Novas Regras Ortográficas

3.677 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Novas Regras Ortográficas

  1. 1. NOVAS REGRASORTOGRÁFICAS Edição: Luciana Mayumi Yakuwa Margarete Maria da Silva Mariane Sanjuan Nalin
  2. 2. ACENTUAÇÃO Não se acentuam mais os ditongos abertos éi eói das palavras paroxítonas.Ex: apóio (verbo apoiar) – apoio idéia – ideia Continuam acentuadas as palavras oxítonas eos monossílabos tônicos terminados em éis e ói(s)Ex: papéis herói(s) dói (verbo doer)
  3. 3. Não se usa mais o acento no i e no u tônicos,nas palavras paroxítonas, quando vierem depois deum ditongo decrescente.Ex: feiúra – feiura Continuam acentuadas as palavras oxítonasterminadas em i e u (ou seguidas de s).Ex: tuiuiú(s) Piauí Continuam acentuadas as palavrasparoxítonas quando forem precedidas de um ditongocrescenteEx: Guaíra.
  4. 4. As palavras terminadas em êem e ôo (s) nãosão mais acentuadas.Ex: lêem – leem magôo (verbo magoar) - magoo Não se usa mais o acento nas palavras:pára (verbo parar no presente do indicativo) - para,péla(s) – pela(s)pêlo(s) - pelo(s),pólo(s) - polo(s)pêra - pera.
  5. 5. Permanece o acento diferencial em:-Pôde/pode:Pôde (3ª p. singular do pretérito perfeito do indicativo)Pode (3ª p. singular do presente do indicativo)Ex: Ontem, ele não pôde ir ao supermercado, mas hoje elepode.-Pôr/por:Pôr (verbo)Por (preposição)Ex: Vou pôr no computador o slide feito por ela.-Singular e plural dos verbos ter, vir, manter, reter,conter, convir, intervir, advir, etc.Ex: Ela tem uma casa de praia/ Elas têm uma casa depraia. Ele vem de Campinas/ Eles vêm de Campinas
  6. 6. O uso do acento circunflexo paradiferenciar as palavras forma/fôrma, éfacultativo. Mas o uso do acento deixa afrase mais clara. Ex: Qual é a forma da fôrma dobolo?
  7. 7. CRASE Preposição a + artigo feminino: à (s); Preposição a + demonstrativo aquele (s),aquela (s), aquilo: àquela (s) Ex: Vamos doar as roupas àqueles quemais precisam. 
  8. 8.  Não se usa crase:Casos Exemplos Exceções ExemplosAntes de palavras Chegamos a Quando se “Cabelo à Luísmasculinas tempo subentende a XV” (cabelo à expressão “a moda moda de Luís XV) de” ou “a maneira de”Antes de verbo Estar disposto a falarAntes de Referiu-se a toda a Alguns pronomes “Falamos àpronomes situação. admitem artigo mesma pessoa”indefinidosEm “a” sem “s” de Falo a criançasplural antes defeminino pluralAntes de “Estavam frente aexpressões frente”formadas porpalavras repetidas
  9. 9.   Expressões com ou sem crase: A partir de;  À base de;  À tarde;   À medida que;  A olho nu. 
  10. 10. TREMA Não se usa mais em palavras portuguesasou aportuguesadas.Ex: bilíngüe - bilíngue. Permanece apenas em palavrasestrangeiras e em suas derivadas.Ex: Müller, mülleriano. 
  11. 11. HÍFEN Usa-se hífen diante da palavrainiciada por h.Ex: anti-higiênico, mini-hotel, sobre-humano, super-homem, ultra-humano Usa-se hífen se o prefixo terminarcom a mesma letra com que se inicia aoutra palavra.Ex: micro-ondas, anti-inflamatório, sub-bibliotecário*Micro-organismo / Microrganismo
  12. 12. Não se usa hífen se o prefixoterminar com letra diferente daquela comque se inicia.Ex: autoescola, antioxidante,intermunicipal, superinteressante,semicírculo Se o prefixo terminar por vogal e oprefixo começar por r ou s, dobram-seessas letras.Ex: minissaia, antirracismo, ultrassom,semirreta
  13. 13. Com os prefixos sub e sob, usa-se o hífentambém diante de palavra iniciada por r.Ex: sub-região, sub-reitor, sub-regional, sub-roda Ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró evice: usa-se o hífen. Co: Junta-se com o segundo elemento. Seeste começar por h, deve-se cortar essa letra; secomeçar por r ou s, dobram-se essas letras.Ex: Coorientador; Coabitação; Corresponsável;Cofundador; 
  14. 14. Pré e re, não se usa o hífen, mesmo compalavras que comecem com E.Ex: preexistente, reescrever, reeleição Não e quase não usa mais hífen: nãoagressão, quase delito Mal: usa-se hífen quando a palavraseguinte começar por vogal, h ou l.Ex: mal-entendido, mal-estar, mal-humorado
  15. 15. Quando mal significa doença, usa-se ohífen se não houver elemento de ligação .Ex: mal-francês, mal de lázaro, mal de chagas. Palavras de origem tupi-guarani – usa-seo hífen.Ex: Capim-açu, amoré-guaçu Para clareza gráfica, se no final da linhaa partição de uma palavra ou combinação depalavras coincidir com o hífen, ele deve serrepetido na linha seguinte. Ex.: Na cidade, conta--se que ele foi viajar.
