SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 68
PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX
Impressionismo (1860 / 1900)
A Interpretação dos Sonhos (Freud/1900)
Pos-impressionismo (1880)
Simbolismo (1880)
MODERNISMO
Expressionismo
Fauvismo (1905 / 1908)
Die Brücke (1905 / 1913)
Der Blaue Reiter (1911 / 1920)
Fordismo (1909)
Primeira Guerra Mundial (1914-1918)
Arte muralista (México 1910)
Vanguardas Históricas
Cubismo (1907)
Futurismo (1909 / 1930)
Dadaismo (1913)
Exposição de Anita Mafalti (1917)
Revolução Russa (1917)
Bauhaus (1919)
Semana de Arte Moderna (1922)
Modernismo no Brasil
Suprematismo (1915)
Neoplasticismo [Der Stijl] (1917/1928)
Facismo (1922)
Segunda Guerra Mundial (inicio do nazismo 1933)
1) A deliberação de fazer uma arte em
conformidade com sua época e a renuncia à
invocação de modelos clássicos, tanto na
temática como no estilo; 2 ) o desejo de diminuir
a distância entre as artes “maiores” e as
“aplicações “ aos diversos campos da produção
econômica; 3) a busca de uma funcionalidade
decorativa; 4) a aspiração a um estilo ou
linguagem internacional ou européia; 5) o
esforço em interpretar a espiritualidade que se
dizia inspirar e redimir o industrial ismo.
A LINHA DA EXPRESSÃO
EXPRESSIONISMO
Fauvismo, Die Brücke, Der Blaue Reiter
A partir de G.C. Argan
EXPRESSIONISMO
• Denomina-se Expressionismo a arte alemã
do século XX. Segundo Argan é um
fenômeno alemão com dois centros
distintos: o movimento dos fauves – França
e o movimento alemão Die Brucke ("a ponte')
na Alemanha que desembocam
respectivamente no Cubismo (1908) e na
corrente do Cavaleiro Azul (Die Blaue Reiter)
na Alemanha (1911).
O Expressionismo é um fenômeno ocorrido no Norte da Europa
e que se caracteriza por extremos emocionais que recuam até às
obras de Van Gogh, Edward Munch e James Ensor.
O Expressionismo é a arte da agitação e da busca da verdade.
Teve seu período mais alto entre 1905 e 1920. Não se tratava
de um movimento distinto e auto-contido, mas utilizava cor
forte, figuras distorcidas e, por vezes, a abstração para explorar
temas de pertença e alienação.
Além de sua forte manifestação na pintura, o Expressionismo
foi marcante também em outras manifestações artísticas, tais
como: cinema,literatura, teatro, etc. Na literatura, há muitas
obras que refletem a crise de consciência que tomou conta da
sociedade antes e depois da Primeira Guerra Mundial.
• Ao realismo que capta, contrapõem-se um
realismo que cria a realidade.
Kirchner - Ruas de
Dresden
A voz, Edward Munch,1893
• A cor na pintura, o bloco ...
na escultura [são] , matéria
sob a rude ação da técnica,
torna-se imagem.
Auto-retrato com modelo, Kirchner, 1910
Auto-retrato, Vincent Van Gogh, 1887
Vincent van Gogh
Pollard Willows With Setting Sun, 1888
Noite estrelada, Vincent Van Gogh, 1889
O quarto em Arles, Vincent Van Gogh, 1888
A mulher de Arles, Vincent Van Gogh, 1888
Edward Munch
Auto-retrato fumando, Munch, 1895
O grito, Munch, 1893
O grito, Munch, Litografia1895
A vampira, Munch, 1893
Madonna, Munch, 1894/95
Ansiedade, Munch,
Melancolia, Munch, 1896
Homens no Banho, Munch, 1907
Puberdade, Munch, 1895
Cinzas, Munch, 1894
uto-retrato: entre o relógio e a cama
unch, 1940/42
Emil Nolde
Crucificação – 1912, Emil Nolde
Emil Nolde nasceu em Nolde, na
Alemanha , em 1867. Na obra de
Nolde, as maiores influências
foram de Munch e Ensor. Durante
um ano, ele esteve ligado ao
grupo Die Brucke, fundado em
Dresden em 1905, e durante toda
a sua carreira mostrou pouca
tendência para se afastar do estilo
fundamentalmente expressionista
deste grupo, o qual reunia cores e
linhas exuberantes. O que ele
tinha em comum com estes
artistas era o facto de muita da sua
obra mais forte ser arte gráfica,
alguma dela influenciada pela
escultura primitiva que descrobriu
numa viagem à Nova Guiné.
Morreu na Alemanha, em 1957.
Child and Large Bird - 1912
Excited People -
1913
Erns Ludwig Kirchnner
Kirchner foi um dos maiores talentos
da corrente expressionista. Pertenceu
ao grupo Die Bruke (A Ponte),
criado em 1905 em Dresden. Os
elementos deste grupo consideravam
as suas obras como a ponte entre a
arte do passado e do futuro. A vasta
produção de Kirchner incluía a
pintura, a escultura e o trabalho
gráfico. Foi influenciado pela obra de
Van Gogh, com as suas vivas
pinceladas de cor, pelo drama
psicológico de Munch e, tal como
muitos dos seus contemporâneos,
pelas esculturas das ilhas dos mares
do Sul. Os seus quadros foram
confiscados pelos nazis e, em 1938,
cometeu suicídio.
Panama girls, 1910
