SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
Baixar para ler offline
RADIOLOGIA FORENSE
Profª Renata Cristina
Profª Renata Cristina
 Técnica em Radiologia Médica
 Técnica em Mamografia
 Técnica em Densitometria óssea
 Técnica em Tomografia Computadorizada
 Técnica em Radiologia Odontológica
 Técnica em Imobilização Ortopédica
 Graduando em Fisioterapia
 Professora em Radiologia e sua especializações desde 2008
Ciência Forense
 Especialidade que utiliza conhecimento técnico-
científico das ciências que subsidiam a medicina, na
qual é essencial para a ordem pública e equilíbrio
social
Radiologia Convencional x Radiologia Forense
Imagem : http://portaldaradiologia.com/?p=3752
Tecnologias Aplicadas à Radiologia Forense
 Hoje, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética são as
novas aliadas na área forense. Essas ferramentas constituem um
imprescindível protocolo de identificação de pontos craniométricos, isto é,
capaz de demonstrar com precisão e, em minutos, resultados que poderiam
esperar meses na identificação de estruturas esqueletizadas.
 Com a aquisição de software avançados, é possível também realizar
reconstrução facial 3D. A ideia é permitir, ampliar informações que ajudem
e melhorem as chances de reconhecimentos dos familiares quando são
encontrados restos mortais sem identificação.
 A ressonância magnética usa também softwares especiais para utilização
na imaginologia médica de superposição de imagem, para estudo do
método de crânio-foto-comparativo.
 Como a ressonância oferece condições de diferenciação tissular, isto é,
visualiza melhor partes moles e separa, músculo, gordura, água e outras
substâncias, esse método tornou-se uma ferramenta poderosa nas mãos
dos peritos.
 A espectróscopia por ressonância consegue identificar o uso de drogas em
até quem deixou de usar há cinco anos.
Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
Radiologia Forense
 É uma ciência médica, específica, que tem como
objetivo avaliar de forma conclusiva e/ou
complementar as áreas forenses.
 Indicada para estudos ante-mortem e post-mortem.
 Métodos radiológicos comparativos: Rx, TC, RM, US
e outros.
História da Radiologia Forense
 Historicamente, a aplicação da radiologia forense foi
introduzida imediatamente um ano depois da sua
descoberta, em 1895, pelo alemão Wilhem Conrad
Rontgen que, no ano seguinte, demonstrou a presença
de balas de chumbo na cabeça de uma vítima ferida na
guerra.
Esse fato foi o pioneiro a ajudar a elucidar a causa da
morte.
 O registro desse episódio abriu espaço para o uso do
método para identificação humana forense.
 No ano de 1927 foi relatada a primeira identificação
radiológica completa e, em 1951, foi publicado o 1º
trabalho a respeito do emprego da técnica radiográfica
em um processo de identificação de corpos de um
desastre de massa.Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
Como entrar na Área
 O indivíduo deve buscar, em seguida, um curso
de Medicina Legal ou outro na área forense como
fazem os médicos e dentistas, que investem e
depois se transformam em médico-legista e perito
odonto-legal.
 Já os Tecnólogos em Radiologia, podem tornar-
se peritos criminais e usar seus conhecimentos de
imagens para ajudar na esfera jurídica. Isso tudo,
após o concurso, é claro, estadual ou federal.
Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
 O CONSELHO NACIONAL DE TÉCNICOS EM
RADIOLOGIA no uso de suas atribuições legais e
regimentais, que lhe são conferidas pela lei no 7.394, de
29 de outubro de 1985, e pelo Decerto n.°92.790, de 17
de junho de 1986 e o Regimento Interno do CONTER.
 RESOLVE:
 Art. 3° – Os procedimentos na área de diagnóstico por
imagem na radiologia veterinária, radiologia odontológica
e radiologia forense, ficam também definidos como
radiodiagnóstico.
Radiologia Forense
Áreas de Atuação
 Instituto Médico Legal;
 Em aeroportos;
 Na segurança de presídios;
 Nas Fronteiras.
1) Realizarexamesradiográficossegundoorientaçãomédica
2) Realizartécnicas deposicionamento
3) ProcessamentodaImagem
4) Acompanhare auxiliaratéo términoda necrópsia,médicoe auxiliar
5) Exercerorientaçãoanatômicaquantoàlocalizaçãodosprojéteis
6) Levaro cadáveratéasaladeraiosX
7) Limparo cadáverparanãodanificarequipamentos,chassisetc
8) Descreverorifícios deentradaesaída,seprecisofor
Radiologia Forense
Funções
Técnicas para Radiografar o Putrefeito
 Devidoao baixonível líquido, e elevadonível de
gases deve-se utilizar baixas quilovoltagens, em
média 15 a 20 KVs
Carbonizados
 Os corpos carbonizados seguem a
mesma rotina:
 Crânio AP
 Perfil - se houver Projétil (s)
 Tórax AP
 Abdome AP
 MMII – MMSS – se houver entrada
sem saída de projéteis
Radiologia Forense
Identificação Através da Radiologia Forense
 Ao encontrar um corpo carbonizado, ou ainda com roupas, é possível, com
exame de imagem:
 diferenciar detalhes da anatomia que distingue homem e mulher,
 densidade mineral óssea, para saber se era jovem ou idoso, ossos do
punho para confirmar a idade aproximada do adolescente, se houve fratura
