SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA (RTA)
Robson Fernando da Costa
Resumo
Com o mundo focado em tecnologia, o presente artigo aborda as
diferenças entre Gerente Técnico e o Lider técnico na captação e atração
de pessoas. O artigo busca investigar quais os fatores relacionados a
práticas e políticas de gestão de pessoas que impactam na contratação e
retenção de colaboradores que trabalham em áreas focadas a
desenvolvimento e inovação.
Este estudo descreve a grande discussão sobre contratação e retenção de
profissionais, considerando a competitividade de mercado, que também
pressiona as empresas a adquirir uma nova consciência com relação as
práticas de gestão de pessoas, assim como o perfis dos profissionais,
principalmente pelas expectativas de carreira e na relação com o
empregador.
Para este artigo será utilizado referências bibliografias em fontes como
livros, internet e documentos e políticas da empresa estudada.
Palavras Chaves: Atração, Retenção, Socialização, Rotatividade, Mão de
obra qualificada.
2 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
1. INTRODUÇÃO
A área de Recursos Humanos está evoluindo para uma abordagem mais
sistêmica, com foco nas estratégias das organizações e competências
necessárias para atingi-las. Desta forma, as empresas devem repensar e
reformular fundamentalmente suas estratégias de atração e captação de
pessoas devendo-se voltar para novas fontes de captação e atentar-se a
quais são os fatores para atração destes profissionais.
A captação de pessoas ou a perda de bons profissionais pressupõe
consciência da empresa em relação a suas necessidades. Somente dessa
maneira é possível saber quem procurar, onde procurar e o mais
importante quando contratar e o que fazer para não perdê-lo, esse tipo de
relação estabelece entre pessoa e a empresa. A necessidade da empresa
deve ser concretizada nos seguintes aspectos para que possa ser elaborado
um processo de captação adequado: perfil profissional, perfil
comportamental, entregas desejadas, condições de trabalho, condições de
desenvolvimento e condições contratuais (Dutra,2008, pg 82).Hoje o
ideograma de Conhecimento,Habilidade e Atitude que diz respeito a
competência e cada vez mais interpretado nas empresas para uma
contratação fica mais importante quando o Lider Técnico foca em ítens
como Valores “Meio e FIM” e o conceito de Entorno que quer dizer um
conhecimento do seu vizinho, de seus pares,assim saindo do conceito de
contratação do CHA para o CHAVE. A grande diferença desta visão, do CHA
para o CHAVE é que antes, a noção de competência era associada
principalmente ao domínio de um determinado conhecimento, agora digo
que essa visão fica mais ampla, conhecendo o que o Lider é diferente em
3Autores.Título
uma contratação pensando no Valor meio e fim, do mesmo modo podendo
identificar como esse colaborador pode trazer valor agregado e como
conhecer o seu entorno, mas esse processo de recrutamento e seleção é
influenciado diretamente pelo mercado de trabalho, de um lado,
competem os empregadores, e de outro, os próprios profissionais, como
afirma Limongi(2007). O processo de recrutamento necessita de
criatividade para atrair o máximo de pessoas com o perfil desejado para
empresa, da mesma forma o lider técnico precisa mostrar seu entusiasmo
e clareza do seu conhecimento em inovação e seus novos métodos em
contratar pessoas de novas gerações,Santos (1973) define seleção como
um processo pelo qual são escolhidas pessoas adaptadas a determinada
ocupação ou esquema operacional. É em principio, a escolha dos
candidatos com maior afinidade das suas expectativas e potencialidades
com as expectativas e necessidades previstas para o cargo ou posição em
processo de preenchimento, para os quais mais convém determinado
plano de ação, ou seja foco no Valor fim.
Hoje um lider Técnico pode utilizar de diversas técnicas que se
complementam e pode diminuir a possibilidade de erro na escolha do
candidato.
O processo seletivo implica na escolha do candidato, sendo também
importante a visão da continuidade deste processo, quanto à recepção e
socialização deste profissional ao ambiente, dinâmica e cultura da
organização, “isso faz o conhecimento do Entorno”,
Com base nos conceitos apresentados, cabe observar a importância da
atenção da relação entre os profissionais nas empresas nos processos de
captação destes profissionais. Nesse caso podemos identificar nas
4 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
empresas a existência dos Gerentes Técnicos, esses profissionais tem como
foco a necessidade que a empresa deve ter real consciência sobre suas
necessidades de profissionais Técnicos, não se importando no alinhamento
de expectativas destes profissionais, isto é um fator crítico de sucesso para
o processo seletivo, bem como para retenção deste profissional.
Se formos pensar em um processo de contratação com foco em liderança
,o líder técnico considera que este profissional é inserido na empresa, no
qual a organização tem oportunidade de estreitar os pontos que o
profissional busca em uma identificação à empresa, deste modo cada vez
mais temos um número crescente de empresas que realça a importância
da contratação e retenção como uma estratégia competitiva
fundamental,vivemos na era do conhecimento e empresas que trabalham
com desenvolvimento e inovação tem muitas dificuldades em mostrar seu
produto final para o novo colaborador,assim segundo Fleury, M. T.L. e
Fischer, R.M (2007). a falta de transparência e a deficiência de
procedimentos e padrões a serem seguidos, provocam erros e confusões
no processo de gestão e contratação, refletindo-se nas relações de
trabalho, motivação e satisfação dos funcionários, e consequentemente na
própria qualidade e ajuste da organização no processo de trabalho,sendo
assim, são altamente influenciadas a transparência na contratação e nas
possibilidades de implementação das mudanças organizacionais que
atinjam diretamente o comportamento e desenvolvimento dos
colaboradores, as relações entre os times, a comunicação e a distribuição
do poder dentro da organização. Como a transparência na contratação é
um ítem muito importante em empresas com foco em inovação,
