Naomi - GT8 
HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS
INTEGRANTES 
Aniel Cruz 
Claudio Sant Anna 
José Eurique Ribeiro 
Roberto Nou
HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS 
Clusters 
Conceito; 
Desempenho, Disponibilidade, Balanceamento de Carga; 
Virtualização...
Analogia da Montanha
Analogia da Montanha
CONCEITO 
Cluster 
Um cluster pode ser conceituado como uma coleção, agrupamento ou 
aglomeração de sistemas computacionai...
Computação de Alta Performance 
(High Performance Computing) 
Processamento de grandes massas de dados em tempo hábil; 
Di...
Computação de Alta Disponibilidade 
(High Availability Computing) 
Mantem o sistema online independentemente de falhas (fa...
Balanceamento de CArga Computacional 
(Load Balancing) 
Delegar o trabalho para o nó que tenha capacidade( e disponibilida...
HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS 
Clusters 
Conceito; 
Desempenho, Disponibilidade, Balanceamento de Carga; 
Virtualização...
CONCEITO 
Virtualização 
Formalmente, algo é virtual quando: 
Não existe como realidade, mas sim como potência ou faculdad...
Níveis de Virtualização 
Nível de aplicação: .NET CLR, Panot; 
Nível da API de Usuário (bibliotecas); 
Nível do Sistema Op...
Maquinas Virtuais 
“Uma abstração de software que enxerga um sistema físico (máquina real)." 
Com o passar dos anos, o ter...
Tipos de Maquinas Virtuais 
Tipo 1: Sistema em que o monitor é implementado entre o hardware e 
os sistemas convidados (gu...
Aplicações da Virtualização 
Virtualização de servidor; 
Virtualização de aplicação; 
Virtualização de desktop; 
Virtualiz...
Virtualização de Servidores 
Excução de um ou mais 
servidores virtuais sobre 
um servidor físico; 
A virtualização pode 
...
Virtualização de Servidores 
Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- 
cloud-comp...
Virtualização de Aplicação 
Nivel de Aplicação 
Permite executar aplicações em 
um ambiente virtualizado; 
Isola aplicação...
Virtualização de Desktop 
Nível da Camada de Abstração do 
Hardwere; 
Permite o isolamento completo de 
sistemas operacion...
Virtualização de Apresentação 
Nível da Camada de Abstração do 
Hardwere ou no nível de aplicação; 
executa e mantem o arm...
Virtualização: Prós e Contras 
Prós: 
1) Reduz custos (reduz 
aquisição de hardwere para 
ambientes de desnvolvimento, 
e ...
HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS 
Clusters 
Conceito; 
Desempenho, Disponibilidade, Balanceamento de Carga; 
Virtualização...
CONCEITO 
Cloud Computing 
O que é computação em nuvem (Cloud Computing)? 
“A nuvem é uma metáfora para a Internet. É um r...
Onde surgiu? 
Primeira menção cloud computing vem de um documento interno 
da Compaq datado de 1996. 
Desde 1998 patentes ...
Em 2006 em uma palestra na Search Engine Strategies Conference o 
então CEO do Google Eric Schmidt introduziu o termo no m...
O primeiro serviço a vender “cloud computing” como um produto 
foi a Amazon Web Services – AWS em 2006.
DIVISÃO DA COMPUTAÇÃO EM NÚVEM 
Pública; 
Privada ou local; 
Hibrida;
DIVISÃO QUANTO A SERVIÇOS 
Saas - O software é o serviço; 
Paas - A plataforma é o serviço; 
Iaas- A infra-estrutura é o s...
CARACTERÍSTICAS GERAIS 
Auto-atendimento sob demanda (On-Demand Self-Service); 
Amplo acesso a rede (Ubiquitous Network Ac...
SEGURANÇA NA NUVEM 
Você confiaria sua vida(dados pessoais, fotos, 
produção de trabalho, hábitos pessoais ou 
de sua comu...
SEGURANÇA EM COMPUTAÇÃO EM NUVEM 
Os 9 principais desafios de segurança enfrentados pela nuvem: 
1. Brechas de dados; 
2. ...
SEGURANÇA EM COMPUTAÇÃO EM NUVEM 
1. Escolha serviços que possuem 
referêncial no mercado; 
2. Crie credenciais dificeis d...
OBRIGADO: http://naomicluster.blogspot.com.br/
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Pres clusterpdf
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pres clusterpdf

262 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Clustres, virtualização e Cloud Computing

Publicada em: Internet
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Pres clusterpdf

  1. 1. Naomi - GT8 HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS
  2. 2. INTEGRANTES Aniel Cruz Claudio Sant Anna José Eurique Ribeiro Roberto Nou
  3. 3. HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Clusters Conceito; Desempenho, Disponibilidade, Balanceamento de Carga; Virtualização Conceito; Servidores, Desktop, Sistemas Operacionais, etc. Computação em Nuvem Conceito; Segurança versus Facilidade de Acesso aos Sistemas
  4. 4. Analogia da Montanha
  5. 5. Analogia da Montanha
  6. 6. CONCEITO Cluster Um cluster pode ser conceituado como uma coleção, agrupamento ou aglomeração de sistemas computacionais (software e hardware) interligados e independentes entre si, que trabalham de forma integrada a fim de processar tarefas computacionais como um único sistema consistente.