no corpo e se foi antes ou depois da morte.
 Então, pode-se concluir que a identificação humana é extremamente
importante, não só na esfera legal como também na social e, para tanto, a
radiologia , assim como a imaginologia médica, contribuem
espetacularmente para determinação, com precisão, na identificação de
uma pessoa.
 Esse método constitui uma ferramenta segura, confiável, rápido e prático,
além de barato, se comparado com outros como DNA, de autocusto e de
resultado demorado.
Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
Radiologia Forense
Identificação Através da Radiologia Forense
Radiologia Forense
Identificação do Sexo
 Somente após a puberdade é que se caracteriza o
dimorfismo sexual, devido à influência de hormônios,
musculatura e ambiente; fazendo com que o esqueleto
humano se desenvolva com características diferentes,
tais como: cristas, apófises, saliências, rugosidades,
entre outras.
 Estas estruturas se apresentam de forma mais
proeminente e grotesca nos homens.
 As estruturas que demonstram características mais
seguras na identificação do sexo são as do crânio e da
pelve.
Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
 As estruturas presentes na pelve possuem grandes
números de características anatômicas distintas
entre os sexos.
Radiologia Forense
Identificação do Sexo pela Pelve
Anatomia HOMEM MULHER
Ílio + estreito
- profundo
- alargado
Alargados e rasos
no diâmetro AP
Arco Púbico Ângulo agudo <
90°
Formato “V”
Ângulo agudo >
90°
Formato “U”
Entrada ou
abertura Superior
+ estreita e
formato de
coração
Mais larga e
circular
Pelve Feminina Pelve Masculina
Radiologia Forense
Identificação do Sexo pela Pelve
 Inúmeros métodos de identificação são aplicados nos restos humanos, tendo como
base a comparação de informações ante- mortem e post-mortem existentes. Embora
a análise papiloscópica (impressões digitais) seja considerada a mais precisa,
existem casos, no qual a identificação pela digital é impraticável.
 Casos, tais, como: corpos carbonizados, mutilados, esqueletizados e em avançado
estágio de decomposição.
 Na impossibilidade de realização de uma identificação por digital, a
 odontologia legal se torna uma alternativa extremamente valiosa, devido, à alta
resistência dos dentes e de suas restaurações.
 Destacando a radiografia odontológica como um subsídio de extrema importância,
devido, a enorme quantidade de informações adquiridas.
 Comparações radiográficas são técnicas habituais que vem sendo aplicadas na
odontologia legal desde antes da década de 1940, possibilitando uma identificação
científica segura.
 Segundo Mailart, dentre as radiografias mais utilizadas na identificação de corpos
pela perícia odonto-legal estão, do crânio, da face e dos dentes.
Radiologia Forense
Odontologia Legal
 Radiografia Panorâmica
A figura representa uma
análise comparativa feita
entre uma radiografia ante-
mortem e pós-mortem que
consegue demonstrar os
dentes, mandíbula, maxila e
alguns ossos da face, com
apenas uma exposição.
 A: demonstra coincidências na
composição dentária
 B: correlação entre os seios
maxilares
 C: existência de material, de
formação artificial em regiões de
fraturas localizadas na mandíbula.
Radiologia Forense
Odontologia Legal
 As imagens panorâmicas são realizadas com o paciente sentado ou em
ortostase e em posição estática, o que dificulta o posicionamento devido à
rigidez cadavérica e torna necessárias adaptações para melhor
proceder ao exame.
 Agora com o processo de digitalização de imagem, a radiografia pode ser
scaneada e manipulado através de softwares, utilizado para realçar as
bordas ou aumentar o contraste da imagem, ou mesmo ser adquirida
através de um processo totalmente digitalizado, que evite a possível perda
de fonte de provas materiais, devido, ao processamento radiográfico.
Imagem : http://www.orthodonticproductsonline.com/2014/05/instrumentarium-dental-unveils-op300-maxio-aao/
Radiologia Forense
Odontologia Legal
 Na estimativa de idade em crianças ou jovens, obtêm-se intervalos
temporais que englobe a idade real do indivíduo.
 A literatura estabelece diversas estimativas de idades através de
parâmetros anatômicos ósseos, tais como a sinostose da sutura
palatina mediana, e das suturas encontradas no crânio, ossificação
do osso hióide, dos ossos do carpo, e fechamento epifisário dos
ossos longos, principalmente rádio e ulna.
 A fase de transição entre o final da adolescência e a fase adulta, se
caracteriza pela complexidade na determinação da idade através de
exames periciais.
 Dentre os critérios de análise óssea, a utilização de tabelas que
indicam intervalos de idade mínimos e máximos para o fechamento
epifisário distal do rádio e ulna, são subsídios extremamente
confiáveis.
Radiologia Forense
Estimativa de idade pela articulação do punho
 As Radiografias do punho é um subsídio valioso
para a identificação da idade até determinado
estágio da vida, estimando a idade pelo período de
desenvolvimento dos ossos do carpo, como
demonstra a tabela a seguir:
