Linguagens, códigos e suas
tecnologias - Português
Ensino Médio - 3ª Série
A literatura Pré-modernista
O PRÉ-MODERNISMO
NÃO PODE SER
CONSIDERADO UMA
ESCOLA LITERÁRIA,
MAS SIM UM PERÍODO
LITERÁRIO DE
TRANSIÇÃO
DO SIMBOLISMO/
P...
 necessidade de transformação
nas artes (na temática e na linguagem literária);
 ruptura com os moldes simbolistas e par...
Pré-modernismo
Realismo
Naturalismo
Parnasianismo
Simbolismo
Modernismo
Língua Portuguesa - 3ª Série
A literatura Pré-mode...
VISÃO GERAL DO
CONTEXTO:
Estado de insatisfação do homem em
relação à civilização (caminho traçado
pelo homem, pela human...
CONTEXTO
HISTÓRICO
O momento histórico
brasileiro interferiu na
produção literária,
marcando a transição dos
valores ético...
Continuação sobre o contexto da época
o
fanatismo
religioso do
Padre Cícero
e de
Antônio Conselheiro
e o cangaço,
no Nord...
As revoltas da Vacina e da Chibata, no Rio de Janeiro.
As greves operárias
em São Paulo.
Foto da
primeira greve
no Brasil na
cidade de São
Paulo
A Guerra do Contestado
(na fronteira entre Paraná e
Santa Catarina).
 política dirigida pela
Oligarquia
rural.
O nascimento da
burguesia urbana, a
industrialização e o
surgimento do proletariado.
Segregação dos
negros pós-
abolição.
A imigração.
Disputas
provincianas
como as
existentes no
Rio Grande do
Sul entre
maragatos e
republicanos.
Imagem: Heróis da Lapa / au...
Uma Radiografia Crítica do Brasil:
No geral, o Pré-Modernismo é uma literatura de
Crítica Social;
Mostra o Brasil real, ...
CARACTERÍSTICAS DO
PRÉ-MODERNISMO:
RUPTURA COM O PASSADO – Os autores adotaram inovações
que feriam o academicismo;
REGION...
Para refletir!
“Precisamos descobrir o Brasil!
Escondido atrás das florestas,
Com a água dos rios no meio,
O Brasil está d...
Principais autores:
Euclides da Cunha
Monteiro Lobato
Lima Barreto
Graça Aranha
Augusto dos Anjos
Euclides da Cunha
(1866/1909)
Trabalhou como engenheiro civil no
meio militar.
Escreveu Os Sertões, pois
testemunhou a Gue...
É uma narrativa da
insurreição de um grupo de
fanáticos religiosos e não só
descreve a sociedade mas
também a geografia,
g...
“Ao passo que a caatinga o
afoga; abrevia-lhe o olhar; agride-o
e estonteia-o; enlaça-o na trama
espinescente e não o atra...
“Homem permanente fatigado, o sertanejo 'reflete
a preguiça invencível, a atonia muscular perene,
em tudo: na palavra remo...
. Deu-se então o massacre
dos prisioneiros, na sua
maioria mulheres, velhos,
pessoas enfermas,
moribundas e crianças. As
m...
Obras principais:
• Os Sertões
• Perú versus Bolívia
• Castro Alves e seu tempo
• Entre os seringais
• Contrastes e confro...
Monteiro Lobato
(1882/1948)
Homem de diversas
atividades (escritor,
editor, relojoeiro,
fazendeiro, promotor,
industrial, ...
Em 1917, publica, no jornal O Estado de São Paulo, o
artigo contra a pintora Anita Malfatti (estopim do
Modernismo). A Pro...
O Brasil Caipira
anacrônico
inerme
analfabeto
obtuso
Tema de Monteiro Lobato
Urupês (Jeca Tatu) Cidades Mortas
Imagem:Caip...
Urupês (1919)
Ideias de Jeca Tatu
(1918)
Cidades Mortas
(1919)
Negrinha (1920)
Mundo da Lua (1923)
O Macaco que se F...
Lima Barreto
(1881/ 1922)
Viveu intensamente as contradições do
início do século, torna-se alcoólatra e
passa por profunda...
Seus personagens são humildes
funcionários públicos, alcoólatras
e miseráveis. Sua linguagem é jornalística
e até panfletá...
O Brasil da Marginalização Urbana
O negro O funcionário público Os alcoólatras
Subúrbio
Romance:
Recordações do Escrivão Isaías
Caminha (tematiza preconceito
racial e crítica ao jornalismo
carioca - 1909)
Trist...
Graça Aranha (1866/
1931)
Foi juiz no Maranhão e no Espírito
Santo. Participou do movimento
modernista, como doutrinador.
