Turista Profissional
Vai para a Europa no inverno? Confira as dicas
Ladeira abaixo
Adrenalina a mil no tour de bike pela E...
Renata Reps / PARIS
ESPECIAL PARA O ESTADO
Existem, basicamente,
duasmaneirasdesefa-
zerumaviagem:seguir
uma programação q...
E Foram Todos Para Paris
Detalhes: o cenário é clichê,
mas sempre irresistível: a Paris
dos anos 1920 é o mote explora-
do...
PARIS
Com tantas opções gastronômi-
cas na capital francesa, como es-
colher? “Vou sempre aos mes-
mosrestaurantes.Tenhodo...
PARIS
Dêumachanceàvidanoturnade
Paris. Ela pode ser discreta, ele-
gante, sem as squat parties(festas
secretas) e raves el...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Paris completa

115 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
115
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paris completa

  1. 1. Turista Profissional Vai para a Europa no inverno? Confira as dicas Ladeira abaixo Adrenalina a mil no tour de bike pela Estrada da Morte Pág. 6 http://www.estadão.com.br Pág. 12 Junto e misturado. Turistase moradores se encontram na Champs-Elysées: nos meses mais quentes, Paris vira uma festa França Você não precisa ficar alheio à Torre Eiffel nem olhar com desprezo para a pirâmide do Louvre. Mas pode (e deve) investir em programas aprovados por quem mora lá – como nossa repórter ÀmodaparisienseMÔNICA NÓBREGA/AE SXC.HU %HermesFileInfo:V-1:20120821: V1 TERÇA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2012 Nº 2401 O ESTADO DE S. PAULO
  2. 2. Renata Reps / PARIS ESPECIAL PARA O ESTADO Existem, basicamente, duasmaneirasdesefa- zerumaviagem:seguir uma programação que permita o improviso ou reter-se estritamente ao itinerário que vocêfezantesdesairdecasa.Em Paris, cenário de centenas de fil- meseasegundacidademaisvisi- tada do mundo (perdendo ape- nasparaaLondresdaOlimpíada em 2012, segundo uma pesquisa recente da Mastercard) ser es- pontâneopodeseraúnicaforma de se surpreender. Por exemplo, se durante a sua tarde de passeio pelo bairro do Maraiseacaminhodaincrívelca- sa de chá Mariage Frères (maria- gefreres.com), sua preferida, vo- cêpassarpelobrechóaquiloKilo Shop (kilo-shop.fr) e decidir substituiradegustaçãosofistica- da e aromática pelo garimpo de pechinchas espalhadas. Ou se, com o mapa nas mãos para ver a novaexposiçãodomuseudehis- tória natural Quai Branly (quai- branly.fr), você topar com a pla- quinha indicando uma entrada subterrâneaparaoMuseudoEs- goto (em frente ao 93 Quai d’Or- saye) e se perguntar “por que não?”.Ouseja:casoopte,decora- çãoaberto,portrocarocertope- lo duvidoso. Não é que o básico de Paris vá perderagraça.Aclássicavistada Torre Eiffel pela estação de me- trô Trocadéro vai sempre arran- car suspiros; uma volta pelos ar- redoresdaSacreCoeurpodeani- maromaispacatodosdomingos e ir da Praça da Concórdia até o Arco do Triunfo pela Avenida Champs-Elysées é um passeio que jamais vai ficar chato. Mas existeummomento,lápelaquar- ta estadia na Cidade Luz, que o turista experimentado fica um pouco cansado de ser turista. E quer conhecer outras coisas. Cantosescondidos,achadosdes- conhecidos, locais que nunca imaginou que fossem combinar com os tons beges que dão o ar lânguido da capital francesa. E que, inevitavelmente, passam longe dos bateaux mouches, de umespetáculonoMoulinRouge ou de um almoço no Mc Do- nald’sdoLouvredepoisdesees- tapear para dar uma olhadinha na Mona Lisa. Conhecer os lugares frequen- tados pelos locais é uma ótima maneira de compreender me- lhoroestilodevidadeumanova cultura durante os poucos dias emque se está inserido nela.Em cidades muito concorridas, a es- tratégia tem ainda outro benefí- cio: evitar filas, longas esperas e apossibilidadedepagarcarode- mais por um programa nem tão bacana assim. Naspróximaspáginas,vocêen- contraumaprogramação carim- badapelosparisienses.Devários estilos,faixasetáriasecustosdi- ferentes, as escolhas têm a cara dequemviveporláetêmhábitos e costumes específicos, como em qualquer outra cidade do mundo. Então reserve já o seu bilhete, pois pode ser que você nunca tenha visto esta Paris – mesmoquesejaasuaquintapas- sagem pela cidade que, para mim,é a mais bonita do mundo. Saiado básico ● Conheça o termo: ao contrario de nossa concep- ção, o termo "parisiense" é usado para qualquer mora- dor de Paris, e não só para quem nasceu lá ● Vista-se como eles: não significa sair do seu estilo. Mas deixe em casa os Nike Shox, bonés e mole- tons – peças usadas ape- nas por turistas ● Pesquise a previsão do tempo: pode fazer frio em junho e há semanas superquentes em outubro ● Leve um mapa: todo mundo usa mapa em Paris, tanto para fazer o caminho mais curto de metrô quan- to para encontrar uma rue- la. Ao sair da estação, confi- ra o “Plan du Quartier”, que mostra a região da es- tação em zoom ● Separe um dia para compras: não existe nada mais desagradável do que passear pela cidade e en- trar em museus cheio de sacolas pesadas França Flanando em Paris é possível se deparar com um irresistível brechó ou uma inusitada passagem subterrânea. Deixe espaço para o improviso – e desfrute seus dias por lá Tal e qual SXC.HU %HermesFileInfo:V-8:20120821: V8 Viagem TERÇA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2012 O ESTADO DE S. PAULO
  3. 3. E Foram Todos Para Paris Detalhes: o cenário é clichê, mas sempre irresistível: a Paris dos anos 1920 é o mote explora- do pelo jornalista Sérgio Augusto nesta obra. Além do tom nostálgi- co com que trata dos aspectos culturais, cenas artísticas e boê- mias protagonizados por Heming- way, Fitzgerald e cia., o autor tra- ça itinerários, mapas e endereços que remetem às lembranças da saudosa época. A História Secreta de Paris Detalhes: com interesse pessoal em movimentos anárquicos, o jornalista Andrew Hussey eviden- cia aqui personagens que com- põem a Paris das sombras, ou seja, aqueles que protagonizaram revoluções, sobreviventes de mas- sacres, os flanêurs do século 19. Além de aspectos e curiosidades históricas, o livro acaba revelando uma lista de pontos obscuros e marginais da capital francesa. 2012 Preço: R$ 70,20 Editora: Manole Paris Sobre Trilhos Detalhes: a autora Ina Caro se propõe a contar a história da Fran- ça transportando o leitor para as épocas mais marcantes do país: Idade Média, Renascimento, Revo- lução Francesa e Império de Na- poleão, no fim do século 19. Rela- ta fatos e aspectos da cultura e arquitetura mesclando com a evo- lução das estações, trens e me- trôs, outra característica marcan- te da sociedade francesa. A Parisiense: Guia de Esti- lo de Ines de la Fressange Detalhes: Com experiência no mundo fashion, a autora trata de moda, decoração e estilo, mas, acima de tudo, dá suges- tões pessoais sobre tais te- mas. Com ilustrações e textos práticos, ajuda a leitora (é mais para o público feminino) indi- cando peças e comportamen- tos típicos do estilo francês – há dicas de endereços e sites. 2011 Preço: R$ 49,90 Editora: Intrínseca 2012 Preço: R$ 44,90 Editora: Leya Paris, Quartier Saint-Germain-des-Près Detalhes: Eros Graus coloca em evidência sua sensibilidade flâ- neur e relata experiências e per- cepções do mais famoso bairro da capital, o Quartier Saint-Germain. Em uma tentativa de expor prefe- rências pessoais, fala de locais amplamente conhecidos, assim como outros que permanecem escondidos até hoje, dentre res- taurantes, livrarias, ruas e praças. 2012 Preço: R$ 39,30 Editora: Casa da Palavra 2012 Preço: R$ 44,90 Editora: Globo PARIS VocêjáconheceoGeorgesPom- pidou, o Museu d’Orsay e, logi- camente,oLouvre.Podeterpas- sado ainda pela Orangerie, o Jeu de Paume e o Museu do Pi- casso. Se acha que, afinal, não resta tanta coisa assim a desco- brir neste sentido, está engana- do. Paris tem ainda cerca de 130 outrosmuseusparavocêdesco- brir ao longo das próximas via- gens.Dáatéparamontarumca- lendário de alguns anos de via- genssemrepetirnenhumainsti- tuição cultural. Mas como nin- guém vive apenas de arte con- templativa, nós te poupamos um tempo precioso e visitamos de antemão museus que você nem imaginava que existiam. E que vai gostar de desvendar. Museu do Erotismo musee-erotisme.com É um passeio muito divertido, mas decididamente não o mais aconselhável para se fazer com os pais ou avós. Mas esqueça os chicotes e luvas de borracha: não se trata de um museu de porno- grafia ou sexo explícito, mas sim um espaço de aprecia- ção da arte erótica atra- vés dos séculos por meio de um rico acer- vo de obras vindas de várias partes