Treinamento soldador

3.647 visualizações

Publicada em

TREINAMENTO SOLDADOR

Publicada em: Engenharia

Treinamento soldador

  1. 1. SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO
  2. 2. EPI’S - PROTEÇÃO PARA A INTEGRIDADE FÍSICA E A SAÚDE EPI’s obrigatórios ou básicos são aqueles que se devem usar todo o tempo no ambiente de trabalho. EPI’s específicos são aqueles que são apropriados a cada função e com o tipo de trabalho a ser executado e aos agentes agressivos de um ambiente específico.
  3. 3. PROTEÇÃO AUDITIVA  Ruído é um som prejudicial a saúde humana que causa sensação desagradável e irritante.  O ruído contínuo e excessivo pode causar com o passar do tempo a perda de audição.  Os fatores que aumentam esse risco são: Tempo de exposição, Tipo de ruído, Lesões no ouvido, Sensibilidade individual, Distancia da fonte ruidosa, Intensidade.  Não existe defesa natural contra o ruído. Por isso é importante o uso de protetores auditivos.
  4. 4. PROTETORES AUDITIVOS  Podem ser de dois tipos: Tipo Abafador (conchas) - cobrem todo o ouvido, Tipo Inserção - colocado dentro do ouvido.  Cuidados e Precauções: Não manuseie o protetor com as mãos sujas, Utilize-o durante todo o período de trabalho, Após o uso, guarde o protetor na embalagem para conservá-lo em bom estado e limpo, Troque os protetores descartáveis e lave com sabão neutro os reutilizáveis de inserção e os abafadores.
  5. 5. EFEITOS DO RUÍDO À SAÚDE  No trabalho: Problemas de comunicação, Baixa concentração, Desconforto, Cansaço, Nervosismo e Baixo rendimento  No organismo: Perda auditiva, Impotência sexual, Insônia, Ansiedade, Tensão, Pressão Alta, Zumbidos no ouvido, etc.
  6. 6. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA MAÇARICOS E MANGUEIRAS  Maçaricos: Não esfregar o bico sobre uma superfície para limpá-lo, utilize agulhas com limas apropriadas. Só use acendedor à pedra apropriado. Não use fósforos, cigarros ou isqueiros à gás.  Mangueiras: Não as deixe em contato peças quentes, óleos ou graxas, objetos cortantes, perfurantes, abrasivos , ou corrosivos. Não expô-las diretas sobre o piso, protegendo-as contra as rodas de equipamentos.
  7. 7. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA CILINDROS Manter em carrinhos próprios na posição vertical e amarrados por correntes. Não expor quando ao ar livre diretamente aos raios solares, ao calor e às fagulhas. Não transportar vazios ou cheios sem o capacete protetor de válvulas. Não rolar os mesmos, a não ser para pequenas distancias quando devem ser rolados sobre a suas bases. Armazenar em local coberto e bem ventilado separando o oxigênio dos gases combustíveis, a uma distancia de 6 m, a menos que exista entre eles parede corta- fogo de 2 m de altura.
  8. 8. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA REGULADORES DE PRESSÃO São aparelhos frágeis e devem ser manejados com cuidado. Antes de montar, tirar o pó abrindo o registro do cilindro devagar. Não abrir válvulas ou soltar componentes com ferramentas improvisadas ou luvas impregnadas de graxa ou óleo ( isso gera risco de explosão). Não usar manômetros danificados e nem desregulados. Soltar totalmente o parafuso do diafragma antes de abrir o cilindro, Nunca aquecê-lo com chama.
  9. 9. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA REGULADORES DE PRESSÃO Ao abrir o registro, nunca ficar à sua frente. Após o uso, não deixá-lo sob pressão Acetileno sem pressão não é explosivo, mas comprimido acima de 1,5 Kg na saída pode explodir. Não apertá-lo com chave e sim com as próprias mãos. Não substituir conexão de entrada, com objetivo de utilizar um gás diferente. O manômetro de alta pressão marca o conteúdo de gás no cilindro, e o de baixa marca a pressão de trabalho. O parafuso de regulagem faz a graduação e este nunca deve ser lubrificado. R-registro do cilindro A-parafuso de expansão D-registro de saída