Homens da artilharia, 1915
Gerda, 1914
Self-portrait as soldier - 1915
Egon Schiele
Female nude, 1910
As imagens intensas e distorcidas de Schiele
são inflexíveis na expressão de sentimentos
humanos. Profundamente afectado pelas
explorações do inconsciente, a obra de
Schiele dava forma às suas próprias
ansiedades e inseguranças. A sua carreira
foi breve, e muitas das suas obras contêm
sexo explícito, o que levou o artista à prisão
por "fazer desenhos imorais". A aguda
intensidade nervosa de seu estilo tornou-o
um dos mais importantes pintores
expressionistas, embora ele nunca tenha se
identificado formalmente com o movimento.
Schiele morreu prematuramente de
influenza, no momento em que seu trabalho
começava a ser reconhecido. Egon Schiele
nasceu em Tulin (AUS) em 1890 e morreu
enm Viena (AUS) em 1918, vítima de
tuberculose.
Auto-retrato em pé, Schiele, 1910
Arvores no outono, Schiele, 1911
Duas garotas abraçadas, Schiele, 1915
Lutador, Schiele, 1913
A familia, Schiele, 1918
James Ensor
A morte, Ensor, 1911
Máscaras, Ensor, 1911
A intriga, Ensor, 1911
Escultor alemão nascido em Wedel, Alemanha,
em 1870. Foi um grande escultor da escola
expressionista alemã, pintor, ilustrador,
dramaturgo e poeta. Destacou-se na técnica de
esculpir na madeira. Influenciado pelo estilo
gótico iniciou seus estudos em 1888, quando
entrou para a Hamburg School of Arts and
Crafts. De 1891 a 1895, estudou desenho e
escultura na Academia de Dresden e em 1896
seguiu para Paris, onde estudou e trabalhou
como escultor, na Academia Julian por 2 anos.
Barlach viajou e morou em diversas cidades da
Alemanha. Em 1906 viajou com seu irmão pela
Rússia. Morou em Florença e de volta à
Alemanha, faleceu em 24 de outubro de 1938.
Ernst Barlach
Fauvismo
Os fauves tiveram influencia de Van
Gogh e Gaugin e os artistas principais
deste movimento foram Henri Matisse,
Andre Derain e Maurice Vlamick.
O termo fauve significa animais
ferozes, foi usado depreciativamente
pelo critico de arte Louis Vauxalles, em
1905.
As pinturas fauvistas mostram o
mundo simplificado em formas
vigorosas, onde muitos dos detalhes são
omitidos. Portanto, as pinturas
assemelham-se muitas vezes a
superficies planas com padrões de
cores vivas.
Nú azul, Matisse, 1952
FAUVISMO
• De acordo com Argan os fauves não são um
grupo homogêneo, inicialmente sua meta é a de
se opor ao decorativismo hedonista do Art
Nouveau e à inconsistência formal, à evasão
espiritualista do Simbolismo
• Seus trabalhos empreendem uma pesquisa da
cor aliada a uma pesquisa plástica sobre as
suas possibilidades construtivas
• Sua formulação se concentra nos aspectos
formais, e não entra na senda ideológica e das
preocupações sociais
A dança, Matisse, 1910, MOMA
O quarto vermelho, Matisse, 1908
A alegria da vida, Matisse, 1905/06
A musica, Matisse, 1939
On the Thames, Andre Derain,
As banhistas, Andre Derain,
Moutains at Collioure, Andre Derain, 1905
The blue house, Maurice de Vlaminck, 1906
Natureza morta com laranjas, Maurice de Vlaminck, 1907
Dancer of The rat mort, Maurice de Vlaminck, 1906
Christo e a mulher em adultério, Max Beckaman, 1917 Berber
Die Brücke (a ponte)
Em 1906 um grupo de pintores alemães fundaram uma
sociedade. Eles queriam uma completa ruptura com o
passado e lutar por uma nova aurora. Não tinham
“impressão” decorativa a buscar. Sua simplificação era
ficar inteiramente a serviço da expressão relaçada. Em
1913 os integrantes do grupo partem para pesquisas
individuais.
Principais artistas: Emil Nolde, Ernst Ludwig Kirchner, Max
Beckaman, Ernst Barlach, Otto Muller, Oscar Kodoschka
Auto retrato, Max Beckman, 1917 Auto retrato com modelo, Ernst Kirchner,
Streets of Berlin, Ernst Kirchner, 1913
The head of Christ, Emil Nolde, 1909
Der Blaue Reiter
Após 1910, Wassily Kandisnky abandona totalmente a arte
figurativa. Usando cores do arco-íris e o estilo livre e
dinâmico dos fauvistas, ele cria um estilo inteiramente
não-objetivo. Quaisquer que sejam os vestígios da
representação que sua obra contém, são um tanto
involuntários – seu objetivo era dotar a forma e a cor de
um significado quase espiritual, eliminando toda a
semelhança com o mundo físico.
Principais artistas: Wassily Kandisky, Otto Dix, Paul Klee
Full moon, Paul Klee, 1916
Three flowers, Paul Klee, 1920
The Goldfish, Paul Klee, 1925
Harmonia em azul=laranja, Paul Klee, 1923
O elefante, Kandisky, 1908
Composição IV, Kandisky, 1911
Composição VIII, Kandisky, 1923
A Família de Felix Muller, Otto Dix, 1919
Portrait of the Dancer Anita
Berber , Otto Dix, 1925