precisamos deixar em alerta que o gerente técnico não se comporte
somente em processo técnico, o mundo mudou, dentro deste contexto de
5Autores.Título
gestão de pessoas o Gerente técnico não pode contratar pessoas sem o
perfil da empresa, ou pensar em uma determinada necessidade,a
organização deve fornecer ao Gerente Técnico um suporte no
desenvolvimento do talento, das habilidades e conhecimentos em prol dos
resultados, ao mesmo tempo em que recebem o que a empresa tem de
melhor a oferecer, contribuindo para um crescimento e desenvolvimento
pessoal e profissional (DUTRA, 2004).
Tendo em vista um cenário de globalização e mudança de tecnologia
dentro de inovação Disruptiva, as organizações, as políticas e práticas de
contratação e retenção tiveram que ser adaptadas, transformando-se para
melhor atender as necessidades dos funcionários e não mais no conceito
da contratação técnica,aquela que só sinaliza a identificação do fator
necessidade, “o poder técnico do contratado” . Podemos destacar o
processo de contratação e retenção com um Lider técnico, existirá uma
ruptura do antigo modelo de negócios,normalmente favorecendo o
aparecimento do ítem confiança e também a facilitação e cooperação do
trabalho em conjunto, sempre aparceirado a missão da empresa e não no
raciocínio de um Gestor, pode ser complexo,mas não devem ser
esquecidas as dimensões do ser humano liderado ou gerenciado, ou seja,
quando um funcionário cria uma socialização bem sucedida
proporcionando ao indivíduo uma nova auto-imagem, novo
comprometimento, novos valores e novos talentos,cria se um processo
motivacional para assumir um novo papel e começa a ser desenvolvido um
processo de socialização, isto é, a preparação para o liderado começar
sentir confiança antes da entrada formal na organização. Em toda
organização, ocorre normalmente um pequeno volume de entradas e
6 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
saídas de recursos humanos, ocasionando uma rotatividade meramente
vegetativa e de simples manutenção do sistema.
Contudo, algumas vezes, a rotação escapa ao controle da organização,
quando desligamentos efetuados por iniciativa dos empregados
aumentam substancialmente de volume. Podemos dizer que o mercado
de recursos humanos técnicos no Brasil “sem crise” é um mercado de
trabalho competitivo e com regime de oferta intensa, ocorrendo,
geralmente, um aumento de rotação de pessoal. A revolução causada pelas
novas tecnologias, nos últimos anos, fomentou os profissionais das áreas
de desenvolvimento a um novo patamar,deixando um desafio para o Lider
Técnico prospectar esses talentos,vale lembrar que setores de tecnologia
é bem dinâmico,mas especialistas em UI(Interação com usuário) – aquele
que trabalha com design da interface pela qual o usuário vai interagir,
Especialista em UX (Experiência do usuário) é aquele que planeja a
interação com o usuário final, Desenvolvedor full-stack aquele que domina
duas grandes áreas de o back-end(infraestrutura de servidores e bancos de
dados) e o front-end (a interface que todo mundo vê), Cientista de dados
(Big Data- É o especialista com uma formação bastante expandida, domina
desde softwares de análise de dados à estatística, precisando ser bem
informado e com foco em criação) e Desenvolvedores
de softwares DevOps (São especialistas que atuam em um grande avanço
no uso das metodologias ágeis de desenvolvimento, em nível de
conhecimento o DevOps é aquele que entende de Java, JavaScript, Python,
Ruby, Ruby on Rayls e Perl, entre outros). Com estes novos especialistas o
Lider técnico em conjunto com o RH precisam trabalhar com a
característica de Hunting Tech, ou seja bem diferente de anos atrás,onde o
RH não tinha a necessidade de conhecer o nicho do mercado que
7Autores.Título
trabalhava e se caracterizava como um profissional generalista . O conceito
de tecnologia focado em contratação trará uma rotatividade de antigos
gerentes que ainda focam somente em sua necessidade, por isso a
rotatividade pode ser provocada pela organização para fazer substituições
no sentido de melhorar o potencial humano existente, ou seja,
intercambiar parte de seus colaboradores por outros de melhor qualidade
encontrados no mercado, neste caso então, a rotatividade encontra-se sob
controle da organização. A opinião do empregado reflete sua percepção da
situação e permite identificar não somente os problemas existentes, mas
possíveis ações de melhoria.”Uma das formas de verificar a causa da
rotatividade é a entrevista de desligamento”. É permitida a área de
Recursos Humanos elaborar um diagnóstico sobre as políticas da
organização em geral, oportunidade de carreira, condições do ambiente de
trabalho e o grande problema o foco de Chefia. Apesar de sua utilidade, a
entrevista de desligamento nem sempre permite análises conclusivas do
clima da organização. As pessoas objeto da pesquisa são as que estão
saindo da organização. As desligadas por iniciativa da empresa estão de
certa forma descontentes e geralmente suas críticas são mais acirradas. As
que estão desligando-se voluntariamente às vezes preferem não fazer
críticas, para não denegrir sua imagem pessoal. Segundo PONTES (2001) os
dados obtidos podem ser enviesados.O diagnóstico da rotatividade pode
apontar a percepção dos profissionais com relação a organização e esta
utilizar estes resultados para melhoria ou implementação de ações ligadas
a práticas e políticas organizacionais.
Como conclusão estes resultados podem também apontar fatores
que motivam os profissionais dentro da organização em conseqüência, se
trabalhado, pode influenciar na retenção. Alguns fatores como salário,
8 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
benefícios, desafios, desenvolvimento profissional, status, ambiente físico
, social e segurança podem motivar um profissional a se candidatar a uma
vaga ou a se manter numa empresa,mas o conhecimento em liderar de um
modo mais transparente sugere que jamais uma necessidade possa ser
satisfeita completamente.Como considerações, observa-se que frente ao
mercado competitivo e a velocidade de mudanças de tecnologia, cabe
ressaltar a necessidade na agilidade de entendimento da organização com
relação às competências necessárias de um Gerente técnico para atingir