  10. 10. As chamas possuem uma velocidade de propagação que é alcançada pela velocidade de saída dos gases pelo bico do maçarico. Quando velocidade de propagação for menor que a velocidade de saída, tem-se o retrocesso (engulimento) de chama no maçarico que pode estender através da mangueira até o regulador de pressão. O oxigênio e o acetileno misturados em mangueiras ou reguladores, explodem se expostos ao engulimento de chama. A ocorrência de retrocesso indica que algo esta errado com o maçarico, mangueiras ou se trabalha com pressões incorretas para o oxigênio ou o acetileno. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA RETROCESSO DE CHAMA
  11. 11. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA VÁLVULAS DE SEGURANÇA  Contra-fluxo: impede a reversão do fluxo de gases, não detém o retrocesso de chama, usada na entrada do maçarico e nas emendas de mangueira. Corta-chama (dupla função): impede a reversão do fluxo de gases, ao mesmo tempo extingui o retrocesso de chama, usada na entrada do maçarico e saída dos reguladores de pressão do acetileno e oxigênio. Seu uso é obrigatório(NR-18).
  12. 12. SOLDA E CORTE OXÍ-ACETILÊNICA SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO Os locais de trabalho devem ser espaçosos e bem arrumados, possuir boa iluminação e ventilação para evitar o acúmulo dos gases de combustão ou fumaças produzida pelos metais em fusão. Em ambientes fechados, aplicar ventilação forçada e/ou instalar aspiração do ar nas bancadas de trabalho e usar máscaras respiratórias para vapores metálicos. Afastar os materiais inflamáveis e combustíveis. Colocar extintores em pontos estratégicos. Após o trabalho, verificar se não sobraram no local materiais em ignição.
  13. 13. SOLDA E CORTE DE ARCO ELÉTRICO SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO  Perigos inerentes: incêndios,explosões, queimaduras,inalação de fumos e gases, choques elétricos, irradiação de raios ultravioleta (conjuntivite, produção de ozônio altamente tóxico) e infravermelho (catarata) com efeito prejudicial para os olhos e pele,etc.  Não posicione máquina/cabos de solda em ambientes úmidos, molhados ou com derramamento de óleo.  Operações de solda não serão permitidas em locais onde haja vapores combustíveis, líquidos e pó inflamáveis, ou no interior de tanques que tenham armazenados tais materiais.  A carcaça da máquina precisa ser aterrada (use borne especial para isto).
  14. 14. SOLDA E CORTE DE ARCO ELÉTRICO SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO  Não soldar ou cortar: Com excesso de transpiração Roupas úmidas (evita riscos de choque elétrico) ou à base de naylon ou poliéster. Em áreas confinadas sem ventilação no ambiente (tonturas e eventualmente a morte), Peças desengraxadas ou contaminadas com substâncias desconhecidas, Recipientes, tambores ou tanques que não tenham sido lavados internamente,  Nunca tocar em eletrodos com as mãos nuas, com luvas molhadas ou sobre superfícies ou pisos molhados.
  15. 15.  Antes de iniciar o serviço no setor de trabalho, certifique-se que: possui ventilação adequada, existe necessidade de ventilação forçada e se necessário, instale sistemas de exaustão localizada ou use mascaras com filtros de respiração ou de suprimento de ar mandado, as fagulhas de solda não cairão sobre pessoas, conjuntos de maçarico, materiais combustíveis ou inflamáveis, bandejamento elétrico, etc. se não for possível evitar a queda das fagulhas, isole e sinalize o local, retire ou proteja-os com lona anti-inflamável ou coberturas de proteção. SOLDA E CORTE DE ARCO ELÉTRICO SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO
  16. 16. SOLDA E CORTE DE ARCO ELÉTRICO CABOS DE SOLDA  Inspecioná-los freqüentemente e informar os defeitos encontrados.  Devem estar ordenados e fora do caminho e de preferência, amarrados em partes altas para permitir a passagem de pessoas e veículos.  A alimentação da máquina deve ter no máximo 3 metros e ser acoplado por tomadas/plug padrão industrial.  Os cabos positivo/negativo não devem ter danificações no isolamento ou emendas improvisadas.Use engate acoplador e conector.  Não devem ficar mergulhados em água, óleo, líquidos corrosivos e nem expostos à fagulhas.
