SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
Evolução Humana
Introdução
A evolução humana, ou antropogênese, é a origem e a
evolução do Homo sapiens como espécie distinta de
outros hominídeos, dos grandes macacos e mamíferos
placentários. O estudo da evolução humana engloba
muitas disciplinas científicas, incluindo a antropologia
física, primatologia, a arqueologia, linguística e
genética.
Termos
O termo "humano" no contexto da evolução humana,
refere-se ao gênero Homo, mas os estudos da
evolução humana usualmente incluem outros
hominídeos, como os australopitecos. O gênero Homo
se afastou dos Australopitecos entre 2,3 e 2,4 milhões
de anos na África.
Ramificasão
Os seres humanos ramificaram-se de seu ancestral
comum com os chimpanzés, o único outro hominins vivo
entre 5 e 7 milhões anos atrás. Diversas espécies de
Homo evoluíram e agora estão extintas. Estas incluem o
Homo erectus, e o Homo neanderthalensis, O Homo
sapiens arcaico.
Opiniões cientificas
A opinião dominante entre os cientistas sobre a origem
dos humanos anatomicamente modernos é a "Hipótese
da origem única", que argumenta que o Homo sapiens
surgiu na África. Já os cientistas que apoiam a "Hipótese
multirregional" argumentam que o Homo sapiens evoluiu
em regiões geograficamente separadas.
Paleoantropologia
A moderna área da paleoantropologia começou com o
descobrimento do Neandertal e evidências de outros
"homens das cavernas" no século 19. A ideia de que
os humanos eram similares a certos macacos era
óbvia para alguns há algum tempo.
Charles Darwin
A ideia de evolução biológica das espécies em geral não
foi legitimizada até à publicação de A Origem das
Espécies por Charles Darwin em 24 de novembro de
1859. Apesar do primeiro livro de Darwin sobre evolução
não abordar a questão da evolução humana, era claro
para leitores contemporâneos o que estava em jogo.
Primeiros fósseis
Foi apenas na década de 1890 que fósseis além dos de
Neandertais foram encontrados. Em 1925, Raymond
Dart descreveu o Australopithecus africanus. O
espécime foi Bebé de Taung, um infante de
Australopithecus descoberto em Taung, África do Sul.
Piramide evolutiva
Hominídeos
Até recentemente, considerava-se que a família
Hominidae incluia apenas o género Homo; os
orangotangos, gorilas, bonobos, e chimpanzés eram
classificados na família Pongidae, que também incluía
os gibões que atualmente se encontram classificados
na família Hylobatidae – esta família é por vezes
considerada a família-irmã dos hominídeos na super-
família Hominoidea, dentro da ordem dos primatas.
Toumai
Sahelanthropus tchadensis, apelidado carinhosamente
de "Toumai" é uma espécie de hominídeo descrita em
19 de julho de 2001 por Michel Brunet, com base num
crânio que pode ser o mais antigo da linhagem
humana, de mais ou menos 7 milhões de anos e pode
ser a representação de um "elo perdido" que separou a
linhagem humana da linhagem dos chimpanzés.
Orrorin tugenensis
O Orrorin tugenensis é a única espécie extinta de
hominídeo classificada no gênero Orrorin. O nome foi
dado pelos descobridores que encontraram os fósseis
de Orrorin próximo à cidade de Tugen, Quênia. Eles
são datados de, aproximadamente, 6 milhões de anos
(Mioceno). Os fósseis encontrados até agora são de,
no mínimo, 5 indivíduos.
Ardipithecus kadabba
O Ardipithecus kadabba é um hominídeo fóssil