do mundo. Há ilustra- ções, cartazes de filmes, estátuas indígenas, obje- tos que remon- tam ao tempo do império greco-ro- mano e, claro, peças engraçadas que dão o tom de comédia que se es- pera de um lugar co- mo este. O museu fica no bairro de Pigalle, onde está o Mou- lin Rouge, local que equivale ao Baixo Augusta paulistano. O horá- rio de visitação respeita a configu- ração do bairro: o museu abre às 10 horas e não fecha as portas antes das 2 da manhã, com últi- ma entrada até 1h30. Separe ao menos duas horas, com possibili- dade de se distrair com os brin- quedos da lojinha ou parar para assistir a um dos filmes com aten- ção redobrada. Há preços espe- ciais para casais que vão fazer a viagem erótica juntos – uma inte- ressante forma de apimentar a relação e destoar um pouco des- sa história morna de cidade mais romântica do mundo. Museu do Fumante museedufumeur.net Não poderia haver melhor lugar para este museu. Ninguém acre- dita que aquele prédio pequeno no meio da Rue Pache, no 11º distrito de Paris, abriga uma das maiores coleções de objetos, plantas e obras que deram ori- gem a um dos hábitos mais antigos da hu- manidade. Pode ser até considerado uma forma de apologia não muito politi- camente correta – é prati- camente impossível ouvir e ver todas as histórias ligadas a numerosos e ini- magináveis tipos de cigarros, cha- rutos e cachim- bos e não ter vontade de dar um trago na saída. Ape- sar de o mu- seu ser bem pequeno e nor- malmente tran- quilo, não conheci- do da maior parte dos turistas (nem mesmo dos parisien- ses), é inevitável que al- guém perto de você interrom- pa a visita para acender um ci- garro lá fora. A força da imitação humana. No museu, descubra a diferença entre tabacultura e tabacologia, entre os hábitos orientais e ociden- tais e encontre utensílios específi- cos para cada tipo de substância – ópio, por exemplo. Se você for real- mente um interessado pela cultu- ra do fumo, gaste um pouco do tempo consultando as obras de experts no assunto na bi- blioteca ou mesmo leve algo para casa, como um livro sobre a con- fecção do cigarro no Caribe. Até o último dia do ano, uma exposição vai unir o melhor dos dois mundos: é a mostra Erotismo e Fumo, com fotos voluptuosas que datam des- de os anos 20 e unem criativamen- te corpos femininos aos cigarros. Mas, se você não for fumante, me- lhor pensar duas vezes antes de ir: para que correr esse risco? Halle Saint Pierre (foto) hallesaintpierre.org A ideia deste museu é estar ali para quem quer fugir das regras da beleza clássica. É o centro cultural que abriga mais exem- plares da arte bruta, ou ingênua, nascida na França e que despre- za todo e qualquer tipo de regras e de influências de escolas co- nhecidas. O iluminado espaço de pé direito alto, dominado por uma escada circular posicionada bem no meio do prédio, recebe as exposições mais descoladas da cidade, centradas em arte moderna, arte pop e contracultu- ra. Este antigo mercado está às margens do jardim da Sacre Coeur, e quando a vista do tem- plo contrasta com o colorido dos muros no exterior do grande salão Saint Pierre, a coexistência de estilos ganha uma beleza ex- cepcional. /R.R. Um acervo cultural com mais de 130 museus A parisiense adora um brechó de luxo. Um dos mais concorridos é o Didier Ludot (didierludot.fr), repleto de Chanel, Hermès, Dior... Livros Destino concorrido na vida real, Paris também é cenário disputado na ficção. Autores nacionais e estrangeiros ele- gem sua versão clássica ou ângulos pouco explorados para exaltar a admiração pela história, cultura e evolução social da cidade. Leituras insti- gantes que fazem o viajante querer explorá-la novamente. / BRUNA TIUSSU Uma febre contagiou Paris: o Space Invaders. Em azulejo, os bichinhos do videogame Atari estão por todo lado. Veja onde em space.invaders.paris.free.fr Saiba mais ● Como ir: em voo direto, o trecho São Paulo-Paris- São Paulo custa desde US$ 1 mil na TAM (tam.com.br) e US$ 1.200 na Air France (air- france.com.br). Com conexão, a partir de US$ 1.063 na KLM (klm.com); US$ 1.189 na TAP (flytap.com); US$ 1.224 na Lufthansa (lufthansa.com); e US$ 1.376 na Iberia (iberia.com) ● Metrô: a rede de 14 linhas leva a toda a área dentro do Pé- riphérique, o anel viário que cir- cunda os bairros centrais de Paris. É assim que os morado- res se deslocam. Custa € 1,70 por viagem e há opção de carnê de 10 bilhetes, por € 12,70. Si- te: ratp.fr ● Site: o oficial do turismo de Paris é o parisinfo.com ADRIANA MOREIRA/AE FOTOS DIVULGAÇÃO REPRODUÇÃO %HermesFileInfo:V-9:20120821: O ESTADO DE S. PAULO TERÇA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2012 Viagem V9