  17. 17.  São locais que possuem restrição à entrada de pessoas.  Restrições: Deficiência de oxigênio, Qualquer contaminante do ar que exceda a níveis seguros. Exemplos:- tanques, caldeiras canos, tubulações, vasos, bueiros e certas escavações.  Antes de entrar em equipamentos e instalações: Providenciar a despressurização, e/ou o desligamento, e/ou adrenagem, e/ou resfriamento e a limpeza, Instalar andaimes, plataformas de acesso e iluminação, Aterrar os equipamentos elétricos, CONTROLE DE RISCO ENERGÉTICO ESPAÇOS CONFINADOS
  18. 18. O supervisor da tarefa preencherá a “Autorização de Trabalho” junto com o pessoal da Operação e a afixará no acesso de entrada e ficará do lado de fora monitorando até que todos as pessoas que entraram, de lá saírem com segurança, Instalar os lacres, cadeados e as etiquetas de “Perigo”, Fazer avaliação dos gases, vapores ou pó presentes no seu interior, verificar a explosividade, risco de incêndio ou atmosfera venenosa, Assegurar o ar respirável puro em seu interior ou se necessário máscaras com filtros (mecânico ou químico conforme o contaminante) ou o suprimento de ar através de máscara de ar mandado ou autônoma. CONTROLE DE RISCO ENERGÉTICO ESPAÇOS CONFINADOS
  19. 19. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Quadrado do Fogo Combustível: - é o material que serve para a propagação do fogo; Reação Química: - são as moléculas livres do combustível que mantém a vida das chamas. Oxigênio(comburente): - é o oxigênio existente no ar atmosférico; Calor: - é o elemento que serve para dar início a um incêndio e que o mantém. C O M B U S T Í V E LCALOR O X I G Ê N I O REAÇÃO QUÍMICA
  20. 20. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Transmissão do Calor Chama-se o processo pelo qual o calor se transmite: Condução de um objeto para outro; Convecção de um objeto para o outro através do ar ou de gases quentes, mesmo que não haja contato entre eles; Radiação através de ondas de energia calorífica.
  21. 21. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Métodos de Extinção  Consiste na aplicação de um agente extintor até o ponto em que não haja combustão através de: Esfriamento: - reduz o calor do material (combustível) que esta queimando; Abafamento: - retira o oxigênio das proximidades do combustível; Isolamento: - retira-se ou reduz o material combustível ainda não atingido pelo fogo para fora de seu campo de propagação; Inibição: - neutraliza-se as moléculas livres do combustível. C O M B U S T Í V E L CALOR O XI G Ê NI O REAÇÃO QUÍMICA INIBIÇÃO I S O L A M E N T O A B A F A M E N T O RES FRIAMENTO
  22. 22. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Extintores de Incêndio  Utilizados contra princípios de incêndio.  São aparelhos que utilizam agentes extintores: água pressurizada - AP gás carbônico - CO2 pó químico seco - PQS  Tipos: Portáteis: - podem ser transportados por uma pessoa (peso não ultrapassa os 20 kg ). Não portáteis: Carretas: - montados sobre rodas; Estacionários: - montados de maneira fixa.
  23. 23. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Agentes Extintores de Incêndio  Dióxido de Carbono - CO2 Gás não condutor de eletricidade, não deixa resíduos e tem efeito abafador e resfriador. Ideal para ser usado em todos os equipamentos elétricos energizados.  Pó químico seco - PQS Pó não condutor de eletricidade, à base de bicarbonato de sódio, fosfato de amônia, etc. Deixa resíduos, tem efeito abafador e inibidor. Não usar em equipamento elétrico frágil e de precisão.  Água Pressurizada Condutora de eletricidade e tem efeito resfriador e abafador. Não utilizar em equipamento energizado.
  24. 24. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Tabela de Decisão de Agentes Extintores TIPOS DE AGENTES EXTINTORES CLASSES ÁGUA CO2 PÓ QUÍMICO A MADEIRA TECIDO PAPEL, ETC... EXCELENTE EXCELENTE INEFICIENTE B GASOLINA TINTAS ÓLEO, ETC... INEFICIENTE INDICADO INDICADO C EQUIPAMENTO ELÉTRICO ENERGIZADO ETC... NÃO NÃO EXCELENTE

×