SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
EFÉSIOS

Efésios 2:1-10
EFÉSIOS

Efésios 2:1
“Ele vos vivificou”
Paulo segue a mesma sequência de Romanos 1-8
Mostra com clareza a real condição humana
Depois apresenta a graça salvadora de Cristo
Cristo é o agente gerador dessa nova vida
Ao homem é impossível o vivificar a si mesmo
EFÉSIOS

Efésios 2:1
“estando vós mortos”
Não é sinônimo de inconsciência ou não-existência
É uma consequência do pecado adâmico
Aqui, o termo não é simbólico ou figurativo
Não faz distinção entre judeus e gentios
Revelação da condição espiritual humana sem Cristo
Total incapacidade humana de buscar ou entender a Deus
EFÉSIOS

Efésios 2:1
“vossos delitos e pecados”
A amplitude da ação pecaminosa
Transgressões e pecados significam todos os tipos de pecados
No homem natural reside toda a inclinação e ação para a
prática de todo e qualquer pecado
A raiz de “transgressão”, que é traduzido como delito, é “errar
o alvo”, enquanto que a raiz de “pecado” é “errar”. Dessa
forma, ambos os termos implicam na total incapacidade
humana de viver a vida que Deus deseja
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“nos quais outrora andastes”
Andar: Modo de vida, caminhar na prática do mal
Submissão a três fontes de poder e autoridade que conduzem o
homem a um estilo de vida completamente oposto àquele que
Deus deseja:
1) poder do mundo;
2) poder da natureza espiritual;
3) poder no cotidiano do homem.
Poder do mundo: “segundo o curso deste mundo”.
Poder espiritual: “segundo o príncipe das potestades do ar”.
Poder no cotidiano: “o espírito que agora opera”
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“segundo o curso deste mundo”
“curso” (αἰw'na) e “mundo” (κόζμοσ)
Enfatizam a ideia de que aqueles que assim andam, “segundo
o curso deste mundo”, vivem uma vida totalmente separada de
Deus, já que estão presos a um período de tempo que é carnal
e alienado de Deus.
O versículo 1 apresenta o pecado em seu estado interior
O versículo 2 apresenta o pecado em seu estado exterior
Os estados interior e exterior são típicos e naturais das pessoas
não regeneradas (harmonia com o curso natural do mundo)
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“segundo o príncipe das potestades do ar”
O príncipe é tratado como um ser pessoal, que é o governador,
líder, daquilo que é caracterizado como as “potestades do ar”
Um traço de sua personalidade é a inteligência, pois a
declaração revela uma organização hierárquica, que é uma
demonstração de intelecto
As potestades possuem certo tipo de força ou poder
Exercem influência habilidosa sobre a esfera terrena
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“espírito que agora opera”
Descrição da ação do próprio satanás
Age pessoalmente ou através de seus emissários, os demônios
Este espírito estava ativo e atuante na época do apóstolo
Barclay afirma que a operação nos filhos da desobediência é
apresentada nos três primeiros versículos, sendo elas:
1) Se mantém nos padrões e valores do mundo;
2) Se submete as ordens desse príncipe;
3) Vida de desobediência;
4) À mercê dos desejos que conduzem à destruição;
5) Segue os desejos da carne;
6) Merece a ira de Deus.
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“entre os quais todos nós também antes andávamos
nos desejos da nossa carne”
Éramos também “filhos da desobediência” no passado
O verbo andar no aoristo (ajνεζηράθημέν) caracteriza um
estado de miséria no passado e que não faz parte do presente
Ainda, o mesmo verbo na voz passiva demonstra que
sofríamos a ação citada
Então, nós éramos conduzidos deliberadamente pelo “espírito
que agora opera nos filhos da desobediência”, satanás, por
causa dos “desejos da nossa carne”
Éramos escravos de satanás e de nossa natureza caída
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“fazendo a vontade da carne e dos pensamentos”
A natureza adâmica caída é apresentada como um poder sobre
a natureza humana e sua eficácia até sobre os pensamentos
O homem é visto como um escravo das paixões carnais e
corrompidas. Assim, é revelado o seu estado de total
depravação por estar contaminado fisicamente e também
espiritualmente, e não só contaminado, mas também
escravizado e impelido a agir naturalmente nesses desejos
corrompidos e podres.
EFÉSIOS

Efésios 2:2,3
“éramos por natureza filhos da ira”
É revelada a realidade de um estado pecaminoso
Não há nada natural no homem que o conduza de qualquer
forma à Deus
“filhos da ira” demonstra a real condição natural do homem, a
ira de Deus sobre aquele que por natureza é filho da ira
O homem, por natureza, se comporta como o próprio satanás
Não há distinção entre judeus e gentios
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“Mas Deus”
A conjunção adversativa pospositiva, “mas” (δe;), é
introduzida
no texto para apresentar uma contraposição a
tudo aquilo que
já foi falado
Apesar da condição desesperadora do homem, Deus age de
forma graciosa de maneira que toda a história e as
consequências são invertidas. Deus pode intervir nessa história
e mudar completamente o seu curso, história e destino
Esse “Mas Deus” nos ensina que o Senhor pode agir
independentemente de qualquer situação ou circunstância
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“sendo rico em misericórdia”
O termo “misericórdia”,
clemência e compaixão.