Radiologia Forense
Estimativa de idade pela articulação do punho
Radiologia Forense
Estimativa de idade pela articulação do punho
 Descrição do caso
Corpo encontrado carbonizado no interior de um veículo, sexo masculino,
caracterizado na fase adulta. Durante os procedimentos necroscópicos foram
identificadas fraturas no crânio, nas epífises distais dos antebraços e nas pernas,
provocadas pela carbonização.
Na averiguação deste caso, os supostos familiares apresentaram uma
documentação odontológica, e duas radiografias da articulação do punho direito
que apresentava a presença de uma cirurgia para redução de fratura, utilizando
uma placa de compressão em T, do tipo Ellis, e três parafusos corticais de
diferentes comprimentos.
Radiologia Forense
Estimativa de idade pela articulação do punho
 Os seios frontais são estruturas anatômicas irregulares, que se encontram pareadas
e posteriores aos arcos superciliares.
 A identificação pelos seios frontais se dá pela sua unicidade, assim como as
impressões digitais, não havendo duas pessoas que possuam seios frontais iguais,
mesmo se tratando de gêmeos idênticos.
 Localizados bilateralmente, não estão presentes ao nascimento, só iniciam seu
desenvolvimento, por volta dos 2 e 3 anos de idade, tendo na puberdade um maior
desenvolvimento, sua aeração se torna visível radiograficamente, a partir dos 5 ou 6
anos de idade, tendo seu desenvolvimento completo por volta dos 20 anos.
 As variações em tamanho, forma, simetria, bordas externas, e a presença e número
de células e septos são comparados utilizando radiografias e/ou tomografias
computadorizadas ante-mortem e post-mortem.
 A facilidade de visualização dos seios frontais em uma radiografia, a peculiaridade
das estruturas, a rapidez e o baixo custo fazem com que as radiografias dos seios
frontais, sejam subsídios viáveis e extremamente confiáveis no processo de
identificação humana.
Radiologia Forense
Seios Frontais na Identificação Humana
 Ante-mortem Post - mortem
Radiologia Forense
Seios Frontais na Identificação Humana
Radiologia Forense
Aeroportos
Radiologia Forense
Aeroportos
Radiologia Forense
Aeroportos
Radiologia Forense
Segurança em Presídios
Radiologia Forense
Nas Fronteiras
Achados radiológicos
Achados necroscópicos
No exame de raio
X, a prova do
crime: cada preso
escondia em seu
corpo, no reto, um
aparelho de
telefone celular e
um pedaço de
serra.
Acidente 2012
Acidente 2012
Acidente 2012
Radiologia Forense
Post-mortem
 Atualmente a Ciência Forense vem se aperfeiçoando e inúmeras são suas aplicações.
 A Virtópsia nasce com a introdução da Tomografia Computadorizada (TC) e da Ressonância
Magnética (RM) no exame cadavérico.
 Com a TC é possível obter imagens digitais com secção transversal a partir de projeções
radiográficas transaxiais e reconstrução em 2D e 3D.
 A Tomografia Multislice tem grande aplicação na abordagem antropológica para determinação
da idade, com mensuração óssea em ângulos diferentes, propiciado pela reconstrução em 3D.
 Também é possível diagnosticar com certeza, um caso de hemorragia extrapleural no denominado
sinal do “Ápice em Chapéu”, que pode indicar ruptura de Aorta ou hemorragia extrapleural.
 Além de apresentar Vantagens quanto a análise mais detalhada de fraturas, de patologias
específicas, de reações vitais, reconstrução de lesões, de coleções aéreas provenientes de
eventos embólicos, enfisema subcutâneo de natureza traumática e etc.
 Também possibilita a suspeição de afogamento quando achado fluido espumoso nas vias aéreas,
e/ou opacidade em vidro fosco dos pulmões. Com a Micro-TC, os padrões de lesões ósseas
podem ser vinculados a instrumentos vulnerantes específicos como facas.
Radiologia Forense
Virtópsia
Radiologia Forense
Virtópsia
Radiologia Forense
Virtópsia
 Identificar o tipo de lesão, gravidade e segmento
atingido;
 Especificar o relatório de Autópsia.
Radiologia Forense
Lesões ÓSSEAS
Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
Radiologia Forense
Reconstrução Facial
Radiologia Forense
Reconstrução Facial
Radiologia Forense
Reconstrução Facial
Referencias
 BONTRAGER, L Kenneth. Tratado de técnica radiológica e base anatômica.5. ed.
Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.
 Andrade, S A F , aaTUAÇÃO DO Técnico e do Técnologo em Radiologia na área
Forense, revista UNILUS Ensino e Pequisa, v.13, n.30, jan/mar. 2016
 http://radiologia.blog.br/diagnostico-por-imagem/conheca-a-area-da-radiologia-forense
 Rodrigo Pigozzi de Carvalho: Radiologia forensse – disponivel
em: http://playmagem.com.br/portal/2014/05/21/radiologia-forense/ (16/10/2017)
 RADIOLOGIA FORENSE - Herculys Douglas Teresina 2014
 Radiologia forense – Cristiano Jorge
material disponibilizado em:
radiologiacienciaearte.blogspot.com.br
21 964721424
renatacvm@gmail.com
renatacvm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Meios de contraste iodado
Meios de contraste iodadoMeios de contraste iodado
Meios de contraste iodadoEdna Souza
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019FLAVIO LOBATO
 
