1
DIAGNÓSTICO FINANCEIRO DO LOJÃO DAS
PISCINAS
O Brasil é o segundo país com o maior número de piscinas, ficando atrás
ape...
2
ENTRADAS
O período analisado foi de 17 meses, compreendido entre Setembro de 2012
a Janeiro de 2014. Neste intervalo, as...
3
Durante o período analisado, foi realizada uma comparação entre o valor das
notinhas que foram feitas e as que foram rec...
4
Através dos dados fornecidos não foi possível identificar o prazo médio de
recebimento das notinhas, pois os cadernos de...
5
Tabela 3: Saídas
Pudemos observar que uma boa parte das saídas, que representam 6,48% das
mesmas, não pôde ser identific...
6
Em relação aos impostos, não foram identificadas problemáticas relevantes,
de modo que os valores não estão fora do que ...
7
Todas as contas em que não foi possível identificar suas origens foram
alocadas no grupo de contas denominado Outras. No...
8
ENTRADAS x SAÍDAS
Após a compreensão das entradas e das saídas, separadamente, pudemos
realizar uma comparação entre amb...
9
ano de 2012 está, de certa forma, “maquiando” os resultados totais, pois é possível
que os resultados de 2012 que não ti...
10
saídas totais da empresa, tendo um gasto médio mensal de R$17.603,65 com
fornecedores. Esta foi a conta que mais afetou...
11
curto prazo estão sendo administradas, isto provavelmente não ocorreria se a empresa
não enfrentasse problemas de receb...
12
 Fluxo de caixa: Deverá ser preenchida diariamente no final do
expediente da empresa contendo todas as entradas e saíd...
13
 Organização dos estoques – Aparentemente a empresa não possui um
espaço físico formalmente definido como área para es...
14
mudaria seu modelo de negócio, mas passaria a oferecer mais opções
de produtos que poderiam reduzir os efeitos da sazon...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Analise da Loja

194 visualizações

Publicada em

Analise da loja

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Analise da Loja

  1. 1. 1 DIAGNÓSTICO FINANCEIRO DO LOJÃO DAS PISCINAS O Brasil é o segundo país com o maior número de piscinas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Dados da Associação Nacional de Fabricantes e Construtores de Piscinas e Produtos Afins (Anapp) revelam que o País somará 1,4 milhão de tanques de água, sendo 80% particulares. Um mercado que cresce em torno de 4% a 5% ao ano, o equivalente a 60 mil piscinas, devido às novas tecnologias de construção, tratamento e equipamentos. Assim, o empreendimento pode seguir duas vertentes: a de fábrica e de revendedora, que abrange a prestação de serviços e comercialização de acessórios, uma alternativa a mais para alavancar as vendas. O clima tropical brasileiro favorece este mercado, que por sua vez influencia diretamente outros mercados, como o setor de produtos para piscinas e até mesmo o setor de jardinagem. Porém, no caso dos produtos para piscinas, existe uma forte sazonalidade, de forma que a demanda chega a dobrar nos meses mais quentes e cair consideravelmente entre os meses de abril e agosto. Ao longo da semana os dias de maior procura são geralmente de quinta a sábado, pois a maioria dos clientes gosta que sua piscina esteja limpa aos domingos. Dentro da realidade apresentada do mercado de produtos para piscinas, especificamente no município de Ituiutaba-MG, encontra-se a empresa Lojão das Piscinas, que no dia 06 de março de 2014 procurou a DNADM Consultoria para realizar um diagnóstico financeiro, pois de acordo com o proprietário, a empresa apresentava alguns problemas, como clientes inadimplentes, altos custos com fretes, dificuldade para precificação dos produtos, falta de conhecimento sobre os custos totais e endividamento. O dono também informou que cerca de 70% das vendas da empresa seria obtida através de notinha, o que seria responsável por boa parte do índice de inadimplência observado. Para identificar as causas destes problemas e, posteriormente, formular uma proposta de solução, a DNADM Consultoria obteve acesso aos dados contábeis da empresa. Para uma análise mais profunda, foi necessário transferir todos os cadernos de movimento de caixa da empresa para o software Excel, pois dessa forma seria possível separar as contas e utilizar alguns recursos disponíveis no programa.
