendo principalmente as regiões mais afetadas
pela seca, como a região nordeste.
É um rio que a mais de quinhentos anos é fonte de vida e riqueza. Enfim, devido a sua
grandiosa extensão, pode-se dizer que ele está no coração do Brasil.
5
Dedicatória
Dedico este trabalho a minha escola que me ajuda tanto em minha formação. O conteúdo deste
é engrandecedor pois conhecemos uma das riqueza de nosso país: O Rio São Francisco.
Um Rio que pela história e marco faz com que demos mais valor ao Meio Ambiente e a
Ecologia.
6

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras  Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras Geisa Andrade
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisRogério Bartilotti
 
Regiao do pantanal_caderno_geoambiental
Regiao do pantanal_caderno_geoambientalRegiao do pantanal_caderno_geoambiental
Regiao do pantanal_caderno_geoambientalWanly Pereira Arantes
 
Apresentacao joao suassuna 02mar2015
Apresentacao joao suassuna 02mar2015Apresentacao joao suassuna 02mar2015
Apresentacao joao suassuna 02mar2015Marcelo Luiz
 
Aspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasilAspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasilPaulo Orlando
 
Geomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do MaranhãoGeomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do MaranhãoPedro Wallace
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Saulo Lucena
 
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁBACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁConceição Fontolan
 
Geografia do Paraná
Geografia do Paraná Geografia do Paraná
Geografia do Paraná aroudus
 
Hidrografia do paraná
Hidrografia do paranáHidrografia do paraná
Hidrografia do paranáAna Carolina
 
Os Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNiaOs Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNiaDaniela F Almenara
 
Apostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaApostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaFabricio Profeta
 

Mais procurados (20)

Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras  Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
 
Regiao do pantanal_caderno_geoambiental
Regiao do pantanal_caderno_geoambientalRegiao do pantanal_caderno_geoambiental
Regiao do pantanal_caderno_geoambiental
 
Apresentacao joao suassuna 02mar2015
Apresentacao joao suassuna 02mar2015Apresentacao joao suassuna 02mar2015
Apresentacao joao suassuna 02mar2015
 
Aspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasilAspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasil
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
 
Geomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do MaranhãoGeomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do Maranhão
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
 
Bacia do Paraná
Bacia do ParanáBacia do Paraná
Bacia do Paraná
 
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁBACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
 
Paraná
ParanáParaná
Paraná
 
Geografia do Paraná
Geografia do Paraná Geografia do Paraná
Geografia do Paraná
 
RIOS VOADORES
RIOS VOADORESRIOS VOADORES
RIOS VOADORES
 
Slide pe
Slide peSlide pe
Slide pe
 
Hidrografia do paraná
Hidrografia do paranáHidrografia do paraná
Hidrografia do paraná
 
Os Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNiaOs Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNia
 
Mato grosso do sul
Mato grosso do sul Mato grosso do sul
Mato grosso do sul
 
Apostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaApostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondonia
 
Geografia do Paraná
Geografia do ParanáGeografia do Paraná
Geografia do Paraná
 

Destaque

Healthy Cooking with Chef Oliver
Healthy Cooking with Chef OliverHealthy Cooking with Chef Oliver
Healthy Cooking with Chef OliverTrecie Jeffcoat
 
Web socket и приложения реального времени
Web socket и приложения реального времениWeb socket и приложения реального времени
Web socket и приложения реального времениOleksandr Voytsekhovskyy
 
Healthy Cooking With Chef Oliver
Healthy Cooking With Chef OliverHealthy Cooking With Chef Oliver
Healthy Cooking With Chef OliverTrecie Jeffcoat
 
Виды медиааналитики и клиентские запросы
Виды медиааналитики и клиентские запросыВиды медиааналитики и клиентские запросы
Виды медиааналитики и клиентские запросыСКАН-ИНТЕРФАКС
 
Мама мыла Раму - между пресс-релизом и новостью
Мама мыла Раму - между пресс-релизом и новостьюМама мыла Раму - между пресс-релизом и новостью
Мама мыла Раму - между пресс-релизом и новостьюСКАН-ИНТЕРФАКС
 
Аналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результата
Аналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результатаАналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результата
Аналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результатаСКАН-ИНТЕРФАКС
 
IAB Europe Mobile Audit Report
IAB Europe Mobile Audit Report IAB Europe Mobile Audit Report
IAB Europe Mobile Audit Report IAB Bulgaria
 
Beginning Microservices with .NET & RabbitMQ
Beginning Microservices with .NET & RabbitMQBeginning Microservices with .NET & RabbitMQ
Beginning Microservices with .NET & RabbitMQPaul Mooney
 