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Expressionismo
Expressionismo Expressionismo
Expressionismo
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
Expressionismo slide
Expressionismo slideExpressionismo slide
Expressionismo slide
 
Dadaismo
DadaismoDadaismo
Dadaismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
[HAVC] Expressionismo: Edvard Munch
[HAVC] Expressionismo: Edvard Munch[HAVC] Expressionismo: Edvard Munch
[HAVC] Expressionismo: Edvard Munch
 
Futurismoo
FuturismooFuturismoo
Futurismoo
 
Vanguardas Europeias - I Modernismo
Vanguardas Europeias - I ModernismoVanguardas Europeias - I Modernismo
Vanguardas Europeias - I Modernismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Arte Realista
Arte RealistaArte Realista
Arte Realista
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 

Destaque

Expressionismo e vincent van gogh
Expressionismo e vincent van goghExpressionismo e vincent van gogh
Expressionismo e vincent van goghLuís Ramos
 
A arte como expressão expressionismo
A arte como expressão   expressionismoA arte como expressão   expressionismo
A arte como expressão expressionismoJunior Onildo
 
2c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 20122c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012www.historiadasartes.com
 
Leitura da vida e obra de Vincent Willem Van Gogh
Leitura da vida e  obra de Vincent Willem Van GoghLeitura da vida e  obra de Vincent Willem Van Gogh
Leitura da vida e obra de Vincent Willem Van Goghleli.psicoedu
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoRaquel Almeida
 
Frida Kahlo
Frida KahloFrida Kahlo
Frida KahloMaria D'
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoMichele Pó
 
Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"
Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"
Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"Dinarte de Abreu
 
Frida kahlo powerpoint
Frida kahlo powerpointFrida kahlo powerpoint
Frida kahlo powerpointspan3h
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
ExpressionismoGu Tonetto
 
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoAndrea Dressler
 

Destaque (19)

Slide Expressionismo
Slide ExpressionismoSlide Expressionismo
Slide Expressionismo
 
2C14_expressionismo_2011
2C14_expressionismo_20112C14_expressionismo_2011
2C14_expressionismo_2011
 