  2. 2. 2 ENTRADAS O período analisado foi de 17 meses, compreendido entre Setembro de 2012 a Janeiro de 2014. Neste intervalo, as receitas de vendas da empresa ocorreram na forma que está apresentada abaixo na Tabela 1. Tabela 1: Entradas Podemos observar que a maior parte das vendas é realizada à vista (50,79%), que é um dos meios de recebimento mais vantajosos, pois representa uma entrada imediata no caixa da empresa. Além disso, as vendas com cartão de crédito e débito representam quase 25% do total das entradas, e este tipo de venda também é interessante por ser depositado rapidamente, na conta bancária da empresa, o valor da venda. As vendas com cheques representaram apenas 0,97% da receita. No entanto, não se pôde identificar o prazo médio de pagamento dos mesmos e nem o nível de inadimplência referente a eles, devido à falta de informações no caderno de fluxo de caixa. PERÍODO À VISTA NOTINHA PAGA DÉBITO CRÉDITO CHEQUE set/12 13.957,50R$ 5.568,90R$ 880,60R$ 4.858,40R$ 460,00R$ out/12 17.884,20R$ 6.714,30R$ 1.282,50R$ 6.601,40R$ 581,00R$ nov/12 13.280,11R$ 5.573,40R$ 2.200,40R$ 4.611,69R$ -R$ dez/12 18.126,40R$ 1.141,00R$ 942,90R$ 4.215,40R$ 339,80R$ jan/13 14.463,00R$ 189,00R$ 1.367,50R$ 4.924,20R$ -R$ fev/13 12.877,50R$ 170,00R$ 1.158,00R$ 5.206,25R$ 215,00R$ mar/13 11.654,74R$ 225,00R$ 1.095,60R$ 5.262,50R$ 1.040,00R$ abr/13 10.635,50R$ 714,00R$ 1.552,80R$ 4.776,50R$ -R$ mai/13 10.613,20R$ 2.061,00R$ 1.078,10R$ 2.637,40R$ -R$ jun/13 9.667,40R$ 1.449,00R$ 806,00R$ 2.742,40R$ -R$ jul/13 8.478,55R$ 10.400,50R$ 1.092,30R$ 2.705,50R$ 120,00R$ ago/13 9.520,35R$ 10.679,80R$ 1.833,90R$ 3.901,10R$ 85,00R$ set/13 12.076,00R$ 9.872,00R$ 1.357,00R$ 5.053,50R$ 876,00R$ out/13 15.889,55R$ 11.314,80R$ 1.623,50R$ 5.470,44R$ 247,80R$ nov/13 13.543,90R$ 13.145,30R$ 2.370,40R$ 6.164,00R$ 264,00R$ dez/13 17.819,15R$ 16.144,00R$ 1.799,00R$ 6.775,25R$ 120,00R$ jan/14 17.250,40R$ 12.676,40R$ 3.372,40R$ 6.540,00R$ -R$ TOTAIS 227.737,45R$ 108.038,40R$ 25.812,90R$ 82.445,93R$ 4.348,60R$ PERCENTUAIS 50,79% 24,10% 5,76% 18,39% 0,97% MÉDIAS MENSAIS 13.396,32R$ 6.355,20R$ 1.518,41R$ 4.849,76R$ 255,80R$ TOTAL GERAL MÉDIA GERAL 448.383,28R$ 26.375,49R$
  3. 3. 3 Durante o período analisado, foi realizada uma comparação entre o valor das notinhas que foram feitas e as que foram recebidas neste intervalo, como mostra a Tabela 2: Tabela 2 O intuito desta comparação seria analisar uma possível ocorrência de inadimplência em relação às notinhas, tendo em vista que esta era uma das principais queixas do empresário. Porém, não tivemos dados suficientes para chegarmos a uma conclusão definitiva com relação à inadimplência de clientes, pois não se conhece a origem das notinhas pagas durante o período analisado. Além disso, o valor das notinhas pagas foi superior ao valor das notinhas feitas, o que indica que parte deste recebimento é decorrente de vendas ocorridas anteriormente aos 17 meses observados pelo estudo. O que podemos dizer é que, a não ser que tenham ocorrido mais vendas com notinhas do que foi informado nos cadernos de fluxo de caixa, durante o período analisado não houve inadimplência em relação às notinhas. As notinhas pagas obtiveram uma participação de 24,10% das receitas, que não é um percentual tão alto como era esperado. Apesar de não ter sido possível afirmar que o motivo do prejuízo ocorrido em alguns meses (como será descrito a seguir) teria sido a venda através de notinhas, ainda assim este método de venda não é aconselhável por ser difícil de ser controlado. NOTINHA FEITA NOTINHA PAGA 2.088,20R$ 5.568,90R$ 1.052,40R$ 6.714,30R$ 2.824,20R$ 5.573,40R$ 9.241,50R$ 1.141,00R$ 9.301,80R$ 189,00R$ 13.699,90R$ 170,00R$ 9.219,83R$ 225,00R$ 12.321,50R$ 714,00R$ 7.223,90R$ 2.061,00R$ 8.400,30R$ 1.449,00R$ 5.027,75R$ 10.400,50R$ 7.304,50R$ 10.679,80R$ 3.423,30R$ 9.872,00R$ 3.090,20R$ 11.314,80R$ 808,00R$ 13.145,30R$ 547,00R$ 16.144,00R$ -R$ 12.676,40R$ 95.574,28R$ 108.038,40R$