significa:

compadecimento,

O termo “graça” transmite a ideia de alguém que favorece
outro sem que este mereça, a expressão misericórdia transmite
a ideia de alguém que não castiga quando este merece
Esta qualidade Divina é apresentada em seu estado de riqueza
Algo que é produzido em grande quantidade, abundante, fértil,
cheio, farto, pomposo e magnífico
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“pelo seu muito amor com que nos amou”
A manifestação da misericórdia ocorreu através do amor
inerente ao Senhor
O amor de Deus não é maior hoje do que ontem, mas
constante e essa constância existe em seu ápice continuamente
e eternamente
O “amor” é aqui apresentado em sua expressão máxima
Nós somos o alvo do derramamento dessa abundancia de amor
que é a essência de Deus
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“estando nós ainda mortos em nossos delitos”
A misericórdia e o amor de Deus foram derramados enquanto
ainda estávamos mortos. Não só a ação mas também a
iniciativa desta ação partiram de Deus
A expressão “estando” nos mostra não só uma ação passageira
mas um estado natural permanente
O termo “mortos” (νεκροu;") está no caso acusativo, o que
mostra que a ação e consequência dessa morte caía sobre nós
Essa morte era evidenciada através de nossos “delitos”
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“nos vivificou juntamente com Cristo”
Existe uma ressurreição efetuada por Cristo
Cristo é aquele através do qual a vida se torna uma
possibilidade real. Essa verdade é o ponto de partida que inicia
todo o restante das bênçãos celestiais
Vivificou. A doação da vida é feita ao regenerado por parte de
Deus, quando o Senhor lhe infunde a vida (zoe), que
possibilita que este viva não só para Deus mas com Deus,
superando todos os efeitos do pecado. Por isso, a tradução
literal seria “nos fez viver com Cristo”
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“pela graça sois salvos”
O termo “graça” está no caso dativo, o que expressa interesse
pessoal. Ainda, segundo John H. Dobson o caso dativo “é
usado para indicar a pessoa a quem algo é dado, ou a quem
algo é feito”
A ação da graça é uma expressão do favor de Deus para com
os homens, que é manifestado pelo interesse que o Senhor tem
e revela a quem esta graça foi concedida. Esta graça foi
concedida àqueles que estavam mortos e foram vivificados
juntamente com Cristo
EFÉSIOS

Efésios 2:4,5
“pela graça sois salvos”
O termo “sois salvos” está no tempo perfeito, o que indica que
a ação da salvação já é um ato realizado. A descrição do
homem, feita por Paulo, o apresenta em seu estado natural não
só como um morto espiritual mas como um escravo do pecado
A introdução da expressão “pela graça sois salvos” é uma
descrição da gloriosa libertação concedia por Cristo ao
homem, não só da morte espiritual mas também da escravidão
do pecado
A salvação é um ato soberano e amoroso de Deus e é isento de
qualquer merecimento ou esforço humano
EFÉSIOS

Efésios 2:6
“e nos ressuscitou juntamente com ele”
A imagem aqui é a de alguém que foi ressuscitado junto com
Cristo. No momento em que Deus ressuscitou a Cristo
também ressuscitou aqueles que Nele viriam a crer

“e com ele nos fez sentar nas regiões celestes em
Cristo Jesus”
Assim como Cristo subiu às regiões celestiais sentando a
direita do Pai, os crentes se encontram na mesma posição,
sendo Cristo o precursor e os crentes os Seus seguidores
Os salvos já foram tornados participantes dos direitos e
privilégios do Reino de Deus
EFÉSIOS

Efésios 2:7
“para mostrar nos séculos vindouros”
O Senhor nos vivificou, demonstrou misericórdia, agraciou
com amor, salvou, ressuscitou e fez assentar nas regiões
celestiais para que “a suprema riqueza da sua graça pela sua
bondade para conosco em Cristo Jesus” fosse percebida pelos
séculos
A ação Divina serve de encorajamento para a igreja com
relação as pessoas do futuro, nos tempos vindouros, como se
este futuro fosse uma realidade presente (Ef 3:10)
EFÉSIOS

Efésios 2:7
“a suprema riqueza da sua graça”
Algo excedente, transcendente, supremo
O apóstolo é claro ao afirmar que o alvo dessas bênçãos são
aqueles que foram vivificados em Cristo. Talvez essas
riquezas sejam um complemento daquilo que é apresentado
pelo apóstolo no capítulo 1:3
Enquanto no versículo 5 a intenção é mostrar para quem é
destinada essa graça, aqui a intenção é mostrar qual é a origem
dessa graça. A graça é originada em Deus e derramada sobre
os vivificados em forma de suprema riqueza
EFÉSIOS

Efésios 2:7
“pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus”
Deus, sendo a origem de todas as riquezas, fez com que nós
fossemos o alvo de sua bondade
Jesus Cristo é o único meio pelo qual podemos receber toda
essa bondade que é derramada pelo Senhor
Dessa forma, poderíamos apresentar a seguinte interpretação
para esse trecho: “Deus, sendo a origem de todas as riquezas,
unicamente através de Jesus Cristo, fez com que nós fossemos
o alvo de sua bondade”
EFÉSIOS

Efésios 2:8,9
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé”
Com base em outras passagens bíblicas (Rm 12:3,6), podemos
afirmar que também a fé é um dom. Aqui, especificamente, a
atenção é voltada não para a fé, mas para a salvação. Com
isso, entendemos que a fé, que é um dom, é concedida para
que o dom maior seja manifesto, a salvação
Portanto, tanto a fé, quanto a salvação são concedidas por
Deus, independentemente da condição humana natural que é
de morte e cegueira espiritual
EFÉSIOS

Efésios 2:8,9
“e isto não vem de vós, é dom de Deus”
Esta fé não é originada no homem, nem faz parte de sua
natureza. Esta fé é o meio pelo qual a salvação é dada, e
ambos – fé e salvação – vêm de Deus. J. I. Packer faz a
seguinte declaração:
O pecado e Satanás cegaram de tal maneira os homens caídos (Ef 4:18; 2Co 4:4) que estes
não podem perceber que o testemunho que o Senhor Jesus e os apóstolos deram é a Palavra
de Deus, nem podem "ver" e compreender as realidades das quais ela fala (Jo 3:3; 1Co
2:14), nem "chegar" até Cristo numa confiança de auto-renúncia (Jo 6:44,65), se o Espírito
Santo não os iluminar (cf. 2Co 4:6). Somente aqueles que aceitaram este "ensino", "atração"
e "unção" divinos chegam até Cristo e nEle confiam (Jo 6:44-45; 1Jo 2:20, 27). Deus,
portanto, é o autor de toda fé salvífica (Ef 2:8; Fp 1:29).