Aula 8 incidencias
Aula 8  incidenciasAula 8  incidencias
Aula 8 incidenciasrsmbarros
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanogrtalves
 
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIA
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIAINTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIA
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIAThassiany Sarmento
 
Aula de tomografia - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia - Wendesor Oliveira Wendesor Oliveira
 
História da radiologia no mundo aula 1
História da radiologia no mundo   aula 1História da radiologia no mundo   aula 1
História da radiologia no mundo aula 1Magno Cavalheiro
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introduçãocelais0814
 
Evolução Radiologia
Evolução RadiologiaEvolução Radiologia
Evolução RadiologiaThyago Soares
 
Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.Ruan Macedo
 
Breve Introdução Sobre Ressonância Magnética Nuclear
Breve Introdução Sobre Ressonância Magnética NuclearBreve Introdução Sobre Ressonância Magnética Nuclear
Breve Introdução Sobre Ressonância Magnética NuclearAlex Eduardo Ribeiro
 
Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)Cristiane Dias
 
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicosSegurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicosHerculys Douglas Clímaco Marques
 

Mais procurados (20)

Meios de contraste iodado
Meios de contraste iodadoMeios de contraste iodado
Meios de contraste iodado
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019
 
Aula 8 incidencias
Aula 8  incidenciasAula 8  incidencias
Aula 8 incidencias
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordano
 
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIA
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIAINTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIA
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA IMAGINOLOGIA
 
Aula de tomografia - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira Aula de tomografia  - Wendesor Oliveira
Aula de tomografia - Wendesor Oliveira
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magnetica
 
FILMES E ECRÁNS
FILMES E ECRÁNSFILMES E ECRÁNS
FILMES E ECRÁNS
 
História da radiologia no mundo aula 1
História da radiologia no mundo   aula 1História da radiologia no mundo   aula 1
História da radiologia no mundo aula 1
 
ARCO CIRÚRGICO E RAD. FORENSE
ARCO CIRÚRGICO E RAD. FORENSEARCO CIRÚRGICO E RAD. FORENSE
ARCO CIRÚRGICO E RAD. FORENSE
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introdução
 
RADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITALRADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITAL
 
Evolução Radiologia
Evolução RadiologiaEvolução Radiologia
Evolução Radiologia
 
Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.
 
Breve Introdução Sobre Ressonância Magnética Nuclear
Breve Introdução Sobre Ressonância Magnética NuclearBreve Introdução Sobre Ressonância Magnética Nuclear
Breve Introdução Sobre Ressonância Magnética Nuclear
 
Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)Apostila posicionamento (completa)
Apostila posicionamento (completa)
 
Ressonância magnética
Ressonância magnéticaRessonância magnética
Ressonância magnética
 
Mamografia figuras
Mamografia figurasMamografia figuras
Mamografia figuras
 
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicosSegurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
 
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIAHEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
 

Semelhante a Radiologia Forense

Técnica radiológica médica básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007
Técnica radiológica médica   básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007Técnica radiológica médica   básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007
Técnica radiológica médica básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007cezarlima35
 
TCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docx
TCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docxTCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docx
TCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docxEryka Gonçalves
 
Imaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Imaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxImaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Imaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxLeonardoArajo96
 
01 liv rx princ term p rad 01a 62
01  liv rx princ term p rad  01a 6201  liv rx princ term p rad  01a 62
01 liv rx princ term p rad 01a 62Luanapqt
 
Colégio e Curso Parthenoon aula aula.pptx
Colégio e Curso Parthenoon aula aula.pptxColégio e Curso Parthenoon aula aula.pptx
Colégio e Curso Parthenoon aula aula.pptxanap8498
 
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)alvido muaviraca
 
A importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia Legal
A importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia LegalA importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia Legal
A importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia LegalCaroline Helena
 
Medicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia DigitalMedicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia DigitalNoara Thomaz
 
Radiologia (1).pptx
Radiologia (1).pptxRadiologia (1).pptx
Radiologia (1).pptxLucasCorra65
 
Qualificação Profissional
Qualificação ProfissionalQualificação Profissional
Qualificação ProfissionalOsvaldo Machado
 
Antropologia forense
Antropologia forenseAntropologia forense
Antropologia forenseWagner Silva
 
Artigo bioterra v1_n1_2019_01
Artigo bioterra v1_n1_2019_01Artigo bioterra v1_n1_2019_01
Artigo bioterra v1_n1_2019_01Revista Bioterra
 

Semelhante a Radiologia Forense (20)

20 radiologia-odontologica
20 radiologia-odontologica20 radiologia-odontologica
20 radiologia-odontologica
 
Técnica radiológica médica básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007
Técnica radiológica médica   básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007Técnica radiológica médica   básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007
Técnica radiológica médica básica e avançada - luiz fernando boisson- 2007
 
Cirurgia radioguiada no câncer de mama
Cirurgia radioguiada no câncer de mamaCirurgia radioguiada no câncer de mama
Cirurgia radioguiada no câncer de mama
 
TCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docx
TCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docxTCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docx
TCC Eryka Gonçalves versao final ENVIADO PELA CRÍSSIA.docx
 
Imaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Imaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxImaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Imaginologia.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIAINTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
 
01 liv rx princ term p rad 01a 62
01  liv rx princ term p rad  01a 6201  liv rx princ term p rad  01a 62
01 liv rx princ term p rad 01a 62
 
Colégio e Curso Parthenoon aula aula.pptx
Colégio e Curso Parthenoon aula aula.pptxColégio e Curso Parthenoon aula aula.pptx
Colégio e Curso Parthenoon aula aula.pptx
 
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
 
A importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia Legal
A importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia LegalA importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia Legal
A importância da qualidade do Exame Radiográfico na Odontologia Legal
 
Medicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia DigitalMedicina nuclear e Radiologia Digital
Medicina nuclear e Radiologia Digital
 
Modulo 21
Modulo 21Modulo 21
Modulo 21
 
Radiologia (1).pptx
Radiologia (1).pptxRadiologia (1).pptx
Radiologia (1).pptx
 
Anat pat
Anat patAnat pat
Anat pat
 
VIRTOPSIA
VIRTOPSIA VIRTOPSIA
VIRTOPSIA
 
VIRTOPSIA
VIRTOPSIA VIRTOPSIA
VIRTOPSIA
 
Qualificação Profissional
Qualificação ProfissionalQualificação Profissional
Qualificação Profissional
 
Antropologia forense
Antropologia forenseAntropologia forense
Antropologia forense
 
Artigo bioterra v1_n1_2019_01
Artigo bioterra v1_n1_2019_01Artigo bioterra v1_n1_2019_01
Artigo bioterra v1_n1_2019_01
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 

Mais de Renata Cristina

Administração hospitalar
Administração hospitalarAdministração hospitalar
Administração hospitalarRenata Cristina
 
Curso de anatomia radiológica exercicios
Curso de anatomia radiológica exerciciosCurso de anatomia radiológica exercicios
Curso de anatomia radiológica exerciciosRenata Cristina
 
Física das Radiações 2a
Física das Radiações 2aFísica das Radiações 2a
Física das Radiações 2aRenata Cristina
 
Proteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestraProteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestraRenata Cristina
 
Equipamentos e acessorios rcvm
Equipamentos e acessorios   rcvmEquipamentos e acessorios   rcvm
Equipamentos e acessorios rcvmRenata Cristina
 
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio  tabalho faculdade unigTecnicas de cranio  tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unigRenata Cristina
 

Mais de Renata Cristina (10)

Administração hospitalar
Administração hospitalarAdministração hospitalar
Administração hospitalar
 
Curso de anatomia radiológica exercicios
Curso de anatomia radiológica exerciciosCurso de anatomia radiológica exercicios
Curso de anatomia radiológica exercicios
 
Anatomia Radiológia
Anatomia Radiológia Anatomia Radiológia
Anatomia Radiológia
 
Anatomia Radiológica
Anatomia RadiológicaAnatomia Radiológica
Anatomia Radiológica
 
Física das Radiações 2a
Física das Radiações 2aFísica das Radiações 2a
Física das Radiações 2a
 
Noçoes de mamografia
Noçoes de mamografiaNoçoes de mamografia
Noçoes de mamografia
 
Proteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestraProteção Radiologica palestra
Proteção Radiologica palestra
 
Equipamentos e acessorios rcvm
Equipamentos e acessorios   rcvmEquipamentos e acessorios   rcvm
Equipamentos e acessorios rcvm
 
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio  tabalho faculdade unigTecnicas de cranio  tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unig
 