Expressionismo e vincent van gogh
Expressionismo e vincent van goghExpressionismo e vincent van gogh
Expressionismo e vincent van gogh
 
A arte como expressão expressionismo
A arte como expressão   expressionismoA arte como expressão   expressionismo
A arte como expressão expressionismo
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
EXPRESSIONISMO
EXPRESSIONISMOEXPRESSIONISMO
EXPRESSIONISMO
 
Vincent Van Gogh
Vincent Van GoghVincent Van Gogh
Vincent Van Gogh
 
2c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 20122c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c14 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
 
Leitura da vida e obra de Vincent Willem Van Gogh
Leitura da vida e  obra de Vincent Willem Van GoghLeitura da vida e  obra de Vincent Willem Van Gogh
Leitura da vida e obra de Vincent Willem Van Gogh
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
 
Vincent van gogh slides
Vincent van gogh slidesVincent van gogh slides
Vincent van gogh slides
 
Frida Kahlo
Frida KahloFrida Kahlo
Frida Kahlo
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
 
Vincent Van Gogh
Vincent Van GoghVincent Van Gogh
Vincent Van Gogh
 
Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"
Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"
Apresentação Powerpoint- Biografia "Van Gogh"
 
Frida kahlo powerpoint
Frida kahlo powerpointFrida kahlo powerpoint
Frida kahlo powerpoint
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Frida Kahlo
Frida KahloFrida Kahlo
Frida Kahlo
 
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
 

Semelhante a História da Arte: Expressionismo

Expressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social AlemãoExpressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social Alemãomaariane27
 
Aula 5 Fauvismo Expressionismo Cubismo
Aula 5   Fauvismo Expressionismo CubismoAula 5   Fauvismo Expressionismo Cubismo
Aula 5 Fauvismo Expressionismo CubismoAline Okumura
 
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...ArtesElisa
 
Vanguardas Europeias - Expressionismo
Vanguardas Europeias - Expressionismo Vanguardas Europeias - Expressionismo
Vanguardas Europeias - Expressionismo Luan Lucena
 
Arte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo ColégioArte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo ColégioCLEBER LUIS DAMACENO
 
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaHistória da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaSafra Brasileira
 
[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp
[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp
[HAVC] Dadaísmo: Marcel DuchampRicardo Sousa
 

Semelhante a História da Arte: Expressionismo (20)

Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Arte Degenerada
Arte DegeneradaArte Degenerada
Arte Degenerada
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
HCA grupo A
HCA   grupo AHCA   grupo A
HCA grupo A
 
Expressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social AlemãoExpressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social Alemão
 
Aula 5 Fauvismo Expressionismo Cubismo
Aula 5   Fauvismo Expressionismo CubismoAula 5   Fauvismo Expressionismo Cubismo
Aula 5 Fauvismo Expressionismo Cubismo
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
 
Vanguardas Europeias - Expressionismo
Vanguardas Europeias - Expressionismo Vanguardas Europeias - Expressionismo
Vanguardas Europeias - Expressionismo
 
Arte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo ColégioArte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
 
Vanguardas2019.
Vanguardas2019.Vanguardas2019.
Vanguardas2019.
 
Dadaísmo
Dadaísmo Dadaísmo
Dadaísmo
 
BIO: Paul klee
BIO: Paul klee BIO: Paul klee
BIO: Paul klee
 
Marcel Duchamp - Dadaismo
Marcel Duchamp - DadaismoMarcel Duchamp - Dadaismo
Marcel Duchamp - Dadaismo
 
A Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XXA Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XX
 
10 arte moderna
10 arte moderna10 arte moderna
10 arte moderna
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaHistória da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
 
[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp
[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp
[HAVC] Dadaísmo: Marcel Duchamp
 

Mais de Raphael Lanzillotte

Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivoFotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivoRaphael Lanzillotte
 
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativoFotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativoRaphael Lanzillotte
 
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015Raphael Lanzillotte
 
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bimFotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bimRaphael Lanzillotte
 
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bimFotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bimRaphael Lanzillotte
 
Revisão - Minimalismo e Neoconcretismo
Revisão - Minimalismo e NeoconcretismoRevisão - Minimalismo e Neoconcretismo
Revisão - Minimalismo e NeoconcretismoRaphael Lanzillotte
 
Correntes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teóricoCorrentes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teóricoRaphael Lanzillotte
 