descoberto em 2001 pelo paleoantropólogo etíope
Yohannes Haile-Selassie na depressão de Affar,
noroeste da atual Etiópia. Se estima que esta espécie
viveu entre 5,54 e 5,77 milhões de anos atrás.
Ardipithecus ramidus
O Ardipithecus ramidus é uma espécie de hominídeo
fóssil, provavelmente bípede e que poderá ter sido um
dos antepassados da espécie humana. O Ardipithecus
ramidus, que existiu há 4,4 milhões de anos, na
Etiópia, tinha uma capacidade craniana de 410 cm³, ou
seja, três vezes menor que a do Homo sapiens.
Gênero Australopitecos
Os australopitecos (Australopithecus) constituem um
género de diversos hominídeos extintos, bastante
próximos aos do género Homo e, dentre eles, o A.
afarensis e o A. africanus são os mais famosos. O A.
africanus, primeiro descrito por Raymond Dart, com
base no "crânio Infantil de Taung", datado em 2,5 a 2,9
milhões de anos, foi considerado durante muito então
o ancestral direto do género Homo (em especial da
espécie Homo erectus).
Australopithecus anamensis
Os fósseis têm sido datados de 3,9 a 4,2 milhões de
anos, sendo do início do Plioceno. A dentição é menos
parecida com a dos macacos. O fóssil da tíbia indica
que o A. anamensis era maior que o A. afarensis e o
Ardipithecus ramidus, com um peso estimado entre 46
e 55 quilogramas.
Australop. afarensis
Até ao presente, foram já encontrados fragmentos
desta espécie pertencentes a mais de 300 indivíduos,
datados entre 4 e 2,7 mihões de anos, todos na região
norte do Grande Vale do Rift, incluindo um esqueleto
quase completo de uma fêmea adulta, que foi
denominada Lucy.
Australop. africanus
Australopithecus africanus é uma espécie antiga de
hominídeo, um australopitecíneo que viveu entre 2 e 3
milhões de anos atrás, durante o período conhecido
como Pleistoceno. Foi descrita por Raymond Dart em
1924, com base no em um crânio de um ser jovem que
Dart pensou ser o “elo perdido” da evolução entre os
símios e os seres humanos.
Australop. garhi
Inicialmente acreditou-se que era o elo perdido entre
os géneros Australopithecus e Homo, e portanto um
ancestral da espécie humana. Contudo, A. garhi é mais
avançado do que qualquer outro australipiteco e uma
espécie contemporânea (ou quase) das espécies
ancestrais do género Homo, datada de 2 e 3 milhões de
anos.
Gênero Paranthropus
O gênero Paranthropus existia em três espécies:
Paranthropus aethiopicus, Paranthropus boisei e
Paranthropus robustus. Estas espécies já foram
classificadas como Australopitecus.
Essas espécies são muito antigas, o Paranthropus
aethiopicus é um dos Hominídeos mais velhos já
encontrados, o Paranthropus boisei foi o primeiro a
chegar na costa leste da África e o primeiro hominídeo
a viver dentre as pastagens secas da África, que se a
semelhava a o que é hoje uma savana africana.
Paranth. aethiopicus
O Paranthropus aethiopicus foi um hominídeo bípede
do gênero Paranthropus que viveu entre 2,8 e 2,2
milhões de anos atrás no Plioceno. Os fósseis
representando o início desse gênero incluem alguns
fósseis fragmentados da Etiópia e um crânio
encontrado no Lago Turkana sítio no Quênia
conhecido como Caveira Negra.
Paranth. boisei
Paranthropus boisei foi um dos primeiros hominídeos
que viveram no Leste da África, de cerca de 2 até 1
milhão de anos atrás durante o Pleistoceno. Tinha um
crânio altamente especializado à mastigação pesada.
P. boisei habitou os pastos secos da savana da África