aos seus objetivos estratégicos, como também um planejamento focado
para captar, desenvolver pessoas. Como citado, no decorrer deste estudo,
para a empresa é importante conhecer as causas e os fatores que
influenciam o comportamento do Gerente técnico e o Lider Técnico na
captação e atração de pessoas ou nas necessidades que motiva e trabalha
sobre estes aspectos. As organizações podem adotar estratégias
motivacionais vinculadas aos objetivos dos funcionários e condizentes aos
da empresa, de forma que estes fatores colaborarem para a retenção de
seus profissionais ou no aumento de negócios, deste modo pensamos em
empresa que tem foco em inovação e que se preocupa com a sua
liderança,já quando tem foco somente em seu produto e não nas pessoas,
posso citar Igor Ansoff, que diz que as estratégias de crescimento podem
ser analisadas via par produto-mercado.Destaco que o crescimento
intenso, é o mais comum quando uma empresa visa iniciar a expansão de
suas atividades com foco em um produto . Ele ocorre via penetração de
mercado (expansão de áreas geográficas, por exemplo), desenvolvimento
de produtos. O crescimento integrado visa incorporar fornecedores
(integração para trás), atacadistas/varejistas (integração para frente) ou
concorrentes (integração lateral ou horizontal) ou criar estruturas que os
9Autores.Título
substituam,mas sempre com foco no tangível que é o produto,sua
necessidade de crescer poderá deixar para trás o desenvolvimento de
pessoas e o crescimento diversificado ficará definido como um estado
mental ou físico do colaborador, as necessidades serão numerosas e o que
move este mundo e esta nossa sociedade, são as necessidades e os desejos
e nesse caso será mais importante a atuação do lider técnico,que deverá
entender cada colaborador através da satisfação das necessidades e dos
desejos,sempre seguindo a meta e missão da empresa.Um fato importante
é que o verdadeiro lider,não pode julgar ou valorizar as necessidades e
desejos dos outros, baseados em suas necessidades, desejos ou valores.
Somos juízes de nossas próprias e únicas necessidades, desejos e valores,
como exemplo prático é a comparação de matar a sede com água,isso é
uma necessidade, já substituir a água por um refrigerante é um
desejo,saindo desta dimensão e pensando em disseminação de inteligência
através da organização,o Líder Técnico implementa ações como resposta
às necessidades dos colaboradores e antecipa aos movimentos da
concorrência ou das demais forças externas que poderá aumentar seu
turnover, “desenvolvimento focado no objetivo final de satisfazer os
colaborador e trazer soluções para empresa”. Portanto, esse não é o papel
tão somente do departamento RH “como é usado hoje em dia”, mas do
resultado de uma filosofia mercadológica consolidada em todas as áreas de
tecnologia e inovação, refletido nas atitudes e comportamentos de todos
os membros da organização,da mesma forma, o Líder técnico deve
influenciar as ações dos colaboradores com o objetivo de atrair e manter
satisfação e desenvolvimento da sua área.Um Lider deve ter flexibilidade
para poder entender e implementar dispositivos para atender pequenas
necessidades iniciais, com baixo custo e com facilidades de ampliação
10 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
conforme surgirem novas necessidades, ou atender grandes necessidades
já de início, permitindo modificações de forma simples, não afetando toda
a área e sem a necessidade de mudar o foco inicial, como se estivesse
construída em módulos.
Para finalizar coloco minhas recomendações,como:
Considerando-se as limitações inerentes ao artigo, os resultados sugerem algumas
recomendações de cunho prático.
Os pontos fracos da gestão organizacional, aqueles que apresentam um forte gap em
relação ao modelo de gestão técnica, pode ser imediatamente atacados, de forma a
obter uma empresa mais estruturada e preparada, mais coesa, mais íntegra, para
enfrentar os desafios do mercado. Neste sentido:
1. deve ser valorizado, em todos os departamentos, o apoio e a ajuda entre
empregados,saber o que cada área faz e como entrega;
2. a empresa deve privilegiar resultados também a longo prazo;
3. os empregados devem voltar a ter orgulho de pertencer à organização;
4. os Gerentes Técnicos devem ser capacitados a descrever valores, propósitos e
entender que não é somente o perfil técnico que é importante;
5. os empregados devem saber cada vez mais como suas tarefas contribuem para
os resultados da organização, ou seja identificar que a carreira está diretamente
ligada a suas competências,valores e interesses do colaborador e da empresa ;
7. os líderes devem, cada vez mais, desenvolver facilitadores e formadores de
opinião e não focar somente em sua meta de entrega técnica;
8. cada vez mais o processo de seleção deverá considerar a cultura da empresa; e
9. os candidatos, em fase de seleção, devem receber informações positivas ou
negativas para permitir sua decisão de ingresso na empresa.
Este conjunto de medidas ajudará a organização a adaptar-se mais ao ambiente
externo e a atender às necessidades dos seus membros tornando-a menos vulnerável
aos desafios externos.
11Autores.Título
Para os estudiosos de Recursos Humanos, especialmente nos que focam em
liderança e turnover,este artigo contribui com um rol de fatores que auxiliam a
promover tal retenção e possibilita que novos estudos sejam especialmente feitas com
o intuito de mais fielmente quantificar a importância do assunto aqui desenvolvido.
”Para finalizar, sempre digo para os lideres: Não deixe que a sua empresa fique igual
a um mundo mágico de um circo, com homens de chicote,mágicos e outros, faça a
sua empresa ser/ter um ambiente de confiança,isso trará pertencimento dos
colaboradores e com certeza esse resultado final trará uma grande qualidade na
entrega de seus projetos”.
12 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
13Autores.Título
14 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
15Autores.Título
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxx
16 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
17Autores.Título
18 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unoparKarina Almeida
 
