A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)

2.313 visualizações

Publicada em

A Lei de Amor

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.313
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)

  1. 1. Feliz aquele que ama, porque não conhece nem a angústia da alma, nem a miséria do corpo; seus pés são leves, e vive como transportado para fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou essa palavra divina - amor -, ela fez estremecer os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo. " A LEI DE AMOR ( Lázaro: ESE, Cap XI, nº 8, primeiro parágrafo. ) "O amor resume inteiramente a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. no seu início, o homem não tem senão instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações; mais instruído e purificado, tem sentimentos; e o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior que condensa e reúne em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. Feliz aquele que, ultrapassando sua humanidade (Certidão de Nascimento => Certidão de Óbito), ama com amplo amor seus irmãos em dores! A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres e aniquila as misérias sociais.
  2. 2. c) inteligência humilde, para entender o que realmente está escrito, e não querer impor ao escrito o que se tem em mente. Para interpretar com segurança um trecho da Escritura, é mister: b) mente livre, não subordinada a dogmas a) isenção de preconceitos. d) raciocínio perquiridor e sagaz e) cultura ampla e polimorfa mas sobretudo: f) CORAÇAO DESPRENDIDO (PURO) E UNIDO A DEUS. INTERPRETAÇÃO
  3. 3. A EXPLICAÇÃO DAS MÁXIMAS MORAIS DO CRISTO EM CONCORDÂNCIA COM O ESPIRITISMO E SUAS APLICAÇÕES ÀS DIVERSAS CIRCUNSTÂNCIAS DA VIDA.
  4. 4. (Conhecimento Científico e Filosófico: Bases para o Desenvolvimento MORAL e
  5. 5. Quanto aos que, pretendendo instruir o homem na lei de Deus, o têm transviado, ensinando-lhes falsos princípios, isso aconteceu por haverem deixado que os dominassem sentimentos demasiado terrenos e por terem confundido as leis que regulam as condições da vida da alma, com as que regem a vida do corpo. Muitos hão apresentado como leis divinas simples leis humanas estatuídas para servir às paixões e dominar os homens. Para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que a Humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do Senhor, porque, sendo ele o mais puro de quantos têm aparecido na Terra, o Espírito Divino o animava. Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo? “Jesus.”
  6. 6. ORAÇÃO DE FRANCISCO DE ASSIS Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz Onde houver ódio que eu leve o amor Onde houver ofensa que eu leve o perdão Onde houver discórdia que eu leve união Onde houver dúvida que eu leve a fé Onde houver erro que eu leve a verdade Onde houver desespero que eu leve a esperança Onde houver tristeza que eu leve alegria Onde houver trevas que eu leve a luz Oh! Mestre, fazei que eu procure mais Consolar que ser consolado Compreender que ser compreendido Amar que ser amado Pois é dando que se recebe É perdoando que se é perdoado E é morrendo que se vive Para a vida eterna. E S E: O SERMÃO DA MONTANHA CAP V BEM-AVENTURADOS OS AFLITOS; CAP VI O CRISTO CONSOLADOR; CAP VII BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO; CAP VIII BEM-AVENTURADOS OS QUE TÊM PURO O CORAÇÃO; CAP IX BEM-AVENTURADOS OS QUE SÃO BRANDOS E PACÍFICOS; CAP X BEM-AVENTURADOS OS QUE SÃO MISERICORDIOSOS; CAP XI AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO; CAP XII AMAI OS VOSSOS INIMIGOS. I. Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome! II. Venha o teu reino! III. Faça-se a tua vontade, assim na Terra como no Céu. IV. Dá-nos o pão de cada dia. V. Perdoa as nossas dívidas, como perdoamos aos que nos devem. - Perdoa as nossas ofensas, como perdoamos aos que nos ofenderam. VI. Não nos deixes entregues à tentação, mas livra-nos do mal. VII. Assim seja. DIRETRIZES DE JESUS PLANO DE SUSTENTAÇÃO PLANO OPERACIONAL ...O caráter, o amor, a fé, a paciência, a esperança representam conquistas para a vida eterna, realizadas pela criatura, com o auxilio santo do Mestre...