  4. 4. 4 Através dos dados fornecidos não foi possível identificar o prazo médio de recebimento das notinhas, pois os cadernos de fluxo de caixa não permitem relacionar a data em que foram incorridas as notinhas com o efetivo pagamento das mesmas. Ou seja, é possível identificar o valor e a data de pagamento da notinha de determinado cliente, porém não é possível verificar a data em que foi feita a dívida e nem o montante acumulado dela. Os dados referentes à inadimplência da empresa por parte de clientes e piscineiros foram fornecidos através de uma planilha, cujo prazo médio corrente das dívidas é de aproximadamente 1 ano e o montante atual destas dívidas é de R$8.597,75 de clientes e de R$3.159,60 de piscineiros. Toda essa inadimplência é decorrente das vendas realizadas através de notinhas e cheques, portanto este tipo de pagamento pode ser considerado um problema que necessita de atenção especial. Tais análises podem ser também verificadas no gráfico abaixo: Gráfico 1 SAÍDAS Após estudarmos as entradas da empresa, analisamos as saídas referentes ao período de Setembro de 2012 a Janeiro de 2014. Estas saídas foram classificadas e dispostas de acordo com a Tabela 3, apresentada abaixo. R$- R$2.000,00 R$4.000,00 R$6.000,00 R$8.000,00 R$10.000,00 R$12.000,00 R$14.000,00 R$16.000,00 R$18.000,00 R$20.000,00 MOVIMENTO DE CAIXA: ENTRADAS À VISTA NOTINHA PAGA DÉBITO CRÉDITO CHEQUE
  5. 5. 5 Tabela 3: Saídas Pudemos observar que uma boa parte das saídas, que representam 6,48% das mesmas, não pôde ser identificada, portanto classificamos estas como “outras despesas”. Esta porcentagem pode ser considerada significante, pois é muito próxima aos gastos que a empresa possui com fretes, por isso tal fato dificultou a análise e prejudicou a exatidão dos resultados. Este alto valor provavelmente significa que existem contas pertencentes a outras classificações que, por não estarem identificadas nos cadernos de fluxo de caixa, tiveram que ser encaixadas nesse item. Este problema indica uma falta de controle contábil e diário por parte dos responsáveis por esta função. PERÍODO IMPOSTOS SALÁRIO/VALE CUSTOS FIXOS FRETES FORNECEDORES OUTRAS DESPESAS PESSOAIS set/12 R$ - R$ 1.327,00 R$1.490,00 R$ 90,50 R$ 12.106,09 R$ 1.015,65 R$ 485,75 out/12 R$ 478,50 R$ 340,00 R$6.191,84 R$ - R$ 9.191,14 R$ 2.722,85 R$ 214,57 nov/12 R$ 57,74 R$ 2.083,90 R$1.208,70 R$ 1.199,65 R$ 18.224,53 R$ 3.273,11 R$ 462,00 dez/12 R$ 395,34 R$ 2.059,40 R$1.759,15 R$ 1.580,93 R$ 16.972,71 R$ 902,75 R$ 282,17 jan/13 R$ 1.933,50 R$ 859,00 R$ 931,14 R$ 2.464,83 R$ 23.048,95 R$ 860,25 R$ 3.443,19 fev/13 R$ 57,74 R$ 1.308,58 R$2.038,66 R$ 978,63 R$ 21.889,40 R$ 385,80 R$ 412,15 mar/13 R$ 57,74 R$ 1.276,00 R$1.287,89 R$ 1.298,76 R$ 18.367,12 R$ 617,50 R$ 821,64 abr/13 R$ 2.048,15 R$ 954,20 R$1.741,59 R$ 1.515,57 R$ 18.726,88 R$ 669,55 R$ 552,31 mai/13 R$ 1.084,58 R$ 354,00 R$ 546,88 R$ 991,15 R$ 23.674,78 R$ 467,70 R$ 375,20 jun/13 R$ 818,99 R$ 1.092,00 R$2.228,95 R$ 2.056,21 R$ 9.873,46 R$ 486,06 R$ 576,03 jul/13 R$ 169,89 R$ 892,00 R$3.272,80 R$ 1.943,14 R$ 12.418,88 R$ 3.609,59 R$ 221,20 ago/13 R$ 854,03 R$ 827,00 R$1.523,59 R$ 3.055,37 R$ 