Teoria da Burocracia

1.262 visualizações

Publicada em

Slides da abordagem burocrática abordada nos cursos de Ciências Contábeis, Administração e Ciências Econômicas.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria da Burocracia

  1. 1. EtimologiaEtimologia :: 1. Burrus (latim) Cor escura e triste 2. Bure (francês) Tecido escuro colocado sobre as escrivaninhas das repartições públicas 3. Bureau (francês) Primeiro, mesa coberta por bure; depois, todo o escritório 4. Kratos (grego) Poder 5. Bureau + kratos = Bureaucratie
  2. 2. Termo crítico e debochado atribuído ao ministro francês Jean-Claude Marie Vincent, no século XVIII, para designar o exercício do poder por funcionários de escritórios Origem do termoOrigem do termo
  3. 3. Origem da teoria  A fragilidade e a parcialidade da Teoria Clássica e da Teoria das Relações Humanas  A necessidade de um modelo de organização racional  O crescente tamanho e complexidade das empresas  O ressurgimento da sociologia da Burocracia
  4. 4. Tipo ideal deTipo ideal de BurocraciaBurocracia  Divisão de trabalho  Hierarquia de autoridade  Seleção formal  Regras e regulamentos formais  Impessoalidade  Orientação de carreira
  5. 5. Tipos de sociedade x Tipos de autoridade (Max Weber) Sociedade tradicional x Autoridade Tradicional Sociedade carismática x Autoridade Carismática Sociedade legal, racional ou burocrática x Autoridade Legal, Racional ou Burocrática
  6. 6. Tipo ideal de Autoridade  FORMALIDADE  IMPESSOALIDADE  PROFISSIONALISMO
  7. 7. Características segundo Weber 1. Caráter legal das normas e regulamentos 2. Caráter formal das comunicações 3. Caráter racional e divisão do trabalho 4. Impessoalidade nas relações 5. Hierarquia da autoridade
  8. 8. 6. Rotinas e procedimentos padronizados 7. Competência técnica e meritocracia 8. Especialização da administração 9. Profissionalização dos participantes 10. Completa previsibilidade do funcionamento
  9. 9. Vantagens segundo Weber 1. Racionalidade 2. Precisão na definição do cargo e na operação 3. Rapidez nas decisões 4. Univocidade de interpretações 5. Uniformidade de rotinas e procedimento favorável à padronização
  10. 10. 6. Continuidade da organização 7. Redução do atrito entre as pessoas 8. Constância 9. Confiabilidade 10. Benefícios sob o prisma das pessoas na organização.
  11. 11. Disfunções segundo Merton 1. Internalização e apego aos regulamentos 2. Formalismo e papelório 3. Resistência às mudanças 4. Despersonalização do relacionamento
  12. 12. 5. Categorização no processo decisório 6. Superconformidade 7. Exibição de sinais de autoridade 8. Dificuldade com clientes
  13. 13. Vídeo extraído do “Jornal da Globo”Vídeo extraído do “Jornal da Globo” Em 25.10.2007Em 25.10.2007
  14. 14. Sátira: “Comédia MTV – O despachante”Sátira: “Comédia MTV – O despachante”
  15. 15. Apreciação Crítica  O excessivo racionalismo  Mecanicismo e as limitações da “teoria da máquina”  Conservantismo  Abordagem de sistema fechado
  16. 16.  Abordagem descritiva e explicativa  Multivariadas (não inclusão da organização informal, distinção exagerada dos tipos de autoridade e negação do conflito)
  17. 17. Os graus deOs graus de burocratizaçãoburocratização Falta de especialização bagunça, confusão Falta de autoridade Liberdade excessiva Ausência de papelório Informalidade Ênfase nas pessoas Apadrinhamento Excesso de exigência Ênfase nos cargos Excesso de papelório Formalismo Ordem e disciplina Autoridade, autocracia e imposição Superespecialização responsabilidade DIVISÃO DO TRABALHO HIERARQUIA REGRAS E REGULAMENTOS FORMALIZAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES IMPESSOALIDADE SELEÇÃO E PROMOÇÃO DO PESSOAL DESORDEM EFICIÊNCIA RIGIDEZ
  18. 18. Fim

×