National pop policy.................ppt (2)
National pop policy.................ppt (2)National pop policy.................ppt (2)
National pop policy.................ppt (2)Monika Sharma
 

Destaque (13)

Healthy Cooking with Chef Oliver
Healthy Cooking with Chef OliverHealthy Cooking with Chef Oliver
Healthy Cooking with Chef Oliver
 
Web socket и приложения реального времени
Web socket и приложения реального времениWeb socket и приложения реального времени
Web socket и приложения реального времени
 
Healthy Cooking With Chef Oliver
Healthy Cooking With Chef OliverHealthy Cooking With Chef Oliver
Healthy Cooking With Chef Oliver
 
Revista Digital: Nazareth Hurtado Montero
Revista Digital: Nazareth Hurtado MonteroRevista Digital: Nazareth Hurtado Montero
Revista Digital: Nazareth Hurtado Montero
 
A economia global
A economia globalA economia global
A economia global
 
Виды медиааналитики и клиентские запросы
Виды медиааналитики и клиентские запросыВиды медиааналитики и клиентские запросы
Виды медиааналитики и клиентские запросы
 
Управление репутацией
Управление репутациейУправление репутацией
Управление репутацией
 
Как делать новости
Как делать новостиКак делать новости
Как делать новости
 
Мама мыла Раму - между пресс-релизом и новостью
Мама мыла Раму - между пресс-релизом и новостьюМама мыла Раму - между пресс-релизом и новостью
Мама мыла Раму - между пресс-релизом и новостью
 
Аналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результата
Аналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результатаАналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результата
Аналитика СМИ и соцсетей: от ТЗ до результата
 
IAB Europe Mobile Audit Report
IAB Europe Mobile Audit Report IAB Europe Mobile Audit Report
IAB Europe Mobile Audit Report
 
Beginning Microservices with .NET & RabbitMQ
Beginning Microservices with .NET & RabbitMQBeginning Microservices with .NET & RabbitMQ
Beginning Microservices with .NET & RabbitMQ
 
National pop policy.................ppt (2)
National pop policy.................ppt (2)National pop policy.................ppt (2)
National pop policy.................ppt (2)
 

Semelhante a Rio são francisco

Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoNaira Delazari
 
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano BBACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano BConceição Fontolan
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasSaulo Lucena
 
Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.
Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.
Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.Girleno Oliveira
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são franciscoMarcos Paulo
 
Alternativas Para A Seca No Nordeste
Alternativas Para A Seca No NordesteAlternativas Para A Seca No Nordeste
Alternativas Para A Seca No Nordestethiagofelipem
 
Geografia da Bahia
Geografia da BahiaGeografia da Bahia
Geografia da BahiaCADUCOC1
 
Sertão: um olhar numa breve jornada geográfica
Sertão: um olhar numa breve jornada geográficaSertão: um olhar numa breve jornada geográfica
Sertão: um olhar numa breve jornada geográficaLuiz C. da Silva
 
Bacia do são francisco
Bacia do são francisco Bacia do são francisco
Bacia do são francisco Edmar Souza
 
Transposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoTransposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoBruno Labanca Lopes
 
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01Eponina Alencar
 
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBACARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBAE. AQUINO
 
Exercício geografia
Exercício geografiaExercício geografia
Exercício geografiaMarcos Paulo
 
Bacia do rio são francisco
Bacia do rio são franciscoBacia do rio são francisco
Bacia do rio são franciscoMarkelly Marques
 

Semelhante a Rio são francisco (20)

Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São Francisco
 
Bacia do São Francisco
Bacia do São FranciscoBacia do São Francisco
Bacia do São Francisco
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
 
A Bacia Amazônica
 A Bacia Amazônica A Bacia Amazônica
A Bacia Amazônica
 
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano BBACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano B
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.
Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.
Geografia do Brasil - Região Sudeste/ Relevo, vegetação, hidrografia.
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são francisco
 
Alternativas Para A Seca No Nordeste
Alternativas Para A Seca No NordesteAlternativas Para A Seca No Nordeste
Alternativas Para A Seca No Nordeste
 
Geografia da Bahia
Geografia da BahiaGeografia da Bahia
Geografia da Bahia
 
hidrografia do brasil
hidrografia do brasil hidrografia do brasil
hidrografia do brasil
 
Sertão: um olhar numa breve jornada geográfica
Sertão: um olhar numa breve jornada geográficaSertão: um olhar numa breve jornada geográfica
Sertão: um olhar numa breve jornada geográfica
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Bacia do são francisco
Bacia do são francisco Bacia do são francisco
Bacia do são francisco
 
Transposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoTransposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São Francisco
 
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
 
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBACARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
 