Atomística
AtomísticaAtomística
Atomística
 

Radiologia Forense

  • 2. Profª Renata Cristina  Técnica em Radiologia Médica  Técnica em Mamografia  Técnica em Densitometria óssea  Técnica em Tomografia Computadorizada  Técnica em Radiologia Odontológica  Técnica em Imobilização Ortopédica  Graduando em Fisioterapia  Professora em Radiologia e sua especializações desde 2008
  • 3. Ciência Forense  Especialidade que utiliza conhecimento técnico- científico das ciências que subsidiam a medicina, na qual é essencial para a ordem pública e equilíbrio social
  • 4. Radiologia Convencional x Radiologia Forense Imagem : http://portaldaradiologia.com/?p=3752
  • 5. Tecnologias Aplicadas à Radiologia Forense  Hoje, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética são as novas aliadas na área forense. Essas ferramentas constituem um imprescindível protocolo de identificação de pontos craniométricos, isto é, capaz de demonstrar com precisão e, em minutos, resultados que poderiam esperar meses na identificação de estruturas esqueletizadas.  Com a aquisição de software avançados, é possível também realizar reconstrução facial 3D. A ideia é permitir, ampliar informações que ajudem e melhorem as chances de reconhecimentos dos familiares quando são encontrados restos mortais sem identificação.  A ressonância magnética usa também softwares especiais para utilização na imaginologia médica de superposição de imagem, para estudo do método de crânio-foto-comparativo.  Como a ressonância oferece condições de diferenciação tissular, isto é, visualiza melhor partes moles e separa, músculo, gordura, água e outras substâncias, esse método tornou-se uma ferramenta poderosa nas mãos dos peritos.  A espectróscopia por ressonância consegue identificar o uso de drogas em até quem deixou de usar há cinco anos. Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
  • 6. Radiologia Forense  É uma ciência médica, específica, que tem como objetivo avaliar de forma conclusiva e/ou complementar as áreas forenses.  Indicada para estudos ante-mortem e post-mortem.  Métodos radiológicos comparativos: Rx, TC, RM, US e outros.
  • 7. História da Radiologia Forense  Historicamente, a aplicação da radiologia forense foi introduzida imediatamente um ano depois da sua descoberta, em 1895, pelo alemão Wilhem Conrad Rontgen que, no ano seguinte, demonstrou a presença de balas de chumbo na cabeça de uma vítima ferida na guerra. Esse fato foi o pioneiro a ajudar a elucidar a causa da morte.  O registro desse episódio abriu espaço para o uso do método para identificação humana forense.  No ano de 1927 foi relatada a primeira identificação radiológica completa e, em 1951, foi publicado o 1º trabalho a respeito do emprego da técnica radiográfica em um processo de identificação de corpos de um desastre de massa.Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
  • 8. Como entrar na Área  O indivíduo deve buscar, em seguida, um curso de Medicina Legal ou outro na área forense como fazem os médicos e dentistas, que investem e depois se transformam em médico-legista e perito odonto-legal.  Já os Tecnólogos em Radiologia, podem tornar- se peritos criminais e usar seus conhecimentos de imagens para ajudar na esfera jurídica. Isso tudo, após o concurso, é claro, estadual ou federal. Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
  • 9.  O CONSELHO NACIONAL DE TÉCNICOS EM RADIOLOGIA no uso de suas atribuições legais e regimentais, que lhe são conferidas pela lei no 7.394, de 29 de outubro de 1985, e pelo Decerto n.°92.790, de 17 de junho de 1986 e o Regimento Interno do CONTER.  RESOLVE:  Art. 3° – Os procedimentos na área de diagnóstico por imagem na radiologia veterinária, radiologia odontológica e radiologia forense, ficam também definidos como radiodiagnóstico.
  • 10. Radiologia Forense Áreas de Atuação  Instituto Médico Legal;  Em aeroportos;  Na segurança de presídios;  Nas Fronteiras.
  • 11. 1) Realizarexamesradiográficossegundoorientaçãomédica 2) Realizartécnicas deposicionamento 3) ProcessamentodaImagem 4) Acompanhare auxiliaratéo términoda necrópsia,médicoe auxiliar 5) Exercerorientaçãoanatômicaquantoàlocalizaçãodosprojéteis 6) Levaro cadáveratéasaladeraiosX 7) Limparo cadáverparanãodanificarequipamentos,chassisetc 8) Descreverorifícios deentradaesaída,seprecisofor Radiologia Forense Funções
  • 12.
  • 13. Técnicas para Radiografar o Putrefeito  Devidoao baixonível líquido, e elevadonível de gases deve-se utilizar baixas quilovoltagens, em média 15 a 20 KVs
  • 14. Carbonizados  Os corpos carbonizados seguem a mesma rotina:  Crânio AP  Perfil - se houver Projétil (s)  Tórax AP  Abdome AP  MMII – MMSS – se houver entrada sem saída de projéteis
  • 15.