...
Obras principais:
Canaã (1902/ romance)
Estética da Vida (1921/ ensaio)
Espírito Moderno (1925/ ensaio)
A Viagem Maravilho...
Augusto dos Anjos
(1884/ 1914)
Formou-se em direito, mas
foi sempre professor de
Literatura.
Publicou apenas um único
livr...
Sua visão de mundo e a interrogação do
mistério da existência e do estar-no-mundo
marcam esta nova vertente poética.
Const...
"A passagem dos séculos me assombra. /
Para onde irá correndo minha sombra /
Nesse cavalo de eletricidade?! /
Quem sou? Pa...
Sua visão da morte como o fim, o linguajar e os
temas usados por muitos são considerados
como sendo de mau gosto, mas cara...
Versos Íntimos
Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão — esta pantera —
Fo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pré modernismo

525 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
525
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pré modernismo

  1. 1. Linguagens, códigos e suas tecnologias - Português Ensino Médio - 3ª Série A literatura Pré-modernista
  2. 2. O PRÉ-MODERNISMO NÃO PODE SER CONSIDERADO UMA ESCOLA LITERÁRIA, MAS SIM UM PERÍODO LITERÁRIO DE TRANSIÇÃO DO SIMBOLISMO/ PARNASIANISMO PARA O MODERNISMO. Battle strike, june 1934 / Public Domain
  3. 3.  necessidade de transformação nas artes (na temática e na linguagem literária);  ruptura com os moldes simbolistas e parnasianos. PRINCIPAISPRINCIPAIS OBJETIVOS:OBJETIVOS:
  4. 4. Pré-modernismo Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Modernismo Língua Portuguesa - 3ª Série A literatura Pré-modernista
  5. 5. VISÃO GERAL DO CONTEXTO: Estado de insatisfação do homem em relação à civilização (caminho traçado pelo homem, pela humanidade); Ruptura com o passado para levá-lo de volta às origens primitivas; Estado de insegurança em relação aos acontecimentos dos últimos anos do século XIX: expansão e/ou industrialização dos países europeus; Primeira Guerra Mundial; Início do século XX = transformações na maneira de pensar do homem moderno (ideia de nacionalismo / nazismo, fascismo e comunismo => intensas agitações
  6. 6. CONTEXTO HISTÓRICO O momento histórico brasileiro interferiu na produção literária, marcando a transição dos valores éticos do século XIX para uma nova realidade que se desenhava, essencialmente pautada por uma série de conflitos Pontos de conflito no Brasil pré-modernista.
  7. 7. Continuação sobre o contexto da época o fanatismo religioso do Padre Cícero e de Antônio Conselheiro e o cangaço, no Nordeste (3) . Língua Portuguesa - 3ª Série A literatura Pré-modernista Imagem:retratosdocangaço,1936-37/Domíniopúblico Imagem:PadreCícero.1934/AutorDesconhecido/Domíniopúblico Imagem:AlegoriadeCanudos/AndréKoehne/GNUFreeDocumentationlicense
  8. 8. As revoltas da Vacina e da Chibata, no Rio de Janeiro.
  9. 9. As greves operárias em São Paulo. Foto da primeira greve no Brasil na cidade de São Paulo
  10. 10. A Guerra do Contestado (na fronteira entre Paraná e Santa Catarina).
  11. 11.  política dirigida pela Oligarquia rural.
  12. 12. O nascimento da burguesia urbana, a industrialização e o surgimento do proletariado.
  13. 13. Segregação dos negros pós- abolição.
  14. 14. A imigração.
  15. 15. Disputas provincianas como as existentes no Rio Grande do Sul entre maragatos e republicanos. Imagem: Heróis da Lapa / autor desconhecido / Domínio Público
  16. 16. Uma Radiografia Crítica do Brasil: No geral, o Pré-Modernismo é uma literatura de Crítica Social; Mostra o Brasil real, com seus Conflitos Político- Sociais; Desmistifica o romantismo e seu Nacionalismo Ufanista. Portanto, um Nacionalismo Crítico-Amargo.
  17. 17. CARACTERÍSTICAS DO PRÉ-MODERNISMO: RUPTURA COM O PASSADO – Os autores adotaram inovações que feriam o academicismo; REGIONALISMO – A realidade rural brasileira é exposta sem os traços idealizadores do Romantismo. A miséria do homem do campo é apresentada de forma chocante; LITERATURA-DENÚNCIA – Os livros são em tom de denúncia da realidade brasileira. O Brasil oficial é substituído por um Brasil não oficial (sertão nordestino, caboclos interioranos, realidade dos subúrbios); CONTEMPORANEIDADE – A literatura retrata fatos políticos, situação econômica e social contemporâneos, diminuindo a distância entre realidade e ficção.