Gestão de pessoas por competências
Gestão de pessoas por competênciasGestão de pessoas por competências
Gestão de pessoas por competênciasLilian Melo
 
Portfolio recursos humanos ii
Portfolio   recursos humanos iiPortfolio   recursos humanos ii
Portfolio recursos humanos iiAndréia Cruz
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoNome Sobrenome
 
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de PessoasAdministração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de PessoasMeme Maria Souza
 
Tcc planejamento estratégico
Tcc planejamento estratégicoTcc planejamento estratégico
Tcc planejamento estratégicoViviane Carvalho
 
Apostila de administração de recursos humanos[1]
Apostila de administração de recursos humanos[1]Apostila de administração de recursos humanos[1]
Apostila de administração de recursos humanos[1]Paulo Almeida
 
Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...
Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...
Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...Alexandre Zappelloni
 
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unoparKarina Almeida
 
Administração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanosAdministração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanosPedro Quinanga
 
Portfolio Gabrielli Saba
Portfolio Gabrielli SabaPortfolio Gabrielli Saba
Portfolio Gabrielli Sababellysaba
 
Gestão de pessoas
Gestão de pessoas Gestão de pessoas
Gestão de pessoas Moacir Silva
 
Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.
Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.
Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.zeusi9iuto
 
Briefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestreBriefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestrePaulo Vinicius
 
TCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em Sorocaba
TCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em SorocabaTCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em Sorocaba
TCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em Sorocabamariliamartin
 
Artigo Planejamento Estratégico
Artigo Planejamento EstratégicoArtigo Planejamento Estratégico
Artigo Planejamento EstratégicoFernando Tobgyal
 

Mais procurados (19)

Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unopar
 
Gestão de pessoas por competências
Gestão de pessoas por competênciasGestão de pessoas por competências
Gestão de pessoas por competências
 
Portfolio recursos humanos ii
Portfolio   recursos humanos iiPortfolio   recursos humanos ii
Portfolio recursos humanos ii
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de PessoasAdministração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
 
Material de Estudo - DGP
Material de Estudo - DGPMaterial de Estudo - DGP
Material de Estudo - DGP
 
Tcc planejamento estratégico
Tcc planejamento estratégicoTcc planejamento estratégico
Tcc planejamento estratégico
 
Apostila de administração de recursos humanos[1]
Apostila de administração de recursos humanos[1]Apostila de administração de recursos humanos[1]
Apostila de administração de recursos humanos[1]
 
Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...
Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...
Gestão de pessoas e sua aplicação imprescindível junto às metodologias para g...
 
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unopar
 
Administração (gestão da carreira)
Administração (gestão da carreira)Administração (gestão da carreira)
Administração (gestão da carreira)
 
Administração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanosAdministração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanos
 
Portfolio Gabrielli Saba
Portfolio Gabrielli SabaPortfolio Gabrielli Saba
Portfolio Gabrielli Saba
 
Gestão de pessoas
Gestão de pessoas Gestão de pessoas
Gestão de pessoas
 
Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.
Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.
Tgp competitividade aula 11 gestão de pessoas.
 
Briefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestreBriefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestre
 
TCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em Sorocaba
TCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em SorocabaTCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em Sorocaba
TCC - Treinamento e Desenvolvimento Profissional em Hotéis de Rede em Sorocaba
 
Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro
Gestão da Inovação no Contexto BrasileiroGestão da Inovação no Contexto Brasileiro
Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro
 
Artigo Planejamento Estratégico
Artigo Planejamento EstratégicoArtigo Planejamento Estratégico
Artigo Planejamento Estratégico
 

Semelhante a Contratação e retenção de profissionais de tecnologia

Gpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanos
Gpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanosGpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanos
Gpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanoszeramento contabil
 
Apresentação da atps de recursos humanos
Apresentação da atps de recursos humanos   Apresentação da atps de recursos humanos
Apresentação da atps de recursos humanos Rodrigo Cisco
 
Apresentação da atps de recursos humanos paulo rogério de oliveira
Apresentação da atps de recursos humanos   paulo rogério de oliveiraApresentação da atps de recursos humanos   paulo rogério de oliveira
Apresentação da atps de recursos humanos paulo rogério de oliveiraCisco Kunsagi
 
Novos paradigmas na gestão de recursos humanos
Novos paradigmas na gestão de recursos humanosNovos paradigmas na gestão de recursos humanos
Novos paradigmas na gestão de recursos humanosclaudiamendes
 
