USO DA TERMOGRAFIA EMROLOS REVESTIDOS   USE A QUALIDADE DESTA MARCA
USO DA TERMOGRAFIA EM     ROLOS REVESTIDOSSempre visando a melhoria das jornadas dos rolosrevestidos, a ATB S/A, traz para...
USO DA TERMOGRAFIA EM      ROLOS REVESTIDOSCONCEITO:Todos objetos irradiam raios infravermelhos. A quantidade deenergia ir...
USO DA TERMOGRAFIA EM    ROLOS REVESTIDOSPRINCIPAIS VANTAGENS:-TESTE NÃO DESTRUTIVO.-TESTE REALIZADO COM A MÁQUINA EM OPER...
USO DA TERMOGRAFIA EM  ROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:    PERFIL IDEAL Neste caso, podemos notar a temperat...
USO DA TERMOGRAFIA EM         ROLOS REVESTIDOS        ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:   -PERFIL IRREGULARLC = 33,8 ºC       ...
USO DA TERMOGRAFIA EM         ROLOS REVESTIDOS        ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:   -PERFIL IRREGULARLC = 39,9 ºC       ...
USO DA TERMOGRAFIA EM     ROLOS REVESTIDOS   ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: -PICO DE TEMPERATURA EM ÁREA ESPECÍFICA        ...
USO DA TERMOGRAFIA EM  ROLOS REVESTIDOS  ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:-GERAÇÃO DE CALOR NAS REGIÕES DE MANCAIS            ...
USO DA TERMOGRAFIA EMROLOS REVESTIDOS    ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:                         Notamos que a geração de ca...
USO DA TERMOGRAFIA EMROLOS REVESTIDOS  ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:                           O revestimento da prensa do...
USO DA TERMOGRAFIA EM       ROLOS REVESTIDOSQuando combinamos o uso daTermografia com a impressãode nip, podemos obterresu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação termografia

539 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação termografia

  1. 1. USO DA TERMOGRAFIA EMROLOS REVESTIDOS USE A QUALIDADE DESTA MARCA
  2. 2. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOSSempre visando a melhoria das jornadas dos rolosrevestidos, a ATB S/A, traz para o mercado aANÁLISE TERMOGRÁFICA. Este novo serviçoajudará não só identificar situações queinfluenciam no desempenho do rolo revestido emmáquina, como também auxiliará o usuário checaralguns outros elementos que irão propiciar amelhoria de sua qualidade e produtividade. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  3. 3. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOSCONCEITO:Todos objetos irradiam raios infravermelhos. A quantidade deenergia irradiada se baseia em dois fatores principais: atemperatura da superfície do objeto e a emissividade da superfície.A CÂMERA detecta os raios do objeto e utiliza estasinformações para estimar as temperaturas. Estas imagens sãotransferidas para um computador que através de programasespecíficos analisarão a imagem, fornecendo dados preciosos paraavaliação do correto uso de um ROLO REVESTIDO e também deoutros elementos da máquina. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  4. 4. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOSPRINCIPAIS VANTAGENS:-TESTE NÃO DESTRUTIVO.-TESTE REALIZADO COM A MÁQUINA EM OPERAÇÃO.-RESULTADOS IMEDIATOS.-VISUALIZAÇÃO TÉRMICA TOTAL DO ROLO MOSTRANDO.AS DIFERENÇAS DE TEMPERATURA EM TODA SUAEXTENSÃO .- LEITURAS EFETUADAS SEM A UTILIZAÇÃO DE FLASH. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  5. 5. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: PERFIL IDEAL Neste caso, podemos notar a temperatura bastante homogênea ao longo do comprimento, o que demonstra que o perfil do bombê está correto. Centro = 35,4 ºCLA = 35,9 ºC LC = 36,1 ºC A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  6. 6. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: -PERFIL IRREGULARLC = 33,8 ºC CENTRO = 39,9 ºC LA = 34,1 ºCNo revestimento desta prensa encontramosuma temperatura superior na região centralpodendo indicar um EXCESSO deabaulamento. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h aRecomendamos efetuar uma Impressão de R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  7. 7. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: -PERFIL IRREGULARLC = 39,9 ºC CENTRO = 33,4 ºC LA = 39,5 ºCNo revestimento desta prensa encontramosuma temperatura inferior na região centralpodendo indicar uma FALTA de abaulamento.Recomendamos efetuar uma Impressão de A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h aNip R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  8. 8. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: -PICO DE TEMPERATURA EM ÁREA ESPECÍFICA 15 dias após a TermografiaRegião com Pico de Temperatura A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  9. 9. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS:-GERAÇÃO DE CALOR NAS REGIÕES DE MANCAIS Prevenção tanto para os rolamentos, quanto para o Revestimento, evitando que os mesmos trabalhem fora da temperatura especificada. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  10. 10. USO DA TERMOGRAFIA EMROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: Notamos que a geração de calor na região de mancal, está transferindo calor ao núcleo metálico, fato que com o tempo levará a uma carbonização dos adesivos, ocasionando a soltura do Revestimento. Uma vistoria nos rolamentos, tipo de lubrificantes e refrigeração do rolo deverão ser feitas com urgência. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  11. 11. USO DA TERMOGRAFIA EMROLOS REVESTIDOS ALGUMAS SITUAÇÕES DETECTADAS: O revestimento da prensa do monolúcido apresenta alteração da temperatura de 10°C em uma região onde pode ocorrer soltura do revestimento. Este fator é resultante de uma possível deformação do revestimento ou até mesmo do perfil do monolúcido. Recomendamos para este caso uma análise urgente do perfil do monolúcido e uma reavaliação do dimensional do revestimento. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r
  12. 12. USO DA TERMOGRAFIA EM ROLOS REVESTIDOSQuando combinamos o uso daTermografia com a impressãode nip, podemos obterresultados fantásticos, quepoderão auxiliar naregularização de umidade emtoda a largura da folha,determinação de pressões ebombês ideais, entre outros. A T B S /A A r te fa to s T é c n ic o s d e B o r r a c h a R E V E S T IM E N T O D E C IL IN D R O S S it e : w w w .a tb .c o m .b r e -m a il: a tb @ a t b .c o m .b r

×