  7. 7. Terra Vênus Marte Mercúrio Plutão
  8. 8. Júpiter Saturno Urano Netuno Terra Plutão
  9. 9. Sol Júpiter Terra Plutão
  10. 10. Sol Júpiter tem a proporção de 1 pixel Nessa escala a terra é invisível Pólux
  11. 11. Antares é a 15ª estrela mais brilhante no céu. E está há mais de 1000 anos-luz de distância. Sol (1 pixel) Nessa escala Júpiter é invisível
  12. 12. França Islândia Itália Plataforma continental Inglaterra ÁFRICA Portugal Oceano Atlântico Cabo Verde Canárias Açores
  13. 13. QUEM SOMOS NÓS? DE ONDE VIEMOS? POR QUE ESTAMOS AQUI? PARA ONDE VAMOS? A HISTÓRIA DA VIDA NA TERRA GRAVADA NAS ROCHAS Primeiro Dia Segundo Dia Terceiro Dia Quarto Dia Quinto Dia Sexto Dia
  14. 14. …PENSO QUE SÓ QUEM É VERDADEIRAMENTE RICO DO SENTIMENTO DE AMOR SABE AGIR ASSIM… UMA DAS EXPRESSÕES DO AMOR MATERNO (MELHOR SEMELHANÇA DO AMOR DIVINO NA TERRA)
  15. 15. O HOMEM INTEGRAL SER HUMANO HOMO SAPIENS ECOLÓGICO SPIRITUALIS LABORATOR INTELECTUALIS QIES CRIATIVUS EMOCIONALIS QUÂNTICO = INTEGRADO (QUANTIDADE + QUALIDADE) (PONDERÁVEL + IMPONDERÁVEL) (VISÍVEL + INVISÍVEL)
  16. 16. Inconsciente Puro Inconsciente P assado Inconsciente Atual Corpo Mental Perispírito Duplo Etérico Corpo Físico Vontade Pensamento Sentimento Inteligência Espiritual Inteligência Intelectual Inteligência Emocional Intuição Razão Reflexão Emoção Instinto Sensação Sentidos Reflexos Carater Virtudes Vícios Atitude Comportamento Valores Pensa r Agir Sentir Hábitos Afetividade Vontade Pensamento Sentimento Inteligência Espiritual Inteligência Intelectual Inteligência Emocional Intuição Razão Reflexão Emoção Instinto Sensação Sentidos Reflexos Carater Virtudes Vícios Atitude Comportamento Valores Pensa r Agir Sentir Hábitos Afetividade PersonalidadeIndividualidade Ref. Dr. Jorge Andréa F O C O I N C R I A D O EU EGO Perispírito Corpo Físico
  17. 17. ÁTOMO “EM ESPÍRITO E EM VERDADE VOS DIGO” ... A alma, como dissemos, vem de Deus; é em nós o princípio da inteligência e da vida. Essência misteriosa, escapa à análise, como tudo que se origina do Absoluto. Leon Denis: O Problema do Ser, do Destino e da Dor - EVOLUÇÃO E FINALIDADE DA ALMA ...ela persegue sua marcha evolutiva, percorre as inúmeras estações de sua viagem e vai rumo a um objetivo grande e desejável, um objetivo divino, que é a perfeição. O PÓ DA TERRA
  18. 18. Feliz aquele que ama, porque não conhece nem a angústia da alma, nem a miséria do corpo; seus pés são leves, e vive como transportado para fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou essa palavra divina - amor -, ela fez estremecer os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo. " A LEI DE AMOR ( Lázaro: ESE, Cap XI, nº 8, primeiro parágrafo. ) "O amor resume inteiramente a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. no seu início, o homem não tem senão instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações; mais instruído e purificado, tem sentimentos; e o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior que condensa e reúne em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. Feliz aquele que, ultrapassando sua humanidade, ama com amplo amor seus irmãos em dores! A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres e aniquila as misérias sociais.