Novos paradigmas na gesto de recursos humanos
Novos paradigmas na gesto de recursos humanosNovos paradigmas na gesto de recursos humanos
Novos paradigmas na gesto de recursos humanosclaudiamendes
 
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenhariaUm engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenhariaLowrrayny Franchesca
 
8 tendências da atração e seleção de pessoas
8 tendências da atração e seleção de pessoas8 tendências da atração e seleção de pessoas
8 tendências da atração e seleção de pessoasDeyviane Teixeira
 
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...Karinie Figueiredo
 
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RHTrabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RHOrlando Tandala
 
O Processo De Recrutar E Selecionar Pessoas
O Processo De Recrutar E Selecionar PessoasO Processo De Recrutar E Selecionar Pessoas
O Processo De Recrutar E Selecionar PessoasAngelo Peres
 
Encontro 2 o processo de recrutar e selecionar pessoas
Encontro 2   o processo de recrutar e selecionar pessoasEncontro 2   o processo de recrutar e selecionar pessoas
Encontro 2 o processo de recrutar e selecionar pessoasAngelo Peres
 
Gestao De Pessoas
Gestao De PessoasGestao De Pessoas
Gestao De Pessoasucammaster
 
Causas e Efeitos da rotatividade de pessoal - Turnover
Causas e Efeitos da rotatividade de pessoal - TurnoverCausas e Efeitos da rotatividade de pessoal - Turnover
Causas e Efeitos da rotatividade de pessoal - TurnoverMichelli Godoi
 
O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...
O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...
O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...Angelo Peres
 
Fevereiro 2008 O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs Consulex
Fevereiro 2008   O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs   ConsulexFevereiro 2008   O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs   Consulex
Fevereiro 2008 O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs ConsulexAngelo Peres
 

Semelhante a Contratação e retenção de profissionais de tecnologia (20)

Importância do recrutamento e seleção
Importância do recrutamento e seleçãoImportância do recrutamento e seleção
Importância do recrutamento e seleção
 
Gpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanos
Gpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanosGpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanos
Gpe novo perfil_da_area_de_recursos_humanos
 
Apresentação da atps de recursos humanos
Apresentação da atps de recursos humanos   Apresentação da atps de recursos humanos
Apresentação da atps de recursos humanos
 
Apresentação da atps de recursos humanos paulo rogério de oliveira
Apresentação da atps de recursos humanos   paulo rogério de oliveiraApresentação da atps de recursos humanos   paulo rogério de oliveira
Apresentação da atps de recursos humanos paulo rogério de oliveira
 
Novos paradigmas na gestão de recursos humanos
Novos paradigmas na gestão de recursos humanosNovos paradigmas na gestão de recursos humanos
Novos paradigmas na gestão de recursos humanos
 
Novos paradigmas na gesto de recursos humanos
Novos paradigmas na gesto de recursos humanosNovos paradigmas na gesto de recursos humanos
Novos paradigmas na gesto de recursos humanos
 
Revista Melhor: programa RH Triple A FDC
Revista Melhor: programa RH Triple A FDCRevista Melhor: programa RH Triple A FDC
Revista Melhor: programa RH Triple A FDC
 
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenhariaUm engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
 
GESTAO DE GENTE.pdf
GESTAO DE GENTE.pdfGESTAO DE GENTE.pdf
GESTAO DE GENTE.pdf
 
8 tendências da atração e seleção de pessoas
8 tendências da atração e seleção de pessoas8 tendências da atração e seleção de pessoas
8 tendências da atração e seleção de pessoas
 
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
 
451 742-1-pb
451 742-1-pb451 742-1-pb
451 742-1-pb
 
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RHTrabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
 
R&s
R&sR&s
R&s
 
O Processo De Recrutar E Selecionar Pessoas
O Processo De Recrutar E Selecionar PessoasO Processo De Recrutar E Selecionar Pessoas
O Processo De Recrutar E Selecionar Pessoas
 
Encontro 2 o processo de recrutar e selecionar pessoas
Encontro 2   o processo de recrutar e selecionar pessoasEncontro 2   o processo de recrutar e selecionar pessoas
Encontro 2 o processo de recrutar e selecionar pessoas
 
Gestao De Pessoas
Gestao De PessoasGestao De Pessoas
Gestao De Pessoas
 
Causas e Efeitos da rotatividade de pessoal - Turnover
Causas e Efeitos da rotatividade de pessoal - TurnoverCausas e Efeitos da rotatividade de pessoal - Turnover
Causas e Efeitos da rotatividade de pessoal - Turnover
 
O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...
O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...
O Século XXI , O Setor de Serviços e os Novos Processos de Recrutamento e Sel...
 
Fevereiro 2008 O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs Consulex
Fevereiro 2008   O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs   ConsulexFevereiro 2008   O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs   Consulex
Fevereiro 2008 O SéCulo 21 O Ss E Os Novos Processo De Rs Consulex
 

