O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Produção de Redes de Cuidado para Atenção
Integral à Saúde da Pessoa em Situação de
Violência na Cidade de São Paulo
Autor...
Introdução
A violência é um problema de grande magnitude que afeta as
diferentes camadas sociais e diferentes faixas etári...
Objeto da Experiência
Processo educativo para implantação da linha de cuidado e
construção da rede de atenção integral à s...
Objetivo
Descrever e analisar o processo de educação permanente que
envolveu os profissionais da saúde e a rede intersetor...
Metodologia
• Formação de um comitê executivo, responsável pela gestão e
condução de um curso de aprimoramento e do proces...
Estratégias Metodológicas
• Plenárias com especialista: evento semestral com 4 horas de
duração para subsidiar as discussõ...
Estratégias Metodológicas
• Educação à distância (EAD): em complemento ao curso
presencial, utilizando a plataforma Moodle...
Participantes
• Profissionais da Secretaria Municipal da Saúde da Cidade de São
Paulo (SMS): interlocutores da área de Ate...
Resultados
• Participaram do processo de EPS 1300 (mil e trezentos)
profissionais.
• Elaboração de projetos de intervenção...
Análise Crítica
• A implantação da linha de cuidado ocorreu de forma diferente nas
Coordenadorias Regionais de Saúde, em f...
Conclusão
Os processos de mudança nos serviços de saúde do SUS, a partir da
reorganização do processo de trabalho, deve te...
Obrigada!
fatimalico@gmail.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Produção de Redes de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa em Situação de Violência na Cidade de São Paulo

79 visualizações

Publicada em

Pôster apresentado no CRICS10, no eixo temático de Gestão do Conhecimento

Publicada em: Saúde
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Produção de Redes de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa em Situação de Violência na Cidade de São Paulo

  1. 1. Produção de Redes de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa em Situação de Violência na Cidade de São Paulo Autores: Fátima Madalena de Campos Lico; Betina Black Dalarmelino – Carmen Tereza Gonçalves Trautwein – Escola Municipal de Saúde - Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo (SMS); Ruy Paulo D’ Elia Nunes, Maria Lucia Aparecida Scalco – Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA/SMS; Nelson Figueira Junior – Área Técnica de Atenção Integral à Pessoa em Situação de Violência (SMS).
  2. 2. Introdução A violência é um problema de grande magnitude que afeta as diferentes camadas sociais e diferentes faixas etárias, devendo ser compreendido dentro dos marcos históricos socioeconômicos, políticos e culturais que vão determinar as desigualdades de poder nas relações de gênero, raça/cor, etnia e outras. Na saúde o atendimento da pessoa que sofre violência é um grande desafio e envolve uma série de ações específicas de cuidado. Destaca-se nesse estudo: • Implantação da Linha de Cuidado de Atenção Integral à Pessoa em Situação de Violência por meio de um processo de Educação Permanente em Saúde (EPS) • Período: agosto de 2016 a fevereiro de 2018.
  3. 3. Objeto da Experiência Processo educativo para implantação da linha de cuidado e construção da rede de atenção integral à saúde da pessoa em situação de violência.
  4. 4. Objetivo Descrever e analisar o processo de educação permanente que envolveu os profissionais da saúde e a rede intersetorial, para a implantação da linha de cuidado e construção da rede de atenção integral à saúde da pessoa em situação de violência.
  5. 5. Metodologia • Formação de um comitê executivo, responsável pela gestão e condução de um curso de aprimoramento e do processo educativo (2015). • Estudo descritivo, do tipo relato de experiência de ações educativas, fundamentado na estratégia educação permanente e na metodologia da problematização; • Foi desenvolvido a partir de ofertas teóricas, discussão de casos e práticas de intervenção, com momentos de concentração e dispersão nos territórios.
  6. 6. Estratégias Metodológicas • Plenárias com especialista: evento semestral com 4 horas de duração para subsidiar as discussões de casos e aprofundar as diversas temáticas relacionadas à implantação da linha de cuidado. • Rodas de debate: realizadas trimestralmente no estúdio da Escola Municipal de Saúde e transmitidas pela TV Canal Profissional - São Paulo Saudável, com participação dos profissionais dos Núcleos de Prevenção de Violência dos serviços de saúde, enviando perguntas ao vivo.
  7. 7. Estratégias Metodológicas • Educação à distância (EAD): em complemento ao curso presencial, utilizando a plataforma Moodle para disponibilização de material didático e das avaliações. • Narrativas: relatar ações, experiências, sentimentos e reações às mudanças durante o processo em desenvolvimento. • Plano de intervenção: implantar a linha de cuidado e fortalecer os Núcleos de Prevenção de Violência na Atenção Primária à Saúde. • Seminário: apresentar os planos de intervenção e a avaliação de todo o processo.
  8. 8. Participantes • Profissionais da Secretaria Municipal da Saúde da Cidade de São Paulo (SMS): interlocutores da área de Atenção à Pessoa em Situação de Violência, profissionais da área da Vigilância em Saúde, dos Núcleos de Prevenção de Violências; • Profissionais da Rede de proteção dos territórios das seis CRS de Saúde.
  9. 9. Resultados • Participaram do processo de EPS 1300 (mil e trezentos) profissionais. • Elaboração de projetos de intervenção intersetoriais. • Fortalecimento de uma rede integrada de cuidado às pessoas em situação de violência; • Consolidação dos fluxos assistenciais; de vigilância, e competências de cada um dos níveis do cuidado; • Criação de espaços de diálogo estimulando iniciativas de promoção de saúde e identificação de estratégias de proteção e de garantia de direitos.
  10. 10. Análise Crítica • A implantação da linha de cuidado ocorreu de forma diferente nas Coordenadorias Regionais de Saúde, em função das especificidades locais e subjetividades dos atores sociais envolvidos nesse processo. • Possibilitou o protagonismo dos trabalhadores de saúde para desenvolverem ações de prevenção, de assistência, de vigilância e de promoção da autonomia das pessoas em situação de violência, • Possibilitou a articulação intersetorial para definição de fluxos e competências nos diferentes níveis da assistência.
  11. 11. Conclusão Os processos de mudança nos serviços de saúde do SUS, a partir da reorganização do processo de trabalho, deve ter como pressuposto a educação permanente dos trabalhadores da saúde. É uma estratégia eficaz para agregar novos conhecimentos às equipes, aos diferentes atores do território e torná-los protagonistas dos processos de produção de cuidado.
  12. 12. Obrigada! fatimalico@gmail.com

×