  19. 19. MANIFESTAÇÕES INTERIOR / EU SENTIDOSA LEI DIVINA (NATURAL) CARIDADE GRANDES VIRTUDES (Elementos da Caridade) (Lei do TRABALHO) P. 647/685 (Lei de REPRODUÇÃO) P.686/701 (Lei de CONSERVAÇÃO) P.702/727 SEGURANÇA REPRODUÇÃO CONSERVAÇÃO INSTINTOSMATERIAL (SENTIDOS FISICOS) A LEI DE AMOR SEU MECANISMO AMOR MISERICÓRDIA DEVOTAMENTO ABNEGAÇÃO INDULGÊNCIA BENEVOLÊNCIA HUMILDADE MORAL/ESPIRITUAL (SENTIDOS ESPIRITUAIS – VERDADE) SENTIMENTOS ALEGRIA TRISTEZA MEDO DESEJO DOR/PREOCUPAÇÃO RAIVA FOBIAS ÓDIO / IRA DEPRESSÃO ORGULHO/VAIDADE VÍCIOS/HÁBITOS SINAIS FÍSICOS EMOCIONAL (SENTIDOS PSIQUICOS / MENTAIS) SENSAÇÕES EMOÇÕES “ESPÍRITO/PSICO/NEURO/ENDÓCRINO/IMUNO/FISIOLOGIA” LEIS MORAIS (L. E.) RAZÃO / LIVRE ARBÍTRIO
  20. 20. DevotamentoEspiritual Material Social-afetiva Ético-moral PROMOÇÃO DO SER Sabedoria união c/ a mente-espiritual (INTUIÇÃO) Maturidade psíquica e emocional Benevolência Indulgência Abnegação Amor em exercício = Caridade Saúde/Equilíbrio Físico e mental-intelectual MISÉRIAS HUMANAS ELEMENTOS DA CARIDADE PROMOÇÃO DO SER SER INTEGRAL: EU SOU (Consciente do SER) “EU E O PAI SOMOS UM” (João: 10, 30) (ÊXODO: 3, 14) Os Misericordiosos Os Aflitos Os Humildes e os que Têm puro o Coração Os Brandos e Pacíficos SÃO BEM AVENTURADOS O Cristo Consolador
  21. 21. No final do século VI, o Papa Gregório I, colocou em ordem decrescente os pecados que mais ofendiam ao Amor: 1.Orgulho 2. Inveja 3. Ira 4. Preguiça 5. Avareza 6. Gula 7. Luxúria VÍCIOS PSÍQUICOS / MORAIS VÍCIOS FISIOLÓGICOS Não matarás. Não roubarás. Não desejareis a mulher do vosso próximo. Não tomarás em vão o nome do Senhor teu Deus; Amarás a Deus sobre todas as coisas. Honrarás ao teu Pai e à tua Mãe. Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. SEGURANÇA CONSERVAÇÃO REPRODUÇÃO LEIS MORAIS (L. E.) (Lei do TRABALHO) P. 647/685 (Lei de CONSERVAÇÃO) P.702/727 (Lei de REPRODUÇÃO) P.686/701 Na ordem dos sentimentos, o dever é muito difícil de cumprir-se, por se achar em antagonismo com as atrações do interesse e do coração. (Lázaro: ESE, Cap. XVII – Sede Perfeitos) “Livre Arbírio”
  22. 22. NOSSOS SENTIDOS (SENSORIAIS) Ligados pelo “CORPO ASTRAL” e pelo “DUPLO ETÉRICO” NOSSOS INSTINTOS
  23. 23. SENTIDOS FÍSICOS VISÃO OLFATO PALADAR TATO AUDIÇÃO DESENVOLVIMENTO DOS SENTIDOS (PERCEPÇÕES) SENTIDOS EMOCIONAIS ALEGRIA TRISTEZA MEDO DOR (PREOCUPAÇÃO) DESEJO RAIVA Medo de trabalhar. Medo de servir. Medo de fazer amigos. Medo de desapontar. Medo de sofrer. Medo da incompreensão. Medo da alegria. Medo da dor.