Contratação e retenção de profissionais de tecnologia

  • 1. REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA (RTA) Robson Fernando da Costa Resumo Com o mundo focado em tecnologia, o presente artigo aborda as diferenças entre Gerente Técnico e o Lider técnico na captação e atração de pessoas. O artigo busca investigar quais os fatores relacionados a práticas e políticas de gestão de pessoas que impactam na contratação e retenção de colaboradores que trabalham em áreas focadas a desenvolvimento e inovação. Este estudo descreve a grande discussão sobre contratação e retenção de profissionais, considerando a competitividade de mercado, que também pressiona as empresas a adquirir uma nova consciência com relação as práticas de gestão de pessoas, assim como o perfis dos profissionais, principalmente pelas expectativas de carreira e na relação com o empregador. Para este artigo será utilizado referências bibliografias em fontes como livros, internet e documentos e políticas da empresa estudada. Palavras Chaves: Atração, Retenção, Socialização, Rotatividade, Mão de obra qualificada.
  • 2. 2 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx 1. INTRODUÇÃO A área de Recursos Humanos está evoluindo para uma abordagem mais sistêmica, com foco nas estratégias das organizações e competências necessárias para atingi-las. Desta forma, as empresas devem repensar e reformular fundamentalmente suas estratégias de atração e captação de pessoas devendo-se voltar para novas fontes de captação e atentar-se a quais são os fatores para atração destes profissionais. A captação de pessoas ou a perda de bons profissionais pressupõe consciência da empresa em relação a suas necessidades. Somente dessa maneira é possível saber quem procurar, onde procurar e o mais importante quando contratar e o que fazer para não perdê-lo, esse tipo de relação estabelece entre pessoa e a empresa. A necessidade da empresa deve ser concretizada nos seguintes aspectos para que possa ser elaborado um processo de captação adequado: perfil profissional, perfil comportamental, entregas desejadas, condições de trabalho, condições de desenvolvimento e condições contratuais (Dutra,2008, pg 82).Hoje o ideograma de Conhecimento,Habilidade e Atitude que diz respeito a competência e cada vez mais interpretado nas empresas para uma contratação fica mais importante quando o Lider Técnico foca em ítens como Valores “Meio e FIM” e o conceito de Entorno que quer dizer um conhecimento do seu vizinho, de seus pares,assim saindo do conceito de contratação do CHA para o CHAVE. A grande diferença desta visão, do CHA para o CHAVE é que antes, a noção de competência era associada principalmente ao domínio de um determinado conhecimento, agora digo que essa visão fica mais ampla, conhecendo o que o Lider é diferente em
  • 3. 3Autores.Título uma contratação pensando no Valor meio e fim, do mesmo modo podendo identificar como esse colaborador pode trazer valor agregado e como conhecer o seu entorno, mas esse processo de recrutamento e seleção é influenciado diretamente pelo mercado de trabalho, de um lado, competem os empregadores, e de outro, os próprios profissionais, como afirma Limongi(2007). O processo de recrutamento necessita de criatividade para atrair o máximo de pessoas com o perfil desejado para empresa, da mesma forma o lider técnico precisa mostrar seu entusiasmo e clareza do seu conhecimento em inovação e seus novos métodos em contratar pessoas de novas gerações,Santos (1973) define seleção como um processo pelo qual são escolhidas pessoas adaptadas a determinada ocupação ou esquema operacional. É em principio, a escolha dos candidatos com maior afinidade das suas expectativas e potencialidades com as expectativas e necessidades previstas para o cargo ou posição em processo de preenchimento, para os quais mais convém determinado plano de ação, ou seja foco no Valor fim. Hoje um lider Técnico pode utilizar de diversas técnicas que se complementam e pode diminuir a possibilidade de erro na escolha do candidato. O processo seletivo implica na escolha do candidato, sendo também importante a visão da continuidade deste processo, quanto à recepção e socialização deste profissional ao ambiente, dinâmica e cultura da organização, “isso faz o conhecimento do Entorno”, Com base nos conceitos apresentados, cabe observar a importância da atenção da relação entre os profissionais nas empresas nos processos de captação destes profissionais. Nesse caso podemos identificar nas
  • 4. 4 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx empresas a existência dos Gerentes Técnicos, esses profissionais tem como foco a necessidade que a empresa deve ter real consciência sobre suas necessidades de profissionais Técnicos, não se importando no alinhamento de expectativas destes profissionais, isto é um fator crítico de sucesso para o processo seletivo, bem como para retenção deste profissional. Se formos pensar em um processo de contratação com foco em liderança ,o líder técnico considera que este profissional é inserido na empresa, no qual a organização tem oportunidade de estreitar os pontos que o profissional busca em uma identificação à empresa, deste modo cada vez mais temos um número crescente de empresas que realça a importância da contratação e retenção como uma estratégia competitiva fundamental,vivemos na era do conhecimento e empresas que trabalham com desenvolvimento e inovação tem muitas dificuldades em mostrar seu produto final para o novo colaborador,assim segundo Fleury, M. T.L. e Fischer, R.M (2007). a falta de transparência e a deficiência de procedimentos e padrões a serem seguidos, provocam erros e confusões no processo de gestão e contratação, refletindo-se nas relações de trabalho, motivação e satisfação dos funcionários, e consequentemente na própria qualidade e ajuste da organização no processo de trabalho,sendo assim, são altamente influenciadas a transparência na contratação e nas possibilidades de implementação das mudanças organizacionais que atinjam diretamente o comportamento e desenvolvimento dos colaboradores, as relações entre os times, a comunicação e a distribuição do poder dentro da organização. Como a transparência na contratação é um ítem muito importante em empresas com foco em inovação, precisamos deixar em alerta que o gerente técnico não se comporte somente em processo técnico, o mundo mudou, dentro deste contexto de