Deus é a origem da salvação, que é dada por meio da fé, e esta
salvação, por meio da fé, é apresentada como sendo um
presente de seu originador, um dom gratuito
EFÉSIOS

Efésios 2:8,9
“não vem das obras”
Já que a salvação, bem como a fé, são presentes gratuitos de
Deus, e já que toda a natureza e obra dos homens é
intrinsecamente má, como visto desde o início do capítulo, a
conclusão óbvia é apresentada no início do versículo 9: “não
vem de obras”
As obras podem ser a origem de qualquer outra coisa menos
da salvação e da fé. Na verdade, desde o início do capítulo o
apóstolo sempre enfatiza que aquilo que a natureza humana
origina (obras) é morte e cegueira
EFÉSIOS

Efésios 2:8,9
“para que ninguém se glorie”
Se a origem dessa salvação fosse o homem, a consequência
seria naturalmente o orgulho pessoal, arrogância e soberba
Já que a origem tanto da salvação quanto da fé está em Deus,
o homem não tem razão alguma para se gloriar, mas apenas
para se humilhar reverentemente com um coração grato e
quebrantado diante do Senhor por receber gratuitamente tão
grande salvação

de forma alguma, nenhum ser humano deve se orgulhar,
ostentar ou gloriar pela salvação, porque nem ela tem origem
no homem, nem o meio pelo qual é doada
EFÉSIOS

Efésios 2:10
“Porque somos feitura sua”
O Senhor é o originador dessa nova criação
O termo feitura (ποίημα) possui uma conotação diferente de
obras (e~ργων). Enquanto “obras” está relacionado ao
trabalho
humano, “feitura” está relacionado ao trabalho
de Deus como
criador. Por isso, não só a salvação e a fé são
obras de Deus,
mas o próprio homem criado e recriado é obra
de seu Criador
EFÉSIOS

Efésios 2:10
“criados em Cristo Jesus para boas obras”
O verbo no aoristo “criados” (κηιζθένηες) é diferente de
“obras” (e~ργων) e de “feitura” (ποίημα). Esse termo
(ktisthentes) é utilizado para transmitir a ideia de que aquilo
que foi criado é propriedade de seu criador. Portanto, é um
termo que nos faz lembrar de 1Coríntios 6:19
A condição de união com Cristo é tão imprescindível que por
diversas vezes essa ideia é apresentada no texto (Ef 2:5,6,7,10)
A expressão “para as boas obras” revela a finalidade para a
qual o homem foi ressuscitado em Cristo Jesus
EFÉSIOS

Efésios 2:10
“criados em Cristo Jesus para boas obras”
Enquanto no versículo 9 as obras não justiçam nem geram fé e
muito menos produzem salvação, as obras do versículo 10,
apesar de também não justificarem nem gerarem fé nem
produzirem salvação, são a forma de se demonstrar que
alguém foi justificado, recebeu fé e é salvo
O discurso de Paulo esclarece que a finalidade para qual foi
criado é para que viva em boas obras. Isto é, a medida que o
homem não é justificado nem salvo por obras humanas, ele
deve andar em boas obras, que foram dadas por Deus, para
que assim possa refletir a glória de Deus em sua vida, pois
afinal de contas, o regenerado está unido com Cristo
EFÉSIOS

Efésios 2:10
“as quais Deus
andássemos nelas”

antes

preparou

para

que

Deus predestinou essas boas obras para que o homem não só
andasse nelas, mas para que elas fossem o seu estilo de vida

Paulo enfatiza que essas obras são dadas por direção direta de
Deus para que através delas o homem venha a ser produtivo
A natureza das boas obras aqui citadas envolvem não só
atitudes específicas ou limitadas a um período da vida cristã,
mas dizem respeito a natureza e caráter do curso da vida
inteira daquele que foi vivificado
EFÉSIOS

RESUMO DO TEXTO
Em primeiro lugar, há a preocupação de se apresentar o
homem em seu estado natural
1) Morto em seus delitos e pecados;
2) Andando segundo o príncipe deste mundo;
3) Andando segundo o príncipe da potestade do ar;
4) Andando segundo as inclinações da carne;
5) Fazendo a vontade da carne;
6) Fazendo a vontade dos pensamentos;
7) Sendo filho da ira.
EFÉSIOS

RESUMO DO TEXTO
Em segundo lugar, há a preocupação se apresentar Deus em
Sua Graça
1) A riqueza da misericórdia de Deus;
2) A grandeza do amor de Deus;
3) A bondade de Deus;
4) A graça de Deus.
EFÉSIOS

RESUMO DO TEXTO
Em terceiro lugar, há a preocupação de se apresentar os
resultados dessa graça
1) O homem pode ser ressuscitado com Cristo;
2) Viver juntamente com Cristo;
3) Sentar nas regiões celestiais juntamente com Cristo;
4) Receber fé.
EFÉSIOS