  24. 24. Os receptores sensoriais (terminações nervosas ou células sensoriais secundárias) apresentam especificidade de resposta aos estímulos naturais: Limiar muito baixo ou sensibilidade máxima para o estimulo natural Os receptores sensoriais possuem localização estratégica no corpo onde melhor captam os estímulos sensoriais. Os órgãos sensoriais funcionam como filtros altamente específicos às diferentes formas de energia do ambiente. Propriedade dos Receptores Especificidade aos estímulos sensoriais
  25. 25. ALEGRIA / TRISTEZA / MEDO / DOR / DESEJO / RAIVA
  26. 26. ALEGRIA A alegria deriva de situações ou fatos agradáveis, prazerosos ou desejáveis. Ela pode ser classificada como o oposto da tristeza, tanto em suas causas, quanto em suas conseqüências. Enquanto a tristeza nos deixa sem ânimo, a alegria nos dá vitalidade e energia, enquanto a tristeza é causada por situações desagradáveis ou fracassos a alegria é fruto de sucessos e situações agradáveis. Além disso, esta emoção facilita a sociabilidade e a formação de laços e equilibra as conseqüências da tristeza.
  27. 27. TRISTEZA A tristeza é a emoção mais comum, ela é vista como a emoção mais negativa e angustiante de todas. A ação principal que a tristeza provoca é a tentativa de reparar o dano ou o suposto dano provocado primeiramente. Sua característica positiva é que mantém as pessoas juntas na medida em que, sabendo que irão sofrer elas não abandonam umas às outras, e também aumenta a motivação para as atividades, já que os indivíduos que sentem-se tristes com o fracasso querem evitá-lo. (Reeve, 2006)
  28. 28. MEDO O medo é sempre uma reação a um suposto perigo, físico ou psicológico. Ele motiva a defesa e prepara o corpo para o dano (ativando o sistema nervoso), seja para lutar ou fugir. Os sinais físicos são: tremores, transpiração, batimento cardíaco acelerado, dentre outros.
  29. 29. DOR / PREOCUPAÇÃO A dor arde nas minhas entranhas lágrimas de sofrimento e revolta as feridas continuam sangrando O tempo corre veloz e as memórias estão presentes nesta alma estilhaçada Os laços foram quebrados a indiferença separou-nos Eu sou a sombra de alguém. Quero sorrir, e vibrar com ecos em gargalhada derreter esta maldita dor O meu sangue gela, e o coração endurece mas a mágoa, perdurará para sempre.
  30. 30. DESEJO Amor (afeto), pode ser definido como ligação, vínculo, apego, afeição, desejo de ter para si e de se dar para o outro de si. Todo tipo de amor, desde o amor materno, até o amor erótico tem esta base natural de comunhão, de união, junção, de simbiose.
  31. 31. RAIVA A raiva aparece por meio de uma interferência nos planos, traição, injustiça, críticas infundadas ou outros aborrecimentos. Ela é a emoção mais passional de todas, para a pessoa com este sentimento, nenhum dos fatos acontecidos é válido. Além de ser a emoção mais passional é a mais perigosa, já que é a que mais tende a terminar em agressão. A raiva é uma emoção positiva quando usada para dar ênfase à discussão, sem violência, trazendo mais êxito à mesma.
  32. 32. As sensações causam expressões comportamentais que indicam desconforto/conforto
  33. 33. Os estímulos sensoriais evocam não só percepções objetivas mas também evocam reações afetivas.