  • 16. Radiologia Forense Identificação Através da Radiologia Forense  Ao encontrar um corpo carbonizado, ou ainda com roupas, é possível, com exame de imagem:  diferenciar detalhes da anatomia que distingue homem e mulher,  densidade mineral óssea, para saber se era jovem ou idoso, ossos do punho para confirmar a idade aproximada do adolescente, se houve fratura no corpo e se foi antes ou depois da morte.  Então, pode-se concluir que a identificação humana é extremamente importante, não só na esfera legal como também na social e, para tanto, a radiologia , assim como a imaginologia médica, contribuem espetacularmente para determinação, com precisão, na identificação de uma pessoa.  Esse método constitui uma ferramenta segura, confiável, rápido e prático, além de barato, se comparado com outros como DNA, de autocusto e de resultado demorado. Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
  • 18. Radiologia Forense Identificação do Sexo  Somente após a puberdade é que se caracteriza o dimorfismo sexual, devido à influência de hormônios, musculatura e ambiente; fazendo com que o esqueleto humano se desenvolva com características diferentes, tais como: cristas, apófises, saliências, rugosidades, entre outras.  Estas estruturas se apresentam de forma mais proeminente e grotesca nos homens.  As estruturas que demonstram características mais seguras na identificação do sexo são as do crânio e da pelve. Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
  • 19.  As estruturas presentes na pelve possuem grandes números de características anatômicas distintas entre os sexos. Radiologia Forense Identificação do Sexo pela Pelve Anatomia HOMEM MULHER Ílio + estreito - profundo - alargado Alargados e rasos no diâmetro AP Arco Púbico Ângulo agudo < 90° Formato “V” Ângulo agudo > 90° Formato “U” Entrada ou abertura Superior + estreita e formato de coração Mais larga e circular
  • 20. Pelve Feminina Pelve Masculina Radiologia Forense Identificação do Sexo pela Pelve
  • 21.  Inúmeros métodos de identificação são aplicados nos restos humanos, tendo como base a comparação de informações ante- mortem e post-mortem existentes. Embora a análise papiloscópica (impressões digitais) seja considerada a mais precisa, existem casos, no qual a identificação pela digital é impraticável.  Casos, tais, como: corpos carbonizados, mutilados, esqueletizados e em avançado estágio de decomposição.  Na impossibilidade de realização de uma identificação por digital, a  odontologia legal se torna uma alternativa extremamente valiosa, devido, à alta resistência dos dentes e de suas restaurações.  Destacando a radiografia odontológica como um subsídio de extrema importância, devido, a enorme quantidade de informações adquiridas.  Comparações radiográficas são técnicas habituais que vem sendo aplicadas na odontologia legal desde antes da década de 1940, possibilitando uma identificação científica segura.  Segundo Mailart, dentre as radiografias mais utilizadas na identificação de corpos pela perícia odonto-legal estão, do crânio, da face e dos dentes. Radiologia Forense Odontologia Legal
  • 22.  Radiografia Panorâmica A figura representa uma análise comparativa feita entre uma radiografia ante- mortem e pós-mortem que consegue demonstrar os dentes, mandíbula, maxila e alguns ossos da face, com apenas uma exposição.  A: demonstra coincidências na composição dentária  B: correlação entre os seios maxilares  C: existência de material, de formação artificial em regiões de fraturas localizadas na mandíbula. Radiologia Forense Odontologia Legal
  • 23.  As imagens panorâmicas são realizadas com o paciente sentado ou em ortostase e em posição estática, o que dificulta o posicionamento devido à rigidez cadavérica e torna necessárias adaptações para melhor proceder ao exame.  Agora com o processo de digitalização de imagem, a radiografia pode ser scaneada e manipulado através de softwares, utilizado para realçar as bordas ou aumentar o contraste da imagem, ou mesmo ser adquirida através de um processo totalmente digitalizado, que evite a possível perda de fonte de provas materiais, devido, ao processamento radiográfico. Imagem : http://www.orthodonticproductsonline.com/2014/05/instrumentarium-dental-unveils-op300-maxio-aao/ Radiologia Forense Odontologia Legal
  • 24.  Na estimativa de idade em crianças ou jovens, obtêm-se intervalos temporais que englobe a idade real do indivíduo.  A literatura estabelece diversas estimativas de idades através de parâmetros anatômicos ósseos, tais como a sinostose da sutura palatina mediana, e das suturas encontradas no crânio, ossificação do osso hióide, dos ossos do carpo, e fechamento epifisário dos ossos longos, principalmente rádio e ulna.  A fase de transição entre o final da adolescência e a fase adulta, se caracteriza pela complexidade na determinação da idade através de exames periciais.  Dentre os critérios de análise óssea, a utilização de tabelas que indicam intervalos de idade mínimos e máximos para o fechamento epifisário distal do rádio e ulna, são subsídios extremamente confiáveis. Radiologia Forense Estimativa de idade pela articulação do punho