10.187,62 R$ 3.162,97 R$ 506,50 set/13 R$ 1.458,94 R$ 120,00 R$3.877,70 R$ 3.083,72 R$ 14.494,60 R$ 1.224,40 R$ 633,45 out/13 R$ 1.493,89 R$ 1.482,56 R$2.296,89 R$ 4.603,40 R$ 14.602,09 R$ 1.073,64 R$ 966,05 nov/13 R$ 1.556,59 R$ 1.297,00 R$5.745,07 R$ 2.720,50 R$ 24.615,33 R$ 950,60 R$ 375,08 dez/13 R$ 393,55 R$ 883,00 R$3.852,56 R$ 4.256,80 R$ 22.406,93 R$ 6.525,48 R$ 137,00 jan/14 R$ 1.697,38 R$ 867,20 R$1.797,56 R$ 2.805,16 R$ 28.461,46 R$ 1.103,21 R$ 401,00 TOTAIS R$14.556,55 R$ 18.022,84 R$41.790,97 R$34.644,32 R$ 299.261,97 R$29.051,11 R$10.865,29 PERCENTUAIS 3,25% 4,02% 9,32% 7,73% 66,77% 6,48% 2,42% MÉDIAS MENSAIS R$ 856,27 R$ 1.060,17 R$ 2.458,29 R$ 2.037,90 R$ 17.603,65 R$ 1.708,89 R$ 639,13 TOTAL GERAL R$48.193,05 MEDIA GERAL R$26.364,30
  6. 6. 6 Em relação aos impostos, não foram identificadas problemáticas relevantes, de modo que os valores não estão fora do que seria esperado para o porte da empresa. Em teoria, salários em uma empresa são considerados como custo fixo da mesma, pois há pouca variação ao longo dos meses. No entanto, no Lojão das Piscinas, notamos que esta conta apresentou muita discrepância entre os períodos, chegando a oscilações de até 1636% no valor de salários/vale. Podemos citar como exemplo a grande desigualdade entre os valores dos meses de setembro de 2013, que foi de apenas R$120,00, que está muito abaixo do que seria necessário para o pagamento de apenas um funcionário, e novembro de 2012, que foi de R$2.083,20. O que pode ser concluído a partir disso é que provavelmente a empresa não mantém um controle eficaz dos gastos da mesma com o pagamento dos salários de seus funcionários, e é possível que boa parte das despesas relacionadas a salário/vale não foram nomeadas no fluxo de caixa e acabaram sendo alocadas como “outras despesas”. Além disso, notamos que há muitas ocorrências de adiantamentos com vales, e isto pode resultar em problemas de planejamento de gastos da empresa. Com relação aos custos fixos, o esperado seria que houvesse muito pouca ou até nenhuma variação entre os períodos, pois como o próprio nome diz, esta conta representa os gastos que não variam independentemente da quantidade produzida ou vendida pela empresa. No entanto, o que pode ser observado é que houve uma variação significativa entre determinados períodos. Um exemplo desta discrepância é a diferença entre os custos fixos de maio de 2013 e outubro de 2012, que foram de R$546,88 e R$6.191,84, respectivamente. Como provavelmente ocorreu com a conta dos salários, a falta de padronização na identificação das contas também pode ter sido a principal causa desta variação nos custos fixos. No que se refere aos fretes, que foi uma das principais queixas do cliente, pudemos constatar um alarmante aumento desta conta a partir do mês de junho de 2013, pois a média equivalente aos períodos analisados até maio de 2013 foi de R$1.124,45 enquanto a média dos meses de junho de 2013 até janeiro de 2014 foi de R$3.065,54. Ou seja, a média da segunda metade dos meses analisados foi praticamente o triplo da média da primeira metade, e este aumento impactou bastante os resultados financeiros da empresa, como será apresentado posteriormente. A conta que obteve a maior participação no montante de saídas durante todo o período analisado foi a de Fornecedores. No entanto isto já era esperado pelo fato de a empresa em questão atuar no setor de comércio. Os fornecedores representaram 66,77% do total de gastos do período, comprometendo, em média, R$17.603,65 do orçamento mensal da empresa.