  34. 34. O Sexto Sentido e a Visão Espiritual A visão espiritual é, na realidade, o sexto sentido ou sentido espiritual, de que tanto se falou e que, como os demais sentidos, pode ser mais ou menos obtuso ou sutil. Ele tem como agente o fluido perispiritual, como a visão corporal tem por agente o fluido luminoso. Assim como a irradiação do fluido luminoso leva a imagem dos objetos à retina, a irradiação do fluido perispiritual leva à alma certas imagens e certas impressões. Esse fluido, como todos os outros, tem seus efeitos próprios, suas propriedades sui generis. Sendo o homem composto de Espírito, perispírito e corpo, durante a vida as percepções e sensações se produzem, ao mesmo tempo, pelos sentidos orgânicos e pelo sentido espiritual; depois da morte os sentidos orgânicos são destruídos, mas, restando o perispírito, o Espírito continua a perceber pelo sentido espiritual, cuja sutileza aumenta em razão do desprendimento da matéria. O homem em que tal sentido é desenvolvido, goza, assim, por antecipação, de uma parte das sensações do Espírito livre. Embora amortecido pela predominância da matéria, nem por isto o sentido espiritual deixa de produzir sobre todos os homens uma multidão de efeitos reputados maravilhosos, por falta de conhecimento do princípio. REVISTA ESPÍRITA: Jornal de Estudos Psicológicos: ANO SÉTIMO – 1864
  35. 35. "Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos.“ (O Livro dos Médiuns, Cap. XIV, Edição FEB) O Sexto Sentido e a Visão Espiritual
  36. 36. SERPENTE = ENERGIAS ÁGUIA = PERCEPÇÃO HOMEM = RAZÃO LEÃO = EMOÇÕES TOURO = INSTINTOS UMA COMPREENSÃO MITOLÓGICA
  37. 37. OS QUATRO PRINCÍPIOS DA TEORIA DE INFORMAÇÃO E PERCEPÇÃO CINÉSICA DO CORPO HUMANO (“O CORPO FALA”: PIERRE WEIL E R. TOMPAKOW) I OS COMPONENTES SIMULTÂNEOS DAS MENSAGENS EM LINGUAGEM DO CORPO HUMANO SEMPRE CONCORDAM ENTRE SI DISCORDAM ENTRE SI OU
  38. 38. OS QUATRO PRINCÍPIOS DA TEORIA DE INFORMAÇÃO E PERCEPÇÃO CINÉSICA DO CORPO HUMANO (“O CORPO FALA”: PIERRE WEIL E R. TOMPAKOW) II É POSSÍVEL DISCERNIR ENTRE ATITUDE CONSCIENTEMENTE EXTERIORIZADA OU ATITUDE INCONSCIENTEMENTE OCULTA
  39. 39. OS QUATRO PRINCÍPIOS DA TEORIA DE INFORMAÇÃO E PERCEPÇÃO CINÉSICA DO CORPO HUMANO (“O CORPO FALA”: PIERRE WEIL E R. TOMPAKOW) III DO RECEPTOR DAS MENSAGENS PODEM SER DE MODO CONSCIENTE INCONSCIENTEE/OU A REAÇÃOA PERCEPÇÃO E/OU
  40. 40. OS QUATRO PRINCÍPIOS DA TEORIA DE INFORMAÇÃO E PERCEPÇÃO CINÉSICA DO CORPO HUMANO (“O CORPO FALA”: PIERRE WEIL E R. TOMPAKOW) IV NA PERCEPÇÃO DAS MENSAGENS CORRETAMENTE AVALIADAS O ACORDO DOS COMPONENTES: O DESACORDO DOS COMPONENTES: CONFIRMA A VERDADE DA INTENÇÃO CONVENCIONALMENTE EXTERIORIZADA REVELA OPOSIÇÃO REPRIMIDA À INTENÇÃO CONVENCIONALMENTE EXTERIORIZADA
  41. 41. ESPIRITUALIZAÇÃO O Princípio Passivo Feminino MATERIALIZAÇÃO O Princípio Ativo Masculino Grande emotividade é característico de riqueza íntima. Contudo, é preciso saber como gasta você as emoções. (André Luiz: Agenda Cristã – Mais Além, Pag. 76) PERISPÍRITO => VONTADE CORPO => FORMA ESPÍRITO => PENSAMENTO Lei de Reprodução
  42. 42. Para cima, nada sabemos VIDA – “Eu sou o Pão...” EVOLUÇÃO – “Eu sou a Luz...” “O Pensamento de EMANNUEL” – Martins Peralva: FEB E V O L U Ç Ã O E S T Á G I O Para baixo, nada sabemos INSTINTO Excitação Percepção {Minerais {Plantas Animalidade Pensamento {Animais {Homens Primitivos INTELIGÊNCIA Raciocínio Responsabilidade {Seres Humanos Comuns R A Z Ã O Seres Humanos Elevados Discernimento Sublimação HUMANIDADE ANGELITUDE Amor Sabedoria Espíritos Puros
  43. 43. “O mundo está cheio de trabalhos ligados ao estômago. A existência terrestre permanece transbordando emoções relativas ao sexo. Ninguém contesta o fundamento sagrado de ambos, entretanto, não podemos estacionar numa ou noutra expressão. Há que levantar os olhos e devassar zonas mais altas. É preciso cogitar da colheita de valores novos, atendendo ao nosso próprio celeiro. Não se resume a vida a fenômenos de nutrição, nem simplesmente à continuidade da espécie. Laborioso serviço de iluminação espiritual requisita o homem.”
