12 Expansão Bandeirante

8.510 visualizações

Publicada em

A expansão bandeirante do séc. XVII, os principais ciclos e as suas articulações com o advento da Mineração.

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.510
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
328
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

12 Expansão Bandeirante

  1. 1. Crioulo Coutinho Imbromations & Picaretations apresenta A Expansão Bandeirante
  2. 2. ORIGENS DA EXPANSÃO BANDEIRISTA DO SÉC. XVII <ul><li>União Ibérica: fim da linha de Tordesillas </li></ul><ul><li>Descoberta de ouro na Am. Espanhola </li></ul><ul><li>Fracasso da lavoura canavieira em S. Vicente </li></ul><ul><li>Abandono da capitania pela Metrópole </li></ul><ul><li>Miséria da população local </li></ul><ul><li>Invasão holandesa da costa africana </li></ul>
  3. 3. Bandeiras e Bandeirantes: Realidade e Fantasia <ul><li>Os bandeirantes eram homens rudes,criados nas matas e mais habituados às línguas indígenas que ao português </li></ul><ul><li>Muitos eram mestiços e faziam-se acompanhar de um grande número de índios </li></ul>
  4. 4. <ul><li>A imagem do bandeirante que mais foi difundida, buscava assemelha-los aos Pais Peregrinos , fundadores da América do Norte </li></ul><ul><li>Tratava-se de uma tentativa de atribuir uma imagem heróica, aos desbravadores do território colonial português </li></ul>Bandeiras e Bandeirantes: Realidade e Fantasia
  5. 5. Bandeiras ou Entradas? <ul><li>Hoje sabemos que essas definições não eram tão aparentes, no Período Colonial, todavia, podemos estabelecer a seguinte divisão: </li></ul><ul><li>Bandeiras: expedições particulares </li></ul><ul><li>Entradas: expedições oficiais, patrocinadas pela Coroa </li></ul>
  6. 6. Tipos de Expedições <ul><li>Preação: voltadas para o apresamento de índios </li></ul><ul><li>Prospecção Mineral: busca de pedras e metais preciosos </li></ul><ul><li>Sertanismo de Contrato: destruição de aldeias indígenas e quilombos, mediante um pagamento ou “prêmio” oferecido ao bandeirante </li></ul><ul><li>Monções (séc. XVIII): expedições fluviais para abastecimento das vilas do interior </li></ul>
  7. 7. <ul><li>As bandeiras de preação eram voltadas para o apresamento dos indígenas, para posterior comercialização </li></ul><ul><li>A atividade de preação cresceu durante a ocupação holandesa, dos entrepostos portugueses na África </li></ul>
  8. 8. <ul><li>As monções cresceram com o surgimento de vilas e arraiais, no rastro do ouro e dos diamantes da região Centro-Oeste </li></ul><ul><li>Sua principal via era o rio Tietê </li></ul><ul><li>A atividade moncioneira , continuou mesmo após a decadência dos núcleos mineradores </li></ul>
  9. 9. Bandeirantes e Conquistas <ul><li>Raposo Tavares (1651) – Amazônia até Belém </li></ul><ul><li>Fernão Dias Paes, o Caçador de Esmeraldas (1681) – encontra turmalinas em Minas Gerais </li></ul><ul><li>Antônio R. Arzão (1693) – encontra ouro em Caeté e Mariana, na Cap. do E. Santo </li></ul><ul><li>Domingos J. Velho (1695) – Destruição do Quilombo dos Palmares </li></ul><ul><li>Pascoal M. Cabral (1719) – ouro em Mato Grosso </li></ul>Bartolomeu Bueno da Silva (1676), Goiás – o Anhanguera
  10. 10. Domingos Jorge Velho <ul><li>Após uma fracassada tentativa de paz com os negros organizados no Quilombo dos Palmares (1685), este sertanista foi contratado em 1692 </li></ul><ul><li>Entre 1694 e 1695, o quilombo foi atacado </li></ul><ul><li>Foi oferecido 1/5 das riquezas tomadas dos negros; sesmarias nas áreas ocupadas pelo quilombo e recompensa por cada negro que fosse devolvido ao seu senhor </li></ul>
  11. 11. A instalação e a longa duração do Quilombo dos Palmares, relacionou-se, primeiramente, à desorganização interna da Colônia, desencadeada pela ocupação holandesa do Nordeste O Quilombo dos Palmares
  12. 12. <ul><li>O quilombo organizou-se no início do século XVII </li></ul><ul><li>Sua estrutura política reproduzia a situação das aldeias – mocambos, e reinos africanos: N’ Ganga-Zumba tornou-se o Rei de Palmares </li></ul><ul><li>Existiam escravos e delitos como roubo e adultério eram punidos com a morte </li></ul>
  13. 13. O Fim de Palmares <ul><li>Com a morte N’Ganga (1678), em meio a negociações de paz entre brancos e negros, Zumbi , líder do mocambo do Cucaú, assumiu o comando do Quilombo dos Palmares </li></ul><ul><li>Em 20/11/1695, Zumbi foi morto e sua cabeça exposta </li></ul><ul><li>A data de sua morte tornou-se o Dia Nacional da Consciência Negra </li></ul>A heróica resistência de Palmares valeu-lhe o apelido de Tróia Negra
  14. 14. A Definição das Fronteiras

×