Exercício geografia
Exercício geografiaExercício geografia
Exercício geografia
 
Bacia do rio são francisco
Bacia do rio são franciscoBacia do rio são francisco
Bacia do rio são francisco
 

Último

Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...excellenceeducaciona
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...GraceDavino
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...excellenceeducaciona
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Prime Assessoria
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMHisrelBlog
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...Prime Assessoria
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...assessoriaff01
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 

Último (20)

Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 

Rio são francisco

  • 1. R I O S Ã O F R A N C I S C O Foz do rio São Francisco Introdução: O Rio São Francisco, também chamado de Opará, como era conhecido pelos indígenas antes da colonização, ou popularmente de Velho Chico, é um rio brasileiro com 2.800 km de extensão, e drenando uma área de aproximadamente 641.000 km2 , o rio São Francisco nasce no estado de Minas Gerais, na Serra da Canastra, desemboca no Oceano Atlântico, entre Sergipe e Alagoas. Apresenta dois estirões navegáveis: o médio, com cerca de 1.371 km de extensão, entre Pirapora(MG) e Juazeiro(BA / Petrolina(PE) e o baixo, com 208 km, entre Piranhas(AL) e a foz, no Oceano Atlântico. O rio São Francisco atravessa regiões com condições naturais das mais diversas. As partes extremas superior e inferior da bacia apresentam bons índices pluviométricos, enquanto os seus cursos médio e sub-médio atravessam áreas de clima bastante seco. Assim, cerca de 75% do deflúvio do São Francisco é gerado em Minas Gerais, cuja área da bacia ali inserida é de apenas 37% da área total. A área compreendida entre a fronteira Minas-Bahia e a cidade de Juazeiro(BA), representa 45% do vale e contribui com apenas 20% do deflúvio anual. Os aluviões recentes, os arenitos e calcários, que dominam boa parte da bacia de drenagem, funcionam como verdadeiras esponjas para reterem e liberarem as águas nos meses de estiagem, a tal ponto que, em Pirapora(MG), Januária(MG) e até mesmo em Carinhanha(BA), o mínimo se dá em setembro, dois meses após o mínimo pluvial de julho. À medida em que o São Francisco penetra na zona sertaneja semi-árida, apesar da intensa evaporação, da baixa pluviosidade e dos afluentes temporários da margem direita, tem seu volume d'água diminuído, mas mantém-se perene, graças ao mecanismo de retroalimentação proveniente do seu alto curso e dos afluentes no centro de Minas Gerais e oeste da Bahia. Nesse trecho o período das cheias ocorre de outubro a abril, com altura máxima em março, no fim da estação chuvosa. As vazantes são observadas de maio a setembro, condicionadas à estação seca. As principais mercadorias 1
  • 2. transportadas são cimento, sal, açúcar, arroz, soja, manufaturas, madeira e principalmente gipsita. No baixo e médio São Francisco, promove-se o transporte de turistas em embarcações equipadas com caldeiras a lenha. Atualmente o rio São Francisco está sendo transposto. O que está dividindo opiniões entre brasileiros que vivem nos estados banhados. Desenvolvimento: Economia O Rio São Francisco é também o maior responsável pela prosperidade de suas áreas ribeirinhas compreendidas pela dominação de Vale do São Franscisco, onde cidades experimentaram maior crescimento e progresso como Petrolina em Pernambuco e Juazeiro (Bahia) devido a agricultura irrigada. Essa região apresenta-se atualmente como a maior produtora de frutas tropicais do país, recebendo atenção especial, também, a produção de vinho, em uma das poucas regiões do mundo que obtêm duas safras anuais de uvas. Condições Pluviométricas As condições pluviométricas, no baixo curso do São Francisco, diferem das constatadas no médio e alto cursos. No baixo vale os meses mais chuvosos são, geralmente, os de maio, junho e julho. O período de estiagem perdura de setembro a fevereiro, sendo outubro o mês menos chuvoso. No médio e alto vales as maiores precipitações vão de novembro a março. O período menos chuvoso inicia-se em abril, estendendo-se até outubro, sendo junho, julho e agosto os meses de menores precipitações. Condições de Navegabilidade O Rio São Francisco oferece condições naturais de navegação entre Pirapora-MG e PetrolinaPE/Juazeiro-BA, durante todo o ano, com variação de calado segundo o regime de chuvas. É