  7. 7. 7 Todas as contas em que não foi possível identificar suas origens foram alocadas no grupo de contas denominado Outras. No final, estas contas totalizaram R$29.051,11 durante todo o período analisado, o que representa, em média, 6,48% do total de gastos mensais. Este valor pode ser considerado alto, pois resulta de uma falta de organização diária na contabilidade da empresa, pois muitas contas não possuíam qualquer identificação. É possível que uma boa parte destas contas que estavam sem identificação faça parte, na verdade, de despesas pessoais, mas tiveram que ser alocadas neste grupo por falta de classificação. Por fim, o grupo de contas denominado Despesas Pessoais NÃO deveria existir de forma alguma na empresa, pois fere o princípio contábil da Entidade, que determina que o patrimônio pessoal de qualquer indivíduo que tenha interesses ligados à empresa não pode ser misturado ou confundido com o patrimônio da empresa. As despesas pessoais tiveram uma média mensal de R$639,13, representando 2,42% dos gastos totais. Este não é um percentual tão alto, no entanto seria, por exemplo, quase o suficiente para pagar o salário de um funcionário. Estes valores estão prejudicando os resultados financeiros da empresa, pois o confronto entre as receitas efetivas (que exclui as notinhas feitas e os cheques) e as saídas totais, demonstrou um prejuízo médio mensal de R$244,61. Portanto, o valor resultante dos gastos pessoais, por si só, seria suficiente para evitar que a empresa tivesse prejuízo em boa parte dos meses observados. Gráfico 2 R$- R$5.000,00 R$10.000,00 R$15.000,00 R$20.000,00 R$25.000,00 R$30.000,00 MOVIMENTO DE CAIXA: SAÍDAS IMPOSTOS SALÁRIO/VALE CUSTOS FIXOS FRETES FORNECEDORES OUTRAS DESPESAS PESSOAIS
  8. 8. 8 ENTRADAS x SAÍDAS Após a compreensão das entradas e das saídas, separadamente, pudemos realizar uma comparação entre ambas, obtendo assim, o resultado de lucro ou prejuízo da empresa durante o período de Setembro de 2012 a Janeiro de 2014. Tal comparação pode ser observada na Tabela 4, apresentada a seguir. Tabela 4: Entradas x Saídas A partir da tabela, podemos verificar que dos 17 meses analisados, em 9 deles a empresa obteve lucro. No entanto, em 8 meses a atividade da empresa resultou em prejuízo. No ano de 2013, que foi o único que pôde ser analisado por completo, ocorreram 7 meses de prejuízo e apenas 5 meses de lucro. Porém, no resultado total dos 17 meses, a empresa teve um saldo positivo de R$190,23. O resultado médio mensal, durante todo o período analisado, foi de apenas R$11,19 de lucro, que pode ser considerado praticamente nulo. No entanto, se levarmos em conta apenas o ano de 2013, o resultado anual foi um prejuízo de R$25.619,93. Isto é bastante preocupante, pois todos os métodos de análise financeira levam em conta períodos anuais. Neste caso não foi possível uma comparação confiável com outros anos, pois não havia dados completos do ano de 2012 e de 2014. Além disso, os dados financeiros da empresa indicam a existência de sazonalidade, onde os meses finais apresentaram melhores resultados, o que pode significar que o PERÍODO ENTRADAS SAÍDAS RESULTADO set/12 25.725,40R$ 16.514,99R$ 9.210,41R$ out/12 33.063,40R$ 19.138,90R$ 13.924,50R$ nov/12 25.665,60R$ 26.509,63R$ 844,03-R$ dez/12 24.765,50R$ 23.952,45R$ 813,05R$ jan/13 20.943,70R$ 33.540,86R$ 12.597,16-R$ fev/13 19.626,75R$ 27.070,96R$ 7.444,21-R$ mar/13 19.277,84R$ 23.726,65R$ 4.448,81-R$ abr/13 17.678,80R$ 26.208,25R$ 8.529,45-R$ mai/13 16.389,70R$ 27.494,29R$ 11.104,59-R$ jun/13 14.664,80R$ 17.131,70R$ 2.466,90-R$ jul/13 22.796,85R$ 22.527,50R$ 269,35R$ ago/13 26.020,15R$ 20.117,08R$ 5.903,07R$ set/13 29.234,50R$ 24.892,81R$ 4.341,69R$ out/13 34.546,09R$ 26.518,52R$ 8.027,57R$ nov/13 35.487,60R$ 37.260,17R$ 1.772,57-R$ dez/13 42.657,40R$ 38.455,32R$ 4.202,08R$ jan/14 39.839,20R$ 37.132,97R$ 2.706,23R$ TOTAL 448.383,28R$ 448.193,05R$ 190,23R$ MÉDIA MENSAL 26.375,49R$ 26.364,30R$ 11,19R$