RESUMO DO TEXTO
Em quarto e último lugar, há a preocupação de se apresentar
os objetivos dessa graça
1) Demonstrar a suprema riqueza da graça de Deus;
2) Transformar os vivificados na imagem de Cristo Jesus;
3) Preparar as boas obras para os vivificados;
4) Preparar os vivificados para as boas obras.
caleberobson.blogspot.com

Robson T. Fernandes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf
2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf
2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdfMarina de Morais
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusÉder Tomé
 
Dicas para o professor da escola bíblica dominical
 Dicas para o professor da escola bíblica dominical Dicas para o professor da escola bíblica dominical
Dicas para o professor da escola bíblica dominicalReginaldo Pacheco
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFLucas Martins
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Éder Tomé
 
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdfO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdfDel Souza
 
Tentação
TentaçãoTentação
TentaçãoNoimix
 
Apostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdfApostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdfPriscila Puga
 
Os livros Apócrifos
Os livros ApócrifosOs livros Apócrifos
Os livros ApócrifosViva a Igreja
 
O professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBD
O professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBDO professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBD
O professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBDValdinar Viana
 
Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosRespirando Deus
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadeIBMemorialJC
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de HebreusRicardo Gondim
 
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)Daniel Junior
 

Mais procurados (20)

A bíblia
A bíbliaA bíblia
A bíblia
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf
2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf
2019 - 1° trim. - Aula 1 - BATALHA ESPIRITUAL - pdf
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
 
A redenção lição 11 23 agosto 2015
A redenção lição 11 23 agosto 2015A redenção lição 11 23 agosto 2015
A redenção lição 11 23 agosto 2015
 
Dicas para o professor da escola bíblica dominical
 Dicas para o professor da escola bíblica dominical Dicas para o professor da escola bíblica dominical
Dicas para o professor da escola bíblica dominical
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
 
As bodas do cordeiro
As bodas do cordeiroAs bodas do cordeiro
As bodas do cordeiro
 
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdfO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
 
Tentação
TentaçãoTentação
Tentação
 
Apostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdfApostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdf
 
Os livros Apócrifos
Os livros ApócrifosOs livros Apócrifos
Os livros Apócrifos
 
O professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBD
O professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBDO professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBD
O professor (ebd) precisa saber - DINAMIZAR UMA EBD
 
Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2Coríntios
 
O grande conflito
O grande conflitoO grande conflito
O grande conflito
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
 
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
 

Destaque

175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6
175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6
175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6Robson Tavares Fernandes
 
174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5
174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5
174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5Robson Tavares Fernandes
 
ÉFeso - A Cidade
ÉFeso - A CidadeÉFeso - A Cidade
ÉFeso - A CidadeEid Marques
 
177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1
177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1
177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1Robson Tavares Fernandes
 
172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4
172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4
172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4Robson Tavares Fernandes
 
176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7
176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7
176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7Robson Tavares Fernandes
 
Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01Eid Marques
 
170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2
170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2
170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2Robson Tavares Fernandes
 
Slides Epistola aos Efesios
Slides   Epistola aos EfesiosSlides   Epistola aos Efesios
Slides Epistola aos EfesiosAbdias Barreto
 
169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1
169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1
169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1Robson Tavares Fernandes
 
178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2
178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2
178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2Robson Tavares Fernandes
 
Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01
Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01
Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01hsjval
 
Apostila Juventude Adoração
Apostila Juventude AdoraçãoApostila Juventude Adoração
Apostila Juventude Adoraçãopibvilaverde
 
minha nova familia, a igreja
minha nova familia, a igrejaminha nova familia, a igreja
minha nova familia, a igrejaiabpcsorocaba
 
Igreja, a família de deus!
Igreja,  a família de deus!Igreja,  a família de deus!
Igreja, a família de deus!Ruan Diniz
 
O homem antes e depois da salvação
O homem antes e depois da salvaçãoO homem antes e depois da salvação
O homem antes e depois da salvaçãoMarcelo Joaquim Joa
 

Destaque (20)

175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6
175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6
175 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_6
 
174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5
174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5
174 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_5
 
ÉFeso - A Cidade
ÉFeso - A CidadeÉFeso - A Cidade
ÉFeso - A Cidade
 
177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1
177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1
177 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_1
 
172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4
172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4
172 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_4
 
176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7
176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7
176 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_7
 
Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01
 
170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2
170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2
170 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_2
 
Comentario a Efesios Hendriksen
Comentario a Efesios HendriksenComentario a Efesios Hendriksen
Comentario a Efesios Hendriksen
 
Slides Epistola aos Efesios
Slides   Epistola aos EfesiosSlides   Epistola aos Efesios
Slides Epistola aos Efesios
 
169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1
169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1
169 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_efesios-parte_1
 
Efesios introdução
Efesios introduçãoEfesios introdução
Efesios introdução
 
Carta aos efesios
Carta aos efesiosCarta aos efesios
Carta aos efesios
 
178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2
178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2
178 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_filipenses-parte_2
 
Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01
Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01
Gabriele ,Paloma E Alfredo 3cti01
 
Apostila Juventude Adoração
Apostila Juventude AdoraçãoApostila Juventude Adoração
Apostila Juventude Adoração
 
6 você é a igreja 2
6   você é a igreja 26   você é a igreja 2
6 você é a igreja 2
 
minha nova familia, a igreja
minha nova familia, a igrejaminha nova familia, a igreja
minha nova familia, a igreja
 
Igreja, a família de deus!
Igreja,  a família de deus!Igreja,  a família de deus!
Igreja, a família de deus!
 