  4. 4. PARIS Com tantas opções gastronômi- cas na capital francesa, como es- colher? “Vou sempre aos mes- mosrestaurantes.Tenhodoisou três preferidos e opto por eles, pois o risco de me decepcionar com tanta oferta é muito gran- de”, diz o economista François Grellier, 36 anos. A maioria dos parisiensesfaz isso.Comer éum ritualimportante:comoelescon- trolamaalimentaçãonosdiasde semana – ficam à base de sopa, salada e sanduíches frios – esco- lhem bem os pontos que mere- cem o teste de seus paladares. A pergunta que um francês semprevaifazerquandovocêdiz queestá comfomeé“Evocêtem vontadedecomeroquê?”.“Qual- quer coisa” jamais será uma res- posta aceita. Dizem que mesmo que alguém almoce e jante fora todos os dias por três anos, não vai conseguir conhecer todos os estabelecimentos de Paris. Por- tanto, escolha. Pelo clima, pelo ambiente,pelopreçoe,claro,pe- lasdicasde quemconhece. Hora do brunch Café da manhã e almoço de uma só vez. De todos os empréstimos que os franceses fizeram dos nor- te-americanos, o que está mais na moda é o brunch. Bruncher, como eles dizem, significa sentar-se com amigos e comer croissants, pains au chocolat, tomar suco de laranja e café. E frutas, quem sabe uma taça de vinho. Além de quei- jos, pães, iogurtes, omeletes... No Le Loup Blanc (loup-blanc. com), o ritual completo sai por € 22 (sem vinho). Já no Pavillon du Lac (lepavillondulac.fr), restauran- te panorâmico no parque des Buttes-Chau- mont, a opção de € 24 inclui car- paccio e cupcakes. Há ainda brunchs tradicio- nais co- mo o do Chez Casi- mir (6 Rua de Belzunce, 10º arrondis- sement). No bu- fê, sirva-se à vonta- de por € 26: difícil vai ser reconhecer os pratos da culiná- ria regional da Bretanha. Espécies gigantes de escargots, patês de fígado de porco, terrines de miú- dos e sopas frias de peixes estão no polêmico menu. Vá preparado. Criatividade além da mesa Não se assuste se, quando chegar, o host pedir para você aguardar sua mesa dentro do armário. Ou se, no caminho para a mobília, vo- cê se deparar com o dono do res- taurante sentado na poltrona de casa, cujo acesso é por dentro de seu estabelecimento profissional. No La Derrière (na foto; derriere- resto.com), o barato é entrar pelos fundos: a área de serviço, a cozi- nha, depois a sala, os quartos lá em cima, tudo para o cliente se sentir em casa. Inclusive com me- sas de pingue-pongue e pebolim. Valeria só pela ideia genial, mas a comida também tem gosto de casa, como o leve foie gras cozido em terrine (€ 19) e a deliciosa bo- checha de boi (€ 22). Para finalizar, pergunte a um dos bem apes- soados garçons qual a sobre- mesa mais fresca do dia. Se tiver sorte, será o mil folhas com amo- ras, framboe- sas e grose- lhas de dar água na boca. Só com reserva Reserve sua mesa no Fren- chie Restaurant (frenchie-restau- rant.com) assim que comprar a passagem – a espera é de dois meses. Apesar do nome de gringo, o Frenchie é reconhecido pela gas- tronomia francesa de alta qualida- de, assinada pelo chef Gregory Marchand. Renomado entre pari- sienses e estrangeiros, não é dos mais caros: o menu com entrada, prato principal e sobremesa custa € 45. No bar à vins, que fica ao la- do e tem uma primorosa carta de vinhos, não é preciso reservar. /R.R PARIS OdiaadianaEuropamudamui- toadependerdaestaçãodoano. EmParis,quandofazfrio,aspes- soas passam muito mais tempo em casa. O efeito inverno causa caretas e um jeito de ser mais mal-humorado do que de costu- me,nãotãoreceptivoaovisitan- tequeestáembuscadecalorhu- mano. No entanto, no verão, a festaporláémuitomaiordoque por aqui:toda aenergia reprimi- daemmesesdeclausuraélibera- da especial- mente entre osmesesdeju- nho e setem- bro:programa- ções e horá- rios especiais, restaurantes que só abrem (ou fecham, aten- ção)nesteperíodo, shows e