Leste durante um período de 2,5 a 1 milhão de anos
atrás.
Paranth. robustus
O Paranthropus robustus foi originalmente descoberto
na África meridional em 1938. O desenvolvimento do P.
robustus, especificamente nos atributos cranianos,
parecia indicar um "complexo de mastigação pesada".
O Paranthropus robustus é geralmente datado como
tendo de 1 a 2,6 milhões de anos.
Gênero Homo
Na taxonomia moderna, o Homo sapiens é a única
espécie existente desse gênero, Homo. Do mesmo
modo, o estudo recente das origens do Homo sapiens
geralmente demonstra que existiram outras espécies
de Homo, todas as quais estão agora extintas.
Enquanto algumas dessas outras espécies poderiam
ter sido ancestrais do H. sapiens, muitas foram
provavelmente nossos "primos", tendo especificado a
partir de nossa linhagem ancestral.
Homo habilis
Viveu entre cerca de 2,4 a 1,8 milhões de anos atrás. H.
habilis, a primeira espécie do gênero Homo, evoluiu no
sul e no leste da África no final do Plioceno ou início do
Pleistoceno, quando divergiu do Australopithecines. H.
habilis tinha molares menores e cérebro maior que os
Australopithecines, e faziam ferramentas de pedra e talvez
de ossos de animais.
Homo erectus
Viveu entre cerca de 1,8 (incluindo o ergaster). No
Pleistoceno Inferior, 1,5–1 MAA, na África, Ásia, e
Europa, provavelmente Homo habilis possuía um
cérebro maior e fabricou ferramentas de pedra mais
elaboradas; essas e outras diferenças são suficientes
para que os antropólogos possam classificá-los como
uma nova espécie, H. erectus.
Homo ergaster
Homo ergaster é uma espécie de hominídeo descrita a
partir de restos fossilizados encontrados em Swartkrans,
na África do Sul, com uma idade estimada entre 1,8 e um
milhão de anos. De acordo com outros achados no mesmo
local, pensa-se que esta espécie, que era muito próxima da
nossa, teria usado instrumentos de pedra e poderia ter
controlado o fogo.
H. neanderthalensis
viveu entre 250 e 30 mil anos atrás. Também conhecido
como Homo sapiens neanderthalensis. Há um debate
recente sobre se o "Homem de Neanderthal" foi uma
espécie separada, Homo neanderthalensis, ou uma
subespécie de H. sapiens. Enquanto o debate continua, a
maioria das evidências, adquiridas através da análise do
DNA mitocondrial.
H. floresiensis
Homo floresiensis é uma espécie extinta da família
Hominidae que viveu na Ilha de Flores, pertencente à
Indonésia, até há 13 000 anos. O homem de Flores é
conhecido através de um esqueleto quase completo de
uma mulher, a que foi dado o nome de Hobbit, e de seis
outros indivíduos em diversos estados de conservação,
incluindo um punho completo.
H. heidelbergensis
Homo heidelbergensis é um hominídeo extinto que
surgiu há mais de 500 000 anos e perdurou, pelo
menos, até cerca de 250 000 anos (Pleistoceno medio).
Recebeu este nome pelo fato dos primeiros fósseis
descobertos terem sido encontrados próximo à
Heidelberg, na Alemanha.
Homo sapiens
Surgiu há cerca de 200 mil anos. No período interglacial
do Pleistoceno Médio entre a Glaciação Riss e a
Glaciação Wisconsin, há cerca de 250 mil anos, a
tendência de expansão craniana e a tecnologia na
elaboração de ferramentas de pedra desenvolveu-se,
fornecendo evidências da transição do H. erectus ao H.
sapiens. As evidências sugerem que houve uma
migração do H. erectus para fora da África.
Evolução Humana