O homem antes e depois da salvação
O homem antes e depois da salvaçãoO homem antes e depois da salvação
O homem antes e depois da salvação
 

Semelhante a A graça e a fé na salvação segundo Efésios 2

010-Jornal Cesesul 01/06/14
010-Jornal Cesesul 01/06/14010-Jornal Cesesul 01/06/14
010-Jornal Cesesul 01/06/14CESESUL
 
JESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola Dominical
JESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola DominicalJESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola Dominical
JESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola Dominicalyosseph2013
 
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de CristoAula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de CristoSamuel A. Nunes
 
Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...
Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...
Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...Marina de Morais
 
Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018
Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018
Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018Ramón Zazatt
 
Teo do n t slide do dia 27 de janeiro
Teo do n t slide do dia 27 de janeiroTeo do n t slide do dia 27 de janeiro
Teo do n t slide do dia 27 de janeiroJose Ventura
 
Antropologia_Teologica_Aula_1.pdf
Antropologia_Teologica_Aula_1.pdfAntropologia_Teologica_Aula_1.pdf
Antropologia_Teologica_Aula_1.pdfTiago Silva
 
1 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-2016
1 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-20161 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-2016
1 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-2016Cleiton Tenório
 
teologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdfteologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdfrafaellemos86
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptxRubens Sohn
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoAntonio Ferreira
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoAntonio Ferreira
 
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaÉder Tomé
 
Lição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons EspirituaisLição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons EspirituaisMárcio Pereira
 

Semelhante a A graça e a fé na salvação segundo Efésios 2 (20)

Pneumatologia 6
Pneumatologia 6Pneumatologia 6
Pneumatologia 6
 
010-Jornal Cesesul 01/06/14
010-Jornal Cesesul 01/06/14010-Jornal Cesesul 01/06/14
010-Jornal Cesesul 01/06/14
 
Teologia de deus
Teologia de deusTeologia de deus
Teologia de deus
 
JESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola Dominical
JESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola DominicalJESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola Dominical
JESUS, O MODELO IDEAL DE HUMILDADE – Lição 04 – Escola Dominical
 
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de CristoAula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
Aula de Cristologia - A Pessoa de Cristo
 
Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...
Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...
Lição 5 - Libertos do Pecado para uma Nova Vida em Cristo - Lição em power po...
 
Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018
Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018
Unidade 3 - Deus no Relato da Criação - versão 2018
 
Teo do n t slide do dia 27 de janeiro
Teo do n t slide do dia 27 de janeiroTeo do n t slide do dia 27 de janeiro
Teo do n t slide do dia 27 de janeiro
 
Antropologia_Teologica_Aula_1.pdf
Antropologia_Teologica_Aula_1.pdfAntropologia_Teologica_Aula_1.pdf
Antropologia_Teologica_Aula_1.pdf
 
1 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-2016
1 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-20161 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-2016
1 pedro 1.17 2.3 - uma vida para além da religião - 06-11-2016
 
teologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdfteologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdf
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
 
LIÇÃO 01 - QUEM É O ESPÍRITO SANTO
LIÇÃO 01 -   QUEM É O ESPÍRITO SANTOLIÇÃO 01 -   QUEM É O ESPÍRITO SANTO
LIÇÃO 01 - QUEM É O ESPÍRITO SANTO
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
A pessoa de cristo
A pessoa de cristoA pessoa de cristo
A pessoa de cristo
 
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
 
26
2626
26
 
Lição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons EspirituaisLição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons Espirituais
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
 

Mais de Robson Tavares Fernandes

Cosmovisões atuais e a supremacia da Bíblia
Cosmovisões atuais e a supremacia da BíbliaCosmovisões atuais e a supremacia da Bíblia
Cosmovisões atuais e a supremacia da BíbliaRobson Tavares Fernandes
 
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da IgrejaA Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da IgrejaRobson Tavares Fernandes
 
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vidaUma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vidaRobson Tavares Fernandes
 
168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8
168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8
168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8Robson Tavares Fernandes
 
167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7
167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7
167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7Robson Tavares Fernandes
 
166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6
166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6
166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6Robson Tavares Fernandes
 
165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5
165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5
165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5Robson Tavares Fernandes
 
164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4
164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4
164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4Robson Tavares Fernandes
 
163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3
163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3
163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3Robson Tavares Fernandes
 
162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2
162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2
162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2Robson Tavares Fernandes
 
161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1
161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1
161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1Robson Tavares Fernandes
 
160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9
160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9
160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9Robson Tavares Fernandes
 
159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8
159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8
159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8Robson Tavares Fernandes
 
156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5
156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5
156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5Robson Tavares Fernandes
 
155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4
155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4
155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4Robson Tavares Fernandes
 
154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3
154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3
154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3Robson Tavares Fernandes
 
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2Robson Tavares Fernandes
 
152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1
152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1
152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1Robson Tavares Fernandes
 
151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12
151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12
151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12Robson Tavares Fernandes
 

Mais de Robson Tavares Fernandes (20)

Cosmovisões atuais e a supremacia da Bíblia
Cosmovisões atuais e a supremacia da BíbliaCosmovisões atuais e a supremacia da Bíblia
Cosmovisões atuais e a supremacia da Bíblia
 
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da IgrejaA Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
 
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vidaUma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vida
 
173 dia da-reforma_protestante
173 dia da-reforma_protestante173 dia da-reforma_protestante
173 dia da-reforma_protestante
 
168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8
168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8
168 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_8
 
167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7
167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7
167 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_7
 
166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6
166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6
166 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_6
 
165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5
165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5
165 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_5
 
164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4
164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4
164 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_4
 
163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3
163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3
163 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_3
 
162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2
162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2
162 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_2
 
161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1
161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1
161 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_galatas-parte_1
 
160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9
160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9
160 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_9
 
159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8
159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8
159 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_8
 
156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5
156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5
156 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_5
 
155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4
155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4
155 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_4
 
