Migrações

6.819 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Migrações

  1. 1. 3° ANOGEOGRAFIA
  2. 2. Esta foto mostra uma rua dachamada Little Brazil (PequenoBrasil) em Nova York, EstadosUnidos, país onde vive cerca de 1milhão de brasileiros.Atualmente existem mais brasileirono exterior (mais de 2 milhões) doque estrangeiros radicados no Brasil(por volta de 1 milhão). Mas o Brasiljá foi visto como um “país deimigração”, que recebe imigrantes,imagem essa que, nas últimasdécadas, se inverteu. O país tornou-se um fornecedor de imigrantes emmaior número para os EstadosUnidos, para a Europa ocidental epara o Japão, e em menor númeropara o Canadá, para a Austrália,para a Venezuela, para o Paraguai,para a Argentina, entre outroslugares.
  3. 3. Considerações gerais As migrações ou deslocamentos da população no espaço podem ser de vários tipos: migrações internacionais (imigração e emigração); nomadismo; transumância; migrações internas ou inter-regionais; migrações rural- urbanas ou êxodo rural; migrações pendulares ou diárias das populações nos grandes centros urbanos. Elas podem ter como origem causas religiosas, psicológicas, sociais, econômicas, políticas e até naturais (secas e terremotos, por exemplo).
  4. 4.  Embora ocorram todos esse motivos, no capitalismo existe uma razão principal: a econômica, entendida como deslocamento de contingentes humanos para áreas em o sistema produtivo concentra mais ou melhores oportunidades de emprego.
  5. 5. Principais tipos de migraçãoNo caso do Brasil, são cinco os principais tipos de migrações: • Imigração – muito importante no período de 1850 e 1934; • Emigração – passou a ser importante a partir dos anos 1970; • Migração interna ou inter-regional – ocorreu durante toda a nossa história, mas assumiu maior importância após 1934, com o declínio da imigração e maior integração entre as diversas regiões do país; • Migração rural-urbana ou êxodo rural – acelerou-se após 1950; • Migração pendular ou diária nas grandes cidades – também vem aumentando desde a década de 1950, acompanhando o aumento da urbanização.
  6. 6. » Imigração A imigração para o Brasil intensificou-se a partir de 1850, quando cessou o tráfico de escravos. A principal razão para incentivar essa vinda de imigrantes, iniciativa do Estado e de particulares (fazendeiros), foi a necessidade de conseguir mão de obra para a lavoura cafeeira. O café, óleo sobre tela, Cândido Portinari, 1934. O cultivo do café – principal riqueza brasileira no fim do século XIX e nas primeiras décadas do século XX – foi a atividade produtiva que originou a procura de imigrantes e, depois, a vinda de migrantes nordestinos para o Sudeste do país.
  7. 7. » Emigração A emigração, apesar de ser ainda pouco estudada, é atualmente mais importante que a imigração. Ocorreu então um grande crescimento do número de brasileiros que foram tentar a sorte no exterior. Isso se deu tanto por motivos políticos quanto, principalmente, por motivos econômicos.
  8. 8.  É muito difícil obter dados estatísticos seguros sobre o total de emigrantes porque muitos ingressaram clandestinamente nos países de destino; não é muito fácil obter visto de entrada como imigrante nos Estados Unidos ou nos países da Europa ocidental.
  9. 9. » Migrações internas As migrações internas ou inter-regionais vêm ocorrendo desde a época colonial.  Economia brasileira: existência de “ciclos”. As mais numerosas migrações inter-regionais de nossa história foram as das populações nordestina e mineira para as grandes cidades do Centro-Sul.  Elemento exagerado quando se explica o refluxo populacional nordestino: a seca.
  10. 10. » Migração rural-urbana As migrações rural-urbanas no Brasil, também conhecidas como êxodo rural por se tratar de vultosa saída de pessoas do campo para as cidades, envolvem anualmente milhões de indivíduos.
  11. 11. Os fatores que influenciaram na saída de grandes contingentes humanos do meio rural em direção as cidades podem ser classificados em: Fatores de mudança – transformações sofridas no meio rural pela modernização e mecanização da agricultura. Fatores de estagnação – não estão ligados à industrialização, como os fatores de mudança, mas a um crescimento populacional que não é absorvido no local porque a oferta de trabalho é inferior a procura. A terra agrícola disponível dessa forma, não consegue sustentar todas as novas gerações, o que obriga muitos a deixar essa área.
  12. 12. » Migrações pendulares As migrações pendulares ou diárias nos grandes centros urbanos constituem um movimento de ida e volta dos trabalhadores de sua residência até o serviço, geralmente localizado longe da moradia. Esse tipo de migração aumenta com o crescimento da cidade, que desloca as camadas trabalhadoras mais pobres para as zonas periféricas ou, então para as “cidades- dormitórios” ou “cidades-satélites”. Em alguns centros, especialmente SP e RJ, é comum gastar três ou quatro horas por dia nesse movimento de vaivém.
  13. 13. Outros movimentos populacionais Além dos cinco tipos de migração estudados, verificamos também:  Migração urbano-urbana;  Migração rural-rural;  Migração urbano-rural.

×