  • 5. 5Autores.Título gestão de pessoas o Gerente técnico não pode contratar pessoas sem o perfil da empresa, ou pensar em uma determinada necessidade,a organização deve fornecer ao Gerente Técnico um suporte no desenvolvimento do talento, das habilidades e conhecimentos em prol dos resultados, ao mesmo tempo em que recebem o que a empresa tem de melhor a oferecer, contribuindo para um crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional (DUTRA, 2004). Tendo em vista um cenário de globalização e mudança de tecnologia dentro de inovação Disruptiva, as organizações, as políticas e práticas de contratação e retenção tiveram que ser adaptadas, transformando-se para melhor atender as necessidades dos funcionários e não mais no conceito da contratação técnica,aquela que só sinaliza a identificação do fator necessidade, “o poder técnico do contratado” . Podemos destacar o processo de contratação e retenção com um Lider técnico, existirá uma ruptura do antigo modelo de negócios,normalmente favorecendo o aparecimento do ítem confiança e também a facilitação e cooperação do trabalho em conjunto, sempre aparceirado a missão da empresa e não no raciocínio de um Gestor, pode ser complexo,mas não devem ser esquecidas as dimensões do ser humano liderado ou gerenciado, ou seja, quando um funcionário cria uma socialização bem sucedida proporcionando ao indivíduo uma nova auto-imagem, novo comprometimento, novos valores e novos talentos,cria se um processo motivacional para assumir um novo papel e começa a ser desenvolvido um processo de socialização, isto é, a preparação para o liderado começar sentir confiança antes da entrada formal na organização. Em toda organização, ocorre normalmente um pequeno volume de entradas e
  • 6. 6 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx saídas de recursos humanos, ocasionando uma rotatividade meramente vegetativa e de simples manutenção do sistema. Contudo, algumas vezes, a rotação escapa ao controle da organização, quando desligamentos efetuados por iniciativa dos empregados aumentam substancialmente de volume. Podemos dizer que o mercado de recursos humanos técnicos no Brasil “sem crise” é um mercado de trabalho competitivo e com regime de oferta intensa, ocorrendo, geralmente, um aumento de rotação de pessoal. A revolução causada pelas novas tecnologias, nos últimos anos, fomentou os profissionais das áreas de desenvolvimento a um novo patamar,deixando um desafio para o Lider Técnico prospectar esses talentos,vale lembrar que setores de tecnologia é bem dinâmico,mas especialistas em UI(Interação com usuário) – aquele que trabalha com design da interface pela qual o usuário vai interagir, Especialista em UX (Experiência do usuário) é aquele que planeja a interação com o usuário final, Desenvolvedor full-stack aquele que domina duas grandes áreas de o back-end(infraestrutura de servidores e bancos de dados) e o front-end (a interface que todo mundo vê), Cientista de dados (Big Data- É o especialista com uma formação bastante expandida, domina desde softwares de análise de dados à estatística, precisando ser bem informado e com foco em criação) e Desenvolvedores de softwares DevOps (São especialistas que atuam em um grande avanço no uso das metodologias ágeis de desenvolvimento, em nível de conhecimento o DevOps é aquele que entende de Java, JavaScript, Python, Ruby, Ruby on Rayls e Perl, entre outros). Com estes novos especialistas o Lider técnico em conjunto com o RH precisam trabalhar com a característica de Hunting Tech, ou seja bem diferente de anos atrás,onde o RH não tinha a necessidade de conhecer o nicho do mercado que
  • 7. 7Autores.Título trabalhava e se caracterizava como um profissional generalista . O conceito de tecnologia focado em contratação trará uma rotatividade de antigos gerentes que ainda focam somente em sua necessidade, por isso a rotatividade pode ser provocada pela organização para fazer substituições no sentido de melhorar o potencial humano existente, ou seja, intercambiar parte de seus colaboradores por outros de melhor qualidade encontrados no mercado, neste caso então, a rotatividade encontra-se sob controle da organização. A opinião do empregado reflete sua percepção da situação e permite identificar não somente os problemas existentes, mas possíveis ações de melhoria.”Uma das formas de verificar a causa da rotatividade é a entrevista de desligamento”. É permitida a área de Recursos Humanos elaborar um diagnóstico sobre as políticas da organização em geral, oportunidade de carreira, condições do ambiente de trabalho e o grande problema o foco de Chefia. Apesar de sua utilidade, a entrevista de desligamento nem sempre permite análises conclusivas do clima da organização. As pessoas objeto da pesquisa são as que estão saindo da organização. As desligadas por iniciativa da empresa estão de certa forma descontentes e geralmente suas críticas são mais acirradas. As que estão desligando-se voluntariamente às vezes preferem não fazer críticas, para não denegrir sua imagem pessoal. Segundo PONTES (2001) os dados obtidos podem ser enviesados.O diagnóstico da rotatividade pode apontar a percepção dos profissionais com relação a organização e esta utilizar estes resultados para melhoria ou implementação de ações ligadas a práticas e políticas organizacionais. Como conclusão estes resultados podem também apontar fatores que motivam os profissionais dentro da organização em conseqüência, se trabalhado, pode influenciar na retenção. Alguns fatores como salário,