154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3
154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3
154 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_3
 
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
 
152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1
152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1
152 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_1
 
151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12
151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12
151 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_12
 

Último

CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 

Último (20)

CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 

A graça e a fé na salvação segundo Efésios 2

  • 1.
  • 3. EFÉSIOS Efésios 2:1 “Ele vos vivificou” Paulo segue a mesma sequência de Romanos 1-8 Mostra com clareza a real condição humana Depois apresenta a graça salvadora de Cristo Cristo é o agente gerador dessa nova vida Ao homem é impossível o vivificar a si mesmo
  • 4. EFÉSIOS Efésios 2:1 “estando vós mortos” Não é sinônimo de inconsciência ou não-existência É uma consequência do pecado adâmico Aqui, o termo não é simbólico ou figurativo Não faz distinção entre judeus e gentios Revelação da condição espiritual humana sem Cristo Total incapacidade humana de buscar ou entender a Deus
  • 5. EFÉSIOS Efésios 2:1 “vossos delitos e pecados” A amplitude da ação pecaminosa Transgressões e pecados significam todos os tipos de pecados No homem natural reside toda a inclinação e ação para a prática de todo e qualquer pecado A raiz de “transgressão”, que é traduzido como delito, é “errar o alvo”, enquanto que a raiz de “pecado” é “errar”. Dessa forma, ambos os termos implicam na total incapacidade humana de viver a vida que Deus deseja
  • 6. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “nos quais outrora andastes” Andar: Modo de vida, caminhar na prática do mal Submissão a três fontes de poder e autoridade que conduzem o homem a um estilo de vida completamente oposto àquele que Deus deseja: 1) poder do mundo; 2) poder da natureza espiritual; 3) poder no cotidiano do homem. Poder do mundo: “segundo o curso deste mundo”. Poder espiritual: “segundo o príncipe das potestades do ar”. Poder no cotidiano: “o espírito que agora opera”
  • 7. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “segundo o curso deste mundo” “curso” (αἰw'na) e “mundo” (κόζμοσ) Enfatizam a ideia de que aqueles que assim andam, “segundo o curso deste mundo”, vivem uma vida totalmente separada de Deus, já que estão presos a um período de tempo que é carnal e alienado de Deus. O versículo 1 apresenta o pecado em seu estado interior O versículo 2 apresenta o pecado em seu estado exterior Os estados interior e exterior são típicos e naturais das pessoas não regeneradas (harmonia com o curso natural do mundo)
  • 8. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “segundo o príncipe das potestades do ar” O príncipe é tratado como um ser pessoal, que é o governador, líder, daquilo que é caracterizado como as “potestades do ar” Um traço de sua personalidade é a inteligência, pois a declaração revela uma organização hierárquica, que é uma demonstração de intelecto As potestades possuem certo tipo de força ou poder Exercem influência habilidosa sobre a esfera terrena
  • 9. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “espírito que agora opera” Descrição da ação do próprio satanás Age pessoalmente ou através de seus emissários, os demônios Este espírito estava ativo e atuante na época do apóstolo Barclay afirma que a operação nos filhos da desobediência é apresentada nos três primeiros versículos, sendo elas: 1) Se mantém nos padrões e valores do mundo; 2) Se submete as ordens desse príncipe; 3) Vida de desobediência; 4) À mercê dos desejos que conduzem à destruição; 5) Segue os desejos da carne; 6) Merece a ira de Deus.
  • 10. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne” Éramos também “filhos da desobediência” no passado O verbo andar no aoristo (ajνεζηράθημέν) caracteriza um estado de miséria no passado e que não faz parte do presente Ainda, o mesmo verbo na voz passiva demonstra que sofríamos a ação citada Então, nós éramos conduzidos deliberadamente pelo “espírito que agora opera nos filhos da desobediência”, satanás, por causa dos “desejos da nossa carne” Éramos escravos de satanás e de nossa natureza caída
  • 11. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “fazendo a vontade da carne e dos pensamentos” A natureza adâmica caída é apresentada como um poder sobre a natureza humana e sua eficácia até sobre os pensamentos O homem é visto como um escravo das paixões carnais e corrompidas. Assim, é revelado o seu estado de total depravação por estar contaminado fisicamente e também espiritualmente, e não só contaminado, mas também escravizado e impelido a agir naturalmente nesses desejos corrompidos e podres.
  • 12. EFÉSIOS Efésios 2:2,3 “éramos por natureza filhos da ira” É revelada a realidade de um estado pecaminoso Não há nada natural no homem que o conduza de qualquer forma à Deus “filhos da ira” demonstra a real condição natural do homem, a ira de Deus sobre aquele que por natureza é filho da ira O homem, por natureza, se comporta como o próprio satanás Não há distinção entre judeus e gentios
  • 13. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “Mas Deus” A conjunção adversativa pospositiva, “mas” (δe;), é introduzida no texto para apresentar uma contraposição a tudo aquilo que já foi falado Apesar da condição desesperadora do homem, Deus age de forma graciosa de maneira que toda a história e as consequências são invertidas. Deus pode intervir nessa história e mudar completamente o seu curso, história e destino Esse “Mas Deus” nos ensina que o Senhor pode agir independentemente de qualquer situação ou circunstância