Correntes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arteCorrentes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arteRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculosHistória da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculosRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstratoHistória da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstratoRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiroHistória da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiroRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pinturaHistória da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pinturaRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Guernica - Picasso
 História da Arte: Guernica - Picasso História da Arte: Guernica - Picasso
História da Arte: Guernica - PicassoRaphael Lanzillotte
 
Elementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - FormaElementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - FormaRaphael Lanzillotte
 
História da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visualHistória da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visualRaphael Lanzillotte
 

Mais de Raphael Lanzillotte (20)

Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivoFotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
Fotografia perspectiva forçada - 4 bim - alternaivo
 
Fotografia - light painting
Fotografia - light paintingFotografia - light painting
Fotografia - light painting
 
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativoFotografia brinquedos - 4bim - alternativo
Fotografia brinquedos - 4bim - alternativo
 
Neoconcretismo - Athos Bulcão
Neoconcretismo - Athos BulcãoNeoconcretismo - Athos Bulcão
Neoconcretismo - Athos Bulcão
 
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
Arte - Resumo 1º bimestre - 2015
 
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bimFotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
Fotografia perspectiva forçada - trabalho final 4 bim
 
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bimFotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
Fotografia brinquedos - trabalho final 4 bim
 
Revisão - Minimalismo e Neoconcretismo
Revisão - Minimalismo e NeoconcretismoRevisão - Minimalismo e Neoconcretismo
Revisão - Minimalismo e Neoconcretismo
 
Correntes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teóricoCorrentes estilísticas básicas na arte material teórico
Correntes estilísticas básicas na arte material teórico
 
Correntes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arteCorrentes estilísticas básicas na arte
Correntes estilísticas básicas na arte
 
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculosHistória da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
História da Arte: O suporte da arte ao longo dos séculos
 
História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22
 
História da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstratoHistória da Arte: Expressionismo abstrato
História da Arte: Expressionismo abstrato
 
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiroHistória da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
História da Arte: Barroco e Rococó europeu e brasileiro
 
História da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pinturaHistória da Arte: A evolução da pintura
História da Arte: A evolução da pintura
 
História da Arte: Guernica - Picasso
 História da Arte: Guernica - Picasso História da Arte: Guernica - Picasso
História da Arte: Guernica - Picasso
 
Elementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - FormaElementos da Linguagem Visual - Forma
Elementos da Linguagem Visual - Forma
 
Vanguardas(2) 9º ano
Vanguardas(2) 9º anoVanguardas(2) 9º ano
Vanguardas(2) 9º ano
 
Vanguardas(2)
Vanguardas(2)Vanguardas(2)
Vanguardas(2)
 
História da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visualHistória da Arte: Poesia visual
História da Arte: Poesia visual
 

Último

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptxLuana240603
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 

