Automatizando mudanças na Engenharia Dirigida a Modelos

429 visualizações

Publicada em

Apresentação de Resumo do Artigo entitulado Automating Change Evolution in Model-Driven Engineering de Jeff Gray, Yuehua Lin and Jing Zhang

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
429
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Automatizando mudanças na Engenharia Dirigida a Modelos

  1. 1. AutomatizandoMudanças na Evoluçãoda Engenharia Dirigidaa ModelosRayane Meneses da Silva – meneses.matemática@gmail.comRaquel Machado de Sousa – rachel.msousanet@gmail.comDISCIPLINA: ENGENHARIA E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMASPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA ELETRICIDADEUNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA
  2. 2. INTRODUÇÃO A complexidade crescente de modelos de software e do sistema é o que torna difícil explorarrapidamente os efeitos de uma decisão de projeto. Surge a necessidade urgente de administrar a mudança da evolução complexa dentro domodelo de representação. Ferramenta que simula cada nova configuração do projeto.◦ Deve acomodar duas categorias de mudanças◦ A primeira categoria inclui mudanças que cortam a hierarquia da representação do modelo.◦ A segunda categoria envolve ampliação de partes do modelo de uma preocupação especial naconcepção de, em tempo real, sistemas de larga escala distribuídos embutidos, que podem ter milharesde componentes de granularidade alta. Ambas as categorias da mudança da evolução beneficiaria muito com a automação.
  3. 3. C-SAW Desenvolveu-se um mecanismo de transformação usado para manipular modelos chamado C-SAW (Aspect Weaver Constraint-Specification). C-Saw é um plug-in para o Ambiente de Modelagem Genérico (GME) da Universidade deVanderbilt.O GME é um conjunto de ferramentas configurável que apoia a criação de ambientes demodelagem específicas de domínio.
  4. 4. TRANFORMAÇÃO DE MODELOAUTOMATIZADO A ideia de transformação do modelo é permitir automação que irá remover complexidades deprojeto acidentais no processo de modelagem. A transformação do modelo pode assumir uma das duas abordagens:◦ transformação de modelo para código◦ de modelo para modelo
  5. 5. LINGUAGEM DETRANSFORMAÇÃO DE MODELOS Existem várias ferramentas de modelagem, para apoiar a automatização de transformação domodelo. É essencial que os engenheiros e desenvolvedores usem uma linguagem para especificar eexecutar as transformações desejadas de modelo. Essa linguagem deve ter duas características principais:◦ Deve ser focada em um determinado domínio ou contexto do usuário;◦ Deve abordar tarefas específicas da evolução do modelo.
  6. 6. LINGUAGEM DETRANSFORMAÇÃO DE MODELOS Para atender a esses requisitos a C-SAW usa a Linguagem de Restrição Incorporada (ECL) queuma extensão para a Linguagem de Restrição a Objeto (OCL). ECL reflete conceitos do domínio de modelagem do usuário e permite que os engenheiros domodelo refinam o modelo de uma forma gradual.As construções de ECL que suportam cada transformação inclui:◦ Um tipo de sistema;◦ Um mecanismo de seleção de elemento;◦ Um conjunto de operadores para manipular os modelos de origem
  7. 7. LINGUAGEM DETRANSFORMAÇÃO DE MODELOS Tipo de sistema◦ ECL fornece um sistema de tipo básico para descrever valores e objetos de modelo de transformação Seleção de elemento◦ ECL suporta consultas de modelo, proporcionando a escolha do operador, de um conjunto de operadoresespeciais para selecionar uma coleção de objetos do modelo, e um conjunto de operadores para encontrar umúnico objeto de modelo. Operações de transformação◦ ECL fornece um conjunto de operadores para mudar a estrutura do modelo.
  8. 8. PROPRIEDADES TRANSVERSAISDO PROJETO Quando um interesse se espalha por um artefato, fica difícil de compreender e mudar ummodelo de vários componentes. Desenvolvimento de Software Orientado a Aspectos (AOSD) oferece técnicas para modularizaro interesse de corte transversal dos componentes do sistema. Uma das motivações para o desenvolvimento de C-Saw foi a necessidade de especificarrestrições que cortam o modelo de um sistema embarcado distribuído de tempo real. Por exemplo, mudança de uma regra de interesse transversal em um subsistema com mais de2000 mil componentes pode ser bastante dispendioso para a capacidade humana de localizar emodificar todos esses componentes.
  9. 9. PROPRIEDADES TRANSVERSAISDO PROJETO Com a Linguagem de Restrição Embutida (ECL), os engenheiros de modelo definem um aspectode modelagem para especificar a intenção de um interesse transversal.
  10. 10. PROPRIEDADES TRANSVERSAISDO PROJETO C-Saw realiza cada estratégia num contexto de modelagem específica, que fornece o aspecto. Ocontexto pode ser um projeto inteiro, um modelo específico, átomo, ou conexão, ou umacoleção de elementos de modelagem reunidos. Usando ECL, os engenheiros podem definir aspectos para quantificar os elementos demodelagem que deseja alterar e aplicar a estratégia de construção para executar atransformação desejada.
  11. 11. MODELO DE ESCALABILIDADEAUTOMATIZADO Apoio a escalabilidade dentro de ferramentas de modelagem é de extrema preocupação paraprojetistas de sistemas embarcados de tempo real distribuídos. O problema de escalabilidade afeta o desempenho da atividade de modelagem, bem como acorreção da representação do modelo. Transformadores de modelos que servem como replicadores podem automatizarsignificamente uma tarefa manual. Por exemplo, escalar um modelo de três sites e dois gateways por site para um modelo comoito sites e sete gateways por site, o engenheiro modelo teria que inserir mais de 120 novoselementos de modelagem e quase 150 conexões entre todos os novos elementos.
  12. 12. MODELO DE ESCALABILIDADEAUTOMATIZADO
  13. 13. MODELO DE ESCALABILIDADEAUTOMATIZADO Utilizando estratégias reutilizáveis do C-Saw, o engenheiro de modelo pode explorar aflexibilidade do projeto, aplicando a transformação de vários sites. É especificado um conjunto de transformações para escalar o número de sites mais externa. Utilizando uma abordagem manual, o engenheiro deverá repetir a mesma tarefa desde o início. Com o C-Saw, o engenheiro simplesmente entra com novos parâmetros para as estratégias. O motor de transformação C-Saw foi aplicado em várias linguagens de modelagem no domíniodo sistema em tempo real embarcados e distribuídos para modularizar propriedadestransversais e replicar elementos de um modelo de núcleo. C-Saw é apenas uma das muitas abordagens de transformação de modelos, que diferemamplamente na sua aplicação e resultados.
  14. 14. REFERÊNCIAS Jeff Gray, Yuehua Lin, and Jing Zhang, IEEE Computer, Special Issue on Model-DrivenEngineering, vol. 39, no. 2, February 2006, pp. 51- 58.

×