  • 14. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “sendo rico em misericórdia” O termo “misericórdia”, clemência e compaixão. significa: compadecimento, O termo “graça” transmite a ideia de alguém que favorece outro sem que este mereça, a expressão misericórdia transmite a ideia de alguém que não castiga quando este merece Esta qualidade Divina é apresentada em seu estado de riqueza Algo que é produzido em grande quantidade, abundante, fértil, cheio, farto, pomposo e magnífico
  • 15. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “pelo seu muito amor com que nos amou” A manifestação da misericórdia ocorreu através do amor inerente ao Senhor O amor de Deus não é maior hoje do que ontem, mas constante e essa constância existe em seu ápice continuamente e eternamente O “amor” é aqui apresentado em sua expressão máxima Nós somos o alvo do derramamento dessa abundancia de amor que é a essência de Deus
  • 16. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “estando nós ainda mortos em nossos delitos” A misericórdia e o amor de Deus foram derramados enquanto ainda estávamos mortos. Não só a ação mas também a iniciativa desta ação partiram de Deus A expressão “estando” nos mostra não só uma ação passageira mas um estado natural permanente O termo “mortos” (νεκροu;") está no caso acusativo, o que mostra que a ação e consequência dessa morte caía sobre nós Essa morte era evidenciada através de nossos “delitos”
  • 17. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “nos vivificou juntamente com Cristo” Existe uma ressurreição efetuada por Cristo Cristo é aquele através do qual a vida se torna uma possibilidade real. Essa verdade é o ponto de partida que inicia todo o restante das bênçãos celestiais Vivificou. A doação da vida é feita ao regenerado por parte de Deus, quando o Senhor lhe infunde a vida (zoe), que possibilita que este viva não só para Deus mas com Deus, superando todos os efeitos do pecado. Por isso, a tradução literal seria “nos fez viver com Cristo”
  • 18. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “pela graça sois salvos” O termo “graça” está no caso dativo, o que expressa interesse pessoal. Ainda, segundo John H. Dobson o caso dativo “é usado para indicar a pessoa a quem algo é dado, ou a quem algo é feito” A ação da graça é uma expressão do favor de Deus para com os homens, que é manifestado pelo interesse que o Senhor tem e revela a quem esta graça foi concedida. Esta graça foi concedida àqueles que estavam mortos e foram vivificados juntamente com Cristo
  • 19. EFÉSIOS Efésios 2:4,5 “pela graça sois salvos” O termo “sois salvos” está no tempo perfeito, o que indica que a ação da salvação já é um ato realizado. A descrição do homem, feita por Paulo, o apresenta em seu estado natural não só como um morto espiritual mas como um escravo do pecado A introdução da expressão “pela graça sois salvos” é uma descrição da gloriosa libertação concedia por Cristo ao homem, não só da morte espiritual mas também da escravidão do pecado A salvação é um ato soberano e amoroso de Deus e é isento de qualquer merecimento ou esforço humano
  • 20. EFÉSIOS Efésios 2:6 “e nos ressuscitou juntamente com ele” A imagem aqui é a de alguém que foi ressuscitado junto com Cristo. No momento em que Deus ressuscitou a Cristo também ressuscitou aqueles que Nele viriam a crer “e com ele nos fez sentar nas regiões celestes em Cristo Jesus” Assim como Cristo subiu às regiões celestiais sentando a direita do Pai, os crentes se encontram na mesma posição, sendo Cristo o precursor e os crentes os Seus seguidores Os salvos já foram tornados participantes dos direitos e privilégios do Reino de Deus
  • 21. EFÉSIOS Efésios 2:7 “para mostrar nos séculos vindouros” O Senhor nos vivificou, demonstrou misericórdia, agraciou com amor, salvou, ressuscitou e fez assentar nas regiões celestiais para que “a suprema riqueza da sua graça pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus” fosse percebida pelos séculos A ação Divina serve de encorajamento para a igreja com relação as pessoas do futuro, nos tempos vindouros, como se este futuro fosse uma realidade presente (Ef 3:10)
  • 22. EFÉSIOS Efésios 2:7 “a suprema riqueza da sua graça” Algo excedente, transcendente, supremo O apóstolo é claro ao afirmar que o alvo dessas bênçãos são aqueles que foram vivificados em Cristo. Talvez essas riquezas sejam um complemento daquilo que é apresentado pelo apóstolo no capítulo 1:3 Enquanto no versículo 5 a intenção é mostrar para quem é destinada essa graça, aqui a intenção é mostrar qual é a origem dessa graça. A graça é originada em Deus e derramada sobre os vivificados em forma de suprema riqueza
  • 23. EFÉSIOS Efésios 2:7 “pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus” Deus, sendo a origem de todas as riquezas, fez com que nós fossemos o alvo de sua bondade Jesus Cristo é o único meio pelo qual podemos receber toda essa bondade que é derramada pelo Senhor Dessa forma, poderíamos apresentar a seguinte interpretação para esse trecho: “Deus, sendo a origem de todas as riquezas, unicamente através de Jesus Cristo, fez com que nós fossemos o alvo de sua bondade”
  • 24. EFÉSIOS Efésios 2:8,9 “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé” Com base em outras passagens bíblicas (Rm 12:3,6), podemos afirmar que também a fé é um dom. Aqui, especificamente, a atenção é voltada não para a fé, mas para a salvação. Com isso, entendemos que a fé, que é um dom, é concedida para que o dom maior seja manifesto, a salvação Portanto, tanto a fé, quanto a salvação são concedidas por Deus, independentemente da condição humana natural que é de morte e cegueira espiritual
