ConstruInovaConstruInova
•• POLI USPPOLI USP
•• TecnologiasTecnologias
AvanAvanççadas deadas de
ConstruConstruççãoão --
PC...
VVáários tipos diferentes de painrios tipos diferentes de painééis fotovoltaicosis fotovoltaicos
Funcionamento do sistema conectadoFuncionamento do sistema conectado àà rederede
•• ResoluResoluçção ANEEL 482/12ão ANEEL ...
Uso em FachadasUso em Fachadas
Uso em FachadasUso em Fachadas
Uso em FachadasUso em Fachadas
Uso em CoberturasUso em Coberturas
Uso em CoberturasUso em Coberturas
Uso em CoberturasUso em Coberturas
Uso em CoberturasUso em Coberturas
Uso em CoberturasUso em Coberturas
Uso em CoberturasUso em Coberturas
Uso do painel integrado ao EdifUso do painel integrado ao Edifííciocio
Uso do painel integrado ao EdifUso do painel integrado ao Edifííciocio
Uso do painel integrado ao EdifUso do painel integrado ao Edifííciocio
Vantagens do uso doVantagens do uso do
BIPVBIPV
•• Sustentabilidade do edifSustentabilidade do edifííciocio
agrega valor a...
AnAnáálise Econômico Financeiralise Econômico Financeira
•• Levantamento de custos de implantaLevantamento de custos de im...
Custos de sistemas solaresCustos de sistemas solares -- Residencial, Comercial e UsinaResidencial, Comercial e Usina
Fonte...
AtlasAtlas SolarimSolariméétricotrico do Brasildo Brasil –– MMéédia anual de irradiadia anual de irradiaçção (ão (KwhKwh/m...
Custo de produCusto de produçção de energia solar no Brasilão de energia solar no Brasil –– R$/R$/KwhKwh
Fonte: ABINEE (20...
CAPEX (R$/CAPEX (R$/WpWp) e Custo de produ) e Custo de produçção (R$/kWh)ão (R$/kWh)
Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (20...
ÍÍndice de competitividade de energia solarndice de competitividade de energia solar –– baixa tensãobaixa tensão
Fonte: AB...
TIRTIR –– Taxa Interna de Retorno (%) e Custo do sistema (R$/Taxa Interna de Retorno (%) e Custo do sistema (R$/ kWpkWp))
...
FontesFontes
•• FREITAS, MichelFREITAS, Michel etet al. Anal. Anáálise de Viabilidade Financeira na Aplicalise de Viabilid...
Muito obrigado!!Muito obrigado!!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Constru inova bipv e viabilidade econômico-financeira

206 visualizações

Publicada em

Este artigo busca evidenciar que a instalação de energia solar no Brasil é economicamente viável, em decorrência da queda de preço dos equipamentos e a natural incidência solar elevada no território brasileiro.

This article aims to show that solar energy is very cost effective in Brazil, due to cheapening of solar equipments and the high level of solar radiation throughout all brazilian territory.

Publicada em: Imóveis
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
206
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Constru inova bipv e viabilidade econômico-financeira