  9. 9. 9 ano de 2012 está, de certa forma, “maquiando” os resultados totais, pois é possível que os resultados de 2012 que não tivemos acesso foram piores que os que foram analisados. Nota-se que a ocorrência de prejuízos se concentra principalmente nos primeiros meses do ano de 2013, quando houve uma redução nas vendas, enquanto os custos da empresa permaneceram em níveis altos. Os maiores lucros da empresa se concentraram nos últimos meses do ano. Tal fato pode explicado, em parte, pelas altas temperaturas observadas nesses meses na cidade de Ituiutaba, tendo em vista que a empresa comercializa principalmente produtos para piscina. No gráfico 3, que encontra-se abaixo, pode-se observar a comparação entre as entradas da empresa e as saídas, entre os meses de Setembro de 2012 e Janeiro de 2014. Gráfico 3 CONCLUSÃO Ao final do diagnóstico financeiro do Lojão das Piscinas, entre os meses de Setembro de 2012 e Janeiro de 2014, chegamos à conclusão que a situação da empresa é, de certa forma, preocupante e delicada. O primeiro fato que chama atenção ao analisar os custos da empresa está relacionado com a conta “Fornecedores”. Esta conta compromete mais de 66% das
  10. 10. 10 saídas totais da empresa, tendo um gasto médio mensal de R$17.603,65 com fornecedores. Esta foi a conta que mais afetou o resultado final da empresa, que foi praticamente nulo no final dos períodos examinados. Outro fator que prejudica bastante a empresa é o fato de a mesma não possuir um controle contábil adequado, o que provoca uma grande dificuldade de obtenção de informações confiáveis para a tomada de decisões. Um exemplo claro disso é que, apesar de ter sido informado pelo dono da empresa que uma parte dos produtos de limpeza comercializados são produzidos dentro do próprio espaço físico da mesma, tal fato não pôde ser identificado nos dados que foram passados pela empresa. Isto significa que não há informações claras entre o que é produzido pela empresa e o que é apenas revendido, e estes dois tipos de produtos devem ser tratados de forma diferente, pois envolvem processos e custos distintos. Ainda com relação aos problemas de controle contábil, podemos citar a grande discrepância entre os valores de salário/vale ao longo dos períodos. Como por exemplo no mês de Setembro de 2013, que foi pago apenas R$120,00 nesta conta, enquanto em Novembro de 2012 foi gasto R$2.083,90 com salário/vale de funcionários. Por ser uma conta fixa, os salários dos funcionários não poderiam sofrer variações, muito menos uma oscilação de 1.636%, como ocorreu neste caso. Tal fato mostra que ocorreram falhas na identificação desta conta. O que não poderia ocorrer de forma alguma na empresa, e que foi identificado em muitos casos, é a existência de despesas pessoais nos fluxos de caixa. Isto não significa que os donos da empresa não poderiam subtrair nenhuma quantia do caixa, porém estas saídas deveriam ser padronizadas e planejadas, para não prejudicarem os compromissos que a empresa tem que cumprir no decorrer de suas atividades. O que tem ocorrido são retiradas constantes, em pequenos valores, mas em muitos casos sem identificação adequada, o que pode, por exemplo, impedir que a empresa pague determinada conta prevista para uma data específica, podendo gerar a necessidade de obtenção de empréstimos de curto prazo, que são prejudiciais por resultarem em pagamento de altas taxas de juros pela empresa. Como as contas da empresa estão sendo fechadas com uma margem de segurança muito pequena entre as receitas e as despesas, o fato de boa parte dos recebimentos serem a prazo com notinhas resulta em caixas negativos durante vários dias, e no geral isto leva a empresa a se submeter a empréstimos de curto prazo, gerando altas despesas financeiras e podendo comprometer o lucro. Neste caso, pode ser que estas despesas financeiras não foram identificadas e acabaram sendo alocadas na conta “outras”, ou então estes empréstimos de curto prazo são realizados através das contas pessoais dos donos e os pagamentos dos juros não são informados nas contas da empresa. O fato é que, independentemente da forma que estas dívidas de
  11. 11. 11 curto prazo estão sendo administradas, isto provavelmente não ocorreria se a empresa não enfrentasse problemas de recebimento de clientes. Apesar de o cliente ter manifestado uma preocupação especial com a conta “fretes”, esta não pode ser considerada a causa da empresa não estar obtendo resultados considerados como lucrativos, pois esta conta comprometeu apenas 7,7% das saídas totais da empresa durante o período analisado. De acordo com todas estas conclusões obtidas através do diagnóstico financeiro realizado na empresa Lojão das Piscinas, foram elaboradas pela DNADM Consultoria algumas propostas de solução para a situação financeira atual da empresa. PROPOSTA DE SOLUÇÃO DA DNADM CONSULTORIA Como foi identificado que a conta “Fornecedores” é a que mais compromete a receita da empresa, foram elaboradas algumas propostas de solução para este problema.  