  • 8. 8 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx benefícios, desafios, desenvolvimento profissional, status, ambiente físico , social e segurança podem motivar um profissional a se candidatar a uma vaga ou a se manter numa empresa,mas o conhecimento em liderar de um modo mais transparente sugere que jamais uma necessidade possa ser satisfeita completamente.Como considerações, observa-se que frente ao mercado competitivo e a velocidade de mudanças de tecnologia, cabe ressaltar a necessidade na agilidade de entendimento da organização com relação às competências necessárias de um Gerente técnico para atingir aos seus objetivos estratégicos, como também um planejamento focado para captar, desenvolver pessoas. Como citado, no decorrer deste estudo, para a empresa é importante conhecer as causas e os fatores que influenciam o comportamento do Gerente técnico e o Lider Técnico na captação e atração de pessoas ou nas necessidades que motiva e trabalha sobre estes aspectos. As organizações podem adotar estratégias motivacionais vinculadas aos objetivos dos funcionários e condizentes aos da empresa, de forma que estes fatores colaborarem para a retenção de seus profissionais ou no aumento de negócios, deste modo pensamos em empresa que tem foco em inovação e que se preocupa com a sua liderança,já quando tem foco somente em seu produto e não nas pessoas, posso citar Igor Ansoff, que diz que as estratégias de crescimento podem ser analisadas via par produto-mercado.Destaco que o crescimento intenso, é o mais comum quando uma empresa visa iniciar a expansão de suas atividades com foco em um produto . Ele ocorre via penetração de mercado (expansão de áreas geográficas, por exemplo), desenvolvimento de produtos. O crescimento integrado visa incorporar fornecedores (integração para trás), atacadistas/varejistas (integração para frente) ou concorrentes (integração lateral ou horizontal) ou criar estruturas que os
  • 9. 9Autores.Título substituam,mas sempre com foco no tangível que é o produto,sua necessidade de crescer poderá deixar para trás o desenvolvimento de pessoas e o crescimento diversificado ficará definido como um estado mental ou físico do colaborador, as necessidades serão numerosas e o que move este mundo e esta nossa sociedade, são as necessidades e os desejos e nesse caso será mais importante a atuação do lider técnico,que deverá entender cada colaborador através da satisfação das necessidades e dos desejos,sempre seguindo a meta e missão da empresa.Um fato importante é que o verdadeiro lider,não pode julgar ou valorizar as necessidades e desejos dos outros, baseados em suas necessidades, desejos ou valores. Somos juízes de nossas próprias e únicas necessidades, desejos e valores, como exemplo prático é a comparação de matar a sede com água,isso é uma necessidade, já substituir a água por um refrigerante é um desejo,saindo desta dimensão e pensando em disseminação de inteligência através da organização,o Líder Técnico implementa ações como resposta às necessidades dos colaboradores e antecipa aos movimentos da concorrência ou das demais forças externas que poderá aumentar seu turnover, “desenvolvimento focado no objetivo final de satisfazer os colaborador e trazer soluções para empresa”. Portanto, esse não é o papel tão somente do departamento RH “como é usado hoje em dia”, mas do resultado de uma filosofia mercadológica consolidada em todas as áreas de tecnologia e inovação, refletido nas atitudes e comportamentos de todos os membros da organização,da mesma forma, o Líder técnico deve influenciar as ações dos colaboradores com o objetivo de atrair e manter satisfação e desenvolvimento da sua área.Um Lider deve ter flexibilidade para poder entender e implementar dispositivos para atender pequenas necessidades iniciais, com baixo custo e com facilidades de ampliação
  • 10. 10 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx conforme surgirem novas necessidades, ou atender grandes necessidades já de início, permitindo modificações de forma simples, não afetando toda a área e sem a necessidade de mudar o foco inicial, como se estivesse construída em módulos. Para finalizar coloco minhas recomendações,como: Considerando-se as limitações inerentes ao artigo, os resultados sugerem algumas recomendações de cunho prático. Os pontos fracos da gestão organizacional, aqueles que apresentam um forte gap em relação ao modelo de gestão técnica, pode ser imediatamente atacados, de forma a obter uma empresa mais estruturada e preparada, mais coesa, mais íntegra, para enfrentar os desafios do mercado. Neste sentido: 1. deve ser valorizado, em todos os departamentos, o apoio e a ajuda entre empregados,saber o que cada área faz e como entrega; 2. a empresa deve privilegiar resultados também a longo prazo; 3. os empregados devem voltar a ter orgulho de pertencer à organização; 4. os Gerentes Técnicos devem ser capacitados a descrever valores, propósitos e entender que não é somente o perfil técnico que é importante; 5. os empregados devem saber cada vez mais como suas tarefas contribuem para os resultados da organização, ou seja identificar que a carreira está diretamente ligada a suas competências,valores e interesses do colaborador e da empresa ; 7. os líderes devem, cada vez mais, desenvolver facilitadores e formadores de opinião e não focar somente em sua meta de entrega técnica; 8. cada vez mais o processo de seleção deverá considerar a cultura da empresa; e 9. os candidatos, em fase de seleção, devem receber informações positivas ou negativas para permitir sua decisão de ingresso na empresa. Este conjunto de medidas ajudará a organização a adaptar-se mais ao ambiente externo e a atender às necessidades dos seus membros tornando-a menos vulnerável aos desafios externos.
  • 11. 11Autores.Título Para os estudiosos de Recursos Humanos, especialmente nos que focam em liderança e turnover,este artigo contribui com um rol de fatores que auxiliam a promover tal retenção e possibilita que novos estudos sejam especialmente feitas com o intuito de mais fielmente quantificar a importância do assunto aqui desenvolvido. ”Para finalizar, sempre digo para os lideres: Não deixe que a sua empresa fique igual a um mundo mágico de um circo, com homens de chicote,mágicos e outros, faça a sua empresa ser/ter um ambiente de confiança,isso trará pertencimento dos colaboradores e com certeza esse resultado final trará uma grande qualidade na entrega de seus projetos”.
  • 12. 12 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
  • 14. 14 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
  • 16. 16 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx
  • 18. 18 REVISTA DE TECNOLOGIA APLICADA, v.5, n.1, Agosto, p.xx-xx