  1. 1. ConstruInovaConstruInova •• POLI USPPOLI USP •• TecnologiasTecnologias AvanAvanççadas deadas de ConstruConstruççãoão -- PCC5960PCC5960 •• Roberto CamargoRoberto Camargo Leite MoreiraLeite Moreira •• AGO 2014AGO 2014 Viabilidade econômicoViabilidade econômico-- financeira do BIPVfinanceira do BIPV no Brasilno Brasil
  2. 2. VVáários tipos diferentes de painrios tipos diferentes de painééis fotovoltaicosis fotovoltaicos
  3. 3. Funcionamento do sistema conectadoFuncionamento do sistema conectado àà rederede •• ResoluResoluçção ANEEL 482/12ão ANEEL 482/12 •• MicrogeraMicrogeraççãoão distribudistribuíídada <100<100 kWpkWp •• MinigeraMinigeraççãoão distribudistribuíídada >100Wp at>100Wp atéé 1.0001.000 kWpkWp •• Sistema deSistema de ““netnet meteringmetering”” ou seja, mediou seja, mediçção lão lííquidaquida entre a diferenentre a diferençça do que foia do que foi gerado e consumidogerado e consumido •• A energia deve atender aosA energia deve atender aos padrões de qualidadepadrões de qualidade definidos no PRODISTdefinidos no PRODIST •• Equipamentos devem serEquipamentos devem ser certificados pelo INMETROcertificados pelo INMETRO
  4. 4. Uso em FachadasUso em Fachadas
  5. 5. Uso em FachadasUso em Fachadas
  6. 6. Uso em FachadasUso em Fachadas
  7. 7. Uso em CoberturasUso em Coberturas
  8. 8. Uso em CoberturasUso em Coberturas
  9. 9. Uso em CoberturasUso em Coberturas
  10. 10. Uso em CoberturasUso em Coberturas
  11. 11. Uso em CoberturasUso em Coberturas
  12. 12. Uso em CoberturasUso em Coberturas
  13. 13. Uso do painel integrado ao EdifUso do painel integrado ao Edifííciocio
  14. 14. Uso do painel integrado ao EdifUso do painel integrado ao Edifííciocio
  15. 15. Uso do painel integrado ao EdifUso do painel integrado ao Edifííciocio
  16. 16. Vantagens do uso doVantagens do uso do BIPVBIPV •• Sustentabilidade do edifSustentabilidade do edifííciocio agrega valor ao usuagrega valor ao usuááriorio •• ReduReduçção do custo comão do custo com energia elenergia eléétricatrica •• Adiciona pontosAdiciona pontos importantes para aimportantes para a certificacertificaçção LEEDão LEED
  17. 17. AnAnáálise Econômico Financeiralise Econômico Financeira •• Levantamento de custos de implantaLevantamento de custos de implantaçção e operaão e operaççãoão •• Levantamento de receitas esperadas/ custos com energia reduzidoLevantamento de receitas esperadas/ custos com energia reduzidoss •• Levantamento de fatores determinantes para as receitas/ custosLevantamento de fatores determinantes para as receitas/ custos •• Levantamento de fatores de risco envolvidos (risco legal, de crLevantamento de fatores de risco envolvidos (risco legal, de créédito,dito, de mercado, etc.)de mercado, etc.) •• DeterminaDeterminaçção da rentabilidade esperada para o investimentoão da rentabilidade esperada para o investimento •• CCáálculo do VPLlculo do VPL –– Valor Presente LValor Presente Lííquidoquido •• CCáálculo da TIRlculo da TIR –– Taxa Interna de RetornoTaxa Interna de Retorno •• CCáálculo dolculo do paybackpayback
  18. 18. Custos de sistemas solaresCustos de sistemas solares -- Residencial, Comercial e UsinaResidencial, Comercial e Usina Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (2012) •• Quanto maior a potência do sistema, menor o custo R$/Quanto maior a potência do sistema, menor o custo R$/WpWp,, decorrentedecorrente dodo ganho de escalaganho de escala
  19. 19. AtlasAtlas SolarimSolariméétricotrico do Brasildo Brasil –– MMéédia anual de irradiadia anual de irradiaçção (ão (KwhKwh/m2/dia)/m2/dia) Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (2012) •• Praticamente todo oPraticamente todo o Brasil possuiBrasil possui ííndices dendices de irradiairradiaçção solar razoão solar razoááveisveis para captapara captaçção de energiaão de energia •• A região CentroA região Centro--Oeste/Oeste/ Sudeste/ NordesteSudeste/ Nordeste apresentam os maioresapresentam os maiores ííndices de irradiandices de irradiaççãoão (cores(cores ““quentesquentes””)) •• As regiões Norte e SulAs regiões Norte e Sul apresentamapresentam ííndicesndices menores (coresmenores (cores ““friasfrias””))