  18. 18. Para refletir! “Precisamos descobrir o Brasil! Escondido atrás das florestas, Com a água dos rios no meio, O Brasil está dormindo, coitado!” Carlos Drummond de Andrade
  19. 19. Principais autores: Euclides da Cunha Monteiro Lobato Lima Barreto Graça Aranha Augusto dos Anjos
  20. 20. Euclides da Cunha (1866/1909) Trabalhou como engenheiro civil no meio militar. Escreveu Os Sertões, pois testemunhou a Guerra de Canudos como correspondente jornalístico. Foi assassinado em duelo pelo amante da esposa. Positivista, florianista e determinista. Foi o primeiro escritor brasileiro a diagnosticar o subdesenvolvimento do país, diagnosticando os 2 Brasis (litoral e sertão). Imagem: Euclides da Cunha / Domínio Público
  21. 21. É uma narrativa da insurreição de um grupo de fanáticos religiosos e não só descreve a sociedade mas também a geografia, geologia, e zoologia plana do sertão brasileiro (8). É dividido em três partes. 1ª parte: A Terra 2ª parte: O homem 3ª parte: A luta Imagem:Capade“OsSertões”,1902/Domíniopúblico
  22. 22. “Ao passo que a caatinga o afoga; abrevia-lhe o olhar; agride-o e estonteia-o; enlaça-o na trama espinescente e não o atrai; repulsa-o com folhas urticantes, com o espinho, com os gravetos estalados em lanças; e desdobra- se lhe na frente léguas e léguas, imutável no aspecto desolado: árvores sem folhas, de galhos estorcidos e secos.” Imagem: Caatinga – sertão brasileiro / Maria Hsu / Creative Commons Attributtion 2.0 generic Trecho descreve a 1ª parte de Os Sertões Trecho descreve a 1ª parte de Os Sertões
  23. 23. “Homem permanente fatigado, o sertanejo 'reflete a preguiça invencível, a atonia muscular perene, em tudo: na palavra remorada, no gesto contrafeito, no andar desaprumado, na cadência langorosa das modinhas, na tendência constante à imobilidade e à quietude'. Todavia, basta um incidente qualquer para que ele se transfigure, adquirindo, subitamente, a característica de um 'titã dominador. É crédulo, místico, deixando-se levar por superstições absurdas. Sua religião traz em si, caracteres das três raças que o formaram: o branco, o índio e o negro; como ele, sua religião é mestiça.” Trecho descreve a 2ª parte da obra os sertões
  24. 24. . Deu-se então o massacre dos prisioneiros, na sua maioria mulheres, velhos, pessoas enfermas, moribundas e crianças. As mulheres não perigosas e as crianças foram poupadas da 'degola', que deveria ocorrer após um viva à República. Conselheiro não resistiu a uma grave disenteria, e aos problemas resultantes de um ferimento de granada, falece no dia 22 de setembro. Trecho descreve a 3ª parte da obra Imagem:RuínasdeIgrejaemCanudos,1897/Fláviodebarros/DomínioPúblico
  25. 25. Obras principais: • Os Sertões • Perú versus Bolívia • Castro Alves e seu tempo • Entre os seringais • Contrastes e confrontos
  26. 26. Monteiro Lobato (1882/1948) Homem de diversas atividades (escritor, editor, relojoeiro, fazendeiro, promotor, industrial, comerciante, professor, adido comercial etc.). Imagem:Lobatoarte/AndréKoehne/GNUFreeDocumentationLicense
  27. 27. Em 1917, publica, no jornal O Estado de São Paulo, o artigo contra a pintora Anita Malfatti (estopim do Modernismo). A Propósito da Exposição Malfatti, expressa uma postura agressiva contra as novas tendências artísticas do século XX, que resultará no seu desligamento dos principais participantes da Semana de Arte Moderna de 1922. Sua crítica acalorada se dá porque ele não admitia a submissão da cultura brasileira às ideias europeias, daí ser chamado de Policarpo Lobato.
