História do Automóvel - Modulo 6 - Prof. Especialista Ricardo Julio Jatahy Laub Junior - Senac

1.360 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
809
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História do Automóvel - Modulo 6 - Prof. Especialista Ricardo Julio Jatahy Laub Junior - Senac

  1. 1. ADMINISTRAÇÃO REGIONAL Rua Jessé Pinto Freire, 171 | Centro | Cuiabá/MTCEP: 78020 830 | Tel.: (65) 3614 2400 | Fax: (65) 3614 2408 regional@mt.senac.br | www.mt.senac.br Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  2. 2. Automóvel NovoInstrutor: Isnel Leite de Almeida
  3. 3. Automóvel Importando Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  4. 4. Automóvel Seminovo Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  5. 5. Questão da CULTURAQuestão “Cultural” que envolve a compra deum automóvel esta ligada a credibilidade dasempresas revendedoras. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  6. 6. Questão da CULTURA para o Carro NovoQuestão “Cultural” para o carro novo geralmentetem um aspecto Positivo, pois supõe-se que orevendedor autorizado representa um menor riscona operação de compra. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  7. 7. Questão da CULTURA para o Carro USADOQuestão “Cultural” para o carro Usado geralmentetem um aspecto Negativo, pois supõe-se que orevendedor de seminovos representa um maiorrisco na operação de compra. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  8. 8. Questão da CULTURA para o Carro IMPORTADOA Questão “Cultural” para o carro Importado geralmente tem umaspecto duplo:É Negativo quando a marca não é uma marca reconhecida supõe-seque a marca representa um maior risco na operação de compra. EVice Versa. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  9. 9. Questão da CULTURA para o Carro IMPORTADOA Questão “Cultural” para o carro Importado geralmente tem umaspecto duplo:é Positivo quando a marca é uma marca reconhecida supõe-se quea marca representa um menor risco na operação de compra. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  10. 10. GARANTIAA suposição que Problemas iniciais podem sersanados sem ônus, pela garantia. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  11. 11. GARANTIA de NOVOSÉ uma questão POSITIVA, pois entende-se que nãohaverão Problemas iniciais e que estes poderão, casoocorram, ser sanados sem ônus, pela garantia. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  12. 12. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  13. 13. GARANTIA de USADOSÉ uma questão NEGATIVA, pois entende-se quehaverão Problemas, e que estes, poderão, casoocorram, não ser sanados pois não existe umagarantia efetiva. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  14. 14. GARANTIA de IMPORTANDOS NOVOSMarcas ConhecidasÉ uma questão POSITIVA, quando a marca é uma marca conhecida,pois entende-se que NÃO haverão Problemas, e que estes, poderão,caso ocorram, Ser sanados pois existe uma instituição que dagarantia efetiva. (Caso dos Carros VW, Fiat, etc) Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  15. 15. GARANTIA de IMPORTANDOS NOVOSMarcas DesconhecidasÉ uma questão NEGATIVA, quando a marca é uma marcadesconhecida, pois entende-se que haverão Problemas, e que estes,poderão, caso ocorram, não Serem sanados, pois não existe umagarantia efetiva. (Caso dos Carros chineses, etc) Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  16. 16. GARANTIA de IMPORTANDOS USADOSMarcas DesconhecidasÉ uma questão MUITO NEGATIVA, quando a marca é uma marcadesconhecida, pois entende-se que haverão MUITO Problemas, eque estes, ocorrerão com maior freqüência e poderão, casoocorram, não Serem sanados, pois não existe uma garantia efetiva. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  17. 17. GARANTIA de IMPORTANDOS USADOSMarcas ConhecidasÉ uma questão NEGATIVA, quando a marca é uma marca, mesmoque conhecida, entende-se que haverão Problemas, e que estes,poderão, ocorrer com maior freqüência, e não Serem sanados,pois apesar de existir uma garantia efetiva as peças são de difícilaquisição . (Caso dos Carros VW, Peugeot, Citroen, etc) Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  18. 18. MANUTENÇÃOA mão-de-obra, primeiras revisões e oscustos de manutenção. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  19. 19. MANUTENÇÃO CARROS NOVOPOSITIVO - A mão-de-obra das primeiras revisõesé gratuita e os custos de manutenção são maisbaixos, não é preciso substituir itens caros comopneus, embreagem e amortecedores. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  20. 20. MANUTENÇÃO CARROS USADONEGATIVO - A mão-de-obra das primeirasrevisões NÃO é gratuita e os custos demanutenção são mais ALTOS, geralmente épreciso substituir itens como pneus, embreageme amortecedores. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  21. 21. MANUTENÇÃO CARROS NOVOS IMPORTADOSMARCAS CONHECIDASRELATIVO pode ser NEGATIVO como POSITIVO - A mão-de-obra das primeiras revisões apesar de ser gratuita, os custosde manutenção são mais ALTOS, mas geralmente não épreciso substituir itens como pneus, embreagem eamortecedores. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  22. 22. MANUTENÇÃO CARROS NOVOS IMPORTADOSMARCAS DESCONHECIDASNEGATIVO - A mão-de-obra das primeiras revisões apesar deser gratuita, os custos de manutenção MUITO são mais ALTOS,mas geralmente não é preciso substituir itens como pneus,embreagem e amortecedores. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  23. 23. MANUTENÇÃO CARROS USADOS IMPORTADOSMARCAS CONHECIDAS E DESCONHECIDASNEGATIVO - A mão-de-obra das primeiras revisões apesar de sergratuita, os custos de manutenção MUITO são mais ALTOS, masgeralmente é preciso substituir itens como pneus, embreagem eamortecedores. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  24. 24. SENSAÇÃO DE PRAZERQuando o conjunto do carro é maisagradável no início. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  25. 25. SENSAÇÃO DE PRAZERCarro Novo e ImportadoPositivo - Todo o conjunto do carro é mais agradávelno início. Entende-se que demorará surgir folgas,imprecisões e desgastes que não inviabilizam o uso. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  26. 26. SENSAÇÃO DE PRAZERCarro UsadoNegativo - Conjunto do carro não é mais agradável.Entende-se que surgirão folgas, imprecisões e desgastesque não inviabilizam o uso, mas reduzem aos poucos asegurança e o prazer de dirigir. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  27. 27. EMOÇÃOSem falar em aspectos emocionais, comoo status e a satisfação de possuir umveículo novo. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  28. 28. EMOÇÃOCarro Novo Nacional ou ImportadoPositivo - Aspectos emocionais, como ostatus e a satisfação de possuir um veículonovo. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  29. 29. EMOÇÃOCarro Usado Nacional ou ImportadoRelativo – pode ser Positivo ou Negativo - Aspectosemocionais, como o status e a satisfação de possuir umveículo usado variam conforme o ano, modelo, cor, etc. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  30. 30. Depreciação:Desvalorização do bem em relação aotempo de utilização. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  31. 31. Depreciação: Carro NovoNegativa – Desvalorização Grande dobem em relação ao uso no tempo deutilização. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  32. 32. Depreciação: Carro UsadoPositiva - Desvalorização pequena dobem em relação ao uso no tempo deutilização. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  33. 33. Índice de Depreciação Fixo (veja o gráficonúmero 1), a perda de valor se torna cadavez menor com o passar dos anos. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  34. 34. DEPRECIAÇÃO CONSTANTE DE 20% AO ANO Gráfico 1 Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  35. 35. A tabela mostra como ocorre a desvalorização de um carro, emteoria: com um índice de depreciação constante de 20% ao ano,a perda de valor é cada vez menor. A partir do segundo ano, opercentual é aplicado sobre o preço do ano anterior, e não maissobre o do carro zero-quilômetro. Não ocorre, portanto, a perdaabsoluta de valor em cinco anos (cinco vezes 20%), como muitosacreditam. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  36. 36. DEPRECIAÇÃO VARIÁVEL Gráfico 1Valor do Após 1 Após 2 Após 3 Após 4 Após 5 Okm ano anos anos anos anos20.000 15.000 13.913 12.648 11.498 10.746 Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  37. 37. A segunda tabela revela como acontece na realidadeuma depreciação típica, constatada nas tabelas decarros usados: acentuada no primeiro ano, reduz-sefortemente já no segundo e terceiro anos, e torna-sebastante suave do quarto ano em diante. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  38. 38. Instrutor: Isnel Leite de Almeida
  39. 39. Automóveis no BrasilInstrutor: Isnel Leite de Almeida

×