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Evolucao humana
Evolucao humanaEvolucao humana
Evolucao humana
 
Evolução Humana
Evolução HumanaEvolução Humana
Evolução Humana
 
Evolução humana
Evolução humanaEvolução humana
Evolução humana
 
Mudanças Climáticas
Mudanças ClimáticasMudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
 
Unidades de conservação
Unidades de conservaçãoUnidades de conservação
Unidades de conservação
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOSINTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano] Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano]
 
I.1 A origem do universo
I.1 A origem do universoI.1 A origem do universo
I.1 A origem do universo
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comumAula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Teorias de evolução
Teorias de evoluçãoTeorias de evolução
Teorias de evolução
 
Maquinas simples
Maquinas simplesMaquinas simples
Maquinas simples
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Efeito estufa
Efeito estufaEfeito estufa
Efeito estufa
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evolução
 

Destaque (20)

Evolução humana
Evolução humanaEvolução humana
Evolução humana
 
Teoria da Evolução de Charles Darwin
Teoria da Evolução de Charles DarwinTeoria da Evolução de Charles Darwin
Teoria da Evolução de Charles Darwin
 
Charles Darwin
Charles DarwinCharles Darwin
Charles Darwin
 
01 pré-história
01   pré-história01   pré-história
01 pré-história
 
Evolução humana final
Evolução humana finalEvolução humana final
Evolução humana final
 
02 evolução do homem
02   evolução do homem02   evolução do homem
02 evolução do homem
 
Evolução humana 3B
Evolução humana 3BEvolução humana 3B
Evolução humana 3B
 
Formação matemática junho
Formação matemática junhoFormação matemática junho
Formação matemática junho
 
Linha Do Tempo
Linha Do TempoLinha Do Tempo
Linha Do Tempo
 
Evolução humana 3A
Evolução humana  3AEvolução humana  3A
Evolução humana 3A
 
A Evolução do Homem
A Evolução do HomemA Evolução do Homem
A Evolução do Homem
 
Apostilade metodologiadamatematicanaisis pdf
Apostilade metodologiadamatematicanaisis pdfApostilade metodologiadamatematicanaisis pdf
Apostilade metodologiadamatematicanaisis pdf
 
Pré História - 6º Ano
Pré História - 6º AnoPré História - 6º Ano
Pré História - 6º Ano
 
Origem e evolução do ser humano
Origem e evolução do ser humanoOrigem e evolução do ser humano
Origem e evolução do ser humano
 
Darwinismo
DarwinismoDarwinismo
Darwinismo
 
EvoluçãO Humana
EvoluçãO HumanaEvoluçãO Humana
EvoluçãO Humana
 
Slides EvoluçãO Humana
Slides   EvoluçãO HumanaSlides   EvoluçãO Humana
Slides EvoluçãO Humana
 
A vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolíticoA vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolítico
 
A EvoluçãO Humana
A EvoluçãO HumanaA EvoluçãO Humana
A EvoluçãO Humana
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 

Semelhante a Evolução Humana (20)

Evolução humana 3 B
Evolução humana 3 B Evolução humana 3 B
Evolução humana 3 B
 
Pre-história
Pre-históriaPre-história
Pre-história
 
Evolução dos humano.pptx
Evolução dos  humano.pptxEvolução dos  humano.pptx
Evolução dos humano.pptx
 
vidas secas
vidas secasvidas secas
vidas secas
 
Evolução humana 3 B
Evolução humana 3 BEvolução humana 3 B
Evolução humana 3 B
 
Pre historia
Pre historiaPre historia
Pre historia
 
Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
 
Evolução do homem 3 C
Evolução do homem 3 CEvolução do homem 3 C
Evolução do homem 3 C
 
A origem do ser Humano
A origem do ser HumanoA origem do ser Humano
A origem do ser Humano
 
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
Daniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeireDaniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeire
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
 
Origem do homem
Origem do homemOrigem do homem
Origem do homem
 
Evolução humana 3 B
Evolução  humana 3 BEvolução  humana 3 B
Evolução humana 3 B
 
Exercícios evolução 2014
Exercícios evolução 2014Exercícios evolução 2014
Exercícios evolução 2014
 
ApresentaçãO12
ApresentaçãO12ApresentaçãO12
ApresentaçãO12
 
Homo sapiensgoo
Homo sapiensgooHomo sapiensgoo
Homo sapiensgoo
 
Homo sapiens - historia
Homo sapiens - historiaHomo sapiens - historia
Homo sapiens - historia
 
Explicação científica para origem dos seres humanos
Explicação científica para origem dos seres humanosExplicação científica para origem dos seres humanos
Explicação científica para origem dos seres humanos
 
Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
 
7.º ano - A evolução do homem
7.º ano - A evolução do homem7.º ano - A evolução do homem
7.º ano - A evolução do homem
 
Sapiens - Uma breve história da humanidade - Yuval Harari.pdf
Sapiens - Uma breve história da humanidade - Yuval Harari.pdfSapiens - Uma breve história da humanidade - Yuval Harari.pdf
Sapiens - Uma breve história da humanidade - Yuval Harari.pdf
 