  20. 20. Custo de produCusto de produçção de energia solar no Brasilão de energia solar no Brasil –– R$/R$/KwhKwh Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (2012) •• Os custos de produOs custos de produççãoão da energia solarda energia solar dependem do custo dodependem do custo do sistema (instalasistema (instalaçção eão e manutenmanutençção), da vidaão), da vida úútiltil do equipamento (25 anosdo equipamento (25 anos ou mais), do fator deou mais), do fator de capacidade, da localizacapacidade, da localizaççãoão do sistema e,do sistema e, eventualmente, doseventualmente, dos custos financeiros.custos financeiros.
  21. 21. CAPEX (R$/CAPEX (R$/WpWp) e Custo de produ) e Custo de produçção (R$/kWh)ão (R$/kWh) Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (2012) •• O CAPEXO CAPEX –– CapitalCapital ExpenditureExpenditure éé oo montante total demontante total de investimentoinvestimento requerido no sistemarequerido no sistema de gerade geraçção de energiaão de energia solarsolar •• O fator deO fator de capacidade dependecapacidade depende da localizada localizaçção e daão e da eficiência do sistemaeficiência do sistema e seus equipamentose seus equipamentos
  22. 22. ÍÍndice de competitividade de energia solarndice de competitividade de energia solar –– baixa tensãobaixa tensão Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (2012) •• Quanto maior oQuanto maior o ííndice dendice de competitividade maiscompetitividade mais atrativoatrativo éé a instalaa instalaççãoão do sistema de gerado sistema de geraççãoão de energia solarde energia solar fotovoltaicafotovoltaica •• EsteEste ííndicendice éé a razãoa razão existente entre oexistente entre o custo de producusto de produçção daão da energia solarenergia solar comparada ao custocomparada ao custo da energia pela rededa energia pela rede de baixa tensãode baixa tensão
  23. 23. TIRTIR –– Taxa Interna de Retorno (%) e Custo do sistema (R$/Taxa Interna de Retorno (%) e Custo do sistema (R$/ kWpkWp)) Fonte: ABINEE (2012)Fonte: ABINEE (2012) •• A TIRA TIR éé calculadacalculada conforme o custoconforme o custo de instalade instalaçção doão do sistema e a tarifasistema e a tarifa da concessionda concessionááriaria local de energialocal de energia •• Atualmente aAtualmente a SELIC estSELIC estáá emem 11%11%a.a.a.a., enquanto, enquanto a inflaa inflaçção estão estáá emem 6%, o que6%, o que representa jurorepresenta juro real de 5%real de 5%a.a.a.a. Acima da SELICAcima da SELIC
  24. 24. FontesFontes •• FREITAS, MichelFREITAS, Michel etet al. Anal. Anáálise de Viabilidade Financeira na Aplicalise de Viabilidade Financeira na Aplicaçção deão de Telhas Fotovoltaicas em HabitaTelhas Fotovoltaicas em Habitaçção de Interesse Social Sustentão de Interesse Social Sustentááveis. 2012.veis. 2012. Trabalho apresentado no 7Trabalho apresentado no 7ºº Congresso Internacional deCongresso Internacional de BioenergiaBioenergia.. •• ABINEEABINEE –– Propostas para InserPropostas para Inserçção da Energia Solar Fotovoltaica na Matrizão da Energia Solar Fotovoltaica na Matriz ElEléétrica Brasileira. 2012. Acessado em 26/08/2014trica Brasileira. 2012. Acessado em 26/08/2014 <<www.www.abineeabinee.org.br/informac/arquivos/profotov.pdf>.org.br/informac/arquivos/profotov.pdf> • DannyDanny H.W.H.W. Li; Tony N.T.Li; Tony N.T. LamLam; Wilco W.H.; Wilco W.H. ChanChan; Ada H.L.; Ada H.L. MakMak.. EnergyEnergy andand costcost analysisanalysis ofof semisemi--transparenttransparent photovoltaicphotovoltaic inin officeoffice buildingsbuildings.. 20082008.. AppliedApplied EnergyEnergy.. •• QUESADA, Guillermo;QUESADA, Guillermo; RousseRousse, Daniel;, Daniel; DutilDutil,, YvanYvan;; BadacheBadache,, MessaoudMessaoud. A. A comprehensivecomprehensive reviewreview ofof solarsolar facadesfacades -- OpaqueOpaque solarsolar facadesfacades. 2012.. 2012. RenewableRenewable andand SustainableSustainable EnergyEnergy ReviewsReviews.. •• ANEEL. ResoluANEEL. Resoluçção Normativa não Normativa nºº482/12482/12
  25. 25. Muito obrigado!!Muito obrigado!!

×