  • 25.  As Radiografias do punho é um subsídio valioso para a identificação da idade até determinado estágio da vida, estimando a idade pelo período de desenvolvimento dos ossos do carpo, como demonstra a tabela a seguir: Radiologia Forense Estimativa de idade pela articulação do punho
  • 26. Radiologia Forense Estimativa de idade pela articulação do punho
  • 27.  Descrição do caso Corpo encontrado carbonizado no interior de um veículo, sexo masculino, caracterizado na fase adulta. Durante os procedimentos necroscópicos foram identificadas fraturas no crânio, nas epífises distais dos antebraços e nas pernas, provocadas pela carbonização. Na averiguação deste caso, os supostos familiares apresentaram uma documentação odontológica, e duas radiografias da articulação do punho direito que apresentava a presença de uma cirurgia para redução de fratura, utilizando uma placa de compressão em T, do tipo Ellis, e três parafusos corticais de diferentes comprimentos. Radiologia Forense Estimativa de idade pela articulação do punho
  • 28.  Os seios frontais são estruturas anatômicas irregulares, que se encontram pareadas e posteriores aos arcos superciliares.  A identificação pelos seios frontais se dá pela sua unicidade, assim como as impressões digitais, não havendo duas pessoas que possuam seios frontais iguais, mesmo se tratando de gêmeos idênticos.  Localizados bilateralmente, não estão presentes ao nascimento, só iniciam seu desenvolvimento, por volta dos 2 e 3 anos de idade, tendo na puberdade um maior desenvolvimento, sua aeração se torna visível radiograficamente, a partir dos 5 ou 6 anos de idade, tendo seu desenvolvimento completo por volta dos 20 anos.  As variações em tamanho, forma, simetria, bordas externas, e a presença e número de células e septos são comparados utilizando radiografias e/ou tomografias computadorizadas ante-mortem e post-mortem.  A facilidade de visualização dos seios frontais em uma radiografia, a peculiaridade das estruturas, a rapidez e o baixo custo fazem com que as radiografias dos seios frontais, sejam subsídios viáveis e extremamente confiáveis no processo de identificação humana. Radiologia Forense Seios Frontais na Identificação Humana
  • 29.  Ante-mortem Post - mortem Radiologia Forense Seios Frontais na Identificação Humana
  • 30.
  • 36.
  • 38.
  • 40. No exame de raio X, a prova do crime: cada preso escondia em seu corpo, no reto, um aparelho de telefone celular e um pedaço de serra.
  • 45.  Atualmente a Ciência Forense vem se aperfeiçoando e inúmeras são suas aplicações.  A Virtópsia nasce com a introdução da Tomografia Computadorizada (TC) e da Ressonância Magnética (RM) no exame cadavérico.  Com a TC é possível obter imagens digitais com secção transversal a partir de projeções radiográficas transaxiais e reconstrução em 2D e 3D.  A Tomografia Multislice tem grande aplicação na abordagem antropológica para determinação da idade, com mensuração óssea em ângulos diferentes, propiciado pela reconstrução em 3D.  Também é possível diagnosticar com certeza, um caso de hemorragia extrapleural no denominado sinal do “Ápice em Chapéu”, que pode indicar ruptura de Aorta ou hemorragia extrapleural.  Além de apresentar Vantagens quanto a análise mais detalhada de fraturas, de patologias específicas, de reações vitais, reconstrução de lesões, de coleções aéreas provenientes de eventos embólicos, enfisema subcutâneo de natureza traumática e etc.  Também possibilita a suspeição de afogamento quando achado fluido espumoso nas vias aéreas, e/ou opacidade em vidro fosco dos pulmões. Com a Micro-TC, os padrões de lesões ósseas podem ser vinculados a instrumentos vulnerantes específicos como facas. Radiologia Forense Virtópsia
  • 48.  Identificar o tipo de lesão, gravidade e segmento atingido;  Especificar o relatório de Autópsia. Radiologia Forense Lesões ÓSSEAS
  • 49. Profª Renata Cristina – renatacvm@gmail.com - 21 964721424
  • 50.
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57. Referencias  BONTRAGER, L Kenneth. Tratado de técnica radiológica e base anatômica.5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.  Andrade, S A F , aaTUAÇÃO DO Técnico e do Técnologo em Radiologia na área Forense, revista UNILUS Ensino e Pequisa, v.13, n.30, jan/mar. 2016  http://radiologia.blog.br/diagnostico-por-imagem/conheca-a-area-da-radiologia-forense  Rodrigo Pigozzi de Carvalho: Radiologia forensse – disponivel em: http://playmagem.com.br/portal/2014/05/21/radiologia-forense/ (16/10/2017)  RADIOLOGIA FORENSE - Herculys Douglas Teresina 2014  Radiologia forense – Cristiano Jorge
  • 58.