apresentações ao ar li- vre dão sentido ao título de He- mingway:Parisviramesmouma festa.Eestaéamelhorépocapa- ra descobrir o que há de interes- sante nos passeios a seguir: Piquenique ao pôr do sol Piquenique é programa obrigató- rio e a melhor forma de aprovei- tar o pôr do sol – às 22h30. A ideia é simples: passe no super- mercado da esquina ou na froma- gerie (loja de queijos) e no charcu- tier (loja de frios) que ficam ao lado do seu hotel e escolha os suprimentos. Não esqueça de le- var uma baguete, copos de plásti- co e um saca-rolhas. Em seguida, faça uma parada para escolher o seu vinho na casa Nicolas (nicolas. com, há várias lojas em todos os bairros da cidade). E se delicie com o preço das garrafas. Leve a canga ao Parque des Buttes-Chaumont (metrô Laumiè- re, linha 5), no 19º arrondisse- ment de Paris. O clima agradável das árvores e do lago convida um público muito mais boêmio do que aquele que se instala nos jar- dins de Tulherias e Luxemburgo. No fim da tarde, passe no bar cult Rosa Bonheur (www.rosabonheur. fr) , que além de comida e bebida, tem exposições, lançamentos de livros e até ensaios de coral todos os domingos, às 17 horas. Se for para dar um jeito de ver uma partezinha do Sena, o ideal é instalar-se às margens do Canal Saint Martin, nos Quais de Jem- mapes e de Valmy (metrô Républi- que). É ali que músicos levam seus instrumentos para praticar ao ar livre, estudantes se juntam para bebericar e moradores apro- veitam para fazer sua caminhada diária. Quando o dia está bonito, a agitação é garantida até quando durar o sol. Jardim suspenso Três paisagens diferentes sem sair da mesma rota. O passeio de 4,5 quilômetros chamado Prome- nade Plantée vai de trás da Ópera da Bastilha, no 11º arrondisse- ment, até o Castelo de Vincennes, no 12º. Um caminho que não faz parte do roteiro turístico conven- cional e que, por isso, não é abar- rotado de gente. A antiga linha férrea desativada perdeu a utilida- de, virou resíduo urbano, até que a prefeitura decidiu renovar o lo- cal em 1988 e transformá-lo em um parque linear. O trajeto é estreito (cerca de 12 metros de largura), com momen- tos totalmente distintos como a passagem pela ponte suspensa sobre o Jardim de Reully ou a par- te que beira a movimentada Aveni- da Daumesnil. A boa ideia tem origem americana: o High Line Park, em Nova York, que segue os mesmos preceitos. Mesquita de Paris www.mosquee-de-paris.org "Parece que você está em outro lugar. É um pátio amplo, espaço- so, nos moldes do Mosteiro dos Jerônimos em Lisboa, mas com gente lendo o Alcorão", diz o ar- quiteto Gustavo Weiss, 28 anos, radicado em Paris há quatro. A mesquita foi cenário no filme Paris, Eu Te Amo (2006), e o mais atraente não está no prédio de muro alto e branco que quase esconde totalmente a bela parte de dentro. O restaurante com comida tradicional e a casa de chá são convites a aproveitar a tranquilidade contemplativa do ambiente – experimente a infu- são de menta. Em uma cidade formada por imigrantes como Paris, é um programa interessan- te para se aproximar de uma cul- tura tão presente. Como respeito aos religiosos, evite o período do jejum do Ramadã, que varia to- dos os anos – em 2012, termi- nou no último fim de semana. /RENATA REPS Toalha na grama para curtir os dias quentes Comer, um ritual sagrado na rotina parisiense França O verão pede uma programação ao ar livre, pelos parques ou às margens do Sena. À noite, o desafio é descobrir as melhores – e mais escondidas – baladas da cidade Prezadocliente:ospreçospublicadossãoporpessoa,comhospedagememapartamentoduploesaídasdeSãoPaulo.Preços,datasdesaídaecondiçõesdepagamentosujeitosareajusteemudançasemavisoprévio.Condiçõespara pagamento:parcelamento1+11vezessemjurosnocartãodecrédito.Câmbio7/8/2012US$1,00=R$2,12.Ofertasválidasparacomprasatéumdiaapósapublicaçãodesteanúncio.Taxasdeembarquecobradaspelosaeroportosnão estãoincluídasnospreços. Promoçãocriançagrátisválidaapenasparahospedagem,osdemaisserviçosserãocobrados.Consulteoutrascondições,faixaetáriaenúmerodecriançasgrátisporoferta.