História da Arte: Expressionismo

  • 1. PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX Impressionismo (1860 / 1900) A Interpretação dos Sonhos (Freud/1900) Pos-impressionismo (1880) Simbolismo (1880) MODERNISMO Expressionismo Fauvismo (1905 / 1908) Die Brücke (1905 / 1913) Der Blaue Reiter (1911 / 1920) Fordismo (1909) Primeira Guerra Mundial (1914-1918) Arte muralista (México 1910) Vanguardas Históricas Cubismo (1907) Futurismo (1909 / 1930) Dadaismo (1913) Exposição de Anita Mafalti (1917) Revolução Russa (1917) Bauhaus (1919) Semana de Arte Moderna (1922) Modernismo no Brasil Suprematismo (1915) Neoplasticismo [Der Stijl] (1917/1928) Facismo (1922) Segunda Guerra Mundial (inicio do nazismo 1933) 1) A deliberação de fazer uma arte em conformidade com sua época e a renuncia à invocação de modelos clássicos, tanto na temática como no estilo; 2 ) o desejo de diminuir a distância entre as artes “maiores” e as “aplicações “ aos diversos campos da produção econômica; 3) a busca de uma funcionalidade decorativa; 4) a aspiração a um estilo ou linguagem internacional ou européia; 5) o esforço em interpretar a espiritualidade que se dizia inspirar e redimir o industrial ismo.
  • 2. A LINHA DA EXPRESSÃO EXPRESSIONISMO Fauvismo, Die Brücke, Der Blaue Reiter A partir de G.C. Argan
  • 3. EXPRESSIONISMO • Denomina-se Expressionismo a arte alemã do século XX. Segundo Argan é um fenômeno alemão com dois centros distintos: o movimento dos fauves – França e o movimento alemão Die Brucke ("a ponte') na Alemanha que desembocam respectivamente no Cubismo (1908) e na corrente do Cavaleiro Azul (Die Blaue Reiter) na Alemanha (1911).
  • 4. O Expressionismo é um fenômeno ocorrido no Norte da Europa e que se caracteriza por extremos emocionais que recuam até às obras de Van Gogh, Edward Munch e James Ensor. O Expressionismo é a arte da agitação e da busca da verdade. Teve seu período mais alto entre 1905 e 1920. Não se tratava de um movimento distinto e auto-contido, mas utilizava cor forte, figuras distorcidas e, por vezes, a abstração para explorar temas de pertença e alienação. Além de sua forte manifestação na pintura, o Expressionismo foi marcante também em outras manifestações artísticas, tais como: cinema,literatura, teatro, etc. Na literatura, há muitas obras que refletem a crise de consciência que tomou conta da sociedade antes e depois da Primeira Guerra Mundial.
  • 5. • Ao realismo que capta, contrapõem-se um realismo que cria a realidade. Kirchner - Ruas de Dresden
  • 6. A voz, Edward Munch,1893
  • 7. • A cor na pintura, o bloco ... na escultura [são] , matéria sob a rude ação da técnica, torna-se imagem. Auto-retrato com modelo, Kirchner, 1910
  • 8. Auto-retrato, Vincent Van Gogh, 1887 Vincent van Gogh
  • 9. Pollard Willows With Setting Sun, 1888
  • 10.
  • 11.
  • 12. Noite estrelada, Vincent Van Gogh, 1889
  • 13. O quarto em Arles, Vincent Van Gogh, 1888
  • 14.
  • 15. A mulher de Arles, Vincent Van Gogh, 1888
  • 18. O grito, Munch, Litografia1895
  • 23. Homens no Banho, Munch, 1907
  • 26. uto-retrato: entre o relógio e a cama unch, 1940/42
  • 27. Emil Nolde Crucificação – 1912, Emil Nolde Emil Nolde nasceu em Nolde, na Alemanha , em 1867. Na obra de Nolde, as maiores influências foram de Munch e Ensor. Durante um ano, ele esteve ligado ao grupo Die Brucke, fundado em Dresden em 1905, e durante toda a sua carreira mostrou pouca tendência para se afastar do estilo fundamentalmente expressionista deste grupo, o qual reunia cores e linhas exuberantes. O que ele tinha em comum com estes artistas era o facto de muita da sua obra mais forte ser arte gráfica, alguma dela influenciada pela escultura primitiva que descrobriu numa viagem à Nova Guiné. Morreu na Alemanha, em 1957.
  • 28. Child and Large Bird - 1912
  • 30. Erns Ludwig Kirchnner Kirchner foi um dos maiores talentos da corrente expressionista. Pertenceu ao grupo Die Bruke (A Ponte), criado em 1905 em Dresden. Os elementos deste grupo consideravam as suas obras como a ponte entre a arte do passado e do futuro. A vasta produção de Kirchner incluía a pintura, a escultura e o trabalho gráfico. Foi influenciado pela obra de Van Gogh, com as suas vivas pinceladas de cor, pelo drama psicológico de Munch e, tal como muitos dos seus contemporâneos, pelas esculturas das ilhas dos mares do Sul. Os seus quadros foram confiscados pelos nazis e, em 1938, cometeu suicídio. Panama girls, 1910