Mais de Robson Oliveira (20)

Vírus ébola
Vírus ébolaVírus ébola
Vírus ébola
 
México
MéxicoMéxico
México
 
Tipos de usinas
Tipos de usinasTipos de usinas
Tipos de usinas
 
Tipos de álcool
Tipos de álcoolTipos de álcool
Tipos de álcool
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Londres
LondresLondres
Londres
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificial
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Cobras
CobrasCobras
Cobras
 
Rússia
Rússia Rússia
Rússia
 
Divas do cinema
Divas do cinemaDivas do cinema
Divas do cinema
 
Chernobyl
ChernobylChernobyl
Chernobyl
 
França
França França
França
 
Frutas
FrutasFrutas
Frutas
 
Raizes
RaizesRaizes
Raizes
 
Folhas
FolhasFolhas
Folhas
 
Caules
CaulesCaules
Caules
 
Alemanha
AlemanhaAlemanha
Alemanha
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 

Último

HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 

Último (20)

HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 

Evolução Humana

  • 2. Introdução A evolução humana, ou antropogênese, é a origem e a evolução do Homo sapiens como espécie distinta de outros hominídeos, dos grandes macacos e mamíferos placentários. O estudo da evolução humana engloba muitas disciplinas científicas, incluindo a antropologia física, primatologia, a arqueologia, linguística e genética.
  • 3. Termos O termo "humano" no contexto da evolução humana, refere-se ao gênero Homo, mas os estudos da evolução humana usualmente incluem outros hominídeos, como os australopitecos. O gênero Homo se afastou dos Australopitecos entre 2,3 e 2,4 milhões de anos na África.
  • 4. Ramificasão Os seres humanos ramificaram-se de seu ancestral comum com os chimpanzés, o único outro hominins vivo entre 5 e 7 milhões anos atrás. Diversas espécies de Homo evoluíram e agora estão extintas. Estas incluem o Homo erectus, e o Homo neanderthalensis, O Homo sapiens arcaico.
  • 5. Opiniões cientificas A opinião dominante entre os cientistas sobre a origem dos humanos anatomicamente modernos é a "Hipótese da origem única", que argumenta que o Homo sapiens surgiu na África. Já os cientistas que apoiam a "Hipótese multirregional" argumentam que o Homo sapiens evoluiu em regiões geograficamente separadas.
  • 6. Paleoantropologia A moderna área da paleoantropologia começou com o descobrimento do Neandertal e evidências de outros "homens das cavernas" no século 19. A ideia de que os humanos eram similares a certos macacos era óbvia para alguns há algum tempo.
  • 7. Charles Darwin A ideia de evolução biológica das espécies em geral não foi legitimizada até à publicação de A Origem das Espécies por Charles Darwin em 24 de novembro de 1859. Apesar do primeiro livro de Darwin sobre evolução não abordar a questão da evolução humana, era claro para leitores contemporâneos o que estava em jogo.
  • 8. Primeiros fósseis Foi apenas na década de 1890 que fósseis além dos de Neandertais foram encontrados. Em 1925, Raymond Dart descreveu o Australopithecus africanus. O espécime foi Bebé de Taung, um infante de Australopithecus descoberto em Taung, África do Sul.
  • 10. Hominídeos Até recentemente, considerava-se que a família Hominidae incluia apenas o género Homo; os orangotangos, gorilas, bonobos, e chimpanzés eram classificados na família Pongidae, que também incluía os gibões que atualmente se encontram classificados na família Hylobatidae – esta família é por vezes considerada a família-irmã dos hominídeos na super- família Hominoidea, dentro da ordem dos primatas.
  • 11. Toumai Sahelanthropus tchadensis, apelidado carinhosamente de "Toumai" é uma espécie de hominídeo descrita em 19 de julho de 2001 por Michel Brunet, com base num crânio que pode ser o mais antigo da linhagem humana, de mais ou menos 7 milhões de anos e pode ser a representação de um "elo perdido" que separou a linhagem humana da linhagem dos chimpanzés.