*Garantiademelhorpreçoválida exclusivamenteparaasviagensnacionaisacimaanunciadaseparaarededehotéispreferenciaisCVC.Consultealistacompletadoshotéisparticipantescomnossosvendedores.Paraobtençãodagarantia,oclientedeveráapresentar emumalojaCVCoorçamentodaconcorrênciaporescrito,deofertasidênticasàsanunciadaspelaCVC.SãocompreendidasofertasidênticasasdaCVCaquelascujasdatasehoráriosdaviagem(idaevolta),destinosefornecedores(hotel ecompanhiaaérea)sejamexatamenteosmesmos,emtodososseustermosecondições.**Algunsitenspodemnãoestardisponíveisparatodososroteirosanunciados.Consulteinclusõeseroteirosdetalhadoscomnossosvendedores. /cvcviagens SIGA A CVC NAS REDES SOCIAIS Feriados CVC Brasil O que só a CVC pode oferecer para você** : TUDO EM ATÉ SEM JUROS 12XApoio da equipe CVC Passagem aérea Café da manhã Traslados de chegada e saída PasseiosHotéis selecionados Central de relacionamento Maior Rede de lojas do Brasil cvc.com.br/lojas Veja estes e muitos outros roteiros no nosso site, na loja CVC mais próxima ou consulte seu agente de viagens. SEGURO-VIAGEM Mais segurança na sua viagem nacional, internacionaloumarítima. VALE-VIAGEM CVC Dê o mundo de presente. FORTALEZA 4 dias/3 noites FERIADO NOSSA SENHORA APARTIRDE 12X R$ 71, 50 POR PESSOA À vista R$ 858. Hotel Villa Mayor. Preço para saída 11/outubro. JOÃO PESSOA 4 dias/3 noites NOSSA SENHORA APARTIRDE 12X R$ 79, 00 POR PESSOA À vista R$ 948. Hotel Netuanah. Preço para saída 11/outubro. BONITO 8 dias/7 noites FERIADO INDEPENDÊNCIA APARTIRDE 12X R$ 104, 83 POR PESSOA Passagem + traslados + Lucca Hotel Pousada + Gruta do Lago Azul, mergulho superficial no Rio Sucuri, bote no Rio Formoso e visita à Praia da Figueira. À vista R$ 1.258. Preço para saída 2/setembro. IBEROSTAR BAHIA RESORT4 dias/3 noites FERIADO NOSSA SENHORA APARTIRDE 12X R$ 141, 50 POR PESSOA Praia do Forte - BA. À vista R$ 1.698. Passagem + hotel + traslados. Preço para saída 11/outubro. GRAMADO 4 dias/3 noites FERIADO NOSSA SENHORA APARTIRDE 12X R$ 83, 17 POR PESSOA À vista R$ 998. Passagem + Hotel Serrano Gramado + traslados + city tour em Gramado e Canela. Preço para saída 11/outubro. criança grátis na hospedagem. Tudo incluído, refeições e bebidas ilimitadas Tudo incluído, refeições e bebidas ilimitadas COSTA DO SAUÍPE 4 dias/3 noites Sauípe Class/Fun/Park/Club FERIADO NOSSA SENHORA APARTIRDE 12X R$ 141, 50 POR PESSOA À vista R$ 1.698. Passagem + hotel + traslados. Preço para saída 11/outubro. criança grátis na hospedagem. MANAUS 4 dias FERIADO INDEPENDÊNCIA APARTIRDE 12X R$ 106, 50 POR PESSOA À vista R$ 1.278. Passagem + traslados + Hotel Park Suítes + Passeio. Preço para saída 6/setembro CALDAS NOVAS 4 dias/3 noites FERIADO INDEPENDÊNCIA APARTIRDE 12X R$ 64, 00 POR PESSOA À vista R$ 768. Passagem + Hotel Golden Dolphin Express + traslados + passeio pela cidade. Preço para saída 6/setembro. PORTO SEGURO 8 dias/7 noites FERIADO INDEPENDÊNCIA APARTIRDE 12X R$ 58, 17 POR PESSOA À vista R$ 698. Hotel Casablanca + passeio pela cidade. Preço para saída 1º/setembro. criança grátis na hospedagem. criança grátis na hospedagem. COSTA BRASILIS RESORT 8 dias/7 noites FERIADO INDEPENDÊNCIA APARTIRDE 12X R$ 91, 50 POR PESSOA Praia de Santo André – BA. À vista R$ 1.098. Passagem + hotel + traslados. Preço para saída 1º/setembro. Independência 7/setembro Nossa Senhora Aparecida 12/outubro Finados 2/novembro Proclamação da República 15/novembro águas de lindóia MCMPROESP Central de Reservas (19) 3824.1444 Hotel (19) 3824.8400 www.villadimantova.com.br Reservas até 24 horas: (11) 3672.2955 www.hotelmajestic.com.br Viva as delícias do Feriado 7 de Setembro no Hotel Majestic Piscinas cobertas e aquecidas, programação de lazer especial e refeições que são um espetáculo. Promoção Fique + Feliz EM AGOSTO, FIQUE 5 DIAS PELO PREÇO DE 4*. 