  • 25. EFÉSIOS Efésios 2:8,9 “e isto não vem de vós, é dom de Deus” Esta fé não é originada no homem, nem faz parte de sua natureza. Esta fé é o meio pelo qual a salvação é dada, e ambos – fé e salvação – vêm de Deus. J. I. Packer faz a seguinte declaração: O pecado e Satanás cegaram de tal maneira os homens caídos (Ef 4:18; 2Co 4:4) que estes não podem perceber que o testemunho que o Senhor Jesus e os apóstolos deram é a Palavra de Deus, nem podem "ver" e compreender as realidades das quais ela fala (Jo 3:3; 1Co 2:14), nem "chegar" até Cristo numa confiança de auto-renúncia (Jo 6:44,65), se o Espírito Santo não os iluminar (cf. 2Co 4:6). Somente aqueles que aceitaram este "ensino", "atração" e "unção" divinos chegam até Cristo e nEle confiam (Jo 6:44-45; 1Jo 2:20, 27). Deus, portanto, é o autor de toda fé salvífica (Ef 2:8; Fp 1:29). Deus é a origem da salvação, que é dada por meio da fé, e esta salvação, por meio da fé, é apresentada como sendo um presente de seu originador, um dom gratuito
  • 26. EFÉSIOS Efésios 2:8,9 “não vem das obras” Já que a salvação, bem como a fé, são presentes gratuitos de Deus, e já que toda a natureza e obra dos homens é intrinsecamente má, como visto desde o início do capítulo, a conclusão óbvia é apresentada no início do versículo 9: “não vem de obras” As obras podem ser a origem de qualquer outra coisa menos da salvação e da fé. Na verdade, desde o início do capítulo o apóstolo sempre enfatiza que aquilo que a natureza humana origina (obras) é morte e cegueira
  • 27. EFÉSIOS Efésios 2:8,9 “para que ninguém se glorie” Se a origem dessa salvação fosse o homem, a consequência seria naturalmente o orgulho pessoal, arrogância e soberba Já que a origem tanto da salvação quanto da fé está em Deus, o homem não tem razão alguma para se gloriar, mas apenas para se humilhar reverentemente com um coração grato e quebrantado diante do Senhor por receber gratuitamente tão grande salvação de forma alguma, nenhum ser humano deve se orgulhar, ostentar ou gloriar pela salvação, porque nem ela tem origem no homem, nem o meio pelo qual é doada
  • 28. EFÉSIOS Efésios 2:10 “Porque somos feitura sua” O Senhor é o originador dessa nova criação O termo feitura (ποίημα) possui uma conotação diferente de obras (e~ργων). Enquanto “obras” está relacionado ao trabalho humano, “feitura” está relacionado ao trabalho de Deus como criador. Por isso, não só a salvação e a fé são obras de Deus, mas o próprio homem criado e recriado é obra de seu Criador
  • 29. EFÉSIOS Efésios 2:10 “criados em Cristo Jesus para boas obras” O verbo no aoristo “criados” (κηιζθένηες) é diferente de “obras” (e~ργων) e de “feitura” (ποίημα). Esse termo (ktisthentes) é utilizado para transmitir a ideia de que aquilo que foi criado é propriedade de seu criador. Portanto, é um termo que nos faz lembrar de 1Coríntios 6:19 A condição de união com Cristo é tão imprescindível que por diversas vezes essa ideia é apresentada no texto (Ef 2:5,6,7,10) A expressão “para as boas obras” revela a finalidade para a qual o homem foi ressuscitado em Cristo Jesus
  • 30. EFÉSIOS Efésios 2:10 “criados em Cristo Jesus para boas obras” Enquanto no versículo 9 as obras não justiçam nem geram fé e muito menos produzem salvação, as obras do versículo 10, apesar de também não justificarem nem gerarem fé nem produzirem salvação, são a forma de se demonstrar que alguém foi justificado, recebeu fé e é salvo O discurso de Paulo esclarece que a finalidade para qual foi criado é para que viva em boas obras. Isto é, a medida que o homem não é justificado nem salvo por obras humanas, ele deve andar em boas obras, que foram dadas por Deus, para que assim possa refletir a glória de Deus em sua vida, pois afinal de contas, o regenerado está unido com Cristo
  • 31. EFÉSIOS Efésios 2:10 “as quais Deus andássemos nelas” antes preparou para que Deus predestinou essas boas obras para que o homem não só andasse nelas, mas para que elas fossem o seu estilo de vida Paulo enfatiza que essas obras são dadas por direção direta de Deus para que através delas o homem venha a ser produtivo A natureza das boas obras aqui citadas envolvem não só atitudes específicas ou limitadas a um período da vida cristã, mas dizem respeito a natureza e caráter do curso da vida inteira daquele que foi vivificado
  • 32. EFÉSIOS RESUMO DO TEXTO Em primeiro lugar, há a preocupação de se apresentar o homem em seu estado natural 1) Morto em seus delitos e pecados; 2) Andando segundo o príncipe deste mundo; 3) Andando segundo o príncipe da potestade do ar; 4) Andando segundo as inclinações da carne; 5) Fazendo a vontade da carne; 6) Fazendo a vontade dos pensamentos; 7) Sendo filho da ira.
  • 33. EFÉSIOS RESUMO DO TEXTO Em segundo lugar, há a preocupação se apresentar Deus em Sua Graça 1) A riqueza da misericórdia de Deus; 2) A grandeza do amor de Deus; 3) A bondade de Deus; 4) A graça de Deus.
  • 34. EFÉSIOS RESUMO DO TEXTO Em terceiro lugar, há a preocupação de se apresentar os resultados dessa graça 1) O homem pode ser ressuscitado com Cristo; 2) Viver juntamente com Cristo; 3) Sentar nas regiões celestiais juntamente com Cristo; 4) Receber fé.
  • 35. EFÉSIOS RESUMO DO TEXTO Em quarto e último lugar, há a preocupação de se apresentar os objetivos dessa graça 1) Demonstrar a suprema riqueza da graça de Deus; 2) Transformar os vivificados na imagem de Cristo Jesus; 3) Preparar as boas obras para os vivificados; 4) Preparar os vivificados para as boas obras.