  • 12. Orrorin tugenensis O Orrorin tugenensis é a única espécie extinta de hominídeo classificada no gênero Orrorin. O nome foi dado pelos descobridores que encontraram os fósseis de Orrorin próximo à cidade de Tugen, Quênia. Eles são datados de, aproximadamente, 6 milhões de anos (Mioceno). Os fósseis encontrados até agora são de, no mínimo, 5 indivíduos.
  • 13. Ardipithecus kadabba O Ardipithecus kadabba é um hominídeo fóssil descoberto em 2001 pelo paleoantropólogo etíope Yohannes Haile-Selassie na depressão de Affar, noroeste da atual Etiópia. Se estima que esta espécie viveu entre 5,54 e 5,77 milhões de anos atrás.
  • 14. Ardipithecus ramidus O Ardipithecus ramidus é uma espécie de hominídeo fóssil, provavelmente bípede e que poderá ter sido um dos antepassados da espécie humana. O Ardipithecus ramidus, que existiu há 4,4 milhões de anos, na Etiópia, tinha uma capacidade craniana de 410 cm³, ou seja, três vezes menor que a do Homo sapiens.
  • 15. Gênero Australopitecos Os australopitecos (Australopithecus) constituem um género de diversos hominídeos extintos, bastante próximos aos do género Homo e, dentre eles, o A. afarensis e o A. africanus são os mais famosos. O A. africanus, primeiro descrito por Raymond Dart, com base no "crânio Infantil de Taung", datado em 2,5 a 2,9 milhões de anos, foi considerado durante muito então o ancestral direto do género Homo (em especial da espécie Homo erectus).
  • 16. Australopithecus anamensis Os fósseis têm sido datados de 3,9 a 4,2 milhões de anos, sendo do início do Plioceno. A dentição é menos parecida com a dos macacos. O fóssil da tíbia indica que o A. anamensis era maior que o A. afarensis e o Ardipithecus ramidus, com um peso estimado entre 46 e 55 quilogramas.
  • 17. Australop. afarensis Até ao presente, foram já encontrados fragmentos desta espécie pertencentes a mais de 300 indivíduos, datados entre 4 e 2,7 mihões de anos, todos na região norte do Grande Vale do Rift, incluindo um esqueleto quase completo de uma fêmea adulta, que foi denominada Lucy.
  • 18. Australop. africanus Australopithecus africanus é uma espécie antiga de hominídeo, um australopitecíneo que viveu entre 2 e 3 milhões de anos atrás, durante o período conhecido como Pleistoceno. Foi descrita por Raymond Dart em 1924, com base no em um crânio de um ser jovem que Dart pensou ser o “elo perdido” da evolução entre os símios e os seres humanos.
  • 19. Australop. garhi Inicialmente acreditou-se que era o elo perdido entre os géneros Australopithecus e Homo, e portanto um ancestral da espécie humana. Contudo, A. garhi é mais avançado do que qualquer outro australipiteco e uma espécie contemporânea (ou quase) das espécies ancestrais do género Homo, datada de 2 e 3 milhões de anos.
  • 20. Gênero Paranthropus O gênero Paranthropus existia em três espécies: Paranthropus aethiopicus, Paranthropus boisei e Paranthropus robustus. Estas espécies já foram classificadas como Australopitecus. Essas espécies são muito antigas, o Paranthropus aethiopicus é um dos Hominídeos mais velhos já encontrados, o Paranthropus boisei foi o primeiro a chegar na costa leste da África e o primeiro hominídeo a viver dentre as pastagens secas da África, que se a semelhava a o que é hoje uma savana africana.
  • 21. Paranth. aethiopicus O Paranthropus aethiopicus foi um hominídeo bípede do gênero Paranthropus que viveu entre 2,8 e 2,2 milhões de anos atrás no Plioceno. Os fósseis representando o início desse gênero incluem alguns fósseis fragmentados da Etiópia e um crânio encontrado no Lago Turkana sítio no Quênia conhecido como Caveira Negra.