Propõe-se que se reduza o número de fornecedores de forma a aumentar o poder de negociação com eles, desta forma estreitando o relacionamento na tentativa de reduzir o custo desta conta;  Este estreitamento das relações com os fornecedores poderia resultar em uma redução ou até mesmo eliminação da conta “Fretes”. Comprar de poucos fornecedores tende a ser visto como uma fidelização por parte da empresa, que pode resultar em bonificações e, consequentemente, redução dos custos para o Lojão das Piscinas;  Como a empresa enfrenta problemas de atraso no recebimento de suas vendas, é aconselhável negociar com os fornecedores a obtenção de maiores prazos de pagamento das matérias-primas, pois desta forma a empresa teria mais tranquilidade para lidar com suas vendas a prazo. Por ter sido verificado a falta de controle contábil na empresa, foram elaboradas pela DNADM Consultoria 3 planilhas que podem auxiliar bastante a empresa na melhoria deste processo de controle contábil e financeiro. As planilhas serão disponibilizadas para o cliente em arquivos de Excel. As características destas planilhas estão explicadas abaixo:
  12. 12. 12  Fluxo de caixa: Deverá ser preenchida diariamente no final do expediente da empresa contendo todas as entradas e saídas ocorridas durante aquele dia. Trata-se de uma ferramenta de controle financeiro que representa a situação diária do caixa da empresa, podendo a mesma se preparar, no presente, para situações financeiras futuras;  Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE): Nesta planilha será possível uma comparação confiável da situação contábil mensal e anual da empresa, obtendo-se os resultados de lucro ou prejuízo do período através do confronto de todas as receitas e despesas ocorridas neste prazo;  Balanço Patrimonial: Esta planilha somente poderá ser preenchida se houver um controle eficiente das planilhas anteriormente citadas, pois todos os valores devem ser exatos para que o Ativo da empresa se iguale à soma do Passivo e do Patrimônio Líquido da empresa. Para o caso em questão, é aconselhável que este método seja utilizado em períodos anuais; Como foi identificado que na empresa ocorrem retiradas pessoais não padronizadas e aleatórias, propõe-se a seguinte solução:  É imprescindível que haja uma padronização para as retiradas dos donos da empresa, denominadas contabilmente por pró-labores. No entanto é aconselhável que este valor seja definido a partir da situação mensal apresentada no fluxo de caixa que já foi indicado para utilização na empresa. Estas retiradas devem, de preferência, ocorrer mensalmente. Durante a visita realizada pela equipe da DNADM Consultoria no Lojão das Piscinas, no dia 27 de maio de 2014, foram observados alguns pontos que, apesar de não estarem diretamente ligados às atividades demandadas pelo cliente na consultoria, poderiam ser melhorados para tornar a empresa mais atrativa para os consumidores. Entre eles estão:  Produtos que são fabricados pela empresa – Segundo o dono, os produtos de limpeza que são produzidos pelo Lojão das Piscinas vendem bem por possuírem uma boa relação de custo x benefício. Porém, na opinião de nossos consultores, os rótulos e as embalagens destes produtos são bastante simples e pouco chamativos, o que pode provocar a impressão errada de que o produto possui qualidade inferior. Além disso, tendo em vista que os custos com fornecedores dos produtos para revenda estão muito altos, poderia ser uma boa alternativa investir na melhoria dos produtos próprios;
  13. 13. 13  Organização dos estoques – Aparentemente a empresa não possui um espaço físico formalmente definido como área para estocagem de mercadorias, sendo estas distribuídas sem muita organização nos fundos da empresa. Além disso, os cadernos de fluxo de caixa revelam que a empresa realiza diversas contas de fornecedores ao longo dos meses, o que indica que estas compras provavelmente são realizadas em quantidades relativamente pequenas, possivelmente por falta de espaço para maiores quantidades de estoque. Levando em consideração que a empresa comercializa produtos químicos, que necessitam de certos cuidados ao serem armazenados, e que comprar matérias-primas em maiores quantidades geram um custo unitário menor, seria aconselhável