  7. 7. Computação de Alta Performance (High Performance Computing) Processamento de grandes massas de dados em tempo hábil; Divide a tarefa em partes menores, os nós escravos efetuam o processamento paralelamente; Lidam com processamentos da casa de centenas de milhares de gigaflops; Beowulf, Mosix.
  8. 8. Computação de Alta Disponibilidade (High Availability Computing) Mantem o sistema online independentemente de falhas (failover); Perda de desempenho é normalmente aceitável; Identificar falhas na conexão ou em nós; Manter nós redundantes; trabalhar sobre topologias de rede que possam prover caminhos alternativos para os dados; HeartBeat.
  9. 9. Balanceamento de CArga Computacional (Load Balancing) Delegar o trabalho para o nó que tenha capacidade( e disponibilidade) de executá-lo, o equilíbrio é prioridade; O Algoritmo para distribuição de tarefas é uma peça extremamente importante nesse tipo de sistema; Least Connections; Round Robin; Wieghted Fair;
  10. 10. HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Clusters Conceito; Desempenho, Disponibilidade, Balanceamento de Carga; Virtualização Conceito; Servidores, Desktop, Sistemas Operacionais, etc. Computação em Nuvem Conceito; Segurança versus Facilidade de Acesso aos Sistemas
  11. 11. CONCEITO Virtualização Formalmente, algo é virtual quando: Não existe como realidade, mas sim como potência ou faculdade; Equivale a outro, podendo fazer as vezes deste, em virtude ou atividade; É a imagem de algo formada por um foco diferente do foco natural com auxílio de um espelho ou lente;
  12. 12. Níveis de Virtualização Nível de aplicação: .NET CLR, Panot; Nível da API de Usuário (bibliotecas); Nível do Sistema Operacional: Engines Virtuais, Servidores Privados Nível da Camada de Abstração do Hardwere: VMwae, Xen, Cooperative Linux Nível da ISA (Arquitectura de Conjuntos de Instruções): Emula instruções de processamento para auxiliar requisições de VMs Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- cloud-computing/>
  13. 13. Maquinas Virtuais “Uma abstração de software que enxerga um sistema físico (máquina real)." Com o passar dos anos, o termo englobou um grande número de abstrações É um computador fictício criado por um programa de simulação. Sua memória, processador e outros recursos são virtualizados. É uma forma de dividir os recursos de um computador em múltiplos ambientes de execução. Exemplos: emuladores de vídeo games antigos e os emuladores de microcomputadores, como o VMware, o Bochs e o VM VirtualBox (software livre da Oracle), Java Virtual Machine – JVM.
  14. 14. Tipos de Maquinas Virtuais Tipo 1: Sistema em que o monitor é implementado entre o hardware e os sistemas convidados (guest system). Tipo 2: Nele o monitor é implementado como um processo de um sistema operacional real, denominado sistema anfitrião (host system). Tipos Híbridos: várias otimizações são inseridas nas arquiteturas com o objetivo principal de melhorar o desempenho das aplicações nos sistemas convidados Máquinas virtuais para computadores fictícios: projetados para uma finalidade específica. JVM (máquina virtual Java). Existem simuladores para ela em quase todos os computadores atuais, desde computadores de grande porte até telefones celulares, o que torna as aplicações Java extremamente portáveis.
