O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Destruição da camada de ozono

13.311 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Destruição da camada de ozono

  1. 1. Redução da Camada de Ozono
  2. 2. O ozono, é um gás azul, altamente instável e muito tóxico!! A sua inalação, mesmo em quantidades pequenas, pode ser mortal para o Homem!! No entanto o ozono é um importante filtro das radiações UV (ultravioleta), emitidas pelo Sol!!
  3. 3. A Camada de Ozono No decurso da evolução da Terra desenvolveu-se, na alta atmosfera, uma zona com uma forte concentração de ozono, a que se convencionou chamar camada de ozono. Esta camada funciona como um filtro relativamente à maioria das radiações solares ultravioleta, muito nocivas para os seres vivos, sendo, portanto, da maior importância para a existência de vida no nosso planeta!
  4. 4. O ozono é uma molécula triatómica, constituída por três átomos de oxigénio. A sua formação dáse por acção dos raios ultravioleta, que provocam a fotodissociação do oxigénio molecular, dando origem a dois átomos de oxigénio: Quando um átomo de oxigénio se combina com uma molécula de oxigénio origina o ozono: O ozono estratosférico está continuamente a ser elaborado e destruído, havendo um equilíbrio entre o valor de produção e o valor de destruição, não fosse a intervenção humana.
  5. 5. Formação do ozono estratosférico 1º Passo: Fotodissociação das moléculas de O2 por acção de radiação UV:
  6. 6. 2º Passo: Combinação do oxigénio atómico com as moléculas de oxigénio O oxigénio atómico reage com a molécula de oxigénio para formar uma molécula de ozono
  7. 7. Decomposição do ozono estratosférico 1º Processo: Fotodissociação das moléculas de ozono por acção das radiações UV.
  8. 8. 2º Processo: Reacção dos átomos de oxigénio com as moléculas de ozono. Moléculas de oxigénio
  9. 9. Esquematizando: A formação e decomposição do ozono por processos naturais constitui um equilíbrio dinâmico que mantém uma concentração de ozono constante na estratosfera.
  10. 10. A actividade humana provoca a emissão para a atmosfera de substâncias capazes de produzir radicais livres na atmosfera – clorofluorcarbonetos (CFC) Inodoros, corrosivos; não inflamáveis, não A pressões elevadas estão no estado líquido e a pressões baixas passam ao estado gasoso; São derivados do metano (CH4) e do etano (C2H6) Os CFC´s ou fréons. São muito estáveis; Possuem custos de produção baixos.
  11. 11. Como contribuem os CFC´s para a destruição da Camada do ozono? Na Estratosfera sofrem fotodissociação por acção de radiação UV originando radicais livres na atmosfera, que por sua vez interagem com o ozono destruindo-o.
  12. 12. Mecanismo de destruição do ozono, operado pelos radicais livres: UV • CF2Cl 2  → CF2 Cl + Cl  Assim, cada átomo de cloro pode destruir até 100000 moléculas de ozono!! •
  13. 13. Quais as consequências da destruição da camada de ozono? Aumento de raios ultravioleta (UV), altamente Energéticos. Estes raios ao atingirem a Terra vão promover a destruição das proteínas, e do ADN, provocando cancro de pele, cataratas, alterações no sistema imunitário, danos nas colheitas, nos peixes e no plâncton de que se alimentam.
  14. 14. Efeito Protector da Camada de Ozono
  15. 15. O ozono é fundamental para impedir a passagem da maioria dos raios UV. A diminuição da camada de ozono implica modificações nos ecossistemas: alterações climáticas; diminuição da produção de certas culturas; diminuição da produção florestal; danos na vida aquática.
  16. 16. Ao nível da saúde humana, os efeitos de uma maior exposição às radiações UV são devastadores: Lesões oculares (cataratas, etc.) Deformações e atrofia Deficiências no sistema imunitário Aparecimento de queimaduras e cancro da pele
  17. 17. Embora a camada de ozono se encontre em regressão, à superfície tem aumentado a concentração de ozono (ozono troposférico): Resulta da poluição e de reacções atmosféricas. O ozono é um gás muito tóxico para os organismos. É o principal constituinte do smog fotoquímico. Afecta os indivíduos (principalmente os que têm problemas respiratórios).
  18. 18. O efeito produzido por certos gases vestigiais sobre o ozono estratosférico, tem como resultado uma diminuição deste gás, tendo-se designado este facto por “Buraco do Ozono” A partir deste “buraco”, devido à menor capacidade de filtragem, passam radiações UV que não sendo absorvidas pelo ozono aquecem o planeta, alteram o clima e atingem directamente a espécie humana e os diversos ecossistemas.
  19. 19. Quando descobriram o buraco na camada de ozono? Em 1982 os cientistas descobriram um buraco na camada de ozono , por cima da Antártida. Tinha aproximadamente o tamanho dos Estados Unidos da América e uma profundidade equivalente à altura do Monte Everest ( 8848 m ). Os cientistas já conseguiram descobriram o porquê da sua existência , numa zona onde quase não há poluição. Uma das razões tem a ver com a rotação da terra que permite que os ventos e o ar frio circulem numa espécie de remoinho em direcção a Oeste.
  20. 20. À perda sazonal de ozono durante a Primavera na Antárctida foi chamado o “buraco do ozono”. O ozono atinge valores inferiores a 220 unidades Dobson, o que está relacionado com os seguintes factores: no Inverno, as temperaturas muito baixas originam nuvens polares estratosféricas com cristais de gelo contendo cloro; a destruição do ozono inicia-se quando o Sol reaparece na Antárctida, pois a radiação UV faz com que o cloro se liberte dos cristais de gelo e actue sobre o ozono; em Novembro, as nuvens de cristais de gelo formam-se de novo e a concentração de ozono começa a regressar aos valores normais.
  21. 21. As zonas mais afectadas desta rarefacção são: a Austrália, Nova Zelândia, zonas extremas da América do Sul e África Em 1988, outro “buraco” foi detectado sobre o Pólo Norte, sendo as áreas mais afectadas: a Europa, a América do Norte e a Ásia.
  22. 22. Que medidas se poderão tomar para evitar a redução da camada do ozono? Mudança do estilo de vida. Eficiência no uso de energia. Formas alternativas de energia. Uso mais racional do solo. Reflorestamento. Racionalização do uso de carvão e petróleo. Colocação de filtros nas chaminés das fabricas que emitem grandes quantidades de gases. A reciclagem dos CFC’s. Encontrar substitutos dos CFC’s, como por exemplo, HFC.
  23. 23. Como normalizar a camada de ozono? Proibir a produção de CFC’s (clorofluorcarbonetos) O protocolo de Montreal, assinado em 1987, estabeleceu metas de forma a que, em 2010, o fabrico de CFC’s seja completamente proibido em todo o mundo. Os maiores produtores de CFC Evolução do ozono estratosférico: efeito dos acordos internacionais

×