Currículo de ciência como campo          de disputa.•Carla Carolina•Lângela Carmo•Priscila Paixão
Revolução tecnológica   Após a II Guerra Mundial a imagem da    ciência e da tecnologia foi valorizada.    A partir da R...
Cultura ocidental   A ocidentalização é um fenômeno no qual    países em desenvolvimento recebem    influências provindas...
Multiculturalismo   Canen e Oliveira (2002) conceituam o    multiculturalismo, como um termo polissêmico    que engloba i...
Cultura científica   Cultura:          “a           totalidade            dos    conhecimentos, crenças, artes, valores, ...
Currículo hegemônico•Segundo   (gramsci, 1971) “é uma construçãoideológica, representando um dado projetohegemônico”.•Curr...
O conceito de ciências e suas relações    com outros sistemas de conhecimento   Ciência neutra     - “a ciência é livre d...
•   No século XX:   A tecnologia ganha caráter universal e    atemporal, como já era vista a ciência.   Europa e EUA: Tr...
MUDANÇAS DE PENSAMENTO   Se a década de 70, foi marcada pela centralidade do    método científico e os processos históric...
O currículo MulticulturalSegundo MACEDO apud COSTA (2002) “Ocurrículo multicultural seria o local onde adiferença e a iden...
O currículo Multicultural O currículo como instrumento de dominação; Questionamento dos critérios de seleção dos  conhec...
O currículo Multicultural Os conteúdos de ensino que constituem  parte do currículo, parcelado em  disciplinas, expressam...
O papel do professor   Segundo       os   Padrões   Curriculares    Nacionais salienta que para as diferenças    sejam po...
O papel dos professores “formar é muito mais que puramente  treinar o educando no desempenho de  destrezas” (FREIRE, 2003...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O currículo de ciências como campo de disputa

709 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
709
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
374
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O currículo de ciências como campo de disputa

  1. 1. Currículo de ciência como campo de disputa.•Carla Carolina•Lângela Carmo•Priscila Paixão
  2. 2. Revolução tecnológica Após a II Guerra Mundial a imagem da ciência e da tecnologia foi valorizada. A partir da Revolução Industrial os conhecimentos tecnológicos e a estrutura social foram modificados de forma acelerada. Atualmente a sociedade vive momentos de uma verdadeira revolução tecnológica.
  3. 3. Cultura ocidental A ocidentalização é um fenômeno no qual países em desenvolvimento recebem influências provindas da esfera ocidental. Nos últimos séculos, a ocidentalização ganhou uma velocidade mais acelerada. Normalmente este mecanismo ocorre em um sentido de mão dupla.
  4. 4. Multiculturalismo Canen e Oliveira (2002) conceituam o multiculturalismo, como um termo polissêmico que engloba ideias liberais ou folclóricas, que tratam da valorização da pluralidade cultural. Na educação, o multiculturalismo surge como um novo campo de pesquisa.
  5. 5. Cultura científica Cultura: “a totalidade dos conhecimentos, crenças, artes, valores, leis, costumes e de todas as outras capacidades hábitos adquiridos pelo homens enquanto membro da sociedade. “cultura cientifica” definida como um conjunto dos conhecimentos, ideias e representações referindo-se a prática cientifica. Para Coimbra (2007) a cultura científica vai além da ciência como conhecimento e da ciência como um processo idealizado. Ciência como atividade humana.
  6. 6. Currículo hegemônico•Segundo (gramsci, 1971) “é uma construçãoideológica, representando um dado projetohegemônico”.•Currículo = Enciclopédia
  7. 7. O conceito de ciências e suas relações com outros sistemas de conhecimento Ciência neutra - “a ciência é livre de valores” Fora questionamentos sociais. Assume um caráter universalista com conhecimento a-histórico.• Ciência absoluta Única base do verdadeiro conhecimento.• O mito do salvionismo Solução dos problemas da humanidade.
  8. 8. • No século XX: A tecnologia ganha caráter universal e atemporal, como já era vista a ciência. Europa e EUA: Transfere tecnologias e exportar um conceito de desenvolvimento. Crescimento econômico e eliminar desigualdades. Resgate dos primitivos. Mas, nos países pobres ocorreu desenvolvimento desigual.
  9. 9. MUDANÇAS DE PENSAMENTO Se a década de 70, foi marcada pela centralidade do método científico e os processos históricos e culturais não eram incluídos. A partir da década de 90, ganhou importância junto à ciência e tecnologia o conhecimento social.
  10. 10. O currículo MulticulturalSegundo MACEDO apud COSTA (2002) “Ocurrículo multicultural seria o local onde adiferença e a identidade são produzidas epostas em operação, onde a desigualdade égestada”.
  11. 11. O currículo Multicultural O currículo como instrumento de dominação; Questionamento dos critérios de seleção dos conhecimentos; O reconhecimento do papel da cultura na história do conhecimento;
  12. 12. O currículo Multicultural Os conteúdos de ensino que constituem parte do currículo, parcelado em disciplinas, expressam um objetivo formativo no contexto escolar, ou seja, apresentam uma intencionalidade social e política; A escola como campo habitado por híbridos;
  13. 13. O papel do professor Segundo os Padrões Curriculares Nacionais salienta que para as diferenças sejam postas em discussão sem no entanto gerar conflitos que desgastam o ambiente escolar é necessário o investimento na formação de professore no tema da Pluralidade Cultural.
  14. 14. O papel dos professores “formar é muito mais que puramente treinar o educando no desempenho de destrezas” (FREIRE, 2003, p.14) Criação de possibilidades [...] o mito da oportunidade igual para todos mascara uma triste verdade: o sistema educacional é, na realidade, uma loteria social predeterminada, onde cada estudante tem tantas chances quanto seus pais têm dólares (McLAREN, 1997, p. 246).

×