  15. 15. Aplicações da Virtualização Virtualização de servidor; Virtualização de aplicação; Virtualização de desktop; Virtualização de apresentação; Virtualização de estações de trabalho; Virtualização de armazenamento; Fonte: [Acessado em: 12/08/2014
  16. 16. Virtualização de Servidores Excução de um ou mais servidores virtuais sobre um servidor físico; A virtualização pode ocorrer em nível de de aplicação; Fonte original [Inglês]: < http://www.gta.ufrj.br/grad/09_1/versao-final/virtualizacao/ vmware.html > Acesso dia 10
  17. 17. Virtualização de Servidores Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- cloud-computing/>
  18. 18. Virtualização de Aplicação Nivel de Aplicação Permite executar aplicações em um ambiente virtualizado; Isola aplicação do Sistema; Encapsulando da aplicação no ambiente virtual; Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- cloud-computing/> Acesso dia 10
  19. 19. Virtualização de Desktop Nível da Camada de Abstração do Hardwere; Permite o isolamento completo de sistemas operacionais; bare-metal (acesso direto ao Hardwere) ou hosted (acesso ao Hardwere via VM); permite que uma aplicação de linha de negócio seja executada em um sistema operacional não compatível Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- cloud-computing/>
  20. 20. Virtualização de Apresentação Nível da Camada de Abstração do Hardwere ou no nível de aplicação; executa e mantem o armazenamento das aplicações em servidores centralizados, enquanto provê uma interface familiar para o usuário em sua estação; acesso a um ambiente sem possuir contato físico. É possível acessar os dados de outro computador como se estivesse o utilizando; Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- cloud-computing/>
  21. 21. Virtualização: Prós e Contras Prós: 1) Reduz custos (reduz aquisição de hardwere para ambientes de desnvolvimento, e ambientes de testes); 2) Auxilia no processo da Green IT; 3) Facilidade de migrar infraestrutura e códigos; 4) Amplia a compatibilidade de aplicações; Contras: 1) Virualizações são limitadas à capacidade máxima do sistema hospedeiro 2) Existe um risco maior de quebra de sigilo ao contratar serviços de virtualização; 3) Execução de códigos em tempo real é mais lenta;
  22. 22. HARDWARE & SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Clusters Conceito; Desempenho, Disponibilidade, Balanceamento de Carga; Virtualização Conceito; Servidores, Desktop, Sistemas Operacionais, etc. Computação em Nuvem Conceito; Segurança versus Facilidade de Acesso aos Sistemas
  23. 23. CONCEITO Cloud Computing O que é computação em nuvem (Cloud Computing)? “A nuvem é uma metáfora para a Internet. É um rebranding(mudança de nome) da Internet, é por isso que há um debate feroz. Em virtude de ser uma metáfora, é aberto a diferentes interpretações. Isso é dinheiro” Reuven Cohen, cofundador da Cloud Camp Fonte original [Inglês]: <http://www.technologyreview.com/news/425970/who-coined- cloud-computing/>
  24. 24. Onde surgiu? Primeira menção cloud computing vem de um documento interno da Compaq datado de 1996. Desde 1998 patentes que estavam relacionadas com redes e internet já utilizavam o desenho de “nuvem” para indicar-los.
  25. 25. Em 2006 em uma palestra na Search Engine Strategies Conference o então CEO do Google Eric Schmidt introduziu o termo no mercado para indicar que a computação logo se resumiria a serviços de dados oferecidos por uma gigantesca arquitetura de servidores, “sendo tudo uma nuvem.”
  26. 26. O primeiro serviço a vender “cloud computing” como um produto foi a Amazon Web Services – AWS em 2006.
  27. 27. DIVISÃO DA COMPUTAÇÃO EM NÚVEM Pública; Privada ou local; Hibrida;
  28. 28. DIVISÃO QUANTO A SERVIÇOS Saas - O software é o serviço; Paas - A plataforma é o serviço; Iaas- A infra-estrutura é o serviço.
  29. 29. CARACTERÍSTICAS GERAIS Auto-atendimento sob demanda (On-Demand Self-Service); Amplo acesso a rede (Ubiquitous Network Access); Pool de Recursos (Resource Pooling); Elasticidade Rápida (Rapid Elasticy); Serviços Mensuráveis (Measured Service)
  30. 30. SEGURANÇA NA NUVEM Você confiaria sua vida(dados pessoais, fotos, produção de trabalho, hábitos pessoais ou de sua comunidade,etc.) a alguém?
  31. 31. SEGURANÇA EM COMPUTAÇÃO EM NUVEM Os 9 principais desafios de segurança enfrentados pela nuvem: 1. Brechas de dados; 2. Perda de dados; 3. Sequestro de trafego(Traffic Hijacking) de conta ou serviço; 4. Interfaces de programação(APIs) inseguras; 5. DDoS - Negação de serviço; 6. Agentes internos com más intenções(Malicious Insiders); 7. Abuso na utilização do serviços da nuvem; 8. Obrigações de contrato insuficientes (Insufficient Due Diligence); 9. Vulnerabilidades nas tecnologias compartilhadas;
  32. 32. SEGURANÇA EM COMPUTAÇÃO EM NUVEM 1. Escolha serviços que possuem referêncial no mercado; 2. Crie credenciais dificeis de serem quebradas; 3. Se possível, guarde cópias das informações mais sensíveis que estão armazenadas na nuvem em mídias físicas; 4. Leia atentamente os contratos de utilização dos serviços e saiba das contra-partidas das empresas em falha grave do serviço; 5. Tenha sempre softwares locais que servem de portal para a utilização da nuvem que estejam atualizados; 6. Tenha sempre conexão de internet confiável tanto em disponibilidade quanto em segurança. Dicas de segurança
  33. 33. OBRIGADO: http://naomicluster.blogspot.com.br/

×