  28. 28. O Brasil Caipira anacrônico inerme analfabeto obtuso Tema de Monteiro Lobato Urupês (Jeca Tatu) Cidades Mortas Imagem:Caipirapicandofumo1893/AlmeidaJunior/ Domíniopúblico
  29. 29. Urupês (1919) Ideias de Jeca Tatu (1918) Cidades Mortas (1919) Negrinha (1920) Mundo da Lua (1923) O Macaco que se Fez Homem (1923) O Choque das Raças OBRAS PRINCIPAIS  Literatura Infantil:  Reinações de Narizinho  Viagem ao Céu  O Saci  Caçadas de Pedrinho  Hans Staden  Histórias do Mundo para Crianças  Memórias de Emília  Emília no País da Gramática  Aritmética de Emília  Geografia de Dona Benta  Serões de Dona Benta  O Poço do Visconde  Histórias de Tia Nastácia  O Pica-pau Amarelo  A Reforma da Natureza  O Minotauro  Fábulas
  30. 30. Lima Barreto (1881/ 1922) Viveu intensamente as contradições do início do século, torna-se alcoólatra e passa por profundas crises depressivas, sendo internado por duas vezes. Mostra um perfeito retrato do subúrbio carioca, criticando a miséria das favelas e dos cortiços. Posiciona-se contra o nacionalismo ufanista, a educação recebida pelas mulheres, voltada para o casamento e a República com seu exagerado militarismo. Imagem:RetratodeLimaBarreto,autoredatadesconhecidos /DomínioPúblico
  31. 31. Seus personagens são humildes funcionários públicos, alcoólatras e miseráveis. Sua linguagem é jornalística e até panfletária (11). Triste Fim de Policarpo Quaresma é a obra que lhe garante notoriedade.
  32. 32. O Brasil da Marginalização Urbana O negro O funcionário público Os alcoólatras Subúrbio
  33. 33. Romance: Recordações do Escrivão Isaías Caminha (tematiza preconceito racial e crítica ao jornalismo carioca - 1909) Triste Fim de Policarpo Quaresma (inicialmente publicado em folhetins - 1915) Vida e Morte de M. J. Gonzaga e Sá (1919) Clara dos Anjos (1948) Conto: História e Sonhos (1956) Sátira Política e Literária: Os Bruzundangas (1923) OBRAS PRINCIPAIS: Humorismo: Aventuras do Dr. Bogoloff (1912) Artigos e Crônicas: Feiras e Mafuás (1956) Bagatelas (1956) Crônicas sobre Folclore Urbano: Matginália (1956) Vida Urbana (1956) Memórias: Diário Íntimo (1956) Cemitério dos Vivos (1956)
  34. 34. Graça Aranha (1866/ 1931) Foi juiz no Maranhão e no Espírito Santo. Participou do movimento modernista, como doutrinador. Não é considerado modernista porque sua única obra "modernista", A viagem maravilhosa, é feita em um estilo extremamente artificial. Morreu logo antes de publicar sua autobiografia, O meu próprio romance, de 1931. Imagem:GraçaAranha,1904/FratelliD'Alessandri/DomínioPúblico
  35. 35. Obras principais: Canaã (1902/ romance) Estética da Vida (1921/ ensaio) Espírito Moderno (1925/ ensaio) A Viagem Maravilhosa (1927/ romance)
  36. 36. Augusto dos Anjos (1884/ 1914) Formou-se em direito, mas foi sempre professor de Literatura. Publicou apenas um único livro de poesias, Eu. Sua obra é cientificista, profundamente pessimista. Trabalhou, assim como parnasianos e simbolistas, com sonetos e verso decassílabo. Imagem: Retrato de Augusto dos Anjos / Domínio Público
  37. 37. Sua visão de mundo e a interrogação do mistério da existência e do estar-no-mundo marcam esta nova vertente poética. Constância da morte, desintegração e os vermes.
  38. 38. "A passagem dos séculos me assombra. / Para onde irá correndo minha sombra / Nesse cavalo de eletricidade?! / Quem sou? Para onde vou? Qual minha origem? / E parece-me um sonho a realidade."
  39. 39. Sua visão da morte como o fim, o linguajar e os temas usados por muitos são considerados como sendo de mau gosto, mas caracterizam sua poesia como única na literatura brasileira. "Já o verme — este operário das ruínas — / Que o sangue podre das carnificinas / Come e à vida em geral declara guerra."
  40. 40. Versos Íntimos Vês! Ninguém assistiu ao formidável Enterro de tua última quimera. Somente a Ingratidão — esta pantera — Foi tua companheira inseparável! Acostuma-te à lama que te espera! O homem, que, nesta terra miserável, Mora, entre feras, sente inevitável Necessidade de também ser fera. Toma um fósforo. Acende teu cigarro! O beijo, amigo, é a véspera do escarro, A mão que afaga é a mesma que apedreja. Se a alguém causa inda pena a tua chaga, Apedreja essa mão vil que te afaga, Escarra nessa boca que te beija! Analisar o texto, em seguida, discutir as principais características e temáticas e, por último, propor pesquisa de outros poemas do autor

×