0800 701 0408 • (19) 3924.8080 www.hotelguarany.com.br MONITORES A SEMANA TODA E QUARTA COM SHOW DE PIZZA E MÚSICA *Consulte períodos de validade Agosto, Mês dos Pais! Final de Semana com feijoada, jantar festivo, torneio de pesca valendo prêmios e almoço especial! Feriado 7 de Setembro: Festival gastronômico, passeio opcional à mini-fazendinha, Baile da Primavera com ponche. Hotel Fazenda Recanto Paraíso 0800 77 00 447 | (19) 3824.4555 | www.recantoparaiso.com.br www.aguasdelindoia.com.br águas de lindóia Feriado 7 de Setembro: música, bem-estar e descontração. (19) 3824.8484*Consulte Condições www.grandehotelgloria.com.br Diárias grátis para 1 criança até 10 anos* TODOS COM TARIFAS ESPECIAIS E PRESENTES EM FORMAS DE LAZER. PACOTES PREMIADOS DE AGOSTO O HOTEL QUE VALE POR DOIS: LOCALIZAÇÃO IDEAL PARA CURTIR A CIDADE. E ÁREA CAMPESTRE EXCLUSIVA, PARA CURTIR A NATUREZA! (19) 3824.1411 www.plazzahotel.com.br Reservas:(19)3924.9200-(11)4063.7481-(13)4062.9347-(21)4062.7004-(31)4062.7008 Garagens Cobertas, 4 Saunas, 4 Quadras de Tênis, 2 Quadras de Squash, Sala de Ginástica, Quadras de: Voley, Basquete, Futebol de Salão e Peteca, Salas de: Jogos, Carteado, Leitura e Estar, 2 Restaurantes, Bar “Pub-Inglês”, Equipe de Recreação, Play-Ground, Música ao Vivo, ApartamentoscomInstalaçõesCompletas,VistaPanorâmicadaPraçaProjetadaporBurleMarx. 9 PISCINAS, 3 AQUECIDAS E COBERTAS www.montereal.com.br FERIADO 7 DE SETEMBRO Lazer,DiversãoeAlegriap/suaFamília HOTEL MONTE REAL RESORT Promenade. Leve seu queijo e vinho e aproveite o fim de tarde %HermesFileInfo:V-10:20120821: V10 Viagem TERÇA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2012 O ESTADO DE S. PAULO
  5. 5. PARIS Dêumachanceàvidanoturnade Paris. Ela pode ser discreta, ele- gante, sem as squat parties(festas secretas) e raves eletrônicas que inundamLondres.Masnãodeixe ninguémconvencê-lodequepou- cohá para fazerna madrugada. É verdade que os parisienses não costumam se engajar em festas populares,comoaFêtedelaMu- sique (que comemora a chegada do verão). Mas nos endereços queelesfrequentamtemdetudo: rockunderground, festasqueva- ram a madrugada, fanfarras de música instrumental ou bares abertosanoitetoda.Sejaqualfor o seu estilo, a verdade é uma só: vocêsóvaificaremcasaseestiver cansadodostours diurnos. Trio efervescente A fórmula é comum: um time de sócios decide abrir várias baladas mas para públicos diferentes. A regra do selecionadíssimo Clube Silencio (www.silencio-club.com) é corresponder ao perfil de alto nível buscado pelo host que fica na porta e decide quem entra – como nas casas de São Paulo, Nova York, Londres ou Tóquio. A decoração interna, criada pe- lo cineasta David Lynch e basea- da em jogos de luzes e espaços amplificados, forma um labirinto cuja dificuldade de localização condiz com a da triagem da porta. Quem é conhecido cumprimenta o host com beijinho no rosto e en- tra vestido como quiser – o passe livre custa até € 1.500 por ano. Quem não é, precisa convencer. Com alta produção, ar desinteres- sado e cara de endinheirado, mes- mo que não pague nada para en- trar. Apenas os coquetéis lá den- tro – uma média de € 20 cada. A maioria, contudo, é barrada na porta. Não tem motivo: o host simplesmente não foi com a sua cara. Nessas horas, ele pode dar um conselho que, desavisado, vo- cê consideraria esnobe: “Temos outro clube ali do lado”. Trata-se do mesmo número, o 142 da Rua Montmartre, mas mundos total- mente diferentes. A casa de músi- ca eletrônica não responde ao esnobismo da vizinha mais nova. Aceita todo mundo, vende ingres- so e corresponde mais à ideia bra- sileira de festa democrática e à facilidade do turista que não tem tempo a perder. O ambiente escu- ro, com luz negra e néon no teto, lembra o cenário do filme Tron Legacy (2010), e ótimas bandas costumam se apresentar no local. Só fecha às 6 da manhã. Longe dali, no Quai d'Austerlitz, no 13º arrondissement, a mesma equipe montou um point com cara de verão. A Wanderlust (na foto; wanderlustparis.com) espalha-se pelos mais de 1.500 metros qua- drados do terraço da Cité de la Mode e du Design. Faz mais senti- do quando se presta atenção ao público, boa parte dele provinda do vizinho Institut Français de la Mode, uma das mais célebres es- colas de moda de Paris. A entrada é gratuita, mas igualmente sujeita a aprovação depois das 22 horas. Antes disso, costuma ser mais democrático. “Nos fins de semana, abre ao meio-dia e funciona como restaurante. Dá para tomar sol nas espreguiçadeiras e relaxar”, conta a relações públicas Servane Magnan, de 35 anos. Como a vizi- nhança é de prédios comerciais, a festa só acaba de manhã. Segredo bem guardado Eles parecem não ter nada de- mais. Simples, meio esquisitos, sem algo que revolucione seus conceitos de diversão e, no entan- to, são os preferidos dos parisien- ses. Dá para comer, mas