  16. 16. VÍRGULA Não se usa vírgula entre sujeito everbo ou entre verbo e seu complemento:“O recipiente do experimento foidescartado”;  Aposto: “O recipiente doexperimento, balão volumétrico, foidescartado.”.
  17. 17. PONTO E VÍRGULA Marca pausa maior que a vírgula e menorque a do ponto: Ex: “O general não temia o que lhe podiaacontecer; os soldados, sempre (temiam)” Pode ser usado antes de conjunçõesadversativas: mas, porém, todavia, entretanto,etc. Ex: “Muito se esforçam; porém, poucosconseguem”
  18. 18. PRONOMES  Todos os tipos de pronomes podemfuncionar como recurso de referência a termosou expressões anteriormente empregados.Ex.: O condensador é empregado nos processosde destilação. Sua finalidade é condensar ovapor do líquido.
  19. 19. Pronomes demonstrativos sãoutilizados na fala para situar falante einterlocutor. Dizemos este para denominaraquilo que está próximo a nós, esse, para oque está próximo ao nosso interlocutor, eaquele, para o que está distante de ambos. Ex.: Este artigo que analisamos édiferente desse. Porém, aquele é umcomposto de ambos.
  20. 20. Onde e aonde – O a de aondeequivale à preposição para, ou seja, apalavra pode ser substituída por paraonde (indica movimento). Isso vale tantopara situações de perguntas, ou quandoesses pronomes têm função relativa. Ex.: A biblioteca onde estudamos étranquila. Aonde você vai após a aula?. (Olugar para onde ele vai fica).
  21. 21. CONCORDÂNCIA NOMINALAdjetivos (gênero e número): –somente o último elemento dos compostos varia: mulheres todo-poderosas, cabelos castanho-claros; –Porém, compostos indicadores de cor não variam se o segundo elemento for substantivo: computadores cinza-chumbo, cortinas azul-piscina; – substantivo indicador de cor não varia: blusas amarela, sapatos cinza, decorações azul.
  22. 22. Adjetivo modificando mais de um substantivo Adjetivo posposto a mais de um substantivo – ouconcorda com todos os substantivos (Vimos um notebook euma calculadora quebrados), ou concorda apenas com oúltimo substantivo (Vimos um notebook e uma calculadoraquebrada). Adjetivo anteposto a mais de um substantivo – podeconcordar com todos os substantivos ou apenas o maispróximo, sendo que em ambos os casos o adjetivo afetará atodos: Emocionaram-se com a(s) grandiosa(s) história devida e obra do autor. Dois adjetivos modificando um substantivo –estandoo substantivo no singular ou no plural, os adjetivos ficam nosingular: A(s) orientação(s) interna e externa.
  23. 23. NUMERAIS Se não houver repetição do artigo, o plural éobrigatório: a primeira e segunda avaliações;  Se o substantivo aparecer anteposto aosnumerais, o plural é obrigatório: as avaliaçõesprimeira e segunda do terceiro semestre;  Quando dois ou mais adjetivos modificamum mesmo substantivo, duas concordâncias sãocorretas: as bandeiras japonesa e coreana; abandeira japonesa e a coreana.
  24. 24. Meio, bastante, menos Meio e bastante, quando se referem a umsubstantivo, devem concordar com ele.Quando funcionarem como advérbios,permanecerão invariáveis. "Menos" é sempreinvariável: Falei bastante(intensidade) na últimapalestra ; Compareceram bastantes pessoas nasemana da Saúde; Havia meia garrafa de água somente.; Ela estava meio(um pouco)desanimada.
  25. 25. Expressão Tal qual: o primeiro elementoconcorda com o antecedente e o segundo, com oconsequente: Essa aluna é tal qual a professora; Essas alunas são tais qual a professora; Essa aluna é tal quais os professores. um e outro, nem um nem outro: verbo fica nosingular ou no plural. Um e outro farmacêutico descobriu(ram) umanova fórmula.  um ou outro: verbo fica no singular ou no plural. Nem um nem outra resoluções propostas foi(ram)executada(s).
  26. 26. Expressões de sentido quantitativoseguidas de nome plural: verbo no singular ouplural. Ex.: A maioria dos mestrandosconseguiu(iram) aprovação. A maioria dos carros era(m) pretos.  Concordância com números percentuais:a concordância deve ser feita com o número:Cinquenta por cento das análises não foramutilizadas.  Coletivo geral: verbo no singular. Ex.: A multidão aclamou do resultado daseleições.