realizar uma pequena reforma no espaço físico interno para ampliar a capacidade de armazenamento e as condições para manter os produtos estocados, desde que esta reforma não represente um custo muito alto para a empresa;  Ambiente da empresa – Na opinião dos consultores, tanto a fachada quanto o ambiente físico interno da empresa são pouco chamativos, e apesar de este não ser um problema urgente da empresa, uma renovação do layout poderia ser um atrativo para o consumidor;  Acesso ao caixa da empresa – Um dos fatores que mais chamou a atenção da DNADM Consultoria durante a visita à empresa foi a provável falta de segurança dos recursos financeiros, pois o caixa da empresa é aparentemente fácil de ser acessado por qualquer funcionário. Desta forma, é bastante importante que o caixa passe a ser restrito apenas às pessoas que realmente têm necessidade de acessar o dinheiro para manter as operações da empresa. Assim como foi dito, nenhum destes problemas identificados na visita ao Lojão das Piscinas foi relatado pelo dono e provavelmente não exigem tanta urgência para serem solucionados, com exceção da facilidade de acesso ao caixa da empresa. Porém, a partir do momento em que a situação financeira da empresa se tranquilizar, estas questões poderão ser levadas em conta para um processo de crescimento futuro. Como foi verificada a existência de sazonalidade na empresa devido às variações de temperatura entre os diferentes meses do ano, que costuma ocorrer em todas as empresas que atuam neste setor, foi elaborada a seguinte proposta de solução:  Expandir a atuação da empresa para outros segmentos que estejam, de certa forma, relacionados ao setor de piscinas, mas que não sofrem com as mesmas condições de sazonalidade. Alguns exemplos utilizados por empresas deste setor é a venda de produtos como roupas de ginástica, equipamentos de mergulho, tubulações, ferramentas hidráulicas, entre outros. Desta forma a empresa não
  14. 14. 14 mudaria seu modelo de negócio, mas passaria a oferecer mais opções de produtos que poderiam reduzir os efeitos da sazonalidade. Porém, esta expansão teria que ser analisada com cuidado, pois as novas linhas de produtos devem se adequar ao perfil dos consumidores locais. Além disso, esta expansão não pode ser exagerada a ponto de comprometer a identidade da empresa. Por fim, porém não menos importante, encontram-se os problemas relacionados às vendas a prazo que a empresa possui. Com relação a esta dificuldade que a empresa enfrenta, têm-se as seguintes propostas de soluções:  Primeiramente, é necessário uma solução legal para o recebimento das notinhas que já foram feitas e que encontram-se como inadimplentes. É preciso ter cautela neste processo para que não haja a perca de clientes que, apesar de estarem devendo a empresa, ainda podem ser importantes para a mesma;  O mais indicado para a situação atual da empresa é que não haja vendas a prazo através de notinhas e cheques. Porém, o fato de a empresa possuir muitos clientes que são piscineiros, e que compram em grandes quantidades em notinhas, tem-se a possibilidade de analisar individualmente estes casos, podendo assim manter a venda com notinhas somente para os piscineiros que geralmente realizam em dia seus pagamentos. Porém, esta venda somente pode ocorrer por meio de nota promissória, esta que é aceita legalmente para protesto. É importante que esta opção de venda por notas promissórias não seja divulgada pela empresa, pois os demais clientes não terão esta possibilidade. Portanto, esta medida deve ser anunciada individualmente como uma forma de bonificação da empresa para os principais clientes;  Para os demais clientes, é aconselhável que se estabeleça uma data limite para a venda com notinhas, que deverá ser anunciada através de um aviso no espaço de vendas da empresa, de preferência com pelo menos um mês de antecedência. Além disso, é desejável que os clientes que mais compram da empresa sejam avisados por telefone, informando a estes que a empresa possui outros meios de pagamento e que o cliente pode escolher aquele que mais se adeque às suas condições. Para aceitar esta proposta, é importante que a empresa compreenda que esta pode parecer, à primeira vista, uma medida drástica, mas que é necessária para melhorar a saúde financeira da empresa. Em alguns casos é melhor a empresa perder alguns poucos clientes ruins do que ser prejudicada por eles.

×