FOTO:FABIOCORDEIRO/ED.GLOBO
Aos 30 anos, ela se aventura pela primeira vez como
diretora da série Só Garotas, depois de te...
GOSTO DE ESTAR
TRABALHANDO,DE
ESTAR CRIANDO,
ESSA É A MINHA
MOTIVAÇÃO.
GOSTO DO
PROCESSO DE
FAZER,PORQUE
VOCÊ APRENDE
FAZE...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mil e uma facetas monet133 - abril2014

142 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Mil e uma facetas monet133 - abril2014

  1. 1. FOTO:FABIOCORDEIRO/ED.GLOBO Aos 30 anos, ela se aventura pela primeira vez como diretora da série Só Garotas, depois de ter se consagrado como atriz na televisão e no cinema Mil e uma facetas Comosurgiuaideiadefazeressasérie? Na verdade, a série foi uma ideia minha com mais duas amigas. Começamos a nos encontrar uma vez por semana para escrever histórias engraçadas sobre nós e sobre nossas amigas, e conversar um pouco sobre o mundo feminino carioca. A gente começou a escrever e um dia apresentei o projeto ao canal. Porqueaescolhade,destavez,ficar atrásdascâmeras? Estou envolvida mais na parte de criação do programa e senti que poderia acres- ILHA DE UMA ROTEIRISTA e de um técnico de som de cinema, Maria Flor desde ce- do se acostumou às câmeras. Não é à toa que em pouco mais de dez anos de carreira, ela tenha conseguido papéis de desta- que, como a protagonista da série Aline e a participação no longa 360 (2011), de Fernando Meirelles, no qual contrace- nou com o galês Anthony Hopkins. Hoje, a carioca se arrisca em mais um importante papel: o de diretora. Atrás das câmeras, ela comanda a série Só Garotas, sobre as situações cômicas e dramáticas da vida de quatro jovens do Rio de Janeiro, que conta no elenco com Flora Diegues, Vitória Frate, Julia Stockler e Liliana Castro. Em entrevista exclusi- va à MONET, a artista contou como amadureceu como profissional e o que espera da carreira. de serem quatro meninas, cada uma com a sua questão na vida, cada uma com o seu romance. Acho também que o humor da gente é inspirado muito em Girls, mas Só Garotas é uma produção menor, muito mais familiar, e tem a cara das atrizes que a fizeram, tem a minha cara, tem a cara das roteiristas. Temalgumdiretordetelevisãoou cinemanoqualvocêseinspirououse espelhouparadirigirasérie? Todos os diretores com quem trabalhei me inspiraram muito. Mas há dois que não conheço, só assisti aos seus trabalhos, que brinco que são quem eu gostaria de ser. A Sofia Coppola por um lado, e o [John] Cassavetes por outro. Vocêfezcinema,novelasnaTVaberta, protagonizouasérieAlineeagoraé diretoradeSóGarotas.Entretodoses- sespapéisquejáassumiu,qualéoseu preferidoequaléomaisdifícil? São funções muito diferentes. A função de diretora é muito diplomata e, ao mesmo tempo, carismática para fazer com que as pessoas briguem pelo seu projeto. Porque o cinema é, na verdade, uma função muito solitária, você preci- sa fazer com que as pessoas estejam do seu lado e comprem a sua briga, façam aquilo porque gostam do projeto. É uma coisa muito diferente de ser atriz. Ser atriz é uma função ao mesmo tempo solitária e muito criativa, muito sonha- dora. São coisas muito diferentes. Não tenho como dizer do que eu gosto mais. Gosto de tudo. Gosto de estar traba- lhando, de estar criando, essa é a minha motivação. Gosto do processo de fazer, porque você aprende fazendo. Quaissãoosprojetosparaesteano, alémdeSóGarotas? Tem O Rebu [próxima novela do diretor José Luiz Villamarim], e vou fazer o filme do José Eduardo Belmonte [chamado A Magia do Mundo Quebrado], que já era um diretor com quem eu queria muito trabalhar, corri muito atrás dele. Qualéoseuobjetivonacarreira?Para ondevocêestáselevando? Não faço a menor ideia. Gostaria de di- rigir um longa nos próximos dois anos. É uma coisa que gostaria muito de fazer. Acho que, como atriz, graças a Deus, e graças a um investimento meu também, sempre fui muito feliz, sempre trabalhei com diretores que queria trabalhar. centar muito mais como criadora, como diretora, como roteirista, do que como atriz. Também acho que as personagens tinham que ser um pouco mais jovens. Qualfoiomaiordesafiodessetrabalho? Foram tantos desafios. Acho que dirigir é um conjunto de coisas. Tem que ter firmeza das suas decisões, delicadeza com as pessoas, clareza de fazer as pessoas entenderem o que você quer e o que você espera delas. O processo todo foi um grande desafio. Mas acho que cumpri o plano: consegui fazer em qua- tro semanas 13 episódios de 24 minu- tos. Acho que esse foi o maior desafio. Você se surpreendeu consigo mesma durante as gravações? Descobriu alguma habilidade que não imaginava possuir depois de estrear na direção? Você cria uma visão do processo todo que é muito interessante. Porque, como ator, você decora o texto, pensa no seu personagem, nos personagens com os quais você se relaciona em cena, e na história. Acaba dando o seu depoimento como ator e servindo à história. E quan- do você é diretor, tem que olhar não só para os atores, não só para cada perso- nagem, como também para a direção de arte, para o figurino, se a coreografia é aquilo que você esperava, se o plano é aquele que você gostaria que fosse. Você é o responsável pelo todo, pelo conjun- to da obra e não só por uma parcela. Descobri que tenho essa visão. Só Garotas é muito parecida com Girls,sérieamericanacriadaporLena Dunham. Foiumainspiração? Girls é nossa grande inspiração. Tem muita coisa que a gente traz de lá; o fato por RaquelTemistocles [ MARIA FLOR ] F SÓ GAROTAS I A PARTIR DO DIA 9,QUARTAS,21H30, MULTISHOW,42 E 542 (HD) 32+Mo net+ABRIL 133PingMariaFlor.indd 32 18/03/2014 18:19:59
  2. 2. GOSTO DE ESTAR TRABALHANDO,DE ESTAR CRIANDO, ESSA É A MINHA MOTIVAÇÃO. GOSTO DO PROCESSO DE FAZER,PORQUE VOCÊ APRENDE FAZENDO” ABR IL+ Mon et+ 3 3 133PingMariaFlor.indd 33 18/03/2014 18:20:01

×