  27. 27. Expressões que indicam quantidadeaproximada seguida de numeral: verboconcorda com o substantivo. Ex.: Cerca de três médicos participaram dacirurgia. Pronomes (indefinidos ouinterrogativos) seguidos de pronome: verbo nosingular ou plural. Qual de nós será escalado para o trabalhovoluntário? Poucos dentre eles serão recrutados peloExército. Alguns de nós seremos promovidos. 
  28. 28. Palavra QUE: verbo concorda com oantecedente. Hoje ele é que leva os materiais Foram vocês que esqueceram o relatório. Expressão cada um – Ex.: Cada um dosmembros acadêmicos foram premiados.  Expressão mais de um – Ex.: Mais de umacrítica foi negativa sobre os trabalhos. 
  29. 29. EXERCÍCIOSEncontre o erro nos seguintes trechos: Cada medicamento possui uma programação (parametrização) específica nas blistadeiras, mas, devido ao desgaste da máquina muitos estão fora do padronizado, exigindo assim constantes mudanças ao longo do processo, pelos operadores. No processo de blistagem a formação de resíduos é quase inevitável devido a própria dinâmica e o tipo de matéria prima usada no sistema.
  30. 30.  A dissolução pode ser definida como o processo pelo qual as partículas de um fármaco dissolvem-se, e esse que antes encontrava-se no estado sólido, libera-se de sua forma farmacêutica de administração, sendo as moléculas da superfície as primeiras a entrarem em solução. Para a realização do teste foram utilizadas 6 cápsulas. Foi colocada uma cápsula em cada um dos seis tubos da cesta, adicionado uma tela com abertura de 1,8 mm a 2,2 mm, de arame de aço inoxidável adaptada à tampa da cesta para evitar que as cápsulas escapem dos tubos durante o teste e o aparelho foi acionado, utilizou-se água destilada mantida a 37 °C ± 1°C como líquido de imersão. Foi registrado o tempo de desintegração da última cápsula.
  31. 31.  O ensaio de uniformidade de doses unitárias foi feita conforme critérios estabelecidos pela Farmacopeia Brasileira 5ª ed. (2010), ou seja, para cápsulas duras se quantidade de ativo for menor que 25 mg ou proporção inferior a 25 % do peso médio, aplica-se uniformidade de conteúdo. Um dos maiores problemas de saúde pública mundial é a hipertensão arterial, isto porque a elevação da pressão arterial representa um fator de risco para doenças cardiovasculares e para suas complicações, tais como: doença cerebrovascular, doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, insuficiência renal crônica e doença vascular de extremidades, conforme preceituam a V Diretrize Brasileira de Hipertensão Arterial (2006).
  32. 32.  Destaca-se ainda que, em residências com crianças, o estoque domiciliar de medicamentos deve ser mais criterioso, pois pode representar um risco eminente de intoxicação, principalmente aquelas acidentais. Tendo em vista que para a verificação do peso médio dos comprimidos particionados, não exista metodologia validada na Farmacopéia Brasileira, e tão pouco naquelas autorizadas para utilização na inexistência de monografias nesta Farmacopéia, adaptou-se a metodologia empregada para a determinação de uniformidade de massa para comprimidos íntegros.
  33. 33.  Para a coleta de dados utilizou-se um formulário semi-estruturado, o qual foi elaborado para orientar a entrevista e possibilitar a tabulação dos dados. Entretanto, mesmo sendo um medicamento isento de prescrição (MIP), a indicação para este tratamento deve ser realizada por um médico, devido aos riscos associados à farmacoterapia dos anti- inflamatório não- esteroidais (Pirmohamed & Park, 2003)
  34. 34.  Contudo, nota-se, na literatura, que o aparelho circulatório é comumente o mais acometido pelos efeitos das IM. Rijkom et al. (2009) verificaram que as mais freqüentes conseqüências clínicas das IM foram: aumento do risco de sangramento (22,0%), hipotensão (14,9%), nefrotoxicidade (12,6%) e distúrbios eletrolíticos (10,5%).A partir dessa realidade, é preciso direcionar um novo olhar sobre os serviços que vem sendo desenvolvidos[...]
  35. 35.  Segundo Thebaudin & Lefebvre (1997)21, as fibras estão agrupadas em duas grandes classes: polímeros que são solúveis em água, como as pectinas e gomas, e polímeros insolúveis em água, onde a celulose, hemicelulose e lignina estão inclusas.A determinação quantitativa de cada fração foi efetuada considerando a sua absorção máxima (λmáx) e o coeficiente de absorção (E 1%cm), cujos padrões, encontram-se disponíveis na literatura.
  36. 36. BIBLIOGRAFIAABREU, A. S. Gramática mínima: para o domínio dalíngua padrão. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2003.TUFANO, D. Michaelis Guia prática da novaortografia. São Paulo: Melhoramentos, 2008. 

×