  • 22. Paranth. boisei Paranthropus boisei foi um dos primeiros hominídeos que viveram no Leste da África, de cerca de 2 até 1 milhão de anos atrás durante o Pleistoceno. Tinha um crânio altamente especializado à mastigação pesada. P. boisei habitou os pastos secos da savana da África Leste durante um período de 2,5 a 1 milhão de anos atrás.
  • 23. Paranth. robustus O Paranthropus robustus foi originalmente descoberto na África meridional em 1938. O desenvolvimento do P. robustus, especificamente nos atributos cranianos, parecia indicar um "complexo de mastigação pesada". O Paranthropus robustus é geralmente datado como tendo de 1 a 2,6 milhões de anos.
  • 24. Gênero Homo Na taxonomia moderna, o Homo sapiens é a única espécie existente desse gênero, Homo. Do mesmo modo, o estudo recente das origens do Homo sapiens geralmente demonstra que existiram outras espécies de Homo, todas as quais estão agora extintas. Enquanto algumas dessas outras espécies poderiam ter sido ancestrais do H. sapiens, muitas foram provavelmente nossos "primos", tendo especificado a partir de nossa linhagem ancestral.
  • 25. Homo habilis Viveu entre cerca de 2,4 a 1,8 milhões de anos atrás. H. habilis, a primeira espécie do gênero Homo, evoluiu no sul e no leste da África no final do Plioceno ou início do Pleistoceno, quando divergiu do Australopithecines. H. habilis tinha molares menores e cérebro maior que os Australopithecines, e faziam ferramentas de pedra e talvez de ossos de animais.
  • 26. Homo erectus Viveu entre cerca de 1,8 (incluindo o ergaster). No Pleistoceno Inferior, 1,5–1 MAA, na África, Ásia, e Europa, provavelmente Homo habilis possuía um cérebro maior e fabricou ferramentas de pedra mais elaboradas; essas e outras diferenças são suficientes para que os antropólogos possam classificá-los como uma nova espécie, H. erectus.
  • 27. Homo ergaster Homo ergaster é uma espécie de hominídeo descrita a partir de restos fossilizados encontrados em Swartkrans, na África do Sul, com uma idade estimada entre 1,8 e um milhão de anos. De acordo com outros achados no mesmo local, pensa-se que esta espécie, que era muito próxima da nossa, teria usado instrumentos de pedra e poderia ter controlado o fogo.
  • 28. H. neanderthalensis viveu entre 250 e 30 mil anos atrás. Também conhecido como Homo sapiens neanderthalensis. Há um debate recente sobre se o "Homem de Neanderthal" foi uma espécie separada, Homo neanderthalensis, ou uma subespécie de H. sapiens. Enquanto o debate continua, a maioria das evidências, adquiridas através da análise do DNA mitocondrial.
  • 29. H. floresiensis Homo floresiensis é uma espécie extinta da família Hominidae que viveu na Ilha de Flores, pertencente à Indonésia, até há 13 000 anos. O homem de Flores é conhecido através de um esqueleto quase completo de uma mulher, a que foi dado o nome de Hobbit, e de seis outros indivíduos em diversos estados de conservação, incluindo um punho completo.
  • 30. H. heidelbergensis Homo heidelbergensis é um hominídeo extinto que surgiu há mais de 500 000 anos e perdurou, pelo menos, até cerca de 250 000 anos (Pleistoceno medio). Recebeu este nome pelo fato dos primeiros fósseis descobertos terem sido encontrados próximo à Heidelberg, na Alemanha.
  • 31. Homo sapiens Surgiu há cerca de 200 mil anos. No período interglacial do Pleistoceno Médio entre a Glaciação Riss e a Glaciação Wisconsin, há cerca de 250 mil anos, a tendência de expansão craniana e a tecnologia na elaboração de ferramentas de pedra desenvolveu-se, fornecendo evidências da transição do H. erectus ao H. sapiens. As evidências sugerem que houve uma migração do H. erectus para fora da África.