navegável em seus trechos Médio e Baixo, sendo o Médio São Francisco compreendido entre Pirapora-MG e Petrolina-PE / Juazeiro-BA e o Baixo entre Piranhas-AL e a Foz. Devido as diferentes características físicas existentes ao longo da via navegável, subdivide-se o trecho Pirapora-MG à Petrolina-PE/Juazeiro-BA em 03(três) subtrechos, a saber: 1º) Pirapora-MG à Pilão Arcado Velho-BA Este trecho com 1.015km de extensão apresenta condições bastante distintas entre o período de estiagem e o de cheia, ocorrendo variações de níveis de até 6,00m. Na cheia o leito do Rio é largo e regular, com estirões naturalmente navegáveis. No período de estiagem, a área molhada é menor, o talvegue se desenvolve entre ilhas e bancos de areia móveis ao longo do canal, que é desobstruído à medida que se torna necessário para manter a segurança da hidrovia. Há também, a existência de travessões rochosos e pedrais em alguns trechos, pedrais junto à margem e pedras isoladas no leito do rio, que são devidamente sinalizados e balizados, garantindo navegação segura. Quanto aos bancos de areia estima-se um volume anual de dragagem na ordem de 150.000m3 à 250.000m3, dependendo das condições do rio. Para todos os pedrais existentes, é feita sinalização com placas e bóias, e para alguns deles são feitos estudos quanto a possibilidade de derrocamento. 2º) Pilão Arcado Velho-BA à Barragem de Sobradinho-BA Neste trecho a navegação é feita pelo Lago de Sobradinho ao longo de 314km, caracterizando- se como navegação lacustre com excelentes profundidades. 2
  • 3. 3º) Sobradinho-BA à Petrolina-PE/Juazeiro-BA Trecho com 42km de extensão e largura variando de 300 a 800m, garante calado de 2,00m para uma vazão da Barragem de Sobradinho de 1.500m3 /seg. (A vazão defluente regularizada da U.H. de Sobradinho é de2.063m3 /seg). 4º) Piranhas-AL à Foz Com uma extensão de 208km, apresenta navegação turística. A hidrovia Equivalente a distância entre Brasília(DF) e Salvador(BA), essa é, sem dúvida, a mais econômica forma de ligação entre o Centro Sul e o Nordeste. Com o seu extremo sul localizado na cidade de Pirapora(MG), a hidrovia do São Francisco é interligada por ferrovias e estradas aos mais importantes centros econômicos do Sudeste, além de fazer parte do Corredor de Exportação Centro-Leste. Ao norte, nas cidades vizinhas a Juazeiro(BA) e Petrolina(PE), a hidrovia está ligada às principais capitais do Nordeste, dada a posição geográfica destas duas cidades. O Rio São Francisco oferece condições naturais de navegação durante todo o ano, cuja profundidade varia de acordo com o regime de chuvas (calado). Seu porto mais importante é o de Pirapora(MG), interligado aos portos fluviais de Petrolina(PE) e Juazeiro(BA) e aos marítimos de Vitória(ES), Rio de Janeiro(RJ), Santos(SP), Salvador(BA), Recife(PE) e Suape(PE), através de rodovias e ferrovias. Em grande parte do vale do São Francisco as áreas mais propícias ao aproveitamento agrícola situam-se às margens do mesmo. Por esse motivo a maior parcela da população do vale se encontra nas proximidades do rio. A hidrovia do São Francisco, através do programa "AVANÇA BRASIL", passa por uma etapa de grandes intervenções físicas. Aliadas a isso estão as ações de operacionalidade da via. Todas essas ações permitirão que a hidrovia do São Francisco atenda a crescente demanda de tráfego, não só na região ribeirinha, mas de todo o país, consolidando-se, assim, como um dos principais elos entre o Sudeste e o Nordeste. Características Físicas Declividade Média: 8,8 cm/km Média das Vazões na Foz: 2.943 m3/s Velocidade Média de Corrente: 0,8 m/s (entre Pirapora - MG e Juazeiro - BA). Principais Afluentes Rio Paraopeba; Rio Abaeté; Rio das Velhas; Rio Jequitaí; Rio Paracatu; Rio Urucuia; Rio Verde Grande; Rio Carinhanha; Rio Corrente; Rio Grande. 3
  • 4. RIO SÃO FRANCISCO IMAGENS DE UM RIO EXTENSAMENTE RICO 4
  • 5. Conclusão Conclui-se, portanto, que a existência do Rio São Francisco é primordial para o desenvolvimento da economia gerada no país. Abrangendo principalmente as regiões mais afetadas pela seca, como a região nordeste. É um rio que a mais de quinhentos anos é fonte de vida e riqueza. Enfim, devido a sua grandiosa extensão, pode-se dizer que ele está no coração do Brasil. 5
  • 6. Dedicatória Dedico este trabalho a minha escola que me ajuda tanto em minha formação. O conteúdo deste é engrandecedor pois conhecemos uma das riqueza de nosso país: O Rio São Francisco. Um Rio que pela história e marco faz com que demos mais valor ao Meio Ambiente e a Ecologia. 6