a ideia é esperar a noite cair para entender melhor esses bares. A proposta do Le Connétable (55 Rue des Ar- chives), no Marais, é simples: pa- quera generalizada. Todo mundo está ali para ver e ser visto e dá para beber até o garçom gritar que o bar está fechando, lá pelas 4 da manhã. Gente de todos os tipos, lugares e estilos vai ao aper- tado ambiente para esticar a noite. Não longe dali, a La Candelaria (candelariaparis.com) pode pare- cer uma simples casa de tapas. Até você perceber, depois de uma hora sentado ali, que no fundo do restaurante existe uma portinha. Ela leva a um aconchegante bar onde todos estão confortavelmen- te sentados ou animadamente de pé, bebendo elaborados coque- téis. É o ponto de encontro da ga- lera moderna/cult de Paris, que não quer ser descoberta nem aguenta pegar fila. Esses recantos escondidos, de cortinas fechadas e ambientes es- curos em que fica difícil distin- guir a cor do drinque fazem a alegria dos locais. Outro sucesso de público é o L’Experimental Cock- tail Club (37 Rua Saint-Sauveur, 2º arrondissement): passa despercebi- do pelos milhares de turistas que sobem e descem a adjacente Rua Mon- torgueil. Sofás e um ambiente inti- mista abrigam os melhores barmen da cidade, que servem drinques de € 12 a € 18. No bairro underground e popular de Ménilmontant, no 20º arrondissement, há dois ende- reços imperdíveis. Um é a constru- tivista Miroiterie (lamiroit.free.fr), uma grafitada casa de shows, ex- posições, espetáculos de arte, exibição de filmes e até churrasca- ria de vez em quando. O outro é o bar L'International, com uma agenda incrível de bandas que fazem fila para se apresentar no concorrido espaço de rock pari- siense. Prove a panachet (€ 3,50), bebida típica que mistura cerveja e suco de limão. O bar fecha no horário mais comum de encerra- mento na cidade: 2 horas. Já a Miroiterie costuma funcionar até meia-noite. /R.R. Economize forças para a maratona noturna ● Andando despretensiosamen- te pela região do Alto Marais, aquela que fica mais perto da Praça da República do que do Hotel de Ville, você pode encontrar um dos mercados mais antigos de Pa- ris. Na altura do número 39 da Rua de Bretag- ne (3º arrondis- sement), um estrei- to portal verde mar- ca a entrada de uma reunião incrível de iguarias francesas. No Marché des Enfants Rouges você encon- tra de tudo: ostras frescas, prati- nhos descartáveis de escargots embebidos em molho pesto, terri- nes e foie gras com todas as es- pecificidades que você possa ima- ginar. Além, claro, de frutas e verduras – atenção para as deli- ciosas framboesas. Mas a melhor parte é que ali também há restaurantes para todos os gostos – e com preços acessíveis. O mais tradicional é o Traiteur marroquino. Você verá várias pessoas se deliciando com um belo prato de cus- cuz, supercomum em todos os cantos cidade, mas que por lá tem um sabor especial. Se a fo- me que bater for de outros sabores, há também creperias, culinária japo- nesa, vegetaria- na e típica de algu- mas regiões da França, como a Alsácia. Vá cedo no fim de semana, porque o endereço está na lista dos mais disputa- dos – e fecha às segundas- feiras. / R.R. AVARÉ Evento que inspirou a Virada Cultural paulistana, a Nuit Blanche (paris.fr) chega à 11º edição. Dia 6 de outubro, 15 prédios terão seus terraços abertos pela primeira vez SOCORRO3 Variedadede saboresapreços econômicos BROTAS3CABREÚVA CALDAS NOVAS3 ESTÂNCIA SERRA NEGRA3 BRAGANÇA PAULISTA3 Hotéis Hotéis Classificados BAHIA - SALVADOR! É NO MAR HOTEL R$129,00 Frente Praia Rio Vermelho. Café da manhã e noite. 08000714440 www.marhotelbahia.com.br ILHA COMPRIDA SP SAMBURA POUSADA Chalés mob. p/4 pes, piscina c/ toboágua, futebol, volei, bocha, play gr, churr, sala TV, jogos, aparelhos ginástica, lanchonete, estacionam. R$109, p/2 pes (11) 4195-0777 www.samburapousada.com.br MONTE VERDE-MG Green Mountains Hotel. Preços promocionais. Chalés c/lareira. Vi- site: www.greenhotel.com.br ¤(11)3258-9898 - Fax: (11)3256-0287/(35)3433-5518 reservas@greenhotel.com.br TodosábadonoEstadão. JEAN PICON DIVULGAÇÃO FOTOS RENATA REPS/AE %HermesFileInfo:V-11:20120821: O ESTADO DE S. PAULO TERÇA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2012 Viagem V11

×