Mojarutap MyrytsiowitCama de GatoProfª Therezinha - 5º D
Brincadeira de índiosAs crianças das aldeias adoram se divertir com brincadeiras, jogos e brinquedos muitoparecidos com os...
Logo nas primeiras visitas, os estudiosos perceberam que crianças,jovens e adultos brincavam muito nas ruas das aldeias. 0...
- Agora, sabemos que os índios têm atividades usadas só para passar otempo - explica o pesquisador.Na aldeia Meruri, no Ma...
Os pesquisadores levaram 24 horas em avião e barco para chegar auma aldeia dos Mayoruna, que fica no vale do rio Javari, n...
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Ihkã Cahhêc Xá
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ihkã Cahhêc Xá

233 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
233
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ihkã Cahhêc Xá

  1. 1. Mojarutap MyrytsiowitCama de GatoProfª Therezinha - 5º D
  2. 2. Brincadeira de índiosAs crianças das aldeias adoram se divertir com brincadeiras, jogos e brinquedos muitoparecidos com os de meninas e meninos da cidadeBrincadeira de peteca? perna de pau? 0 boliche que os americanos veneram?Quebra-cabeça? Jogo de dados? Bola de gude? Que coisa antiga! Muito antes de ohomem branco chegar ao Brasil, descobrir as terras daqui e achar-se dono absolutode tudo, as crianças de cor amarela, cabelo preto liso e escorrido, que não falavamportuguês e andavam naturalmente nuas já brincavam assim. Elas não tinham osrecursos que os brinquedos e jogos têm hoje, mas a essência era a mesma. Talvezaté melhor. Até hoje, as crianças das aldeias brincam dessa forma.Uma equipe de pesquisadores da empresa Origem Jogos Indígenas rodou por váriastribos e aldeias espalhadas pelo país. Filmou e produziu um documentário. Hoje, 19de abril, data em que se comemora o Dia do índio, você vai conhecer essasbrincadeiras, brinquedos e jogos.A maioria deles é muito parecida com as brincadeiras que você faz no pátio da escola,em casa, na quadra ou no shopping. A descoberta só reforça a idéia de que herdamosmuita coisa dessa gente, como tomar banho diário, a rede para tirar aquela soneca ea deliciosa tapioca.Para saber a origem dos jogos, brinquedos e brincadeiras, os pesquisadoresvisitaram, com autorização da Funai, oito aldeias diferentes do país, como a tribo doskamaiurá, no Alto Xingu, os Bororo da aldeia Meruri e os Pareci da aldeia JM, ambasem Mato Grosso, além dos Terena, da aldeia Cachoeira, em Mato Grosso do Sul.
  3. 3. Logo nas primeiras visitas, os estudiosos perceberam que crianças,jovens e adultos brincavam muito nas ruas das aldeias. 0pesquisador Maurício Lima conta que o mais impressionante foi asemelhança da diversão dos índios com jogos comuns aos dasociedade brasileira. Foram descobertas mais de 40 brincadeiras.Em algumas aldeias eles fazem até apostas, como no caso daFormoso, no Mato Grosso. Em todos os jogos de dados (eleschamam de rifa) apostavam flechas e cestos, mas atualmentepreferem os cigarros, canivetes e sabonetes. Antes da pesquisa,acreditava-se que as brincadeiras dos índios eram apenas umaforma de passar às crianças ensinamentos de sobrevivência. Umexemplo pode ser visto no uso do arco e da flecha tanto para a caçaquanto para se defender.
  4. 4. - Agora, sabemos que os índios têm atividades usadas só para passar otempo - explica o pesquisador.Na aldeia Meruri, no Mato Grosso, os Bororo já conheciam os jogos deestratégias e as crianças brincam de peteca e com o jogo cama-de-gato,com desenhos inspirados na cultura deste povo. Os Canela, noMaranhão, conhecem um quebra-cabeça considerado um clássico pelasimplicidade da idéia e engenhosidade da solução. Eles chamam o jogopelo nome de Ihkã Cahhêc Xá. Além disso, os pesquisadores registraramnesta aldeia muitas brincadeiras que as crianças da cidade praticam nodia-a-dia, como pular corda, batalha de pião, perna de pau, estilingue.Já na aldeia Vendaval, à beira do rio Solimões, no estado do Amazonas,as crianças e adolescentes Ticuna utilizam jogos muito originais emateriais da Floresta Amazônica para criar seus brinquedos. Oscampeonatos de bilboquê são muito disputados. O bilboquê é fabricadocom castanha de uma fruta encontrada na floresta. No jogo de bola degude, as regras são as mesmas que conhecemos, mas as bolinhas sãofeitas de barro e o nome do jogo é nigütaruü.
  5. 5. Os pesquisadores levaram 24 horas em avião e barco para chegar auma aldeia dos Mayoruna, que fica no vale do rio Javari, na fronteira doBrasil com o Peru, no estado do Amazonas.Esse povo só foi localizadona década de 70. Conhece brinquedos como o pião, o zunidor e umaespécie de bumerangue, denominado na língua deles de bincate. Ascrianças utilizam muito o arco e a flecha no momento em que sepreparam para a vida adulta. Os Mayoruna são muito bons caçadores epescadores.CAMA-DE-GATO - Neste jogo, chamado de Mojarutap Myrytsiowit, os índiosKamaiurá criam diferentes figuras, demonstrando habilidade manual eoriginalidade. Eles usam fio de tecido de buriti.As figuras são ligadas à culturaindígena, como morcegos, gaivotas, peixinhos, tucunaré e cobra.Fonte: http://pib.socioambiental.org/es/noticias?id=32330

×