  • 34. Egon Schiele Female nude, 1910 As imagens intensas e distorcidas de Schiele são inflexíveis na expressão de sentimentos humanos. Profundamente afectado pelas explorações do inconsciente, a obra de Schiele dava forma às suas próprias ansiedades e inseguranças. A sua carreira foi breve, e muitas das suas obras contêm sexo explícito, o que levou o artista à prisão por "fazer desenhos imorais". A aguda intensidade nervosa de seu estilo tornou-o um dos mais importantes pintores expressionistas, embora ele nunca tenha se identificado formalmente com o movimento. Schiele morreu prematuramente de influenza, no momento em que seu trabalho começava a ser reconhecido. Egon Schiele nasceu em Tulin (AUS) em 1890 e morreu enm Viena (AUS) em 1918, vítima de tuberculose.
  • 35. Auto-retrato em pé, Schiele, 1910
  • 36. Arvores no outono, Schiele, 1911
  • 37. Duas garotas abraçadas, Schiele, 1915 Lutador, Schiele, 1913
  • 39. James Ensor A morte, Ensor, 1911
  • 42. Escultor alemão nascido em Wedel, Alemanha, em 1870. Foi um grande escultor da escola expressionista alemã, pintor, ilustrador, dramaturgo e poeta. Destacou-se na técnica de esculpir na madeira. Influenciado pelo estilo gótico iniciou seus estudos em 1888, quando entrou para a Hamburg School of Arts and Crafts. De 1891 a 1895, estudou desenho e escultura na Academia de Dresden e em 1896 seguiu para Paris, onde estudou e trabalhou como escultor, na Academia Julian por 2 anos. Barlach viajou e morou em diversas cidades da Alemanha. Em 1906 viajou com seu irmão pela Rússia. Morou em Florença e de volta à Alemanha, faleceu em 24 de outubro de 1938. Ernst Barlach
  • 43. Fauvismo Os fauves tiveram influencia de Van Gogh e Gaugin e os artistas principais deste movimento foram Henri Matisse, Andre Derain e Maurice Vlamick. O termo fauve significa animais ferozes, foi usado depreciativamente pelo critico de arte Louis Vauxalles, em 1905. As pinturas fauvistas mostram o mundo simplificado em formas vigorosas, onde muitos dos detalhes são omitidos. Portanto, as pinturas assemelham-se muitas vezes a superficies planas com padrões de cores vivas. Nú azul, Matisse, 1952
  • 44. FAUVISMO • De acordo com Argan os fauves não são um grupo homogêneo, inicialmente sua meta é a de se opor ao decorativismo hedonista do Art Nouveau e à inconsistência formal, à evasão espiritualista do Simbolismo • Seus trabalhos empreendem uma pesquisa da cor aliada a uma pesquisa plástica sobre as suas possibilidades construtivas • Sua formulação se concentra nos aspectos formais, e não entra na senda ideológica e das preocupações sociais
  • 45. A dança, Matisse, 1910, MOMA
  • 46. O quarto vermelho, Matisse, 1908
  • 47. A alegria da vida, Matisse, 1905/06
  • 49. On the Thames, Andre Derain,
  • 51. Moutains at Collioure, Andre Derain, 1905
  • 52. The blue house, Maurice de Vlaminck, 1906
  • 53. Natureza morta com laranjas, Maurice de Vlaminck, 1907
  • 54. Dancer of The rat mort, Maurice de Vlaminck, 1906
  • 55. Christo e a mulher em adultério, Max Beckaman, 1917 Berber
  • 56. Die Brücke (a ponte) Em 1906 um grupo de pintores alemães fundaram uma sociedade. Eles queriam uma completa ruptura com o passado e lutar por uma nova aurora. Não tinham “impressão” decorativa a buscar. Sua simplificação era ficar inteiramente a serviço da expressão relaçada. Em 1913 os integrantes do grupo partem para pesquisas individuais. Principais artistas: Emil Nolde, Ernst Ludwig Kirchner, Max Beckaman, Ernst Barlach, Otto Muller, Oscar Kodoschka
  • 57. Auto retrato, Max Beckman, 1917 Auto retrato com modelo, Ernst Kirchner,
  • 58. Streets of Berlin, Ernst Kirchner, 1913
  • 59. The head of Christ, Emil Nolde, 1909
  • 60. Der Blaue Reiter Após 1910, Wassily Kandisnky abandona totalmente a arte figurativa. Usando cores do arco-íris e o estilo livre e dinâmico dos fauvistas, ele cria um estilo inteiramente não-objetivo. Quaisquer que sejam os vestígios da representação que sua obra contém, são um tanto involuntários – seu objetivo era dotar a forma e a cor de um significado quase espiritual, eliminando toda a semelhança com o mundo físico. Principais artistas: Wassily Kandisky, Otto Dix, Paul Klee
  • 61. Full moon, Paul Klee, 1916
  • 62. Three flowers, Paul Klee, 1920
  • 63. The Goldfish, Paul Klee, 1925
  • 64. Harmonia em azul=laranja, Paul Klee, 1923
  • 68. A Família de Felix Muller, Otto Dix, 1919 Portrait of the Dancer Anita Berber , Otto Dix, 1925