  44. 44. TER DEPENDÊNCIA PRECISO QUE ME SIRVA SER INDEPENDÊNCIA POSSO ME SERVIR SOZINHO INTERDEPENDÊNCIACOMPARTILHAR PRECISAMOS NOS AJUDAR SERVIR DESPRENDIMENTO SOU UM SERVIDOR Apesar do comportamento humano poder evoluir dentro desses níveis de consciência ao longo de cada encarnação, na medida em que nos tornamos mais velhos e amadurecemos com as experiências, podemos constatar que muitos de nós ainda temos um comportamento predominante nos níveis mais baixos de consciência moral. DOINDIVIDUALPARAOCOLETIVO INTENÇÃO COMPORTAMENTOPOSTURA
  45. 45. CHAKRAS E SUAS RELAÇÕES COM OS PLEXOS E AS GLANDULAS (o pontilhado representa o corpo astral): A - Corpo pineal 1 - Plexos carotídeo e cavernoso B - Hipófise 2 - Plexos cervical e laríngeo C - Tireóide 3 - Plexo braquial D - Timo 4 - Plexo cardíaco E - Baço 5 - Plexo solar (epigástrico) F - Supra-renal 6 - Plexo lombar G - Pâncreas H - Ovários (na mulher) 7 - Plexo sacro I - Testículos (no homem) (Desenho de Carlos Juliano Torres Pastorino – Técnica da Mediunidade)
  46. 46. SENTIDOS FÍSICOS VISÃO OLFATO PALADAR TATO AUDIÇÃO DESENVOLVIMENTO DOS SENTIDOS (PERCEPÇÕES) SENTIDOS EMOCIONAIS ALEGRIA TRISTEZA MEDO DOR (PREOCUPAÇÃO) DESEJO RAIVA Medo de trabalhar. Medo de servir. Medo de fazer amigos. Medo de desapontar. Medo de sofrer. Medo da incompreensão. Medo da alegria. Medo da dor.
  47. 47. NOSSOS SENTIDOS (SENSORIAIS) Ligados pelo “CORPO ASTRAL” e pelo “DUPLO ETÉRICO” NOSSOS INSTINTOS
  48. 48. Não consistem os benefícios de Deus unicamente em coisas materiais. Devemos também agradecer-lhe as boas idéias, as felizes inspirações que recebemos. Ao passo que o egoísta atribui tudo isso aos seus méritos pessoais e o incrédulo ao acaso, aquele que tem fé rende graças a Deus e aos bons Espíritos. São desnecessárias, para esse efeito, longas frases. , diz mais do que multas palavras. O impulso espontâneo, que nos faz atribuir a Deus o que de bom nos sucede, dá testemunho de um ato de reconhecimento e de humildade, que nos granjeia a simpatia dos bons Espíritos. (Cap. XXVII, nº 7 e nº 8.)
  49. 49. 7. Desta máxima: “Concedido vos será o que quer que pedirdes pela prece”, fora ilógico deduzir que basta pedir para obter e fora injusto acusar a Providência se não acede a toda súplica que se lhe faça, uma vez que ela sabe, melhor do que nós, o que é para nosso bem. É como procede um pai criterioso que recusa ao filho o que seja contrário aos seus interesses. Em geral, o homem apenas vê o presente; ora, se o sofrimento é de utilidade para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa que o doente sofra as dores de uma operação que lhe trará a cura.
  50. 50. O que Deus lhe concederá sempre, se ele o pedir com confiança, . Também lhe concederá deixando-lhe dessa forma o mérito da ação.
  51. 51. Ele assiste os que se ajudam a si mesmos, de conformidade com esta máxima: ; não assiste, porém, os que tudo esperam de um socorro estranho, sem fazer uso das faculdades que possui. (Cap. XXV, nº 1 e seguintes.)

×