Successfully reported this slideshow.

Seminário Fespsp

315 visualizações

Publicada em

Apresentação de estudo sobre organização e acesso de informações em ambientes digitais no Seminário FESPSP

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Seminário Fespsp

  1. 1. ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO E USABILIDADE EM INTERFACES: ESTUDO DE CASO DO WEBSITE DA NRSYSTEM Rogério Fernandes da Costa (rogerio.costa@fmu.br) Faculdades Metropolitanas Unidas Informação e ambientes digitais: organização e acesso Seminário FESPSP “São Paulo: a cidade e os seus desafios”
  2. 2. AGENDA INTRODUÇÃO OBJETIVO DA PESQUISA PROBLEMA DE PESQUISA REVISÃO DA LITERATURA TÉCNICAS ADOTADAS EM PROJETOS WEB METODOLOGIA CONSIDERAÇÕES FINAIS
  3. 3. INTRODUÇÃO Dentre os diversos tipos de problemas que podem afetar a usabilidade de uma aplicação web, muitos estão relacionados à organização e acesso das informações. Embora seja um tema relativamente recente, a organização da informação na web vem ganhando cada vez mais força e expressividade em virtude do aumento exponencial da quantidade de informações disponíveis na Internet.
  4. 4. OBJETIVO DA PESQUISA Partindo da premissa que um projeto de arquitetura informacional bem elaborado permite uma interação mais rápida e fácil entre o usuário e a informação, este estudo teve como principal objetivo avaliar como a organização e representações das informações do website da NRSYSTEM impactam em sua usabilidade.
  5. 5. OBJETIVO DA PESQUISA Para atender ao proposto, foi necessário estabelecer os seguintes objetivos específicos: 1. Avaliar a facilidade de navegação do website; 2. Verificar a eficiência do website; 3. Identificar inconsistências do website; 4. Avaliar a facilidade de memorização; 5. Verificar a satisfação dos usuários; 6. Identificar oportunidades de melhoria do website.
  6. 6. PROBLEMA DE PESQUISA Objetivando uma experiência de uso agradável e simples nos processos de acesso, busca, recuperação e compreensão da informação, quais técnicas são mais adequadas para projetos de interface para internet?
  7. 7. REVISÃO DA LITERATURA A facilidade de interação do usuário com o website depende de quatro sistemas estruturados e interdependentes: organização, navegação, rotulação e busca (ROSENFELD e MORVILLE, 2002). Ao analisarmos as características informacionais, estruturais, navegacionais e visuais de uma forma integrada, podemos definir como e onde ocorrerá a interação em um website.
  8. 8. REVISÃO DA LITERATURA Bevan (1995) define usabilidade como um termo técnico usado para descrever a qualidade de uso de uma interface. Importante ressaltar que a falha de usabilidade mais relatada por usuários de internet é a dificuldade em encontrar informações na maioria dos websites.
  9. 9. REVISÃO DA LITERATURA A navegabilidade pode ser traduzida na facilidade proporcionada ao utilizador ao visitar um website. Nielsen (2000) defende que uma interface de navegação precisa incluir respostas para as seguintes questões: Onde estou? Onde estive? Onde posso ir?
  10. 10. REVISÃO DA LITERATURA No contexto da Internet, o termo acessibilidade (accessibility) é usado para descrever problemas de usabilidade encontrados por usuários com necessidades especiais ou com limitações tecnológicas (PIMENTA et al., 2002).
  11. 11. TÉCNICAS ADOTADAS EM PROJETOS WEB Diferentes técnicas podem ser adotadas em projetos de Interface para Internet.
  12. 12. METODOLOGIA A metodologia adotada neste estudo seguiu o modelo proposto por Cybis (2003), o autor classifica as técnicas de usabilidade em três categorias: 1. Técnicas Prospectivas, que buscam a opinião do usuário; 2. Técnicas Preditivas ou diagnósticas, que buscam prever os erros de projeto de interfaces sem a participação direta de usuários; e 3. Técnicas Objetivas ou empíricas, que utilizam a observação do usuário interagindo com o sistema.
  13. 13. TÉCNICAS PREDITIVAS/DIAGNÓSTICAS Validação de Código
  14. 14. TÉCNICAS PREDITIVAS/DIAGNÓSTICAS Teste de acessibilidade
  15. 15. TÉCNICAS PREDITIVAS/DIAGNÓSTICAS Carregamento da página
  16. 16. TÉCNICAS PREDITIVAS/DIAGNÓSTICAS Experiência do usuário
  17. 17. TÉCNICAS PROSPECTIVAS O que pode ser testado? • Conteúdo textual; • Rótulos e descrições; • Navegabilidade; • Apresentação gráfica; • Imagem ou vídeo; • Formulário de contato ou cadastro. Dica: Não se inicia um teste sem que exista um questionamento a ser respondido!
  18. 18. TÉCNICAS PROSPECTIVAS 0 1 2 3 4 5 6 Logo que entro no site já sei o que esta empresa faz Este site tem uma apresentação gráfica agradável e legível Os recursos de navegação (menus, ícones, links e botões) estão todos claros e fáceis de localizar Eu sempre sei em que página estou e como chegar onde quero chegar Mesmo antes de clicar em um link (ligação com outra página ) eu já sei o destino dele O conteúdo textual está claro e consistente Os títulos das páginas deste site são muito intuitivos O número de telefone e demais informações sobre a empresa são fáceis de serem localizadas De um modo geral, considero rápido o acesso às informações do site As orientações sobre acessibilidade estão claras e fáceis de serem localizadas Concordo fortemente Concordo Não sei responder Discordo Discordo totalmente Mensurando os resultados (contexto de uso)
  19. 19. TÉCNICAS OBJETIVAS/EMPÍRICAS Possível falha de usabilidade: em relação aos botões na área de destaque (página principal), apenas um participante “clicou” no botão de direcionamento para a área de downloads... É possível que o padrão estético adotado nos botões esteja confundindo os usuários...
  20. 20. CONSIDERAÇÕES FINAIS No que se refere à prioridade, organização e representação das informações, um projeto de arquitetura informacional web deve definir como diferentes grupos e níveis de tratamento serão utilizados para a apresentação e o compartilhamento eficiente de diferentes mídias e informações. Uma arquitetura informacional bem elaborada pode facilitar a contemplação dos requisitos de usabilidade, minimizando a possibilidade de erros. Os resultados do estudo indicaram que embora a usabilidade tenha sido avaliada de forma positiva, existem oportunidades de melhoria no website da NRSYSTEM.
  21. 21. Contribuição: a partir da lista de critérios apresentados neste estudo, espera-se ampliar a compreensão sobre o tema, viabilizando novas indagações sobre o levantamento de requisitos em projetos de interface. Limitações: por se tratar de um estudo de caso, os resultados não podem ser generalizados, ou seja, os resultados e conclusões aplicam-se somente ao website estudado. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  22. 22. OBRIGADO! Rogério Fernandes da Costa (rogerio.costa@fmu.br) Faculdades Metropolitanas Unidas Informação e ambientes digitais: organização e acesso Seminário FESPSP “São Paulo: a cidade e os seus desafios”

×